O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2332

71 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Governo e ONGs
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2332

  1. 1. JB NEWS Filiado à ABIM sob nr. 007/JV Editoria: Ir Jeronimo Borges Loja Templários da Nova Era nr. 91(Florianópolis) - Obreiro Loja Alferes Tiradentes nr. 20 (Florianópolis) - Membro Honorário Loja Harmonia nr. 26 (B. Horizonte) - Membro Honorário Loja Fraternidade Brazileira de Estudos e Pesquisas (J. de Fora) -Correspondente Loja Francisco Xavier Ferreira de Pesquisas Maçônicas (P. Alegre) - Correspondente Academia Catarinense Maçônica de Letras Academia Maçônica de Letras do Brasil – Arcádia de B. Horizonte O JB News saúda os Irmãos leitores de Blumenau - SC (Publique aqui a imagem de sua cidade: jbnews@floripa.com.br) Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.332 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 Bloco 1-Almanaque Bloco 2-IrCharles Evaldo Boller – Virtudes e Sabedoria Bloco 3-IrValdemar Sansão – Quase Nada (Maçonaria em Gotas XXI) Bloco 4-Paramaçônicas – Ação Filantrópica Conjunta de Natal Bloco 5-IrIsaac Newton – Liberdade de Pensar Bloco 6-IrPedro Juk – Perguntas & Respostas – do IrPaulo Roberto de Paula Gomes (Guarapari-ES) Bloco 7-Destaques JB – Breviário Maçônico p/o dia 17 de fevereiro e hoje com versos do Irmão e Poeta Franklin dos Santos Moura (Vila Velha – ES)
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 2/36 Hercule Spoladore – A Bíblia de– A Bíblia de Jefferson Hercule Spoladore – A Bíblia de Jefferson 17 de fevereiro  1800 — Desempatado o resultado das eleições norte-americanas: a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos da América decide que Thomas Jefferson será o presidente, e seu concorrente, Aaron Burr, vice.  1841 — Fundação dos condados de Condado de Grundy (Illinois) e Condado de Woodford (Illinois).  1843 — Aberta para trânsito da nova ponte pênsil da cidade do Porto.  1859 — Fundação do Condado de Ford.  1867 — O primeiro navio atravessa o Canal de Suez.  1906 — A localidade de Alpiarça é elevada à categoria de vila.  1941 — O frade franciscano polonês Maximiliano Kolbe é preso pela Gestapo por dar abrigo e proteção a muitos refugiados, incluindo cerca de 2000 judeus.  1947 — A rádio Voice of America inicia as suas emissões para a União Soviética.  1949 — Instalação do município de Capinzal.  1956 — O Território Federal do Guaporé teve seu nome alterado para Território Federal de Rondônia (hoje, Estado).  1972 — As vendas do Volkswagen Carrocha ou Fusca no Brasil ultrapassam as do Ford T. Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. 1 – ALMANAQUE Hoje é o 48º dia do Calendário Gregoriano. Faltam 317 dias para terminar o ano de 2017 - Lua Cheia - Dia da morte do filósofo italiano Giordano Bruno (1600) É o 128º ano da Proclamçaõ da República; 195º da Independência do Brasil e 517º ano do Descobrimento do Brasil Colabore conosco. Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebe o JB News, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias por mala direta. Obrigado. EVENTOS HISTÓRICOS (Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki) Aprofunde seu conhecimento clicando nas palavras sublinhadas
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 3/36  1986 — União Europeia: assinatura do Acto Único Europeu.  1987 — Acidente ferroviário de Itaquera  1989 — Criação, através do Tratado de Marrakesh, da União do Maghreb Árabe.  1996 — Lançamento da sonda espacial NEAR Shoemaker para estudar o asteroide Eros.  2001 — Ariel Sharon é eleito Primeiro-Ministro de Israel.  2004 — A Cingular oferece mais de US$ 41 bilhões pela aquisição da AT&T Wireless e arremata a empresa.  2005 — Inauguração do aeroporto de Tokoname.  2008 — Declaração unilateral de independência do Kosovo.  2010 — O GRES Unidos da Tijuca vence o desfile de carnaval carioca com o enredo "É Segredo", do carnavalesco Paulo Barros. Culturais e de média/mídia  1904 — Estreia, no Scala de Milão, da ópera Madama Butterfly.  1922 — Fim da Semana da Arte Moderna.  1936 — Publicação da primeira tira de Banda Desenhada do Fantasma, da autoria de Lee Falk.  1975 — A banda australiana AC/DC lança seu primeiro álbum, High Voltage.  1976 — O atol de Aldabra, no sul do arquipélago das Seychelles é declarado reserva integral.  1994 — A banda americana Blink 182 lança seu primeiro álbum, Cheshire Cat. 1888 Inauguração da estação telegráfica de Santa Cruz, na ilha de Anhatomirim. 1934 Criados os municípios de Ibirama e Gaspar, desmembrados de Blumenau. 1978 Morre, em Florianópolis, Osvaldo Rodrigues Cabral. Médico, professor e historiador, era natural de Laguna, onde nasceu a 11 de outubro de 1903. 1600 Giordano Bruno () é condenado à morte na fogueira pelo Papa Clemente VIII 1856 Falece Heinrich Heine, poeta e brilhante jornalista alemão, iniciado na Loja “Lês Tinosophes”, de Paris 1947 Fundação da Loja Renúncia e Pureza nr. 1.217 de Alto Jequitibá GOB/MG 1977 Fundação da Loja Fraternidade Eterna nr. 1.965 de Belo Horizonte (GOEMG) 2001 Fundação da Loja Arcada da Aliança, 229, de Esmeraldas - MG Fatos históricos de santa Catarina Fatos maçônicos do dia Fonte: O Livro dos Dias 20ª edição (Ir João Guilherme) e acervo pessoal
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 4/36 Ir Charles Evaldo Boller Curitiba – PR – Charleseb@terra.com.br Todas às sextas-feiras você tem um encontro especial com algum artigo extraído de sua obra, “Iluminação” Virtudes e Sabedoria Quando as atividades humanas são pautadas pela rígida disciplina e racionalidade, afloram virtudes que estabelecem maneiras de portar-se ao longo da vida calcado em regras pessoais intransferíveis no discernimento do que é bom e mau. A sabedoria está conectada rigidamente com a capacidade de analisar racionalmente, com a força do próprio pensamento, sem a interferência de emoção, resultando em ações que conduzem à vida da maneira mais amena possível. 2 – Virtudes e Sabedoria Charles Evaldo Boller
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 5/36 Não deve ser confundido com a absorção de conhecimentos, técnicas ou ciências, muito menos do que diz respeito ao divino e elevado. A sabedoria, apesar de sua importância, está rebaixada aos assuntos meramente humanos, de como este lida em seu dia-a-dia na tomada de decisões que visam exclusivamente o bom viver. A sabedoria que o homem tem a capacidade de colocar em ação em sua vida, diz respeito ao conjunto de virtudes tornados hábitos práticos e racionais que se referem ao que ele realiza de bom. Considerando a capacidade do homem de mudar a cada instante em resultado de sua cognição e principalmente por estar imerso numa sociedade, esta sabedoria muda também. Tudo depende de como se age. Apesar de na definição de sabedoria filosófica se determinar que as virtudes sejam imutáveis, a sua aplicação prática muda de um individuo para outro e de instante a instante. O homem que não pratica virtudes não é sábio e deste os vícios se apoderam e escravizam de formas diversificadas. É da sabedoria que nascem todas as virtudes, e esta constatação leva a decretar que a mesma é mais importante que a filosofia, pois enquanto esta última debate o conhecimento numa base especulativa, a sabedoria é resultado da ação e posicionamento pessoal para o bem, influindo diretamente no estabelecimento de muitos momentos de felicidade do homem na vida diária. Depois da filosofia vagar pelos meandros de pensamentos impossíveis de provar, abstrações de intuito absoluto e eterno, a sabedoria faz o homem voltar para a sua realidade, ao seu mundo real, ao qual sempre presta contas pelo que ele é, o que faz e aonde vai. Alguns estudiosos consideram a sabedoria como aplicação denodada da prudência, ou a capacidade de frear-se, de pensar antes de agir. A sabedoria é a maneira correta buscar conselho da razão antes de qualquer atitude. É o condicionamento mental de perscrutar todas as virtudes e maneiras corretas de aplicá-las. Ao se marcar um alvo e a vontade concordar com a ação, então, na aplicação de considerações virtuosas, o resultado sempre será satisfatório. É a maneira de conduzir a vida de forma saudável, feliz e agradável. Em todas as atividades humanas há espaço para aplicação da sabedoria, sem o que, os vícios tomam conta. Assim, a sabedoria pode ser observada como uma aplicação do saber prático e inteligente. É a capacidade de identificar a maneira mais prática, eficiente e precisa de se obter resultados que conduzem ao bem. As virtudes são tendências de fazer sempre o melhor em qualquer atividade. É lógico pensar que existem sempre duas maneiras de efetuar um trabalho: bem ou mal feito - tanto
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 6/36 para fazer mal feito, como para fazer bem feito, leva-se quase o mesmo tempo e gastam-se quase os mesmos recursos - então que se faça bem feito! O uso nobre de virtudes está ligado à capacidade de desenvolver capacidades morais e éticas. Onde a aplicação continuada e intensa acaba por conduzir à sabedoria, pois esta última é a aplicação de virtudes o tempo todo, com persistência. Um ato moral não é virtude, mas as virtudes desenvolvem atos que preconizam pela moralidade, que levam a conduzir a vida dentro de preceitos morais. A sabedoria surge então como uma virtude das quais todas as outras descendem, daí a afirmação de ser esta a mãe de todas as virtudes. A sabedoria como virtude leva o homem a discernir de quais vícios deve fugir e quais perseguir para tornar sua vida neste Universo a mais prazerosa possível, sem se escravizar a nenhuma ideologia, hábito ou droga. É a capacidade de avaliar a medida certa de se submeter às paixões, para que não advenha nenhum prejuízo. É a disposição inteligente do homem de produzir felicidade. O homem que aplica virtudes com sabedoria, age, vive e conserva em si excelentes decisões com orientação da razão prática e útil, equilibrada com emoção e espiritualidade. De nada adiantam ao homem ser apenas racional sem que sua ação contenha valores emocionais, os quais o alimentam e movem à ação, pois o que não é feito por afeição, por amor, não é nem bem nem mal. Algo só pode ser caracterizado como bem quando existe uma emoção ou afeição que a coloque em movimento. O homem por ser um ser social por excelência tem a sua ação no Universo impulsionada pela emoção. Ao alimentar sua emoção o homem se torna bom para si mesmo, desenvolve autoestima, ama a si mesmo, e só então tem capacidade de amar ao próximo, de fazer o bem ao próximo: a suprema sabedoria que conduz ao amor fraterno, a única solução de todos os problemas da humanidade; a reta final a que deve chegar o maçom por utilizar-se da filosofia desta escola do conhecimento denominada Maçonaria que dá honra e glória ao Grande Arquiteto do Universo.
