O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Jb news informativo nr. 2088

47 visualizações

Publicada em

.

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jb news informativo nr. 2088

  1. 1. JB NEWS Filiado à ABIM sob nr. 007/JV Editoria: Ir Jeronimo Borges Academia Catarinense Maçônica de Letras Academia Maçônica de Letras do Brasil – Arcádia de B. Horizonte Loja Templários da Nova Era nr. 91(Florianópolis) - Obreiro Loja Alferes Tiradentes nr. 20 (Florianópolis) - Membro Honorário Loja Harmonia nr. 26 (B. Horizonte) - Membro Honorário Loja Fraternidade Brazileira de Estudos e Pesquisas (J. de Fora) -Correspondente Loja Francisco Xavier Ferreira de Pesquisas Maçônicas (P. Alegre) - Correspondente Nesta edição: Pesquisas – Arquivos e artigos próprios e de colaboradores e da Internet – Blogs - http:pt.wikipedia.org - Imagens: próprias, de colaboradores e www.google.com.br Os artigos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião deste informativo, sendo plena a responsabilidade de seus autores. Saudações, Prezado Irmão! Índice do JB News nr. 2.088 – São Paulo (SP) - segunda-feira, 20 de junho de 2016 Bloco 1 -Almanaque Bloco 2 -IrJuarez de Oliveira castro - Ação de coexistir - (Foco & Ação) Bloco 3 -IrSérgio Quirino Guimarães – Mensagem aos novos Veneráveis Bloco 4 -IrAnestor Porfírio da Silva – Quem foi Marie Joseph Gabriel Antoine Jogand Pagès para a ... Bloco 5 -IrKennyo Ismail – I Encontro Nacional das Lojas do Rito de York Bloco 6 -IrPedro Juk – Perguntas & Respostas – do Irmão Antonio Raia (Recife – PE) Bloco 7 - Destaques JB – O Prumo de Hiram - Breviário Maçônico – & outras informações
  2. 2. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 2/22 20 de Junho de 451: Batalha dos Campos Cataláunicos  451 - Batalha dos Campos Cataláunicos: Flávio Aécio do Império Romano do Ocidente ao lado dos visigodos e alanos lutam contra os hunos de Átila.  538 - Trasladação do corpo do Papa Silvério da Ilha de Ponza para a Catedral da Comuna de Ponza, na Itália.  1632 - Criação da província inglesa de Maryland, sob o controle de Cecilius Calvert conhecido como Lord Baltimore.  1685 - Rebelião Monmouth: Jaime Scott, duque de Monmouth se declara Rei da Inglaterra em Bridgwater. 1 – ALMANAQUE Hoje é o 172º dia do Calendário Gregoriano do ano de 2016– (Lua Cheia às 08h02) Faltam 194 para terminar este ano bissexto Início do Inverno às 19h34 Dia Mundial dos Refigiados Se o Irmão não deseja receber mais o informativo ou alterou o seu endereço eletrônico, POR FAVOR, comunique-nos pelo mesmo e-mail que recebeu a presente mensagem, para evitar atropelos em nossas remesssas diárias. Obrigado. Colabore conosco para evitar problemas na emissão de nossas mala direta diária. EVENTOS HISTÓRICOS (fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki) Aprofunde seu conhecimento clicando nas palavras sublinhadas
  3. 3. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 3/22  1789 - Deputados do Terceiro Estado francês realizam o Juramento do Jogo da Péla.  1837 - Vitória torna-se rainha do Reino Unido após a morte de Guilherme IV.  1863 - Virgínia Ocidental torna-se o 35º estado norte-americano.  1890 - A França é a primeira nação europeia a reconhecer a República Velha brasileira.  1928 - Fundado o clube espanhol Real Valladolid.  1960 - Independência do Mali e do Senegal.  1971 - Estreia no México o humorístico El Chavo del Ocho.  2003 - Anunciada a criação da Wikimedia Foundation. 1749 Resolução, desta data, criou a Ouvidoria de Santa Catarina. 1750 Ato do vice-rei Gomes Freire, desta data, dava ciência ao capitão-mor de S~]ao Francisco que, a partir de então, aquela vila ficava sob a jurisdição da capitania de Santa Catarina. 1846 Nasce, em São Pedro de Alcântara, João Nicolau Born. Estabelecido em Biguaçú como comerciante, foi influente prócer político, exercendo a Superintendência Municipal no período de 1894 a 1898. 1882 Circula, na cidade de Desterro, o primeiro número do jornal intitulado “Província”, cuja existência não passou deste ano. 1890 Lei Estadual nr. 16, desta data, criou a comarca de Brusque. 1805 Fundação do Grande Oriente da Itália, em Milão. 1812 Fundação da Grande Loja de Louisiana dos Maçons Livres e Antigos. 1852 IrLuís Alves de Lima e Silva recebe o título de Marquês de Caxias. 1894 Editada a “Bula Praeclara” do Papa Leão XIII condenando a Maçonaria. 1927 Na reunião do Supremo Conselho do Grande Oriente do Brasil, renunciam, 13 dos 25 membros efetivos, liderados por Mário Behring, o que oficializa a dissidência das Grandes Lojas. 1979 Fundação da Loja Luz do oriente nr. 27, de Itajaí (GOSC) que trabalha no REA 1983 Fundação da Loja “Estrela da Amazônia” nr. 2213 de Juara (GOB/MT) 1988 Fundação da Loja Deus e Maracanaú nr. 78 de Maracanaú (GLCE) Fatos maçônicos do dia Fonte: O Livro dos Dias 20ª edição (Ir João Guilherme) e acervo pessoal históricos de santa Catarina Extraído de “Datas Históricas de Santa Catarina” do Jornalista Jali Meirinho e acervo pessoal
