O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2109

45 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2109

  1. 1. JB NEWS Filiado à ABIM sob nr. 007/JV Editoria: Ir Jeronimo Borges Academia Catarinense Maçônica de Letras Academia Maçônica de Letras do Brasil – Arcádia de B. Horizonte Loja Templários da Nova Era nr. 91(Florianópolis) - Obreiro Loja Alferes Tiradentes nr. 20 (Florianópolis) - Membro Honorário Loja Harmonia nr. 26 (B. Horizonte) - Membro Honorário Loja Fraternidade Brazileira de Estudos e Pesquisas (J. de Fora) -Correspondente Loja Francisco Xavier Ferreira de Pesquisas Maçônicas (P. Alegre) - Correspondente O JB News está sendo editado hoje em João Pessoa - PB Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.109 – João Pessoa (PB) - segunda-feira, 11 de julho de 2016 Bloco 1 -Almanaque Bloco 2 -IrJuarez de Oliveira Castro – Paciência (Foco & Ação) Bloco 3 -IrSérgio Quirino Guimarães – Amigo Maçom Bloco 4 -IrValdemar Sansão – O Poder da Comunicação Bloco 5 -IrAmarildo José Faria – Todo Maçom deve ser igual a um lápis Bloco 6 -IrPedro Juk – Perguntas & Respostas – do Ir Gliener Costa (Estado do Rio de Janeiro) Bloco 7 - Destaques JB – Breviário Maçônico -
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 2/17 Irmão Manoel Miguel MM da Loja Colunas de São Paulo 4145 – GOB/GOSP – Or.’. de São Paulo. Cel./WZ: 19 98401-0686 Escritor – Palestrante – Coach em Saúde e Estilo de Vida manoelmiguel@msn.com Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. 1 – ALMANAQUE Hoje é o 193º dia do Calendário Gregoriano do ano de 2016– (Lua Nova) Faltam 173 para terminar este ano bissexto Dia Mundial da População; Comemoração da Batalha de Courtrai (1.302) - Bélgica Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebeu a presente mensagem, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias. Obrigado. Colabore conosco para evitar problemas na emissão de nossas mala direta diária. LIVROS
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 3/17  1302 - Batalha das Esporas Douradas, em que uma coligação das cidades Flamengas derrota o poderoso exército do rei deFrança.  1533 - Henrique VIII é excomungado pelo Papa Clemente VII  1711 - Com a criação da Capitania de São Paulo e Minas Gerais, então desmembrada da Capitania do Rio de Janeiro, a vila de São Paulo é transformada em cidade de São Paulo.  1818 - Depois da morte da princesa Carlota de Gales, os duques Guilherme de Clarence e Eduardo de Kent casam-se no mesmo dia, respectivamente, com as princesas Adelaide de Saxe-Meiningen e Vitória de Saxe-Coburgo-Saalfeld, numa tentativa de gerar herdeiros legítimos e evitar uma crise de sucessão no Reino Unido.  1822 - É fundada a Marinha do Brasil.  1828 - Miguel I de Portugal, de tendência absolutista, é aclamado rei de Portugal.  1921 - Independência da Mongólia pela República da China.  1960 - Independência do Daomé (atual Benim), Alto Volta (atual Burkina Faso) e Níger.  1973 - Pouso forçado do Voo 820 da Varig próximo a Paris devido a incêndio num toalete, com 123 mortes. Entre os mortos estava Filinto Müller, ex-chefe da polícia política de Getúlio Vargas, o iatista Joerg Bruder e o cantor Agostinho dos Santos.  1978 - Um caminhão/camião cisterna explode num parque de campismo em Los Alfaques, município de Alcanar na Catalunha (Espanha), provocando 217 mortos e cerca de 300 feridos graves.  1979 - Margaret Thatcher toma posse como primeira ministra de Inglaterra.  1982 - A seleção de futebol da Itália conquistou pela terceira vez o título de Campeã do Mundo, após vencer a seleção da Alemanha por 3 x 1.  1995 - Bósnios de etnia sérvia capturam a cidade muçulmana de Srebrenica. Muitos habitantes são massacrados.  2006 - Atentados aos comboios da capital financeira da Índia, Bombaim, fizeram cerca de 195 mortos e inúmeros feridos.  