O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2190

45 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2190

  1. 1. JB NEWS Filiado à ABIM sob nr. 007/JV Editoria: Ir Jeronimo Borges Academia Catarinense Maçônica de Letras Academia Maçônica de Letras do Brasil – Arcádia de B. Horizonte Loja Templários da Nova Era nr. 91(Florianópolis) - Obreiro Loja Alferes Tiradentes nr. 20 (Florianópolis) - Membro Honorário Loja Harmonia nr. 26 (B. Horizonte) - Membro Honorário Loja Fraternidade Brazileira de Estudos e Pesquisas (J. de Fora) -Correspondente Loja Francisco Xavier Ferreira de Pesquisas Maçônicas (P. Alegre) - Correspondente Homenagem do JB News aos Irmãos leitores de Santarém - PA Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.190 – Florianópolis (SC) –sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Bloco 1-Almanaque Bloco 2-IrNewton Agrella – As horas passam... Bloco 3-IrRui Jung Neto – 33ª. Coluna do Rito Schröder – (Schröder – o Maçom) Bloco 4-IrSérgio Quirino Guimarães – Compreendemos o Significado da Trolha? Bloco 5-IrHolbein – Construtores de Catedrais – As Siglas dos Mestres Portugueses Bloco 6-IrPedro Juk – Perguntas & Respostas – do Ir João Borges Alves – (GLESP) Bloco 7-Destaques JB – Breviário Maçônico p/o dia 30 de setembro
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 2/24 . JERÓNIMO — Nasceu em 341 em Strido, Dalmácia, batizado aos dezoito anos, ordenado padre, conhecedor de latim e grego, monge em Veneza, e depois eremita na Terra Santa, lutou contra as tentações da carne. Aprendeu hebraico e estudou as Escrituras, voltou para Roma onde foi secretário do pDâmaso que o encarregou de escrever a Bíblia, em latim vulgar, designada por Vulgata, tarefa que o ocupou vinte e dois anos. Defensor do celibato muitos duvidavam da sua relação com S. Paula, com quem regressou à Terra, com sua filha S. Eustóquia, que o tinham seguido e se estabeleceram em Belém, erudito estudioso da Bíblia e doutor da Igreja. Faleceu em 420 em Belém e é o padroeiro dos estudantes. 1061 – Foi designado o papa Alexandre II, 157º. 1514 – O rei D. Manuel I concedeu o foral a Matosinhos. 1791 — Estreada em Viena no Theater auf der Wieden, sob a direção do próprio Mozart, a ópera A Flauta Mágica, que pode assim saborear o êxito que o público lhe dedicou, só se estreou em Portugal em 18/2/1953. 1842 — Nasceu em Lisboa, Francisco de Freitas Gazul, músico, compositor, prof. e maestro. Diplomado pelo conservatório, onde foi prof., maestro do Teatro S. João do Porto e do S. Carlos de Lisboa, escreveu música sacra, oratórias, música de câmara, quartetos, operetas e revistas. Escreveu a ópera Frei Luís de Sousa, apresentada em 1891, no S. Carlos, com sucesso, iniciado maçon, pertenceu à Loja Tolerância de Lisboa, elevado ao 7° Grau do R. F. (20/10/1925). Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. 1 – ALMANAQUE Hoje é o 274º dia do Calendário Gregoriano do ano de 2016– (Lua Nova às 21h11) Faltam 92 dias para terminar este ano bissexto Dia da Secretária, dia da Navegação e dia Mundial do Tradutor Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebeu a presente mensagem, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias. Obrigado. Colabore conosco para evitar problemas na emissão de nossas mala direta diária. EFEMÉRIDES DO DIA -Ir Daniel Madeira de Castro (Lisboa) (Fonte: Livro das Efemérides - Históricas, Políticas, Maçônicas e Sociais - 2016)
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 3/24 1846 – Foi empregue pela primeira vez em público como anestésico o éter, para extrair um caroço do pescoço a um dente e depois um tumor no pescoço por William Thomas Green Morton, norte-americano. 1860 – O rei Victor Emanuel concluiu a derrota dos exércitos papais em Ancona, na unificação italiana. — Faleceu em Lisboa, Godofredo Alberto dos Santos Ferreira, maçon (5/6/1886). 1866 — Celebrado um tratado de amizade entre o G.O.L. e o G.O. da Bélgica. 1879 — O G.O.L.U. assinou a carta patente para a instalação em Jassy, Roménia, da Loja Roumania, do R.E.A.A., irradiada em 18/9/1894. 1881 – Foram extintas as dioceses de Castelo Branco e de Elvas, sendo incorporadas à de Portalegre. 1906 – Um governo provisório dos E.UA. presidido pelo gen. Taft foi formado em Cuba, pondo fim à república cubana. 1913 — Morreu no canal da Mancha, Rudolf Diesel, onde caiu ao mar acidentalmente quando duma travessia a bordo do navio Dresden (18/3/1858). 