  4. 4. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 4/22 O Ir Juarez de Oliveira Castro, MI da Loja Alferes Tiradentes, escreve às segundas-feiras - (48) 9983- 1654 (Claro) - (48) 9801-9025 (TIM) juacastr@gmail.com – http://www.alferes20.net Ação de coexistir Existe uma palavrinha muito difícil na vida do ser humano que se chama convivência. Esta palavrinha tem alguns significados, porém considero um deles como o que encaixa para nós: “Ação de coexistir (num mesmo local) de maneira harmoniosa”. É evidente que a palavra tem um significado muito mais amplo, mas para nós ela é aplicada principalmente quando nos reunimos semanalmente para praticar a fraternidade. É o momento mágico do nosso encontro em que está presente e viva a convivência, e para vivê-la harmoniosamente e intensamente. E não podemos, e não temos o direito de quebrar a harmonia, porque estaremos fazendo o mal para toda a comunidade. A Maçonaria é repetitiva e insistente em nos dizer sempre que Ela é uma Instituição que tem como objetivo tornar feliz a humanidade. E o que é tornar feliz a humanidade? É simplesmente ter harmonia em nossa convivência. E em fazendo isto, estaremos sempre felizes. Não é verdade? Nada faz a pessoa mais feliz do que estando com harmonia com todos. Cito aqui Mário Quintana que diz que “Na convivência, o tempo não importa se for um minuto, uma hora, uma vida. O que importa é o que ficou deste minuto, desta hora, desta vida... Lembra que o que importa é tudo que semeares, colherás. Por isso, marca a tua passagem, deixa algo de ti... do teu minuto, da tua hora, do teu dia, da tua vida!”. Isto porque, em um minuto se pode destruir toda uma amizade que se conquistou há anos. E naturalmente a consequência é danosa tanto para um, como para com o outro. E sempre, esses casos ocorrem em razão da falta da serenidade e da paz. Assim, há uma necessidade muito grande de que pratiquemos um pouco do silêncio, porque nos momentos de silêncio é que tornamos a nossa convivência deliciosa. E, além de começar desde já, a respeitar as pessoas quando elas pensarem e agirem de modo diferente de nós. As diferenças são seguras raridades para todos. É nas diferenças, como o Pavimento de Mosaico, que chegamos a um denominador comum, uma vez que, é através do bem e do mal que chegamos ao aperfeiçoamento dos costumes, que chegamos a conhecer o próximo e a uma convivência cada vez mais harmoniosa. E para finalizar quero deixar aqui uma pequena reflexão, advindo de textos judaicos, que diz: “O bem-estar na vida obtém-se com o aperfeiçoamento da convivência entre os homens”. 2 – Ação de coexistir- (Foco & Ação) Juarez de Oliveira Castro
  5. 5. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 5/22 Ano 10 - artigo 25 - número sequencial 570 – 19 junho 2016 Mensagem aos novos VENERÁVEIS MESTRES Bem-vindo, Venerável. Agora, estimado Irmão, você se tornou a Grande Luz de sua Loja, o Grande Poder. O símbolo de seu Poder é o Malhete. O que é o Malhete? É o elemento que simboliza a Razão. Nunca perca a razão! Lembre-se: quanto maior o poder, maior a responsabilidade. Nossa Instituição é uma família. Assim, devemos compreender que o Aprendiz é o “menino”; o Companheiro, o “adolescente”; o Mestre, o “adulto” e o Venerável Mestre é o PAI. Justamente, este sentimento é o que você deve projetar em sua Loja. Afinal, em todas as famílias, a figura do pai é venerada, respeitada e sempre tem em si a razão. Use o malhete/razão junto aos Obreiros para neles dominar a ambição, afastar a inveja, debilitar a cólera e, acima de tudo, suprimir a ameaça do ego, que pode, com atitudes descabidas, estigmatizar a Loja. Questões que ocorrem em Loja devem ser resolvidas na própria Loja. Acionar a Justiça Maçônica para questões meramente internas, ainda que legal, pode desencadear profanação de nossos labores; e o pior, profanar nossos sentimentos. Se houver discordância, pense na maioria, na família. Antes de dizer “não”, lembre-se que pode 3 – Mensagem aos novos Veneráveis Mestres Sérgio Quirino Guimarães
