O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2212

28 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2212

  1. 1. JB NEWS Filiado à ABIM sob nr. 007/JV Editoria: Ir Jeronimo Borges Loja Templários da Nova Era nr. 91(Florianópolis) - Obreiro Loja Alferes Tiradentes nr. 20 (Florianópolis) - Membro Honorário Loja Harmonia nr. 26 (B. Horizonte) - Membro Honorário Loja Fraternidade Brazileira de Estudos e Pesquisas (J. de Fora) -Correspondente Loja Francisco Xavier Ferreira de Pesquisas Maçônicas (P. Alegre) - Correspondente Academia Catarinense Maçônica de Letras Academia Maçônica de Letras do Brasil – Arcádia de B. Horizonte O JB News saúda os Irmãos leitores de Senador Guiomard (AC) Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Bloco 1-Almanaque Bloco 2-IrBenedito Marques Ballouk Filho – Educação, Cidadania e Maçonaria: um Exercício Metafísico Bloco 3-IrValdemar Sansão – Maçonaria em Gotas (VII) Bloco 4-IrJosé Anselmo Cícero de Sá – Não se deve aguardar reciprocidade na prática do altruísmo Bloco 5-IrPedro Campos de Miranda - Maçonaria, uma Escola de Vida! (do Site O Ponto Dentro do...) Bloco 6-IrPedro Juk – Perguntas & Respostas – do IrOsni Lopes (Nova Fátima – PR) Bloco 7-Destaques JB – Breviário Maçônico p/o dia 21 de outubro. Versos do Ir e Poeta Adilson Zotovici
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 2/23 21 de outubro 1147 — Faleceu em Lisboa, Martim Moniz, fidalgo português, entalado numa porta no Castelo de S. Jorge, permitindo a entrada dos portugueses e a conquista da cidade aos mouros. 1520 — A expedição do navegador português Fernão de Magalhães (3/2/1480), chegou ao estreito que tomou o seu nome, entrou ao serviço de Castela. 1570 — Faleceu em Pombal, João de Barros, nascido em 1496 em Viseu, historiador e cronista, escreveu Décadas da Ásia e Crónica do Imperador Clarimundo. 1721 — Instalada em Dunquerque a Loja Amitié et Fraternité, pela G.L. de Londres, julga-se que a primeira a funcionar em território francês. 1724 – O conde de Dalkeith, G.M. da primeira G.L. Loja, propôs um fundo permanente para auxílio dos necessitados. 1738 — Frederico I, rei da Suécia proibiu as reuniões maçónicas e sancionou os presentes a essas reuniões à pena de morte. 1790 — Nasceu em Mâcon, Alphonse de Lamartine, poeta, escritor, republicano, católico e estadista francês. Maire, deputado e membro da Academia Francesa. Escreveu: Meditações Poéticas, Novas Meditações Poéticas e Revoluções (28/2/1869). Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. 1 – ALMANAQUE Hoje é o 295 dia do Calendário Gregoriano do ano de 2016– (Lua Cheia) Faltam 71 dias para terminar este ano bissexto Dia Nacional da Valorização da Família Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebeu a presente mensagem, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias. Obrigado. Colabore conosco para evitar problemas na emissão de nossas mala direta diária. EFEMÉRIDES DO DIA -Ir Daniel Madeira de Castro (Lisboa) (Fonte: Livro das Efemérides - Históricas, Políticas, Maçônicas e Sociais - 2016)
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 3/23 1805 — Morreu em Trafalgar, lord Hoatio Nelson, maçon inglês, em combate, os seus restos mortais foram trasladados e sepultados na catedral de St. Paul, em Londres (29/9/1758). 1823 - Nasceu em Kupferbergben, Joseph Gabriel Findel, que faleceu em 1998, escritor alemão, é um autor incontornável para a Maçonaria, maçon publicou em 1861 a História da Maçonaria. 1827 — Nasceu em Lille, François Lallement, tipógrafo e fundidor, em 1850 veio para Portugal formar empresas, regressou a França em 1886, iniciado maçon, V.M. da Loja Cosmopolite, de Lisboa e membro do Sup. Cons. dos Grandes Insp. Gerais do 33° Grau do R.E.A.A.. 1833 — Nasceu em Estocolmo, Alfred Nobel, químico sueco, inventou a dinamite, que apresentou em 14/7/1867, o explosivo de gelatina e um método de destilação do petróleo. Desolado por a sua invenção não ser só utilizada para fins pacíficos, legou toda a sua fortuna de 31 milhões de coroas suecas para a Fundação Nobel atribuir anualmente os Prémios Nobel (10/12/1896). 1868 — Fundada a primeira loja maçónica na Indonésia, então Cochinchina, pelo G.O. de França. 1877 — Nasceu em Halifax, Oswald Theodore Avery, médico biologista canadiano, descobriu em 1944 que a molécula de ácido desoxirribonucleico, o DNA, que formam os genes (20/2/1955). 1879 — Apresentada a invenção da primeira lâmpada elétrica prática Thomas Edison (11/2/1847). 1922 – Criada a P.S.P. - Polícia de Segurança Pública. 1945 — As mulheres votaram pela primeira vez em França. — Data da realização da primeira assembleia geral independente da Union Maçonnique Féminine de France embrião da G.L. Feminina de França, que se desligaram do G.O. de França, contavam à data com 91 irmãs, praticavam o Rito de Adoção sob a égide do R.E.A.A. no quadro da G.L. de França. 