1936 — Autorizada por Salazar a constituição da Legião Portuguesa, sob a supervisão do gen. Jorge Botelho Moniz, em 18/12/1937 instalou-se no Palácio Maçónico, destruindo documentação histórica e os Templos. Força paramilitar de voluntários subordinada às autoridades civis e militares responsáveis pela ordem pública. Tinha serviços e corpos especializados, como a brigada naval, o serviço de informações e a força automóvel de choque. A direção estava nas mãos de uma Junta Central, mas nas questões ligadas aos assuntos paramilitares dependia de um cte. geral (oficial do exército ou armada), o primeiro foi Namorado de Aguiar, ramificada a nível distrital gerida por mandantes. Os legionários organizavam-se por batalhões, terços, lanças, secções e quinas, agregando elementos da direita radical, combateu implacavelmente a Maçonaria, difamando-a. 1946 — O tribunal de Nuremberga condenou à morte, dez dirigentes nazis, entre os quais Ribbentrop (à esquerda) e Goering, e acabou por se suicidar. Sancionou ainda com prisão perpétua, entre outros, Rudolf Hess (na foto à direita) e Walter Funk, criminosos, cujo julgamento se iniciou em 20/11/1945. 1947 – Os principais partidos comunistas da Europa concordaram na criação do Kominform, um Comité Internacional de Informação, para fixarem a estratégia comunista. 1966 – Independência de Botswana. 1974 – O gen. Costa Gomes assume a presidência da república, em Portugal, substituindo António de Spínola. 1981 – Foi abolida a pena de morte na França. 1857 Falece o Ir Auguste Comte, importante filósofo do século XIX, sistematizador do positivismo e considerado fundador da sociologia. 1993 Fundação da Loja União Catarinense, de Florianópolis, que trabalha no Rito Brasileiro (GOB/SC) Fatos maçônicos do dia Fonte: O Livro dos Dias (Ir João Guilherme) e acervo pessoal
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 4/24 Florianópolis vai sediar nos dias 14 e 15 de outubro o XXIII Encontro de Estudos e Pesquisas Maçônicas
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 5/24 O Ir Newton Agrella - e membro ativo da Loja Luiz Gama Nr. 0464 e Loja Estrela do Brasil nr. 3214 REAA - GOSP - GOB newagrella@gmail.com "AS HORAS PASSAM..." Incrível como vira e mexe nos tornamos escravos de nossas rotinas. É como se cada dia tivéssemos que fazer as mesmíssimas coisas sem nos permitirmos mudar nossos hábitos. Somos uma espécie de reféns de nossas próprias vidas que impõe hora pra tudo. Hora pra acordar, tomar banho, escovar os dentes, tomar café, ir pro trabalho, voltar para casa, e de repetir os mesmos gestos, palavras e frases dia após dia. Que nada ! Eis aí a amardilha...Férias a vista. Vamos quebrar os paradigmas ! Viagem programada, hora do vôo, hora do check-in no hotel, hora dos passeios, city tours, hora das refeições, hora de voltar pro hotel. Sempre atento ao tempo para não perder nenhum instante do passeio... adrenalina a mil. Eterna escravidão do tempo e das horas....É hora de fazer as malas e de voltar pra casa... O tempo parece-nos um tanto cruel diante das nossas expectativas. Oramos, pedimos sempre por dias melhores, mas muito pouco fazemos para mudar. Ajoelhamo-nos diante da Vida como que receosos de nos depararmos diante do desconhecido que o Universo nos oferece. 2 – As Horas Passam.... Newton Agrella
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 6/24 A Evolução soa cada vez mais distante... e a cada passo que damos...a Perfeição se projeta mais longe de nós... Somos os mesmos em nós mesmos. Orgulhamo-nos de filhos como se nos projetássemos neles, gritamos, xingamos e brigamos pelos nossos Times como se fossemos os verdadeiros jogadores em campo. Defendemos nossas causas e idéias como se fossem as verdades mais intransponíveis do mundo... Estabelecemos barreiras sociais, criamos cotas raciais e ainda temos a petulância de nos referirmos como seres pensantes... Assim somos nós. Criaturas únicas num Universo sem fronteiras onde o Conhecimento é apenas uma reles noção inconsistente de nossos desejos. Difícil fingir que a nossa consciência nos aquieta e apazigua a alma, pois o tempo não nos permite ponderar... Mesmo diante de tantos percalços custa-nos muito enxergar o que vai dentro de nós. Pedimos muito e agradecemos pouco. Estamos em débito na Balança Orçamentária da Vida.... Talvez seja o caso de investirmos um pouco mais no nosso espírito e nos despojarmos um pouco da matéria... Vamos em frente....é vida que segue.... o relógio vai tocar.... Fraternalmente Newton Agrella
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 7/24 33ª Coluna do Rito Schröder – 30 de setembro de 2016 O Rito Schröder, composto pelos Rituais das Lojas de Aprendiz (com a Loja de Mesa e a Loja de Funeral), Companheiro e Mestre Maçom, é um Sistema de Ensino maçônico adotado a partir de 29 de junho de 1801 por algumas das mais antigas Lojas na Alemanha e, conforme o prefácio do Ritual de 1960 da Loja ABSALOM: “... até em continentes distantes, onde maçons de origem germânica operam de acordo com o Rito de Schröder... (que) ocupa uma posição de destaque entre os ritos maçônicos por sua concordância com o Rito da Grande Loja-Mãe, da Inglaterra (Londres, 1717), na eliminação de todos os aditamentos inseridos no final do Século XVIII, no espírito de puro humanismo, presente em seu cerimonial e no brilho da linguagem clássica do Alemão”. No