SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 41
Baixar para ler offline
PSICOLOGIA




             Jorge Barbosa, 2010
PSICOLOGIA




             Jorge Barbosa, 2010
Experiência
de
Pavlov:


                  EI
(carne)   RI
(salivação)


EN
(metrónomo) + EI
(carne)    RI
(salivação)




Após
Condicionamento:

          EC
(metrónomo)       RC
(salivação)
Efeito do
Comportamento             Consequência
                                                  Comportamento
                        Estímulo Satisfatório

                                                A tendência para estudar
      Estudar                                   aumenta, é fortalecida ou
                         Boas Classificações          mantém-se


                        Estímulo Desagradável

                                                A tendência para conduzir
Conduzir a velocidade                             a velocidade excessiva
     Excessiva              Acidente com        diminui, é enfraquecida ou
                        traumatismo craniano            desaparece.
Efeito do
Processo   Comportamento          Consequência
                                                       Comportamento
            Estudar com a (o)   Boa Classificação A tendência para os dois
Reforço
           namorada (o) para o     no teste para      namorados estudarem
Positivo
           teste de Psicologia         ambos.          juntos é fortalecida.
                                Alívio significativo
                                                     A tendência para tomar
            Tomar uma aspirina da dor de cabeça
Reforço                                               aspirina quando surgir
            para combater uma       (remoção do
Negativo                                              outra dor de cabeça é
           forte dor de cabeça.       estímulo
                                                            reforçada.
                                  desagradável)

                                                     A tendência de recusar
           A Joana recusa-se a   Os pais castigam-
                                                          comer a sopa
 Punição      comer a sopa       na proibindo-a de
                                                     eventualmente diminuirá
                                   ver televisão.
                                                        (é enfraquecida).
Jorge Barbosa, 2010
PSICOLOGIA




             Jorge Barbosa, 2010
Memória de Curto Prazo e Memória de
             Trabalho
Memória de Curto Prazo e Memória de
             Trabalho
Memória de Longo Prazo
Memória de Longo Prazo
              Existe um amplo consenso científico em
              torno dos conceitos de memória
              semântica e memória episódica.
              Por exemplo, em casos de amnésia é a
              memória episódica que é afectada,
              enquanto a semântica permanece
              praticamente intacta.
Memória de Longo Prazo
              A memória declarativa está associada
              às estruturas cerebrais temporais e
              diencefálicas.
              A memória procedimental está
              associada a estruturas cerebrais sub-
              corticais.
Memória de Longo Prazo
                                   Aprendizagem incidente: Aquando da
                                   apresentação de cada palavra de uma
                                   lista, pode pedir-se aos sujeitos que:
                                   1.  Identifiquem uma vogal particular
                                       na palavra;
                                   2.  Indiquem se a palavra rima com uma
                                       outra;
                                   3.  Identificar a categoria semântica a
                                       que a palavra pertence.
                                   O tratamento 3 é cognitivamente mais
                                       profundo do que o 2, e este mais do
                                       que o 1.
                                   Quanto mais profundo é o tratamento,
                                       maior é a eficiência de recuperação
                                       da informação.

Se se pedir aos sujeitos que encontrem o antónimo de uma palavra (alto/
baixo, por ex.), eles recordarão melhor o par formado, do que se lhes
forem apresentadas as duas palavras para decorar.
Memória de Longo Prazo
Memória de Longo Prazo
Memória de Longo Prazo
Memória de Longo Prazo

             Os contextos externo e interno
             interferem nas tarefas de evocação,
             mas têm um efeito quase nulo nas
             tarefas de reconhecimento.
             O Contexto interactivo intrínseco
             interfere em qualquer tarefa de
             recuperação da informação.
SISTEMAS
                                 CONSCIÊNCIA
MNÉSICOS
      EPISÓDICA                    MEMÓRIA AUTONOÉTICA
                                 (conhecimento de si e da sua identidade)


Memória de curto prazo
ou memória de trabalho

      SEMÂNTICA                        MEMÓRIA NOÉTICA
(conhecimento geral do mundo)        (conhecimento do mundo)

       Sistema de
     representações
       perceptivas

   PROCEDIMENTAL                     MEMÓRIA ANOÉTICA
(habilidades, condicionamento)    (sem tomada de consciência)
Exercícios


Falamos de Aprendizagem quando se forma
uma resposta aprendida a um estímulo
neutro, por o associarmos a um estímulo
incondicionado.
Justificação:


Não é a definição de aprendizagem, mas de um tipo de aprendizagem:
o condicionamento clássico



 Exercícios de Treino
 Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
Exercícios


Um estímulo condicionado é um estímulo que
produz uma determinada resposta sem
necessidade de aprendizagem prévia ou de
processo associativo.
Justificação:


Esta definição diz respeito ao estímulo incondicionado




 Exercícios de Treino
 Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
Exercícios


Uma aprendizagem condicionada em termos
pavlovianos é uma resposta suscitada por um
estímulo condicionado, isto é, por um
estímulo que produz um efeito semelhante ao
do estímulo incondicionado, por ter sido
várias vezes emparelhado com este.
 Justificação:
A aprendizagem desse tipo é precisamente uma aprendizagem por
associação de estímulos.