1951 — Faleceu em Lisboa, Jaime Anahory Athias, maçon (3/2/1882). 1956 — Faleceu em Brighton, Frederik Soddy (2/9/1877). 1960 — A Inglaterra lançou à água o seu primeiro submarino nuclear. 1961 — Instalado o Sup. Cons. do R.E.A.A. para El Salvador. 1967 — Realizou-se a maior manifestação em Washington contra a guerra do Vietname, onde centenas de milhares de americanos contestaram a política do seu país. 1996 — Faleceu no Porto, Mário Manuel Cal Brandão, maçon (25/3/1926). 1724 O conde de Dalkeith, Grão-Mestre da primeira Grande Loja, propõe um fundo permanente para auxílio dos necessitados. 1838 Fundada a Grande Loja do Arkansas dos Maçons Antigos, Livres & Aceitos. 1873 Bula Etsi multa, do Papa Pio IX, condenando a Maçonaria 1944 Quando o Ir. Lázaro Cárdenas era presidente ,uniram-se as duas Grandes Lojas para formar a Grande Loja do Valle do México 1972 Fundção da ARLS General Bento Gonçalves nr. 20, de Araranguá que trabalha no REAA (GOSC) 1994 Fundação da ARLS Phoenix nr. 55, de Jaraguá do Sul, que trabalha no REAA (GOSC). Fatos maçônicos do dia Fonte: O Livro dos Dias (Ir João Guilherme) e acervo pessoal
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 4/23 Irmão Benedito Marques Ballouk Filho, advogado e Grão-Mestre Estadual do Grande Oriente de São Paulo - GOSP Educação, Cidadania e Maçonaria: um Exercício Metafísico O conceito de holismo (do grego holos - inteiro ou todo) é a ideia de que um sistema não pode ser explicado apenas pela soma dos seus componentes. Ainda que seja amplamente explorado nos dias atuais, muitas vezes de forma errônea ou irresponsável, o princípio geral do holismo foi resumido da melhor maneira pelo filósofo grego Aristóteles. No conjunto de volumes que batizou de Metafísica, o fundador da filosofia ocidental afirma: O todo é maior do que a simples soma das suas partes. Esse raciocínio genial vai além dos organismos vivos, ajudando-nos a compreender melhor as organizações sociais e correntes de pensamento. Proponho realizarmos um breve exercício metafísico para entender como na maçonaria, na cidadania e na educação o todo é sempre maior que a soma de todas as suas partes. Comecemos pela educação, constituída por alunos, professores, escolas e outros formadores que podem ser vistos de forma individual. Se quisermos entender o processo educacional em toda sua essência e potencialidade, entretanto, temos que ir além. A união dessas partes é capaz de empreender profundas mudanças de mentalidade nos âmbitos local, estadual e nacional. Vale frisar que o mesmo é válido para um panorama geral em que há a ausência sistemática de educação, desencadeando uma séria de problemas e dificuldades. Partindo para a cidadania – influenciada pela educação –, também temos direitos, deveres e atuações políticas individuais que, somadas, trazem resultados maiores em diferentes níveis. Essa união de pequenas partes constitui o Estado com todas as suas nuances e peculiaridades, sejam para o progresso (quando aparecem ativa e propositivamente) ou o retrocesso (quando estão ausentes ou distorcidas). Finalmente, analisemos a Maçonaria, que não deixa de ser diferente. Ela é feita por nós maçons, nossas Lojas, Obras, Grupos de Ação, Orientes Estaduais e GOB. Entretanto, a união dessas estruturas transcende sua soma, constituindo a verdadeira Maçonaria, uma estrutura extremamente capilarizada que vai além de prédios e pessoas. 2 – Educação, Cidadania e Maçonaria: um Exercício Metafísico Benedito Marques Ballouk Filho
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 5/23 Nosso exercício metafísico de raciocínio aristotélico pode e deve ir além. Se dermos um passo para trás para observar esse quadro que montamos em sua totalidade, vemos que Educação, Cidadania e Maçonaria também podem ser encaradas como partes de um todo ainda maior. Essa é a grande Obra que todos buscamos realizar enquanto cidadãos e temos a responsabilidade de perseguir enquanto Maçons - a construção de uma sociedade melhor. Essa constatação em que chegamos após nosso exercício holístico é apenas o começo de um processo, principalmente quando pensamos no tamanho da responsabilidade que assumimos como Maçons de ser a vanguarda das mudanças sociais. A construção desse mundo melhor, entretanto, não é operada em grandes escalas. É impossível influenciar essa totalidade de uma vez. Para tanto, precisamos fazer o caminho inverso, focando nas pequenas partes que formam essa soma. Minha busca como mais um dos integrantes da gestão que assumiu o Grande Oriente de São Paulo (GOSP) desde junho de 2015, é incentivar a participação dos Irmãos em todos os setores de gestão, seja público, privado ou de classe. Para isso, conto com uma equipe repleta de líderes brilhantes, que ajudam na tarefa árdua de realizar nosso papel nas mudanças