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 7/36 MENSAGEM DO DIA - MAÇONARIA EM GOTAS (XXI) Valdemar Sansão Dia 15 de fevereiro QUASE NADA! É chegado o momento de começarmos a nos comunicar mais aberta e francamente! “Mea-culpa” - Maçons recém-iniciados, e mesmo os antigos menos conhecedores da Filosofia, dos feitos e da missão da Maçonaria, exaltam-se e julgam impropriamente estar a Sublime Ordem, alheia aos problemas e dificuldades do homem. Numa de nossas sessões, na hora apropriada, um Irmão, preocupado com a imagem da Maçonaria, lançou a indagação: - Por que oito entre dez maçons estão insatisfeitos (decepcionados) com a Maçonaria? A resposta foi dada através de outra pergunta: - Será que a Maçonaria está satisfeita com dois entre dez maçons? Comigo, com o caríssimo Irmão? Nada – Conta-se que perguntaram a Pitágoras, após ter sido Iniciado nos mistérios egípcios, o que tinha visto, tendo respondido: Nada. Se ao sair do Templo não tinha visto nada, não se limitou a sair decepcionado, senão buscando a origem deste nada, descobriu em si mesmo que não tinha visto nada mais que desejos e ilusões. Foi então que começou seu caminho para a sabedoria. Muitos Irmãos recém-Iniciados se afastam da Ordem porque em nossas Lojas não encontram nada, porque o nosso simbolismo não lhes significa nada, porque na Maçonaria não se faz nada; outros se queixam que nas Lojas se fala muito de simbolismo e nada mais; que só comparecem aos trabalhos da Loja para perder tempo e nada mais. Propomos perguntar-lhes: o que significa esse nada com respeito à Maçonaria? O Neófito não vai mais à sua Loja porque não encontrou nada... E como é que não encontrou nada? Não encontrou o Templo com seu Altar, as colunas, os móveis e a decoração? Não encontrou os Irmãos reunidos na Loja? E como é que diz que não encontrou nada e que o simbolismo não lhe significa nada? Encontrou pelo menos o simbolismo... O Neófito que entra no Templo encontra algo, porém não encontra o que busca; isto dá margem à várias perguntas: 1º) O que busca o profano que solicita ao ser Iniciado? 2º) O que a Maçonaria não pode oferecer? 3º) O que a Maçonaria pode oferecer? 4º) O que encontra o Neófito ao dizer que não tem nada? Respostas: 3 – Quase nada (Maçonaria em Gotas XXI) Valdemar Sansão
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 8/36 1º) O que busca o profano que solicita ser Iniciado? Pode solicitar seu ingresso por vários motivos, desde o mais grosseiro materialismo, o desejo de encontrar protetores para seus negócios de qualquer espécie, até o motivo de mais elevado sentimento de humanitarismo. Em geral, é mistura de tudo, acrescido de curiosidade; e frequentemente haverá um sentimento da própria imperfeição acrescido do desejo de melhorar-se e de aperfeiçoar-se. É um dos problemas da Maçonaria que, pelo segredo e descrição que deve guardar seus integrantes, o profano chega geralmente a nossas portas, desconhecendo realmente o que espera vindo em contrapartida cheio de esperanças e ilusões que vão do inadequado até o absurdo. 2º) O que a Maçonaria não pode oferecer? A Maçonaria não é feita à medida das ilusões do Neófito. Se este esperou uma renovação completa de sua personalidade por meio de um remédio amostra grátis e que se oferece a todo aquele que entra na Ordem, equivocou-se. Dá-lhe a luz, as ferramentas para trabalhar, mostrando-lhe a Pedra Bruta e o modo de trabalhar nela. O resto é assunto do Neófito. Se buscava um meio cômodo para tornar a sua vida mais fácil e agradável, para sentir-se importante sem esforço algum, para viver em paz consigo mesmo. E como não achou o que buscava, diz simplesmente: Não encontrei nada. Aquilo que não encontra era o que ele queria e nada mais. Dizer que a Maçonaria não faz nada é outra maneira de revelar que querem conseguir satisfações de amor próprio a baixo custo. 3º) – O que a Maçonaria pode oferecer? Do ponto de vista das pessoas mencionadas, nada, pois para elas o trabalho, o estudo não é nada. Quanto mais irreais, fantásticas forem suas esperanças, mais necessitarão para encontrar o que oferece a Maçonaria, e que é: trabalho, ferramentas para executá-lo, o salário que somente se obtém trabalhando. 4º) - O que encontra o Neófito ao dizer que não tem nada? Bate à porta do Templo, se abre para ele e não encontra nada. O que é este nada? Algo ele encontra e se o pressionarmos um pouco, ele nos dirá: “Não há nada, somente palavras, somente Ritualística, somente Símbolos, somente ideias antiquadas”. Algo, portanto encontra, porém “não o que buscava”. O Irmão que se afasta da Loja queixando-se de “não haver encontrado nada”, afasta-se desgostoso, decepcionado. O encontro com o nada o afetou no mais profundo do seu ser, reconhecerá que onde não encontrou nada, foi em si mesmo. Este é o ponto onde começa a germinar a ideia maçônica. Se o Irmão chegar a este ponto, começará ser maçom. Temos tido acesso a manifestos de destacadas autoridades, patriotas, que embora não pertençam à Maçonaria, repelem o descalabro, as ignominias das corrupções e da falta total de caráter, de pudor e de vergonha que assolam a Nação. Conclamam a Ordem Maçônica à adoção de uma posição proativa, pela indignação, pela perseverança, pelo esclarecimento, pela pressão, pelo alerta constante, esperando que seu clamor seja ouvido, por aqueles que não podem deixar de ouvir. Convocam-nos continuarmos a luta contra o errado, o ilícito, a mentira e a trapaça que não podem ser aceitas, mesmo que praticadas, apregoadas e admitidas como naturais. Mas o que fizemos até aqui para mudar? - Parece haver uma mudança de um estado de apatia crônica dos maçons (que não deixa de ser uma forma de protesto, uma espécie de resistência passiva) para uma agitação ainda sem foco muito definido (talvez uma insatisfação geral), uma forma de reação mais ativa, que cresce na medida em que os outros também se movimentam. Não dá para ficar de braços cruzados, “vendo a banda passar”, nesse momento histórico, quando todos estão cansados de tudo. Mudar esta triste realidade é tarefa de todos nós.
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 9/36 A Loja esta chata, o emprego é monótono, o salário é baixo, o atendimento médico é precário, o trânsito é caótico, nunca temos dinheiro para comprar o que queremos, a violência cresce perto de casa, as perspectivas de futuro não são lá muito animadoras, estamos indignados com o que vemos e ouvimos sobre os políticos, corrupção e impunidade. Ônibus, carros, lojas comerciais pilhadas e prédios públicos depredados e incendiados, jornalistas intimidados porque trabalham para grandes empresas de comunicação, agressões e mortes desnecessárias a policiais e a outros manifestantes. Como evitar esses excessos no calor do momento? Mas o que fizemos até aqui para mudar? Quase nada! No momento em que tudo isso vem à tona e percebemos que outros sentem e passam por situações semelhantes levemos desejos e frustrações para o meio da rua e os protestos se tornam uma forma efetiva de manifestar insatisfação, de tentar dizer um “basta”. Os governos federal e dos Estados procuram organizar-se para enfrentar o problema de superpopulação e assassinatos nos presídios, motivo de aflições e agruras em nosso país. A ideia que vem prevalecendo é construir mais cadeias públicas, porque assim seria possível acomodar melhor os detentos e dificultar os assassinatos. A edificação de novas penitenciárias, desacompanhada de um ataque direto e objetivo às principais causas da criminalidade, talvez signifique quase o mesmo que rasgar dinheiro e até mesmo uma visão inadequada do problema. Conclusão – A Maçonaria, em todos os tempos, tem se dedicado a iluminar a humanidade, disseminando, por toda a parte, os postulados da Luz e da Verdade. Mas os homens de hoje têm seus ouvidos e olhos fechados ao espiritual. Os maçons, em grande número, não têm saído do estado de Aprendiz. Neles ainda prevalece a matéria sobre o espírito. Grandes movimentos maçônicos acompanharam mudanças históricas importantes no Brasil e no mundo. Mas sem foco definido, sem lideranças estabelecidas, com tantos motivos para protestar, sem particularizar objetivos, sem formular caminhos, como mudar o que não funciona? Como brasileiro exijo que não se dê “palanque” a nenhum bandido, corrupto, ladrão, traidor da Pátria, independente de partido, ideologia, religião, seja magnata, juiz, ministro, governador ou presidente. Que se faça justiça, no sentido exato da palavra, para termos paz e futuro. Como Obreiros de Deus, vivemos no presente, caminhando e construindo para o futuro, mas nada irá empanar as verdades eternas que nos vieram do passado. Quem diz sempre a última palavra é a morte; mas temos a esperança, e é por isso que vivemos e que cremos na vida. Aqui estamos para fazer uma Nação justa! P.S. – Os homens mudaram. Os maçons também. A sua vida e o seu mundo mudam quando você muda. A sua escolha se faz num “universo” bem adulterado. São poucos os que trazem riso no rosto e preces nos lábios.