último dia de cada mês o JB News apresenta aos seus leitores esta coluna sob a coordenação do Ven. Ir. Rui Jung Neto, ex-V.M. da Cinq. Ben. A.R.L.S. "Concordia et Humanitas" Nr. 56 - Ao Or. de Porto Alegre – GLMERGS, e membro do Colegiado Diretor do “Colégio de Estudos do Rito Schröder Ir. Gouveia”. Na coluna deste mês reproduzimos a tradução dos IIr. Franzke e Gouveia de trecho do livro “O Ator – O Maçom”, sobre a vida de F. L. Schröder, em homenagem ao transcurso do 200º aniversário do seu passamento em 3 de setembro de 1816. Boa leitura e até a nossa 34ª Coluna em outubro de 2016! SCHRÖDER – O MAÇOM Resumo do trabalho a partir da Ata de iniciação deF. L. Schröder em 08/09/1774: Como F. L Schröder chegou a Maçonaria? Desde 1773, o Ir. Bode, que foi, durante muitos anos, o Venerável Mestre da Loja Absalom, e simultaneamente, o Grão-Mestre Adjunto da Grande Loja Provincial de Hamburgo e Baixa Saxônia, o apresentou à Maçonaria e, em 8 de setembro de 1774, 3 – 33ª Coluna do Rito Schröder – Schröder – O Maçom) - Rui Jung Neto
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 8/24 Schröder foi iniciado na Loja “Emanuel zur Maienblume” sem que fosse escrutinado, sinal do grande prestígio que possuía em meio à população de Hamburgo. ... Em 1775, ele recebeu o Grau de Mestre, sendo eleito Venerável Mestre da Loja Emanuel em 28 de junho de 1787, apesar de ter residido na cidade de Viena de 1781 até 1785, época em que pouco se dedicou à Loja. Em 1779, aconteceu a sua eleição para Grão-Mestre Provincial Adjunto e, em 1814, para Grão-Mestre da Grande Loja de Hamburgo que se tornara independente em 1811. Na época da iniciação de F. L Schröder, a Maçonaria na Alemanha caiu em um dos períodos mais obscuros de sua história. Com o Rito da Estrita Observância Templária, o caráter simples da Maçonaria Inglesa foi perdido, sendo substituído por misticismo, alquimia, rosacrucianismo, iluminismo (1) e os altos graus vindos da França. Em Hamburgo também apareceram estas ideias fantasmagóricas. Não há dúvida que Schröder, um homem tão sério e simples, queria através da Maçonaria a educação para uma Moral verdadeira, não compactuando com tais futilidades. Em 1782, no Congresso de Wilhelmsbad, o Rito da Estrita Observância foi substituído pelo Rito Escocês Retificado. No ano seguinte em Hamburgo foi escolhida uma Comissão de Irmãos e lhe foi dada a determinação de restabelecer novamente a legislação das Lojas e refazer a Maçonaria segundo o modelo Inglês. Cinco anos se passaram sem que nada de substancial fosse realizado. Em 1788, Schröder foi eleito para esta Comissão e no final do ano, apresentou seu trabalho totalmente concluído. Segundo os fundamentos do Livro das Constituições de 1723 (2), Schröder organizou a Maçonaria em Três Graus, abolindo o quarto (Grau) da Loja Escocesa. Sobre suas intenções F. L. Schröder escreve: “Logo após minha eleição para Venerável Mestre eu me dediquei intensamente à Maçonaria, não economizando esforços e dinheiro para conhecer o assim chamado Sistema e todas as peças que eram praticadas sob o nome de Maçonaria e para tornar públicas as minhas ideias sobre a origem da Maçonaria, as quais eu já havia comunicado ao Ir. Bode em 1787, através de vários documentos que foram apresentados aos maçons em 1723. ..., porém felizmente, há um exemplar do Antigo Ritual que havia sido usado em uma Loja na Alemanha, e que acabou com todas as minhas dúvidas... agora eu possuía documentos para a elaboração. A Maçonaria não é uma Ordem, o Livro da Constituição Inglesa e os nossos, nunca usam esta expressão, mas sim uma Corporação de Profissionais, Guilda, Fraternidade. Os antigos maçons alemães as chamavam de Corporações, isto é, Guildas Unidas, ou seja, corporações constituídas através de Estatutos e Regimentos. Daí também na Maçonaria o uso do termo “Irmão”, pois a Associação é uma Fraternidade. Como tal, ela tem assumido os símbolos da Profissão de Pedreiro, ela não poderá ter mais que três Graus: Aprendiz, Companheiro e Mestre. Assim é em todos os países onde existem Corporações; com o Grau de Mestre se fecha o círculo; quem depois dele exige alguma coisa não é Mestre, isto é, ele não entende que sua obrigação de Mestre e a habilidade da verdadeira Maestria exige o máximo e somente um ingênuo pode imaginar que depois do Grau de Mestre ainda exista um Cavaleiro, um Espiritualista ou Adepto de uma Ordem. Mas as indefinições e as insatisfações dos rituais falsificados, onde sempre permanecem lacunas, deu (junto a outros maus motivos) causa para que fosse procurada através da Maçonaria a Teosofia, a Ordem de Cavaleiros, a Alquimia e a Magia. Nada foi mais prejudicial à Maçonaria do que a confundir com uma Ordem, ela é uma Fraternidade para um Trabalho, uma Construção com os necessários Estatutos, provas e habilidade para atingir as virtudes do Grau de Mestre. Isto é o máximo que um ser humano pode alcançar.”
