Adelina Machado e João Sousa - Centro Ciência Viva de Sintra




Aprendizagem e
Actividades Experimentais
Plano da Sessão


 Apresentação
      dos         Actividades              Reflexão
 Participantes   Experimentais        ...
Aprendizagem e Actividades Experimentais

Apresentação dos Participantes
Centro Ciência Viva de Sintra
Espaço interactivo de
divulgação científica e
tecnológica

Associação sem fins
Lucrativos qu...
Tipos de Aprendizagem
Aprendizagem Formal




Aprendizagem Informal




Aprendizagem Não-formal
Os modernos centros de ciência

                                                         Museus
                          ...
Objectivos dos modernos centros
de ciência
    •   Divulgar a cultura científica e tecnológica
    •   Estimular a curiosi...
Aprendizagens nos centros de
ciência
    •   A centralidade do aprendente na abordagem pedagógica
    •   A valorização da...
O que é o Trabalho Prático?
                      “toda e qualquer actividade em que a aluna ou aluno se envolve
         ...
“a curiosidade das crianças pelos fenómenos naturais deve ser
                               estimulada no 1º ciclo, sendo...
“Nos 2º e 3º ciclos a actividade experimental deve ser
                                 planeada com os alunos decorrendo ...
Capacidades desenvolvidas pelas actividades experimentais



    Capacidades              Capacidades                    C...
Aprendizagem e Actividades Experimentais

Actividades Experimentais
Actividades Experimentais


                Cientistas de Caracóis




                (À descoberta da) Água
Aprendizagem e Actividades Experimentais

Reflexão e Debate
(Algumas)
Questões para debate:

 Qual a duração desta actividade ?
 Quanto tempo é necessário investir
 na sua preparação...
CONTACTOS




       ?
                                             Adelina Machado
                                      ...
Capacidades desenvolvidas pelas                                    CAPACIDADES AQUISITIVAS

                              ...
Capacidades desenvolvidas pelas                        CAPACIDADES ORGANIZACIONAIS
                                  Regis...
Capacidades desenvolvidas pelas                                        CAPACIDADES CRIATIVAS
Actividades Experimentais

  ...
Capacidades desenvolvidas pelas                           CAPACIDADES MANIPULATIVAS

                                  Usa...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação ensino experimental

2.507 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.507
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
53
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação ensino experimental

