FIXAÇÃO BIOLÓGICA DO NITROGÊNIO
POR ESPÉCIES ARBÓREAS
Carlos Eduardo Cabral
Crisálida Alves Correia
INTRODUÇÃO
 A interferência do homem
 Colonização
 Expansão demográfica
 Crescimento industrial e agrícola
 Manejo in...
 Menor custo com adubos químicos
 Sem impactos ambientais.
 Produtos da cobertura vegetal e retorno financeiro
 A rest...
. EFEITO DA LEGUMINOSA ARBÓREA STRYPHNODENDROM
ADSTRINGENS NO DESENVOLVIMENTO DE BRAQUIÁRIA
(BRACHIARIA DECUMBENS) CRESCEN...
LEGUMINOSAS ARBÓREAS DO CERRADO
 Biologia dos solos dos Cerrado
 650 Gêneros e 20.000 espécies 1 única família
 3 subfa...
 Alta variedade de espécies
 Altura depende da subfamília e Região
 Espécies podem chegar ate 20 metros
 Estão distrib...
ESPÉCIES MAIS COMUNS
● Gliricídia (Gliricidia sepium)
● Albízia (Pseudomanea guachapele)
● Mulungu (Erythrina verna)
● Jur...
DISTRIBUIÇÃO DE LEGUMINOSAS PELO CERRADO
Fonte: Ratter (1986 e Ratter & Dargie, 1992)
NODULAÇÃO E ESPECIFICIDADE
HOSPEDEIRA
 Primeira descrição feita em 1887
 Ocorrência de nodulação nas 3 subfamílias
 Gên...
CLASSIFICAÇÃO POR GRUPOS
 As espécies arbóreas podem ser divididas em três
grupos de nodulação que formam nódulos com:
 ...
DESENVOLVIMENTO DE NÓDULO E
MORFOLOGIA
 Serão controlados pelo hospedeiro;
 liberação dos rizóbios no citoplasma das cél...
Em outras espécies...
 Intercelular na emergência das raízes laterais;
 E quando o rizóbio penetra entre as células
epid...
Variabilidade nos padrões morfológicos e anatômicos
dos nódulos:
 Duplicações e recombinações dos genes de nodulinas ;
 ...
ESPECIFICIDADE HOSPEDEIRA
 Flavonóides e outras substâncias fenólicas do exsudato
das raízes ativam ou inibem os genes ba...
 Comunicação entre bactéria e planta são
sucedidos, ou concomitantes, com:
 Quimiotaxia;
 Aderência;
 Ligação entre po...
 Entretanto, a especificidade hospedeira é a base para
predizer a necessidade da inoculação;
 A nodulação efetiva, é um ...
NODULAÇÃO NAS LEGUMINOSAS ARBÓREAS DO
CERRADO
 Papilionoideae e Mimosoideae, a maioria
apresentam-se nodulados;
 Cerca d...
 A nodulação pode variar com condições ambientais;
 A magnitude da nodulação de uma espécie com a
presença do rizóbio es...
 Solos predominantes do cerrado são do tipo latossolo
vermelho
Fonte:www.pedologiafacil.com.br Fonte:http://www.dcs.ufla....
 Solos arenosos comumente favorecem à nodulação
 Elevado grau de lixiviação (Perda de N)
 A presença de N no solo em qu...
 Pensava-se que, a acidez do solo poderia prejudicar
tanto a sobrevivência como também a fixação
 Correção do pH de solo...
FIXAÇÃO DE NITROGÊNIO EM
LEGUMINOSAS ARBÓREAS
 Mais estudadas gênero Acacia
 adaptabilidade à climas quentes e úmidos
 ...
 Acacia mangium
 Altura de 30 m e diâmetro de 40 cm
 Inoculação reflete no aumento do conteúdo de
nitrogênio e no cresc...
 Atividade da nitrogenase, avaliada pelo
método da redução do acetileno;
 A atividade da nitrogenase pode estar relacion...
 Avaliação dificultada por perda de nódulos.