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 9/24 Quem conhece a inacreditável confusão que foi introduzida na Maçonaria no final do Século XVIII, deve compreender a luta de F. L. Schröder contra estes altos graus e entende que ele rejeitava antes de tudo a influência dos altos graus sobre os graus de São João (i. é, as Lojas Simbólicas). Somente três anos após Schröder ter apresentado sua proposta, ela foi definitivamente aceita e elevada à condição de lei. Que trabalho profundo está atrás desta obra? Disso, Schröder deu o testemunho em suas principais obras: “Materialen zur Geschichte der Freimaurerei seit ihrer Entstehung bis 1723” (Materiais para História da Franco-Maçonaria desde a sua origem até 1723), Jena. 1815. 4ª ed., 314 páginas e “Materialen zur Geschichte der Freimaurerei seit der Wiederherstellung der Großen Loge in London, 1717” (Materiais para a História da Franco- Maçonaria desde o restabelecimento da Grande Loja em Londres, 1717) 4 Volumes, 8ª ed., com 1.547 páginas. Estas volumosas obras de Schröder foram impressas em uma gráfica secreta em Jena, por Johann Karl Wesselhöft. Com certeza, Schröder assumiu os custos, que não foram pequenos, tanto para a fundação como para o funcionamento desta gráfica secreta. Desta saíram seus trabalhos históricos, uma coleção dos Rituais para o Engbund (Associação restrita aos Mestres), livros de canções, listas de Lojas, e pequenos trabalhos gráficos. A gráfica secreta continuou existindo anos após a morte de Schröder. Junto com este trabalho existe a reedição do Ritual no qual explica os significados dos símbolos da Arte Real. Estes materiais permanecem ainda como fonte de pesquisa para historiadores maçônicos. Schröder não se deixou aborrecer pelo esforço e pelos custos para obter as cópias dos Rituais de diferentes Sistemas (Ritos) existentes na época e elaborou o projeto de um Ritual muito próximo do Antigo Ritual Inglês (i. é. da G.L. de Londres de 1717). Este tinha como objetivo não servir somente as Lojas de Hamburgo, mas Schröder esperava que também pudesse ser adotado por Lojas de outros Orientes de idioma Alemão Por isto se aproximou de outros (maçons) que entendiam do assunto para servirem como conselheiros. Sobretudo, o Diretor do Ginásio de Weimar e o pesquisador de antiguidade Böttinger e, através, deste Herder, e mais tarde Bode e Fessler (alguns dos mais cultos e proeminentes maçons do seu tempo). ... Schröder também agiu como verdadeiro Maçom relativamente à caridade. Ele constituiu uma Caixa de Pensão para os atores em Hamburgo, que até hoje leva o seu nome e, quando não havia hospital público em Hamburgo, ele estimulou em 1793, a fundação de um instituto para os empregados doentes, o qual no decorrer de algumas décadas se desenvolveu no Hospital Maçônico (Elisabeth) que não é somente reservado a maçons, mas a todo doente e goza de muito boa reputação. Schröder pertence ao rol dos maiores que estiveram na Maçonaria. Enquanto tivermos uma Maçonaria ele jamais será esquecido. “F. L. Schröder: O Reformador da Maçonaria e do Teatro Alemão, o Fundador do Hospital (maçônico) de Hamburgo”.
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 10/24 FRIEDRICH LUDWIG SCHRÖDER 3 de novembro de 1744* a 3 de setembro de 1816† Tradução do trecho “Der Freimaurer” (O Maçom) do livro “Friedrich Ludwig Schröder – Der Schauspieler – Der Freimaurer” (O Ator – O Maçom) - do Ir. Wilhelm Hintze – Bauhütten Verlag GMBH, Hamburg, 1974 - pelos Irmãos Antonio Gouveia Medeiros (†) e Friedrich Carl Franzke. Revisão e edição do Ir. Rui Jung Neto, todos do Colegiado Diretor do Colégio de Estudos do Rito Schröder Ir. Gouveia (1) “Iluminados da Baviera” ou “Illuminati”, ordem mística muito ativa na época de Schröder, fundada na noite de 30 de abril para 1º de maio de 1776 por um grupo liderado por Adam Weishaupt. (2) “Constituição de Anderson”, aprovada pela Grande Loja de Londres em 1723 – denominada de “A G. L. dos Modernos”. Com a saudação fraternal dos Irmãos Antonio Gouveia Medeiros, Gert Odebrecht (in memoriam); Friedrich Carl Franzke (Emérito); Ari de Souza Lima, Luiz Roberto Voelcker, João Paulo Deluque Rufatto e Rui Jung Neto Colégio de Estudos do Rito Schröder Ir. Gouveia - Colegiado Diretor Site do Colégio: www.colegioschroder.org.br Δ VII Seminário Nacional do Rito Schröder – Ir. Kurt Max Hauser Or. de Porto Alegre – RS – 11 e 12/11/2016 Para Informações e inscrição, visite o site: www.viiseminarioschroder.concordia56.org