sociais. Isso passa por educação, empoderamento pela noção de cidadania e prática diária da maçonaria, saindo das reuniões e lojas e partindo para a vida cotidiana. Costumo dizer que em duas horas semanais de Maçonaria você aprende sobre Filosofia Maçônica e a edificação moral do homem, mas que a grande ação do Maçom está fora da Loja, na sociedade, nas 166 horas de semana que restam. É a hora dos Maçons se aliarem às outras pessoas de bem. Partindo disso, precisamos estimular as Lojas a atuarem como “centros de formação” de líderes sociais, aptos a trabalhar em benefício da coletividade com os Valores Maçônicos como plataforma, ampliando e difundindo esses princípios. Se lá atrás, há muitos anos, os Maçons construíam igrejas, hoje os Maçons constroem homens. Cabe aos Orientes Estaduais e Nacional auxiliar nesse processo e ajudar os Irmãos a atuarem na formulação, implementação e monitoramento de Políticas Públicas, fortalecendo a prática da responsabilidade social. Isso deve ocorrer tanto na área política quando em organizações da sociedade civil. O GOSP tem quase 800 Lojas e milhares de Irmãos, o que torna o desafio imenso. Ainda assim, com a união entre os Poderes Maçônicos e um trabalho árduo e incessante, essa é uma realidade cada vez mais próxima. Afinal de contas, não temos outra opção. Trata-se de uma revolução pacífica, um movimento cívico e democrático, centrada em educação, cidadania e nos ideais Maçônicos. O único curso possível é o de deixar a plateia para sermos protagonistas no processo de evolução da sociedade. Eminente Irmão Benedito Marques Ballouk Filho, Grão-Mestre Estadual do Grande Oriente de São Paulo (GOSP) Artigo publicado na Revista Cultural do Grande Oriente do Brasil - Minas Gerais
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 6/23 MENSAGEM DO DIA – MAÇONARIA EM GOTAS (VII) Valdemar Sansão Dia 20 de outubro MAÇONARIA EM GOTAS (VII) “Que em cada Templo, o forte seja escudo para o mais fraco; o mais esclarecido a Luz para o menos esclarecido; o Aprendiz o mais protegido e auxiliado”. Conhecimento – ideia, noção, prática da vida; experiência. É bem verdade que não existe um tipo de conhecimento que se adquire sem esforço, sem estudo. O conhecimento legítimo, o saber, só se adquire com estudo, com a busca, com pesquisa, estudando autores diferentes e fazendo-se comparações. O Ritual não pode ser recitado ou ouvido distraidamente. As diferentes fases da cerimônia de Iniciação, como o conteúdo dos vários Graus devem ser aprofundadas e meditadas. Há neles tal riqueza que a vida inteira não é suficiente para deles tirar as consequências. Esta é a melhor maneira de adquirir conhecimento e que deve ser adotado pelo Aprendiz maçom; procurar interpretar os ensinamentos dos Rituais e reforçar o estudo com a leitura de bons autores. Sem leitura atenta, não existe aprendizagem, não se adquire “o saber”. A regra para com os acomodados, é a tolerância, mas sem prejuízo do constante esclarecimento. Dentro da Maçonaria o conhecimento assume uma identidade e dimensão impar. É graça divina começar bem. É graça maior persistir na caminhada certa, manter o ritmo... Mas a graça das graças é não desistir nunca. Quem caminha em direção a luz, não tem tempo de observar o que se passa nas trevas. MAÇONARIA NÃO SE DEFINE; MAÇONARIA, VIVE-SE! Maçonaria atual – a Maçonaria atual, chamada “especulativa”, resultou de uma complexidade de tradições aliadas a uma síntese de tudo quanto houve de melhor nas crenças e na evolução do pensamento na história da humanidade, de maneira a formar uma doutrina de fraternidade e comunhão de homens de todas as raças, nacionalidades e credos. Daí, a Maçonaria cujo estudo mostra a busca da Verdade e a preocupação do homem como encontrar aquilo que vagamente se chama de felicidade geral. Pretendemos que os estudos maçônicos sejam colocados nos seus devidos lugares. É muito fácil dizer pura e simplesmente que Maçonaria é ciência e ficarmos a repetir conceitos ortodoxos que nada dizem ou dizem muito pouco e que não resistiriam a uma análise mais aprofundada. O importante é voltarmo-nos para o estudo que a Maçonaria exige de todos nós. Passos - Prescreve-se que só se caminhe na loja segundo uma marcha apropriada, variável de acordo com o Rito da Loja e com o Grau em que se está trabalhando. O Passo maçônico lembra um 3 – Maçonaria em Gotas (VII) Valdemar Sansão
