SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
Orientação fonoaudiológica às nutrizes:
experiência em contexto hospitalar
Universidade Federal da Paraíba
Centro de Ciências da Saúde
Departamento de Fonoaudiologia
Núcleo de Estudo e Pesquisa em Comunicação e Interdisciplinaridade
Grupo de Pesquisa em Motricidade Orofacial / Disfagia
Desde 1970 a OMS incentiva a criação de programas de estímulo ao
aleitamento materno tendo em vista diversos dados de constatação por
meio de pesquisas, as quais mostram redução dos índices de
amamentação.
Segundo Ferrari em uma entrevista no II Congresso Panamericano do Leite,
existe uma relação direta entre o aleitamento materno e uma maior
duração de vida.
Existe a necessidade de se reeducar a mulher para o hábito de
amamentação, preparando melhor os profissionais da saúde em relação ao
assunto, a fim de se evitar situações absurdas.
A falta de habilidade da Enfermagem é um dos fatores que, segundo as
autoras, contribui para o fracasso do aleitamento materno.
Questões ligadas à amamentação
A sucção do bebê depende do
estímulo.
Uma vez que diante do mamilo
deverá fazer uma ginástica
tremenda para mamar; pois
terá de extrair o leite da mãe
comprimindo com as
gengivas os reservatórios do
leite.
Já com a mamadeira, o bebê
apenas terá de travar com a
língua o fluxo rápido do leite,
o que dele exigirá um esforço
menor.
FONTE: http://www.health.com/
health/static/hw/media/
medical/hw/h5550926.jpg
Para que ocorra o desenvolvimento natural do crânio e da
face, além dos estímulos internos, são necessários
estímulos externos, ou seja, do meio. Os estímulos
externos necessários ao desenvolvimento da face são
oferecidos naturalmente pelas funções de respiração,
amamentação, mastigação e deglutição. (Van Der Laan,
1995).
FONTE: http://www.health.com/
health/static/hw/media/
medical/hw/h5550926.jpg
Amamentação Natural: #Bebê suga abocanhando o mamilo e parte da
aréola. #Elevação do terço anterior da língua em direção à papila
incisiva. #Movimentos ânteroposteriores de língua e mandíbula.
Favorecerá: no posicionamento das gengivas para erupção dos dentes;
aumento do espaço da CO, gerando maior mobilidade da língua,
estabelecimento do tônus muscular, desenvolvimento harmônico da
face.
Equilíbrio de Forças: pterigóideos (laterais e mediais), maseteres e
temporais. Além do orbicular da boca e bucinadores. Também para
o reforço de respiração nasal, função mastigatória e crescimento da
mandíbula, desenvolvimento do sistema sensóriomotororal.
Mamadeira antes do mamilo = rejeição do aleitamento pela criança,
prejuízo no exercício dos orgãos relacionados com a articulação e
sucção, o que depois resultará em transtornos fonoarticulatórios e
alterações ortodônticas.
A equipe de Enfermagem contribui bastante para o estabelecimento
desse ciclo.
Crença do “leite fraco”.
As autoras ainda mostram pesquisas que abordaram questões com
outras crenças que falam sobre a capacidade da mulher para
produzir leite que diminui, que o aleitamento deforma as mamas.
http://www.beautyinprague.com/img/pages/50-
breast-enlargement-before-and-after-photos-2.jpg
As autoras mostraram o
desconhecimento de
profissionais da saúde sobre a
importância da ingestão do
colostro pela criança. Este
fornece proteção imunológica,
estimula a explulsão precoce
do mecônio e atende as
necessidades nutricionais do
RN nos primeiros dias de vida.
Por isso é importante o conhecimento de
áreas não apenas específicas.
Se não for assim, esse desestímulo pelo
aleitamento materno continue sendo
difundido em nossa sociedade por
mais tempo e com as conseqüentes
conseqüências já conhecidas.
http://www.materdei.com.br/qvc/img/
imagens/recem_nascido_alojamento_
conjunto_9_fralda_meconeo_p.jpg
Diante da importância do aleitamento materno , foram realizados
trabalhos com os seguintes objetivos:
levantamento das orientações recebidas por gestantes durante o pré
–natal;
Orientação às nutrizes, de acordo com as necessidades observadas.
Os trabalhos foram realizados em duas maternidades, A e B.
PESQUISA
Maternidade A
Serviços exclusivos na área da Ginecologia e Obstetrícia, mantendo
um ambulatório que atende consultas a gestantes e ginecológicas.
Participa do SUS e convênios particulares.
Maternidade B
Funciona como um hospital geral. Possui um ambulatório que entre
outras especialidades, oferece também atendimento a gestantes.
Participa do SUS e convênios particulares.
Foi aplicado um questionário, que tinha objetivo de fazer um
levantamento de dados pré-natal.
Na maternidade A observou-se :
• quase todas as gestantes reconheciam a importância da
amamentação para o desenvolvimento fonoarticulatório
• tinham a intenção de amamentar por um período de seis
meses ou mais.
• Mais da metade afirmou ter recebido, no próprio ambulatório
da maternidade, orientações sobre a amamentação.
Nesta maternidade não houve intervenção das pesquisadoras
em efetuar orientações as gestantes sobre a amamentação, já
que se mostraram conhecedoras.
Na maternidade B observou-se que a ênfase do pré-natal era
no controle clínico da gestação, e as orientações sobre a
amamentação para mãe e para a criança não eram valorizadas.