2010 - A seleção de Futebol da Espanha vence pela primeira vez o campeonato mundial de futebol.  2011 - Inaugurada a cidade do Kilamba, na Província de Luanda, em Angola.  2012 - Anunciada a existência do quinto satélite natural de Plutão, o S/2012 (134340) 1. 1923 Iniciado na Loja Liberdade, de Lisboa, com o nome simbólico de «Passos Manuel» o Ir Artur Octávio do Rego Chagas, militar com uma larga folha de serviços [prestados em Portugal, chegando ao posto de coronel. 1994 Fundação da Loja Construtores do Templo nr. 140, de Anápolis-GO (GLMG) 1999 Fundação, na cidade de Londrina, do Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas Maçônicas que leva o nome honrado Irmão Fernando Salles Paschoal. Não se pretende analisar a figura insigne deste jovem, saudosamente pranteado por todos nós que comparecemos ao encontro e que nos deixou tão cedo, mas prestar sim contas das nossas responsabilidades ao criar este novo centro de cultura maçônica. EVENTOS HISTÓRICOS (fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki) Aprofunde seu conhecimento clicando nas palavras sublinhadas Fatos maçônicos do dia Fonte: O Livro dos Dias 20ª edição (Ir João Guilherme) e acervo pessoal
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 4/17 O Ir Juarez de Oliveira Castro, MI da Loja Alferes Tiradentes, escreve às segundas-feiras - (48) 9983- 1654 (Claro) - (48) 9801-9025 (TIM) juacastr@gmail.com – http://www.alferes20.net Paciência Nós sabemos que paciência é sinônimo de tolerância e que é uma virtude muito difícil de ser praticada e interpretada. Muito se tem falado sobre o assunto. Mas, quero também falar alguma coisa sobre a temática. Para começar uma pergunta: “Você já se arrependeu de atitudes que tomou por impulso e quando esfriou a cabeça percebeu que agiu de maneira errada? Muitas vezes nos deixamos levar pelo calor do momento, pelas circunstâncias e no final de tudo nos arrependemos, pois poderíamos resolver determinada situação de forma diferente e com calma”. E exemplos têm em quantidade suficiente na vida do nosso dia a dia. Pela falta de paciência tomamos atitudes que, depois, nos arrependemos profundamente. São palavras não pensadas ditas às pessoas que ofendem e posicionamentos que machucam, bem como conduta não condizente com o ser humano. Em Provérbios, capítulo 14, versículo 29 nos ensina que “quando temos paciência somos mais racionais e menos insensatos”. Parece que, por isso que a Maçonaria se dedica tanto à Tolerância, à Paciência nos incitando a praticar a Fraternidade que necessita de tolerância, de paciência, levando-nos a sermos mais sensatos e racionais. É bom que não sejamos irracionais para não perder algo que tanto gostamos, como uma boa amizade por um momento mal pensado. Para não agir de maneira desprezível, porque não respirar fundo ou, então contar até três para não tomar decisões desagradáveis! Se agirmos com calma, com paciência, com certeza tomaremos atitudes certas com racionalidade e com atitude maior que a emoção. E evitaremos que um momento possa acabar com aquilo que demoramos anos para conquistar. Na verdade, a paciência é uma virtude que pode ser conquistada dia a dia e nas mínimas coisas. Na simplicidade. Nilson Perini diz que “ser tolerante implica em ter responsabilidade, saber escutar e, principalmente, respeitar os outros pontos de vista. A tolerância entre Irmãos não é limitada apenas pelo relacionamento com o próximo, mas por um sentimento maior que leva o homem ao bem e ao progresso”. É isso que a Maçonaria nos ensina a “encarar o homem não como um ser degenerado, preso a terra pelo egoísmo de seus sentimentos, rastejando nos círculos dos preconceitos e seguindo servilmente os velhos erros hereditários, mas como ser superior aos demais, usando conscientemente seus deveres e seus direitos para chegar ao apogeu da perfeição a que é destinado”, diz-nos o Ritual. Então, parece ser bom para cada um de nós praticarmos a paciência a fim de que possamos agir sempre com racionalidade e tomando atitude correta que nos levará a ter uma vida tranquila e bem organizada. Que Deus nos ajude a sermos mais sensatos e menos irracionais praticando sempre a paciência. 2 – Paciência - (Foco & Ação) Juarez de Oliveira Castro
