SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
Liderança no desportoLiderança no desporto
Alfredo Lima
Psicólogo do desporto e actividades físicas
Outubro de 2010
O que é a liderança?O que é a liderança?
• O centro do processo de grupo
• Um efeito da personalidade (do líder sobre os seguidores)
• Uma arte de induzir a submissão
• Um exercício de influência
• Um acto ou comportamento
• Uma forma de persuasão
• Uma relação de poder
• Um instrumento para alcançar objectivos
• Um processo de interacção
• Um papel diferenciado
• Uma iniciação da estrutura
• Uma combinação de elementos
O que é a liderança?O que é a liderança?
Desta forma, Leitão, Serpa e Bártolo
(1995) e Alves (2000), consideram que a
definição que melhor se pode aplicar ao
desporto é a de Barrow (1977)
 - processo comportamental que visa
influenciar os sujeitos e/ou grupos de
modo a que se atinjam os objectivos
determinados anteriormente.
Tipos de abordagem sobre a liderançaTipos de abordagem sobre a liderança
•  Traço/Característica (líder nato ou líder aprendido)
• Centra-se no estudo das características da personalidade dos líderes, na tentativa de encontrar os
aspectos comuns que relacionem a liderança com qualquer situação, ou seja, esta abordagem
considera a capacidade de liderança uma característica inata.
• Apesar de não existirem traços identificáveis da personalidade relativos à capacidade de liderança e
à eficácia da mesma em todas as situações, uma vez que o sujeito pode variar a sua conduta de uma
situação para a outra, ou, manter a mesma postura independente da situação, Weinberg e Gould
(2005), conseguiu enumerar algumas tendências de comportamento:
• dominância, alta auto-estima, assertividade, elevado ambição, iniciativa, segurança, boa
comunicação, competência, sentido de humor, etc.
Conduta/ComportamentoConduta/Comportamento
• Centra-se no estudo das condutas e comportamentos
dos líderes e na sua influência sobre os grupos, sendo
a liderança uma habilidade adquirida e produto de uma
aprendizagem. Dois tipos de líder podem ser
equacionados (Noce, 2002 e Mendo e Ortiz, 2005):
• 1) autocrático - toma todas as iniciativas e decisões
sobre a organização, os objectivos e as tarefas do
grupo;
• 2) democrático - estimula a discussão e a
participação do grupo nas decisões a tomar. Murray
(1991) e Mendo e Ortiz (2005)
• 3) - Laissez Fair ("Deixa Fazer") - adopta um papel
passivo e deposita toda a capacidade de decisão nos
membros do grupo.
Interacional/SituacionalInteracional/Situacional
•  Esta abordagem parte do princípio de que existe uma interacção entre o
sujeito e o contexto situacional, colocando uma atenção especial nos
factores da situação que segundo Murray (1991) e Dosil (2004).
• - incide a sua actuação nos aspectos comunicativos do grupo, nas relações
entre os seus membros e na procura do equilíbrio no seio do grupo (cada
um deve sentir-se bem com o papel que desempenha);
• - Líder orientado para a tarefa - centra-se no cumprimento dos
objectivos propostos e no máximo rendimento, deixando para segundo
plano as relações interpessoais entre os membros do grupo.
• A orientação para a relação é mais eficaz quando estamos numa
situação moderadamente favorável. Por outro lado, a orientação para a
tarefa é mais apropriada quando a situação é muito favorável ou muito
desfavorável (Weinberg e Gould, 2005).
