O ensino da Língua Inglesa - Dramatização

1.394 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.394
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O ensino da Língua Inglesa - Dramatização

  1. 1. Alunas: Jaqueline Pinheiro Daniela Cristina O ENSINO DA LÍNGUA INGLESA Susan Holden e Mickey Rogers
  2. 2. Usando a literatura Parece que a palavra literatura não tem lugar nas aulas comunicativas modernas do ensino fundamental ou do ensino médio. Ao falarmos em literatura, sempre pensamos em estudantes universitários, que trabalham com textos de leitura de nível superior ás nossas habilidades produtivas de linguagem. Mas, ao mesmo tempo, há pessoas que acham uma pena o aprendizado de língua estrangeira limitar-se exclusivamente ao mundano e “imediatamente utilitarista”.
  3. 3. A literatura, na sua forma simples, pode ser integrada ao ensino da língua sem perda de tempo ou sem um retorno aos antigos métodos de ensino. Haver ou não um espaço para a literatura na aula é uma decisão exclusiva do professor. O importante é que essa aula tenha uma abordagem diferente das adotadas antes da abordagem comunicativa.
  4. 4. Que tipo de literatura-e por quê? Pensar em “literatura” é o mesmo que pensar em canções adequadas para uso em aula. Se o professor pensar em literatura desta forma, descobrirá existirem textos de leitura que podem ser usados com os alunos de formas muito interessantes, divertid os e de fácil entendimento.
  5. 5. O gênero literário de uso mais adequado nas aulas de inglês, apesar da surpresa que provoca, é o poema. A poesia contemporânea é a mais acessível aos alunos, pois apresenta a linguagem e assuntos que lhes são familiares.
  6. 6. Reminds you of me when I though Goes to the ground silent and desolate; When you do not have more on my side Shadow and go cry for whom I weep. Remember When you no longer can, every hour, Talk to me in the future thou shalt dreamed, Ah! Me and reminds you of the past, Delight of this for now. However, if someday I olvidares And then you remember again Weep not: that in the midst of my sorrows, There is a remnant of affection that you saw in me, - Best to forget me, but glad, Reminding me that and become sad. Christina Rossetti.
  7. 7. Loving thing Tell you at length the dangerous Things of the sea. Tell you what ardent love And the islands there is only the verb to love. Tell you at length at length. Burning Love. Burning Love. And in March Tell you at length the mysterious Wonders of the verb navigate. And in March love: dangerous things. Tell you at length what has been The time to love something sweet. And in March Tell you how long doe Land on the mysterious islands. Tell you the sea burning and the verb to love. And at length the dangerous things. Christina Rossetti.
  8. 8. Apresentar uma peça de teatro para a classe é uma atividade que as crianças do Ensino Fundamental gostam de fazer; já para os alunos do Ensino Médio, pode vir a ser uma atividade constrangedora. Será que vale a pena trabalhar com teatro em sala de aula? Como fazê-lo de forma produtiva?
  9. 9. OS DIÁLOGOS Grande parte da linguagem dos livros didáticos é apresentada e praticada por meio de diálogos. O fato de a linguagem estar inserida no contexto e colocada na fala de vários personagens torna mais vivo o ensino da língua. Há alguma maneira de estimular os alunos a ler um diálogo que apresenta uma nova estrutura-chave de linguagem várias vezes, até fixá-la em sua mente?
  10. 10. É muito fácil acrescentar alguma personalidade para as interações mais básicas. Isso permite aos alunos usar sua imaginação, e a linguagem se incorporará mais naturalmente a vida. Pronúncia e entonação soarão muito melhor.
  11. 11. ENCENANDO OS DIÁLOGOS Se você perceber que os alunos gostam de usar diálogos, poderá estimulá-los a encenar, ao invés de apenas ler em voz alta. Eles poderão adicionar movimentos e gestos e, constantemente, estarão repetindo e usando a nova linguagem de forma memorizável.
  12. 12. As fichas de “deixas” Um dos problemas com o uso de diálogos impressos no livro didático é que os alunos podem ver as falas do colega, o que tira a surpresa do diálogo. Na vida real, normalmente não sabemos o que a outra pessoa nos dirá. As fichas de “deixas” podem ajudar. Se cada aluno que forma uma dupla tiver suas falas em uma ficha, e não puder ver as palavras do companheiro, terá que ouvir atenciosamente e reagir da mesma forma que faria na vida real.
  13. 13. Usando Dramatização: A MÍMICA A mímica – ação sem palavras – pode também ser usada nas aulas de língua estrangeira, desde que os alunos gostem dessa brincadeira. Pode ser adequada a atividades de adivinhação: um aluno faz uma mímica de uma pessoa ou de uma ação, e os outros tem de adivinhar quem é a pessoa imitada ou o que está fazendo, usando perguntas que tenham como resposta apenas “sim ou não”.
  14. 14. A mímica pode dirigir à prática de linguagem A mímica pode também ser usada para contar uma história. Um grupo de alunos compõe uma história, ou uma sequência de atos, e apresenta para o resto da classe por meio de mímica. Depois a classe reproduz a história oralmente.
  15. 15. PROJETO O termo projeto, frequentemente, é usado para de descrever atividades razoavelmente complexas que exigem tempo e recursos durante e fora das aulas. É também um termo frequentemente usado para designar atividades fora da sala da aula, que podem ser feitas somente em um meio onde a comunicação ocorre em inglês.
  16. 16. No nosso caso, o termo projeto é usado para descrever: - Atividades feitas em sala de aula que requeiram dos alunos conhecimentos gerais e informações para fazer algo em inglês. - Atividades feitas fora da sala de aula que exijam que os alunos coletem informações (frequentemente na sua própria língua) e as tragam para a sala de aula.
  17. 17. Um projeto simples para ajudar os alunos a aumentar seu vocabulário em inglês pode ser o de apresentar o assunto em um cartaz preparado pela classe. Lembre-os de que provavelmente há muitas palavras em inglês na sua própria língua. Geralmente são vocábulos que se tornam internacionais (ás vezes com ortografia e pronúncia diferentes), como: • Computador, Bar, Scanner, Xampu, Disco e Hambúrguer
  18. 18. Razões para usar projetos O uso de projetos pode estimular os alunos a trabalhar por si próprios e aumentar o número de horas que ficam expostos ao inglês.
  19. 19. Alguns projetos são especialmente úteis a esse propósito. O problema recorrente para a maior parte dos professores é tornar o conteúdo de uma lição aplicável e interessante para todos os alunos. E também proporcionar prática suficiente na língua, quando se dispõe apenas de 70/90 hora-aula no ano letivo. O uso de projetos pode estimular os alunos a trabalhar por si sós, concentrando-se em seus próprios interesses, fora do horário de aula.
  20. 20. Dessa maneira, o projeto pode propiciar: • Motivação do aluno; • Progresso individual do aluno; • Um tempo disponível para o inglês; • Cultura geral.

×