  1. 1. Adelina Machado e João Sousa - Centro Ciência Viva de Sintra Aprendizagem e Actividades Experimentais
  2. 2. Plano da Sessão Apresentação dos Actividades Reflexão Participantes Experimentais e Debate Aprendizagem e Actividades Experimentais
  3. 3. Aprendizagem e Actividades Experimentais Apresentação dos Participantes
  4. 4. Centro Ciência Viva de Sintra Espaço interactivo de divulgação científica e tecnológica Associação sem fins Lucrativos que integra a CMS, a Agência Ciência Viva e a Fac. de Eng. da Univ. Católica Pertence à Rede de Centros Ciência Viva que é coordenada pelo Pavilhão do Conhecimento
  5. 5. Tipos de Aprendizagem Aprendizagem Formal Aprendizagem Informal Aprendizagem Não-formal
  6. 6. Os modernos centros de ciência Museus tradicionais Feiras Era industrial Internacionais Museus de Abordagem museulógica Ciência inovadora Actividades hands-on e de enquiry Aprendizagem por descoberta
  7. 7. Objectivos dos modernos centros de ciência • Divulgar a cultura científica e tecnológica • Estimular a curiosidade do visitante • Despertar-lhe o gosto pela investigação pessoal • Promover modalidades não - formais de ensino de ciência que decorrem paralelamente ao ensino formal que acontece nas escolas. (Maarschalk, 1988)
  8. 8. Aprendizagens nos centros de ciência • A centralidade do aprendente na abordagem pedagógica • A valorização da experiência como factor de aprendizagem • A promoção da participação activa e voluntária em ambientes não hierárquicos • A predominância da avaliação qualitativa, contínua e participada por todos • Proporciona um contexto de aprendizagem que favorece o desenvolvimento de determinadas competências – essencialmente pessoais e sociais • Conducente a processos de transformação pessoal e colectiva.
  9. 9. O que é o Trabalho Prático? “toda e qualquer actividade em que a aluna ou aluno se envolve activamente nos seus diversos domínios: cognitivo, afectivo e psicomotor” (Hodson 1988, cit. Dourado, 2001) Questões Semânticas Trabalho de Campo “…decorre no campo, mas não difere substancialmente do trabalho laboratorial, recorrendo muitas vezes a instrumentos que provêm dos laboratórios” Trabalho Laboratorial “trabalho prático que decorre no laboratório ou numa sala de aula em que estão criadas as condições de segurança para a realização das actividades” Trabalho Experimental “designação que se reserva para todo e qualquer trabalho prático que envolva a manipulação e controlo de variáveis”
  10. 10. “a curiosidade das crianças pelos fenómenos naturais deve ser estimulada no 1º ciclo, sendo os alunos encorajados a levantar Enquadramento Curricular (I) questões e a procurar respostas através de experiências e de pesquisas simples…” “o trabalho experimental concebido como uma actividade de investigação adequada aos diversos contextos de ensino- aprendizagem contribui para a criação de situações de aprendizagem significativas, adaptáveis aos diversos níveis etários, promovendo um alargamento do conhecimento científico por parte dos alunos” Currículo Nacional do Ensino Básico
  11. 11. “Nos 2º e 3º ciclos a actividade experimental deve ser planeada com os alunos decorrendo de problemas que se Enquadramento Curricular (II) pretendem investigar e não constituem a simples aplicação de um receituário. Em qualquer dos ciclos deve haver a formulação de hipóteses e previsão de resultados, observação e explicação.” “Sempre que possível, deve haver planeamento de investigação, devem-se proporcionar situações de aprendizagem centradas na resolução de problemas, com interpretação de dados, formulação de hipóteses, previsão e avaliação de resultados …” Currículo Nacional do Ensino Básico Este procedimento é chamado de Método Científico
  12. 12. Capacidades desenvolvidas pelas actividades experimentais Capacidades Capacidades Capacidades Aquisitivas Organizacionais Criativas Capacidades Capacidades de Manipulativas Comunicação (Leslie Trowbridge e Rodger Bybee, 1990, p. 239 e 240)
  13. 13. Aprendizagem e Actividades Experimentais Actividades Experimentais
  14. 14. Actividades Experimentais Cientistas de Caracóis (À descoberta da) Água
  15. 15. Aprendizagem e Actividades Experimentais Reflexão e Debate
  16. 16. (Algumas) Questões para debate: Qual a duração desta actividade ? Quanto tempo é necessário investir na sua preparação? Como se ‘encaixa’ no horário ? Em que contexto será realizada ? De que forma são organizados os alunos ? Quais as modificações a introduzir para a adaptar a outros enquadramentos? …