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 10/36 Grande Oriente do Brasil Grande Oriente do Brasil - Santa Catarina Ação Paramaçônica Juvenil Evento Conjunto Realizado em 15 dez 2016 Local - CEIFA AÇÃO FILANTROPICA CONJUNTA DE NATAL Momento da natureza muito propicio para que haja o “NATAL” e que ele seja “FELIZ. Eis a grande nova, Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Foi o anuncio feito por aquele cuja vinda fora anunciada pela estrela de “Davi” que conduzia os três Reis Magos até o local de nascimento do “menino” e chamaram de JESUS, e recebeu como presente: “Ouro”, “Mirra” e “Incenso”. (vai saber o por que!) Podemos igualmente nos presentear, pois em nosso coração (manjedoura) nascera um menino e assim é NATAL e que seja muito feliz. Ninguém vai ao Pai, se não por mim! Vinde a mim as criancinhas, pois delas é o reino dos céus. Estamos tomados por esse espirito! Quem busca servir, se encontra sempre sensível e se reúnem para unir as forças. As ordens paramaçônicas do GOB-SC, do vale de Florianópolis, para realizar um ato em conformidade com o mais puro dos sentimentos. A Loja União Brasileira, carinhosamente reconhecida como LUB, a Ação Paramaçônicas, carinhosamente reconhecida como APJ do Núcleo Alfa Cruzeiro do Sul (NACS), BETEL 03 e Ordem do Arco Iris, juntas promoveram a felicidade de 171 crianças que frequentam a escola CEIFA. A campanha de arrecadação promovida especialmente pela Fraternidade Feminina, tomou apoio e resultou em muitos brinquedos. Os brinquedos foram arrecadados e as ordens paramaçônicas separaram os brinquedos com o nome de cada criança. Foi sim um trabalho e tanto. Chegou a vez do Papai Noel que individualmente entregou para cada criança o seu brinquedo. As crianças todas eufóricas com a vinda do Papai Noel, banhavam-se na fonte da felicidade e da esperança. Incrível, que aguardavam sentados pela sua vez e quando chamados pelo nome, vibravam, se emocionavam, apanhavam o seu presente, e retornavam ao seus lugares extasiados. 4 –Ação Filantrópica Conjunta de Natal Entidades paramaçônicas
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 11/36 As crianças olhavam para os jovens das ordens paramaçônicas, querendo entender o que estava acontecendo. Tinham tocas de Papai Noel, eram artistas, pintores, sempre “ceifando” e cativando aqueles abnegados pela sorte, porem, não menos favorecidos. “Cativar, disse alguém! Laços fortes criou, responsáveis tu es, pelo que cativou”. E os presentes não paravam de chegar. Reuniam-se mais e mais abnegados em prol de grande bem e as professoras, já acreditavam que todos os seus anjinhos estariam recebendo um brinquedo e ficariam felizes. Crianças e pais simples que possivelmente passam sim por dificuldades, mas, que se mantem corretos. As crianças e pais que já haviam recebido os brinquedos e os doces e poderiam receber novamente, pois havia em quantidade e não havia como controlar, eles negavam dizendo que já haviam recebido. Quando um menino recebeu uma caixa de chocolate logo ele a abriu, e entregou o primeiro para quem havia lhe dado a caixa. As professoras, tudo reparavam com extrema atenção e cuidado não queriam receber a caixa de chocolate, preocupadas se teria para as crianças. Um menino se julgava desmerecedor de qualquer presente. Não acreditou que seu nome foi chamado pelo Papai Noel. Próximas existirão! Nosso agradecimento aos participantes em especial nosso patrocinador SEKAI Mitsubishi
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 12/36 Ir Isaac Newton MM da Loja Salvador Allende (GOL) Lisboa - Portugal Na N:.A:.O:. defende-se a existência de um Criador Supremo que dispõe de uma Força Superior, o G:.A:.D:.U:. Esta referência suporta muito daquilo que aqui vimos fazer e é um pressuposto da nossa condição. Não negligenciamos qualquer crença religiosa sendo homens livres, defensores da moral e dos bons costumes e todos serão aceites em pé de igualdade independentemente das suas convicções de qualquer índole. Mas por vezes não temos a real noção de quão avançado é este conceito de Liberdade, e quanto sofrimento foi necessário para chegarmos aqui! A Liberdade em todas as suas vertentes e, sobretudo, a liberdade de pensamento sem restrições de qualquer índole pode fazer toda a diferença entre as trevas e a Luz. E é isso que aqui tento abordar. Conceitos como a abstracção, a livre imaginação, a ruptura com o Dogma, no fundo, o livre pensamento sem constrangimentos, o foco da nossa eterna luta! Coloquemos uma questão e tentemos responder-lhe numa das perspectivas possível, a evolução da Física/Química ao longo do Tempo. E a pergunta é: Que contributo a Ciência tem dado para a percepção que temos sobre aquilo que nos envolve, sobre a origem de tudo, como pode ela condicionar o nosso entendimento da vida e, consequentemente, qual o nosso papel nesta ordem Cósmica e como isso pode afectar o nosso comportamento? E a resposta a esta pergunta pode ter uma resposta muito ampla, tão vasto é o conhecimento e, em simultâneo, tão clara começa a ser a percepção que temos da dimensão da nossa ignorância. Mas recuemos um pouco até ao período em que o Homem começou a interrogar-se sobre a sua natureza e sobre a natureza de tudo o que o envolve. E como não podia deixar de ser comecemos pela Mitologia Chinesa para ficarmos a saber que no princípio o Deus menino P’an Ku habitou durante uma eternidade um ovo cósmico que flutuava num mar de Caos. Quando finalmente o ovo se partiu cresceu tão rapidamente que a parte superior da casca se transformou no Céu e a parte inferior se transformou na Terra e, após 18 000 Anos, Pán Ku, morreu, para dar origem ao Mundo. O seu sangue transformou-se nos rios, os seus olhos no Sol e na Lua, e a sua voz no Trovão. Já para os Budistas e certas formas de Hinduísmo, diz o Mahapurana “Se Deus criou o Mundo, onde estava Ele antes da Criação?....Fica a saber que o Mundo não foi criado e, tal como o tempo, não tem princípio nem fim”. 5 – Liberdade de Pensar Isaac Newton
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 13/36 Para os Egípcios há de novo um acto de criação, um acto Divino cria um líquido cósmico que dá origem a um ser primordial chamado Nun. O Ser objectivo de Nun é Áton que pode transformar-se a si mesmo, dando origem a Rá o Sol da Manhã. Rá cria dois seres Divinos, Tefnut a Deusa da água e Shu o Deus do Ar, que por sua vez criam Nut- O Céu e Geb – a Terra, que sendo criados juntos se separam, mas antes disso, criam Osíris que cria a vida após a morte, Ísis que cuida de tudo o que tem vida, Seth o Deus do mal e Néftis que guia os mortos. Para os Gregos, no princípio era também o Caos, mas de súbito surgiu Erebus, o lugar desconhecido onde a morte mora, e Nix, a noite. Tudo era silêncio e vazio. Então, nasceu Eros, e com ele a ordem, e fez-se Luz, e a terra (Gaia) aparece. Erebus e Nix geram Éter, a luz celestial, e Dia, a luz terrena. Gaia, por si só, gera Urano, o céu. Urano torna-se o esposo de Gaia e a envolve. Da união de Urano e Gaia surgem todas as criaturas, Titãs, Ciclopes e Hecatonquiros. S. Tomás de Aquino fala num Grande Arquiteto do Universo quando menciona DEUS. João Calvino comentando o Salmo 19, na Bíblia, refere-se a Deus como o Grande Arquiteto do Universo. Durante todo o período Medieval, a Geometria e a Astronomia sempre estiveram ligadas ao Divino. Mas para os Hermetistas há uma perspetiva metafórica para Grande Arquitecto porque cada um tem o potencial Divino de criar a sua própria realidade e através da mente ser o Criador. Por aqui vemos como a Mitologia e, posteriormente, a Religião, criaram conceitos que além de reflectirem sobre a génese de tudo, vieram posteriormente a ser utilizados para imporem uma visão que enquadrava uma forma de poder. E esta forma de utilização do conhecimento teve um momento marcante na nossa História Ocidental, o Concílio de Niceia. Na actual cidade de Iznik, na Turquia, no Ano 325 da era Cristã, 318 Bispos vão condicionar a vida na Terra durante mais de 1 200 Anos, ao definirem um conjunto de Dogmas que estarão na origem do Direito Canónico e plasmadas no Credo Niceno. Ouçamos um pequeno extracto do Credo Niceno: E quem quer que diga que houve um tempo em que o Filho de Deus não existia, ou que antes que fosse gerado ele não existia, ou que ele foi criado daquilo que não existia, ou que ele é de uma substância ou essência diferente (do Pai), ou que ele é uma criatura, ou sujeito à mudança ou transformação, todos os que falem assim, são anatematizados pela Igreja Católica. De facto, a partir daqui seria muito difícil estudar de forma descomprometida qualquer tema que resultasse em algo que pudesse ir contra esta visão da Igreja Católica. E infelizmente para a Humanidade, a descrição do Universo adoptada pelo Direito Canónico, baseava-se nos trabalhos de Cláudio Ptolomeu, que morreu cerca de 160 Anos antes do
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 14/36 Concílio de Niceia, e que elaborou um conjunto de cálculos a partir das tabelas de observação Babilónicas, e deu corpo ao Universo de Aristóteles e Platão. Durante 1 200 Anos o Universo foi uma Grande esfera, onde estavam penduradas as Estrelas e tinha no seu interior, esferas mais pequenas, que suportavam os Planetas conhecidos, Mercúrio, Vénus, Marte, Júpiter e Saturno, além do Sol, estando a Terra no Centro de tudo, estática, e girando tudo à sua volta. Esta visão Geocêntrica era comummente aceite pelas várias civilizações, excepto se considerarmos aquilo que podemos designar por Escola Jónica, que analisou a Natureza, muito antes de Niceia, sem qualquer preconceito Divino. Situada na Costa Ocidental da actual Turquia e, sobretudo, centrada na antiga cidade Grega de Mileto, a Sul de Éfeso e próximo da Ilha de Samos, teve como figuras principais Tales, Anaximandro, Anaxímenes, Heráclito, Anaxágoras, Arquelau e Diógenes. Pode ainda agregar-se a este grupo Pitágoras de Samos e Empédocles de Agrigento. Não são de facto uma Escola Filosófica de pensamento homogéneo, mas a designação que lhes foi dada por Aristóteles “aqueles que discursavam sobre a Natureza” pode suportar a afirmação que estamos perante um Grupo de Pensadores, mais de 6 Séculos A.C. , que são os predecessores dos Cientistas modernos. Para Tales a água era a matéria primordial fecundada pelo espírito, o arquê, que a animava. Para Anaximandro o principio era infinito e imaterial, o apeiron origem do arché (a Matéria). Para Heraclito o principio era um fogo criador e destruidor que subjaz ao devir que caracteriza a Natureza. E ouçamos Heráclito: Tudo escorre, tudo se move, nada é imóvel ou fixo, tudo está em constante mudança e alteração. Um homem jamais se banhará duas vezes no mesmo Rio, porque na segunda vez, nem o rio nem o homem, serão os mesmos. Para Pitágoras os números são o princípio, a fonte e a raiz de todas as coisas. A harmonia encontrada na música é como a ordem encontrada no Cosmos. Arché é o princípio de tudo e os números são iguais à matéria. 1 é um ponto, 2 é uma recta, 3 é uma superfície e 4 uma figura geométrica. 1,2,3 e 4 constroem e geram tudo, e 10 é o número perfeito porque é a soma dos quatro. Não sabemos, e não podemos especular o que seria o Mundo hoje se “aqueles que discursavam sobre a Natureza” tivessem sido a corrente Filosófica prevalecente. No entanto, é possível afirmar que não avançámos no conhecimento sobre a natureza das coisas durante quase 1 600 Anos porque, primeiro, após os Jónicos, o caminho foi outro, e chegados a Niceia, a investigação Científica como hoje a conhecemos teve que esperar mais 1 200 anos. E tudo começou pela mão de um Padre Polaco que publicou o seu 1º trabalho sob anonimato. Seu nome, Nicolau Copérnico, nascido em 1 473 em Torun, na Polónia, publica apenas no Ano da sua morte, 1543, a sua Obra principal “das Revoluções das Esferas Celestes” onde defende a Teoria Heliocêntrica, as órbitas circulares dos Planetas, e aborda mesmo a rotação da Terra e a inclinação do seu Eixo. Tudo temas perigosos para a altura
