SlideShare uma empresa Scribd logo

A Construção do Social

1 de 21
Baixar para ler offline
ÁREA DE INTEGRAÇÃO


Construção do Social
A Mente e o Significado




                     Jorge Barbosa, 2010
Construção	
  do	
  Social	
  
A	
  Construção	
  do	
  Social	
  

Porque ocupa cada Homem posições sociais diferentes?
As sociedades organizam-se todas do mesmo modo?
Conseguirá o Homem viver sem hierarquização?
A	
  Construção	
  do	
  Social	
  


                 Indivíduo	
  

                                       Sujeito	
  
Cultura	
                             Histórico	
  




     Sociedade	
                 Comunidade	
  
A	
  Construção	
  do	
  Social	
  

  CONCEITOS	
                                                       DEFINIÇÕES	
  
                           Refere-­‐se	
  a	
  cada	
  ser	
  humano.	
  
                           Apresenta:	
  	
  
                           1.  uma	
  dimensão	
  biológica,	
  designando	
  o	
  ser	
  vivo	
  caracterizado	
  pela	
  
Indivíduo	
                    sua	
  unidade	
  orgânica	
  e	
  pela	
  sua	
  realidade	
  única,	
  singular	
  e	
  
                               irrepeHvel,	
  e	
  
                           2.  Uma	
  dimensão	
  sociológica,	
  designando	
  o	
  ser	
  humano	
  disKnto	
  de	
  
                               todos	
  os	
  outros,	
  em	
  contraposição	
  a	
  um	
  grupo	
  ou	
  sociedade.	
  
                           É	
  o	
  agente	
  de	
  acção	
  social	
  significaKvo	
  para	
  o	
  estudo	
  da	
  História.	
  	
  
                           Podem	
  sê-­‐lo	
  todos	
  os	
  que,	
  em	
  contextos	
  históricos,	
  exprimem	
  as	
  suas	
  
                           especificidades	
  e	
  caracterísKcas,	
  são	
  líderes	
  de	
  lutas	
  para	
  
Sujeito	
  Histórico	
  
                           transformações	
  (ou	
  permanências))	
  de	
  situações	
  mais	
  amplas	
  ou	
  de	
  
                           situações	
  quoKdianas,	
  que	
  actuam	
  em	
  grupo	
  ou	
  sós,	
  e	
  que	
  produzem	
  
                           para	
  si	
  ou	
  para	
  uma	
  colecKvidade	
  
A	
  Construção	
  do	
  Social	
  

  CONCEITOS	
                                             DEFINIÇÕES	
  
                  Refere-­‐se	
  a	
  a	
  grupos	
  de	
  seres	
  humanos	
  que	
  parKlham	
  as	
  mesmas	
  
                  crenças,	
  bens	
  e	
  ideias	
  e	
  que	
  têm	
  em	
  comum:	
  
                  1.  Um	
  mesmo	
  passado	
  
Comunidade	
      2.  Um	
  mesmo	
  presente	
  
                  3.  Uma	
  mesma	
  expectaKva	
  de	
  futuro.	
  
                  A	
  consKtuição	
  das	
  primeiras	
  comunidades	
  está	
  relacionada	
  com	
  a	
  
                         acKvidade	
  da	
  caça.	
  
                  É	
  um	
  sistema	
  de	
  inter-­‐relações	
  que	
  envolve	
  indivíduos	
  em	
  relações	
  
                  sociais	
  estruturadas	
  (comunidades),	
  segundo	
  interesses	
  comuns,	
  
                  segundo	
  uma	
  cultura.	
  
Sociedade	
  
                  Para	
  o	
  aparecimento	
  das	
  primeiras	
  sociedades,	
  contribuiu	
  o	
  
                  desenvolvimento	
  da	
  agricultura,	
  da	
  pastorícia	
  (economia	
  produtora),	
  e	
  
                  a	
  sedentarização.	
  

