D
ESEN
VO
LVEN
D
O
EQ
UIPES
PAR
A
A
APR
EN
D
IZAG
EM
M
ÓDULO
I:
A
IM
PORTÂNCIA
DA
APRENDIZAGEM
NAS
ORGANIZAÇÕES
Dra. Jaque...
OBJETIVO GERAL DO CURSO
Ao final do curso, o participante deverá:
1) Conhecer os conceitos norteadores das
organizações e ...
UNIDADES DE APRENDIZAGEM
Módulo I: A Importância da Aprendizagem nas
Organizações
Módulo II: Reconhecendo o Potencial da E...
MÓDULO I - A IMPORTÂNCIA DA APRENDIZAGEM
NAS ORGANIZAÇÕES
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 4
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Ao final deste módulo, você será capaz de:
 Compreender a importância da
aprendizagem nas organizaç...
REFLEXÃO:
INSTRUIR É
EDUCAR?
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 6
INSTRUIR É EDUCAR?
Você já percebeu como se fala pouco de
professores e muito de instrutores, no mundo
do trabalho?
Reparo...
O QUE É APRENDIZAGEM?
É um processo no qual há mudanças no
comportamento das pessoas e grupos,
decorrente da interação soc...
O QUE É APRENDIZAGEM?
Conhecimento é informação (conteúdo cognitivo)
Habilidade é capacidade de fazer (conteúdo
psicomotor...
A IMPORTÂNCIA DA APRENDIZAGEM NAS
ORGANIZAÇÕES
A aprendizagem tem uma importância
estratégica para as organizações, que vi...
A APRENDIZAGEM COMO UM SUBSISTEMA
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 11
APRENDIZAGEM É UMA ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 12
“O professor medíocre diz; o bom professor
e...
APRENDIZAGEM É UMA ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 13
A aprendizagem nas organizações pode ocorrer...
APRENDIZAGEM É UMA ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 14
O conceito de Educação Corporativa* (EC) é
c...
Desenvolver competências críticas: aquelas
competências que são necessárias aos
gestores e fundamentais para quaisquer
tra...
VISÃO TRADICIONAL
SOBRE
APRENDIZAGEM NAS
ORGANIZAÇÕES
Desenvolver competências
críticas e emergentes
OBJETIVOOBJETIVO
FOCO...
1) Que seja um processo permanente, para
além das salas de aula físicas e virtuais;
e
2) Que a aprendizagem seja contínua,...
DESAFIOS DA APRENDIZAGEM NAS
ORGANIZAÇÕES
Para tanto, é importante que:
o A aprendizagem seja valorizada;
o As competência...
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 19
DESAFIOS DA APRENDIZAGEM NAS
ORGANIZAÇÕES
o Os processos de trabalho sejam
transversais, possibilitando a vivência de
dife...
DESAFIOS DA APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES
...Auto-instrução
...Autogestão da aprendizagem e da carreira
...Educação a Dist...
QUEM É O PÚBLICO-ALVO DA APRENDIZAGEM
ORGANIZACIONAL NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA?
Comunidade
universitária
Servidores
DRA....
PRECONCEITOS CONTRA A APRENDIZAGEM NAS
ORGANIZAÇÕES
Alguns gestores resistem à ideia de possibilitar
condições para que se...
RETORNO SOBRE O INVESTIMENTO
Algumas organizações dedicam cerca de 4% do
seu faturamento em programas de
treinamento, muda...
INDICADORES DO RETORNO SOBRE O INVESTIMENTO
EM TD&E
 Diferença do valor gerado pela pessoa no
cargo com relação ao custo ...
TREINAMENTO, DESENVOLVIMENTO E EDUCAÇÃO
(TD&E)
TD&E é um processo sistemático, planejado
pela organização de trabalho, par...
UMA VISÃO DE TD&E
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 27
DEFINIÇÕES DE TD&E
(adaptado de Silva, Moura e Zanelli, 2005)
Informação:
Unidade ou módulo organizado por conteúdos e
dis...
DEFINIÇÕES DE TD&E
(adaptado de Silva, Moura e Zanelli, 2005)
Treinamento:
Eventos de curta e média duração, para
transmis...
DEFINIÇÕES DE TD&E
Educacão:
“Conjuntos de eventos educacionais de média e
longa duração com o intuito de formar e qualifi...
OUTRAS DEFINIÇÕES
Mentoria:
Ação de influenciar, aconselhar, ouvir, ajudar a
clarificar ideias e a fazer escolhas, guiar, ...
TD&E
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 32
VISÃO SISTÊMICA DE TD&E
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 33
Nada é simples, só há simplificações
O conhecimento das coisas é ...