        Qualidades do LíderQualidades do Líder
• Inteligência;
• Firmeza;
• Optimismo;
• Motivação intrínseca;
• Empatia;
• Habilidades de Comunicação;
• Autocontrolo;
• Confiança nos outros;
• Persistência;
• Flexibilidade;
• Empenhamento, dedicação e responsabilidade;
• Estimam e Ajudam os outros;
• Identificam e corrigem problemas;
Estilos de liderançaEstilos de liderança
Liderança orientada para a tarefa
Autocrático - estilo de comando, centrado
na vitória e orientado para a tarefa;
Liderança orientada para a relação
Democrático - estilo cooperativo, centrado
no atleta e orientado para o sujeito.
A importância na relação treinador atleta
Vantagem/desvantagemVantagem/desvantagem
• O Líder autocrático pode ser mais eficaz em
situações estruturadas e com objectivos bem definidos.
Apesar de oferecer mais segurança aos atletas em
momentos de tensão, provoca um clima socioafectivo
negativo e alguma agressividade interna que pode
conduzir a uma fraca coesão do grupo.
• O tipo democrático parece ser mais eficaz em
situações moderadamente estruturadas e com
objectivos pouco claros. O incentivo à participação
estimula a satisfação e promove uma elevada coesão do
grupo. No entanto, ao repartir as responsabilidades
pode aumentar os níveis de ansiedade de alguns
membros do grupo.
Características dos lideradosCaracterísticas dos liderados
• Idade - de acordo com Serpa (1990), os atletas mais jovens
apresentam uma preferência maior pelos comportamentos
democráticos e de suporte social e evidenciaram uma maior
rejeição dos comportamentos autocráticos;
• Sexo - de acordo com Weinberg e Gould (2005), os atletas do
sexo feminino têm preferência por estilos de liderança mais
participativos (democrático);
• Nível de Capacidade - segundo Weinberg e Gould (2005), os
atletas com um maior nível de habilidades preferem uma liderança
orientada mais para o sujeito/relação;
• Personalidade - de acordo com Serpa (1990), os sujeitos com um
funcionamento mais cognitivo preferem comportamentos de
instrução. Por outro lado, os indivíduos que se mostram mais
impulsivos preferem comportamentos de suporte social;
• Experiência - segundo Alves (2000), os atletas com um maior grau
de maturidade evidenciam uma preferência por estilos mais
democráticos que lhes concedam alguma autonomia e
responsabilização;
        Factores situacionaisFactores situacionais
• Tipo de Modalidade - devido às exigências
organizativas e estruturais os treinadores
tem utilizado um estilo de natureza mais
autocrática nos desportos colectivos e mais
democrática nos individuais (Alves, 2000).
• Nível de Participação - os atletas de elite
preferem estilos participativos e
comportamentos de suporte social,
orientados mais para o sujeito;
• Tamanho do grupo, tempo disponível
para a prática, etc.
 Modelo multidimensional de Chelladurai (2007)
    Modelo multidimensional da
liderança
CARACTERÍSTICAS
SITUACIONAIS
CARACTERÍSTICAS
DOS ATLETAS
COMPORTAMENTO
REQUERIDO
COMPORTAMENTO
REAL
COMPORTAMENTO
PREFERIDO
CARACTERÍSTICAS
DO TREINADOR
SATISFAÇÃO
DOS ATLETAS
DESEMPENHO
INDIVIDUAL
& DA EQUIPA
ANTECEDENTES
COMPORTAM. DO LEADER
CONSEQUÊNCIAS
L
I
D
E
R
A
N
Ç
A
T
R
A
N
S
F
O
R
M
A
C
I
O
N
A
L
Modelos de liderançaModelos de liderança
 Modelo mediacional de liderança no desporto
jovem, smith & smoll, (1977) avaliava a influência do
comportamento do treinador nos jovens, é
recomendado para o desporto jovem avaliado pelo