Recomendados

Ai2.2 Construção do Social
Ai2.2 Construção do SocialAi2.2 Construção do Social
Ai2.2 Construção do SocialJorge Barbosa
 
A constr do social
A constr do socialA constr do social
A constr do socialcattonia
 
estrutura familiar e dinamica social
estrutura familiar e dinamica socialestrutura familiar e dinamica social
estrutura familiar e dinamica socialJoão Marrocano
 
Grupos sociais
Grupos sociaisGrupos sociais
Grupos sociaismikto
 
Módulo 1 1.2.
Módulo 1   1.2.Módulo 1   1.2.
Módulo 1 1.2.cattonia
 
Trabalho: Conceito e Evolução no Ocidente
Trabalho: Conceito e Evolução no OcidenteTrabalho: Conceito e Evolução no Ocidente
Trabalho: Conceito e Evolução no OcidenteJorge Barbosa
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Globalização dos estilos de vida
Globalização dos estilos de vidaGlobalização dos estilos de vida
Globalização dos estilos de vidaAlcina Barbosa
 
Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)Idalina Leite
 
Consumo e estilos de vida - Sociologia
Consumo e estilos de vida - Sociologia Consumo e estilos de vida - Sociologia
Consumo e estilos de vida - Sociologia Sara Guerra
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
SocializaçãoBiaa
 
Cultura - Psicologia
Cultura - PsicologiaCultura - Psicologia
Cultura - PsicologiaAna Felizardo
 
Papéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociaisPapéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociaisNúriaa Gourgel
 
Desequilíbrios regionais
Desequilíbrios regionaisDesequilíbrios regionais
Desequilíbrios regionaisAna Helena
 
Pessoa E Cultura MóDulo 1
Pessoa E Cultura   MóDulo 1Pessoa E Cultura   MóDulo 1
Pessoa E Cultura MóDulo 1abarros
 
Vantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalizaçãoVantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalizaçãoZé Stinson
 
Os desafios para portugal do alargamento da união europeia
Os desafios para portugal do alargamento da união europeiaOs desafios para portugal do alargamento da união europeia
Os desafios para portugal do alargamento da união europeiaIlda Bicacro
 
Psicologia: a cultura
Psicologia: a culturaPsicologia: a cultura
Psicologia: a culturadavidaaduarte
 
Socialização.
Socialização.Socialização.
Socialização.Nuno Cunha
 
Área de Integração
Área de Integração Área de Integração
Área de Integração Estudante
 
Obstáculos Epistemológicos
Obstáculos EpistemológicosObstáculos Epistemológicos
Obstáculos EpistemológicosAntónio Silvano
 
Ai2.2 Construção do Social 3
Ai2.2 Construção do Social 3Ai2.2 Construção do Social 3
Ai2.2 Construção do Social 3Jorge Barbosa
 
As características da rede urbana
As características da rede urbanaAs características da rede urbana
As características da rede urbanaIlda Bicacro
 
Indicadores de Desenvolvimento
Indicadores de DesenvolvimentoIndicadores de Desenvolvimento
Indicadores de DesenvolvimentoGeografia .
 

Mais procurados (20)

Globalização dos estilos de vida
Globalização dos estilos de vidaGlobalização dos estilos de vida
Globalização dos estilos de vida
 
Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)
 
Consumo e estilos de vida - Sociologia
Consumo e estilos de vida - Sociologia Consumo e estilos de vida - Sociologia
Consumo e estilos de vida - Sociologia
 
Socialização
SocializaçãoSocialização
Socialização
 
Cultura - Psicologia
Cultura - PsicologiaCultura - Psicologia
Cultura - Psicologia
 
Papéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociaisPapéis e estatutos sociais
Papéis e estatutos sociais
 
Desequilíbrios regionais
Desequilíbrios regionaisDesequilíbrios regionais
Desequilíbrios regionais
 
Pessoa E Cultura MóDulo 1
Pessoa E Cultura   MóDulo 1Pessoa E Cultura   MóDulo 1
Pessoa E Cultura MóDulo 1
 
Vantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalizaçãoVantagens e desvantagens da globalização
Vantagens e desvantagens da globalização
 
Os desafios para portugal do alargamento da união europeia
Os desafios para portugal do alargamento da união europeiaOs desafios para portugal do alargamento da união europeia
Os desafios para portugal do alargamento da união europeia
 
Direitos Humanos
Direitos HumanosDireitos Humanos
Direitos Humanos
 
O papel das organizações internacionais
O papel das organizações internacionaisO papel das organizações internacionais
O papel das organizações internacionais
 
Psicologia: a cultura
Psicologia: a culturaPsicologia: a cultura
Psicologia: a cultura
 
Socialização.
Socialização.Socialização.
Socialização.
 