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 15/36 21 Anos após a morte de Copérnico nasce em Pisa, Galileu Galilei, e de novo tudo volta a ser posto em causa. Mesmo estando na iminência de ser lançado à fogueira por dizer alto o que Copérnico já escrevera, e que verificou com experiências que realizou, Galileu acabou por nos legar vários instrumentos de óptica e estudo do movimento dos corpos que ainda hoje nos surpreendem. No seu Livro Diálogos vai postular algo que vai influenciar o pensamento Científico na busca de uma explicação para a Gravidade mais de 350 Anos após a sua morte. Sete anos após o nascimento de Galileu, em 1571, nasce Johannes Kepler perto da actual cidade Alemã de Estugarda. Mais um contributo para o avanço da razão mas, tal como Copérnico, sempre limitado pela concepção Ptolomaica. Este Luterano levou grande parte da sua vida a tentar adaptar o Modelo Heliocêntrico aos cânones Bíblicos, mas foi avançando, e mostrou que a órbita dos Planetas era Elíptica e que o Sol ocupava um dos focos. Também deu um grande contributo à óptica melhorando substancialmente as capacidades de observação celestes. Finalmente, corrigindo dados de trabalhos do seu amigo Tycho Brae, e de outros astrónomos, vai publicar uma obra fundamental com o título em Latim “Astronomia Nova”. Ao longo de 650 páginas explica os novos conceitos, mas sempre afirmando que não quer dar a impressão de cultivar qualquer novidade. Ali formula as 3 Leis de Kepler e introduz conceitos como aquele que afirma que o Sol é o motor que move os Planetas e postula que a velocidade de translação dos Planetas varia com a distância ao Sol. E, surpreendentemente diz que o Sol emite uma espécie de física, análoga à luz, que empurra os Planetas para órbitas à volta do Sol. Mas sempre dizendo que o conteúdo destas ideias não se destina a alterar qualquer dogma Físico e deve ser entendido espiritualmente. E é neste quadro, e sobretudo com a refutação matemática da terceira lei de Kepler, no período da contra-reforma Cristã, sem se deixar condicionar pelo estaticismo Aristotélico, que garantia que havendo atracção entre dois corpos celestes, esta atracção era constante, independentemente da distância, aliás como Galileu e Copérnico que, 50 Anos depois, leva a que se faça Luz. “Nature and Nature´s Laws lay hid in night; God said “Let Newton be” and all was light” A 31 de Março de 1727, Alexander Pope escreveu este epitáfio, após a morte daquele que nos fez retornar à escola Jónica e, livre de preconceitos, arquitetou uma Mecânica que era válida tanto para o Céu como para a Terra, Sir Isaac Newton. De facto é com Newton, mais de 1700 Anos após o nascimento de Jesus Cristo, que a Revolução Científica tem o seu início, e que nos seguintes 400 Anos nos vai trazer o pouco que hoje sabemos. Nascido em 1643 durante o Reinado de Jaime VI da Escócia, Jaime I de Inglaterra, vai ingressar no Trinity Colledge da Universidade de Cambridge em 1661, com 18 Anos, já durante a República de Cromwell. Ali vai despertar a atenção de Isaac Barrow professor que ocupava a cátedra Lucasiana de Matemática daquela Universidade. Esta cátedra, que se destinava às mentes mais brilhantes na área da Matemática, fora instituída por Henry Lucas, político e representante da Universidade de Cambridge no Parlamento, que vem a falecer em 1663. Ainda em vida, doou os seus 4 000 Livros, que incluíam o “Diálogo” de Galileu, e uma área de terra que garantia uma renda de 100 Libras por Ano. O Professor para ali designado, além de ter de ter um saber único, não poderia ter qualquer relação com a Igreja. Naturalmente que Newton depois de revolucionar todo o conhecimento científico que perdurou 300 Anos no “Céu” e perdurará para sempre na Terra, vai ocupar esta cátedra a partir de 1669, com 26 Anos. Enquanto Fellow do Trinity College, tinha que ter uma relação de dependência da Igreja Anglicana. Por isso precisou de uma autorização especial de Carlos II, Rei de Inglatera, para o libertar dessa dependência e cumprir as condições impostas pelo fundador da Cátedra. A argumentação do Rei fundava-se no princípio que
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 16/36 deveria ser dispensado das suas obrigações para com a Igreja para que tivesse mais tempo para se dedicar à Ciência. Vai escrever uma das Obras Cientificas, reconhecida por todos até hoje, como uma das mais importantes da história da humanidade e que designou por “Philosophiae Naturalis Principia Matematica”. Ali vai registar todo o seu trabalho onde descreve os princípios da Gravitação Universal, o desenvolvimento de “Series and Fluxions” uma nova ferramenta Matemática que está na origem do actual cálculo diferencial e integral, a influência da Lua na dimensão das marés (já sugerida e não explicada por Kepler) e utiliza de forma muito natural as séries de potências e a sua reversão, polinómios de terceiro grau com duas variáveis, o conhecido binómio de Newton, estudos de balística, etc.,etc. Na óptica regista o que na altura considerou ser a natureza corpuscular da luz, a conjunção e a desagregação de frequências, a construção do Telescópio de reflexão (Telescópio de Newton) e muitos outros activos do conhecimento científico que a sua obra nos legou. Presidente da Royal Society em 1703 e Associado da Académie des Sciences Francesa, é agraciado pela Rainha Ana, com o Grau de Cavaleiro em 1705. Em fases tardias da sua vida interessou-se pela alquimia e pelo esoterismo, tendo tido contactos e estudando a filosofia dos Cavaleiros Rosa-Cruz. Em 1890, Jhon Maynard Keynes, seu grande admirador, dele disse: Foi o primeiro Cientista racionalista e o último Feiticeiro. Mas Newton apenas começou uma Revolução que nos levaria da mais pequena partícula ao início de tudo, a Teoria do Big Bang. Para ali chegarmos e tornar a por tudo em questão, foi preciso o contributo de muitos. È impossível mencionar tantos, mas pelo trabalho na área da Termodinâmica e do Campo Eletromagnético que levaram a outra Revolução, a Revolução Relativistica de Albert Einstein, deixo aqui nota para o Inglês Robert Boyle, 16 Anos mais velho que Newton, o Francês Sadi Carnot, o Alemão Rudolf Clausius, o Austriaco Ludwig Boltzman e o Holandês Hewdrik Lorentz. Estes Físicos nascidos entre 1627, Robert Boyle, e 1853, Hewdrik Lorentz, deram um contributo imenso para que tudo mudasse. No entanto, sobre dois nomes que não coloco na lista anterior, mas cujas imagens, na companhia da de Isaac Newton, figuravam na parede do gabinete de Einstein, o escocês James Clerk Maxwell, e o Inglês Michal Faraday, merecem uma menção especial. Michael Faraday, nascido em 1791 no Surrey, perto de Londres, era filho de um pobre ferreiro. Apenas pode fazer a escola primária e estudar a trigonometria elementar e geometria Euclidiana, porque aos 13 Anos começou a trabalhar. George Ribeau, fugido de França em 1805, precisava de um moço para transportar livros e ajudar na sua Gráfica. Contratou Faraday e a curiosidade do jovem lendo os livros que encadernava e a ajuda de Ribeau levou a que Faraday se interessasse muito por electricidade começando desde logo a imaginar e fazer algumas experiências simples. A sua curiosidade foi aumentando e à medida que lia cada vez mais e se deslocava a várias palestras sobre Ciência. Entre os eventos a que assistia estavam os da Royal Society, onde ouvia Sir Humphry Davy, químico Inglês e Presidente da Royal Society. Após assistir a variadas palestras, ao longo de meses, compilou as notas que ia tirando e enviou um caderno de 300 páginas com as suas anotações para Davy. Este chamou-o imediatamente. É a partir daí, subindo degrau a degrau, graças ao seu génio, que nos deixou o Benzeno, as Leis da Electrólise, os novos termos, eléctrodo, ânodo ou cátodo, a indução eléctrica, a indução magnética, o diamagnetismo, etc. É sem dúvida um dos maiores génios que a Ciência já viu. Mas Faraday não tinha formação Matemática e sempre foi um fantástico experimentalista, embora ao longo da sua vida tenha adquirido profundos conhecimentos teóricos, mas esta sua
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 17/36 limitação só veio a ser colmatada por outro fantástico Físico, James Clerk Maxwell de seu nome, nascido em Edimburgo, em 1831. Maxwell era o oposto de Faraday, a sua origem tinha laços familiares nobiliárquicos e tinha uma sólida formação Teórica. Na época Vitoriana as mães tinham um papel muito forte na educação dos filhos, e até à morte, vítima de cancro do abdómen, a sua mãe exerceu uma forte influência na sua formação. Mas Edimburgo e, de novo, como Newton, o Trinity Colledge em Cambridge, levam Maxwell para o reconhecimento como grande Matemático. Maxwell vai publicar as Equações do Campo Elétrico, que vão ser fundamentais para Einstein nos dar a sua concepção do Campo Gravítico, e revolucionar, mais uma vez, todas as concepções que existiam sobre o Universo, e sobre os corpos que nele coexistem. De facto, até Albert Einstein havia ainda uma grande dependência da percepção sensorial quando se tentavam explicar fenómenos. Ele próprio diria, “ Com a ajuda das Teorias Físicas, experimentamos encontrar caminho através do nevoeiro dos factos observados, de modo a ordenar e compreender o mundo das nossas impressões sensoriais”. Felizmente que tivemos alguém que se conseguiu libertar desses constrangimentos e postulou de forma, quase extra terrestre, aquilo que agora conseguimos começar a compreender. Na altura, por volta de 1935, um jornalista Americano escreveu que a diferença de percepção do Universo que separava Einstein do Homem comum, era muito maior que aquela que separava o homem comum do macaco. Façamos aqui um ponto de situação. A partir do momento em que Ciência se libertou de visões dogmáticas mais ou menos oportunistas, passou a ficar crescentemente dependente da tecnologia. Ou seja, postulado um princípio matematicamente demonstrado, a sua confirmação ficaria sempre dependente da existência de tecnologia suficientemente capaz de lidar com duas variáveis muito importantes, a dimensão, a muito pequena e a muito grande, e a velocidade, sobretudo, a muito elevada. E é aqui que tudo se joga ainda hoje. Mas avancemos agora para o desconhecido, e introduzamos os conceitos relativísticos. Primeiro há que dizer que Einstein também cometeu erros. A famosa Constante Universal, que o profundo respeito por Newton o levou a considerar, primeiro erro. E a negação da Mecânica Quântica que terá levado à frase, a ele atribuída mas não comprovada factualmente, “Deus não joga aos dados” Mas o seu legado é quase inexplicável à luz da inteligência humana comum, tal foi aquilo que nos deixou. Mas tentemos entender, nós pobres mortais, aquilo que nos deixou. A 30 de Junho de 1905 Einstein dá a conhecer um artigo na prestigiada publicação Annalen der Physik, intitulado “Sobre a Eletrodinâmica dos corpos em movimento”. É uma Revolução! O tempo deixa de ser absoluto. A medição e simultaneidade passam a ser relativas, e as medições no espaço, distância e comprimento passam a ser relativas. Invariante é o Espaço- tempo e a velocidade da Luz. Em 27 de Setembro de 1905, Einstein publica, de novo na mesma publicação, um artigo intitulado “ A inércia de um corpo depende do seu conteúdo de Energia”. Até à publicação destes artigos, já Einstein tinha formulado uma revolucionária teoria dos quanta de energia para a natureza da Luz, e tinha explicitado o movimento Browniano. Mas com estes dois artigos Einstein vem criar um novo conceito de Espaço-Tempo e funde o conceito de Massa e Energia. Só faltava a Gravidade.