CAPITAL INTELECTUAL E CAPITAL HUMANO
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 34
Na Era Industrial (século XVIII – Anos 80 do
século ...
CAPITAL INTELECTUAL E CAPITAL HUMANO
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 35
Na Era da Informação (a partir dos anos 80,
século X...
CAPITAL INTELECTUAL E CAPITAL HUMANO
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 36
CAPITAL INTELECTUAL
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 37
CAPITAL HUMANO
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 38
PESSOAS COMO TALENTOS
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 39
CAPITAL INTELECTUAL E CAPITAL HUMANO
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 40
O capital físico se deprecia com o uso
O capital int...
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 41
PRÓXIMO MÓDULO:
RECONHECENDO O POTENCIAL DA EQUIPE
DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 42
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Desenvolvendo equipes para a aprendizagem - Módulo I: A Importância da Aprendizagem nas Organizações

715 visualizações

Publicada em

Aula do curso online Desenvolvendo Equipes para a Aprendizagem - Módulo I: A Importância da Aprendizagem nas Organizações
Autora: Dra. Jaqueline Gomes de Jesus (Universidade de Brasília)

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
715
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
29
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desenvolvendo equipes para a aprendizagem - Módulo I: A Importância da Aprendizagem nas Organizações

  1. 1. D ESEN VO LVEN D O EQ UIPES PAR A A APR EN D IZAG EM M ÓDULO I: A IM PORTÂNCIA DA APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES Dra. Jaqueline Gomes de Jesus
  2. 2. OBJETIVO GERAL DO CURSO Ao final do curso, o participante deverá: 1) Conhecer os conceitos norteadores das organizações e equipes que aprendem; e 2) Adotar atitudes propiciadoras da aprendizagem em equipes de trabalho, com foco no(a) gestor(a) como facilitador(a) do processo. DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 2
  3. 3. UNIDADES DE APRENDIZAGEM Módulo I: A Importância da Aprendizagem nas Organizações Módulo II: Reconhecendo o Potencial da Equipe Módulo III: Desenvolvendo Equipes que Aprendem DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 3
  4. 4. MÓDULO I - A IMPORTÂNCIA DA APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 4
  5. 5. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Ao final deste módulo, você será capaz de:  Compreender a importância da aprendizagem nas organizações;  Definir capital intelectual e capital humano; e  Conceituar Treinamento, Desenvolvimento e Educação. DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 5
  6. 6. REFLEXÃO: INSTRUIR É EDUCAR? DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 6
  7. 7. INSTRUIR É EDUCAR? Você já percebeu como se fala pouco de professores e muito de instrutores, no mundo do trabalho? Reparou como existe todo tipo de treinamento? Mas há quanto tempo você não houve falar de alguém que não apenas instrui, treina, mas busca ajudar o outro a se desenvolver, ou a se educar para lidar com os desafios do ambiente de trabalho? Você acha que poderíamos ter mais oportunidades de educação no ambiente de trabalho? Qual é a sua opinião sobre isso? DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 7
  8. 8. O QUE É APRENDIZAGEM? É um processo no qual há mudanças no comportamento das pessoas e grupos, decorrente da interação social, que resulta na aquisição de Conhecimentos, Habilidades e Atitudes (CHAs) Pode ocorrer em qualquer local, de forma planejada ou não Nas organizações, busca-se viabilizar processos planejados de aprendizagem Quem aprende pode reter e transferir CHAs DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 8
  9. 9. O QUE É APRENDIZAGEM? Conhecimento é informação (conteúdo cognitivo) Habilidade é capacidade de fazer (conteúdo psicomotor) Atitude é desejo de fazer (conteúdo afetivo) Quando as pessoas e grupos mobilizam seus CHAs para alcançarem um melhoria de desempenho no trabalho, adquirem competências. Competência é a aplicação dos CHAs a um determinado contexto de trabalho Contexto de trabalho: conjunto das condições estruturais, culturais e relacionais que possibilitam a aplicação dos CHAs DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 9
  10. 10. A IMPORTÂNCIA DA APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES A aprendizagem tem uma importância estratégica para as organizações, que visa à: “Formação e desenvolvimento de talentos, promovendo geração, assimilação, difusão e aplicação do conhecimento organizacional, por meio de um processo de aprendizagem ativa e contínua e gerando resultados” (Éboli, 2004). DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 10
  11. 11. A APRENDIZAGEM COMO UM SUBSISTEMA DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 11