  6. 6. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 6/22 haver o “talvez” e tudo pode ser solucionado. Nossa função é construir e não demolir. O progresso está no próximo passo; e não no começar do zero. Não use o Malhete na cabeça, pois pode ser o golpe fatal a matar seu Irmão. Bata-lhe no coração. Assim, será como uma “massagem cardíaca maçônica”, que resultará em um novo desvendar dos olhos a ver a Verdadeira Luz. Prepare seus Obreiros como Herdeiros. Lembre-se de que você NÃO ESTÁ COMEÇANDO DO “ZERO”. Você recebeu uma herança, uma história, um legado. Deixe você uma herança e um legado ainda maiores, pois precisamos sempre edificar e ir em frente. Que o GADU o abençoe. Este artigo foi inspirado no livro “NÓS, OS MAÇONS. A MAÇONARIA VISTA DE DENTRO”, do Irmão espanhol Amando Hurtado e traduzido pelo Irmão Z.Rodrix, que na página 140, instrui: “Sem dúvida, o Mestre Maçom não exerce docência doutrinária alguma. Somente recebe a Tradição iniciática maçônica se submerge em seu conteúdo e o transmite. É Mestre por estar capacitado e obrigado a usar destramente o Compasso espiritual” Neste décimo ano de compartilhamento de instruções maçônicas, mantemos a intenção primaz de fomentar os Irmãos a desenvolverem o tema tratado e apresentarem Prancha de Arquitetura, enriquecendo o Quarto-de-Hora-de-Estudo das Lojas. Precisamos incentivar os Obreiros da Arte Real ao salutar hábito da leitura como ferramenta de enlevo cultural, moral, ético e de formação maçônica. Fraternalmente Quirino Sérgio Quirino - ARLS Presidente Roosevelt 025 - GLMMG Contato: 0 xx 31 8853-2969 / quirino@roosevelt.org.br Facebook: (exclusivamente assuntos maçônicos) Sergio Quirino Guimaraes Guimaraes Os artigos publicados refletem a opinião do autor exclusivamente como um Irmão Maçom. Os conteúdos expostos não reproduzem necessariamente a ideia ou posição de nenhum grupo, cargo ou entidade maçônica.
  7. 7. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 7/22 Anestor Porfírio da Silva M.I. e membro ativo da ARLS Adelino Ferreira Machado Or. de Hidrolândia-Goiás Conselheiro do Grande Oriente do Brasil/Goiás anestorporfirio@gmail.com QUEM FOI MARIE JOSEPH GABRIEL ANTOINE JOGAND PAGÈS PARA A MAÇONARIA Marselha, uma linda metrópole localizada na costa sudeste da França, banhada pelo mar Mediterrâneo, privilegiada pelos encantos da natureza daquela região, é o lugar onde, em 21 de março de 1854, teve início uma história que ficou inesquecível, construída por Marie Joseph Gabriel Antoine Jogand Pagès, jornalista e escritor que conseguiu alcançar a imortalidade com a fama de ser um dos mais nefastos mentirosos, falsos e conspiradores contra a maçonaria e o clero do catolicismo. Quando Joseph Gabriel veio ao mundo, seus pais apostaram em seu futuro como homem de bem e até que conseguiram algum êxito enquanto detinham sobre ele o pátrio poder guiando-o rumo a uma boa formação moral e intelectual. Todavia, quando atingiu a maioridade, preferiu deixar para trás os bons ensinamentos que lhe foram transmitidos pelos seus pais e seguir pelo caminho do jornalismo e da literatura acreditando que nessa rota, com temas sensacionalistas, chocantes, poderia construir mais rapidamente sua fama e ganhar, com mais facilidade, muito dinheiro. Iniciou sua vida profissional quando ainda era bastante jovem com a fundação de um jornal “La Marotte” o qual após pouco tempo de atividade teve o direito de funcionamento proibido por haver cometido crime de “violação de decência”, em cujo processo judicial foi condenado a oito anos de prisão, porém, escapando-se do cumprimento da pena por ter se asilado na Suíça antes de ser preso. Na mesma trajetória intencionalmente traçada, Joseph Gabriel entendendo que não lhe era um bom negócio manter sua verdadeira identidade ante as falsas afirmações que fazia contra pessoas e instituições, achou por bem esconder-se atrás de pseudônimos para não ser reconhecido e identificado até mesmo pelos seus pais, que eram pessoas de comportamento ilibado, que iriam discordar do estilo farsante de seus trabalhos, não pactuando com o gosto amargo das matérias que produzia pelas acusações improcedentes que elas continham. 4 – Quem foi Marie Joseph Gabriel Antoine Jogand Pagès para a Maçonaria - Anestor Porfírio da Silva
