Gestão do Conhecimento



                                                                                                ...
Gestão do Conhecimento                                                     Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecime...
Gestão do Conhecimento                                                      Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecim...
Gestão do Conhecimento                                                      Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecim...
Gestão do Conhecimento                                                       Dez Práticas para a Produção de Novos Conheci...
Gestão do Conhecimento                                                   Dez Práticas para a Produção de Novos Conheciment...
Gestão do Conhecimento                                                    Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecimen...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dez praticas para a producao de novos conhecimentos

4.725 visualizações

Publicada em

Este artigo procura celebrar a importância da Produção de Novos Conhecimentos ao discorrer sobre 10 Práticas que servem como insumo à reflexão para as lideranças organizacionais.

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Dez praticas para a producao de novos conhecimentos

  1. 1. Gestão do Conhecimento biblioteca Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecimentos Várias organizações focam seus esforços iniciais de Gestão do Conhecimento nas práticas, modelos e uso de tecnologias focadas principalmente no compartilhamento e proteção do conhecido. Este artigo procura celebrar a importância da Produção de Novos Conhecimentos ao discorrer sobre 10 Práticas que servem como insumo à reflexão para as lideranças organizacionais. José Cláudio Terra, Dr. INTroDução de gestores, como uma dificuldade intrínseca daqueles diretamente envolvidos com a Gestão do “Não queremos reinventar a roda”. Esta frase Conhecimento – acadêmicos e executivos – em se tem movido muitas iniciativas de Gestão do aprofundar em seu objeto de estudo ou prática, ou Conhecimento. E, logicamente, faz todo sentido seja, o “Conhecimento”. pensar na Gestão do Conhecimento como um sistema de sofisticado de perguntas e respostas, Aqueles que realmente entram a fundo no estudo com organização do conhecimento codificado acadêmico e prático acerca do significado e ao longo dos anos pelas organizações e também características do recurso conhecimento sabem que com a introdução de novas formas e tecnologias a sua produção em um contexto cultural, social e de interação para pessoas de diferentes áreas, político como são nossas organizações requer uma departamentos, unidades de negócio, etc. Também análise e ação em múltiplas dimensões. A produção é bastante interessante e útil se pensar em grandes de conhecimento não é um processo instantâneo, projetos de portais, gestão de conteúdo e e-learning como o processo de produção e disseminação como forma de disseminação do conhecimento de de informações; pelo contrário: leva tempo e um conjunto de indivíduos que detém a informação depende de inúmeras interações. Embora possa e conhecimento para um número ainda maior ser direcionada, a produção de conhecimento não de indivíduos que poderão ter acesso àquele pode ser plenamente controlada. A sua produção conhecimento codificado. por meio do processo de aprendizado depende dos valores, experiências, características da inteligência Nossa experiência mostra, no entanto, que, em nata de cada indivíduo, da motivação para aprender particular, nos países em desenvolvimento, no qual e conseqüente filtros conscientes e inconscientes o Brasil se encaixa, muito menos ênfase é dada para que cada um se coloca. Em boa medida, aprender a questão de produção de novos conhecimentos significa também ser capaz de ver perto e ver além. nas iniciativas de Gestão do Conhecimento. Por Significa questionar os próprios limites e modelos outro lado, proclama-se a inovação como um mentais que limitam nossa capacidade de enxergar dos pilares das organizações que competem em o que nos rodeia e o que poderia ser alcançado ambientes dinâmicos e intensivos em alta tecnologia se nos dispuséssemos a buscar novas fronteiras e conhecimento. Esta incongruência denota, inexploradas. Conhecimento, por outro lado, não a nosso ver, tanto uma postura conservadora é necessariamente sinônimo de teoria. Novos © TerraForum Consultores
