O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2289

27 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Governo e ONGs
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2289

  1. 1. JB NEWS Filiado à ABIM sob nr. 007/JV Editoria: Ir Jeronimo Borges Loja Templários da Nova Era nr. 91(Florianópolis) - Obreiro Loja Alferes Tiradentes nr. 20 (Florianópolis) - Membro Honorário Loja Harmonia nr. 26 (B. Horizonte) - Membro Honorário Loja Fraternidade Brazileira de Estudos e Pesquisas (J. de Fora) -Correspondente Loja Francisco Xavier Ferreira de Pesquisas Maçônicas (P. Alegre) - Correspondente Academia Catarinense Maçônica de Letras Academia Maçônica de Letras do Brasil – Arcádia de B. Horizonte Estandarte da ARLS “Templários da Nova Era” nr. 91 – Florianópolis - (GLSC) - Acervo JB News Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.288 – Florianópolis (SC) – quarta-feira , 4 de janeiro de 2017 Bloco 1-Almanaque Bloco 2-IrRui Bandeira – Os Landmarks da Maçonaria Regular...Undécimo Landmark (coluna semanal) Bloco 3-IrJoão Anatalino Rodrigues – A Maçonaria e o Culto à Luz – O Reino da Luz Bloco 4-IrE. Figueiredo – O Olho que tudo vê Bloco 5-IrJoão Aderson Flores – Feliz Ano Novo! Bloco 6-IrSérgio Quirino Guimarães – Investidura ao Grau 33 Bloco 7-Destaques JB – Breviário Maçônico p/o dia 5 de janeiro e versos do Irmão e Poeta Raimundo Augusto Corado (Barreiras – BA)
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 2/24 5 de janeiro  1298 — Ouguela (Portalegre) recebe foral de D. Dinis.  1477 — Luís XI derrota e mata o Duque de Borgonha Carlos, o Temerário em Nancy, Lorena, e anexa definitivamente aquela região ao domínio francês.  1728 — Fundação da Universidade de Havana, em Cuba.  1785 — Dona Maria I de Portugal promulga alvará que coíbe a proliferação de indústrias no Brasil.  1808 — Criação da Primeira tipografia no Brasil.  1825 — Alexandre Dumas pai, aos 23 anos, participou de seu primeiro duelo. O autor de Os Três Mosqueteiros encheu suas obras com estas lutas. Dumas não se machucou seriamente, mas suas calças caíram durante o duelo.  1867 — Foi inaugurada a "Maxambomba" do Recife, primeiro trem urbano da América Latina.  1895 — Caso Dreyfus: os galões de oficial de Alfred Dreyfus são retirados numa cerimónia humilhante e este é condenado à prisão perpétua na Ilha do Diabo.  1896 — Um periódico austríaco informa que Röntgen tinha descoberto um novo tipo de radiação (Raio-X).  1906 — Terremoto destrói a cidade de Masaya, na Nicarágua.  1907 — Promulgada no Brasil a Lei Adolfo Gordo, que autoriza a criação de sindicatos profissionais.  1911 — Alberto I concede ao Mónaco a sua primeira Constituição.  1914 — Henry Ford, da companhia automobilística Ford Motor Company, estabelece para seus funcionários um salário mínimo diário de US$ 5,00. Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. 1 – ALMANAQUE Hoje é o 5º dia do Calendário Gregoriano. Faltam 360 dias para terminar o ano de 2017 - Lua Quarto Crescente às 16h47 - É o 128º ano da Proclamçaõ da República; 195º da Independência do Brasil e 517º ano do Descobrimento do Brasil Hoje é o dia em que se comemora a criação da primeira impressora no Brasil Colabore conosco. Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebe o JB News, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias por mala direta. Obrigado. EVENTOS HISTÓRICOS (Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki) Aprofunde seu conhecimento clicando nas palavras sublinhadas
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 3/24  1919 — Fundação do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, cujo militante número 7 foi Adolf Hitler.  1925 — Nellie Tayloe Ross assume o governo do estado de Wyoming. É a primeira mulher a ser eleita governadora nos Estados Unidos.  1933 — A construção da Ponte Golden Gate é iniciada.  1948 — Terroristas judeus destroem com explosivos uma ala do Hotel King David de Jerusalém. No atentado, morreram 20 pessoas.  1950 — A Grã-Bretanha rompe relações diplomáticas com a China nacionalista.  1955  François Mitterrand, o Ministro do Interior francês, propõe a integração da Argélia à França.  É inaugurado o último trecho, de 650 quilômetros, da ferrovia amazônica que une Brasil e Bolívia.  1956 — A atriz cinematográfica Grace Kelly anuncia o seu noivado com o príncipe de Mônaco, Rainier III.  1959 — O Alasca torna-se o 49° Estado norte-americano.  1968 — Alexander Dubcek é eleito primeiro-secretário do Partido Comunista Checo. Ele impulsionou a independência de seu país.  1982 — A sociedade dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos elege Marília Pêra, de Pixote, a melhor atriz de 1981  1983 — O Barão de Tefé, navio oceanográfico brasileiro, desembarca na Antártida.  1984 — Comício pelas Diretas Já em São Paulo.  1985 — Nascem em um hospital de Paris os primeiros trigêmeos de proveta.  1999 — O presidente americano Bill Clinton anuncia a flexibilização da restrição comercial contra Cuba.  2004 — Iniciam-se as transmissões da 2:, futuramente chamada de RTP2. 1825 Ato desta data criou um correio terrestre, ligando a cidade de Desterro a Porto Alegre e Araranguá. 1882 Nasce, em Itajaí, Marcos Konder. Político, foi prefeito de sua cidade e deputado estadual. Escreveu vários estudos históricos, entre os quais uma biografia de Lauro Muller, premiada pela Academia Brasileira de Letras. Morreu em Itajaí a 7 de julho de 1962. 1908 Realizam-se em todo o Estado eleições para o preenchimento de uma vaga de Deputado Federal na bancada catarinense, sendo eleito Henrique de Almeida Valga. 1934 Decreto estadual nº 483, desta data, criou a Imprensa Oficial do Estado de Santa Catarina. 1809 Criação da Grande Loja do Chile. 1853 Fundação da Loja Fraternidade de Santos , hoje do Grande Oriente Paulista 1890 Sessão de Regularização da Loja Fé e Esperança, de Jaboticabal. Fatos históricos de santa Catarina Fatos maçônicos do dia Fonte: O Livro dos Dias 20ª edição (Ir João Guilherme) e acervo pessoal