  17. 17. CONTACTOS ? Adelina Machado adelina.machado@gmail.com João Carlos Sousa jcmsousa@gmail.com Ludovic Martins lmartins@cienciavivasintra.pt … e para marcações de visitas e actividades: CENTRO CIÊNCIA VIVA DE SINTRA info@cienciavivasintra.pt http://www.cienciavivasintra.pt
  18. 18. Capacidades desenvolvidas pelas CAPACIDADES AQUISITIVAS Ouvir – ser atento, estar alerta, questionar. Actividades Experimentais Observar – ser preciso, atento, sistemático. Pesquisar – localizar fontes, utilizar variadas fontes, ser auto-confiante, adquirir capacidades de consulta bibliográfica. Inquirir – perguntar, intervir, corresponder. Investigar – ler informação de «background», formular problemas. Recolher dados – tabular, organizar, classificar, registar. Pesquisar – localizar um problema, assimilar o «background» necessário, estabelecer experiências, conceber conclusões. (Leslie Trowbridge e Rodger Bybee, 1990, p. 239 e 240)
  19. 19. Capacidades desenvolvidas pelas CAPACIDADES ORGANIZACIONAIS Registar – construir tábuas e mapas, trabalhar com regularidades, efectuar registos completos. Actividades Experimentais Comparar – verificar em que as coisas se assemelham, procurar similaridades, notar aspectos idênticos. Contrastar - verificar em que as coisas diferem, procurar diferenças, notar aspectos distintos. Classificar – colocar as coisas em grupos e sub-grupos, identificar categorias, decidir entre alternativas. Organizar – pôr os itens em ordem, estabelecer sistemas, preencher, rotular, arranjar. Planificar - empregar títulos e subtítulos, usar sequências e organização lógica. Rever – destacar itens importantes, memorizar, associar. Avaliar – reconhecer aspectos bons e maus, conhecer como melhorar. Analisar- ver implicações e relações, destacar causas e efeitos, localizar novos problemas. (Leslie Trowbridge e Rodger Bybee, 1990, p. 239 e 240)
  20. 20. Capacidades desenvolvidas pelas CAPACIDADES CRIATIVAS Actividades Experimentais Desenvolver planos – ver saídas possíveis, modos de ataque, estabelecer hipóteses. Arquitectar - conceber novos problemas, novas abordagens , novos utensílios ou sistemas. Inventar – criar um método, utensílio ou sistema. Sintetizar – juntar as coisas similares em novos arranjos, hibridizar, associar., estar alerta, questionar. (Leslie Trowbridge e Rodger Bybee, 1990, p. 239 e 240)
  21. 21. Capacidades desenvolvidas pelas CAPACIDADES MANIPULATIVAS Usar instrumentos – conhecer as partes dos instrumentos, como Actividades Experimentais funcionam, como se ajustam, o seu uso adequado a dadas tarefas, as suas limitações. Cuidar dos instrumentos – saber como se guardam, usar as montagens adequadas, mantê-los limpos, manejá-los de modo adequado, respeitar as suas capacidades, transportá-los. Demonstrar – montar aparelhos, fazê-los funcionar, descrever as suas partes e funções, ilustrar princípios científicos. Experimentar – reconhecer um problema, planificar um procedimento, recolher dados, registar dados, analisar dados, formular conclusões. Reparar – consertar e manter os equipamentos e instrumentos. Construir – produzir equipamentos simples para demonstração e experimentação. Calibrar – aprender a informação básica acerca da calibração, calibrar termómetros,balanças, cronómetros ou outros instrumentos (Leslie Trowbridge e Rodger Bybee, 1990, p. 239 e 240)
  22. 22. Capacidades desenvolvidas pelas CAPACIDADES DE COMUNICAÇÃO Questionar – aprender a formular boas questões, ser selectivo no perguntar. Actividades Experimentais Discutir – aprender a contribuir com ideias próprias, escutar as ideias dos outros, sustentar os tópicos, partilhar o tempo disponível de modo equitativo, atingir conclusões. Explicar – descrever para os outros com clareza, clarificar os aspectos principais, mostrar paciência, estar disposto a repetir. Relatar – descrever oralmente para a turma ou para o professor, de uma forma sintética, o material significativo nos diversos tópicos. Escrever – escrever relatórios das experiências ou demonstrações. Criticar – criticar construtivamente ou avaliar trabalhos, procedimentos realizados ou conclusões. Construir gráficos – pôr em forma gráfica os resultados de estudos experimentais, ser capaz de interpretar os gráficos para outras pessoas. Ensinar – após a familiarização com um tópico, ser capaz de o ensinar aos colegas de modo a não ter de ser novamente ensinado pelo professor. (Leslie Trowbridge e Rodger Bybee, 1990, p. 239 e 240)

×