  2. 2. Gestão do Conhecimento Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecimentos biblioteca www.terraforum.com.br conhecimentos, em particular, são construídos a seu dia de reunião em reunião, ouvindo mais do partir de ciclos de prática, experimentação, reflexão que falando, refletindo mais do que argumentando e síntese. e lendo mais do que escrevendo. No caso mais extremo, fazer bem feito significa, muitas vezes, Trabalhar e aPreNDer apenas tomar a decisão correta após muito Não há como abraçar a Gestão do Conhecimento se não se compreender Ser competitivo significa conseguir a incrível mudança de paradigma no que tange aprender mais rápido do que os ao aprendizado no ambiente empresarial. Não é mais possível fazer uma separação concorrentes atuais e potenciais. entre aprendizado, trabalho e não- trabalho na Era do Conhecimento. Já foi o tempo aprendizado. Quando está em um curso fora da em que podíamos dividir nosso tempo de forma empresa, por sua vez, o contato com colegas de bem estanque entre estas três ocupações. A coisa turma ou as explanações dos professores são ao funcionava assim: íamos para o treinamento, depois mesmo tempo fonte de acúmulo de conhecimento ao trabalho e depois ao descanso com datas e individual e fonte instantânea de reflexão sobre horários marcados para início e fim. Atualmente desafios e conjunturas da organização. Assim é tudo muito mais misturado. Isto não quer dizer sendo, como não chamar isto também de trabalho? que estamos fazendo aqui uma apologia da hiper- atividade ou dos workaholics, mas constatando um A Gestão do Conhecimento é, portanto, não fato indiscutível quanto à natureza do trabalho do apenas uma disciplina de cursos de pós-graduação conhecimento. ou ferramentas do tipo portais, e-learning ou comunidades virtuais. Ela consiste na adoção de Uma reflexão profunda desta situação leva a uma mudança significativa de paradigma em torno mudanças significativas nas iniciativas em torno do aprendizado. Ela demanda uma visão profunda do aprender no ambiente de trabalho. Na visão do que significa aprender no ambiente de trabalho tradicional, o aprendizado era responsabilidade área e também do que significa trabalhar na Era do de Recursos Humanos. Na visão madura da Gestão Conhecimento. Empresas líderes em Gestão do do Conhecimento, o aprendizado é o negócio Conhecimento abraçam o objetivo do aprendizado da empresa e preocupação de todo e qualquer contínuo em seus processos estratégicos como gestor e mesmo qualquer colaborador, no caso de principal estratégia competitiva e implementam empresas atuantes em empresas mais intensivas uma série de práticas, métodos e ferramentas que em conhecimento, como alta tecnologia, consultoria estimulam e facilitam o aprender constante de seus e biotecnologia. É o negócio da empresa, pois ser colaboradores. Isto, logicamente, é muito mais mais competitivo significa conseguir aprender mais desafiador do que disponibilizar uma série de cursos rápido do que os concorrentes atuais e potenciais. (presenciais ou on-line). Trabalhar e aprender são faces da mesma moeda. Aprender e fazer estão intimamente interligados. Aprender é fazer. Fazer é aprender. O trabalhador do conhecimento passa, às vezes, boa parte do © TerraForum Consultores
  3. 3. Gestão do Conhecimento Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecimentos biblioteca www.terraforum.com.br Dez PráTICas Para a ProDução compreender a natureza claramente social tanto do De CoNheCImeNTo conhecimento individual, como do coletivo. A partir do reconhecimento e valorização da variedade, por Com base nas colocações mais conceituais nos sua vez, fica muito mais óbvio se encontrar talentos. parágrafos anteriores, listamos abaixo dez tipos de Uma coisa é vir com métricas e conceitos pré- práticas que organizações voltadas para a produção estabelecidos do que seja um talento; outra coisa de conhecimento deveriam considerar: bem diferente é ter mentes e ouvidos para detectar talentos não óbvios e descobrir como inseri-los no 1. Estabelecer Desafios de Aprendizado melting pot organizacional buscando a geração de valor para o indivíduo e para a empresa. É papel de líderes antenados com seu entorno detectar novos padrões, tecnologias emergentes 3. Parar a Linha de Montagem