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 4/24 Venerável Mestre! Desejas criar e manter um site de qualidade da sua Loja? Então atente para este anúncio (Coisa de Irmão para Irmão) Contatos: Ir Darci Rocco nos telefones acima
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 5/24 Albergue Noturno Manoel Galdino Vieira O “Albergue Noturno” é uma entidade administrada por alguns abnegados irmãos da Maçonaria catarinense, que ampara todas as noites os necessitados e indigentes, ofertando- lhes banho, cama limpa, refeições e alguns outros possíveis auxílios básicos. Os Irmãos que coordenam essa instituição beneficente, que há 80 anos vem prestando esse serviço fraterno, vêm encontrando sérias dificuldades financeiras para mantê-la. Não existe qualquer auxílio do Poder Público. Conclamamos o Irmão a ajudar com qualquer contribuição essa instituição benemérita, que teve tantos maçons ilustres voluntários que participaram na sua coordenação e apoio, mantendo-a por estes longos anos. Faça a sua doação. Colabore. Qualquer contribuição pode não fazer falta para você, mas fará muito bem aos necessitados de toda a espécie. (transferências ou depósitos para o Banco SICOOB CREDISC/756 – Ag. 3258, conta corrente nr. 11347-7 (com recibo de incentivo fiscal) em nome da Caixa de Esmolas aos Indigentes de Florianópolis CNPJ/MF 83.901-041/0001-86) Maçonaria também é caridade!
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 6/24 Ir Rui Bandeira Obreiro da R. L. Mestre Affonso Domingues, n.º 5 da Grande Loja Legal de Portugal/GLRP. Escreve às quintas-feiras neste espaço. Este e outros artigos de sua autoria podem ser lidos no blog http://a-partir-pedra.blogspot.com.br Os Landmarks da Maçonaria Regular: a Regra em 12 Pontos UNDÉCIMO LANDMARK Os Maçons contribuem pelo exemplo ativo do seu comportamento são, viril e digno, para o irradiar da Ordem no respeito do segredo maçónico. Este Landmark fixa o objetivo de cada maçom perante a Sociedade: constituir, pelo seu comportamento de Homem que fez e faz um contínuo esforço de aperfeiçoamento, um exemplo para a Sociedade e todas as pessoas. Menciona-se aqui, consequentemente, o objetivo de, além da construção do Templo Interior (o aperfeiçoamento individual), colaborar na construção do Templo Universal (o aperfeiçoamento global da espécie humana). O comportamento do maçom deve ser são, isto é, saudável, isento de vícios que prejudiquem a saúde e o seu desempenho. Deve ser viril, digno de um homem que o é e sabe sê-lo. Deve ser digno, porque a dignidade é uma qualidade essencial para qualquer indivíduo. Ao comportar-se de forma a ser um exemplo para os demais, o maçom contribuirá mais para o irradiar, o crescimento, da Ordem Maçónica do que com mil atos propagandísticos ou um milhão de palavras. Faz como eu faço: esta a mensagem que o maçom deve implicitamente transmitir. E esta é a melhor forma de contribuir para o aperfeiçoamento geral. O maçom deve guardar o segredo maçónico (desde logo, a identidade de seus irmãos e as formas de reconhecimento mútuo). Não necessita de o desvendar para exercer uma boa influência sobre os demais. Mais, o desvendar desse segredo em nada contribuiria para beneficamente os influenciar. Em resumo: o melhor comportamento que um maçom pode ter é... comportar-se como um maçom, aplicando as qualidades que treina, evitando os defeitos que combate. Rui Bandeira 2 – Os Landmarks da Maçonaria Regular: a Regra em 12 pontos Undécimo Landmark - Rui Bandeira
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 7/24 O Irmão João Anatalino Rodrigues, é palestrante, escritor e colunista do JB News. Outorgado com a Ordem do Mérito Templário da Loja Templários da Nova Era. Escreve às quintas-feiras e domingos. jjnatal@gmail.com - www.joaoanatalino.recantodasletras.com.br A MAÇONARIA E O CULTO Á LUZ O Reino da Luz Então disse Deus: que a luz exista! A luz surgiu e era de fato tão bela, Que Ele decidiu que faria com ela, Todas as coisas que tinha em vista. E no vazio cósmico ela foi lançada. Como um jorro de esperma divino, Quando fecunda o útero feminino, A criança-universo foi engendrada. O mundo é pura energia acelerada Na velocidade que só a luz etérea, Alcança quando da treva é liberada. Por isso os Mestres dizem a verdade: ─ O espirito que se liberta da matéria É como luz brilhando da eternidade ∆ “ Deus (disse o rabino Schimeon), quando quis criar, velou sua glória e nas pregas desse véu projetou sua sombra. “ Dessa sombra se destacaram os gigantes que disseram: ─Somos reis ! Mas não eram mais que fantasmas.“ Eles apareceram porque Deus havia se ocultado, iniciando a noite dentro do caos, e desapareceram quando dirigiu para o oriente a cabeça luminosa, a cabeça que a humanidade assume proclamando a existência de Deus, o sol regulador de nossas aspirações e pensamentos.“Os deuses são ilusões óticas da sombra e Deus é a síntese dos esplendores. Os usurpadores caem quando o rei ascende ao seu trono e quando Deus aparece os deuses se desvanecem.”[1] ∆ 3 – A Maçonaria e o Culto à Luz – O Reino da Luz João Anatalino Rodrigues
