A verdade

18.280 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.280
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14.732
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
401
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A verdade

  1. 1. A VERDADEA VERDADEIGNORÂNCIA E VERDADEIGNORÂNCIA E VERDADE
  2. 2. Ignorância e VerdadeA verdade como um valor;Ignorância, incerteza e insegurança;Desejo da verdade;Dificuldades para a busca da verdade;Exemplos da busca filosófica da verdade.Sócrates;Descartes.
  3. 3. O que é a verdade? Verdade é tudo o que passa pelos meusVerdade é tudo o que passa pelos meussentidos? O que escuto e sinto?sentidos? O que escuto e sinto? Verdade é a versão vigente de algoVerdade é a versão vigente de algoexistente? Acredito no que me dizem?existente? Acredito no que me dizem? Verdade é algo sobrenatural? Um domVerdade é algo sobrenatural? Um domdivino? Uma dádiva dos deuses?divino? Uma dádiva dos deuses?
  4. 4. DITOS Conhecereis a verdade e a verdade vosConhecereis a verdade e a verdade voslibertará;libertará; A verdade e a mentira são parecidas, aA verdade e a mentira são parecidas, asegunda começa muito fácil e terminasegunda começa muito fácil e terminamuito difícil, a primeira começa muitomuito difícil, a primeira começa muitodifícil e termina muito fácil.difícil e termina muito fácil.
  5. 5. 1. A verdade como um valor ““Não se aprende filosofia, mas a filosofar”;Não se aprende filosofia, mas a filosofar”; A filosofia não se aprendeA filosofia não se aprendeautomaticamente;automaticamente; É uma decisão ou deliberação orientadaÉ uma decisão ou deliberação orientadapor um valor: a VERDADE;por um valor: a VERDADE; A filosofia é movida pelo desejo do que éA filosofia é movida pelo desejo do que éverdadeiro.verdadeiro.
  6. 6. 1.1. Verdade = Valor Pensando Bem...Pensando Bem... Afirmar que a verdade é um valor significaAfirmar que a verdade é um valor significadizer que o verdadeiro confere às coisasdizer que o verdadeiro confere às coisasum sentido que elas não teriam se fossemum sentido que elas não teriam se fossemconsideradas indiferentes à verdade e àconsideradas indiferentes à verdade e àfalsidade.falsidade.
  7. 7. 2. Ignorância, incerteza einsegurança. Ignorar é não saber alguma coisa;Ignorar é não saber alguma coisa; A ignorância se mantém na utilidade dasA ignorância se mantém na utilidade dascrenças e opiniões, não temos motivoscrenças e opiniões, não temos motivospara duvidar delas;para duvidar delas; Na incerteza descobrimos que somosNa incerteza descobrimos que somosignorantes, não sabemos o que pensar eignorantes, não sabemos o que pensar edizer, temos dúvidas e somos tomadosdizer, temos dúvidas e somos tomadospela insegurança.pela insegurança.
  8. 8. 2.1. Busca da verdade Confiança e segurança – espanto eConfiança e segurança – espanto eadmiração;admiração; Não sabemos o que fazer com aNão sabemos o que fazer com anovidade;novidade; O espanto e a admiração nos fazemO espanto e a admiração nos fazemqueres sair do estado de insegurança,queres sair do estado de insegurança,nos fazem perceber nossa ignorância enos fazem perceber nossa ignorância ecriam o desejo de superar a incerteza.criam o desejo de superar a incerteza.
  9. 9. 3. Desejo da verdade Desejo de confiar nas coisas e pessoas;Desejo de confiar nas coisas e pessoas; Vida cotidiana = decepções;Vida cotidiana = decepções; Ex: Criança: Diferença entre brincar, jogar,Ex: Criança: Diferença entre brincar, jogar,fingir e faltar à confiança;fingir e faltar à confiança; Diferença entre imaginação e percepção;Diferença entre imaginação e percepção; Decepções infantis:Decepções infantis:As coisas maravilhosas não existem;As coisas maravilhosas não existem;Os adultos podem nos dizer falsidades e nosOs adultos podem nos dizer falsidades e nosenganar.enganar.
  10. 10. 3.1. Consequências das decepções A criança se recusa a sair do mundoA criança se recusa a sair do mundoimaginário e sofre com a realidade comoimaginário e sofre com a realidade comoalguma coisa ruim e hostil a ela;alguma coisa ruim e hostil a ela; De forma dolorosa aceita a distinção, seDe forma dolorosa aceita a distinção, setorna atenta e desconfiada diante datorna atenta e desconfiada diante dapalavra dos adultos. (busca da verdade)palavra dos adultos. (busca da verdade)
  11. 11. 3.2. Desejos de criança. Busca de um mundo melhor e mais belo:Busca de um mundo melhor e mais belo: mundo das artes;mundo das artes; Por que o mundo é do jeito que é? PodePor que o mundo é do jeito que é? Podeser melhor? O que poderia ser feito paraser melhor? O que poderia ser feito paramudá-lo?:mudá-lo?:desejo de conhecimento intelectual e da açãodesejo de conhecimento intelectual e da açãotransformadora.transformadora.
  12. 12. 3.3. Decepções... Criança: obrigada a aceitar “de verdade” oCriança: obrigada a aceitar “de verdade” oque é “de mentira”, quando descobre aque é “de mentira”, quando descobre amentira;mentira; Jovem: quando o que foi ensinadoJovem: quando o que foi ensinadoencobre a verdade, reprime sua liberdade;encobre a verdade, reprime sua liberdade; Adulto: quando o saber adquirido, asAdulto: quando o saber adquirido, ascrenças e as opiniões não são suficientescrenças e as opiniões não são suficientespara os problemas enfrentados.para os problemas enfrentados.
  13. 13. 3.4. Conclusão A busca da verdade está sempre ligada aA busca da verdade está sempre ligada auma decepção, a uma desilusão, a umauma decepção, a uma desilusão, a umadúvida, a uma perplexidade, a umadúvida, a uma perplexidade, a umainsegurança, ou , então, a um espanto einsegurança, ou , então, a um espanto euma admiração perante algo novo euma admiração perante algo novo einsólito.insólito.

×