 Exercícios de Treino
 Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
Exercícios


O Condicionamento operante é uma forma de
aprendizagem na qual a probabilidade de uma
resposta ou comportamento aumenta ou
diminui conforme a sua consequência é um
reforço (positivo ou negativo) ou uma
punição.
Justificação:
Por outras palavras, esta é a lei do reforço de Skinner.




 Exercícios de Treino
 Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
Exercícios


O Condicionamento operante é, por
definição, a forma de controlar a frequência
de um comportamento através do reforço.


Justificação:


A punição também assume este papel.




 Exercícios de Treino
 Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
Exercícios


Dinheiro, boas notas académicas, abraços,
beijos são sempre reforços positivos..



Justificação:

Nem sempre: podem também ser meios para evitar situações
desagradáveis (reforços negativos).



 Exercícios de Treino
 Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
Assinale se a afirmação é verdadeira ou
falsa
A memória possibilita não só a aprendizagem
como também a consciência da nossa
identidade pessoal.
                                                V
Esquecimento e amnésia são a mesma coisa.
                                                F
A teoria da interferência afirma que o
esquecimento se deve ao facto de um dado
conteúdo mnésico permitir o acesso a outro. É
como se duas informações aprendidas
                                                F
competissem no acesso à consciência,
acabando uma por substituir a outra.
Assinale se a afirmação é verdadeira ou
falsa
A durabilidade das aprendizagens depende não só
da vitalidade da nossa memória como também do
significado que atribuímos ao que aprendemos e    V
da natureza do que aprendemos.

Em todos os processos de aprendizagem por
associação e por observação e imitação, há uma
condição necessária, a saber, a memorização do    V
que foi vivido..

Por memória entende-se o processo dinâmico que
constitui a aquisição (através da codificação),
retenção e reactualização de conteúdos mnésicos   V
(acontecimentos, experiências, aprendizagens).
Assinale se a afirmação é verdadeira ou
falsa
A memória procedimental é um tipo de
memória de curto prazo porque aprendemos
rapidamente competências motoras,             F
habilidades, hábitos e respostas simples.

As competências motoras são de aquisição
relativamente lenta e, uma vez adquiridas,
tornam-se comportamentos quase automáticos,   V
executando-se com pouco esforço consciente.

A memória declarativa subdivide-se em
memória episódica, memória semântica e
memória de actos motores.                     F
Assinale se a afirmação é verdadeira ou
falsa
Lembrar-me de que aprendi a nadar numa piscina
de um clube de futebol numa época do ano em
que fazia muito calor é um exemplo de memória
                                                 F
semântica.

A frase “Barak Obama foi eleito presidente dos
EUA em 2008” faz parte da nossa memória          F
episódica.

Os factos e informações armazenados na
memória semântica abstraem da ligação ao
espaço e ao tempo em que foram vividos, e não    V
são referidos como vivências pessoais.
Não se esqueça de
fazer os exercícios.




      JORGE BARBOSA,
      2010

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Psicologia-Genética
Psicologia-GenéticaPsicologia-Genética
Psicologia-Genética
 
Teste formativo 2 de psicologia B
Teste formativo 2 de psicologia BTeste formativo 2 de psicologia B
Teste formativo 2 de psicologia B
 
Psicologia b – tema 2 percepção
Psicologia b – tema 2 percepçãoPsicologia b – tema 2 percepção
Psicologia b – tema 2 percepção
 
Inteligência
InteligênciaInteligência
Inteligência
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
AS EMOÇÕES
 
Processos Emocionais
Processos EmocionaisProcessos Emocionais
Processos Emocionais
 
Psicologia: cérebro
Psicologia: cérebroPsicologia: cérebro
Psicologia: cérebro
 
Processos Conativos
Processos ConativosProcessos Conativos
Processos Conativos
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
 
