Carrapatos - Parasitologia

3.765 visualizações

Publicada em

Apresentação de trabalho da disciplina de Parasitologia do 6° período do Curso de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Acre - UFAC.

Publicada em: Educação
1 comentário
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.765
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
166
Comentários
1
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Esta apresentação demonstra os novos recursos do PowerPoint e é visualizada com melhor resolução no modo Apresentação de Slides. Esses slides foram projetados para fornecer a você idéias excelentes de criação de apresentações no PowerPoint 2010.

    Para obter mais exemplos de modelos, clique na guia Arquivo e, na guia Novo, clique em Exemplos de Modelos.
  • Esta apresentação demonstra os novos recursos do PowerPoint e é visualizada com melhor resolução no modo Apresentação de Slides. Esses slides foram projetados para fornecer a você idéias excelentes de criação de apresentações no PowerPoint 2010.

    Para obter mais exemplos de modelos, clique na guia Arquivo e, na guia Novo, clique em Exemplos de Modelos.
  • Carrapatos - Parasitologia

    1. 1. Reino: Animalia Filo: Arthropoda Subfilo: Chelicerata Classe: Arachnida Ordem: Acari Subordem: Ixodides Familias: Ixodidae, Argasidae e Nuttalliellidae
    2. 2. Totalizam 896 espécies Família Ixodidae 702 espécies Família Argasidae 193 espécies Família Nuttalliellidae 1 espécie Fonte: (Guglielmone et al., 2010). Família Ixodidae 44 espécies Família Argasidae 19 espécies Fonte: (Dantas-Torres et al.,2012). 63 espécies de carrapatos no Brasil
    3. 3. Apresentam escudo dorsal rígido que cobre toda a face dorsal do macho adulto Não possuem escudo
    4. 4. - São cosmopolitas - Ectoparasitas obrigatórios de vertebrados - Hematófagos obrigatórios - Apresentam dimorfismo sexual - Podem permanecer fixados à pele dos hospedeiros por tempo prolongado Aspectos Gerais
    5. 5. Morfologia Fonte: (Brito et al., 2006)
    6. 6. Fases do Desenvolvimento – nesta fase, os imaturos que neste caso são chamados de larvas, apresentam apenas três pares de pernas; - nesta fase, os imaturos que neste caso são chamados de ninfas, apresentam quatro pares de pernas; – nesta fase, machos e fêmeas apresentam quatro pares de pernas.
    7. 7. Ciclo Biológico Ciclo monoxeno - neste caso, é necessário um único hospedeiro
    8. 8. Ciclo heteroxeno com dois hospedeiros - são necessários dois hospedeiros para completar o ciclo
    9. 9. Ciclo heteroxeno com três hospedeiros - são necessários três hospedeiros para completar o ciclo
    10. 10. Importância Econômico - Sanitária Vinculam diversos patógenos ao homem e aos animais domésticos e selvagens; Espoliação sanguínea; Diminuição do desenvolvimento ponderal; Lesão no couro dos animais; Geram grande perda econômica na produção  gastos com acaricidas, baixa fertilidade, alta mortalidade e etc.
    11. 11. Principais Carrapatos da Família Ixodidae Rhipicephalus (Boophilus) microplus  carrapatos dos bovinus Rhipicephalus sanguineus  carrapatos dos cães Amblyomma cajennense  carrapato dos cavalos Principais Carrapatos da Família Argasidae Argas miniatus  carrapato das galinhas
    12. 12. Rhipicephalus microplus Popularmente conhecido como “carrapato-do-boi”; Tem preferência por bovinos; presente também ovelhas, cavalos, veados, cães e homens; Possui ciclo monoxeno;
    13. 13. Tristeza parasitária bovina (TPB) Babebiose Anoplosmose Pode transmitir: OBS: Traz prejuízos na criação de gado
    14. 14. Rhipicephalus sanguineus Popularmente conhecido como “carrapato-do-cão”; Originário do continente africano;
    15. 15. Babesia canis para cães Rickettsia canorii para seres humanos Ehrlichia canis para cães e humanos Pode transmitir: Se alimenta principalmente em cão e acidentalmente em outros hospedeiros; Possui ciclo trioxeno;
    16. 16. Amblyomma cajennense Popularmente conhecido em diversas regiões do país por “carrapato estrela” ou “carrapato do cavalo” na sua fase adulta, "vermelhinho" na fase de ninfas e por "micuim“ na fase de larvas;
    17. 17. É encontrado com frequência infestando os equídeos, mas devido à sua baixa especificidade parasitária por hospedeiros pode infestar outros mamíferos como bovídeos, cervídeos, canídeos domésticos e silvestres, além de aves e do próprio homem. principal vetor de Rickettsia rickettsii causador da Febre Maculosa Brasileira;
    18. 18. Ciclo Biológico
    19. 19. Argas miniatus Popularmente conhecido como “carrapato-da-galinha”; Possui ciclo heteroxeno (2); Doença: “Tick paralysis”.
    20. 20. Fim

    ×