CBAS.
 Modelo normativo de estilo de decisão do líder
de Chelladurai e eggerty(1978). A importância da
eficácia da qualidade de decisão do treinador
relativamente ao grupo.
 Modelo dinâmico do treinador de Cotê e Samela
(1993)
tenta enquadrar todas as variáveis desta matéria
dentro deste modelo.
COACHINGCOACHING
Avaliaçãodotreinador
sobreopotencialdo
atleta
COMPETIÇÃO TREINO
ORGANIZAÇÃO
Características
Pessoaisdo
Treinador
Características
PessoaisdoAtletae
NíveldeDesenvolvimento
Factores
Contextuais
OBJECTIVO:
Desenvolvimentodosatletas
MODELO DINÂMICO DO COACHING
(CÔTÉ, TRUDEL & SALMELA, 1993)
Coaching é um processo, com início, meio e fim, definido em comum 
acordo entre o coach (profissional) e o coachee (cliente) de acordo com a 
meta desejada pelo cliente, onde o coach apoia o cliente na busca de 
realizar metas de curto, médio e longo prazo, através da identificação e uso 
das próprias competências desenvolvidas, como também do reconhecimento 
e superação de suas fragilidades.
PRINCÍPIOS
ATENTO À REALIDADE
• Focus nas capacidades dos
subordinados
• Identificar o objectivo de
sonho
• Identificação do focus
atencional (awareness)
• Promover a auto-estima e a
auto-confiança
• Team building
• Promover a performance
optimizando o desempenho
individual/grupal
• Fomentar a motivação
intrínseca
• Co-participação no
estabelecimento de
objectivos
• Promover a autonomia
• Trabalho em equipa
RESPONSABILIDADE
DO COACHING
Recomendações práticas para aRecomendações práticas para a
liderançaliderança
• Dirigentes - no essencial, devem ter em linha de conta as
características próprias de cada modalidade e utilizar técnicas
semelhantes às da psicologia organizacional;
• Treinadores - devem "aprender e treinar" as suas
competências neste domínio e caminhar no sentido de serem
líderes eficazes.
• Jogadores - quer de uma situação formal (através da sua
escolha entre os membros), quer informal (emergir da
interacção entre os membros), não se pode negar a existência de
líderes/jogadores dentro dos grupos (Mendo e Ortiz, 2003).
Compreender a sua influência nos comportamentos do colectivo
e criar alianças de intervenção com ele pode fazer a diferença.
Recomendações práticas para oRecomendações práticas para o
desenvolvimento da liderança eficazdesenvolvimento da liderança eficaz
• Nova Concepção de Sucesso - dado que um dos
poucos factores que os atletas podem controlar é o seu
esforço e empenho, podemos fazer equivaler o conceito de
sucesso à ideia de "dar o máximo de esforço";
• Abordagem Positiva face ao Treino - a utilização do
reforço positivo pelo esforço, pelo desempenho e pelo
encorajamento após o erro motiva melhor o sujeito face às
suas dificuldades, cria um clima muito mais agradável e
diminui a ansiedade e o stress;
• Percepção mais Realista dos Comportamentos - só
com uma percepção realista e correcta das suas condutas é
que o treinador pode melhorar e modificar os seus padrões
de comportamento, no sentido de ir ao encontro das
preferências dos seus atletas;
Para concluirPara concluir
 uma reflexão final que faz um sumário de
tudo aquilo que aqui foi escrito sobre
este tema - "a liderança eficaz passa por
uma grande flexibilidade na adopção do
estilo adequado a cada situação e pelo
desenvolvimento de uma cultura própria do
grupo que una todos os seus membros à
volta dos mesmos objectivos"
Muito Obrigado