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 11/24 Ano 06 - artigo 10- número sequencial 344 Saudações estimado Irmão, realmente compreendemos o significado da TROLHA ? Já repararam que nos nossos labores e expressões maçônicas usamos constantemente o “Templo”, o “Avental”, o “Justo”, o “Perfeito”, o “cinzel”, o “malho”, estar de “P e a O”, “em ambas” e os campioníssimos: “esquadro e compasso”. Mas e a Trolha? A resposta simplista que normalmente encontramos, é a seguinte: O Aprendiz por não ter ainda muitos conhecimentos e cujo labor é quebrar as pedras deve trabalhar apenas com o cinzel e o malho. O Companheiro já detém um pouco mais de conhecimento e ao trabalhar com a pedra bruta para transformá-la em cúbica, além do malho e do cinzel necessita do esquadro e do compasso, já o Mestre usará o malho, o cinzel, o esquadro, o compasso, o prumo, o nível e por fim a Trolha. Alguns ritos relacionam a Trolha somente ao “Mestre de Acabamento”, que seria o Mestre Instalado. A questão é que está se trocando o significado simbólico pela função operativa. Representar um cargo ou grau é uma coisa, mas privar a instrução que este elemento representa dentro do conhecimento maçônico é outra coisa. O simples fato da vinculação da Trolha com o Grau 3 não pode ser empecilho para que mostremos aos Aprendizes e Companheiro a simbologia desta ferramenta de edificação moral. A Trolha é um instrumento MUITO PARECIDO com a colher de pedreiro, porém ela é menor, pois sua função é de acabamento. Todo Maçom deveria ter sempre por perto uma Régua de 24 Polegadas (para aprender a dividir tempo e obrigações) e uma Trolha. Imagine que a Maçonaria é um prédio e que cada Irmão um bloco de pedra que da forma a edificação. Todos nós temos nossos defeitos, que na pedra seriam as irregularidades, é preciso então ser BENEVOLENTE, TOLERANTE e INDULGENTE para com as arestas e falhas na estrutura dos Irmãos/Pedras. Com movimentos suaves, afetivos, bondosos todo maçom deve manipular a Trolha quebrando as arestas e preenchendo as frestas com o cimento do amor. A edificação maçônica deve ser um monólito, nenhuma pedra deve se destacar das demais, seja por suas imperfeições ou por sua beleza. Em alguns países de língua portuguesa, Trolha tem o mesmo significado que pedreiro, não importa se esteja aprendendo, acompanhado ou ensinando. Pergunto então aos Irmãos: Posso dizer que o Esquadro e o Compasso representam a Maçonaria e a Trolha o Maçom?. 4– Compreendemos o Significado da Trolha? Sérgio Quirino Guimarães
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 12/24 A melhor instrução que já encontrei sobre a Trolha foi em um dicionário profano: “Na Maçonaria é o símbolo que ensina a propagar os sentimentos de afeto e bondade que unem a todos os membros da família maçônica numa sólida fraternidade, a trolha tornou-se um emblema de benevolência para todos, de conciliação e de silêncio. Recorda, portanto, que se devem perdoar os defeitos dos irmãos, transformando em doçura as suas palavras, por amargas que sejam. A trolha, segundo Plantagenet, «é o símbolo do amor fraternal que deve unir a todos os maçons, único cimento que os obreiros podem empregar para edificação do templo». Passar a trolha significa, pois, esquecer as injúrias ou as injustiças, perdoar um agravo, dissimular um ressentimento, desculpar uma falta.”. Fraternalmente Quirino Sérgio Quirino - ARLS Presidente Roosevelt 025 - GLMMG Contato: 0 xx 31 8853-2969 / quirino@roosevelt.org.br Facebook: (exclusivamente assuntos maçônicos) Sergio Quirino Guimaraes Guimaraes Os artigos publicados refletem a opinião do autor exclusivamente como um Irmão Maçom. Os conteúdos expostos não reproduzem necessariamente a ideia ou posição de nenhum grupo, cargo ou entidade maçônica.
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 13/24 Irmão Holbein, MM Lagos - Portugal CONSTRUTORES DE CATEDRAIS AS SIGLAS DOS MESTRES PORTUGUESES O achado furtuito de uma gravura proveniente da obra “Croquis. Portugal, Espagne, Maroc” da autoria do arquitecto francês Albert Laprade (1883- 1978), suscitou-me uma pequena incursão pela história da Maçonaria Operativa, mais exactamente sobre a simbologia de identificação usada pelos construtores portugueses de antanho que adornam profusamente as pedras que sustentam e decoram os nossos monumentos, especialmente os grandes templos e mosteiros. O emérito Arquitecto-Chefe da Construção Civil e dos Palácios Nacionais de França (1938), que no mesmo ano da publicação do livro referido (1958) foi eleito membro do Instituto de França (vindo a ser posteriormente o seu presidente), esquadrinhou os cantos e recantos de várias igrejas e conventos de Portugal e reproduziu quantos símbolos encontrou. Símbolos que se apresentam num quadro, salpicado pelas suas anotações. Atrevi-me a traduzir essas anotações e apresento-as na parte final desta prancha. Quanto à ideia de “símbolo”, traduzi-a por “sigla”, não só por uma questão de fidelidade ao texto original em francês mas também porque entendo tratar-se do melhor termo para designar essas “assinaturas” dos construtores quinhentistas. Sobre esta realidade pictórica e enigmática assaltaram-me algumas interrogações, que partilho convosco: 1 - O uso de tais siglas seria, como anota Albert Laprade, principalmente um desejo de perpetuar o prestígio da sua obra, dedicando-a ao Criador, e carreando, com essa identificação de autoria, honorabilidade para o seu nome, a sua memória, e para os seus descendentes? 