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 8/24 A ideia de que Deus é luz e o que o espírito humano é feito de luz é uma intuição bastante antiga que já existia nos tempos mais primitivos da civilização humana. Os persas e os hindus, em tempos anteriores a Zaratrusta (século XII a.C), já possuíam uma noção bastante avançada desse conceito, pois sustentavam a existência de dois princípios a reger a vida no universo. Esses princípios eram a luz, representada pelo deus Marduc (Ahura Mazda) e as trevas, representada pelo deus Arimã. Paralelamente, numa tradição que tem, provavelmente, a mesma idade que a tradição religiosa persa, os egípcios, igualmente, desenvolveram uma teogonia com base num conceito similar, que colocava o deus Rá, simbolizado pelo sol, como a divindade suprema do seu panteão, a quem estavam submissas todas as outras deidades. Os povos da Mesopotâmea também colocavam o fenômeno luminoso, representado pelo sol, como princípio gerador de todo o universo. Destarte, todos seus deuses tinham vindo do espaço, sendo Shamash aquele que representava o sol. Assim, praticamente, todos os povos antigos desenvolveram religiões solares, onde o astro-rei aparece como origem e mantenedor da vida. Nem os israelitas, que sintetizaram a noção da divindade num conceito abstrato, de um Deus- espírito que não podia ser representado por nenhuma forma que a mente humana pudesse imaginar, escaparam da tradição de que Deus é, em essência, uma forma de energia que se manifestou em forma de luz. Assim, o primeiro ato de Deus, ao fazer o mundo, segundo a Bíblia, foi “fazer a luz”. E quando quis se manifestar a um ser humano, Ele o fez na forma de uma chama, ou seja, uma forma luminosa.[2] Ora, o que é “fazer a luz?” Certamente não é fabricar a luz, pois fabricar sugere uma ação de transformação de uma matéria prima em produto. A Bíblia diz que Deus “tirou” a luz de dentro das trevas para com ela formatar as realidades universais. Os cientistas dizem que o universo saiu de dentro de um átomo que explodiu. Nem a Bíblia nem a ciência dizem o que havia antes disso e o que era Deus antes de fazer o universo. Mas para algo sair de dentro de alguma coisa é preciso que ele tenha uma existência anterior ao próprio parto. Não pode simplesmente “nascer” algo que não tem existência anterior ao nascimento, sendo o nascimento apenas o ingresso de alguma coisa na esfera da existência positiva. Nascer é uma etapa que é posterior a gerar. Só pode nascer algo que foi gerado. Por isso o mestre cabalista diz que “ Deus, quando quis criar, velou sua glória e nas pregas desse véu projetou sua sombra”. Isso quer dizer: Deus existia antes de sua criação. Ele era a luz presa dentro da própria sombra, o imenso Caos, a “luz interdita” dos cientistas atômicos, [3] “Dessa sombra se destacaram os gigantes que disseram: ─ Somos reis ! Mas não eram mais que fantasmas.” Estes eram as leis naturais, que se manifestaram no abismo sombrio, mobilizando a imobilidade, para que a energia se manifestasse. Por isso, um iminente cabalista, ao responder à pergunta de um discípulo sobre o que era Deus, ele disse simplesmente: "Deus é pressão". E a isso os cientistas acrescentam: o universo saiu de um ponto no espaço, tão denso, que não podendo conter em si tamanha quantidade de energia, explodiu. Essa explosão foi o Big-Bang, o começo do universo. Nessa mesma dicção, o mestre cabalista diz: “ Eles apareceram porque Deus havia se ocultado, iniciando a noite dentro do caos, e desapareceram quando dirigiu para o oriente a cabeça luminosa, a cabeça que a humanidade assume proclamando a existência de Deus, o sol regulador de nossas aspirações e pensamentos.” Sim. As leis naturais existem e regulam a vida do universo enquanto Deus não interfere nelas. Elas foram necessárias para regular o caos liberado com a manifestação de Deus (a energia) no terreno da existência positiva. Todos os cientistas concordam que o universo nasceu caótico e descontrolado. Como a energia de uma bomba que explode e expele a sua força destruidora para todos os lados. Mas quando o universo começa a ser organizado, quando a energia começa a se
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 9/24 transformar em massa, gerando os grandes corpos celestes e os sistemas siderais, todas as leis naturais passam a obedecer a um comando único: a gravidade, que é força da energia existente em cada corpo, controlando os movimentos dos demais corpos com menor grau de energia (luz). Então estrelas se juntam em galáxias, e os planetas se aglomeram em volta de estrelas. É a prevalência da luz maior sobre a menor, a energia mais forte sobre a mais fraca. Nasce daí o simbolismo da deidade máxima, simbolizada pelo sol, que os antigos cultuavam. Então conclui o mestre: “Os deuses são ilusões óticas da sombra e Deus é a síntese dos esplendores”. Os usurpadores caem quando o rei ascende ao seu trono e quando Deus aparece os deuses se desvanecem.” Quer dizer: nada ofusca o brilho de Deus. Não há poder no universo que não seja dado pelo brilho da sua luz. E como ele é pura luz, a ele só nos integraremos quando nós mesmos formos luz. Essa é razão pela qual toda iniciação busca, simbolicamente, levar o candidato a um estado em que ele possa, livremente, liberar a própria luz que nele está contida, "interdita" pela condição de profano em que ele se encontra. Dai as perguntas contidas no Ritual de Iniciação maçônica que se refere ao "temerário que tem o arrojo de querer forçar a entrada no Templo" e a consequente resposta que diz tratar-se de "um pobre candidato que caminha nas trevas e, despojado de todas as vaidades, deseja receber a Luz". E por fim, a apoteose final da iniciação, que revela o cerne do simbolismo contido nesse verdadeiro culto á luz, que se pratica na maçonaria. VM:- No princípio do mundo, disse o Gr.’.Arq .’. do Univ.’.: - Faça-se a luz E a Luz foi feita; A Luz seja dada ao neófito! ___________________ notas [1] Comentários do Rabi Schimeon Ben-Jochai, o codificador da Cabala, sobre a Siprha Dizeniûta, o Livro do Mistério Oculto, a bíblia cabalística. Citado por Eliphas Lévi, em sua obra As Origens da Cabala - Editora Pensamento, São Paulo, 1968. [2] Exodo, 3:3 [3] A expressão “luz interdita” se refere ao fenômeno luminoso associado á uma partícula atômica de alta radioatividade.