e hábitos mutantes que possam mudar o cenário competitivo de suas organizações. Na Era do Um dos aspectos mais difíceis para quem ocupa Conhecimento, mudanças estão invariavelmente posições de liderança é lidar com o constante associadas a novos desafios de aprendizado. conflito entre o curto e o longo prazo; entre Isto significa que ao detectar oportunidades de o produzir e criar o novo; entre o estabelecer mudanças, líderes têm a obrigação de alertar, deadlines e dar tempo para a criatividade se despertar, motivar e apoiar profissionais para o expressar. Não há mágica, no entanto, quando aprendizado e produção de conhecimento em o assunto é produção de conhecimento e, muitas áreas de conhecimento estratégico. É amplamente vezes, parar significa ir para frente. A produção de conhecido o fato que desafios, valorização de conhecimento envolve logicamente novos inputs resultados e paixão por um tema formam um trio de informação e experiências, mas o principal na explosivo. Desafiar, por sua vez, guarda uma tênue verdade é a produção de energia potencial para a separação do conceito de pressionar. O trabalho ação que ocorre a partir da síntese, reconfiguração físico da era industrial podia ser mais produtivo pela e questionamentos. Neste sentido, é mister que pressão. O trabalho do conhecimento obedece, no líderes compreendam a clara necessidade para entanto, muito mais a lógica do desafio. quem quer competir na base do conhecimento de que é necessário parar a linha de montagem 2. Foco no Talento e na Diversidade de tempos em tempos. É, invariavelmente, um excelente investimento. Focar no talento na Era do Conhecimento, ao contrário do que alguns proclamam, não é simplesmente viver 4. Abrir a Organização em torno da máxima: contrate os melhores e tenha processos internos que premiem os melhores e Um dos quocientes que ainda precisaria ser dispensem os piores. Por incrível que pareça vários incorporado às métricas tradicionais, mesmo aquelas livros de sucesso foram escritos e bem vendidos do Balanced Scorecard, é o grau de abertura da apenas com este adágio. Não discordando destes organização aos fluxos de informação, conhecimento preceitos, cremos que na Era do Conhecimento e experiências com o ambiente externo. Não o desafio é encontrar pessoas que estejam importa o tamanho, é impossível imaginar que dispostas a construir coletivamente o conhecimento alguma organização consiga no dia de hoje produzir organizacional a partir da sua interação em fluxos todo o conhecimento que precisa. Neste sentido, criativos, inovadores e produtivos. Isto significa é crítico tornar a organização mais porosa ao © TerraForum Consultores
  4. 4. Gestão do Conhecimento Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecimentos biblioteca www.terraforum.com.br mesmo tempo que se desenvolve uma consciência capazes não apenas de observar analiticamente, muito crítica sobre propriedade intelectual e ativos mas de se colocar no lugar dos clientes e de se intangíveis. A crescente necessidade de proteção solidarizar com os desafios dos mesmos. de conhecimentos competitivos e ativos intangíveis não pode ser uma desculpa para a organizar se 6. Desenvolver cenários fechar ao ambiente. É preciso se estabelecer pontes com outras empresas, parceiros, clientes, Em grande medida os processos de planejamento fornecedores, consultores e universidades. Estamos estratégicos das organizações não criam falando aqui desde parcerias estratégicas e formais conhecimentos. Que oportunidade perdida! Ano a até encontros informais e sistemáticos com vários após ano, os melhores talentos das organizações grupos de agentes externos para tratar, dialogar s são chamados a produzir um planejamento que se e trocar conhecimentos tanto sobre assuntos diz estratégico, mas que nada mais é que do um diretamente relacionados aos negócios, como para orçamento projetado. Pensar, no entanto, diferentes aprender coisas novas e que aparentemente não futuros significa trabalhar o que há de mais rico na tenham uma relação ou aplicação imediata aos mente humana: sua capacidade de imaginar. O negócios da empresa. Enfim, trata-se de fomentar exercício da imaginação é um poderoso processo um ecossistema de aprendizado e abrir espaços de aprendizado individual e coletivo porque cria para o inesperado, para a criatividade e inovação. novos planos e padrões que influenciam