2 - Constituiria o uso da sigla uma identificação velada – somente reconhecível pelos outros operativos do mesmo míster -, e dessa forma salvaguardava a identidade profana do construtor, eximindo-o às vicissitudes de uma realidade social insegura e em permanente ebulição? 3 - Tratar-se-ia de uma regra disposta pela confraria do míster, imposta pelo sigilismo profissional e relativa aos segredos dos seus ofícios? 4 - Sendo aceitável admitir que os mestres construtores nunca separaram o trabalho material do espiritual e que a sua ocupação de natureza técnica e operativa não excluía que a mesma devia ser acompanhada de uma construção espiritual; aceitando-se ainda que a simbólica destes edifícios enforma uma possível resposta ao mistério da essência da própria vida e, nesse sentido, a construção de um templo unia os seres do passado do presente e do futuro; nestas circunstâncias, que papel desempenhava a sigla? Será que o uso de uma identificação diferenciada realiza uma transformação no sujeito operativo, e por emulação no sujeito especulativo? 5- O recurso ao uso da sigla invocará, ou anunciará, a presença de um Eu diferente, exterior ou interior ao Eu profano, evidência da entrada do sujeito num estádio diferente de Ser, numa outra entidade capaz de realizar a incursão num momento especial, criador, momento de revelação em que toca, ou tenta tocar, a dimensão sagrada? Bem poderia continuar o rol de interrogações para aquilo que provavelmente se manterá como um mistério, mas por aqui me fico, concluindo com uma curiosidade: A catedral nova de Salamanca, cuja construção foi iniciada em 1513 e concluída em 1733, ostenta na “Porta de Ramos” a figura esculpida de um astronauta. Sim, um astronauta mesmo, e não uma figura parecida com um astronauta. Claro que é matéria para vasta especulação por 5 – Construtores de Catedrais – As Siglas dos Mestres Portugueses – Holbein
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 14/24 parte daqueles que ignoram a história da catedral, e provavelmente a imagem do astronauta andará por aí publicada em livros de fenómenos paranormais, ovnilogia e quejandos. Sobretudo se intuirmos que tal figura é uma dessas assinaturas de um Mestre construtor. E de facto é verdade. Em 1992, o responsável pelo restauro da catedral, Jerónimo Garcia, escolheu a figura de um astronauta para dar continuidade à tradição dos antigos construtores e restauradores de catedrais, que consistia em introduzir um motivo contemporâneo dissimulado entre os motivos tradicionais, mais antigos. E lá ficou o astronauta como símbolo (assinatura) do século XX. Tradução dos textos de Albert Laprade incluídos no quadro de siglas (ver gravura abaixo) Texto 1 «O uso destas siglas [acrónimos] na Construção permanece um mistério.Um documento do século XVI (num tempo em que a tradição já se havia perdido) afirma que elas facilitavam o pagamento aos trabalhadores. Estes mestres e trabalhadores eram, em geral, pagos à semana. Em Portugal constata- se que [as siglas] eram sempre gravadas num espaço antecedente à aplicação/execução [da peça/obra]: 1º as siglas estão sempre entrelaçadas; 2º São muito numerosas nas zonas mais baixas, à altura da vista, e raras em zonas mais altas; 3º Que muitas pedras não possuem tais marcas. Contrariamente à lenda que defende a observância de um estrito anonimato, talvez se deva ver, pelo contrário, um favor concedido pelos abades, bispos e cónegos a cada um dos executantes? Ao gravar a sua marca o trabalhador dedicava o seu trabalho a Deus, deixando aos seus descendentes algo de que se orgulhassem. Em Alcobaça as siglas estão presentes no interior da igreja, muito grandes, muito belas, muito evidentes. Com excepção do Carmo em Lisboa, é impossível distinguir a sigla de um mestre da sigla de um simples trabalhador. Normalmente, Mestre de Obra e trabalhadores fazem parte da mesma família (por vezes real, pois filhos, genros, sobrinhos, primos, trabalham em conjunto). A assinatura timbrada [sigla] do trabalhador não é a de um homem, mas de todos.» Texto 2 «Certas siglas são constituídas por iniciais de um nome ou apelido. Outras não são mais do que “marcas” duma família, cruz pátea [templária], suástica, selo de Salomão, estrela, grade, cálice aberto, cálice fechado, carretel [dobadoira ou espiral?], chave, flecha, barco, quadriculado, etc…» Texto 3 «Os marítimos dos pequenos portos de pesca mantiveram a tradição (cf. Saraiva e Cordeiro de Sousa). No passado poucos eram os que sabiam ler e escrever. Cada um tinha a sua sigla para marcar os seus trabalhos, a suas ferramentas, o seu material. Os três primeiros filhos adoptavam a mesma sigla do pai, adicionando um detalhe diferenciador, o quarto filho retomava a sigla exacta do pai.»
