Aula 35 1º cga

771 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
771
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
418
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 35 1º cga

  1. 1. Fontes energéticas São usados principalmente como fontes energéticas, que podem ser classificadas em dois grupos: ● Fontes energéticas primárias: conjunto de matérias-primas ou fenômenos naturais usados na produção de energia – Matérias-primas: carvão mineral, gás natural e minérios atômicos – Fenômenos naturais: águas correntes e ventos
  2. 2. Fontes energéticas São usados principalmente como fontes energéticas, que podem ser classificadas em dois grupos: ● Fontes energéticas primárias: conjunto de matérias-primas ou fenômenos naturais usados na produção de energia – Matérias-primas: carvão mineral, gás natural e minérios atômicos – Fenômenos naturais: águas correntes e ventos ● Fontes energéticas secundárias: originadas pela transformação ou conversão das fontes energéticas primárias – Gasolina, diesel, energia elétrica obtida pelas águas correntes, energia eólica.
  3. 3. Fontes energéticas São usados principalmente como fontes energéticas, que podem ser classificadas em dois grupos: ● Fontes energéticas primárias: conjunto de matérias-primas ou fenômenos naturais usados na produção de energia – Matérias-primas: carvão mineral, gás natural e minérios atômicos – Fenômenos naturais: águas correntes e ventos ● Fontes energéticas secundárias: originadas pela transformação ou conversão das fontes energéticas primárias – Gasolina, diesel, energia elétrica obtida pelas águas correntes, energia eólica. Classificação das fontes energéticas: ● Renováveis: são reconstituídas de forma natural ou pela ação da sociedade. Ex.: águas correntes, raios solares, ventos, álcool.
  4. 4. Fontes energéticas São usados principalmente como fontes energéticas, que podem ser classificadas em dois grupos: ● Fontes energéticas primárias: conjunto de matérias-primas ou fenômenos naturais usados na produção de energia – Matérias-primas: carvão mineral, gás natural e minérios atômicos – Fenômenos naturais: águas correntes e ventos ● Fontes energéticas secundárias: originadas pela transformação ou conversão das fontes energéticas primárias – Gasolina, diesel, energia elétrica obtida pelas águas correntes, energia eólica. Classificação das fontes energéticas: ● Renováveis: são reconstituídas de forma natural ou pela ação da sociedade. Ex.: águas correntes, raios solares, ventos, álcool. ● Não renováveis: apresentam disponibilidade limitada no planeta e não podem ser reconstituídas. Ex.: combustíveis fósseis (carvão mineral, petróleo e gás mineral) e minérios atômicos.
  5. 5. Fontes energéticas São usados principalmente como fontes energéticas, que podem ser classificadas em dois grupos: ● Fontes energéticas primárias: conjunto de matérias-primas ou fenômenos naturais usados na produção de energia: – Matérias-primas: carvão mineral, gás natural e minérios atômicos – Fenômenos naturais: águas correntes e ventos ● Fontes energéticas secundárias: originadas pela transformação ou conversão das fontes energéticas primárias: – Gasolina, diesel, energia elétrica obtida pelas águas correntes, energia eólica. Classificação das fontes energéticas: ● Renováveis: são reconstituídas de forma natural ou pela ação da sociedade. Ex.: águas correntes, raios solares, ventos, álcool. ● Não renováveis: apresentam disponibilidade limitada no planeta e não podem ser reconstituídas. Ex.: combustíveis fósseis (carvão mineral, petróleo e gás mineral) e minérios atômicos. Os combustíveis fósseis não são renováveis porque são formados em condições especiais, em um processo que dura milhares de anos: ● Soterramento de matéria orgânica (animal ou vegetal) por sedimentos caídos no fundo de antigos mares ou lagos; ● O soterramento prolongado cria condições de temperatura e pressão que, após milhares de anos, fazem com que restem apenas carbono e hidrogênio, que se combinam para formar os hidrocarbonetos.
  6. 6. Fontes energéticas São usados principalmente como fontes energéticas, que podem ser classificadas em dois grupos: ● Fontes energéticas primárias: conjunto de matérias-primas ou fenômenos naturais usados na produção de energia: – Matérias-primas: carvão mineral, gás natural e minérios atômicos – Fenômenos naturais: águas correntes e ventos ● Fontes energéticas secundárias: originadas pela transformação ou conversão das fontes energéticas primárias: – Gasolina, diesel, energia elétrica obtida pelas águas correntes, energia eólica. Classificação das fontes energéticas: ● Renováveis: são reconstituídas de forma natural ou pela ação da sociedade. Ex.: águas correntes, raios solares, ventos, álcool. ● Não renováveis: apresentam disponibilidade limitada no planeta e não podem ser reconstituídas. Ex.: combustíveis fósseis (carvão mineral, petróleo e gás mineral) e minérios atômicos. Os combustíveis fósseis não são renováveis porque são formados em condições especiais, em um processo que dura milhares de anos: ● Soterramento de matéria orgânica (animal ou vegetal) por sedimentos caídos no fundo de antigos mares ou lagos; ● O soterramento prolongado cria condições de temperatura e pressão que, após milhares de anos, fazem com que restem apenas carbono e hidrogênio, que se combinam para formar os hidrocarbonetos.
