Apresentação do seminário

1.462 visualizações

Publicada em

Publicada em: Esportes, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.462
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação do seminário

  1. 1. Disciplina Metodologia do ensino das lutas Professor Albene Batista da Silva
  2. 2. UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ- UVA CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA: METODOLOGIA DO ENSINO DAS LUTAS PROFESSOR: ALBENE ALUNOS: ECILIO GONÇALVES MARTINS JOÃO DE ARAÚJO COSTA
  3. 3. A luta greco-romana é considerada pela Federação Internacional de Lutas Associadas (FILA) como uma das quatro principais formas de luta amadora, e está presente nos Jogos Olímpicos modernos desde 1896. Semelhante ao pancrácio, a luta greco-romana também era um esporte importante nos festivais gregos. Era parte do pentatlo na Grécia Antiga, um campeonato atlético que também incluía corridas, saltos, lança e lançamento de discos. Os gregos reconheciam a luta livre como uma excelente forma de desenvolver a destreza física e mental.
  4. 4. A luta greco-romana corre o risco de ser eliminada dos Jogos Olímpicos devido à modificações em sua estrutura. A estrutura da luta greco-romana tem sido modificada aos poucos em virtude da popularidade das artes marciais mistas (mixed martial arts – MMA), Vale-tudo. Como a luta greco-romana é uma arte que gerou campeões neste esporte, muitos atletas trocam as competições olímpicas pelas artes marciais mistas. Uma das lendas do UFC, Randy Couture, é um especialista em luta greco-romana.
  5. 5. A luta livre tem sua origem na Grécia Antiga. Assim como o pancrácio, a luta livre também era um esporte importante nos festivais gregos. Era parte do Pentatlo na Grécia Antiga, um campeonato atlético que também incluía corrida, saltos, lança e lançamento de discos. Os gregos reconheciam a luta livre como uma excelente forma de desenvolver a destreza física e mental. Este apreço pela modalidade fez com que passasse a ser um esporte oficial nos Jogos Oímpicos a partir de 704 b.C. As competições de luta livre são até mencionadas na literatura grega, incluindo a Odisséia de Omero, que data de 800 a. C.
  6. 6. A luta greco-romana integra os Jogos Olímpicos modernos desde 1896, mas a luta livre e a greco- romana têm entrado em declínio nos últimos anos. Muitas escolas e faculdades retiraram o esporte do currículo, e a técnica corre o risco de ser eliminada dos Jogos Olímpicos devido à modificações em sua estrutura.
  7. 7. A luta greco-romana tem um estilo e uma técnica únicas, quando comparada a outras formas de luta. Uma característica da luta greco-romana são seus golpes espetaculares. A luta com as mãos - a habilidade de controlar e manipular as mãos e braços do adversário - assim como os golpes com os punhos, ou a luta para ganhar vantagem durante uma contração dos membros superiores, são movimentos empregados pelos lutadores greco-romanos durante uma disputa.
  8. 8. Os dois tipos de luta presentes em Atenas têm basicamente uma diferença: na luta greco-romana é permitido somente o uso dos braços durante o combate. Já na luta livre o uso das pernas para atacar o oponente ou pra se defender é permitido. Entretanto é totalmente proibido o uso de golpes baixos, puxar o cabelo do adversário e atingir o olho. O estrangulamento também é vedado, assim como as chaves de braço.
  9. 9. Cada combate tem duração de cinco minutos, mas caso seja aplicado um golpe de grande amplitude (golpe vencedor) a luta se encerra imediatamente. A luta também pode ser paralisada caso os árbitros entendam que exista grande superioridade técnica por parte de um dos lutadores. O golpe de grande amplitude é o grande objetivo das duas lutas. Para que este golpe seja caracterizado um lutador deve atirar seu oponente por cima de sua cabeça, fazendo com que o adversário caia de costas no tablado.
  10. 10. Obrigado! João de Araújo Ecílio Martins

×