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 10/24 (*) E. Figueiredo - é jornalista - Mtb 34 947 e pertence ao CERAT - Clube Epistolar Real Arco do Templo / Integra o GEIA – Grupo de Estudos Iniciáticos Athenas / Membro do GEMVI – Grupo de Estudos Maçônicos Verdadeiros Irmãos E Obreiro da ARLS Verdadeiros Irmãos– 669 (GLESP) efig2005@gmail.com O OLHO QUE TUDO VÊ e. figueiredo (*) "Ó Deus imenso, graças vos dou pelo testemunho que de vós dais em todas as coisas que criastes. Abri, Senhor, os olhos da minha alma para que se não contente com ver as coisas temporais que os sentidos percebem, mas suba a contemplar as eternas que se não vêem." La Puente ualquer pessoa ao entrar num Templo Maçônico tem a atenção presa às várias figuras simbólicas que existem em seu interior. Nas paredes, no teto, no piso, encontramos simbolismos que fascinam e despertam a curiosidade de quem pela primeira vez os defrontam. Vê-se a Estrela Flamígera, a Corda de Oitenta e Um Nós, o Pavimento Mosaico, a Abóbada na qual figuram estrelas e astros, as Colunas, os Altares e muitos outros. Os símbolos têm seus significados e sua razão de ser. Há, entretanto, um símbolo que particularmente chama mais atenção, mormente por sua alegoria fixar o olhar em quem o olha. É o Delta Luminoso que fica no Oriente da Loja, na parede atrás do trono do Venerável Mestre, em forma de triângulo eqüilátero, ostentando em seu centro a figura de um olho humano. A designação Delta, dada ao triângulo, vem da quarta letra do alfabeto grego que é representada, graficamente, por um triângulo. A exibição desse triângulo radiante, tendo na área interna um “olho aberto” é representativo na onipresença da Providência Divina que devassa os menores e mais escondidos atos e pensamentos dos homens e Q 4 – O Olho que tudo vê E. Figueiredo
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 11/24 acompanha-os nos seus mais afastados passos, e que nada existe e nem pode ser encoberto ou misterioso, que não possa ser desvendado pelo Grande Arquiteto do Universo, que é Deus. Um Deus vigilante, para que o homem esteja motivado na obrigação de obedecer as Suas determinações. Para os Maçons o símbolo lembra a presença em Loja do Grande Arquiteto do Universo, e denota que o insistente “olhar” é uma lição constante de que atrás daquele olho encontra-se um Ser. Segundo historiadores, o Delta Sagrado foi visto pela primeira vez no início do Século XII, por Hugo de Payens (1070-1136), Cavaleiro de Borgúndia, fundador e primeiro Grão Mestre da Ordem Hospitaleira dos Templários, em companhia de outros oito companheiros, nas ruínas do Templo de Salomão, em câmara subterrânea. Comenta-se, ainda, que o triângulo encontrado era figura geométrica constituída pela junção de três linhas e a letra “IOD”, décima letra do alfabeto hebraico, no centro, indicando a sua origem divina, pois como letra cabalística, significa Deus ou Princípio. O triângulo, isoladamente, uma figura geométrica resultante da união de três pontos por meio de três linhas retas, mais particularmente o triângulo eqüilátero ou regular, cujos lados e ângulos são iguais, tem sido sempre considerado como o símbolo da Perfeição, Harmonia e Sabedoria. A Lei da dualidade é universal e está representada pelas duas pontas desse polígono de três lados. Quando duas forças diferentes da natureza se unem, surge um terceiro estado, no ponto onde se unem. O terceiro ponto ou lugar da materialização é a Criação e a Perfeição. O triângulo eqüilátero, imagem geométrica do ternário no simbolismo dos números, equivale ao três e representa também os três aspectos da Divindade do Grande Arquiteto do Universo que nos fazem lembrar a Sua onipresença, onisciência e onipotência. Na sua mais alta significação, o triângulo eqüilátero aparece como emblema da trindade. Apenas um triângulo eqüilátero seria suficiente para exprimir a presença de Deus em uma Loja Maçônica; existem templos Maçônicos que ostentam somente um triângulo sobre o Dossel. O triângulo é considerado, também, uma redução da Pirâmide Celeste, o “Triângulo Luminoso” das origens do Mundo. A alegoria do olho humano tem sido empregada como símbolo por numerosas sociedades iniciatórias antigas por representar “estar atento para todas as coisas”. O olho pode ser interpretado, quando isolado ou central, como neutro: nem à direita e nem à esquerda da face, com o referencial de Deus, que não tem face humana nem as dimensões que convencionamos. No conjunto alegórico d’O OLHO QUE TUDO VÊ, apresentam se grupos de irradiações dos três lados do triângulo, que é o Delta propriamente dito, comparáveis aos raios do Sol, que terminam em uma coroa de nuvens. Os raios simbolizam a força expansiva do Ser, que de um ponto central infinitesimal se estende e preenche o espaço infinito. As nuvens indicam a força centrípeta que se produz como refluxo natural da primeira, com movimento de contração que gera a condensação das forças irradiadas. A coroa de nuvens nos faz lembrar que somos prisioneiros de nós mesmos, das nossas possibilidades e das nossas próprias realizações. Às vezes, no centro do Delta Luminoso Maçônico, o olho é substituído pela letra “G”, que é uma modificação do ideograma representado por uma serpente que morde a própria cauda, sugerindo a característica de Deus, ou, pelo tetragrama hebraico, mas que se procura evitar o seu uso por estar ligado a uma religião.