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 15/24 O Irmão Pedro Juk, Produz este Bloco às Segundas, quartas e sextas-feiras Loja Estrela de Morretes, 3159 – Morretes – PR Saudação MI Em 09/03/2016 o Respeitável Irmão João Borges Alves, sem mencionar o nome da Loja, REAA, GLESP, Estado de São Paulo, formula a seguinte questão: uniautojb@terra.com.br Quando da instalação do novo Venerável Mestre, logo após o mesmo assumir o trono de Salomão, o presidente instalador convida a todos os Mestres Instalados presentes, a saudar o no Venerável Mestre pela tríplice saudação de um Mestre Instalado. Pergunta: Por quantas vezes é repetida a saudação SVM. Considerações: Segundo alguns rituais “criados” para essa finalidade aqui no Brasil, o número de saudações é feita nove vezes por três grupos de três cada uma; outros rituais ainda mencionam a saudação por sete vezes. Como essa prática (de Instalação suportada por uma lenda) não é autêntica no Rito Escocês Antigo e Aceito, já que na França, país de origem do Rito, Instalação significa simplesmente a posse do Venerável Mestre que, ao deixar o cargo, será apenas o ex – Venerável, não existe um consenso sobre os fatos. Não esqueça: envie sua pergunta identificada pelo nome completo, Loja, Oriente, Rito e Potência. 6 – Perguntas & Respostas Pedro Juk
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 16/24 Daí a Instalação é mesmo prática autêntica da vertente inglesa de Maçonaria, a despeito de estar muito longe de se parecer com essa cerimônia lendária praticada aqui pelo Brasil em Ritos que inclusive não possuem cerimônia de Instalação. Há razões históricas para isso, mas que não cabem aqui ser comentadas. Nesse sentido, em cima de criações e arranjos de rituais que, no meu modo autêntico de ver não possuem base histórica alguma, fica difícil eu afirmar qual o número correto dessas saudações, senão mencionar que isso depende do ritual que é adotado nessa ou naquela Obediência brasileira. Eu até poderia associar esses números de saudações à Lenda do Terceiro Grau, todavia imaginar coisas não é prática do meu feitio. Desculpe-me se fico lhe devendo uma resposta melhor, mas dizem por aí que em boca fechada não entra mosquito. T.F.A. PEDRO JUK – jukirm@hotmail.com - Mai/2016 Exegese Simbólica para o Aprendiz Maçom I Tomo - Rito Escocês Antigo e Aceito e Trabalhos de Emulação Autor – Ir. Pedro Juk - Editora – A trolha, Londrina 2.012 – Segunda Edição. www.atrolha.com.br - Objetivo – Introdução a interpretação simbólica maçônica. Conteúdo – Resumo histórico das origens da Maçonaria – Operativa, Especulativa e Moderna. Apreciação – Sistema Latino e Inglês – Rito Escocês Antigo e Aceito e Trabalho de Emulação. Tema Central – Origens históricas do Painel da Loja de Aprendiz e da Tábua de Delinear. Enfoque – Exegese do conteúdo dos Painéis (Ritualística e Liturgia, História, Ética e Filosofia). Extenso roteiro bibliográfico. https://www.trolha.com.br/loja/
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 17/24 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GLSC - http://www.mrglsc.org.br GOSC https://www.gosc.org.br Data Nome da Loja Oriente 01.09.1952 Fraternidade Blumenauense nr. 06 Blumenau 05.09.1996 Fraternidade Chapecó nr. 63 Chapecó 08.09.1982 Sentinela do Sul nr. 29 Tubarão 17.09.1986 Universo nr. 43 Florianópolis 17.09.1993 Universo II – nr. 57 Florianópolis 17.09.2000 Universo III nr. 77 Florianópolis 20.09.1991 Acácia da Arte Real nr. 50 Florianópolis 22.09.1982 Fraternidade Josefense nr. 30 São José 25.09.1978 Harmonia e Fraternidade nr. 22 Joinville 27.09.2000 Colunas da Fraternidade nr. 78 Blumenau Data Nome da Loja Oriente 03/09/1993 Treue Freundschaft Florianópolis 09/09/1969 Liberdade E Justiça Canoinhas 09/09/1991 Cavaleiros Da Luz Blumenau 16/09/2003 Ordem e Fraternidade Florianópolis 18/09/2009 Colunas do Oriente Tijucas 20/09/1948 Luiz Balster Caçador 20/09/2008 Acácia da Serra Rio Negrinho 25/09/2002 Fraternidade Tresbarrense Três Barras 27/09/2010 João Marcolino Costa Sto. Amaro da Imperatriz 28/09/1993 Colunas da Fraternidade Balneário Camboriú 30/09/2010 Triângulo Equilíbrio e Consciência Mafra 7 – Destaques (Resenha Final) Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mês de setembro
  18. 18. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 18/24 GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Loja Oriente 01.09.64 Harmonia e Trabalho - 2816 Florianópolis 03.09.05 Retidão e Cultura - 3751 Florianópolis 08.09.04 Cruzeiro do Sul - 3631 Florianópolis 09.09.10 Reg. Guabirubense - 4100 Brusque 10.09.96 Reg. Lagunense - 2984 Laguna 11.09.10 Cruz e Sousa de Estudos e Pesq. do Rito de York Florianópolis 12.09.23 Paz e Amor V - 0998 São Francisco do Sul 12.09.97 Otávio Rosa 3184 São Pedro de Alcântara 15.09.94 Herbert Jurk - 2818 Rio dos Cedros 18.09.10 Frat. Guabirubense - 4116 Brusque 19.09.08 Cavaleiros Templários - 3968 Fraiburgo 22.09.09 Acácia De Itapoá-4044 Itapoá 30.09.93 União Catarinense - 2764 Florianópolis
  19. 19. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 19/24 ORDEM DO DIA Comunicado Nº 71/2016 – Sexta-Feira, 30 de Setembro de 2016 Sessão de Mestre Maçom: 1 – Apresentação de Peça de Arquitetura sobre a 1ª Instrução 2 - Apresentação de Peças de Arquitetura sobre a 3ª Instrução 3 – Momento de meditação. COMUNICADO Para o dia 07/10, sexta-feira, Sessão de Aprendiz Maçom com apresentação de Peças de Arquitetura sobre a 2ª Instrução clássica e Momento de meditação. A Chama Este assunto é referenciado na Bíblia Sagrada, na maioria das vezes de maneira simbólica, como a presença divina na vida do cristão. É o fogo, a chama do Espírito Santo vivificando a vida de cada um dos cristãos. Conta a Bíblia que logo depois da crucificação e ascensão de Cristo aos céus os apóstolos permaneceram reunidos em oração. Naquele momento de profunda devoção todos foram cheios da presença do Espírito Santo que estava manifesto sobre suas cabeças como pequenas labaredas de fogo,... Para continuar lendo clique aqui. Acesse a página da Loja “Alferes Tiradentes” Nº 20 www.alferes20.net Atenção! Lembramos que no dia 21 de outubro, na Loja Alferes Tiradentes, a partir das 20h00, a palestra do Irmão Sérgio Gomes Mattos expondo sobre “Aspectos de regularização da GLSC”.