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 7/23 uso consagrado em muitos cultos, principalmente no Oriente. Ao iniciar a sua marcha o Aprendiz o faz em linha reta; o Companheiro, além da reta, executa um ângulo e o Mestre executa a reta, o ângulo e três curvas. Assim são usados, simbolicamente, a Régua, o Esquadro e o Compasso. Passos em esquadria - Alegorizam que o maçom deve andar sempre retamente, em busca da virtude e da perfeição, do Ocidente, “lugar das trevas”, para o Oriente, “berço da luz da civilização e da moral mais elevada, pura e regeneradora”. Sua significação verdadeira é a de que o passo do justo é reto. Em cada passo e cada Grau se opera um avanço maior do que o precedente, e sempre se inicia a marcha com o pé esquerdo, o mais próximo do coração, como a indicar que toda atividade e progresso do Maçom devem inspirar-se e basear-se na lei do Amor, a mais poderosa força do Universo. Cada passo que o maçom dá não será em vão, pois deve conduzir a uma meta; as Marchas podem constituir-se de um só passo, de vários ou mesmo de um longo trajeto. O maçom, ao encetar – mesmo no mundo profano – uma marcha, não deve esquecer que “um primeiro passo” é que dá início à caminhada e nela deve pôr todo seu empenho para chegar incólume ao lugar do destino. TUDO COMEÇA COM OS TRÊS PASSOS! Os três passos do Aprendiz - Os passos da Marcha mostram o aperfeiçoamento constante do Iniciado, na busca da Luz. Compreende três passos, e a cada passo juntando os pés em ângulo reto. Simbolizam as três qualidades morais que têm de caracterizar a conduta do Aprendiz: decisão, discernimento, retidão, e cujo desenvolvimento lhe aumenta gradativamente as capacidades. O Aprendiz, em linha reta, começa a trilhar a senda iniciática e não saberá voltar ao caminho, se dele se desviar. A marcha do Aprendiz - Quando a Marcha é iniciada, é necessário que o caminhante reconheça suas deficiências e tome o firme propósito de vencê-las; é preciso admitir que está sendo desafiado por si próprio e perceba a necessidade de tomar decisões, de reagir, de vencer a si mesmo. É preciso que sejamos capazes de partir e de chegar. Partir e chegar é realmente importante, porém, muito mais importante é a estrada que deve ser percorrida. O verdadeiro e autêntico maçom não resiste o misterioso apelo que lhe pede novos passos. Partir e o chegar indicam fases da existência maçônica que tem que ser um caminhar ininterrupto. E esse caminhar na busca dos conhecimentos que os símbolos e a filosofia maçônica colocam diante de nós significa muito mais que o chegar e o partir. Volta seu rosto sempre na direção do sol e então as sombras ficarão para trás. Circulação em Loja e Saudação – A circulação em Loja aberta é feita com passos naturais e sem o Sinal de Ordem. Trata-se de uma prática que impõe ordem e disciplina aos trabalhos. Quando a circulação ocorre no Ocidente, é feita no sentido destrocêntrico, da esquerda para a direita, ou seja, no sentido horário, tendo como referência o Painel do Grau localizado ao centro do Ocidente. O giro neste sentido representa o caminho aparente do Sol em redor da Terra. No Oriente não existe padronização de marcha na circulação, podendo o Irmão circulante se deslocar livremente, sem necessidade de fazer a saudação ao Venerável. Quando da Entrada e Saída do Oriente, a saudação é feita somente ao Ven∴ e, ao Ven∴ e VVig∴, quando da Entrada ao
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 8/23 Templo após o início dos trabalhos em Loja aberta, e quando da saída, definitiva do Templo, antes do encerramento dos trabalhos; A saudação, no Grau de Aprendiz, é feita pelo Sinal Gutural, exceto quando estiver portando algum instrumento ou objeto de trabalho. Concluindo - Afinal, o que vale realmente é a caminhada, a grande caminhada em busca da cultura maçônica. Do aperfeiçoamento moral e espiritual. A doutrina maçônica, no seu todo, nada mais é que um modo especial de fazer com que o maçom avance sempre, aperfeiçoando-se intelectual, moral e espiritualmente. Espalhe a luz por seus caminhos a cada passo. Caminhar é penetrar nos conhecimentos que a Arte Real nos propicia; não é possível parar. Neste caso, desistimos, adormecemos, ou passaremos a sonhar com a deusa da preguiça e, então, sonharemos com a deusa do fracasso, e sonharemos com a deusa da mediocridade. O maçom não pode parar. Enquanto ele estiver caminhando, se tropeçar, impeçamos, com nosso apoio, que caia. Se cair, estendamos-lhes as mãos, para que se erga. Lembremo-nos de que também poderemos tropeçar, de que poderemos também tombar, mas que, provavelmente, seremos confortados com o apoio de alguém. Não nos envergonhamos de ombrear-nos com um transviado. A nossa companhia, um conselho nosso, uma simples palavra poderão iluminá-lo e mostrar-lhe o caminho do Bem, a estrada da Verdade. Assim a Maçonaria estará crescendo, estará fortificando-se. Vale aqui lembrar as palavras de Holdelin: “nada somos; o que buscamos é tudo”. P.S. – A Maçonaria é chamada de Arte Real, pois indica simultaneamente sua transcendência e faz transparecer, ao mesmo tempo, o trabalho que é preciso empreender para alcançar a perfeição da Arte. A realeza aqui significa nobreza no sentido espiritual que em última análise é o início da construção do templo interno.