  18. 18. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 18/36 E Einstein continuou a procurar, sobretudo, duas coisas: 1- Como é que um Campo Gravitacional atua na matéria dizendo-lhe como se mover 2- Como é que a matéria gera Campos Gravitacionais no Espaço-Tempo dizendo-lhe como se curvar Quem o vai ajudar é o seu amigo Matemático, Marcel Grossman, sugerindo-lhe, e ajudando-o, a recorrer à Geometria não Euclidiana formulada por Bernard Riemman distinto aluno de Gauss. É com recurso aos Tensores Métricos de Riemman, que Einstein consegue obter uma solução matemática que permite saber a distância entre dois pontos num Espaço curvo, qualquer que seja a variação de curvatura, e a direção em que se mede. E assim, a 25 de Novembro de 1915, na Biblioteca Estatal da Prússia, em Berlim, Einstein apresenta as equações co-variantes que ficam designadas pelas “equações de Campo da Gravitação” Se a publicação de 1905 ficou designada por Teoria da Relatividade Restrita (ou especial), esta de 1915 é a conhecida Teoria da Relatividade Geral. E o Mundo nunca mais foi o mesmo. Até aqui o genial Newton tinha definido uma Mecânica que assentava em corpos, partículas que atuavam entre si. E isso para as nossa velocidades na Terra e para as massas que conhecíamos, chegava. Newton definiu conceitos que quantificavam e dependiam da Gravidade, mas nunca abordou a natureza da própria Gravidade. Einstein vem dizer que o Universo é Energia, que onde há maior concentração de Energia há massa, e que a gravidade é um encurvamento do Espaço-Tempo provocado por concentrações de Energia. Não admira a observação Einstein-Homem comum, Homem comum-Macaco. Estávamos em 1915. Convirá aqui lembrar que só em 1924 é que Edwin Hubble, já a trabalhar em Pasadena, no Observatório do Monte Wilson, começa a postular que o Universo era muito mais que a Via Láctea. De facto, até aos trabalhos de Hubble, que no início passaram despercebidos, só em 1929, é que este notável Astrónomo vai publicar a Teoria do Redshift em que demonstra que, não só a Via Láctea é uma Galáxia entre milhares de milhões, mas todas elas se estão a afastar umas das outras a velocidade crescente. É a partir desta constatação, do avanço significativo na compreensão da Teoria da Relatividade, num ambiente científico que leva a inovação crescente, como é o início de avanços na Mecânica Quântica, que George Gamow, em 1946, vai postular a Teoria do Big Bang. Isto para confirmar que embora os trabalhos de Maxwell, Lorentz e muitos outros, que antecederam Einstein, foram cruciais e já muito inovadores, o salto dado por Einstein está, se isto se pode dizer, para além da ruptura de Newton. Em 1905, nada fazia pressentir que Matéria, Energia, Espaço e Tempo tivessem a relação que postulou e que, com o crescente avanço tecnológico, tem vindo a ser sistematicamente validada. E é a tecnologia que vem confirmar a genialidade de Einstein que também vem demonstrar que se enganou ao não considerar relevante a “nova” Mecânica Quântica, porque nos últimos 60 Anos dá-se outra revolução. Einstein morre em 1955 e sempre duvidou, ou melhor, nunca deu muita atenção, aos trabalhos que desde 1927 Werner Heinsenberg, Erwin Shrodinger e outros publicaram. E a Mecânica Quântica ou a Eletrodinâmica Quântica vem dar respostas fundamentais para a física do infinitamente pequeno que a Física clássica das partículas nunca permitiria.
  19. 19. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 19/36 E na sua génese, como não podia deixar de ser, estiveram os quantas de Luz e a natureza partícula/onda do electrão, previstas por Einstein. No entanto, ao contrário de Paul Dirac, Planck, Pauli, Feynman e outros, Einstein nunca lhe dedicou muita atenção. Mas para juntar a Teoria do Infinitamente Grande e a Teoria do Infinitamente Pequeno faltavam as Teorias quânticas, e um salto gigantesco de Tecnologia, para que tudo se voltasse a complicar. As perguntas inquietantes eram:  Se as Galáxias divergem a velocidade crescente, então já devem ter estado juntas num único ponto, de massa Infinita, como postularia George Gamow  Se as partículas do núcleo de um átomo têm todas carga positiva ou neutra, que força as mantém unidas?  Com Openhaimer percebe-se que a força que mantinha unidas estas cargas era muito forte, tão forte como a destruição de Hiroshima e Nagasaki, mas qual a natureza desta força?  Estas forças seriam do mesmo tipo da força da gravidade?  E voltando aos Antigos Gregos, qual é a partícula fundamental da matéria, o electrão, o protão, o neutrão, e mais tarde, como Einstein previu, haverá um gravitão?!  Quantas forças diferentes existem?  Quantas partículas fundamentais existem? E tudo a Tecnologia arrasou. À medida que conseguíamos aceleradores de partículas mais potentes, as partículas fundamentais nasciam como cogumelos e as forças iam sendo classificadas. E por volta de 1970, surgiu o Modelo Padrão. Ou seja toda a matéria passava a ter como elementos fundamentais 18 Quarks e 6 Leptões. E as forças, eletromagnética, nuclear forte e nuclear fraca eram as que regiam todas as interacções, para além da Gravidade claro. E, por exemplo, na interacção electromagnética entre partículas carregadas o que sucedia era a emissão e absorção de fotões. O que Faraday daria para ter sabido isto! Já na interacção forte a troca passou a ser de gluões, e passaram a existir três cargas distintas, Red, Green and Blue. E na interacção fraca as partículas W+ , W- e Z0 passaram a ser os “agentes” transmissores de duas cargas distintas. E o nosso velho Protão transformou-se em 2 quark Up e 1 Quark Down, e o nosso querido Neutrão afinal eram 2 Quarks Down e 1 Quark Up. E eu nunca mais acabaria se continuasse no Modelo Padrão e na GUT, Great Unified Theory, o passo intermédio a caminho da Teoria de Tudo, porque lhe junta a nossa dor de cabeça maior, a famosa Gravidade. Este Modelo Padrão é uma Teoria Quântica do Campo, consistente com a Relatividade Geral e a Teoria Quântica. É um caminho tentativo para o grande desafio que enfrenta a Física actual, preencher o vazio que ainda existe entre a Relatividade Geral e a Teoria Quântica que está a ser tentado pela Teoria M, a sempre perseguida Teoria de tudo. E aqui voltamos ao homem comum e ao macaco. Quando no Liceu aprendíamos o Átomo de Rutherford, bem comportado, como se fosse uma espécie de Sistema Solar em miniatura, nas nossas costas andavam a demonstrar que só estávamos a aprender coisas que nunca poderiam ser estáveis neste nosso Universo, porque se fossem como nos ensinavam, toda a matéria colapsaria. É verdade que rapidamente evoluímos para o átomo de Bohr, mas andámos sempre atrás do Tempo. Isto só dá uma medida da velocidade a que tudo mudou nos últimos 60 Anos. Mas para não me alongar demasiado, voltemos ao nosso querido Universo e tentemos perceber o ponto em que estamos. O desenvolvimento tecnológico tem-nos permitido compreender e validar cada vez mais conhecimento teórico.