  7. 7. Carvão mineral Histórico: fonte de energia básica da 1ª fase da Revolução Industrial ● 1875: respondia por 90% do consumo energético do mundo; ● As concentrações industrais originais coincidem com as grandes áreas de ocorrência do carvão mineral (Reino Unido, França e EUA).
  8. 8. Carvão mineral Histórico: fonte de energia básica da 1ª fase da Revolução Industrial ● 1875: respondia por 90% do consumo energético do mundo; ● As concentrações industrais originais coincidem com as grandes áreas de ocorrência do carvão mineral (Reino Unido, França e EUA). Produtivo: atualmente, o uso do carvão está concentrado na siderurgia e nas termelétricas.
  9. 9. Carvão mineral Histórico: fonte de energia básica da 1ª fase da Revolução Industrial ● 1875: respondia por 90% do consumo energético do mundo; ● As concentrações industrais originais coincidem com as grandes áreas de ocorrência do carvão mineral (Reino Unido, França e EUA). 90% de suas reservas estão no hemisfério Norte. EUA, Reino Unido, Polônia, Rússia e China são grandes produtores mundiais. Fonte do mapa: http://www.aneel.gov.br/aplicacoes/atlas/carvao_mineral/8_2.htm Produtivo: atualmente, o uso do carvão está concentrado na siderurgia e nas termelétricas.
  10. 10. Fim da 2ª Guerra Mundial → o petróleo se firma como a mais importante matéria-prima energética e industrial do planeta. Petróleo
  11. 11. Fim da 2ª Guerra Mundial → o petróleo se firma como a mais importante matéria-prima energética e industrial do planeta. ● Crescimento industrial da produção de veículos de transporte que são movidos a derivados de petróleo (naval, aeronáutico e autombilístico); ● Crescimento extraordinário dos setores petroquímicos e fábril na transformação do petróleo bruto em insumos (plástico, fibra sintética, detergentes, tintas, solventes, borrachas). Petróleo
  12. 12. Fim da 2ª Guerra Mundial → o petróleo se firma como a mais importante matéria-prima energética e industrial do planeta. ● Crescimento industrial da produção de veículos de transporte que são movidos a derivados de petróleo (naval, aeronáutico e autombilístico); ● Crescimento extraordinário dos setores petroquímicos e fábril na transformação do petróleo bruto em insumos (plástico, fibra sintética, detergentes, tintas, solventes, borrachas). Isso foi possibilitado pelo avanço tecnológico nos setores de: ● Exploração: que permitiu chegar a grandes profundidades; ● Transporte: com a construção de oleodutos; ● Refino: a obtenção de vários derivados do petróleo. Petróleo
  13. 13. Até a 2º Guerra Mundial, a produção de petróleo estava restrita aos EUA, URSS e Venezuela. O aumento de sua importância na economia e na produção mundial fez com que crescessem o número de países produtores. Petróleo
  14. 14. Até a 2º Guerra Mundial, a produção de petróleo estava restrita aos EUA, URSS e Venezuela. O aumento de sua importância na economia e na produção mundial fez com que crescessem o número de países produtores. Petróleo ● Grandes reservas petrolíferas → baixo custo de produção e preços competitivos no mercado petrolífero internacional; ● A economia urbano industrial frágil desses países → demanda interna por petróleo fraca → venda quase total da produção de petróleo para o mercado externo. Anos de 1960: Oriente Médio (Arábia Saudita, Irã, Iraque e Kwait) desponta como a maior região exportadora de petróleo.
  15. 15. Até a 2º Guerra Mundial, a produção de petróleo estava restrita aos EUA, URSS e Venezuela. O aumento de sua importância na economia e na produção mundial fez com que crescessem o número de países produtores. Petróleo ● Grandes reservas petrolíferas → baixo custo de produção e preços competitivos no mercado petrolífero internacional; ● A economia urbano industrial frágil desses países → demanda interna por petróleo fraca → venda quase total da produção de petróleo para o mercado externo. Anos de 1960: Oriente Médio (Arábia Saudita, Irã, Iraque e Kwait) desponta como a maior região exportadora de petróleo. Aumento da importância do petróleo no mundo e a concentração do recurso no Oriente Médio transformaram a região em uma das áreas mais estratégicas do mundo.