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 5/17 Ano 10 - artigo 28 - número sequencial 573 –10 julho 2016 Saudações, estimado Irmão! AMIGO MAÇOM O tratamento usual entre os Maçons se manifesta, proveniente, mais pelo tríplice princípio de nossa Instituição (Liberdade – Igualdade – FRATERnidade, do que propriamente o sentimento que deve envolver seus Obreiros. Frater é Irmão, assim como fraternidade é irmandade. Estas são as tratativas que, de forma errônea, acreditamos serem o titulo mais expressivo da relação entre Maçons. O titulo de Irmão é, de certa forma, impositivo tanto no mundo profano, quanto em nosso meio. Se em nossa certidão de nascimento houver a coincidência de pai ou mãe, teremos a condição de “Irmão de Sangue”. Da mesma forma, quando um profano é admitido em uma Loja Maçônica, temos o “Irmão por Reconhecimento” (MICTMR). As puras relações de irmandade só se consolidam pelo sentimento de amizade. A própria palavra “amigo” (amicus) provavelmente, derivou de amore (amar). AMIZADE É UMA DISPOSIÇÃO DA ALMA PARA A PRÁTICA DO BEM. É A VIRTUDE DE AMAR. A nobre e necessária virtude da amizade consiste mais em amar do que ser amado. A reciprocidade acontece quando os propósitos são alcançados, por e para ambos. Somente pela convivência compreendemos e desenvolvemos o sentimento de transformar o profano em Irmão. Com isso, consubstanciamos o Irmão/Amigo e Amigo/Irmão. No Livro da Lei há a “Regra Áurea” descrita pelo Rei Salomão, em Provérbios, Capítulo 17, 3 – Amigo Maçom Sérgio Quirino Guimarães
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 6/17 Versículo 17: “O amigo dedica sincero amor em todos os momentos e é um irmão querido na hora da adversidade.” Aristóteles, que viveu há 300 anos antes de Cristo ensinou: “Com efeito, ninguém escolheria viver sem amigos, ainda que dispusesse de todos os outros bens, e até mesmo pensamos que os ricos, os que ocupam altos cargos, e os que detêm o poder são os que mais precisam de amigos; de fato, de que serviria tanta prosperidade sem a oportunidade de fazer o bem, se este se manifesta sobretudo e em sua mais louvável forma em relação aos amigos?” Então? Seu papel junto aos companheiros de jornada tem sido apenas de Irmão ou Amigo? Este artigo foi inspirado no livro “CAVALEIRO ROSA-CRUZ, volume 2 – Grau 18º.” cujo autor é o Irmão Denizart Silveira de Oliveira Filho, que na 173, instrui: “Ser Irmão não é uma qualidade estatutária, mas a união de vontade e sentimentos. Jesus ensinou o significado de fraternidade: “um só corpo, um só sangue” (Rm12:5). Fraternidade implica em que a Boa Vontade exceda a própria iniciativa; deve surgir oportunidade para agradar ao Irmão e, assim, obter dele, carinho, afeição e amor” Neste décimo ano de compartilhamento de instruções maçônicas, mantemos a intenção primaz de fomentar os Irmãos a desenvolverem o tema tratado e apresentarem Prancha de Arquitetura, enriquecendo o Quarto-de-Hora-de-Estudo das Lojas. Precisamos incentivar os Obreiros da Arte Real ao salutar hábito da leitura como ferramenta de enlevo cultural, moral, ético e de formação maçônica. Fraternalmente Quirino Sérgio Quirino - ARLS Presidente Roosevelt 025 - GLMMG Contato: 0 xx 31 8853-2969 / quirino@roosevelt.org.br Facebook: (exclusivamente assuntos maçônicos) Sergio Quirino Guimaraes Guimaraes Os artigos publicados refletem a opinião do autor exclusivamente como um Irmão Maçom. Os conteúdos expostos não reproduzem necessariamente a ideia ou posição de nenhum grupo, cargo ou entidade maçônica.