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação iniciação esportiva pablo novo - bartholo
Apresentação   iniciação esportiva pablo novo - bartholoApresentação   iniciação esportiva pablo novo - bartholo
Apresentação iniciação esportiva pablo novo - bartholopstec25
 
Introdução à Aprendizagem Motora
Introdução à Aprendizagem MotoraIntrodução à Aprendizagem Motora
Introdução à Aprendizagem MotoraCassio Meira Jr.
 
Aula chefia e liderança - 24.04.2010
Aula   chefia e liderança - 24.04.2010Aula   chefia e liderança - 24.04.2010
Aula chefia e liderança - 24.04.2010Michel Moreira
 
Introdução ao estudo do esporte
Introdução ao estudo do esporteIntrodução ao estudo do esporte
Introdução ao estudo do esporteRafael Laurindo
 
Desenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocionalDesenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocionalAlexandre Rivero
 
Atividade física-e-saúde-slides-3
Atividade física-e-saúde-slides-3Atividade física-e-saúde-slides-3
Atividade física-e-saúde-slides-3Isabel Teixeira
 
Educação física adaptada
Educação física adaptadaEducação física adaptada
Educação física adaptadaEvandro Felipe
 
Estilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do LíderEstilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do LíderRenato Martinelli
 
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosMotivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosDeisiane Cazaroto
 
Aula princípios do treinamento 3ª série - E. M.
Aula   princípios do treinamento 3ª série - E. M.Aula   princípios do treinamento 3ª série - E. M.
Aula princípios do treinamento 3ª série - E. M.Junior Oliveira
 
As dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação física
As dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação físicaAs dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação física
As dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação físicaEdu Física
 

Mais procurados (20)

Apresentação iniciação esportiva pablo novo - bartholo
Apresentação   iniciação esportiva pablo novo - bartholoApresentação   iniciação esportiva pablo novo - bartholo
Apresentação iniciação esportiva pablo novo - bartholo
 
Lideranca
LiderancaLideranca
Lideranca
 
Introdução à Aprendizagem Motora
Introdução à Aprendizagem MotoraIntrodução à Aprendizagem Motora
Introdução à Aprendizagem Motora
 
PERSONALIDADE
PERSONALIDADEPERSONALIDADE
PERSONALIDADE
 
Aula chefia e liderança - 24.04.2010
Aula   chefia e liderança - 24.04.2010Aula   chefia e liderança - 24.04.2010
Aula chefia e liderança - 24.04.2010
 
Introdução ao estudo do esporte
Introdução ao estudo do esporteIntrodução ao estudo do esporte
Introdução ao estudo do esporte
 
Desenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocionalDesenvolvendo Inteligência emocional
Desenvolvendo Inteligência emocional
 
Atividade física-e-saúde-slides-3
Atividade física-e-saúde-slides-3Atividade física-e-saúde-slides-3
Atividade física-e-saúde-slides-3
 
Apresentação motivacional
Apresentação motivacionalApresentação motivacional
Apresentação motivacional
 
Educação física adaptada
Educação física adaptadaEducação física adaptada
Educação física adaptada
 
Gestão e Liderança_Prof. Randes
Gestão e Liderança_Prof. RandesGestão e Liderança_Prof. Randes
Gestão e Liderança_Prof. Randes
 
Bases fisiologicas do exercicio aerobio
Bases fisiologicas do exercicio aerobioBases fisiologicas do exercicio aerobio
Bases fisiologicas do exercicio aerobio
 
Estilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do LíderEstilos de Liderança - Postura do Líder
Estilos de Liderança - Postura do Líder
 
Aula 8 exercicio para populacoes especiais
Aula 8    exercicio para populacoes especiaisAula 8    exercicio para populacoes especiais
Aula 8 exercicio para populacoes especiais
 
Atividade física adaptada
Atividade física adaptadaAtividade física adaptada
Atividade física adaptada
 
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos BásicosMotivação - Processos Psicológicos Básicos
Motivação - Processos Psicológicos Básicos
 
Aula princípios do treinamento 3ª série - E. M.
Aula   princípios do treinamento 3ª série - E. M.Aula   princípios do treinamento 3ª série - E. M.
Aula princípios do treinamento 3ª série - E. M.
 
As dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação física
As dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação físicaAs dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação física
As dimensões conceitual, procedimental e atitudinal na educação física
 
Periodização
PeriodizaçãoPeriodização
Periodização
 
Motivação
MotivaçãoMotivação
Motivação
 

Semelhante a Liderança no Desporto: Estilos, Qualidades e Recomendações

Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipa
Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipaManual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipa
Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipaDaniela Anjos
 
Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipa
Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipaManual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipa
Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipaDaniela Anjos
 
Gestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de LiderançaGestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de LiderançaLudmila Moura
 
Estilo de liderança
Estilo de liderançaEstilo de liderança
Estilo de liderançaMkrH Uniesp
 
Gestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de LiderançaGestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de LiderançaLudmila Moura
 