  8. 8. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 8/22 Após ter sido anistiado da condenação de que foi alvo, na França, voltou da Suíça onde se refugiou para não ser preso tendo, daí em diante, com 25 anos de idade e já fazendo uso do nome falso de Léo Taxil, se dedicado à prática contumaz e vexatória de uma espécie de falatório escrito, antiético, acusativo, sem fundamentação na verdade, do qual se valia para atingir a honra e a dignidade do clero católico e, posteriormente, da maçonaria. Dr. Bataille, Dr. Charles Hacks, Paul Regis, Adolphe Ricoux e Samuel Paul Rosen também eram pseudônimos usados por Joseph Gabriel. Nas várias obras anticatólicas que escreveu, entre elas “La prostitution contemporaine”, “Les pornografes sacrès: confession et confesseurs”, Léo Taxil classificou a hierarquia eclesiástica como hedonista e sádica, além de ter lançado dezenas de acusações quanto a comportamentos relacionados à prática de homossexualismo por parte de impreciso número de sacerdotes, os quais, segundo ele, tais membros afrontavam os dogmas do catolicismo e a dignidade dos demais que estavam a representar sua própria organização sacerdotal, ainda mais por tudo ser do conhecimento do alto clero do catolicismo e este nada fazer. Seus conhecimentos e sua dedicação à arte de falar e de escrever o aproximaram da maçonaria que viu nele um candidato ideal para enriquecer suas colunas como jornalista e escritor. Os contatos nesse sentido foram se estreitando até que no ano de 1885 ocorreu sua iniciação. Tal ato redundou em erro fatal da mencionada instituição, pois, em assim agindo, permitiu que em seu seio mergulhasse Léo Taxil, um elemento visionário, ambicioso, que sonhava com uma carreira que lhe rendesse dinheiro fácil, vaidoso, infiel, pois não valorava a palavra empenhada, falso e o que era pior: à frente de tudo isso vislumbrava-se a enganosa imagem de um homem sério, inteligente, de boa aparência, de boa conversa, capaz de ludibriar com facilidade os que, imbuídos de boa-fé, com ele se relacionassem. Porém, sua permanência como membro regular da Ordem Maçônica não passou do grau de aprendiz, pois no ano seguinte, de modo compulsório, foi expulso dos quadros da maçonaria pelo cometimento de alguns crimes de difamação e um de plágio de texto, ou seja, ele se apropriou de matéria escrita por outra pessoa como se fosse de sua autoria. Léo Taxil não se conformou com o que lhe havia acontecido e, como era de se esperar, com o seu orgulho ferido reagiu fortemente contra a maçonaria tornando-se, daquele dia em diante, um de seus mais algozes perseguidores ao se transformar em escritor antimaçônico. Desde então ele assumiu o posto de principal instigador da sociedade e da Igreja contra a maçonaria porque a maneira tão bem arquitetada como narrava suas falsas afirmações tinha como base de convencimento o fato de ele sustentar que todos os seus relatos eram o espelho daquilo que havia presenciado dentro das Lojas durante o tempo em que foi maçom regular. De início, escreveu ele que havia deixado a referida ordem porque os maçons se constituíam em uma sociedade secreta, que tinha por fim: a) promover culto ao satanás e que seu protetor era Lúcifer; b) levar a efeito sacrifícios sangrentos; c) adorar um ídolo com a cabeça de um bode, definido como “Baphomet”; d) dominar o mundo sob a inspiração de uma ordem satânica de nome “Palladium”; e) ocultar as piores misérias morais; f) incentivar seus seguidores ao vício e ao assassinato; g) maquinar contra a Igreja Católica;