  16. 16. Até a 2º Guerra Mundial, a produção de petróleo estava restrita aos EUA, URSS e Venezuela. O aumento de sua importância na economia e na produção mundial fez com que crescessem o número de países produtores. Petróleo ● Grandes reservas petrolíferas → baixo custo de produção e preços competitivos no mercado petrolífero internacional; ● A economia urbano industrial frágil desses países → demanda interna por petróleo fraca → venda quase total da produção de petróleo para o mercado externo. Anos de 1960: Oriente Médio (Arábia Saudita, Irã, Iraque e Kwait) desponta como a maior região exportadora de petróleo. Aumento da importância do petróleo no mundo e a concentração do recurso no Oriente Médio transformaram a região em uma das áreas mais estratégicas do mundo. Até a década de 1970: produção de petróleo no mundo concentrada nas “sete irmãs”: ● Exxon (EUA); ● Texaco (EUA); ● Mobil (EUA); ● Amoco (EUA); ● Chevron (EUA); ● Royal Dutch/Shell (Anglo- holandesa); ● British Petroleum (Inglesa). Elas controlavam o preço do petróleo no mercado mundial e dificultavam o controle das regiões produtoras de petróleo pelos governos nacionais.
  17. 17. Até a 2º Guerra Mundial, a produção de petróleo estava restrita aos EUA, URSS e Venezuela. O aumento de sua importância na economia e na produção mundial fez com que crescessem o número de países produtores. Petróleo Anos de 1960: Oriente Médio (Arábia Saudita, Irã, Iraque e Kwait) desponta como a maior região exportadora de petróleo. ● Grandes reservas petrolíferas possibilitam baixo custo de produção e preços competitivos no mercado petrolífero internacional; ● A economia urbano industrial frágil desses países faz com que a demanda interna por petróleo seja fraca, permitindo a venda quase total da produção de petróleo para o mercado externo. Anos de 1960: Oriente Médio (Arábia Saudita, Irã, Iraque e Kwait) desponta como a maior região exportadora de petróleo. Aumento da importância do petróleo no mundo e a concentração do recurso no Oriente Médio transformaram a região em uma das áreas mais estratégicas do mundo. Até a década de 1970: produção de petróleo no mundo concentrada nas “sete irmãs”: ● Exxon (EUA); ● Texaco (EUA); ● Mobil (EUA); ● Amoco (EUA); ● Chevron (EUA); ● Royal Dutch/Shell (Anglo- holandesa); ● British Petroleum (Inglesa). Elas controlavam o preço do petróleo no mercado mundial e dificultavam o controle das regiões produtoras de petróleo pelos governos nacionais. O poder das “sete irmãs” começa a se enfraquecer com a criação da OPEP, em 1960. Objetivo: centralizar o comércio mundial de petróleo, controlando seus preços e o volume da produção. Fonte do mapa: http://www.hidrocarburosbolivia.com/noticias-archivadas/292-panoramaglobal- archivado/panoramaglobal-01-07-2010-01-01-2011/35777-la-opep-cumplio-50-anos-con-su- influencia-intacta.html
  18. 18. Até a 2º Guerra Mundial, a produção de petróleo estava restrita aos EUA, URSS e Venezuela. O aumento de sua importância na economia e na produção mundial fez com que crescessem o número de países produtores. Petróleo Anos de 1960: Oriente Médio (Arábia Saudita, Irã, Iraque e Kwait) desponta como a maior região exportadora de petróleo. ● Grandes reservas petrolíferas possibilitam baixo custo de produção e preços competitivos no mercado petrolífero internacional; ● A economia urbano industrial frágil desses países faz com que a demanda interna por petróleo seja fraca, permitindo a venda quase total da produção de petróleo para o mercado externo. Anos de 1960: Oriente Médio (Arábia Saudita, Irã, Iraque e Kwait) desponta como a maior região exportadora de petróleo. Aumento da importância do petróleo no mundo e a concentração do recurso no Oriente Médio transformaram a região em uma das áreas mais estratégicas do mundo. Até a década de 1970: produção de petróleo no mundo concentrada nas chamadas “sete irmãs”: ● Exxon (EUA); ● Texaco (EUA); ● Mobil (EUA); ● Amoco (EUA); ● Chevron (EUA); ● Royal Dutch/Shell (Anglo- holandesa); ● British Petroleum (Inglesa). Elas controlavam o preço do petróleo no mercado mundial e dificultavam o controle das regiões produtoras de petróleo pelos governos nacionais. O poder das “sete irmãs” começa a se enfraquecer com a criação da OPEP, em 1960. Seu objetivo era centralizar o comércio mundial de petróleo, controlando seus preços e o volume da produção. Fonte do mapa: http://www.hidrocarburosbolivia.com/noticias-archivadas/292-panoramaglobal- archivado/panoramaglobal-01-07-2010-01-01-2011/35777-la-opep-cumplio-50-anos-con-su- influencia-intacta.htmlFonte do mapa: http://www.blog.thesietch.org/wp-content/uploads/2007/09/map01_1024.jpg