 Nem sempre é possível correlacioná-Ia com a produção
de biomassa ou com o ...
 A dupla inoculação com estirpes de rizóbios e fungos
micorrízicos
Fonte:http://nossomeioporinteiro.wordpress.com/
Fonte:...
 Essa simbiose depende também da compatibilidade:
 Ditas incompatíveis, haverá aumento de produção de
massa seca quando ...
 A FBN, pode auxiliar no crescimento de outras
espécies não fixadoras
 Seja no sub-bosque
 Ou incorporação, ao solo, de...
 Muitas espécies são indicadas para recuperação de
solos degradados e erodidos
Sclerolobium
panicultum
(Carvoeiro)
Dalber...
CONCLUSÃO
 Mediante esses dados, conclui-se que as leguminosas
arbóreas nativas e, especialmente aquelas do cerrado,
repr...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
 http://virt1319.unelink.net, acessado em 12/06/2014.
 www.scielo.com.br, acessado em 15/06/2...
 www.pedologiafacil.com.br, acessado em 15/06/2014.
 http://www.dcs.ufla.br, acessado em 15/06/2014.
 http://www.agenci...
 http://co2tropicaltrees.blogspot.com.br, acessado em
15/06/2014.
 http://co2tropicaltrees.blogspot.com.br, acessado em
...
OBRIGADA!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Seminario micro solo_fixacao_n_arboreas

595 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
595
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminario micro solo_fixacao_n_arboreas

  1. 1. FIXAÇÃO BIOLÓGICA DO NITROGÊNIO POR ESPÉCIES ARBÓREAS Carlos Eduardo Cabral Crisálida Alves Correia
  2. 2. INTRODUÇÃO  A interferência do homem  Colonização  Expansão demográfica  Crescimento industrial e agrícola  Manejo inadequado  Desmatamento  Importância Econômica Ambiental
  3. 3.  Menor custo com adubos químicos  Sem impactos ambientais.  Produtos da cobertura vegetal e retorno financeiro  A restauração desses solos empobrecidos e erodidos  Sistemas agroflorestais e consórcios na agricultura.
  4. 4. . EFEITO DA LEGUMINOSA ARBÓREA STRYPHNODENDROM ADSTRINGENS NO DESENVOLVIMENTO DE BRAQUIÁRIA (BRACHIARIA DECUMBENS) CRESCENDO SOB SUA COPA, Fonte:http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br
  5. 5. LEGUMINOSAS ARBÓREAS DO CERRADO  Biologia dos solos dos Cerrado  650 Gêneros e 20.000 espécies 1 única família  3 subfamílias Papilionoideae Mimosoideae Caesalpinioideae
  6. 6.  Alta variedade de espécies  Altura depende da subfamília e Região  Espécies podem chegar ate 20 metros  Estão distribuídas por vários habitats  Campo sujo ( subarbustiva )  Cerrado (arbustivo-arbóreo)  Cerradão alto (arbustivo-arbóreo)
  7. 7. ESPÉCIES MAIS COMUNS ● Gliricídia (Gliricidia sepium) ● Albízia (Pseudomanea guachapele) ● Mulungu (Erythrina verna) ● Jurema Preta (Mimosa tenuiflora) ● Sabiá (Mimosa caesalpiniifolia) ● Angico Vermelho (Anadenanthera macrocarpa) ● Olosericia (Acacia holosericea) ● Acácia Auriculada (Acacia auriculiformis) ● Jurema Branca (Mimosa artemisiana) ● Orelha de Negro (Enterolobium contortisiliquum) ● Guapuruvu (Schizolobium parahyba) ● Mulungu do Alto (Erythrina poeppigiana) ● Coração de Negro (Albizia lebbeck) ● Leucena (Leucaena leucocephala) ● Jacarandá Bico de Pato (Machaerium hirtum) ● Canafístula (Peltophorum dubium)
  8. 8. DISTRIBUIÇÃO DE LEGUMINOSAS PELO CERRADO Fonte: Ratter (1986 e Ratter & Dargie, 1992)
  9. 9. NODULAÇÃO E ESPECIFICIDADE HOSPEDEIRA  Primeira descrição feita em 1887  Ocorrência de nodulação nas 3 subfamílias  Gêneros Rhizobium e Bradyrhizobium  Inclusão de Três gêneros Sinorhizo- bium Azorhizobium e Mesorhizobium  Taxonomia cruzada foi substituída pelas caracteristicas fisiologicas, bioquimicas, sorologicas e moleculares
  10. 10. CLASSIFICAÇÃO POR GRUPOS  As espécies arbóreas podem ser divididas em três grupos de nodulação que formam nódulos com:  Rhizobium (Grupo I),  Estirpes de Bradyrhizobium e Rhizobium (Grupo II)  Espécies nodulam somente com Bradyrhizobium (Grupo III).