Aula 10 Estilos de liderança e gestão do conhecimento
Aula 10   Estilos de liderança e gestão do conhecimentoAula 10   Estilos de liderança e gestão do conhecimento
Aula 10 Estilos de liderança e gestão do conhecimentoCarlos Alves
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacionalHanter Duarte
 
liderança e motivação no trabalho.pptx
liderança e motivação no trabalho.pptxliderança e motivação no trabalho.pptx
liderança e motivação no trabalho.pptxMENTORAMONIZEALMEIDA
 
PARTICIPAÇÃO NO GRUPO- os tipos de lideres
PARTICIPAÇÃO NO GRUPO- os tipos de lideresPARTICIPAÇÃO NO GRUPO- os tipos de lideres
PARTICIPAÇÃO NO GRUPO- os tipos de lideresAndrSoares140
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalRui Loureiro
 
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)Airam Lyra Raposo
 
Série Aprendendo com Outros: Liderança e Motivação
Série Aprendendo com Outros: Liderança e MotivaçãoSérie Aprendendo com Outros: Liderança e Motivação
Série Aprendendo com Outros: Liderança e MotivaçãoMoacir Medrado
 
O impacto da liderança no desempenho das organizações
O impacto da liderança no  desempenho das organizaçõesO impacto da liderança no  desempenho das organizações
O impacto da liderança no desempenho das organizaçõesFundação Dom Cabral - FDC
 
Apostilacompleta.doc
Apostilacompleta.docApostilacompleta.doc
Apostilacompleta.docKeke Gomes
 

Semelhante a Liderança no Desporto: Estilos, Qualidades e Recomendações (20)

Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipa
Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipaManual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipa
Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipa
 
Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipa
Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipaManual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipa
Manual ufcd 4647_-_liderana_e_trabalho_em_equipa
 
Gestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de LiderançaGestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de Liderança
 
Estilo de liderança
Estilo de liderançaEstilo de liderança
Estilo de liderança
 
Gestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de LiderançaGestão de equipes e sistema de Liderança
Gestão de equipes e sistema de Liderança
 
Liderença
LiderençaLiderença
Liderença
 
Aula 10 Estilos de liderança e gestão do conhecimento
Aula 10   Estilos de liderança e gestão do conhecimentoAula 10   Estilos de liderança e gestão do conhecimento
Aula 10 Estilos de liderança e gestão do conhecimento
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
 
Aula 4 comportamento mesoorganizacional
Aula 4   comportamento mesoorganizacionalAula 4   comportamento mesoorganizacional
Aula 4 comportamento mesoorganizacional
 
liderança e motivação no trabalho.pptx
liderança e motivação no trabalho.pptxliderança e motivação no trabalho.pptx
liderança e motivação no trabalho.pptx
 
PARTICIPAÇÃO NO GRUPO- os tipos de lideres
PARTICIPAÇÃO NO GRUPO- os tipos de lideresPARTICIPAÇÃO NO GRUPO- os tipos de lideres
PARTICIPAÇÃO NO GRUPO- os tipos de lideres
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Personalidade valores e atitudes
Personalidade valores e atitudesPersonalidade valores e atitudes
Personalidade valores e atitudes
 
Comportamentoorganizacional
ComportamentoorganizacionalComportamentoorganizacional
Comportamentoorganizacional
 
Co5
Co5Co5
Co5
 
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)
Curso Introdutório de RH (ALR_Consultoria)
 
agt_2_a03
agt_2_a03agt_2_a03
agt_2_a03
 
Série Aprendendo com Outros: Liderança e Motivação
Série Aprendendo com Outros: Liderança e MotivaçãoSérie Aprendendo com Outros: Liderança e Motivação
Série Aprendendo com Outros: Liderança e Motivação
 
O impacto da liderança no desempenho das organizações
O impacto da liderança no  desempenho das organizaçõesO impacto da liderança no  desempenho das organizações
O impacto da liderança no desempenho das organizações
 