  20. 20. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 20/36 Longe dos trabalhos de Henri Becquerel e daquilo que veio muito mais tarde a designar-se por tubo de Raios catódicos, já andámos muito no que respeita a aceleradores de partículas, e o melhor é passarmos já para a maior máquina alguma vez construída pelo homem e que se designa por Large Hadron Colider, LHC, que está a cerca de 100 m de profundidade na fronteira Franco-Suiça, num anel de 27 Km e que em Maio 2016, atingiu um novo record, ao gerar Energias de cerca de 13 TeV (Tera electrão-volt). Na calha, está já o seu sucessor, o Future Circular Colider, FCC, que terá cerca de 90 Km, e como o LHC será arrefecido para trabalhar a temperaturas próximas de 2 Grau Kelvin (-271º C) e terá 392 imãs quádruplos, de 7 metros, para focagem de feixe. Isto aproxima-nos das condições da “Criação”. Já estamos muito para lá de Newton e podemos “observar” aquilo a que chamamos matéria, perante condições próximas das quantidades de Energia que se supõem ter existido imediatamente após um qualquer instante inicial, o que quer que isso seja. WMAP, Wilkinson Microwave Anisotropy Probe. Sucede à sonda Cobe e orbita o ponto L2 de Lagrange, a mais de 1,5 Milhões de Km da Terra, ponto esse que se caracteriza por uma estabilidade gravítica assinalável e por um “desimpedimento” de perspectiva fundamentais para a leitura, a cada seis meses, que consegue fazer do Espaço Profundo. Tem dois detectores esféricos que permitem uma observação de 360º de todo o Universo. A radiação de Micro- Ondas que recebe nos seus radiómetros diferenciais de Micro-Ondas é “medida” com grande rigor. O Mapa que criou com as medições que fez a partir de 2003, e que foram publicados em 2006, é um dos Documentos mais importantes produzidos nos últimos Anos. É o Mapa do Universo entre 100 000 e 300 000 Anos após a sua criação e feito a partir da detecção da radiação produzida há cerca de 13 500 Milhões de Anos, a Radiação Cósmica de Fundo. Esta radiação Cósmica de fundo foi prevista por George Gamow, em 1948, e veio a ser observada por dois Engenheiros da Bell, Arno Penzias e Robert Wilson, que não percebiam o ruido difuso que recebiam nas suas gigantescas Antenas, qualquer que fosse a direcção para onde as apontavam. Depois de despistarem tudo, inclusive a hipótese de sujidade provocada pela caca de pombo, perceberam o fenómeno, também alertados por colegas da Universidade de Princeton que procuravam este sinal há algum tempo, vindo a publicar um trabalho intitulado “Medição de excesso de temperatura de Antena em 4 080 MHz” que lhes valeu o Prémio Nobel em 1978. Esta descoberta, para a Astrofísica, está num patamar semelhante ao das descobertas de Edwin Hubble. Entretanto já se prepara o Lançamento da sonda Plank, que terá mais resolução que a WMAP. E com esta tecnologia começamos a perceber como tudo terá ocorrido num instante inicial em que num ponto de densidade infinita se dá uma quebra de simetria devido a uma flutuação quântica. É uma explosão de dimensões que dificilmente interiorizamos porque está muito para lá da nossa experiência Terrena e a nossa imaginação não consegue supor. Com o Modelo que actualmente temos e com o trabalho de muita computação, eis uma hipótese daquilo que se passou após esta inimaginável explosão. Ilustremos o sucedido em 8 Fases, que sucedem imediatamente a explosão inicial: 1. 10-43 s – Universo de Planck – Temperaturas Infinitas e espaço quase zero. A bolha que apresenta esta flutuação quântica aleatória era do tamanho de um Planck 10 -33 cm. 2. 10 -43 s – Universo de GUT – A inflação - A Gravidade Liberta-se das outras 3 forças, electromagnética, nuclear forte e nuclear fraca, a Temperatura atingia os 10 32 Graus e
  21. 21. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 21/36 de modo instantâneo (se a medida for o tradicional conceito de Tempo) o Universo aumenta 10 50 vezes 3. 10 -34 s – Fim da Inflação – A Temperatura desce para 10 27 Graus e o Universo é um caldo de plasma de quarks livres, gluões e leptões. Este Universo tinha a dimensão que agora tem o Sistema Solar 4. 3 minutos – Formação dos núcleos dos átomos. A Temperatura desce o suficiente para que o Hidrogénio se funda com o Hélio dando origem à atual proporção que encontramos no Universo, 75% Hidrogénio e 25% Hélio. Não há ainda condições para a formação de elementos com mais de 5 particulas agregadas. O Universo era opaco porque os fotões eram todos capturados pelos electrões livres. 5. 380 000 Anos – Aparecimento dos átomos – A Temperatura desce para 3 000 Graus. Com esta temperatura os electrões agregam-se aos núcleos e os fotões movem-se livremente. O Universo passa a ser transparente e já temos Tecnologia para ver como era nesta altura graças à Cobe, ao WMAP e à Planck, que vem a caminho. 6. 1 000 Milhões de Anos – Condensação das Estrelas - A Temperatura passa para os 18 Graus. Quasares, Galáxias e Enxames de Galáxias começam a condensar-se. Nas Estrelas começam a fabricar-se os elementos leves. Colapsos dessas Estrelas despejam jactos no espaço de elementos vários. É aqui que aprecem os primeiros elementos pesados. Até aqui o Telescópio Hubble ainda vê. 7. 6 500 Milhões de Anos – Expansão de de Sitter – A expansão do Universo entra numa fase de aceleração conduzida por uma misteriosa força de antigravidade para a qual não existe ainda explicação 8. A actualidade - 13 700 Milhões de Anos – Vemos um Universo que continua a acelerar descontroladamente, vemos Galáxias, Estrelas e Planetas e a Temperatura desceu para aquela que se tenta criar no LHC, 2,7 Graus Kelvin. Existem já dados que mostram, muito graças ao WMAP, que o Universo é apenas composto de 4% de Energia e Matéria como a conhecemos. Mas mais surpreendente é que destes 4% a maior parte é Hidrogénio e Hélio, ficando para o Ferro, Carbono, Estanho, Etc., os elementos pesados, apenas 0,05%. Isto pressupõe, com todo o cuidado que temos que ter nestas adaptações fraseológicas, que possamos afirmar que, no Universo, os Elementos pesados são uma excepção, e não uma regra. E concomitantemente a nossa existência é um feliz acaso. E mais misterioso é o facto de mais de 73% do Universo ser composto por uma Energia, ou Matéria Negra, que nunca ninguém viu, nem sabe o que é. Será ela a responsável pela aceleração desenfreada que se detecta na expansão do Universo e na aceleração crescente a que se afastam as Galáxias?! Ninguém pode afirmar com certeza. Existem indícios dos seus efeitos mas não há provas nem da sua existência concreta e muito menos da sua natureza. Este Quadro de hipótese é uma conjugação de deduções, descobertas e algumas confirmações, ainda poucas. Foram muitos os que contribuíram para aqui chegarmos e como o tempo é limitado assim como a vossa paciência não falámos aqui de Stephen Hawkins, Professor Lucasiano como Newton, e que juntamente com Roger Penrose abordou a Gravidade Quântica e as singularidades do campo. Os seus trabalhos sobre Buracos Negros e os avanços que significam para a compreensão do nosso Universo, e eventualmente de outros Universos, são um legado imprescindível. Numa entrevista disse "há uma diferença fundamental entre a Religião e a Ciência. A Religião baseia-se na autoridade, enquanto a Ciência se baseia na observação, e na razão. A ciência vai ganhar, porque ela funciona". Não falámos de Richard Feynman, falecido em 1988, mas mencionámos o termo Electrodinamica Quântica. E isto é parte da sua Obra com trabalhos revolucionários nesta área
  22. 22. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 22/36 da Física Teórica. Ou termos como Nanotecnologia, ou a sua investigação para a criação dos futuros Computadores quânticos. Não falámos do Barão Rees, John Martin Rees, atual Astrónomo Real Britânico, cargo que ocupa desde 1995. Este astrofísico que foi Presidente da Royal Society entre 2005 e 2010 é o Autor de um conjunto de postulações que defendem a existência de Múltiplos Universos. Para Sir Martin Rees, simplificando muito e usando uma imagem muito terrena, há uma imensa geleia de Energia em que surgem bolhas que se expandem e depois colapsam. Estas bolhas têm histórias diversas e cada uma cria condições diferentes. Umas com mais buracos negros a formarem-se quando se expandem, libertando forças de intensidade diferentes que geram interacções diferentes, outras que se expandem e depois se contraem. E cada bolha desta imagem, é um Big Bang. Poderão existir Universos como o nosso e muitos outros muito diferentes do nosso. E, um dia, talvez possamos emigrar para outro Universo, se o nosso se continuar a expandir, a arrefecer e, provavelmente, morrer. E sobretudo não falámos da Teoria das Cordas e da Teoria M que tenta agregar a Relatividade Geral e a Teoria Quântica. Não falámos porque estamos num patamar de abstracção que a Tecnologia disponível não permite validar. Chegámos a um ponto que só a Matemática nos permite postular novas Teorias e entre 1883 e 1920 viveu um homem SRINIVASA RAMANUJAN que sonhava com problemas Matemáticos. Infelizmente faleceu demasiado novo e ainda hoje se tentam decifrar muitas das notas que nos deixou. Por vezes diz-se que a Matemática não se inventa, apenas existem mentes que de vez em quando descodificam aquilo que sempre existiu e que essa descodificação nos leva à compreensão da dimensão em que existimos. E Pitágoras vem-nos à memória, como muitos outros ao longo da História, mas este homem, RAMANUJAN, é um exemplo acabado daqueles que descodificam o que nos envolve. Como Faraday, com uma origem social miserável teve que apender sozinho Matemática complexa. Vai para a escola com 5 Anos e ganha uma bolsa de Estudos para o Liceu. Ali aos 15 Anos já calcula facilmente polinómios de 3º e 4º graus e os seus colegas conseguem que a Biblioteca lhe empreste um livro de um Professor de Cambridge em que estão mais de 5 000 teoremas que descreviam muito do conhecimento Matemático da época. Demonstrou-os a todos mas, apesar disso, acaba por perder a bolsa por causa do seu mau Inglês e da pouca inclinação para as Artes. A partir daí vai