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 12/24 A limitação do simbolismo dada hoje ao olho contrasta com a interpretação que tantos místicos do passado deram a esse símbolo. Ao se adotar o olho como símbolo do Grande Arquiteto do Universo o objetivo era de representar a mente onisciente de Deus, que tudo vê e tudo sabe. O olho que governa o Sol, a Lua e todo o Universo, igualmente governa o coração do Homem. Isto quer dizer que toda a natureza se manifesta de acordo com o plano divino, seguindo o princípio de que o olho da Consciência Divina dirige o funcionamento de todas as Leis Cósmicas. Quando em Loja, o Maçom sente emanar d’O OLHO QUE TUDO VÊ a Verdadeira Luz, aquela que transcende da realidade Maçônica, invisível aos olhos físicos e com expressão somente sobre a consciência do homem. Essa surpreendente e espantosa Luz se deixa ver refletida nas figuras do Sol e da Luz que cercam o Delta Luminoso e que são as manifestações visíveis da Luz moral e intelectual por ele despendida. Não importa como o emblema se apresenta: se ao centro do triângulo estiver o “IOD” sagrado dos hebreus, o “G” simbólico dos saxões, o “Y” místico dos druídas ou apenas o “OLHO”, porque para o Maçom sempre estará representado o Grande Arquiteto do Universo. BIBLIOGRAFIA: Aslan, Nicola - Grande Dicionário Enciclopédia de Maçonaria e Simbologia Camino, Rizzardo da - O Delta Luminoso Castro, Boanérges B. - O Simbolismo dos Números na Maçonaria Castro, Boanérges B. - O Templo Maçônico e seu Simbolismo Charlier, René Joseph - Pequeno Ensaio de simbólica Maçônica Figueiredo, Joaquim Gervásio - Dicionário de Maçonaria Jacq Christian - A Franco Maçonaria Lavagnini, Aldo - Manual del Aprendiz Lewis, Ralph M - Los Antiguos Simbolos Sagrados Lima, Adelino Figueiredo - Os Templários Prado, Luís - Ao Pé das Colunas Santos, Luís Umbert - Filosofía Masónica Santos, Sebastião Dodel - Dicionário Ilustrado de Maçonaria NP.IR.TI (*) E. Figueiredo – é jornalista – Mtb 34 947 e pertence ao CERAT – Clube Epistolar Real Arco do Templo/ Integra o GEIA – Grupo de Estudos Iniciáticos Athenas/ Membro do GEMVI – Grupo de Estudos Maçônicos Verdadeiros Irmãos/ Integrante do Grupo Maçonaria Unida Obreiro da ARLS Verdadeiros Irmãos – 669 – (GLESP)
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 13/24 Irmão João Aderson Flores* - Loja Zohar - Cruz Perfeição Maçônica e Deputado PAEL Florianópolis – GOB/SC A comemoração ocidental tem origem num decreto do governador romano Júlio César, que ficou 1º de janeiro como o dia do ano novo, em 46 a.C. Os romanos dedicavam-no a Juno, o deus dos portões, das entradas e começo. Juno tinha duas faces, uma voltada para frente – o futuro – e a outra visivelmente para trás, visualizando o passado. Vem na esteira da tradição judaica, literalmente um retorno que consiste em examinar suas próprias condições e arrepender-se dos erros cometidos, tanto com relação a Deus quanto com o próximo. Por se tratar de uma festa de passagem, implica em balanço, o que ganhamos e o que perdemos, onde falhamos e devemos partir para mudanças, sem sentimento de culpa, com sonhos, projetos e propósitos de esperança para o futuro. Em virtude do clima de festas, muitas vezes somos pegos pela emoção: excesso de compromissos, vontade de agradar muitas pessoas, confraternizações imprevistas, em lugares distantes. Além disso, procurar quem não se encontrou durante meses, mesmo que muito próximos. De outro lado, há os que padecem de extrema solidão e querem distancia das pessoas e das comemorações. “Não gosto” ou “não suporto essa época e me sinto cada vez mais sozinho e muito triste.” A combinação, segundo psicólogos, psiquiatras e terapeutas, é muito explosiva, as muitas festas de amigo invisível, confraternizações no trabalho, encontros de família, excesso de comida e bebida e, finalmente, a obrigação de parecer feliz, apesar do estresse acumulado! No ano passado, 77% dos americanos referiram sintomas físicos causados pelo cansaço. Desse grupo 48% afirmaram que o estresse no trabalho – com repercussão na vida pessoal – vem aumentando a cada ano, decorrente de insegurança econômica e instabilidade no mercado de trabalho. Os dados são da Associação Americana de Psicologia. No Brasil, apesar da prosperidade das classes C e D, a situação não é muito diferente; gestores e trabalhadores têm enfrentado crescentes desafios com a explosiva desaceleração da economia, falta de clareza nas contas públicas e volta da inflação além dos limites tecnicamente aceitos. Pesquisas da International Stress Management – ISMA revelam que 5 – Feliz Ano Novo! João Aderson Flores