  9. 9. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 9/22 h) praticar ritual de incorporação de espíritos do mal em pessoas; i) etc.. Ao tempo em que toda a fúria de Léo Taxil era lançada contra a maçonaria através de panfletos, matérias jornalísticas e livros, esta contava com pouco mais de cento e sessenta anos de existência desde que se tornou uma instituição especulativa e se achava circunscrita a algumas poucas regiões da Europa, enquanto que o catolicismo já era uma religião milenar espalhada por todos os países civilizados e foi essa dita religião, através de seu alto clero, como principal interessada no combate ao progresso da maçonaria, que cuidou de promover a divulgação entre os fiéis do catolicismo as levianas e infundadas afirmações de Léo Taxil. Isso, sem dúvida, maculou a imagem dos maçons como membros de seita satânica afastada do caminho do bem e da salvação espiritual. Anos depois, quando Léo Taxil, incomodado pelos efeitos irreparáveis que suas pesadas acusações vinham causando, viu-se vítima de seus próprios ataques pelo remorso que sobre si abateu e que só o libertou depois de confessar que tudo o que havia escrito de denúncias com excesso de linguagem contra a maçonaria não passava de uma piada de mau gosto e esse, sem dúvida, foi mais um escândalo que ele próprio acabou produzindo contra sua honra e reputação, pois, sem querer, declarou-se um homem mentiroso. No momento em que Léo Taxil começou a revelar que suas afirmativas antimaçônicas não tinham procedência, ele se encontrava presente em uma palestra dirigida a certo segmento organizado da sociedade francesa, no dia 19 de abril de 1897. Naquela ocasião, quando fazia uso da palavra, Léo enfatizou que o “Palladium” era uma invenção sua e que ele já o havia destruído. Seu semblante cínico e irônico naquele momento foi tão visível que causou impacto, constrangimento e revolta entre os presentes, vez que, até então, o tinham como detentor de verdade insofismável e inconteste em tudo o que havia escrito e construído de forma negativa sobre a maçonaria. Eles o qualificaram de homem falso, acusaram-no de pessoa não grata e o obrigaram a deixar o recinto pelas portas de emergência para não ser agredido. A Igreja Católica, em função de outros argumentos por ela levantados em desfavor dos maçons, não quis veicular entre seus fiéis os desmentidos de Léo Taxil, apesar de ter sido muito eficiente da vez em que disseminou em seu seio as mentiras fabricadas contra a maçonaria, as quais, segundo o autor, foram engendradas e publicadas com o objetivo de vingança. Sua mais famosa farsa antimaçônica foi, certamente, a obra intitulada “A Fraude de Taxil”, publicada em 1.890. Marie Joseph Gabriel Antoine Jogand Pagès faleceu em 31 de março de 1.907, em Sceaux, na França, não se sabe se em paz com sua consciência, mas gozando de boa estabilidade financeira, fruto da vendagem das obras constituídas de afirmações inverídicas e mentirosas que ele produziu contra a maçonaria e a Igreja Católica. Anestor Porfírio da Silva M.I. e Membro da Loja Maçônica Adelino Ferreira Machado Or. de Hidrolândia-GO Conselheiro do Grande Oriente do Estado de Goiás
  10. 10. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 10/22 Ir Kennyo Ismail kennyoismail@hotmail.com www.noesquadro.com.br I Encontro Nacional das Lojas do Rito de York Nos últimos dias 03, 04 e 05 de junho ocorreu em Brasília o I Encontro Nacional das Lojas do Rito de York, que contou com mais de 200 irmãos participantes, de 22 estados, além de uma comitiva de irmãos do Paraguai. Entre os presentes, destacou-se a participação do Irmão Cassiano Teixeira de Morais, Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica do Distrito Federal e anfitrião do evento; Aldino Brasil, Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica de Rondônia; Juscelino Amaral, Past Grão-Mestre da Grande Loja de Rondônia; Rubens dos Santos, Past Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica do Mato Grosso do Sul; e Bernardino Senna Ferreira Filho, Past Grão-Mestre da Grande Loja do Amapá. Ainda, os Altos Graus do Rito de York se fizeram presentes pelo Irmão João Guilherme da Cruz Ribeiro, Past Grand Sumo Sacerdote do Supremo Grande Capítulo de Mçaons do Real Arco do Brasil; e Kennyo Ismail, Grão-Mestre do Supremo Grande Conselho de Maçons Crípticos do Brasil. 5 – I Encontro Nacional das Lojas do Rito de York Kennyo Ismail