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 9/23 Irmão José Anselmo Cícero de Sá (33º. REAA) MI da Loja Estrela da Distinção Maçônica Brasil nr. 953 (GOB/GOERJ) Academia de Artes, Ciências e Letras do Estado do Rio de Janeiro Cadeira nr. 29 - Patrono: Quintino Bocaiuva – De seu livro: Tempo de Estudo Maçônico - Volume 4. NÃO SE DEVE AGUARDAR RECIPROCIDADE NA PRÁTICA DO ALTRUÍSMO. Entende-se que altruísmo é um tipo de comportamento encontrado nos seres humanos, em que as ações de um indivíduo beneficiam outros. Não é sinônimo de filantropia. No sentido comum do termo, é muitas vezes percebido como sinônimo de solidariedade. A palavra "altruísmo" foi cunhada em 1831 pelo filósofo francês Augusto Comte para caracterizar o conjunto das disposições humanas (individuais e coletivas) que inclinam os seres humanos a dedicarem-se aos outros. Esse conceito opõe-se, portanto, ao egoísmo, que é a inclinação específica e exclusivamente individual. Além disso, o conceito do altruísmo tem a importância filosófica de referir-se às disposições naturais do ser humano, indicando que o homem pode ser bom e generoso naturalmente, sem necessidade de intervenções culturais (como religião e crença). Na doutrina cotidiana, o altruísmo pode apresentar-se em três modalidades básicas: o Apego, a Veneração e a Bondade. Do primeiro para o último, sua intensidade diminui e, por isso mesmo, sua importância e sua nobreza aumentam. O Apego refere-se ao vínculo que os iguais mantêm entre si; a Veneração refere-se ao vínculo que os mais fracos têm para com os mais fortes (ou os que vieram depois têm com os que vieram antes); por fim, a Bondade é o sentimento que os mais fortes têm em relação aos mais fracos (ou aos que vieram depois). Certamente podemos observar as enormes vantagens auferidas pelos indivíduos que aprenderam a viver em contato com suas “forças internas”. Estes privilegiados, embora vivam cercados por multidão profana, composta de irmãos seus não se identificam com as paixões e emoções, características da natureza inferior que governa os demais. Sabem perfeitamente que podem dominar essa vida animalizada, produzida por seus pensamentos anteriores, já que uma das mais elevadas funções que sua consciência lhes ordena é a de progredir fisicamente, quer dizer, purificar-se pela prática constante das mais elevadas virtudes. É então que reconhece que deve ser, em todos os seus atos, mais fraternal e mais divino, dando sublimes exemplos de alta espiritualidade a todos aqueles que o rodeiam e que ainda não alcançaram o primeiro degrau da escada divina. No embate brutal das paixões e das necessidades materiais, tal indivíduo é considerado um simples sonhador, porque vive constantemente encerrado no castelo dos seus sonhos de amor, buscando ascender a um mundo mais elevado em relação as necessidade de evolução que constantemente alimentam seu Ego. É assim que se consegue despertar a voz interna para fazer-nos surdos do mundo exterior, conservando-nos atento à voz do Cristo que faz cessar as tempestades. 4– Não se deve aguardar reciprocidade na prática do altruísmo - José Anselmo Cícero de Sá
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 10/23 O indivíduo que vive no mundo exterior e, por isso mesmo, desconhece o tesouro que possui em seu íntimo, é arrastado constantemente pelo vendaval das paixões, embora aparentemente se apresente a outrem como perfeito. É sabido que para muitos a felicidade consiste em apresentar aos outros que se é feliz. O amor e a justiça nos elevam do plano animal-racional, quando esse amor se purifica pelo discernimento e a justiça se dignifica pela ternura. A Vida superior sempre se caracteriza pelo Altruísmo, o qual deve ser eterno e constante como o fogo sagrado de Vesta. É a lei do amor em sua plena atividade. A lei da Evolução que é lei de adiantamento e progresso é lei de amor, não desse amor passional e egoísta, mas o sublime amor desinteressado que nos leva ao próprio sacrifício em benefício do próximo. Pela prática do amor altruísta recebemos os primeiros vislumbres divinos do mundo real, mundo de todo, distinto daquele em que vivemos e onde a luz da verdade brilha em toda glória dos seus fulgores siderais. Para alcançá-lo, não há itinerários de antemão apontados aos caminheiros do Bem. Cada qual traz a guia dentro de si mesmo e traça seu próprio caminho com firmeza e serenidade, porque é todo ouvidos à voz interna. A personalidade desaparece aos poucos e toda a natureza obedece ao seu chamado, ou melhor, vêm ao seu encontro, pois é o Grande Arquiteto Do Universo, que é Deus, que age nele. O caminheiro que se apóia no amparo da verdade no fundo do seu coração, não alimenta mais que um desejo, não aspira senão um objetivo: “o Altruísmo”. Sua mente se engrandeceu; não é mais pequenina, egoísta. Seu coração se expandiu de tal modo que ele sente que todos os seres vivem nele. Transformou-se num simples e humilde instrumento d’Aquele que se serve de nós para derramar seu amor entre os homens. É esta a perfeita identificação com o divino, e o caminho dessa identificação é o Altruísmo. Quem faz o bem, quem ama é o Divino Espírito que em nós reside e todos os nossos esforços no caminho da evolução tendem a tornar-nos expressão ou instrumento mais perfeito desse Espírito. Por isso, se praticarmos o Altruísmo através, por exemplo, da Harmonia, do Amor, da Verdade e da Justiça, jamais devemos aguardar reciprocidade ou recompensa pelos nossos atos elevados. Devemos isto sim, lembrar que somos simples instrumentos do Pai Supremo, agindo neste Planeta Terráqueo em benefício do próximo: ] NÃO DEVEMOS ESQUECER QUE VIEMOS A ESTE MUNDO PARA SERVIR E SACRIFICAR-NOS, NÃO SÓ PELA NOSSA EVOLUÇÃO COMO TAMBÉM, PELA EVOLUÇÃO DOS NOSSOS SEMELHANTES.