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 14/24 80% das pessoas elevam em 75% o seu nível de estresse entre a segunda quinzena de novembro até o final do ciclo de festas, chegando às férias muito descompensadas. O sofrimento vem das nossas próprias expectativas, se tivemos alguma perda nossa dor e solidão são amplificadas. Como confraternizar com quem não está mais conosco ou, em muitas ocasiões, está muito longe? A melhor solução para quem perdeu tudo, sendo que nesse período as lembranças são recorrentes, talvez seja o apoio psicológico adequado. A minha ideia é que o vazio existencial não é preenchido apenas com presentes ou com uma boa e farta ceia. Pode ser preenchido com bons encontros, uma celebração espiritual, um abraço fraterno e, também, quando se está bem consigo mesmo, muita serenidade e paz de espírito. Se as metas do ano não foram atingidas, o momento é de refletir sobre as causas, planejar-se para o “próximo campeonato”. Planejamento, foco e atitude realista são essenciais para evitar o estresse de fim de ano. O importante nesse embalo de “pot-pourri” de fraternidade é o sentido de renovar o pacto de amor. É essa fraternidade, essa cordialidade, que deve fundar as comemorações, restabelecer o sentimento de família e de estar inteiro nas coisas. O que fiz neste ano que agregou valor para a minha vida e para a vida daqueles que convivem comigo? Quais as pessoas, nesse momento, com quem eu preciso me harmonizar e estabelecer um acordo de paz no meu coração? Tenha profundo interesse pelo bem estar e felicidade das pessoas. Aproveite as festas com a sua família, com os seus amigos e com os que lhe são caros. Continue perseguindo os seus sonhos, com otimismo responsável. Feliz ano novo! (*) Psiclólogo & Self. Coaching. De Irmão para Irmão As publicidades veiculadas no JB News são cortesia deste informativo, como apoio aos irmãos em suas atividades profissionais. Valorize-os, preferindo o que está sendo anunciado.
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 15/24 Ano 04 - artigo 05 - número sequencial 235 – 07 fevereiro 2010 Data: 07 de Fevereiro de 2010 Número 05, ano 04 Número seqüencial: 235 Tema: Investidura do Grau 33 Investidura ao Grau 33 Saudações estimado Irmão, que o GADU e sua consciência permitam-lhe participar de uma INVESTITUDA DO GRAU 33. Começamos nossa vida maçônica com a Força de uma Iniciação, em seguida temos a Beleza da Elevação e com Sabedoria vivenciamos a Exaltação e ERRONEAMENTE escutamos que chegamos à plenitude maçônica. Alguém pode me dizer então para que Irmãos se reúnem em Sessões em Grau 4 até Sessões em Grau 33? Espero não ofender ninguém com o que vou escrever adiante, mas como a resposta do diálogo foi muito inteligente gostaria de sua atenção. Em uma certa ocasião estávamos sentados após uma reunião do Conselho de Cavaleiros Kadosch, quando aproximou-se um Irmão M.'.M.'., sentou-se conosco e minutos depois falou: "- Para que servem os Graus Superiores? Para mim é pura perfumaria! Simplesmente sorrimos e uma pessoa do nosso grupo num tom muito tranqüilo respondeu: - Será que é verdade? Mas seja como for eu quero morrer cheiroso! E sorrimos mais ainda. Entendeu a mensagem? O CONHECIMENTO É O PERFUME DA ALMA. Não é obrigatório fazermos os Graus POSTERIORES aos Simbólicos, porém é salutar! O Rito Escocês Antigo e Aceito é o mais praticado no Brasil e é composto por 33 graus, assim como o abecedário brasileiro é composto por 26 letras, mas se você achar que tantas letras é apenas "perfumaria", experimente não usar mais o "E", substitua automaticamente pelo "I"; o "M" tem muitas pernas, economize a caneta usando apenas o "N" e "inteligentemente" o "X" é muito melhor que o "S", o "Ç" e o "SS". Alguém teria coragem de se intitular um "Honen Juxto i di Bonx Coxtunix"? E as "Xixõix Naxonicax" seriam "Juxtax i Pirfiitax"?, Deixando a brincadeira de lado me foi ensinado que em 1762 em Bordeaux (França) Príncipes do Real Segredo se reuniram e promulgaram baseado nas Grandes Constituições o chamado REAA e os Supremos Conselhos do Rito. Vinte e quatro anos depois tivemos uma nova solidificação do sistema sob os auspícios de Frederico II, Rei da Prússia. Então temos os Graus 1 a 3 (Simbólicos = Lojas Simbólicas), Graus 4 a 14 (Perfeição ou Inefáveis = Lojas de Perfeição), Graus 15 a 18 (Históricos ou Religiosos = Capítulo Rosa Cruz), Graus 19 a 30 (Filosóficos = Conselho 6 – Investidura ao Grau 33 Sérgio Quirino Guimarães
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 16/24 de Cavaleiros Kadosch), Graus 31 e 32 (Administrativos = Consistório) e Grau 33 (Honorário = Supremo Conselho do Grau 33 do REAA) Cada grau tem um motivo de existir e uma proposta de aperfeiçoamento moral ao Maçom. Eu tenho três mensagens aos Irmãos: 1) Aos que aspiram um dia alcançar o Grau 33 eu digo CUIDADO, preparem-se bem nos Graus Simbólicos pois nenhuma obra fica de pé se não tiver uma boa base 2) Aos que já estão na jornada pelo Grau 33, eu digo CUIDADO, não basta apenas estar em dia com o Supremo Conselho e assistir somente as reuniões dos Graus a que aspira; quando completar o caminho e colocar o anel no dedo o brilho do mesmo lhe dirá claramente: “Você me tem, mas eu não sou seu”. Há uma diferença muito grande em Ter e Ser. 3) Aos que já usam a Cruz de Lorena ou a Comenda do Grau 33, eu digo CUIDADO, nosso Título é de Inspetor ou seja aquele que fiscaliza, que examina, um vistoriador e quem não se capacita não tem condição de estar à frente. Devemos ser um ponto de apoio a todos os demais Irmãos, trabalhando para que haja a concórdia e o amor entre nós e com todos os próximos. Sejamos comedidos nos prazeres profanos e plenamente conscientes do dever de aprender e ensinar. Nunca devemos esquecer: "Quanto maiores poderes, maiores responsabilidades". Mais salutar do que as muitas perguntas do Aprendiz são as muitas respostas do Inspetor. Fraternalmente, Sérgio Quirino Guimarães Sérgio Quirino - ARLS Presidente Roosevelt 025 - GLMMG Contato: 0 xx 31 8853-2969 / quirino@roosevelt.org.br Facebook: (exclusivamente assuntos maçônicos) Sergio Quirino Guimaraes Os artigos publicados refletem a opinião do autor exclusivamente como um Irmão Maçom. Os conteúdos expostos não reproduzem necessariamente a ideia ou posição de nenhum grupo, cargo ou entidade maçônica.