Apostilacompleta.doc
Apostilacompleta.docApostilacompleta.doc
Apostilacompleta.doc
 

Mais de José Carlos Araújo Santos (11)

Tomposse
TomposseTomposse
Tomposse
 
Digressão usa 1ª parte
Digressão usa 1ª parteDigressão usa 1ª parte
Digressão usa 1ª parte
 
Inauguração sede
Inauguração sedeInauguração sede
Inauguração sede
 
Inauguração da sede
Inauguração da sedeInauguração da sede
Inauguração da sede
 
1ª jornada reflexão
1ª jornada reflexão1ª jornada reflexão
1ª jornada reflexão
 
Apresentacao dd1
Apresentacao dd1Apresentacao dd1
Apresentacao dd1
 
Ser dirigente init.pps
Ser dirigente init.ppsSer dirigente init.pps
Ser dirigente init.pps
 
Formação de agentes desportivos
Formação de agentes desportivosFormação de agentes desportivos
Formação de agentes desportivos
 
Uma perspectiva economica
Uma perspectiva economicaUma perspectiva economica
Uma perspectiva economica
 
Relação entre o estado e associações desportivas
Relação entre o estado e associações desportivasRelação entre o estado e associações desportivas
Relação entre o estado e associações desportivas
 
Regime do mecenato despotivo
Regime do mecenato despotivoRegime do mecenato despotivo
Regime do mecenato despotivo
 