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 11/23 Maçonaria, uma Escola de Vida! Publicado pelo IrLuiz Marcelo Viegas (https://opontodentrodocirculo.wordpress.com) Autor: IrPedro Campos de Miranda * (GLMMG) A Maçonaria é uma escola de vida que incentiva a pesquisa da verdade, o exercício do amor e da tolerância. Que recomenda o respeito às leis, aos costumes, às autoridades e, sobretudo, à opção religiosa de cada um. Que incentiva seus adeptos a serem docemente fieis ao que nos ensinou o Divino Mestre Jesus: “Perdoai vossos inimigos e bendizei aos que vos fazem mal.” Por isso mesmo, a Maçonaria não se preocupa em retribuir as ofensas injustas recebidas pelos que não a conhecem. Aliás, nossa Sublime Ordem é a única organização que transforma em irmãos pessoas de crenças religiosas diferentes, pois nela convivem harmoniosamente católicos, espíritas, protestantes, budistas, maometanos, judeus, etc. 5–Maçonaria, uma Escola de Vida! Site O Ponto dentro do Círculolo) - Pedro Campos de Miranda
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 12/23 Alguns apressados poderiam pensar que isso significa que os maçons sejam transformados em seres absolutamente passivos, sem o menor interesse pelo que se passa na sociedade, em nosso país e no mundo. Se os maçons têm como compromisso maior a busca incessante da verdade, é claro que precisam exercitar continuadamente o direito de pensar em soluções que possam eliminar o mal, sem destruir o homem. Ela tem seus métodos próprios de ação, conhecidos pelos verdadeiros maçons, os quais são agentes da paz e chamam os conflitos armados de a estupidez da guerra. A Maçonaria sempre se colocou a favor da liberdade, contrária a qualquer tipo de opressão que sonegue ao ser humano o direito de pensar. Mas, como exige de seus adeptos uma vida íntegra, ela sabe que o melhor ensinamento que os maçons podem oferecer reside no exemplo oferecido por cada pedreiro livre. É aí que valorizamos o entendimento de Cícero: “Sou livre porque sou escravo da lei!” O maçom sabe que uma vida digna equivale a um templo erguido à virtude e que somente terá vencido suas paixões quando houver aprendido a respeitar e a amar cada ser humano, mas nunca se acovardando quando tiver que exigir de qualquer um o cumprimento da lei. Principalmente diante da covardia de maiorias que procuram esmagar impiedosamente as minorias. A Maçonaria combate a hipocrisia, o fanatismo, a intolerância. E combate esses males procurando conduzir os homens ao entendimento, única forma de se conseguir a paz permanente, pregando a misericórdia para com os vencidos. Para nossa Ordem, o vencedor deve ser sempre a humanidade. Portanto, todos os maçons são concitados a uma conduta de vida capaz de levar consolo a quem sofre; comida a quem tem fome; agasalho a quem tem frio; uma toalha macia para enxugar as lágrimas de nossos semelhantes; levar o conhecimento a quem deseja sair da escuridão. Sabe nossa instituição que quanto mais se propagar a luz, menor será o espaço ocupado pelas trevas. Com isso poderemos nos guiar mais seguramente na direção do Grande Arquiteto do Universo, luz irradiante que será o próprio caminho do amor, da fraternidade e da tolerância, per omnia secula seculorum! Podemos concluir, sem medo de errar, que só a maldade e a desinformação são capazes de rotular a Maçonaria como contrária à fé religiosa. O comportamento digno que nossa Ordem impõe a seus membros honrará, certamente, a qualquer profissão de fé religiosa. Os rótulos nem sempre garantem o conteúdo. Por isso, nosso Templo Interior deve permanecer sempre limpo, livre da sujeira que as iniquidades provocam, iluminado pelo verdadeiro amor, sempre nos permitindo lembrar que o nosso conhecimento é apenas uma gota de um oceano de coisas que ignoramos. Ensina-nos a Maçonaria que o Grande Arquiteto do Universo é uma fonte perene de amor, sempre pronto a permitir o soerguimento de qualquer um que queira se levantar. Como Ele saberá, a qualquer tempo, separar o joio do trigo, nós, os maçons, somos sempre recomendados a produzir mais trigo. Autor: Pedro Campos de Miranda Nota do Blog do Ir Luiz Marcelo Viegas: *Uma justa homenagem ao saudoso Irmão sempre lembrado por seu espírito de fraternidade, por suas ações beneméritas, elevada cultura, abnegado estudioso da filosofia maçônica, respeitado jornalista e escritor, foi feita na escolha do título da loja de pesquisas da GLMMG, que leva o nome de Loja Maçônica de Pesquisas “Quatuor Coronati” Pedro Campos de Miranda.