estudar e investigar sozinho porque não tinha dinheiro para comprar livros. Quando Geoffrey Hardy o convida para ir a Cambridge, depois de receber mais de 120 Teoremas demonstrados por Ramanujan, já este tinha 26 Anos e sabia quase tudo sobre a Matemática naquela época. E ao chegar a Inglaterra, ao fim de 5 Anos, foi convidado para membro da Royal Society e tornou-se professor no Trinity Colledge. Foi este ser, quase sobrenatural, que deixou a Função Modular Elíptica que, em 24 dimensões, apresenta soluções surpreendentes. E este legado é uma das ferramentas, entre outras, de suporte da Teoria das Cordas, da Teoria das Supercordas e da Teoria M, esta já apresentada em 1995 e que tenta agregar as anteriores. A teoria M postula que existem filamentos unidimensionais, alguns com dimensões gigantescas, formando membranas, ou Branas, ou PBranas. E podem existir infinitas Branas em que cada uma pode ter as características que observamos no nosso Universo. E nada liga estas Branas excepto a Gravidade que sendo uma corda fechada não está prisioneira em cada Brana e pode gravitar entre elas, tentando encontrar-se aqui uma explicação para a menor intensidade da Gravidade quando comparada com a das outra forças, dadas as dimensões que atravessa. E nesta visão, “cada” Universo tem 11 dimensões e tem uma infinita quantidade de filamentos do tamanho de um Planck, 10-33 cm que, isoladamente, ou em agregações várias, vibram. Conforme a vibração, assim veremos uma entidade Física diferente, que pode ser partícula, que pode ser onda, etc. Mais, no fundo, como Pitágoras afirmava, “A harmonia encontrada na
  23. 23. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 23/36 música é como a ordem encontrada no Cosmos” , mas é uma música que ainda não temos instrumentos para tocar, e por isso não conseguimos ouvir. Como poderão compreender é impossível abordar este Tema em 3 ou 4 linhas, tal é a sua complexidade e nível de abstracção. Onze dimensões em que três mais uma, o Tempo, fazem parte do nosso Universo perceptivel e as restantes estão enroladas e têm dimensões muito pequenas ou muito grandes e por isso não nos são directamente acessíveis. Ou dizer que o choque de duas branas pode explicar a explosão apocalíptica a que chamamos Big-Bang só mostra que por mais que nos afastemos do Macaco, mais o conhecimento mais avançado se afasta de todos nós dando até a ideia que o Macaco se está a aproximar. Não tenhamos dúvidas, navegamos num Mar desconhecido, muito teórico, que está ainda a alguns Anos da Tecnologia necessária para confirmar alguma desta dedução, ou para nos desiludir totalmente, e termos que começar quase tudo de novo. É caso para dizer, na Terra chega-nos Newton, no Céu logo veremos, se temos um G.A.D.U., ou dos Universos ou do Universo antrópico, porque se existirem muitos, este contém as condições necessárias para que existamos e se tivermos que mudar de Universo ainda é cedo para começarmos a fazer as malas. É um caminho gigantesco que se deve a muitos, mas assalta-nos uma dúvida legítima. Em 400 A.C. afirmava Demócrito: Por convenção, o doce é doce; por convenção, o amargo é amargo; por convenção o quente é quente; por convenção a cor é cor. Mas na realidade só há átomos e vácuo. Isto é, os objectos que os nossos sentidos sentem só supostamente são reais. Só o Átomo e o vácuo têm realidade. Passaram 2 400 Anos. Onde estaríamos se não tivéssemos sido obrigados a parar de pensar?! A Igualdade e a Fraternidade são o nosso alicerce, mas é a Liberdade que nos mantém de pé. Há 500 Anos um Povo mostrou que havia muito mais Mundo que aquele que se pensava, mas só em 1928 é que foram feitos os primeiros voos sobre o Pólo Norte e Pólo Sul. A partir daí o homem passou a ter um conhecimento global do Planeta que habitava. Desde Vasco da Gama, tivemos que esperar 428 Anos para conhecermos o nosso minúsculo Planeta, mas nesses anos também sabemos mais sobre a dimensão da nossa ignorância, e sobre a origem de tudo. De Galileu/Newton a Einstein/Feynman andámos muito depressa para saber tão pouco. Temos que cumprir o nosso desígnio e lutar pela Liberdade para que nunca mais seja possível condicionar o pensamento. A nossa obrigação é tudo fazer para promover o estudo, o rigor e a razão. Mas termino socorrendo-me de uma frase de um ilustre tremendista, Sigmund Freud. “O que dá estabilidade e significado à nossa mente, é o trabalho e o Amor” Isaac Newton, M.’.M.’. R.’.L.’. Salvador Allende G.’.O.’.L.’.
  24. 24. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 24/36 Este Bloco é produzido pelo Irmão Pedro Juk, às segundas, quartas e sextas-feiras Questões de telhamento Em 28/06/2016 o Respeitável Irmão Paulo Roberto de Paula Gomes, atual Orador da Loja Acácia de Guarapari, 2.066, REAA, GOB-ES, Oriente de Guarapari, Estado do Espírito Santo, solicita esclarecimentos para o que segue: ipgl@uol.com.br Valho-me dos seus conhecimentos para dirimir dúvidas que surgiram em Loja durante sessão para telhamento de 02 Aprendizes para serem Elevados ao Grau de Companheiro. A dúvida é com relação ao curso da sessão: ela teria inicio como Sessão de Aprendiz, para após os telhamentos ser transformada em sessão de Companheiro para votação da aprovação dos telhamentos. Durante a Sessão de Aprendiz, quando um for telhado, o outro deverá cobrir o Templo. E os outros Aprendizes presentes em Loja? Também deverão cobrir o Templo? Ou permanecem em Loja, uma vez que a sessão é de Aprendiz? Não esqueça: envie sua pergunta identificada pelo nome completo, Loja, Oriente, Rito e Potência. 6 – Perguntas & Respostas Pedro Juk
  25. 25. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 25/36 Considerações: Não necessariamente os Aprendizes (quaisquer deles) precisem se retirar no momento (tenham o Templo coberto). Entenda-se que o procedimento serve inclusive como instrução para aqueles que no momento assistem o telhamento. Outro aspecto é que entre Obreiros de um mesmo Grau não existe segredo entre eles, senão o fato de que uns são mais antigos do que os outros, o que se presume os mais antigos possuírem melhor preparo do que os mais novos. Ademais, não seria no momento do exame que o próximo aprenderia a lição. Após o exame, se a Loja for deliberar sobre o resultado do mesmo, então sim, todos os Aprendizes terão o Templo a eles coberto já que a Loja irá ser transformada em outro Grau para a devida apreciação do teste aplicado. Assim, penso que é um excesso de preciosismo retirar os demais Aprendizes na hora do exame. Penso que é oportuno o momento para também mencionar a aplicação correta do termo “cobrir”. Tomando por base a questão acima, o Obreiro que se retira do Templo não “cobre o Templo”, porém ele tem “o Templo coberto”. O termo cobrir e os seus derivados, em Maçonaria, significa que o local de trabalho é vedado às vistas e audição daqueles que não estiverem presentes. Isso se explica pelo Landmark do sigilo que permite a participação nos trabalhos maçônicos apenas dos iniciados e destes ainda, apenas aqueles que no mínimo possuam Grau suficiente. Assim a evolução histórica do termo é a de que os trabalhos são cobertos, o que significa vedados aos que pelo critério do sigilo (cobertura) não podem deles tomar conhecimento. Nesse sentido, quem cobre o Templo é o Cobridor que simbolicamente cuida da única porta existente na Loja (porta do Templo). Tomado por esse prisma é que se diz em Maçonaria que quem cobre o Templo é o Cobridor e quem é convidado a se retirar por não poder permanecer no recinto é o que tem o Templo para ele coberto. Entendo que muitos dos nossos rituais ainda insistem em usar termo de modo equivocado, entretanto já está mais do que na hora de extirparmos esse anacronismo (como muitos outros) do nosso convívio, até porque para todas as nossas ações, sem dúvida devem existir explicações. Afinal, se a comida estiver pronta, retira-se imediatamente a panela do fogo antes que ela queime. T.F.A. PEDRO JUK – jukirm@hotmail.com - Ago/2016
  26. 26. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 26/36 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GLSC - http://www.mrglsc.org.br GOSC https://www.gosc.org.br Data Nome Oriente 01/01/2003 Fraternidade Joinvillense Joinville 26/01/1983 Humânitas Joinville 31/01/1998 Loja Maçônica Especial União e Fraternidade do Mercosul Ir Hamilton Savi nr. 70 Florianópolis (trabalha no recesso maçônico) 11/02/1980 Toneza Cascaes Orleans 13/02/2011 Entalhadores de Maçaranduba Massaranduba 17/02/2000 Samuel Fonseca Florianópolis 21/02/1983 Lédio Martins São José 21/02/2006 Pedra Áurea do Vale Taió 22/02/1953 Justiça e Trabalho Blumenau Data Nome da Loja Oriente 11.01.1957 Pedro Cunha nr. 11 Araranguá 18.01.2006 Obreiros de Salomão nr. 39 Blumenau 15.02.2001 Pedreiros da Liberdade nr. 79 Florianópolis 21.02.1903 Fraternidade Lagunense nr. 10 Laguna 25.02.1997 Acácia Blumenauense nr. 67 Blumenau 25.02.2009 Caminho da Luz nr. 99 Brusque 7 – Destaques (Resenha Final) Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mêses de janeiro e fevereiro
  27. 27. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 27/36 GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Nome Oriente 07.01.77 Prof. Mâncio da Costa - 1977 Florianópolis 14.01.06 Osmar Romão da Silva - 3765 Florianópolis 25.01.95 Gideões da Paz - 2831 Itapema 06.02.06 Ordem e Progresso - 3797 Navegantes 11.02.98 Energia e Luz -3130 Tubarão 29.02.04 Luz das Águas - 3563 Corupá Vem aí o IX Chuletão Templário. O evento filantrópico Maçônico Loja “Templários da Nova Era” Grande Secretaria de Imprensa Grande Oriente do Paraná
