Animação de Imagens e Cinema de Animação

2.460 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Brinquedos Ópticos, animação de imagens e Cinema de Animação.

Publicada em: Educação

Animação de Imagens e Cinema de Animação

  1. 1. Animação de Imagens dos Brinquedos Ópticos ao Cinema de Animação José Alberto Rodrigues ESE do Porto | 25 Fevereiro 2010
  2. 2. Animação de Imagens [ um percurso breve ] …dos Brinquedos Ópticos ao Cinema de Animação <ul><ul><li>O porquê das “imagens em movimento”? </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pri – o que nos permite ver animação e não apenas imagens </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Acessível a todos? </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Deveria ser regra, nunca uma excepção… </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Let’s go Animate?... </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Porque Anima + Acção é a chave… </li></ul></ul>
  3. 3. Thaumatrope
  4. 4. Thaumatrope a persitência retiniana das imagens <ul><ul><li>Willian Fitton ou John Ayorton Paris??? </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1825 ou 1827? </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>O que importa? </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>O THAUMATROPE demonstra o fenómeno da Pri – Persistência Retiniana das imagens </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>(aquilo que nos faz ver as imagens em movimento) </li></ul></ul></ul></ul>
  5. 9. Phenakistiscope
  6. 10. Phenakistiscope as primeiras imagens animadas <ul><ul><li>Joseph Antoine Plateau </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Inspirou-nos nos trabalhos desenvolvidos por Peter Mark Roget e Michael Faraday </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>1832 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>marca uma evolução extraordinária e rápida… </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Third level gets really deep and actually kind of small </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>O Phenakistiscope já permite ver imagens em movimento, projectadas num espelho. </li></ul></ul>
  7. 14. Zootrope
  8. 15. Zootrope … e cada vez mais imagens animadas, em continuidade <ul><ul><li>William George Horner </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1834 </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>criado a partir dos estudos de Simon Stampfer. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>O Zootrope (ou Daedalum) já permite uma sequência de imagens grande… </li></ul></ul>
  9. 19. Praxinoscope
  10. 20. Praxinoscope animações com imagens mais nítidas <ul><ul><li>Émile Reynaud </li></ul></ul><ul><ul><li>1877 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>uma evolução do Zootrope: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Imagens mais nítidas projectadas nos espelhos </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>O Praxinoscope e evolução para o Praxinoscope de projecção abrem caminho ao cinema… </li></ul></ul>
  11. 23. Flip-Book
  12. 24. Flip-Books … arte de animar (e/ou folhear)? <ul><ul><li>John Barns Linnet </li></ul></ul><ul><ul><li>1868 </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>um pequeno desenho animado </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>(riam-se… o que todos gostávamos de fazer nas aulas mais “seca”) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>O Flip-Book ainda hoje é o fascínio de muita gente e o BO que toda a gente conhece… </li></ul></ul>
  13. 29. Animação
  14. 30. Animação e entramos no mundo mágico da animação! <ul><ul><li>o caminho é… </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>… onde quiserem ir! </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>ANIMAR é a chave!... </li></ul></ul>
  15. 33. FIM Obrigado José Alberto Rodrigues 25 de Fevereiro de 2010

×