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 7/17 MENSAGEM DO DIA – O PODER DA COMUNICAÇÃO Valdemar Sansão O PODER DA COMUNICAÇÃO Com a nossa fala podemos fomentar o progresso ou promover a infelicidade. Importância da palavra - A boa comunicação é essencial para todos os setores nos quais atuamos em nossa existência. A Maçonaria, através de seus valiosos ensinamentos, nos ajuda a atingir este objetivo, nos esclarecendo da magna importância da palavra e de como ela pode influenciar as pessoas e as realidades à nossa volta. Para aqueles que sabem conversar com desembaraço, muitas oportunidades se abrem, tanto no campo profissional como no pessoal. Porém, o que se observa é que o dom da palavra tem sido empregado de forma errônea pela maioria dos seres humanos. Aprendemos através de valiosos ensinamentos, a magna importância da palavra e de como ela pode influenciar as pessoas e as realidades à nossa volta, quando nos afirma de forma categórica que “cada vez que arrojamos para fora de nós o vocabulário que nos é próprio, emitimos forças que destroem ou edificam, que solapam ou restauram, que ferem ou balsamizam”. Ainda que “a voz de cada pessoa esteja carregada pelo magnetismo de seus próprios sentimentos”. Podemos garantir que, de acordo com o conteúdo sentimental que carregam, as palavras que dissermos para nossos irmãos poderão ter efeitos benéficos ou desastrosos. Talvez muitos de nós não tenhamos atentado para o importante fato de que tudo aquilo que falamos influencia de forma atuante a realidade existencial das pessoas que têm contato com as nossas palavras. Entretanto, esta influência é real, e poderá ser positiva ou negativa, dependendo da nossa intenção ao dizermos algo. Sabendo disto, é necessário que se diga que quanto mais elevados moralmente somos, mais as nossas ondas mentais se exteriorizarão em forma de vibrações superiores, de carinho, simpatia, amor e compreensão. Todavia, quando nosso nível moral se encontra num nível baixo, exteriorizamos consequentemente emanações mentais de antipatia, ressentimento, rancor e vários outros estados negativos de nossos Espíritos. Assim sendo, como é o nosso estado mental e emocional que determina em que e mesmo nas situações mais triviais da vida, comumente utilizamos nossos instrumentos vocais equivocadamente, causando danos profundos aos nossos semelhantes. É imprescindível que modifiquemos esta conduta. Colhemos o que plantamos - Em diversas ocasiões, pessoas dotadas de grande poder de oratória convenceram multidões a adotar ideias abomináveis e a cometer atos muitas das vezes hediondos, como podemos verificar na história da humanidade. E mesmo nas situações mais triviais da vida, comumente utilizamos nossos instrumentos vocais equivocadamente, causando danos profundos aos nossos semelhantes. É imprescindível que modifiquemos esta conduta. Através de nossa fala podemos edificar ou destruir. Infelizmente, a maioria prefere a destruição à edificação. E, por esta razão, frequentemente usamos nossos recursos verbais de 4 – O Poder da Comunicação Valdemar Sansão
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 8/17 modo equivocado para agredir, ofender, magoar, caluniar, ironizar e prejudicar, movidos ou pelo desejo de fazermos mal a alguém, por vaidade, inveja, ciúme ou despeito, ou pelo nosso orgulho de acharmos que sempre estamos certos e os outros errados, tentando impor-lhes, por este motivo, nossas opiniões, e caso elas não sejam aceitas, de modo agressivo, atacando verbalmente aqueles que julgamos nossos adversários apenas porque pensam diferentemente do que nós. Não poderia ser de outro modo, já que, se semeamos animosidade, colheremos de volta rancores e inimizades, como é natural. Como vimos, as consequências do mau uso da fala são realmente lamentáveis. Aperfeiçoamento - Estas observações resumem de forma incontestável o nosso papel em relação à palavra. Primeiramente, nos fala da importância da expansão de nosso vocabulário, a qual devemos empreender sempre, por intermédio de estudos, da leitura de bons livros, jornais e revistas. Porém, tenhamos em mente que essa expansão deve se direcionar para o aspecto positivo, pois não nos valerá a pena aprender a usar palavras que sugiram sentimentos e emoções baixas e vis, o que se constituirá em grande óbice para o nosso próprio equilíbrio. Em seguida, tenhamos em mente que devemos utilizar as palavras corretamente, nos abstendo de expressões vulgares ou agressivas em relação a outras pessoas, e não procurando demonstrar falsa cultura usando um vocabulário difícil de ser entendida, atitude esta decorrente de nossa vaidade, que nos incita a querermos ser melhores do que nos outros. Deste modo, usemos nossos recursos de comunicação de forma que aqueles que nos cercam bem nos compreendam e não se sintam constrangidos nem ofendidos com o que falamos. Edificação prática do bem – Finalmente, a mais importante função da palavra consiste na edificação do bem. Para que alcancemos este intento, devemos mudar nosso modo de pensar e falar, passando a falar de forma nobre, toda vez que tivermos chance, pois por intermédio desse sublime dom podemos obter diversas realizações maravilhosas, como a consolação de um coração aflito, a dissipação da sombra da ignorância e