  12. 12. APRENDIZAGEM É UMA ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 12 “O professor medíocre diz; o bom professor explica; o professor superior demonstra; o grande professor inspira” (William Ward, 1921- 1994). A aprendizagem nas organizações busca sanar lacunas entre entre o que o mundo do trabalho exige e os recursos que as pessoas dispõem, decorrentes da educação tradicional, da falta ou do treinamento insuficiente Além dos conteúdos cognitivos, atitudes como ética e predisposição ao aprendizado coletivo são importantes atualmente
  13. 13. APRENDIZAGEM É UMA ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 13 A aprendizagem nas organizações pode ocorrer de forma sistemática ou não Geralmente os trabalhadores se utilizam de Estratégias de Aprendizagem no Trabalho (EATs), que são iniciativas não sistematizadas pela organização, para que possam adquirir, reter e transferir competências no contexto de trabalho, tais como: •Repetição, reflexão, busca de ajuda com outra pessoa, busca de ajuda em material, aplicação prática, monitoramento da compreensão, entre outras EATs
  14. 14. APRENDIZAGEM É UMA ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 14 O conceito de Educação Corporativa* (EC) é constante nas discussões atuais sobre aprendizagem nas organizações A EC costuma ser associada e aplicada nas chamadas Universidades Corporativas, que podem ser unidades únicas e flexíveis, com uma equipe híbrida e multidisciplinar, adotando, em suas ações e estratégias, uma mescla do rigor científico com o enfoque pragmático do trabalho em organizações * Conheça um breve panorama da Educação Corporativa no Brasil acessando http://www.educor.desenvolvimento.gov.br/public/arquivo/arq1229429576.pdf
  15. 15. Desenvolver competências críticas: aquelas competências que são necessárias aos gestores e fundamentais para quaisquer trabalhadores da organizações. Desenvolver competências emergentes, alinhadas a objetivos de longo prazo da organização, relacionadas ao mundo do trabalho contemporâneo, em constante transformação. DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 15 OBJETIVOS DA APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES
  16. 16. VISÃO TRADICIONAL SOBRE APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES Desenvolver competências críticas e emergentes OBJETIVOOBJETIVO FOCOFOCO ESCOPOESCOPO ÊNFASEÊNFASE PÚBLICOPÚBLICO LOCALLOCAL RESULTADORESULTADO Aprendizado organizacional Estratégico Estratégias organizacionais Interno e Externo Espaços Físico e Virtual Aumento da competitividade organizacional Desenvolver habilidades Aprendizado Individual Tático Interno Espaço Físico Aumento das habilidades individuais Necessidades Individuais DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 16 VISÃO INOVADORA SOBRE APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES
  17. 17. 1) Que seja um processo permanente, para além das salas de aula físicas e virtuais; e 2) Que a aprendizagem seja contínua, ou seja, que possa ocorrer a qualquer hora e em qualquer lugar. DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 17 DESAFIOS DA APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES
  18. 18. DESAFIOS DA APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES Para tanto, é importante que: o A aprendizagem seja valorizada; o As competências da organização sejam complexas, para que possam ser exploradas em suas diferentes dimensões; o Alinhar as competências individuais às competências organizacionais... DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 18
  19. 19. DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 19
  20. 20. DESAFIOS DA APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES o Os processos de trabalho sejam transversais, possibilitando a vivência de diferentes experiências laborais e o aprendizado de diversas competências pelos trabalhadores; o Os locais de trabalho sejam dinâmicos, com investimento em... DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 20
  21. 21. DESAFIOS DA APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES ...Auto-instrução ...Autogestão da aprendizagem e da carreira ...Educação a Distância com a aplicação das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs) ...E-learning ...Gestão e produção de novos conhecimentos ...Aprendizagem aberta Com o desenvolvimento físico, emocional e intelectual das pessoas, a organização se desenvolve. DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 21
  22. 22. QUEM É O PÚBLICO-ALVO DA APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA? Comunidade universitária Servidores DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 22
  23. 23. PRECONCEITOS CONTRA A APRENDIZAGEM NAS ORGANIZAÇÕES Alguns gestores resistem à ideia de possibilitar condições para que seus subordinados tenham oportunidades de Treinamento, Desenvolvimento e Educação (TD&E) Isso se deve aos desconhecimento, por exemplo, de que um treinamento pode reduzir custos e aumentar a produtividade associada ao trabalho Mais do que ser apenas uma despesa, em termos de tempo e dinheiro, TD&E é um investimento! DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 23