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 17/24 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GLSC - http://www.mrglsc.org.br GOSC https://www.gosc.org.br Data Nome Oriente 01/01/2003 Fraternidade Joinvillense Joinville 26/01/1983 Humânitas Joinville 31/01/1998 Loja Maçônica Especial União e Fraternidade do Mercosul Ir Hamilton Savi nr. 70 Florianópolis (trabalha no recesso maçônico) 11/02/1980 Toneza Cascaes Orleans 13/02/2011 Entalhadores de Maçaranduba Massaranduba 17/02/2000 Samuel Fonseca Florianópolis 21/02/1983 Lédio Martins São José 21/02/2006 Pedra Áurea do Vale Taió 22/02/1953 Justiça e Trabalho Blumenau Data Nome da Loja Oriente 11.01.1957 Pedro Cunha nr. 11 Araranguá 18.01.2006 Obreiros de Salomão nr. 39 Blumenau 15.02.2001 Pedreiros da Liberdade nr. 79 Florianópolis 21.02.1903 Fraternidade Lagunense nr. 10 Laguna 25.02.1997 Acácia Blumenauense nr. 67 Blumenau 25.02.2009 Caminho da Luz nr. 99 Brusque 7 – Destaques (Resenha Final) Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mêses de janeiro e fevereiro
  18. 18. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 18/24 GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Nome Oriente 07.01.77 Prof. Mâncio da Costa - 1977 Florianópolis 14.01.06 Osmar Romão da Silva - 3765 Florianópolis 25.01.95 Gideões da Paz - 2831 Itapema 06.02.06 Ordem e Progresso - 3797 Navegantes 11.02.98 Energia e Luz -3130 Tubarão 29.02.04 Luz das Águas - 3563 Corupá Introversão “Introversão é dar tempo ao silêncio. Num mundo barulhento e exigente, a introversão é a virtude que nos ajuda a entrar em contato com o nosso eu puro e perfeito. Ela nos leva para dentro de nós mesmos e gentilmente nos faz reconhecer nossa própria verdade interior. Introversão não é apenaspermanecer dentro, mas acessar o valor próprio e lidar com o mundo através dele. Mesmo diante das situações mais difíceis, é preciso ficar introvertido, olhar para dentro e trazer à tona o valor interior. Assim, naturalmente conseguimos manter a autoestima.” Brahma Kumaris Meditações, Palestras e Artigos clique aqui Conheça também: Editora BK | Outras mensagens Para indicar o recebimento dessas mensagens a um colega, favor sugerir que acesse www.bkumaris.org.br/cadastro A Organização Brahma Kumaris respeita sua privacidade. Caso você não deseje mais receber as mensagens, clique na expressão “remova aqui”, abaixo. Elas podem estar sendo enviadas diretamente por nós (remetente mensagens@bkumaris.org.br) ou reenviada por terceiros; no nosso caso, garantimos a descontinuidade no recebimento. José Aparecido dos Santos TIM: 044-9846-3552 E-mail: aparecido14@gmail.com Visite nosso site: www.ourolux.com.br "Tudo o que somos é o resultado dos nossos pensamentos
  19. 19. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 19/24 Associação de Médicos Maçons Ao Trabalho... No intercâmbio entre os IIr.’. é comum a reclamação da falta de instruções dos responsáveis pela direção de nossa Ordem, ou de IIr.’. de reconhecido valor e conhecimento, no que se refere a detalhes de cada instrução em desenvolvimento ou temas em debate em suas Lojas. Esquecidos da necessária dedicação ao estudo pessoal regular, é comum observarmos a manifestação de opiniões alicerçadas em aprendizados fracionados colhidos em momentos de breves conversações, muita vez a título de verdades absolutas... verdadeiros argumentos apressados da preguiça humana. É necessário compreenda o Ir.’., que o estudo e a meditação é o caminho da estrada interior que cada um de per si deve trilhar... É o Vitriol. A grande tarefa dos IIr.’. mais experientes, em seu mecanismo de relações com os mais novos, não é trazer conhecimentos sensacionais e extemporâneos, mas o de ensinar a caminhar dentro de si mesmo, iluminando sua marcha para o Conhecimento superior. Somente essa riqueza interior, adquirida nas situações de trabalho intimo árduo, de profunda compreensão, de vitória sobre si mesmo, de esforço incessante, de contribuição social desinteressada, conferirá ao Ir.’. a posição de ascendência legítima e de bem estar permanente... O ouro eterno e intransferível do aprendizado e do progresso interior, é o salário do trabalhador que gasta suas possibilidades nos trabalhos de Bem, com esquecimento do egoísmo e da vaidade, desinteressado de si próprio, colocando acima dos caprichos da personalidade os objetivos da grande Obra de GADU, lutando, amando e entregando-se. Nós, espíritos encarnados, afim de alcançarmos os altos objetivos da vida, precisamos compreender nossa posição de eternos aprendizes, extraindo o proveito de cada experiência, sem nos isolarmos na pretensão... Infelizmente, porém, de maneira geral, o Ir.’. apenas reconhece semelhantes verdades quando se abeira da transformação do final do corpo terrestre... a Morte nos espera a todos, sem exceção. Guardemos a retidão de nossa consciência e assumamos o trabalho edificante, e deixemos que o Tempo seja nosso Juiz...