  11. 11. DESENVOLVIMENTO DE NÓDULO E MORFOLOGIA  Serão controlados pelo hospedeiro;  liberação dos rizóbios no citoplasma das células corticais do nódulo Fonte:http://www.ebah.com.br/
  12. 12. Em outras espécies...  Intercelular na emergência das raízes laterais;  E quando o rizóbio penetra entre as células epidérmicas;  Em espécies mais primitivas não ocorrem liberação bacteriana intracelular Fonte:www.scielo.com.br Fonte:http://virt1319.unelink.net/
  13. 13. Variabilidade nos padrões morfológicos e anatômicos dos nódulos:  Duplicações e recombinações dos genes de nodulinas ;  Incidência de nódulos homólogos nas diferentes taxas;  As nodulinas podem ser específicas para um tipo particular de nódulo
  14. 14. ESPECIFICIDADE HOSPEDEIRA  Flavonóides e outras substâncias fenólicas do exsudato das raízes ativam ou inibem os genes bacterianos de nodulação através dos alelos dos genes nodO.  A especificidade hospedeira é controlada por genes específicos (hsn) Fonte:http://www.ebah.com.br/
  15. 15.  Comunicação entre bactéria e planta são sucedidos, ou concomitantes, com:  Quimiotaxia;  Aderência;  Ligação entre polissacarídeos bacterianos e lectina da planta;  Infecção;  Formação do nódulo;  Fixação de N2. Fonte:http://www.prof2000.pt/
  16. 16.  Entretanto, a especificidade hospedeira é a base para predizer a necessidade da inoculação;  A nodulação efetiva, é um caráter variável que depende especialmente da leguminosa arbórea Fonte:http://djalmasantos.wordpress.com/
  17. 17. NODULAÇÃO NAS LEGUMINOSAS ARBÓREAS DO CERRADO  Papilionoideae e Mimosoideae, a maioria apresentam-se nodulados;  Cerca de 36,7% - capazes de formar nódulos  13,3% - não nodulíferas.  46% - não estudadas Fonte: http://kuatiapapel.blogspot.com.br/
  18. 18.  A nodulação pode variar com condições ambientais;  A magnitude da nodulação de uma espécie com a presença do rizóbio específico mas também da densidade de sua população ;  50 rizóbios por grama de solos;  A densidade populacional é governada por fatores físico-químicos e biológicos dominantes nos solos;
  19. 19.  Solos predominantes do cerrado são do tipo latossolo vermelho Fonte:www.pedologiafacil.com.br Fonte:http://www.dcs.ufla. br/
  20. 20.  Solos arenosos comumente favorecem à nodulação  Elevado grau de lixiviação (Perda de N)  A presença de N no solo em quantidades de 30-50 kglha é suficiente para inibir a nodulação de leguminosas arbóreas Fonte:http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/ Fonte:http://hildagsb.blogspot.com.br/
  21. 21.  Pensava-se que, a acidez do solo poderia prejudicar tanto a sobrevivência como também a fixação  Correção do pH de solos ácidos;  Os resultados de Lesueur et a/., (1993), apontam o alumínio do solo, e não a sua acidez  O pH do solo, comumente, não constitui fator limitante da nodulação de espécies arbóreas.  Fertilidade.