O esquecimento
O esquecimentoO esquecimento
O esquecimento
 
Processos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A PercepçãoProcessos Mentais 1 - A Percepção
Processos Mentais 1 - A Percepção
 
A motivação
A motivaçãoA motivação
A motivação
 
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
Módulo 2 – o desenvolvimento humano 1
 
Psicologia: a cultura
Psicologia: a culturaPsicologia: a cultura
Psicologia: a cultura
 
"Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade""Não sei se é sonhe, se realidade"
"Não sei se é sonhe, se realidade"
 
Esquecimento e memoria
Esquecimento e memoriaEsquecimento e memoria
Esquecimento e memoria
 
Inteligência II
Inteligência IIInteligência II
Inteligência II
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
As relações precoces
As relações precoces As relações precoces
As relações precoces
 
Memória - Psicologia
Memória - PsicologiaMemória - Psicologia
Memória - Psicologia
 

Semelhante a Processos Cognitivos - Resumo

Semelhante a Processos Cognitivos - Resumo (20)

Processos cognitivos-resumo
Processos cognitivos-resumoProcessos cognitivos-resumo
Processos cognitivos-resumo
 
Aula 5 memória
Aula 5 memóriaAula 5 memória
Aula 5 memória
 
Mente Humana 3
Mente Humana 3Mente Humana 3
Mente Humana 3
 
APRENDIZAGEM
APRENDIZAGEMAPRENDIZAGEM
APRENDIZAGEM
 
Psicologia: Cognição
Psicologia:  Cognição Psicologia:  Cognição
Psicologia: Cognição
 
O funcionamento do cerebro no processo ensino aprendizagem
O funcionamento do cerebro no processo ensino aprendizagemO funcionamento do cerebro no processo ensino aprendizagem
O funcionamento do cerebro no processo ensino aprendizagem
 
discrimina__oesqref.ppt
discrimina__oesqref.pptdiscrimina__oesqref.ppt
discrimina__oesqref.ppt
 
Processos Mentais 3 - Aprendizagem
Processos Mentais 3 - AprendizagemProcessos Mentais 3 - Aprendizagem
Processos Mentais 3 - Aprendizagem
 
Behaviorismo comportamento respondente
Behaviorismo comportamento respondenteBehaviorismo comportamento respondente
Behaviorismo comportamento respondente
 
Definição de aprendizagem
Definição de aprendizagemDefinição de aprendizagem
Definição de aprendizagem
 
Psicologia
PsicologiaPsicologia
Psicologia
 
Falar em Publico
Falar em PublicoFalar em Publico
Falar em Publico
 
Condicionamento respondente
Condicionamento respondenteCondicionamento respondente
Condicionamento respondente
 
Ebook EMDR via Web - ANDRÉ MONTEIRO PhD
Ebook EMDR via Web - ANDRÉ MONTEIRO PhDEbook EMDR via Web - ANDRÉ MONTEIRO PhD
Ebook EMDR via Web - ANDRÉ MONTEIRO PhD
 
Como a neurociência está se apresentando a serviço do Coaching?
Como a neurociência está se apresentando a serviço do Coaching?Como a neurociência está se apresentando a serviço do Coaching?
Como a neurociência está se apresentando a serviço do Coaching?
 
educação socioemovional.pptx
educação socioemovional.pptxeducação socioemovional.pptx
educação socioemovional.pptx
 
Psicologia 1ª Unidade
Psicologia 1ª UnidadePsicologia 1ª Unidade
Psicologia 1ª Unidade
 
Aprendizagem e memória
Aprendizagem e memóriaAprendizagem e memória
Aprendizagem e memória
 
Condicionamento reflexo
Condicionamento reflexoCondicionamento reflexo
Condicionamento reflexo
 
A aprendizagem
A aprendizagemA aprendizagem
A aprendizagem
 

Mais de Jorge Barbosa

Ideias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação PrioritáriaIdeias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação PrioritáriaJorge Barbosa
 
Assuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na EducaçãoAssuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na EducaçãoJorge Barbosa
 
Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14Jorge Barbosa
 
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida PortuguesaProposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida PortuguesaJorge Barbosa
 
Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015Jorge Barbosa
 
Relatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialRelatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialJorge Barbosa
 
Sentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e AutoconsciênciaSentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e AutoconsciênciaJorge Barbosa
 
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos AparentadosAfetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos AparentadosJorge Barbosa
 
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...Jorge Barbosa
 
Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014Jorge Barbosa
 
guião reforma estado
guião reforma estadoguião reforma estado
guião reforma estadoJorge Barbosa
 