da dúvida acerca da vida e de seu sentido, e a distribuição de alegria, esperança e esclarecimentos salutares, o incentivo à prática do bem e fortalecimento moral contra as dificuldades. Podeis falar meu irmão... Na “Palavra a Bem da Ordem e do Quadro em Particular”, com saudações bombásticas, vocativos rotineiros, começa o orador dizendo que será breve, mas não pode deixar de usar da palavra para dizer que está de pleno acordo, que apoia inteiramente a proposta apresentada..., que faz suas as palavras do Irmão fulano. E termina agradecendo a paciência dos Irmãos, a generosidade, pedindo desculpas de não ser um bom orador...Continua franca a palavra... e outro Irmão pede a palavra; e a mesma cena se repete. As mesmas afirmativas. O mesmo apoio. As mesmas desculpas . O mesmo tempo correndo... Infelizmente, isto acontece em muitas sessões e um precioso tempo é consumido nestas alocuções, quando seria muito mais lógico que cada apoiante aguardasse o momento propício para manifestar este seu apoio pelo voto favorável, permitindo assim que assuntos outros, de interesse geral, fossem tratados com o devido debate e os esclarecimentos necessários fossem feitos. O que vale registrar em ata não é o número de vezes que o Irmão usou da palavra, mas a exatidão e o acerto, a clareza das suas palavras e o que de construtivo elas trouxeram para os trabalhos da sessão. A concisão e precisão valem mais do que a prolixidade sem conteúdo. Concluindo – Selecione os recursos verbais. Burile a frase. Fale com o bem e para o bem. Em suma, aperfeiçoe a sua palavra nas relações com os outros e encontrará, sem dificuldade, a sua escada de elevação. Para isso, é fundamental que reflitamos sobre como estamos utilizando a nossa voz. Se estivermos utilizando-a negativamente, tratemos de corrigi-la e passemos, com a maior presteza possível, a empregá-la como alavanca da nossa felicidade e a de nossos Irmãos. P.S. – As palavras são esculturas da vida. Palavras corretas “esculpem” uma vida reta, e as palavras erradas “esculpem” uma vida tortuosa. Leia e imagine palavras corretas, repletas de luz; elas se fixarão em sua mente como sementes da correta concretização.
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 9/17 Irmão Amarildo José Faria 1º Vig.: da Loja Fraternidade de Comodoro N° 85 Comodoro – MT “Um Novo Horizonte” (Ir Adalberto Rigueira Viana) Todo maçom deve ser igual a um lápis O aprendiz olha atentamente o mestre escrevendo algo. A certa altura pergunta: - O senhor esta escrevendo uma historia que aconteceu com o senhor e seus aprendizes durante os períodos de seus ensinamentos. - É, por acaso, é uma historia sobre mim? O mestre parou de escrever, sorriu, e comentou com o jovem aprendiz. - Estou escrevendo sobre você mesmo, é verdade. Entretanto, mais importante do que as palavras, é o lápis que estou usando. Gostaria que você fosse como ele, quando terminar seu período de aprendiz. O jovem olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de tão especial. E disse: - Mas ele é semelhante a outros lápis que conheço! No entanto, respondeu o mestre: - Tudo depende de como você vê as coisas. Há cinco qualidades nele que você deve ter atingida no final de seus ensinamentos o que fará de você uma pessoa capaz de viver em paz com o mundo: - Primeira: você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma mão que guie seus passos. Essa mão chamamos de G.'.A.'.D.'.U.'., e ele deve sempre conduzi-lo em direção á sua vontade. - Segunda: de vez em quando é preciso apontá-lo. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele está mais afiado. Portanto, saiba suportar algumas dores, porque, elas o farão ser uma pessoa melhor. - Terceira: o lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo mau, mas algo necessário para nos manter no caminho da justiça. - Quarta: o que realmente importa no lápis não é a madeira ou seu formato, mas a grafite que está dentro. Assim, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você. - Quinta e ultima qualidade: ele sempre deixa marcas. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida, irá deixar marcas, desse modo procure ser consciente de cada ação que fizeste. 5 – Todo Maçom deve ser igual a um lápis Amarildo José Faria
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 10/17 Este Bloco é produzido pelo Ir. Pedro Juk, às segundas, quartas e sextas-feiras Loja Estrela de Morretes, 3159 - Morretes – PR A Cor preta Em 19/11/2015 o Respeitável Irmão Gleiner Costa, atual Segundo Vigilante da Loja Cayru, 762, REAA, GOB-RJ, Cidade e Estado Rio de Janeiro, formula as questões seguintes: gleinercosta@uol.com.br Os meus Aprendizes me fizeram duas perguntas que me deixaram em xeque. Estou recorrendo a você para poder responder às mesmas. 1 – Por que o dia 27 de dezembro é importante para os maçons ou a Maçonaria? 