  19. 19. Consequências da formação da OPEP 1973 – 1º Choque do Petróleo Fonte do mapa: http://cinemahistoriaeducacao.files.wordpress.com/2011/03/mapa-de-israel.jpg
  20. 20. Consequências da formação da OPEP 1973 – 1º Choque do Petróleo ● 06 de outubro de 1973: era dia de Yom Kippur (dia do perdão) e Israel foi atacado por Síria e Egito. Contando com o apoio de EUA e de países europeus, Israel agiu rapidamente e conseguiu garantir a manutenção dos territórios conquistados em 1967 (Guerra dos Seis Dias); Fonte do mapa: http://cinemahistoriaeducacao.files.wordpress.com/2011/03/mapa-de-israel.jpg
  21. 21. Consequências da formação da OPEP 1973 – 1º Choque do Petróleo ● 06 de outubro de 1973: era dia de Yom Kippur (dia do perdão) e Israel foi atacado por Síria e Egito. Contando com o apoio de EUA e de países europeus, Israel agiu rapidamente e conseguiu garantir a manutenção dos territórios conquistados em 1967 (Guerra dos Seis Dias); ● Como represália, a OPEP aumentou drasticamente o preço do petróleo, que passou de US$2,90 em outubro de 1973 para US$11,65 em janeiro de 1974; Fonte do mapa: http://cinemahistoriaeducacao.files.wordpress.com/2011/03/mapa-de-israel.jpg
  22. 22. Consequências da formação da OPEP 1973 – 1º Choque do Petróleo ● 06 de outubro de 1973: era dia de Yom Kippur (dia do perdão) e Israel foi atacado por Síria e Egito. Contando com o apoio de EUA e de países europeus, Israel agiu rapidamente e conseguiu garantir a manutenção dos territórios conquistados em 1967 (Guerra dos Seis Dias); ● Como represália, a OPEP aumentou drasticamente o preço do petróleo, que passou de US$2,90 em outubro de 1973 para US$11,65 em janeiro de 1974; ● A consequência imediata da 1ª crise do petróleo foi a busca de novas regiões produtoras de petróleo, cujo número salta na primeira metade da década de 1980. Fonte do mapa: http://cinemahistoriaeducacao.files.wordpress.com/2011/03/mapa-de-israel.jpg
  23. 23. 1979 – 2º Choque do Petróleo Consequências da formação da OPEP Fonte da fotografia: http://historiativanet.wordpress.com /2010/10/10/revolucao-iraniana- 1979/
  24. 24. 1979 – 2º Choque do Petróleo ● Em 1979, tem início a Revolução Islâmica no Irã, de cunho moralista, religioso e contrário ao ocidente. Nesse processo, o Xá Reza Pahlevi, aliado dos EUA, é deposto. Sobe ao poder o aiatolá Khomeini, que corta a venda e a distribuição do petróleo, cujos valores se aproximam dos US$30,00; Consequências da formação da OPEP Fonte da fotografia: http://historiativanet.wordpress.com /2010/10/10/revolucao-iraniana- 1979/
  25. 25. 1979 – 2º Choque do Petróleo ● Em 1979, tem início a Revolução Islâmica no Irã, de cunho moralista, religioso e contrário ao ocidente. Nesse processo, o Xá Reza Pahlevi, aliado dos EUA, é deposto. Sobe ao poder o aiatolá Khomeini, que corta a venda e a distribuição do petróleo, cujos valores se aproximam dos US$30,00; ● Os impactos da 2ª crise do petróleo avançam sobre a década de 1980 (crise econômica, inflação) e sua consequência geral foi a busca de novas fontes de energia em alguns setores produtivos (hidrelétrica, nuclear). Consequências da formação da OPEP Fonte da fotografia: http://historiativanet.wordpress.com /2010/10/10/revolucao-iraniana- 1979/
  26. 26. 1979 – 2º Choque do Petróleo ● Em 1979, tem início a Revolução Islâmica no Irã, de cunho moralista, religioso e contrário ao ocidente. Nesse processo, o Xá Reza Pahlevi, aliado dos EUA, é deposto. Sobe ao poder o aiatolá Khomeini, que corta a venda e a distribuição do petróleo, cujos valores se aproximam dos US$30,00; ● Os impactos da 2ª crise do petróleo avançam sobre a década de 1980 (crise econômica, inflação) e sua consequência geral foi a busca de novas fontes de energia em alguns setores produtivos (hidrelétrica, nuclear). Consequências da formação da OPEP Fonte da fotografia: http://historiativanet.wordpress.com /2010/10/10/revolucao-iraniana- 1979/

×