  11. 11. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 11/22 Na tarde de sexta-feira os Veneráveis Mestres das Lojas do Rito de York e seus representantes se reuniram administrativamente numa histórica reunião, na qual se decidiu pela criação do Conselho Nacional das Lojas do Rito de York, que terá por objetivo a divulgação do Rito de York; a promoção de sua literatura; o fomento de sua cultura; e a perpetuação desse Encontro e sua qualidade. Já à noite foi realizada a Loja de Mesa Nacional, contando com seus mais de 200 participantes. Provavelmente o maior banquete ritualístico já realizado no Brasil. O sábado pela manhã e pela tarde foi dedicado a palestras dos Irmãos João Guilherme, Kennyo Ismail, Cassiano Morais e William Carvalho, com temas sobre a história do Rito de York; sua simbologia e ritualística; a relação da Ordem DeMolay com o Rito; e uma revisão histórica da Maçonaria Brasileira até os dias atuais. No final da tarde os irmãos assistiram e riram bastante com a comédia maçônica “Um Happy-hour entre o Rito Escocês e o Rito de York”, de autoria de Kennyo Ismail e estrelada pelos Irmãos Arthur de Oliveira Martins, de Uberlândia – MG, e Társis Valentim Pinchemel, de Vitória da Conquista- BA. E a noite foi coroada com a famosa peça teatral “Jaques de Molay e o fim da Ordem dos Templários”, estrelada pelo irmão e ator global John Vaz. No domingo pela manhã ocorreu o encerramento do Encontro, por meio da realização de uma belíssima iniciação pela Loja Maçônica “Flor de Lótus”, primaz do Rito de York no Centro-Oeste, na qual todos os oficiais realizaram suas funções e falas decoradas, como o Rito de York preconiza, contando ainda com o Mestre de Harmonia tocando ao vivo, e pela qual buscou-se uma padronização ritualística das Lojas presentes que adotam a versão do ritual da Grande Loja do Estado de New York. Para se ter uma ideia da beleza de tal iniciação, muitos foram os irmãos que não contiveram suas lágrimas ao final, sob o som de palmas incessantes: desde o Venerável Mestre que presidiu a sessão, até um dos candidatos iniciados. Um destaque especial para a participação ativa e fundamental das cunhadas da Fraternidade Feminina da Loja “Flor de Lótus”, que esbanjaram simpatia e competência à frente do credenciamento e apoio de todo o evento. Para ver mais fotos do evento, acesse este link. Quem não foi, perdeu. E quem foi, voltou para a casa com a certeza de que não perderá a próxima edição do Encontro.
  12. 12. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 12/22 Este Bloco é produzido pelo Ir. Pedro Juk, às segundas, quartas e sextas-feiras Loja Estrela de Morretes, 3159 - Morretes – PR Augustos mistérios Em 15/10/2015 o Respeitável Irmão Antônio Raia, Loja General Abreu e Lima, 2.884, GOB-PE, REAA, Oriente de Recife, Estado do Pernambuco, solicita a seguinte informação. antonio_raia@hotmail.com Temos na Loja GENERAL ABREU E LIMA, nº 2.884, no Oriente do Recife, Aprendizes com vontade de aprender e, sempre questionando o por quê? Em um momento de ensinamento estávamos explicações e o Irmão Aprendiz perguntou: Porque Augustos Mistérios? Respondi alguma coisa que sabia, procurei nos livros que tenho e muito pouco encontrei. Como não gosto de deixar dúvidas, resolvi procurar Irmãos sábios que tenham mais conhecimentos. Considerações: O termo qualificado como adjetivo exprime o que é “respeitável e venerando”. Inclusive em se tratando Do título distintivo de uma Loja Maçônica parece haver redundância, já que “augusta” é um sinônimo de “respeitável”. Entretanto o termo também designa aquilo que é “elevado, sublime, magnífico e majestoso”, termos esses que se coadunam perfeitamente com a designação que antecede o nome da Loja ao lado da qualificação de respeitável. Nesse caso, augusta é o mesmo que sublime, magnífica, etc. Exemplo do que poderia ser: Magnífica e Respeitável Loja Simbólica... No que concerne aos “augustos mistérios”, o adjetivo augusto sugere também o mesmo que sublime, elevado, respeitável, venerando, magnífico, majestoso, qualificações essas que devem estar de acordo com aquilo que constitui o texto onde o menciona no seu todo. Já o substantivo mistério, dentre outros e, em particular à Maçonaria, designa um conhecimento aprofundado da arte ou da ciência maçônica que é inacessível aos não iniciados. Assim, o adjetivo augusto dá qualidade ao substantivo mistério – “sublime ciência maçônica revelada apenas aos iniciados”. Ainda um exemplo da aplicação do adjetivo augusto, veja na composição do Hino à Bandeira Nacional de autoria de Olavo Bilac: “Salve, lindo pendão da esperança. / Salve, símbolo augusto da paz!”. Não confundi-lo com o substantivo masculino augusto que também designa o título dado aos imperadores romanos. T.F.A. PEDRO JUK – jukirm@hotmail.com - Dez/2015 Não esqueça: envie sua pergunta identificada pelo nome completo, Loja, Oriente, Rito e Potên 6 – Perguntas & Respostas Pedro Juk