2 – Por que do uso do preto na Maçonaria? Considerações: 1 - Por influência da Igreja desde os Canteiros Medievais, a Maçonaria adotou a data solsticial de 27 de dezembro relativa a João Evangelista, o Apóstolo. Em termos práticos da doutrina maçônica a data é muito próxima do solstício de inverno no Hemisfério Norte o que em tese implica no misticismo da volta do Sol (do Sul para o Norte) na eclíptica celeste. Essa época solsticial sempre foi cara aos construtores da pedra que dividiam o ofício e o desenvolviam conforme os ciclos relativos às estações do ano (clima). Daí na Moderna Maçonaria o teatro simbólico da morte e o renascimento da Natureza geralmente tem feito parte do seu arcabouço doutrinário, cuja proposta associa a alegoria natural ao aperfeiçoamento do Homem como matéria filosófica do morrer para renascer (ciclos iniciáticos). Nesse sentido é que surge a importância doutrinária associada ao solstício de inverno no Hemisfério Norte quando ocorrem dias curtos e noites longas (ciclo da prevalência das trevas naquelas latitudes terrenas). Assim os períodos solsticiais relacionados à meia-esfera norte da Terra são amplamente destacados no arcabouço doutrinário da Sublime Instituição – o verão em 21 de junho e o inverno em 21 de dezembro também explicam as relações com santos padroeiros de João, o Batista em 24 de junho e João, o Evangelista em 27 de dezembro (as Lojas de São João). Sob o aspecto doutrinário da Igreja e do Cristianismo é que essas datas se tornaram importantes, sobretudo na mensagem relativa àquele que previu a Luz para João, o Batista e para o que pregou a Luz para João, o Evangelista. Não esqueça: envie sua pergunta identificada pelo nome completo, Loja, Oriente, Rito e Potênc 6 – Perguntas & Respostas Pedro Juk
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 11/17 A Luz, sob a óptica religiosa cristã, associa Jesus Cristo à “Luz do Mundo”, cujo seu nascimento é comemorado liturgicamente em 25 de dezembro, justamente no instante solsticial aproximado em que o Sol, no inverno, está mais distante do Hemisfério Boreal – Natalis Invicti Solis (o nascimento do Sol invicto). Em síntese esse fato relaciona a mística religiosa ao retorno aparente do Sol para o Norte. Obviamente que essa “volta aparente” cientificamente se explica pelo movimento de translação e a inclinação do eixo imaginário da Terra em relação ao seu plano de órbita, o que faz com que a luz solar incida em maior ou menor intensidade sobre os hemisférios terrestres resultando com isso nas estações do ano, opostas conforme as meias-esferas do nosso Planeta. Desse teatro natural, observado desde as antigas civilizações, que se originaram os Cultos Solares da Antiguidade, cujos modelos serviram de base para a imensa maioria das religiões conhecidas, inclusive para o próprio Cristianismo. Um exemplo de Culto Solar da Antiguidade é o Mitraismo persa que destaca a volta do Sol no dístico Igne Natura Renovatur Íntegra – O Fogo Renova a Natureza Inteira. Em síntese a sigla simula que o Sol após o inverno quando a Natureza está morta, o faz reviver no despontar do novo ciclo que sucede o inverno. Assim, no Cristianismo, Jesus, tomado como a Luz do Mundo nasce no inverno para anunciar a “Boa Nova” – novos tempos que virão. Acompanha a alegoria religiosa os personagens de João, o Batista que anunciou a vinda de Jesus e do Evangelista que pregou os ensinamentos da Luz. Sob o aspecto da Maçonaria e a clara influência da Igreja sobre os seus ancestrais, os Santos padroeiros passariam também a ser comemorados em consonância com as datas solsticiais e os costumes operativos do trabalho no passado – no rigor do inverno não havia trabalho e os planos da obra eram arquitetados e desenvolvidos sob os parâmetros das datas solsticiais, daí as Lojas de São João, o Batista a 24 de junho (verão no Norte) e o Evangelista a 27 de dezembro (inverno no Norte). Finalizando esse tópico, a Moderna Maçonaria, simbólica na acepção da palavra, trata todo o seu arcabouço doutrinário baseado no berço da Instituição – sempre no Hemisfério Norte, não importando as latitudes terrenas onde ela é praticada. Essas são as referências que devem ser seguidas e não seguir certos autores que querem inverter posições da decoração dos Templos. O que importa é a doutrina maçônica relacionada ao Rito praticado e não os credos e assertivas pessoais. 2 – Quanto à cor negra (o preto), sob o aspecto doutrinário, ela está associada única e exclusivamente ao enredo iniciático da transformação. Daí essa questão está relacionada à liturgia e a ritualística que se acerca da alegoria da morte e o luto simbólico de morrer o homem profano e o renascer do novo homem disposto ao aperfeiçoamento (essência da Iniciação). Essa relação também se apresenta no Terceiro Grau (Exaltação ou Elevação conforme a vertente do Rito), cujos ensinamentos se comparam à morte e o renascimento da Natureza (Hiran, o Sol) – é o caso da decoração, alfaias e adereços da Câmara do Meio. Sob o aspecto da cor negra nas vestimentas é muito discutível, já que conforme a cultura e o País onde a Maçonaria é praticada é que pode ou não existir obrigatoriedade do uso de vestuário negro pelos membros do quadro. Em alguns costumes o uso de terno ou parelha na cor preta, também do balandrau, só é exigido em situações magnas, já que para o dia a dia da Loja não existe nenhum uniforme programado. Já em outros existe essa obrigatoriedade, geralmente por determinação regulamentar da Obediência, além de outros casos relativos. À bem da verdade o que é obrigatório mesmo é o uso do Avental em Loja, já que esse sim é o verdadeiro traje do Maçom e sem dele estar vestido nenhum maçom pode participar dos trabalhos.