Revolução kantiana
Revolução kantianaRevolução kantiana
Revolução kantianaJorge Barbosa
 
O Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de SócratesO Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de SócratesJorge Barbosa
 
Estado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recenteEstado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recenteJorge Barbosa
 
Comunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MECComunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MECJorge Barbosa
 
Introdução a Espinosa
Introdução a EspinosaIntrodução a Espinosa
Introdução a EspinosaJorge Barbosa
 
Comunicacão do Presidente
Comunicacão do PresidenteComunicacão do Presidente
Comunicacão do PresidenteJorge Barbosa
 

Mais de Jorge Barbosa (20)

Ideias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação PrioritáriaIdeias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação Prioritária
 
Assuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na EducaçãoAssuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na Educação
 
Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14
 
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida PortuguesaProposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
 
Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015
 
Relatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialRelatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao Especial
 
Sentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e AutoconsciênciaSentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
 
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos AparentadosAfetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
 
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
 
Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014
 
guião reforma estado
guião reforma estadoguião reforma estado
guião reforma estado
 
A Ética - Espinosa
A Ética - EspinosaA Ética - Espinosa
A Ética - Espinosa
 
A Cidade
A CidadeA Cidade
A Cidade
 
Velha do Postigo
Velha do PostigoVelha do Postigo
Velha do Postigo
 
Revolução kantiana
Revolução kantianaRevolução kantiana
Revolução kantiana
 
O Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de SócratesO Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
 
Estado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recenteEstado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recente
 
Comunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MECComunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MEC
 
Introdução a Espinosa
Introdução a EspinosaIntrodução a Espinosa
Introdução a Espinosa
 
Comunicacão do Presidente
Comunicacão do PresidenteComunicacão do Presidente
Comunicacão do Presidente
 

Último

Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 

Último (20)

Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 

Processos Cognitivos - Resumo

  • 1. PSICOLOGIA Jorge Barbosa, 2010
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6. PSICOLOGIA Jorge Barbosa, 2010
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. Experiência
de
Pavlov:
 EI
(carne) RI
(salivação) EN
(metrónomo) + EI
(carne) RI
(salivação) Após
Condicionamento:
 EC
(metrónomo) RC
(salivação)
  • 12. Efeito do Comportamento Consequência Comportamento Estímulo Satisfatório A tendência para estudar Estudar aumenta, é fortalecida ou Boas Classificações mantém-se Estímulo Desagradável A tendência para conduzir Conduzir a velocidade a velocidade excessiva Excessiva Acidente com diminui, é enfraquecida ou traumatismo craniano desaparece.
  • 13. Efeito do Processo Comportamento Consequência Comportamento Estudar com a (o) Boa Classificação A tendência para os dois Reforço namorada (o) para o no teste para namorados estudarem Positivo teste de Psicologia ambos. juntos é fortalecida. Alívio significativo A tendência para tomar Tomar uma aspirina da dor de cabeça Reforço aspirina quando surgir para combater uma (remoção do Negativo outra dor de cabeça é forte dor de cabeça. estímulo reforçada. desagradável) A tendência de recusar A Joana recusa-se a Os pais castigam- comer a sopa Punição comer a sopa na proibindo-a de eventualmente diminuirá ver televisão. (é enfraquecida).
  • 14.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19. PSICOLOGIA Jorge Barbosa, 2010
  • 20. Memória de Curto Prazo e Memória de Trabalho
  • 21. Memória de Curto Prazo e Memória de Trabalho
  • 23. Memória de Longo Prazo Existe um amplo consenso científico em torno dos conceitos de memória semântica e memória episódica. Por exemplo, em casos de amnésia é a memória episódica que é afectada, enquanto a semântica permanece praticamente intacta.
  • 24. Memória de Longo Prazo A memória declarativa está associada às estruturas cerebrais temporais e diencefálicas. A memória procedimental está associada a estruturas cerebrais sub- corticais.
  • 25. Memória de Longo Prazo Aprendizagem incidente: Aquando da apresentação de cada palavra de uma lista, pode pedir-se aos sujeitos que: 1.  Identifiquem uma vogal particular na palavra; 2.  Indiquem se a palavra rima com uma outra; 3.  Identificar a categoria semântica a que a palavra pertence. O tratamento 3 é cognitivamente mais profundo do que o 2, e este mais do que o 1. Quanto mais profundo é o tratamento, maior é a eficiência de recuperação da informação. Se se pedir aos sujeitos que encontrem o antónimo de uma palavra (alto/ baixo, por ex.), eles recordarão melhor o par formado, do que se lhes forem apresentadas as duas palavras para decorar.
  • 29. Memória de Longo Prazo Os contextos externo e interno interferem nas tarefas de evocação, mas têm um efeito quase nulo nas tarefas de reconhecimento. O Contexto interactivo intrínseco interfere em qualquer tarefa de recuperação da informação.
  • 30. SISTEMAS CONSCIÊNCIA MNÉSICOS EPISÓDICA MEMÓRIA AUTONOÉTICA (conhecimento de si e da sua identidade) Memória de curto prazo ou memória de trabalho SEMÂNTICA MEMÓRIA NOÉTICA (conhecimento geral do mundo) (conhecimento do mundo) Sistema de representações perceptivas PROCEDIMENTAL MEMÓRIA ANOÉTICA (habilidades, condicionamento) (sem tomada de consciência)
  • 31. Exercícios Falamos de Aprendizagem quando se forma uma resposta aprendida a um estímulo neutro, por o associarmos a um estímulo incondicionado. Justificação: Não é a definição de aprendizagem, mas de um tipo de aprendizagem: o condicionamento clássico Exercícios de Treino Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
  • 32. Exercícios Um estímulo condicionado é um estímulo que produz uma determinada resposta sem necessidade de aprendizagem prévia ou de processo associativo. Justificação: Esta definição diz respeito ao estímulo incondicionado Exercícios de Treino Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
  • 33. Exercícios Uma aprendizagem condicionada em termos pavlovianos é uma resposta suscitada por um estímulo condicionado, isto é, por um estímulo que produz um efeito semelhante ao do estímulo incondicionado, por ter sido várias vezes emparelhado com este. Justificação: A aprendizagem desse tipo é precisamente uma aprendizagem por associação de estímulos. Exercícios de Treino Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
  • 34. Exercícios O Condicionamento operante é uma forma de aprendizagem na qual a probabilidade de uma resposta ou comportamento aumenta ou diminui conforme a sua consequência é um reforço (positivo ou negativo) ou uma punição. Justificação: Por outras palavras, esta é a lei do reforço de Skinner. Exercícios de Treino Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
  • 35. Exercícios O Condicionamento operante é, por definição, a forma de controlar a frequência de um comportamento através do reforço. Justificação: A punição também assume este papel. Exercícios de Treino Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
  • 36. Exercícios Dinheiro, boas notas académicas, abraços, beijos são sempre reforços positivos.. Justificação: Nem sempre: podem também ser meios para evitar situações desagradáveis (reforços negativos). Exercícios de Treino Assinale se as afirmações são verdadeiras (V) ou falsas (F)
  • 37. Assinale se a afirmação é verdadeira ou falsa A memória possibilita não só a aprendizagem como também a consciência da nossa identidade pessoal. V Esquecimento e amnésia são a mesma coisa. F A teoria da interferência afirma que o esquecimento se deve ao facto de um dado conteúdo mnésico permitir o acesso a outro. É como se duas informações aprendidas F competissem no acesso à consciência, acabando uma por substituir a outra.
  • 38. Assinale se a afirmação é verdadeira ou falsa A durabilidade das aprendizagens depende não só da vitalidade da nossa memória como também do significado que atribuímos ao que aprendemos e V da natureza do que aprendemos. Em todos os processos de aprendizagem por associação e por observação e imitação, há uma condição necessária, a saber, a memorização do V que foi vivido.. Por memória entende-se o processo dinâmico que constitui a aquisição (através da codificação), retenção e reactualização de conteúdos mnésicos V (acontecimentos, experiências, aprendizagens).
  • 39. Assinale se a afirmação é verdadeira ou falsa A memória procedimental é um tipo de memória de curto prazo porque aprendemos rapidamente competências motoras, F habilidades, hábitos e respostas simples. As competências motoras são de aquisição relativamente lenta e, uma vez adquiridas, tornam-se comportamentos quase automáticos, V executando-se com pouco esforço consciente. A memória declarativa subdivide-se em memória episódica, memória semântica e memória de actos motores. F
  • 40. Assinale se a afirmação é verdadeira ou falsa Lembrar-me de que aprendi a nadar numa piscina de um clube de futebol numa época do ano em que fazia muito calor é um exemplo de memória F semântica. A frase “Barak Obama foi eleito presidente dos EUA em 2008” faz parte da nossa memória F episódica. Os factos e informações armazenados na memória semântica abstraem da ligação ao espaço e ao tempo em que foram vividos, e não V são referidos como vivências pessoais.
  • 41. Não se esqueça de fazer os exercícios. JORGE BARBOSA, 2010