  13. 13. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 13/22 (as letras em vermelho significam que a Loja completou ou está completando aniversário) GOB/SC – http://www.gob-sc.org.br/gobsc Data Loja Oriente 01.06.1998 Fritz Alt - 3194 Joinville 01.06.1993 Acquarivs - 2768 Florianópolis 03.06.1996 Luz Esotérica - 3050 Porto União 05.06.2001 Vigilantes da Verdade - 3398 Tubarão 08.06.1984 União E Trab. do Iguaçu-2243 Porto União 08.06.1987 União Mística - 2440 Videira 10.06.1910 Aurora Joinvilense - 4043 Joinville 14.06.1909 Renascer do Vale - 4007 Penha 20.06.2005 Luz de Correia Pinto - 3687 Lages 21.06.2010 Cavaleiros da Paz - 3948 São José 23/06/1930 Luz e Verdade Iii- 1066 Joinville 24.06.1997 São João Batista - 3061 São João Batista 24.06.2004 Acácia do Oriente - 3596 Joaçaba 29.06.2010 Ouroboros - 4093 Florianópolis 30.06.2003 Acácia de Imbituba 3506 Imbituba GLSC - http://www.mrglsc.org.br Data Nome Oriente 03.06.2009 Elimar Baumgarten nr. 101 Timbó 06.06.1984 Obreiros de Salomão nr. 39 Blumenau 06.06.1985 República Juliana nr. 40 Laguna 21.06.1994 Harmonia Brusquense nr. 61 Brusque 24.06.1911 Acácia Itajaiense nr. 01 Itajaí 24.06.1999 Luz nr. 72 Jaraguá do Sul 24.06.2002 Elos da Fraternidade nr. 84 Concórdia 24.06.2005 Amizade ao Cruzeiro do Sul II nr. 90 Joinville 24.06.2005 Cinzel nr. 89 Curitibanos Lojas Aniversariantes de Santa Catarina Mês de junho 7 – Destaques (Resenha Final)
  14. 14. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 14/22 GOSC https://www.gosc.org.br Data Nome da Loja Oriente 03/06/1985 Obreiros da Luz Lages 06/06/2003 Livres Pensadores Joaquim José Rodrigues Lages 07/06/2010 Livres Telúricos Maravilha 09/06/1975 Ordem e Progresso Brusque 14/06/1993 Tordesilhas Laguna 20/06/1979 Luz do Oriente Itajaí 21/06/1999 João de Deus São Francisco Do Sul 26/06/2001 Jacques DeMolay Itajaí
  15. 15. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 15/22 Relato e fotos do Lançamento da Pedra Fundamental - Loja Edelweiss Nr. 214 em 11/06/2016 Caros IIr. todos, repassamos relato e fotos do Lançamento da Pedra Fundamental do Templo da Loja Edelweiss Nr. 214 em 11/06/2016, ao Or. de Nova Petrópolis – RS (na Serra Gaúcha, região próxima à Gramado e Canela). Nesta cerimônia representaram o Colégio de Estudos do Rito Schröder Ir. Gouveia e seu Colegiado Diretor, o Venerável Ir. Álvaro Germani e o Ir. Cláudio Pinto da Sá, M.M., membros do Colégio de Estudos. Aos Veneráveis IIr. Joângelo Unfer Paraboni, V.M., e José Vicente Santurio Ramos, ex-V.M. Fundador, e a todos os Obreiros que fazem a ARLS Edelweiss Nr. 214 a nossa Saudação por Três vezes Três e a certeza de que a Obra esteve, está e continuará em muito boas mãos, pois “o alicerce foi posto por fiéis Irmãos”. Com o Cordial Aperto de Mão do Ir. Rui Jung Neto, AStM “Aprendendo, ensinarás. Ensinando, aprenderás.” Ex-V.M. da Cinq. Ben. A.R.L.S. "Concordia et Humanitas" Nr. 56 - ao Or. de Porto Alegre – RS – Rito Schröder Colégio de Estudos do Rito Schröder Ir. Gouveia - Colegiado Diretor www.colegioschroder.org.br
  16. 16. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 16/22 Caro Ir. Rui Por solicitação do nosso Venerável Mestre, Joângelo U. Paraboni, estou encaminhando algumas fotos do evento, bem assim como algumas informações. Em 11/06/2.016, às 10:00 h, no canteiro de obras do futuro Templo "Irmão João Luiz Citton", da A.R.L.S. EDELWEISS 214, no Oriente Nova Petrópolis - RS, com a presença do Sereníssimo Grão-Mestre, que dirigiu a sessão, e do Eminente Grão Mestre Adjunto da GLMERGS, respectivamente os Respeitabilíssimos Irmãos Paulo Roberto Pithan Flores e Norton Valladão Panizzi, além de inúmeros convidados, foi feito o lançamento da Pedra Fundamental do futuro Templo, quando a temperatura aproximava-se do zero grau C. O procedimento atendeu rigorosamente o que preceitua o Ritual Especial para o Rito Schröder. Evidenciamos que nossa Loja foi fundada em 2.007 e graças a tenacidade e determinação de todos os Irmãos, destacando-se a comissão de obras, liderada por nosso Venerável Mestre, conseguimos em tão pouco tempo realizar tamanho sonho. O Templo está sendo erguido exclusivamente com pedras de arenito da região e seu projeto insinua construções da idade média. Sua conclusão está prevista para o mês de agosto próximo. Seguem fotos do evento. CAM Ir. José Vicente S Ramos, ex-V.M. e co-undador, em 16/06/2016.