nossa capacidade de gerar novos conhecimentos a partir 5. Incentivar contatos diretos com os clientes da associação. Sempre aprendemos algo que tenha ou faça referência a algo anterior. Empresas que A questão neste item é parecida com o item acima, se utilizam da técnica de cenários estimulam seus mas a dinâmica destacada é outra. É bem estudado executivos a pensar além do status quo e de seus o fato que a maior parte das inovações de produto referenciais tradicionais. Esta é, possivelmente, advém dos próprios clientes. Empresas japonesas uma das melhores oportunidades de produção de chegam a enviar todos os seus funcionários uma vez novos conhecimentos estratégicos e de impacto no por ano para visitar os clientes. A lógica é que só se longo prazo. aprende e se desenvolve novos insights a partir da socialização efetiva com clientes. Conhecimentos 7. Desenvolver processos de inovação complexos não podem ser transmitidos apenas por meio da rápida troca de informações que algumas As pessoas produzem mais idéias de valor quando pessoas são levadas a realizar em função da lógica sabem que suas novas idéias serão consideradas, industrial do “call report”. Organizações orientadas reconhecidas ou mesmo premiadas. Discute-se para a produção de novos conhecimentos de valor bastante que o capital humano é o principal ativo para o mercado e para seus clientes investem em das organizações. Ora, o capital humano não pode práticas e iniciativas que colocam grande parte dos ser entendido apenas como um repositório de colaboradores e clientes em situação de socialização, habilidades e competências para se cumprir tarefas. debate e troca efetiva de aprendizados. Subjacente Na Era do Conhecimento o principal estoque ou também a este contexto está o desenvolvimento de energia potencial à disposição das empresas é empatia com os clientes. Quando os colaboradores o potencial criativo de seus indivíduos. Estes, no da empresa atingem este estado emotivo, eles entanto, precisam de canais muito bem definidos são capazes de produzir novos conhecimentos e para poderem transbordar e escoar para o benefício iniciativas realmente úteis aos clientes, pois foram das organizações. Organizações cientes desta © TerraForum Consultores
  5. 5. Gestão do Conhecimento Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecimentos biblioteca www.terraforum.com.br possibilidade têm criados processos formais e conhecimentos em novos contextos. Se estes são bem estruturados para canalizar a energia criativa traços naturais de criadores, é papel dos líderes de seus colaboradores. Isto inclui desde simples primeiramente de evitar que a rotina e burocracia Programas de Idéias até Programas de Inovação das organizações limitem algo que já nato em bem sofisticados que utilizam uma série de métodos algumas pessoas. Por outro lado, por várias razões, estruturados e sistemáticos para estimular a geração boa parcela dos indivíduos não tem este “fogo de novas idéias, combinação de idéias existentes, interno” que motiva a buscar incessantemente o importação de idéias de agentes externos e alocação novo. As organizações têm um poder de influência de recursos para a implementação das idéias mais limitado para transformar características tão promissoras. essenciais dos indivíduos. Líderes antenados com a necessidade de gerar novos conhecimentos podem, 8. Flexibilizar o ambiente de trabalho no entanto, fazer uma grande diferença. Isto pode se manifestar, por exemplo, a partir do estímulo O conhecimento não se produz necessariamente para que as pessoas por meio de processos formais no escritório. De fato, alguns escritórios fazem como job rotation ou mesmo programas formais tudo menos colaborar para a geração de novos de coaching e mentoring busquem experiências conhecimentos. O conhecimento, ademais, não mais enriquecedoras que lhes ajudem a aumentar observa um ritmo linear de produção. São intrínsecos seus repertórios de experiências que ampliem seu ao seu processo de produção os altos e baixos; a potencial criador e inovador. produção em ritmo acelerada seguida de momentos de aparente ócio; tanto a necessidade de ação, 10. Celebrar a inovação como de reflexão; e, finalmente, a necessidade de interação e socialização seguida de momentos de Nada é mais frágil do que o processo de inovação trabalho concentrado e individual. Organizações em contextos