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 12/17 Infelizmente muitos dão mais valor às aparências do que às essências, pregando a obrigatoriedade irrestrita de uso de terno ou parelha preto como se esse fosse o mais importante. Pura besteira. Há outros ainda que sugerem ilações como as “influências” da cor negra mencionando verdadeiros exercícios de imaginação para justificar um credo pessoal. Dizem eles: para não quebrar a egrégora (palavra que nem existe no nosso dicionário); por aí vai o FEBEAMA – festival de besteiras que assola a Maçonaria, principalmente a latina. No Brasil, geralmente adido aos carimbos e convenções do “onde está escrito”, existem ferrenhos defensores do uso indiscriminado e obrigatório do terno preto, todavia muitos desses causídicos nem mesmo sabem ingressar ritualisticamente em Loja. Do mesmo modo nem mesmo estão aptos a passar por um simples telhamento, todavia o terno preto é o mais importante para eles. A despeito de se cumprir o Regulamento em vigor, de resto balela não merece nenhuma outra qualificação. A propósito, por incrível que se possa parecer, no Brasil a Maçonaria adotou mesmo foi o traje de missa (terno preto). Para se compreender bem isso basta que se pesquise na História usando verdadeiros métodos e recursos acadêmicos (veja a situação e as condições políticas, sociais e religiosas no Brasil a partir do Século XIX). Assim, a cor negra na Maçonaria é uma importante alegoria, porém iniciática e oriunda dos teatros simbólicos da Ordem, nunca simplesmente identificada à cor de um traje como fosse ele o uso obrigatório de um terno preto (três – calça, colete e paletó) ou de numa parelha negra (par – calça e paletó). A questão do matiz preto está em se conhecer satisfatoriamente a liturgia, a ritualística e a doutrina da Maçonaria conforme o Rito praticado. Identifica-lo simplesmente como a cor de um vestuário e ainda torna-lo obrigatório em nome da Ordem é simplesmente dispensável. T.F.A. PEDRO JUK – jukirm@hotmail.com - Fev/2016
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 13/17 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GLSC - http://www.mrglsc.org.br Data Nome Oriente 01.07.1977 Alferes Tiradentes, nr. 20 Florianópolis 07.07.1999 Solidariedade Içarense, nr. 73 Içara 07.07.2005 Templários da Nova Era, nr. 91 Florianópolis 10.07.2007 Obreiros da Maravilha, nr. 96 Maravilha 12.07.1980 XV de Novembro, nr. 25 Imbituba 21.07.1993 Liberdade Criciumense, nr. 55 Criciuma 28.072006 Anhatomirim, nr. 94 Florianópolis 31.07.1975 Obreiros de Hiram, nr. 18 Xanxerê 31.07.2007 Acácia Palhocense, nr. 97 Palhoça GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Loja Oriente 02.07.01 Renovação - 3387 Florianópolis 03.07.78 Flor da Acácia - 2025 Itajaí 08.07.10 Lealdade - 3058 Florianópolis 13.07.01 Frat. Alcantarense - 3393 Biguaçú 14.07.2006 Acadêmica Razão e Virtude nr. 3786 (Rito Moderno) Brusque - SC 17.07.02 Colunas da Serra - 3461 Joinville 17.02.02 Mestres da Fraternidade-3454 Florianópolis 17.07.97 Compasso das Águas -3070 São Carlos 23.07.1875 Luz e Caridade - 327 São Francisco do Sul 26.07.05 Frat. Acad. Ciência e Artes - 3685 Jaraguá do Sul 29.07.96 Estrela Matutina - 2965 Florianópolis Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mês de julho 7 – Destaques (Resenha Final)