  17. 17. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 17/22
  18. 18. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 18/22
  19. 19. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 19/22
  20. 20. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 20/22 O Prumo de Hiram: História da Maçonaria Crédito: lucianorodrigues@oprumodehiram.com.br Grande Oriente da Holanda suspende relações com Tennessee e Georgia O Grande Oriente da Holanda (Grand Orient of the Netherlands), o corpo maçônico que governa o país e é amplamente reconhecido pela maioria das grandes lojas regulares em todo o mundo, anunciou em sua página oficial do Facebook que eles suspenderam as relações fraternais com a Grande Loja da Geórgia e a Grande Loja do Tennessee. Eles são a segunda Grande Loja fora dos EUA a fazê-lo, após a Grande Loja Regular da Bélgica. [...] Extremistas islâmicos vêem maçons como inimigos TORONTO – Como se não fosse o suficiente para aqueles que desejam explodir todos os “cruzados” e “sionistas”, agora al-Qaeda tem aparentemente escolhido um novo alvo: Os Maçons. Um estudo “secreto” da inteligência canadense recém-lançado para o National Post descreve como os teóricos da conspiração islâmica tem visto a maçonaria como inimigo.[...] Terrorista planejava matar maçons O plano de um terrorista com intenção de matar dezenas de pessoas com armas automáticas em um templo maçônico em Milwaukee foi frustrado esta semana por agentes do FBI, disseram os promotores federais nesta terça-feira [...] 1º Encontro Nacional de Lojas do Rito de York http://lojasdeyork.com.br/ Atendendo aos anseios de irmãos dos quatro cantos do país que praticam o legítimo Rito de York e desejam trocar conhecimentos e experiências acerca desse que é o rito mais praticado em todo o mundo e o mais antigo sem modificações ainda em uso, será realizado o I Encontro Nacional das Lojas do Rito de York, nos dias 03 a 05 de Junho deste ano de 2016, em Brasília..[...]
  21. 21. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 21/22 (O Irmão Marcelo Ângelo de Macedo, (33º) - Mestre Instalado da Loja “Razão e Lealdade” nr. 21 (COMAB-CMI) de Cuiabá, comparece diariamente no JB News repassando o Breviário Maçônico, Obra de autoria do saudoso IrRIZZARDO DA CAMINO, cuja referência bibliográfica é: Camino, Rizzardo da, 1918-2007 Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014. ISBN 978-85.370.0292-6) BREVIÁRIO MAÇÔNICO - 20 de junho A HUMILDADE Trata-se de um comportamento social e de uma virtude maçônica; uma pessoa pode tornar-se humilde quando religiosa, diante do poder da divindade que reconhece superior. No meio social, a humildade significa a repulsa dos falsos elogios que visam a deturpação do comportamento, como a lisonja estudada, no sentido de ludibriar a boa- fé. O maçom tem o dever de fortalecer a virtude da humildade, porque só assim será tolerante e poderá, desarmado de todas as ciladas, amar a si mesmo e consequentemente ao seu próximo. Ao receber um elogio, a Natureza humana responde com uma reação nem sempre correta; o envaidecimento é o oposto à humildade e gera inúmeros males, pois mascara a verdade e reforça o elogio profissional, o “engambelamento” oportuno, a cilada adrede. O maçom humilde encanta e a todos agrada; ao contrário do que se possa pensar, o humilde destaca-se dos demais pois erige-se em atração. Todos admiram o sábio humilde que se evidencia apenas pelo saber e não pela vaidade. O vaidoso é antipatizado, o humilde é amado. O maçom deve pautar a sua vida maçônica e social, cultivando as virtudes que lhe são ensinadas nas oficinas, sendo a Humildade uma das principais. Breviário Maçônico / Rizzardo da Camino, - 6. Ed. – São Paulo. Madras, 2014, p.190. Marcelo Angelo de Macedo, 33∴ MI da ARS RAZÃO E LEALDADE nº 21 Or∴. de Cuiabá/MT, GOEMT-COMAB-CMI Tel: (65) 3052-6721 mangelomacedo@terra.com.br
  22. 22. JB News – Informativo nr. 2.088– São Paulo (SP), segunda-feira, 20 de junho de 2016 Pág. 22/22

×