Área de Integração
Área de Integração Área de Integração
Área de Integração
 
Obstáculos Epistemológicos
Obstáculos EpistemológicosObstáculos Epistemológicos
Obstáculos Epistemológicos
 
Ai2.2 Construção do Social 3
Ai2.2 Construção do Social 3Ai2.2 Construção do Social 3
Ai2.2 Construção do Social 3
 
As características da rede urbana
As características da rede urbanaAs características da rede urbana
As características da rede urbana
 
Indicadores de Desenvolvimento
Indicadores de DesenvolvimentoIndicadores de Desenvolvimento
Indicadores de Desenvolvimento
 
A ExpansãO Urbana
A ExpansãO UrbanaA ExpansãO Urbana
A ExpansãO Urbana
 

Semelhante a A Construção do Social

Ai2.2 Construção do Social
Ai2.2 Construção do SocialAi2.2 Construção do Social
Ai2.2 Construção do SocialJorge Barbosa
 
Cap 5 organização social e cidadania
Cap 5  organização social e cidadaniaCap 5  organização social e cidadania
Cap 5 organização social e cidadaniaColegio GGE
 
Fundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicosFundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicosEdivânia Monteiro
 
Conceitos em Filosofia
Conceitos em FilosofiaConceitos em Filosofia
Conceitos em FilosofiaJorge Barbosa
 
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012Delziene Jesus
 
Sociologia: Revisando os Primeiros Conceitos
Sociologia: Revisando os Primeiros ConceitosSociologia: Revisando os Primeiros Conceitos
Sociologia: Revisando os Primeiros ConceitosCarlos Benjoino Bidu
 
1ª Aula oque é Sociologia.ppt
1ª Aula oque é Sociologia.ppt1ª Aula oque é Sociologia.ppt
1ª Aula oque é Sociologia.pptAntnioCsarBurnat
 
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIACLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 06 - cu...
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 06 - cu...FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 06 - cu...
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 06 - cu...Jordano Santos Cerqueira
 
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaSociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaCarson Souza
 
Os clássicos da sociologia
Os clássicos da sociologiaOs clássicos da sociologia
Os clássicos da sociologiaCarmem Rocha
 
Relativismo cultural x direitos humanos
Relativismo cultural x direitos humanosRelativismo cultural x direitos humanos
Relativismo cultural x direitos humanosCarmem Rocha
 
A sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedadeA sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedadedinicmax
 

Semelhante a A Construção do Social (20)

Ai2.2 Construção do Social
Ai2.2 Construção do SocialAi2.2 Construção do Social
Ai2.2 Construção do Social
 
Cap 5 organização social e cidadania
Cap 5  organização social e cidadaniaCap 5  organização social e cidadania
Cap 5 organização social e cidadania
 
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIARevisão Conceitual de SOCIOLOGIA
Revisão Conceitual de SOCIOLOGIA
 
1 serie filosofia
1 serie filosofia1 serie filosofia
1 serie filosofia
 
Durkheim, marx, weber
Durkheim, marx, weberDurkheim, marx, weber
Durkheim, marx, weber
 
Fundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicosFundamentos antropológ icos e sociológicos
Fundamentos antropológ icos e sociológicos
 
Conceitos em Filosofia
Conceitos em FilosofiaConceitos em Filosofia
Conceitos em Filosofia
 
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012Ética, cidadania e direitos humanos 2012
Ética, cidadania e direitos humanos 2012
 
Cultura e Sociedade
Cultura e SociedadeCultura e Sociedade
Cultura e Sociedade
 
Aula 3 normas e regras
Aula 3   normas e regrasAula 3   normas e regras
Aula 3 normas e regras
 