  24. 24. RETORNO SOBRE O INVESTIMENTO Algumas organizações dedicam cerca de 4% do seu faturamento em programas de treinamento, mudança e melhoria organizacional As organizações estão preocupadas com o retorno do investimento feito em TD&E (também conhecido como ROI – Return On Investiment*), e estimam os custos e benefícios decorrentes Essa estimativa tem como foco a produção, o serviço prestado ou o alcance dos objetivos da organização DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 24 * Conheça um cálculo do ROI acessando www.axialent.com
  25. 25. INDICADORES DO RETORNO SOBRE O INVESTIMENTO EM TD&E  Diferença do valor gerado pela pessoa no cargo com relação ao custo do treinamento  Período de pagamento dos gastos em treinamento com relação ao período de retorno dos benefícios de treinamento  Quanto tempo de desempenho é requerido para cobrir o tempo do treinamento  Custo da rotatividade antes e depois do treinamento  Economias atribuídas à intervenção do treinamento DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 25
  26. 26. TREINAMENTO, DESENVOLVIMENTO E EDUCAÇÃO (TD&E) TD&E é um processo sistemático, planejado pela organização de trabalho, para a promoção da aprendizagem DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 26
  27. 27. UMA VISÃO DE TD&E DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 27
  28. 28. DEFINIÇÕES DE TD&E (adaptado de Silva, Moura e Zanelli, 2005) Informação: Unidade ou módulo organizado por conteúdos e disponibilizado por diversos meios, com ênfase nas NTICs Instrução: Evento de curta duração, para a transmissão de CHAs simples DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 28
  29. 29. DEFINIÇÕES DE TD&E (adaptado de Silva, Moura e Zanelli, 2005) Treinamento: Eventos de curta e média duração, para transmissão de regras, a fim de sanar lacunas de desempenho no cargo atual Desenvolvimento: Experiências e oportunidades de aprendizagem que visam à formação pessoal ou à preparação para o desempenho em um possível cargo futuro DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 29
  30. 30. DEFINIÇÕES DE TD&E Educacão: “Conjuntos de eventos educacionais de média e longa duração com o intuito de formar e qualificar profissionalmente os empregados de forma contínua” (Silva, Moura e Zanelli, 2005) É um processo complexo de estímulo à reflexão e à concatenação de CHAs, para fazer aflorar as potencialidades do educando DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 30
  31. 31. OUTRAS DEFINIÇÕES Mentoria: Ação de influenciar, aconselhar, ouvir, ajudar a clarificar ideias e a fazer escolhas, guiar, no contexto de trabalho, por parte de alguém experiente Tutoria: Responsabilização pelo acompanhamento do aprendizado do treinando DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 31
  32. 32. TD&E DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 32
  33. 33. VISÃO SISTÊMICA DE TD&E DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 33 Nada é simples, só há simplificações O conhecimento das coisas é incompleto Pessoas e grupos são capazes de se auto- regenerar e de se auto-organizar, por isso produzem, toleram e combatem a desordem e se reformulam nesse processo É necessária a ordem organizacional, mas também se precisa de tolerância à desordem Soluções existem na mesma situação que gerou os problemas
  34. 34. CAPITAL INTELECTUAL E CAPITAL HUMANO DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 34 Na Era Industrial (século XVIII – Anos 80 do século XX):  Valorizavam-se apenas o capital financeiro e o capital material  Sucesso organizacional → era medido pelo tamanho da organização e suas instalações, tão-somente pelo patrimônio material Busca por ativos tangíveis
  35. 35. CAPITAL INTELECTUAL E CAPITAL HUMANO DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 35 Na Era da Informação (a partir dos anos 80, século XX):  São cada vez mais valorizados o capital intelectual e o capital humano Sucesso organizacional → medido também pela capacidade de inovar, antecipar-se às demais organizações e conquistar clientes antes delas Busca por ativos intangíveis
  36. 36. CAPITAL INTELECTUAL E CAPITAL HUMANO DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 36
  37. 37. CAPITAL INTELECTUAL DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 37
  38. 38. CAPITAL HUMANO DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 38
  39. 39. PESSOAS COMO TALENTOS DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 39
  40. 40. CAPITAL INTELECTUAL E CAPITAL HUMANO DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 40 O capital físico se deprecia com o uso O capital intelectual se valoriza cada vez mais Os Conhecimento, Habilidades e Atitudes (CHAs) de uma pessoa não diminuem se ela os compartilha com outras Vivemos na Sociedade do Conhecimento, onde organizações do conhecimento são organizações aprendizes, organizações que aprendem
  41. 41. DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 41
  42. 42. PRÓXIMO MÓDULO: RECONHECENDO O POTENCIAL DA EQUIPE DRA. JAQUELINE GOMES DE JESUS 42

×