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 14/17 GOSC https://www.gosc.org.br Paciência ‘’Sem paciência perdemos a esperança na transformação. Às vezes, ao caminhar, deparamo-nos com locais que nos fazem escorregar. E de repente nos sentimos fora da rota, com pensamentos, palavras ou comportamentos incorretos. O processo de auto-realização não é uma corrida de poucos metros, é uma longa jornada de muitos quilômetros. Precisamos aprender a andar. Onde há paciência existe paz. Onde há paz existe amor. Essa é uma experiência totalmente nova sobre o que significa ser humano.’’ José Aparecido dos Santos TIM: 044-9846-3552 E-mail: aparecido14@gmail.com Visite nosso site: www.ourolux.com.br "Tudo o que somos é o resultado dos nossos pensamentos". Data Nome da Loja Oriente 04/07/1999 Giuseppe Garibaldi Florianópolis 04/07/2002 Léo Martins São José 11/07/2009 Universitária Luz de Moriah Chapecó 11/07/2009 Passos dos Fortes Xaxim 12/07/2006 Colunas Da Concórdia Concórdia 18/07/2003 Ardósia do Vale Rio do Sul 21/07/1973 Silêncio de Elêusis Chapecó 22/07/1981 Acácia da Ilha Florianópolis 24/07/2013 Triângulo Força e União Cocal do Sul 25/07/1995 Gitahy Ribeiro Borges Florianópolis 26/07/1980 União da Fronteira São Miguel do Oeste 27/07/1981 Arquitetos do Oriente Xanxerê 27/07/2009 Luz da Acácia Capivari de Baixo
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 15/17 Do amigo e Irmão Hélio Leite (autor do “Banque Maçônico”: Caro e querido mano e amigo Jerônimo Borges, bom dia. A minha loja-mãe lançou recentemente o seu site: www.uniaoesilencio.com.br. Nele você vai encontrar: 1. fotos de nosso templo, para aquela sua seção de templos. 2. fotos de nosso último banquete 3. Foto da outorga da Comenda do Mérito D. Pedro I, que me foi outorgada em 17/3/16 4. Convite para o boi no rolete de 2016 Veja o que lhe interessa publicar no nosso JB News. Tenha um bom dia e um fim de semana abençoado. Aceite meu terno e fraternal abraço. Helio Leite. http://www.banquetemaconico.com.br/
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 16/17 Ir Marcelo Angelo de Macedo, 33∴ MI da Loja Razão e Lealdade nº 21 Or de Cuiabá/MT, GOEMT-COMAB-CMI Tel: (65) 3052-6721 divulga diariamente no JB News o Breviário Maçônico, Obra de autoria do saudoso IrRIZZARDO DA CAMINO, cuja referência bibliográfica é: Camino, Rizzardo da, 1918-2007 - Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014 - ISBN 978-85.370.0292-6) BREVIÁRIO MAÇÔNICO – 11 de julho JUSTO E PERFEITO “Justo e perfeito” é uma expressão muito usada para encerrar os trabalhos de uma Loja Maçônica; o Orador, ou Guarda da Lei, ao concluir suas considerações, dirá com certa ênfase que: “Os trabalhos decorreram justos e perfeitos”. O Grande Arquiteto do Universo, que é Deus, planificou e criou o Universo com absoluta perfeição. Diz-se que o ser humano foi criado “perfeito” pelo próprio justo. Deus não poderia nada criar que não se apresentasse perfeito. Os persas, na arte milenar da fabricação de tapetes, com desenhos “arabescos”, por não desejarem imitar a Natureza, sempre deixavam um “defeito” no tecido, alegando que somente Alá poderia tecer com perfeição; a arte dos ladrilhos portugueses imita o costume persa; nenhum ladrilho resulta perfeito. Uma Loja maçônica deve ser justa e perfeita quanto ao trabalho, e mais, regular quanto à administração. A justiça pode ser definida com o brocardo: “Justitia est constans et perpetua voluntas jus suum cuique tribuendi”, com a tradução: “A justiça é a vontade constante e perpétua de dar a cada um o que é seu.” O maçom deve, em seu vier, sempre e espontaneamente demonstrar ser justo e perfeito. Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014, p. 211.
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.109– João Pessoa (PB) – segunda-feira, 11 de julho de 2016 Pág. 17/17 A bela João Pessoa, capital do Estado da Paraíba

×