Liderança no Desporto: Estilos, Qualidades e Recomendações

  • 1. Liderança no desportoLiderança no desporto Alfredo Lima Psicólogo do desporto e actividades físicas Outubro de 2010
  • 2. O que é a liderança?O que é a liderança? • O centro do processo de grupo • Um efeito da personalidade (do líder sobre os seguidores) • Uma arte de induzir a submissão • Um exercício de influência • Um acto ou comportamento • Uma forma de persuasão • Uma relação de poder • Um instrumento para alcançar objectivos • Um processo de interacção • Um papel diferenciado • Uma iniciação da estrutura • Uma combinação de elementos
  • 3. O que é a liderança?O que é a liderança? Desta forma, Leitão, Serpa e Bártolo (1995) e Alves (2000), consideram que a definição que melhor se pode aplicar ao desporto é a de Barrow (1977)  - processo comportamental que visa influenciar os sujeitos e/ou grupos de modo a que se atinjam os objectivos determinados anteriormente.
  • 4. Tipos de abordagem sobre a liderançaTipos de abordagem sobre a liderança •  Traço/Característica (líder nato ou líder aprendido) • Centra-se no estudo das características da personalidade dos líderes, na tentativa de encontrar os aspectos comuns que relacionem a liderança com qualquer situação, ou seja, esta abordagem considera a capacidade de liderança uma característica inata. • Apesar de não existirem traços identificáveis da personalidade relativos à capacidade de liderança e à eficácia da mesma em todas as situações, uma vez que o sujeito pode variar a sua conduta de uma situação para a outra, ou, manter a mesma postura independente da situação, Weinberg e Gould (2005), conseguiu enumerar algumas tendências de comportamento: • dominância, alta auto-estima, assertividade, elevado ambição, iniciativa, segurança, boa comunicação, competência, sentido de humor, etc.
  • 5. Conduta/ComportamentoConduta/Comportamento • Centra-se no estudo das condutas e comportamentos dos líderes e na sua influência sobre os grupos, sendo a liderança uma habilidade adquirida e produto de uma aprendizagem. Dois tipos de líder podem ser equacionados (Noce, 2002 e Mendo e Ortiz, 2005): • 1) autocrático - toma todas as iniciativas e decisões sobre a organização, os objectivos e as tarefas do grupo; • 2) democrático - estimula a discussão e a participação do grupo nas decisões a tomar. Murray (1991) e Mendo e Ortiz (2005) • 3) - Laissez Fair ("Deixa Fazer") - adopta um papel passivo e deposita toda a capacidade de decisão nos membros do grupo.
  • 6. Interacional/SituacionalInteracional/Situacional •  Esta abordagem parte do princípio de que existe uma interacção entre o sujeito e o contexto situacional, colocando uma atenção especial nos factores da situação que segundo Murray (1991) e Dosil (2004). • - incide a sua actuação nos aspectos comunicativos do grupo, nas relações entre os seus membros e na procura do equilíbrio no seio do grupo (cada um deve sentir-se bem com o papel que desempenha); • - Líder orientado para a tarefa - centra-se no cumprimento dos objectivos propostos e no máximo rendimento, deixando para segundo plano as relações interpessoais entre os membros do grupo. • A orientação para a relação é mais eficaz quando estamos numa situação moderadamente favorável. Por outro lado, a orientação para a tarefa é mais apropriada quando a situação é muito favorável ou muito desfavorável (Weinberg e Gould, 2005).
  • 7.         Qualidades do LíderQualidades do Líder • Inteligência; • Firmeza; • Optimismo; • Motivação intrínseca; • Empatia; • Habilidades de Comunicação; • Autocontrolo; • Confiança nos outros; • Persistência; • Flexibilidade; • Empenhamento, dedicação e responsabilidade; • Estimam e Ajudam os outros; • Identificam e corrigem problemas;
  • 8. Estilos de liderançaEstilos de liderança Liderança orientada para a tarefa Autocrático - estilo de comando, centrado na vitória e orientado para a tarefa; Liderança orientada para a relação Democrático - estilo cooperativo, centrado no atleta e orientado para o sujeito. A importância na relação treinador atleta
  • 9. Vantagem/desvantagemVantagem/desvantagem • O Líder autocrático pode ser mais eficaz em situações estruturadas e com objectivos bem definidos. Apesar de oferecer mais segurança aos atletas em momentos de tensão, provoca um clima socioafectivo negativo e alguma agressividade interna que pode conduzir a uma fraca coesão do grupo. • O tipo democrático parece ser mais eficaz em situações moderadamente estruturadas e com objectivos pouco claros. O incentivo à participação estimula a satisfação e promove uma elevada coesão do grupo. No entanto, ao repartir as responsabilidades pode aumentar os níveis de ansiedade de alguns membros do grupo.