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 13/23 Este Bloco está sendo produzido pelo Irmão Pedro Juk, às segundas, quartas e sextas-feiras Votos do venerável Em 25/03/2016 o Respeitável Irmão Osni Adres Lopes, Loja Fátima e Caridade, 19, GOP – COMAB, REAA, Oriente de Nova Fátima, Estado do Paraná, pede esclarecimentos para o que segue: osnilopes7@hotmail.com Via de regra o Venerável Mestre, ou o Irmão que preside uma Loja ou sessão, só vota em caso que necessite desempate, ou por ocasião da realização do chamado Escrutínio Secreto, certo?! Sendo assim, ainda que a legislação não o proíba, entendo não ser coerente que um Venerável, ou outro Irmão ocupando a presidência, apresente proposta, pois inclusive, na hipótese de ocorrer necessidade de desempate, quem poderia fazê-lo, não é?! Outra questão, como um processo de apresentação de Candidato à admissão passa em seus momentos iniciais somente pelo Venerável Mestre, e a escolha de Sindicantes e outras providências são de exclusiva competência dessa Dignidade, como na situação anterior, ainda que a legislação não proíba, também é sensato e razoável concluir que o Venerável de uma Loja não apresente candidato durante a vigência de seu mandato, pois não?! Considerações: Não esqueça: envie sua pergunta identificada pelo nome completo, Loja, Oriente, Rito e Potência. 6 – Perguntas & Respostas Pedro Juk
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 14/23 A praxe não é do Venerável, ou seu substituto legal apresentar proposta que demande de aprovação pelo método costumeiro, justamente para que se evitem especulações em contraposição ao cargo do dirigente máximo. É o caso da apresentação de um Candidato, sobretudo levando-se em conta os trâmites legais e os de usos e costumes do processo maçônico, reservando-se aí apenas o voto por meio do escrutínio secreto para aprovação de um novo membro para o quadro da Loja. Entendo que essas situações deveriam estar bem claras no Regulamento da Instituição, mormente no que concerne às obrigações de um Venerável Mestre. Ainda, nos termos de voto do Venerável Mestre, essa possibilidade é perfeitamente plausível quando sujeita aos processos eleitorais, assim, antes de tudo, segue-se a regra do bom senso. T.F.A. PEDRO JUK – jukirm@hotmail.com - Jun/2016 Exegese Simbólica para o Aprendiz Maçom I Tomo - Rito Escocês Antigo e Aceito e Trabalhos de Emulação Autor – Ir. Pedro Juk - Editora – A trolha, Londrina 2.012 – Segunda Edição. www.atrolha.com.br - Objetivo – Introdução a interpretação simbólica maçônica. Conteúdo – Resumo histórico das origens da Maçonaria – Operativa, Especulativa e Moderna. Apreciação – Sistema Latino e Inglês – Rito Escocês Antigo e Aceito e Trabalho de Emulação. Tema Central – Origens históricas do Painel da Loja de Aprendiz e da Tábua de Delinear. Enfoque – Exegese do conteúdo dos Painéis (Ritualística e Liturgia, História, Ética e Filosofia). Extenso roteiro bibliográfico. https://www.trolha.com.br/loja/
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 15/23 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GLSC - http://www.mrglsc.org.br GOSC https://www.gosc.org.br Data Nome da Loja Oriente 03.10.1981 Ação e Fraternidade Gasparense nr. 26 Gaspar 17.10.1969 São João Batista nr. 14 Orleans 19.10.2000 Gênesis nr. 47 Florianópolis 20.10.1977 Duque de Caxias nr. 21 Florianópolis 22.10.1970 Sentinela do Oeste nr. 17 Chapecó 25.10.1978 Harmonia e Fraternidade nr. 22 Joinville 25.10.1996 Cavaleiros da Luz nr. 64 Florianópolis 28.10.1989 Jack Malt nr. 49 Rio Negrinho 28.10.2008 Delta do Universo nr. 98 Florianópolis Data Nome da Loja Oriente 05/10/1991 Zezinho Cascaes Braço do Norte 12/10/1994 Fraternidade Serrana São Joaquim 13/10/2004 Portal da Serra Bom Retiro 15/10/1985 Lealdade, Ação e Vigilância Florianópolis 16/10/1951 Estrela do Planalto Curitibanos 18/10/1997 Acácia das Gaivotas Bal. Gaivota 20/10/2008 Construtores da Paz Chapecó 21/10/1972 General Bento Gonçalves Araranguá 22/10/1997 Sol do Oriente Camboriú 26/10/1975 Acácia das Neves São Joaquim 30/10/2002 Frank Shermann Land Florianópolis 7 – Destaques (Resenha Final) Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mês de setembro
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 16/23 GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Loja Oriente 03.10.03 Delta de Ingleses - 3535 Florianópolis 06.10.81 Prof. Clementino Brito - 2115 Florianópolis 13.10.07 Luz de São Joaquim - 3884 São Joaquim 15.10.93 Cidade Azul - 2779 Tubarão 15.10.05 Estácio de Sá -3763 Florianópolis 17.10.08 Luz de Órion - 3951 Itapema 23.10.00 Luz e Harmonia - 3347 Brusque 26.10.96 Arquitetos do Vale - 2996 Blumenau 26.10.08 Amigos da Liberdade - 3967 Palhoça 27.10.97 Atalaia -3116 Itajaí 28.10.95 Luz do Atlântico Sul - 2894 Baln. Camboriú
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 17/23 A LOJA SABEDORIA LUZ E UNIÃO REFORÇA SUAS COLUNAS COM A FILIAÇÃO DE DOIS PODEROSOS IRMÃOS (Irmão Edward Santos – Delegado Litúrgico Adonhiramita) - A A.: R.: L.: S.: Sabedoria Luz e União, do Complexo Maçônico de Feira de Santana Bahia, reforçou suas colunas com a filiação de dois PPod.: IIr.:, na sessão realizada no dia 17 de outubro da era vulgar. Os Iir.: foram recebidos com grande alegria por todos os presentes, numa belíssima sessão que contou com a presença de 32 irmãos. O Ven.: M.: Ir.: Roberto Aquino, falou da sua alegria em poder contar com um significativo reforço para sua loja, ressaltando as qualidades dos IIr.; que agora ajudam a sustentam as colunas do templo sagrado da Sabedoria Luz e União. Os irmãos hora filiados são da A.: R.: L.: S.: Deus liberdade e Justiça, que também pertence ao Complexo Maçônico. Os Poderosos IIr.: Luiz Carlos Tosta De Santana, Secretario de Finanças do GOEB e Edmilson Pereira dos santos Secretario de Educação e Cultura do GOEB, manifestaram grande alegria em serem recebidos, ao tempo em que se colocaram inteiramente à disposição dos irmãos para darem continuidade ao trabalho desta oficina, fazendo uma Maçonaria forte e vibrante.