  20. 20. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 20/24 Ir Marcelo Angelo de Macedo, 33∴ MI da Loja Razão e Lealdade nº 21 Or de Cuiabá/MT, GOEMT-COMAB-CMI Tel: (65) 3052-6721 divulga diariamente no JB News o Breviário Maçônico, Obra de autoria do saudoso IrRIZZARDO DA CAMINO, cuja referência bibliográfica é: Camino, Rizzardo da, 1918-2007 - Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014 - ISBN 978-85.370.0292-6) Dia 5 de janeiro: A bolsa de Propostas e Informações O Mestre de Cerimônias, "girando" pela Loja, oferece uma bolsa aos presentes, obedecendo à hierarquia funcional, recolhendo propostas, sugestões, bilhetes, bem como prestando informações, evidentemente, por escrito. É o modo prático de comunicação entre o Venerável Mestre e os Membros do quadro. Essa comunicação não exige resposta imediata, uma vez que, após o giro, a bolsa é aberta e a sua coleta devidamente ordenada para apreciação oportuna. Essa prática caracteriza um ato de democracia, quando todos têm o direito de manifestação, seja por via oral ou escrita. O maçom pode, oportunamente, comentar sobre as suas informações, resguardando, se o desejar, a reserva. O Venerável Mestre, quando não habilitado a responder a qualquer proposição ou informação, providenciará para obtê-las, seja nomeando comissões, seja buscando "luzes" com o Grão-Mestrado. Todos os presentes, contudo, têm o dever de colocar a sua mão dentro da bolsa, mesmo sem apresentar qualquer escrito; é uma demonstração de igualdade, outra expressão democrática, devemos "aderir" a essa prática; será nossa útil colaboração para a Loja. Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014, p. 24.
  21. 21. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 21/24 Desfile da Maçonaria Acreana no dia 7 de Setembro de 1995 em Rio Branco, vendo-se à frente o então Grão-Mestre da GLEAC, Irmão Ernesto dos Santos (foto: acervo JB News)
  22. 22. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 22/24 (pesquisa e arquivo JB News, vídeos da internet e colaboração de irmãos - fontes: Google) 1 – Veja um simples amendoim virar obra de arte! 2 – 11 Dicas de como usar a água sanitária no dia a dia 3 – A terapia do gelo faz bem ao rosto e ajuda a emagrecer! 4 – A grandeza do mar: A_Grandeza_do_Mar.pps 5 – Chitarra romana: Chitarra_romana .pps 6 - As melhores fotos: As melhores fotos.pps 7 - Filme do dia: “Sete Homens e um Destino” – Licença padrão do YouTube Música: "The Magnificent Seven" por Elmer Bernstein (Google Play • iTunes) https://www.youtube.com/watch?v=C0jkNssCvpY
  23. 23. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 23/24 Ir Raimundo Augusto Corado - CIM 183.481 MI e Deputado Federal pela Loja Templo de Salomão nº 2737 Membro das Lojas União e Trabalho Mimosense nr. 3.170 e Irmão Paulo Roberto Machado nr. 3.182 Barreiras – GOB/BA. (está escrevendo às terças e quintas) 1 O PRUMO E O NIVEL -instrumentos de precisão- Autor: Raimundo A. Corado. Barreiras, 25 de março de 2015 Prumo e Nível se completam; Quando o assunto é RETIDÃO; Ambos traçam linha reta; Com justeza e exatidão. Cada qual tem sua função; Um apruma, outro nivela; São instrumentos de precisão; Que à perfeição se assemelha. O PRUMO na vertical; O NIVEL na horizontal; Formam o todo perfeito. Ambos buscam a igualdade; Com a justa proporcionalidade; Em deveres e direitos. 1 Este soneto foi escrito ao contemplar a espiritualidade irradiada nas sessões da minha Loja mãe, Templo de Salomão, onde os irmãos são tratados de forma igualitária, nem mais, nem menos. Aqui os instrumentos Nível, Prumo e Régua de 24 polegadas tem feito a diferença. É uma Loja onde o ponto mais forte dela tem sido a espiritualidade e a harmonia entre seus membros.
  24. 24. JB News – Informativo nr. 2.289 – Florianópolis (SC), quinta-feira, 5 de janeiro de 2017 Pág. 24/24

×