  • 10. Características dos lideradosCaracterísticas dos liderados • Idade - de acordo com Serpa (1990), os atletas mais jovens apresentam uma preferência maior pelos comportamentos democráticos e de suporte social e evidenciaram uma maior rejeição dos comportamentos autocráticos; • Sexo - de acordo com Weinberg e Gould (2005), os atletas do sexo feminino têm preferência por estilos de liderança mais participativos (democrático); • Nível de Capacidade - segundo Weinberg e Gould (2005), os atletas com um maior nível de habilidades preferem uma liderança orientada mais para o sujeito/relação; • Personalidade - de acordo com Serpa (1990), os sujeitos com um funcionamento mais cognitivo preferem comportamentos de instrução. Por outro lado, os indivíduos que se mostram mais impulsivos preferem comportamentos de suporte social; • Experiência - segundo Alves (2000), os atletas com um maior grau de maturidade evidenciam uma preferência por estilos mais democráticos que lhes concedam alguma autonomia e responsabilização;
  • 11.         Factores situacionaisFactores situacionais • Tipo de Modalidade - devido às exigências organizativas e estruturais os treinadores tem utilizado um estilo de natureza mais autocrática nos desportos colectivos e mais democrática nos individuais (Alves, 2000). • Nível de Participação - os atletas de elite preferem estilos participativos e comportamentos de suporte social, orientados mais para o sujeito; • Tamanho do grupo, tempo disponível para a prática, etc.
  • 12.
  • 13.  Modelo multidimensional de Chelladurai (2007)     Modelo multidimensional da liderança CARACTERÍSTICAS SITUACIONAIS CARACTERÍSTICAS DOS ATLETAS COMPORTAMENTO REQUERIDO COMPORTAMENTO REAL COMPORTAMENTO PREFERIDO CARACTERÍSTICAS DO TREINADOR SATISFAÇÃO DOS ATLETAS DESEMPENHO INDIVIDUAL & DA EQUIPA ANTECEDENTES COMPORTAM. DO LEADER CONSEQUÊNCIAS L I D E R A N Ç A T R A N S F O R M A C I O N A L
  • 14. Modelos de liderançaModelos de liderança  Modelo mediacional de liderança no desporto jovem, smith & smoll, (1977) avaliava a influência do comportamento do treinador nos jovens, é recomendado para o desporto jovem avaliado pelo CBAS.  Modelo normativo de estilo de decisão do líder de Chelladurai e eggerty(1978). A importância da eficácia da qualidade de decisão do treinador relativamente ao grupo.  Modelo dinâmico do treinador de Cotê e Samela (1993) tenta enquadrar todas as variáveis desta matéria dentro deste modelo.
  • 15. COACHINGCOACHING Avaliaçãodotreinador sobreopotencialdo atleta COMPETIÇÃO TREINO ORGANIZAÇÃO Características Pessoaisdo Treinador Características PessoaisdoAtletae NíveldeDesenvolvimento Factores Contextuais OBJECTIVO: Desenvolvimentodosatletas MODELO DINÂMICO DO COACHING (CÔTÉ, TRUDEL & SALMELA, 1993) Coaching é um processo, com início, meio e fim, definido em comum  acordo entre o coach (profissional) e o coachee (cliente) de acordo com a  meta desejada pelo cliente, onde o coach apoia o cliente na busca de  realizar metas de curto, médio e longo prazo, através da identificação e uso  das próprias competências desenvolvidas, como também do reconhecimento  e superação de suas fragilidades.
  • 16. PRINCÍPIOS ATENTO À REALIDADE • Focus nas capacidades dos subordinados • Identificar o objectivo de sonho • Identificação do focus atencional (awareness) • Promover a auto-estima e a auto-confiança • Team building • Promover a performance optimizando o desempenho individual/grupal • Fomentar a motivação intrínseca • Co-participação no estabelecimento de objectivos • Promover a autonomia • Trabalho em equipa RESPONSABILIDADE DO COACHING
  • 17. Recomendações práticas para aRecomendações práticas para a liderançaliderança • Dirigentes - no essencial, devem ter em linha de conta as características próprias de cada modalidade e utilizar técnicas semelhantes às da psicologia organizacional; • Treinadores - devem "aprender e treinar" as suas competências neste domínio e caminhar no sentido de serem líderes eficazes. • Jogadores - quer de uma situação formal (através da sua escolha entre os membros), quer informal (emergir da interacção entre os membros), não se pode negar a existência de líderes/jogadores dentro dos grupos (Mendo e Ortiz, 2003). Compreender a sua influência nos comportamentos do colectivo e criar alianças de intervenção com ele pode fazer a diferença.
  • 18. Recomendações práticas para oRecomendações práticas para o desenvolvimento da liderança eficazdesenvolvimento da liderança eficaz • Nova Concepção de Sucesso - dado que um dos poucos factores que os atletas podem controlar é o seu esforço e empenho, podemos fazer equivaler o conceito de sucesso à ideia de "dar o máximo de esforço"; • Abordagem Positiva face ao Treino - a utilização do reforço positivo pelo esforço, pelo desempenho e pelo encorajamento após o erro motiva melhor o sujeito face às suas dificuldades, cria um clima muito mais agradável e diminui a ansiedade e o stress; • Percepção mais Realista dos Comportamentos - só com uma percepção realista e correcta das suas condutas é que o treinador pode melhorar e modificar os seus padrões de comportamento, no sentido de ir ao encontro das preferências dos seus atletas;
  • 19. Para concluirPara concluir  uma reflexão final que faz um sumário de tudo aquilo que aqui foi escrito sobre este tema - "a liderança eficaz passa por uma grande flexibilidade na adopção do estilo adequado a cada situação e pelo desenvolvimento de uma cultura própria do grupo que una todos os seus membros à volta dos mesmos objectivos"