Sociologia: Revisando os Primeiros Conceitos
Sociologia: Revisando os Primeiros ConceitosSociologia: Revisando os Primeiros Conceitos
Sociologia: Revisando os Primeiros Conceitos
 
1ª Aula oque é Sociologia.ppt
1ª Aula oque é Sociologia.ppt1ª Aula oque é Sociologia.ppt
1ª Aula oque é Sociologia.ppt
 
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIACLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA
 
CULTURA.ppt
CULTURA.pptCULTURA.ppt
CULTURA.ppt
 
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 06 - cu...
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 06 - cu...FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 06 - cu...
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 06 - cu...
 
Sociologia geral
Sociologia geralSociologia geral
Sociologia geral
 
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaSociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
 
Os clássicos da sociologia
Os clássicos da sociologiaOs clássicos da sociologia
Os clássicos da sociologia
 
Relativismo cultural x direitos humanos
Relativismo cultural x direitos humanosRelativismo cultural x direitos humanos
Relativismo cultural x direitos humanos
 
A sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedadeA sociologia e a sociedade
A sociologia e a sociedade
 

Mais de Jorge Barbosa

Ideias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação PrioritáriaIdeias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação PrioritáriaJorge Barbosa
 
Assuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na EducaçãoAssuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na EducaçãoJorge Barbosa
 
Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14Jorge Barbosa
 
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida PortuguesaProposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida PortuguesaJorge Barbosa
 
Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015Jorge Barbosa
 
Relatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialRelatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialJorge Barbosa
 
Sentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e AutoconsciênciaSentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e AutoconsciênciaJorge Barbosa
 
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos AparentadosAfetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos AparentadosJorge Barbosa
 
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...Jorge Barbosa
 
Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014Jorge Barbosa
 
guião reforma estado
guião reforma estadoguião reforma estado
guião reforma estadoJorge Barbosa
 
Revolução kantiana
Revolução kantianaRevolução kantiana
Revolução kantianaJorge Barbosa
 
O Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de SócratesO Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de SócratesJorge Barbosa
 
Estado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recenteEstado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recenteJorge Barbosa
 
Comunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MECComunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MECJorge Barbosa
 
Introdução a Espinosa
Introdução a EspinosaIntrodução a Espinosa
Introdução a EspinosaJorge Barbosa
 
Comunicacão do Presidente
Comunicacão do PresidenteComunicacão do Presidente
Comunicacão do PresidenteJorge Barbosa
 

Mais de Jorge Barbosa (20)

Ideias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação PrioritáriaIdeias em Debate sobre Educação Prioritária
Ideias em Debate sobre Educação Prioritária
 
Assuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na EducaçãoAssuntos para Debate na Educação
Assuntos para Debate na Educação
 
Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14Rapport cn num_education_oct14
Rapport cn num_education_oct14
 
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida PortuguesaProposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
Proposta Honesta e Concreta de Reestruturação da Dívida Portuguesa
 
Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015Organização do Ano Letivo 2014/2015
Organização do Ano Letivo 2014/2015
 
Relatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao EspecialRelatorio Educacao Especial
Relatorio Educacao Especial
 
Sentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e AutoconsciênciaSentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
Sentimentos Acráticos, Empatia e Autoconsciência
 
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos AparentadosAfetos, Emoções e Conceitos Aparentados
Afetos, Emoções e Conceitos Aparentados
 
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
regime de seleção, recrutamento e mobilidade do pessoal docente dos ensinos b...
 
Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014Despacho Normativo 6/2014
Despacho Normativo 6/2014
 
guião reforma estado
guião reforma estadoguião reforma estado
guião reforma estado
 
A Ética - Espinosa
A Ética - EspinosaA Ética - Espinosa
A Ética - Espinosa
 
A Cidade
A CidadeA Cidade
A Cidade
 
Velha do Postigo
Velha do PostigoVelha do Postigo
Velha do Postigo
 
Revolução kantiana
Revolução kantianaRevolução kantiana
Revolução kantiana
 
O Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de SócratesO Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
O Teeteto de Platão e a Apologia de Sócrates
 
Estado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recenteEstado Crítico da Democracia - Publicação recente
Estado Crítico da Democracia - Publicação recente
 
Comunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MECComunicacão associacões CSH ao MEC
Comunicacão associacões CSH ao MEC
 
Introdução a Espinosa
Introdução a EspinosaIntrodução a Espinosa
Introdução a Espinosa
 
Comunicacão do Presidente
Comunicacão do PresidenteComunicacão do Presidente
Comunicacão do Presidente
 

Último

2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdfJanielleCristina1
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfRuannSolza
 

Último (20)

2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
 

A Construção do Social

  • 1. ÁREA DE INTEGRAÇÃO Construção do Social A Mente e o Significado Jorge Barbosa, 2010
  • 3. A  Construção  do  Social   Porque ocupa cada Homem posições sociais diferentes? As sociedades organizam-se todas do mesmo modo? Conseguirá o Homem viver sem hierarquização?
  • 4. A  Construção  do  Social   Indivíduo   Sujeito   Cultura   Histórico   Sociedade   Comunidade  
  • 5. A  Construção  do  Social   CONCEITOS   DEFINIÇÕES   Refere-­‐se  a  cada  ser  humano.   Apresenta:     1.  uma  dimensão  biológica,  designando  o  ser  vivo  caracterizado  pela   Indivíduo   sua  unidade  orgânica  e  pela  sua  realidade  única,  singular  e   irrepeHvel,  e   2.  Uma  dimensão  sociológica,  designando  o  ser  humano  disKnto  de   todos  os  outros,  em  contraposição  a  um  grupo  ou  sociedade.   É  o  agente  de  acção  social  significaKvo  para  o  estudo  da  História.     Podem  sê-­‐lo  todos  os  que,  em  contextos  históricos,  exprimem  as  suas   especificidades  e  caracterísKcas,  são  líderes  de  lutas  para   Sujeito  Histórico   transformações  (ou  permanências))  de  situações  mais  amplas  ou  de   situações  quoKdianas,  que  actuam  em  grupo  ou  sós,  e  que  produzem   para  si  ou  para  uma  colecKvidade  
  • 6. A  Construção  do  Social   CONCEITOS   DEFINIÇÕES   Refere-­‐se  a  a  grupos  de  seres  humanos  que  parKlham  as  mesmas   crenças,  bens  e  ideias  e  que  têm  em  comum:   1.  Um  mesmo  passado   Comunidade   2.  Um  mesmo  presente   3.  Uma  mesma  expectaKva  de  futuro.   A  consKtuição  das  primeiras  comunidades  está  relacionada  com  a   acKvidade  da  caça.   É  um  sistema  de  inter-­‐relações  que  envolve  indivíduos  em  relações   sociais  estruturadas  (comunidades),  segundo  interesses  comuns,   segundo  uma  cultura.   Sociedade   Para  o  aparecimento  das  primeiras  sociedades,  contribuiu  o   desenvolvimento  da  agricultura,  da  pastorícia  (economia  produtora),  e   a  sedentarização.  
  • 7. A  Construção  do  Social   CONCEITOS   DEFINIÇÕES   Compreende:   1.  O  modo  comum  de  produzir,  desde  a  agricultura  à  indústria  e   tecnologias  da  informação   2.  O  comportamento  comum   3.  O  modo  comum  de:   a)  Hierarquizar  necessidades   b)  Hierarquizar  insKtuições   Cultura   c)  Hierarquizar  bens   d)  Hierarquizar  normas  políKcas,  jurídicas,  morais  e  religiosas   Corresponde  à  nossa  perspecKva  do  que  é  e  deve  ser  o  mundo  e  a   vida.  