  20. 20. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 20/24 ACADEMIA CATARINENSE MAÇÔNICA DE LETRAS Fundada em 21 de abril de 1989 Avenida Prefeito Osmar Cunha, N. 183 Edifício Ceisa Center – Bloco “B” – sala 111 CEP 88015-100 – Florianópolis – Santa Catarina Convite A ACADEMIA CATARINENSE MAÇÔNICA DE LETRAS através de seu Presidente Acadêmico Edy Genovez Luft e as Augustas e Respeitáveis Lojas Simbólicas “Fraternidade Catarinense N. 9” do Oriente de Florianópolis / SC e “Plácido Olímpio de Oliveira”, N. 2.385, do Oriente de Rio do Sul / SC, através de seus Veneráveis Mestres Irmãos José Ricardo Menezes e Jaime Biff, respectivamente, tem o prazer de convidar os Caríssimos Irmãos, distintas famílias, Maçons independente de Obediência ou Ritos, Acadêmicos e a Sociedade, para a Solenidade Pública de posse de dois novos Acadêmicos, a realizar-se no Templo Maçônico da Augusta e Respeitável Loja Simbólica “Fraternidade Catarinense”, N. 9, na Rodovia José Carlos Daux (SC 401), km 4, n° 3.803 - CEP 88032-005 - no Bairro Saco Grande, nesta capital, no: Dia 24 de outubro do ano de 2.016 (segunda feira), no horário das 20:00hs. Tomarão posse como novos Acadêmicos os Irmãos JOSÉ ISAAC PILATI (Augusta e Respeitável Loja Simbólica “Fraternidade Catarinense”, N. 9), na Cadeira N. 20, cujo Patrono é o pranteado Irmão Waldomiro Antônio Nercolini, e GABRIEL FERNANDO GOMES, (Augusta e Respeitável Loja Simbólica “Plácido Olímpio de Oliveira”, N. 2.385), na Cadeira N. 21, cujo Patrono é o pranteado Irmão Cyro Elhke. Antecipadamente agradecemos sua indispensável e honrosa presença. Oriente de Florianópolis, 29 de setembro de 2.016 Acadêmico Edy Genovez Luft Presidente OBS: 1-Informações: (048) 3333.6095 / 9972.5934 – 3224.3350 e - mail: rubenluzcosta@gmail.com
  21. 21. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 21/24 Do Museu Maçônico do GOF - Paris – Templo destruído em tempos difíceis durante a 2ª. Grande Guerra Mundial Colaboração do IrAleksandro Aita - Loja Jack Matl nr. 49 Rio Negrinho (GLSC)
  22. 22. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 22/24 Ir Marcelo Angelo de Macedo, 33∴ MI da Loja Razão e Lealdade nº 21 Or de Cuiabá/MT, GOEMT-COMAB-CMI Tel: (65) 3052-6721 divulga diariamente no JB News o Breviário Maçônico, Obra de autoria do saudoso IrRIZZARDO DA CAMINO, cuja referência bibliográfica é: Camino, Rizzardo da, 1918-2007 - Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014 - ISBN 978-85.370.0292-6) O Perdão Para o dia 30 de setembro Perdoar é esquecer uma agressão; contudo, em Maçonaria, substitui-se essa Virtude pela da Tolerância, que é a compreensão elevada sobre o ato agressivo. Quem “tolera” não se acovarda, nem deixa de se sensibilizar, porém compreende que o agressor obedeceu a impulsos que não conseguiu controlar, como a paixão e a emoção. As “Posturas” maçônicas disciplinam esse controle, e, por este motivo, torna-se viável para o maçom a prática da Tolerância. Perdoar (per e doar) significa dar-se a si mesmo. Quando algum animal enfurecido nos ataca, basta um olhar amoroso, um gesto carinhoso para conquistá-lo. Quem agride espera reação, para então levar avante a agressão; a agressão não correspondida desarma o agressor. A reação amorosa é fruto de uma disciplina, ou seja, de um exercício que o maçom aprende nas sessões de sua Loja. O Perdão, quase sempre, é uma ação posterior à agressão, quando ele deveria ser imediato. Não confunda Tolerância e Perdão com Covardia; ao contrário, é preciso muita coragem para enfrentar o agressor com armas tão frágeis e diferentes. O impulso de perdoar revela um caráter bem formado. Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014, p. 292.
  23. 23. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 23/24 1 – Apagou um arquivo importante do pen drive? Recupere-o! 2 – Natureza: Eu amei ver essas fotos da floresta Amazônica... 3 – Você já conhece a pianista que vai substituir Beethoven? 4 – A Vila de Brienz (Suiça): A Bonita Vila de Brienz na Suica.pps 5 – A beleza do Pavão: A-beleza-do-Pavão.pps 6 – Manaus: Manaus.mp4 7 - Filme do dia- “O Refúgio Secreto” - Dublado Sinopse: Uma família cristã arriscou suas vidas escondendo judeus em sua casa para salvar-los do campo de concentração. Eles conseguiram esconde-los. porém a família cristã foi considerada inimiga do governo Hitler e foram levadas para o campo de concentração, campo de morte mas ñ entregou o esconderijo. É comovente mas nos trás lição de vida e amor ao próximo. https://www.youtube.com/watch?v=QwGVYJhYJac
  24. 24. JB News – Informativo nr. 2.190 – Florianópolis (SC) – sexta-feira, 30 de setembro de 2016 Pág. 24/24 Catedral de Notre Dame - Paris

×