  28. 28. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 28/36 Grande Oriente do Paraná Grande Secretaria de Imprensa Cerimonia conjunta entre, XII ENLOQ e Grande Oriente do Paraná marcou a abertura oficial do Ano Maçônico do GOP (enviado pelo Ir Rui Jung Neto, de Porto Alegre): O Templo Nobre do Grande Oriente do Paraná, no último dia 8 de fevereiro, abriu suas portas para receber o XII ENLOQ e, ao mesmo tempo, proceder a abertura oficial do Ano Maçônico de 2017. Ano que marca o 65º aniversário do GOP. A cerimônia foi conduzida pelo Irmão José Renato Guernieri, Venerável Mestre da A.R.L.S. Luz, Liberdade e Fraternidade, n° 114, anfitriã da noite e contou com a presença do Sereníssimo Grão- Mestre do Grande Oriente do Paraná, Irmão João Krainski Neto, acompanhado do Eminente Grão-Mestre Adjunto e do Grande Secretário de Relações Exteriores, Irmãos Rubens Martins Junior e Cristian Flores respectivamente. O destaque da noite foi a presença do irmão Bruce D. Allen da Grande Loja da Pensilvânia/EUA que na oportunidade recebeu, das mãos dos Irmãos Rubens Martins Junior e Cristian Flores, o certificado de presença de “Visitante Ilustre”, emitido pelo Grande Oriente do Paraná. Usando da palavra o Sereníssimo Grão-Mestre. Irmão João Krainski Neto, declarou oficialmente aberto o Ano Maçônico de 2017 do GOP. Fez um breve relato da história, da origem e da trajetória do Grande Oriente do Paraná nesses 65 anos de existência. Exaltou e agradeceu a todos os irmãos que fizeram e ainda fazem parte desta história e cuja dedicação permitiu com que o GOP consolidasse sua imagem junto à Maçonaria paranaense, brasileira e mundial. O Irmão Krainski ainda relatou os resultados positivos alcançados no decorrer do ano de 2016 e antecipou perspectivas importantes previstas para 2017. Como exemplo citou as transições de diretorias do Grande Oriente do Paraná e de todas as Lojas a ele filiadas. Encerrou seu pronunciamento pedindo para que todos os irmãos acompanhassem com atenção as condições impostas pelo atual momento econômico vivido pelo País e que reflete na vida de todo cidadão e como tal, também, na vida de nossos irmãos. Como parte da programação nosso Irmão Cristian Flores brindou a todos com uma importante e produtiva palestra sobre “ Planejamento Maçônico” . Solicitou aos presentes uma
  29. 29. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 29/36 profunda reflexão sobre a importância da participação de todos os irmãos na condução e direção dos trabalhos de uma Loja, concluindo que: “...o sucesso da criação, manutenção e o futuro de uma Loja dependem , exclusivamente, do envolvimento e cumplicidade de seus obreiros.” Aproveitou do ensejo para comunicar aos Irmãos as mais recentes conquistas do GOP e resultado do trabalho sério e criterioso desenvolvido pela Grande Secretaria de Relações Exteriores: os tratados de mútuo reconhecimento com as Grandes Lojas da Pensilvânia e de Nova York. O Irmão Rubens Martins Junior, Grão-Mestre Adjunto, usou da palavra para tecer algumas considerações sobre os 65 anos de história do GOP, parabenizar todos os irmãos que participaram dessa história e agradeceu o apoio que vem recebendo à sua proposta de administração do Grande Oriente do Paraná, do qual é candidato ao Grão-Mestrado. Encerrada a cerimonia os presentes foram convidados a participar de um delicioso ágape. Fraternalmente, Grande Secretaria de Imprensa Grande Oriente do Paraná Irm. Rubens Martins Júnior, Bruce D. Allen IIrm. Bruce D. Allen e Dario Alberto P. Castro e Cristian Flores 3
  30. 30. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 30/36 Certificado Especial de Presença emitido Pelo Grande Oriente do Paraná Agradecimentos pela receptividade Irm. Bruce D. Allan Presença expressiva de Irmãos do Grande Oriente do Paraná
  31. 31. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 31/36 LOJA MAÇÔNICA União e Fraternidade do Mercosul Ir∴ Hamilton Savi nº 70 RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITO – GOSC/COMAB FUNDADA EM 31/01/1998 À GDGADU Orde Florianópolis, aos 13 dias do mês de janeiro do ano de 2017 da E∴V∴ Caríssimo Ir∴ A Augusta e respeitável Loja Simbólica especial União e fraternidade do Mercosul Irmão Hamilton Savi, encaminha a V. S. para as devidas providências e divulgação, os dados da sessão de 20/02/2017. ****************** Dia 20/02/2017: Palestra do eminente Irmão - EDUARDO DA SILVA MATTOS, COM A COLABORAÇÃO DO IRMÃO DORENI ISAIAS CARAMORI JÚNIOR O Ir∴ Eduardo Mattos é Mestre instalado da ARLS Samuel Fonseca nº 79 – GOSC, onde também atua o Ir∴ Doreni Caramori. TEMA - Florianópolis: Oportunidade para Investidores e Empreendedores no Segmento de Tecnologia. Eduardo Mattos é mestre em Inteligência Aplicada pela UFSC; Co-autor de diversos artigos sobre inteligência artificial, gestão do conhecimento, engenharia do conhecimento, inteligência artificial e direito e inteligência competitiva. Atua no segmento de Tecnologia da Informação aplicada à inteligência e investigação desde 1997. Foi co-fundador e diretor da WBSA – Sistemas Inteligentes SA; Recentemente, atuou, com funções de direção, nas empresas i- luminas (www.i-luminas.com) e Smartmob Coworking (www.smartmob.com.br), onde também figurou como investidor anjo; Atualmente empreende, como Founder, na Startup Intexfy – Inteligência de Mercado (www.intexfy.com).
  32. 32. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 32/36 Vem participando e colaborando na organização de vários eventos do segmento de empreendedorismo e startups. Com destaque para o Startup Weekend e Startup Grind e Meetups. No Startup Weekend, além de organizador, participou como mentor e jurado e atualmente figura como facilitador. Está em suas motivações, contribuir para o fortalecimento do ecossistema de startups/empreendedorismo, colaborando na organização de eventos, fazendo a conexão com o mercado tradicional ou viabilizando a aproximação com investidores. O Irmão Doreni é um dos maiores empresários no ramo do entretenimento de Florianópolis e é ex. presidente da ACIF entre outras atribuições. Informamos que as sessões da Loja Mercosul Ir∴ Hamilton Savi nº 70 são realizadas no Templo da Loja Ordem e Trabalho nº 3, Or. de Florianópolis, Situado próximo à UFSC – Serrinha. AV. DESEMBARGADOR VITOR LIMA. 550, Serrinha Florianópolis SC, com inicio às 20:00hs Contando com a Vossa presença desde já agradecemos, Com um Tr∴ Abraço Ir∴ EMÍLIO CÉSAR ESPÍNDOLA V∴ M∴ (048)32445761 - (048)99824363 emilioespindola@yahoo.com.br
  33. 33. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 33/36 Academia Maçônica de Letras do Estado do Ceará Convite A Academia Maçônica de Letras do Estado do Ceará – AMLEC tem a honra de convidar V. Excelência e distinta família a participarem da Sessão Solene comemorativa aos vinte anos de sua fundação, associando-se às homenagens alusivas aos 89 anos de instalação da Grande Loja Maçônica do Estado do Ceará, ensejo em que serão agraciadas com a maior comenda deste Silogeu – Medalha Farias Brito – as seguintes personalidades: Dr. Francisco Freitas Cordeiro, Presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará – Acadêmico Silvio de Paiva Ribeiro, Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado do Ceará e José Augusto Bezerra, Bibliófilo Nacional Maior. Data: 24 de março de 2017 (sexta-feira) Horário: 19h 30 Local: Palácio Maçônico Professor Dias da Rocha Avenida do Imperador, 145/47 (Centro) Obs.: Os Acadêmicos portarão o Pelerine João Munhoz Júnior Presidente Após a solenidade será servido coquetel volante no Salão de Eventos Maçônicos
  34. 34. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 34/36 Ir Marcelo Angelo de Macedo, 33∴ MI da Loja Razão e Lealdade nº 21 Or de Cuiabá/MT, GOEMT-COMAB-CMI Tel: (65) 3052-6721 divulga diariamente no JB News o Breviário Maçônico, Obra de autoria do saudoso IrRIZZARDO DA CAMINO, cuja referência bibliográfica é: Camino, Rizzardo da, 1918-2007 - Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014 - ISBN 978-85.370.0292-6) 17 de fevereiro O Barro O Barro é formado com o pó da terra e água que originou o corpo humano no simbolismo da criação universal. À terra e à água, o Criador juntou o seu sopro vital. Maçonicamente, é a união dos quatro elementos: terra e água, cozida no fogo e esfriada ao ar. Significa o "zelo maçônico" e entre nós destaca-se a imagem do "joão-de-barro", pássaro "barreiro" que constrói sua "casa" transportando em seu bico barro devidamente amassado. Esse pássaro simboliza a arquitetura primitiva. Se observarmos o pássaro construindo sua casa notaremos o cuidado no transporte do barro, a paciência em juntar porção por porção e a técnica de deixar uma abertura protegida voltada para o Norte. A Maçonaria tem sua origem na arte de construir; portanto, esse pássaro barreiro deveria ser um dos nossos mais expressivos símbolos. O barreiro fecunda a fêmea após concluída a sua construção, de modo que alia seu meticuloso trabalho à organização da família, dando-nos o exemplo segundo o mote dos antigos: "quem casa quer casa". É o exemplo da Natureza, que na sua simplicidade contém lições magníficas. Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014, p. 67.
  35. 35. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 35/36 Ir Franklin dos Santos Moura Loja Prof. Hermínio Blackman 1761 Vila Velha – GOB-ES Membro Fundador da ACADGOB-ES Cadeira 22, Patrono Wagner Araújo Está escrevendo às sextas-feiras. fsmoura1761@yahoo.com.br O segredo Assim caminha o homo sapiens...errante Galgando uma escada ingrata que de repente vira gangorra Esperando que algo fora de si o socorra Enquanto uma voz interior grita retumbante. Primeiro busca diplomas e de repente está formado Acumulando desejos, as metas não têm fim Felicidade, prazer, são apenas balas de festim E ao final afoga-se em qualquer distração...angustiado. É preciso SER para os outros, do contrário não existirei. Se não me notam, sou mais um solitário. Um atordoado andarilho, vazio, precário. E ao final, menos que nada serei.
  36. 36. JB News – Informativo nr. 2.332– Florianópolis (SC), sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017 - Pág. 36/36 - Deus olhe por mim!!! Suplica desesperado. Me ensina a rezar, pois nesse mundo sou poeira. Trilhei caminhos, guiado pela cegueira. Todas as noites repouso o descanso do condenado. E a Voz surpreende dizendo para quem busca, a Paz não tarda Discipline e lapide primeiro a Luz que carrega consigo. Pois Deus não precisa de outro abrigo. E, sem vaidade, basta que a fé seja do tamanho de um grão de mostarda.

×