  18. 18. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 18/23 Sessão Magna de Elevação na Loja Templários da Nova Era http://www.templarios91.com.br Foi realizada quarta-feira (19) Sessão Magna de Elevação, para assento na Coluna do Sul dos Irmãos Fernando de Andrade Lemos, Giuliano Padilha Armanini e Robert James Mckinnon. A sessão contou com a presença dos Veneráveis da Loja “Pitágoras”, Irmão Floriano José Martins, da Loja “Pedreiros da Liberdade” Ir João Reis Simas Neto, da Loja “Liberdade e Harmonia” Gildo Mota, da Loja “Regeneração Guabirubense” de Brusque, Ir Edy Genovez Luft que também é Presidente da Academia Catarinense Maçônica de Letras, Ir Ronaldo Regis, VM da Loja Regeneração Catarinense, além do escritor, palestrante e colunista dominical do JB News, Irmão Hercule Spoladore, da Loja de Pesquisas “Brasil” de Londrina. Irmãos de várias oficinas da Grande Florianópolis abrilhantaram a importante Sessão.
  19. 19. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 19/23 Ir Marcelo Angelo de Macedo, 33∴ MI da Loja Razão e Lealdade nº 21 Or de Cuiabá/MT, GOEMT-COMAB-CMI Tel: (65) 3052-6721 divulga diariamente no JB News o Breviário Maçônico, Obra de autoria do saudoso IrRIZZARDO DA CAMINO, cuja referência bibliográfica é: Camino, Rizzardo da, 1918-2007 - Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014 - ISBN 978-85.370.0292-6) Para o dia 21 de outubro: Provas A ciência somente admite aquilo que teve a sua veracidade comprovada. O empírico é fato esotérico e espiritual. Na Filosofia, na Psicologia, na Parapsicologia, enfim, no que não é ciência exata, tem lugar a convicção por meio da Fé. A Maçonaria maneja sentimentos, virtudes e atos espirituais, posto que usa a materialidade como meio. Nas cerimônias iniciáticas, o candidato é submetido a duras provas; as principais denominam-se de prova do ar, da terra, da água e do fogo, significando os elementos materiais do Universo, contudo, a parte principal é a esotérica, ou seja, a oculta, a secreta, a espiritual. Na Maçonaria, o maçom não necessita provar nada, porque a sua vida é espontânea, aberta, e o seu amor fraterno o liga aos seus coirmãos. Aquele que exige prova de alguma coisa estará externando a sua desconfiança para com o irmão. A Filosofia Maçônica impõe uma “filosofia de vida” diferente da comum. A única prova admissível, no sentido prático e também esotérico, é a frase célebre de Descartes: Cogito ergo sun, - Penso, logo existo. Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014, p. 313.
  20. 20. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 20/23 Os restos mortais de Voltaire encontram-se no Panteão de Paris. Registro de 4 de abril de 2013, durante expedição maçônica.
  21. 21. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 21/23 1– Conheça as mamães felinas e seus filhotes mais fofos! 2 - Hora do teste: O quão bem você estimula a sua criatividade? 3 - Faça um passeio virtual pela fantástica Jerusalém, em Israel 4 - Este super iate vai te fazer querer navegar pelo mundo! 5 – Vídeo russo: pessoas que fazem a diferença. https://www.youtube.com/watch?v=XJnvKVILliM 6 – La Paz: https://www.youtube.com/watch?v=5ueWBLdHIDk 7 – Filme do dia: “Sempre Estarei Contigo”- dublado https://www.youtube.com/watch?v=o5Hi31jPT9Q
  22. 22. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 22/23 Irmão Adilson Zotovici, Obreiro da Loja Chequer Nassif-169 São Bernardo do Campo – SP GLESP adilsonzotovici@gmail.com NA ESCADA DE JACÓ Nessa escada de virtudes De fé , esperança e caridade Que de galgares te iludes Não galgarás em verdade ! Mas tens porém, liberdade De praticares seus preceitos Por ti e pela humanidade, Entre livres pedreiros aceitos Sem ódios, sem preconceitos, Crente que a Fé no amor Com atos justos, perfeitos, Levar-te-ão ao Senhor ! Que com denodo e penhor Com Esperança na travessia Vencerás todo temor Que possas ter n’algum dia ! E mesmo que a bolsa vazia Que da caridade privado No teu peito acharás serventia Do teu coração abastado !
  23. 23. JB News – Informativo nr. 2.212 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 21 de outubro de 2016 Pág. 23/23 Assim, terás caminhado Pela terra, sem labéus, Qual escada então galgado, Chegado ao Betel...nos céus ! Adilson Zotovici ARLS Chequer Nassif-169

×