organizacionais. A rotina e o medo voltadas à produção de novos conhecimentos do novo e de mudanças tende a corromper algo levam em consideração estes aspectos bastante do resultado esperado de novos conhecimentos: específicos da produção de novos conhecimentos a inovação organizacional! Grandes conquistas e rompem com a rotina dos ambientes de trabalho são invariavelmente celebradas pela humanidade. tradicionais. Na prática, isto significa horários muito Inovação, por sua vez, é sempre uma superação: mais flexíveis, opção de férias prolongadas não de dogmas, conceitos, pré-conceitos, limites reais remuneradas, layouts mais flexíveis, ambientes de ou imaginários e de oponentes que se beneficiam interação e socialização, trabalho em casa etc. do status quo. Setores que tradicionalmente vivem da criação como cinema, publicidade, teatro, arte, 9. Prover experiências jornalismo, etc celebram a inovação, pois isto faz parte intrínseca do seu negócio. A prática de Nada ensina mais do que a experiência vivida. A celebrar a produção de novos conhecimentos e experiência produz padrões mentais. A experiência inovação precisa, no entanto, ser adotada por todo rotineira, no entanto, limita o acervo que as pessoas tipo de organização. A celebração atrai aqueles podem acessar para criar novos conhecimentos. que aspiram ao palco, melhora a auto-estima dos Criadores de conhecimentos são, logicamente, que conseguem contribuir com o novo e, mais mentes curiosas que estão constantemente importante do que qualquer outra coisa, deixa uma buscando novos desafios, experiências e testando mensagem clara para a organização que iniciativa, hipóteses, reações e suas próprias habilidades e perseverança e capacidade de articular para inovar © TerraForum Consultores
  6. 6. Gestão do Conhecimento Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecimentos biblioteca www.terraforum.com.br são valores e atitudes amplamente suportadas e reconhecidas. CoNsIDerações FINaIs Gestão do Conhecimento deve focar também no que é mais árduo e que pode gerar maiores retornos: a produção de novos conhecimentos. Várias organizações focaram seus esforços iniciais nas práticas, modelos e uso de tecnologias focadas principalmente no compartilhamento e proteção do conhecido. Para aquelas na fronteira da Gestão do Conhecimento as práticas apresentadas acima significam não uma cartilha, mas um conjunto de reflexões que precisam ser adotadas por líderes em todos os níveis organizacionais – não apenas a alta administração. Quando a alta administração, no entanto, abraça as práticas acima o efeito é muito mais amplo e perene para organizações que atraem talentos, aprendem, inovam e competem na Era do Conhecimento. *** José Cláudio C. Terra é presidente da TerraForum Consultores. Atua como consultor e palestrante no Canadá, nos Estados Unidos, em Portugal, na França e no Brasil. Também é professor de vários programas de pós-graduação e MBA e autor de vários livros sobre o tema. Seu email é jcterra@terraforum.com.br © TerraForum Consultores
  7. 7. Gestão do Conhecimento Dez Práticas para a Produção de Novos Conhecimentos biblioteca www.terraforum.com.br a emPresa arTIGos relaCIoNaDos A TerraForum Consultores é uma empresa de consultoria e treinamento em Gestão do Conhecimento (GC) e Tecnologia da Informação. Os 7 Dimensões da Gestão do Conhecimento clientes da empresa são, em sua maioria, grandes GC no Brasil: Cenário Atual e Perspectivas Futuras e médias organizações dos setores público, privado Ciclo de Vida da Gestão do Conhecimento nas Organizações e terceiro setor. A empresa atua em todo o Brasil Gestão do Conhecimento: Por Onde Começar? e também no exterior, tendo escritórios em São Posicionando a GC no Âmbito Estratégico Paulo, Brasília e Ottawa no Canadá. É dirigida pelo Dr. José Cláudio Terra, pioneiro e maior referência em Gestão do Conhecimento no país. Além disso, conta com uma equipe especializada e internacional de consultores. PublICações TerraForum Winning at Collaboration Commerce Gestão do Conhecimento e E-learning na Prática Portais Corporativos, a Revolução na Gestão do Conhecimento Gestão do Conhecimento - O Grande Desafio Empresarial Gestão do Conhecimento em Pequenas e Médias Empresas Realizing the Promise of Corporate Portals: Leveraging Knowledge for Business Success Gestão de Empresas na Era do Conhecimento © TerraForum Consultores

×