  • 8. A  Construção  do  Social   Como dizia Aristóteles, “o Homem é um animal cívico, um animal político”. 1.  Somos  animais  sociáveis,  mas  não  insDnDvos   e  automaDcamente  sociais  como,  por   exemplo,  as  formigas;   2.  Inventamos  formas  de  sociedade  diversas   3.  Transformamos  a  sociedade  em  que   nascemos  e  em  que  nasceram  os  nossos   pais.   4.  Não  só  repeDmos  os  gestos  dos  demais  e   obedecemos  às  normas  do  nosso  grupo   (como  faz  qualquer  animal  que  se  preze),   como,  sendo  caso  disso,  desobedecemos,   revoltamo-­‐nos,  violamos  as  roDnas  e  as   normas  estabelecidas.  
  • 9. A  Construção  do  Social   Como dizia Aristóteles, “o Homem é um animal cívico, um animal político”. 5.  Mas  não  desobedecemos  por  não  querermos   obedecer,  mas   a)  Porque  queremos  melhores  razões  para   obedecer  do  que  as  que  nos  são  dadas;   b)  Porque  queremos  chefes  (ou  ser  chefes),   cujas  ordens  remetam  para  uma   autoridade  digna  de  respeito.  
  • 10. A  Construção  do  Social   A hierarquização social reflecte: 1.  Valores 2.  Práticas, e 3.  Mentalidades Que têm em conta: •  O poder económico •  O poder militar •  O poder religioso •  O género •  A idade...
  • 11. A  Construção  do  Social   A estratificação social permite descrever: 1.  Os direitos, 2.  Os deveres, e 3.  Funções De cada indivíduo ou grupo na sociedade e época em que vive.
  • 12. A  Construção  do  Social   A estratificação social reflecte, em geral, as desigualdades sociais, típicas de uma determinada sociedade e época.
  • 13. A  Construção  do  Social  
  • 14. A  Construção  do  Social   Na Antiga Grécia, berço da Democracia Ocidental, praticava-se o esclavagismo. Só um sexto da população tinha direitos de cidadania. Na  Grécia  AnDga:   1.  Os  escravos,   2.  As  mulheres,   3.  Os  estrangeiros   Não  parKcipavam  nas  decisões  da  Cidade.   Não  Knham  direitos  de  cidadania.  
  • 15. Construção  do  Social   OS  NÃO-­‐CIDADÃOS  NA  ANTIGA  GRÉCIA   Também  chamados  “metecos”,  não  podiam:   1.  Possuir  terras   2.  ParKcipar  na  administração  da  cidade   Os  Estrangeiros   Dedicavam-­‐se  sobretudo  ao  comércio  e  ao   artesanato.   Apesar  de  não  terem  direitos  de  cidadania,  Knham  a   obrigação  de  pagar  impostos.   Viviam  na  dependência  do  homem  (primeiro  do  pai   e,  depois  de  casadas,  do  marido).   As  Mulheres   Dedicavam-­‐se  às  lides  domésKcas  e  à  educação  dos   filhos.   Sem  liberdade  nem  direitos  políKcos,  executavam,   além  de  serviços  domésKcos,  a  maioria  dos   Os  Escravos   trabalhos  pesados.   Em  Atenas,  eram  protegidos  por  leis  contra  os   maus-­‐tratos.  
  • 16. A  Construção  do  Social   Para Aristóteles, sendo o Homem um ser político e social, é-lhe natural viver e organizar-se em sociedade. Para Aristóteles, também a hierarquização homem/mulher ou senhor/escravo era natural. Segundo  Aristóteles,  os  seres  humanos  não  são   naturalmente  iguais,  e  essa  diferença  deve  ser   preservada.   Para  ele,  quem  não  é  igual  não  pode  ser  tratado   de  modo  igual.  
  • 17. A  Construção  do  Social   Actualmente, existem ainda, sobretudo na Índia, práticas de segregação de pessoas em função de crenças na desigualdade natural entre elas. É o caso das castas hindus, fundamentadas em crenças religiosas. A  ConsDtuição  da  Índia  não  aprova  a   discriminação  em  função  das  castas,  mas  essa   práDca  mantém-­‐se  na  Índia  mais  tradicional.  
  • 19. Os  Párias  –  Os  Intocáveis  
  • 21. Exercícios   Não  se  esqueça  de  fazer  os   exercícios  no  “moodle”   Jorge  Barbosa,  2010