  22. 22. FIXAÇÃO DE NITROGÊNIO EM LEGUMINOSAS ARBÓREAS  Mais estudadas gênero Acacia  adaptabilidade à climas quentes e úmidos  elevada competitividade  crescimento rápido  capacidade de obter o N através da fixação biológica Fonte:http://treepicturesonline.com/ Fonte:http://treepicturesonline.com/ Fonte:wwwterrasdesitiopaisagismo
  23. 23.  Acacia mangium  Altura de 30 m e diâmetro de 40 cm  Inoculação reflete no aumento do conteúdo de nitrogênio e no crescimento em altura altura Fonte:http://co2tropicaltrees.blogspot.com.br/ Fonte:http://co2tropicaltrees.blogspot.com.br/
  24. 24.  Atividade da nitrogenase, avaliada pelo método da redução do acetileno;  A atividade da nitrogenase pode estar relacionada com o aumento de N foliar;  A fixação de N2 nas plantas arbóreas apre- senta variações diurnas significativas;  Variações estacionais entre período secos e úmidos .
  25. 25.  Avaliação dificultada por perda de nódulos.  Nem sempre é possível correlacioná-Ia com a produção de biomassa ou com o conteúdo de nitrogênio foliar
  26. 26.  A dupla inoculação com estirpes de rizóbios e fungos micorrízicos Fonte:http://nossomeioporinteiro.wordpress.com/ Fonte:http://www.biouesb.com/ Fonte:http://www.biouesb.co m/
  27. 27.  Essa simbiose depende também da compatibilidade:  Ditas incompatíveis, haverá aumento de produção de massa seca quando inoculadas isoladamente Fonte:http://www.scielo.br/
  28. 28.  A FBN, pode auxiliar no crescimento de outras espécies não fixadoras  Seja no sub-bosque  Ou incorporação, ao solo, de restos de poda Fonte:http://meioambientetecnico.blogspot.com.br/ Fonte:http://www.ambientum.com/
  29. 29.  Muitas espécies são indicadas para recuperação de solos degradados e erodidos Sclerolobium panicultum (Carvoeiro) Dalbergia miscolobium (Jacarandá) Mimosa scrabella (Bracatinga)
  30. 30. CONCLUSÃO  Mediante esses dados, conclui-se que as leguminosas arbóreas nativas e, especialmente aquelas do cerrado, representam um potencial inexplorado,devido ao desconhecimento de suas características silviculturais, sua produtividade e, denotadamente, sua habilidade em associar-se a bactérias fixadoras de N2 e fungos micorrízicos.
  31. 31. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  http://virt1319.unelink.net, acessado em 12/06/2014.  www.scielo.com.br, acessado em 15/06/2014  http://virt1319.unelink.net, acessado em 15/06/2014  http://www.prof2000.pt, acessado em 15/06/2014  http://djalmasantos.wordpress.com, acessado em 15/06/2014  http://kuatiapapel.blogspot.com.br, acessado em 15/06/2014
  32. 32.  www.pedologiafacil.com.br, acessado em 15/06/2014.  http://www.dcs.ufla.br, acessado em 15/06/2014.  http://www.agencia.cnptia.embrapa.br, acessado em 15/06/2014.  http://hildagsb.blogspot.com.br, acessado em 15/06/2014.  http://treepicturesonline.com, acessado em 15/06/2014.  wwwterrasdesitiopaisagismo.blogspot.com.br, acessado em 15/06/2014.  http://www.ambientum.com, acessado em 15/06/2014.  http://www.ambientum.com, acessado em 15/06/2014.
  33. 33.  http://co2tropicaltrees.blogspot.com.br, acessado em 15/06/2014.  http://co2tropicaltrees.blogspot.com.br, acessado em 15/06/2014.  http://www.biouesb.com, acessado em 15/06/2014  http://www.biouesb.com, acessado em 15/06/2014  http://nossomeioporinteiro.wordpress.com, acessado em 15/06/2014  http://meioambientetecnico.blogspot.com.br, acessado em 15/06/2014
  34. 34. OBRIGADA!

×