Nesta maternidade houve intervenção, que consistiu em
esclarecer as vantagens do aleitamento materno , tanto para o
bebê , como para mãe.
Como profissionais de saúde, precisamos incentivar as
gestantes a amamentar seus filhos, pois a amamentação terá
influências diretas sobre o desenvolvimento das funções de
respiração, mastigação e articulação. Além disso carrega uma
forte carga emocional.
Fonoaudiologia no alojamento conjunto:
uma possibilidade de atuação
Universidade Federal da Paraíba
Centro de Ciências da Saúde
Departamento de Fonoaudiologia
Núcleo de Estudo e Pesquisa em Comunicação e Interdisciplinaridade
Grupo de pesquisa em Motricidade Orofacial / Disfagia
Definição
• O AC, é o sistema de
permanência contínua do
RN sadio ao lado da mãe
no hospital.
• Onde os mesmos são
cuidados no mesmo local.
Objetivos
• A UNICEF e a OMS
preconizam que o
aleitamento deva ser
iniciado nos primeiros 30 a
60 mins depois do parto.
(Colostro).
• Entre 4 e 6 meses
aleitamento materno
exclusivo.
• São chamadas mães sadias
e RNs com peso acima de
2500gr e com APGAR acima
de 7 no quinto minuto.
FONTE:
http://www4.redepropriaunime
dbh.com.br/servicosproprios/u
p/objects/1246645535381_.jpg
Depois de quatro horas de vida e da avaliação médica, o RN deve ser
liberado para o quarto da mãe.
Para Viegas 1998, o AC é uma das melhores oportunidades da equipe
se integrar à família.
Lembrando que, pela permanência dos RNs com as mães o bercário se
torna um lugar mais calmo e reservado.
A participação do Fonoaudiólogo nas reuniões do grupo;
A maioria acreditava ser incapaz de amamentar por tempo prolongado;
Mães receberam pouca informação quanto ao tempo de oferta das
mamas, a limpeza dos mamilos, as rachaduras, o posicionamento do
bebê;
Relato da experiência
Posteriormente existia uma seleção das mães que mais precisavam,
para um encontro individual que acontecia no quarto.
A avaliação fonoaudiológica tinha como objetivo a observação do bebê
e da mãe no momento da amamentação.
São avaliados em relação ao bebê:
• Se apresenta reflelxos orais de defesa;
•Se apresenta reflexos de sucção e deglutição amadurecidos e
coordenados com a respiração;
•Prontidão para mamar;
•Força para sugar e ritmo suficiente;
•Apresenta refluxo gastroesofágico;
•É tranquilo ou não.
•Depois da mamada dorme tranquilamente?
•Abocanha toda a aréola da mama?
Em relação a mãe, observa-se:
•Procura-se sentar-se em uma posição confrotável;
•Posiciona o bebê de tal forma que ele possa abocanhar o
seio( toda a aréola);
•Mantém contato de olhar
•Faz carícias no bebê durante o ato;
•Permite pausas durante a mamada;
•Conversa com o bebê durante a mamada;
•É ansiosa ou tranquila.
Depois da avaliação eram traçados objetivos de atendimento de
acordo com as queixas.
Foi encontrado um grande número de mãe com mamilos
inadequados ao aleitamento.
A incidência de mamilos planos e inaptos a sucção era
significativa proporcionando neste caso ao bebê, tentativas
frustrantes de abocanhar a mama materna.
http://4.bp.blogspot.com/_e8Won6y
AVEs/THQseL3lfuI/AAAAAAAAAx4/
LcY0FdxKj5s/s1600/Imagem9.png
Há três tipos de mamilos: o protruso, o plano e o invertido.
•O protruso é o mais apropriado à sucção do bebê
•O mamilo invertido e o plano, quando bem excitados no período pré-
natal, podem oferecer condições de aleitamento.
Os fatores emocionais da mãe podem interferir na
liberação do hormônio ocitocina, responsável pela
ejeção do leite.
Se a produção do leite estiver ocorrendo
normalmente( estimulada pela sucção) e a descida do
leite estiver prejudicada pelo estado emocional da
mãe, estará contribuindo para o ingurgitamento
mamário, que é acompanhado de dores nas mamas.
Na pesquisa notou-se que uma parcela dos bebês avaliados não
abocanhava toda a aréola mamária.
↓
Observou-se a substituição da movimentação ântero-posterior da
mandíbula por uma contração da gengiva contra os mamilos.
↓
Como não conseguiam extrair todo o leite , os bebês mostravam-se
irritadiços,
↓
Choravam por insatisfação de um não total preenchimento gástrico
↓
As mães questionavam-se sobre a qualidade de seu leite
↓
Levando-as ao uso do leite em pó, e algumas mães recorriam as
chupetas para acalmar o bebê.
Concluindo...
O aleitamento materno :
•Proporciona uma nutrição completa para o bebê, protege
contra infecções , alergias e favorece um vínculo afetivo
•Previne contra distúrbios fonoaudiólogicos
A sucção durante a amamentação tem um papel fundamental
para o equilíbrio dos músculos, crescimento e desenvolvimento
craniofacial .
A introdução de outros bicos pode ser prejudicial ao futuro
desenvolvimento da fala da criança.
Obrigado pela atenção
REFEÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Livro: Recém-Nascido em Alojamento Conjunto
Capítulo IV. Orientação Fonoaudiológica e Psicológica às
Nutrizes: Experiências Em Contexto Hospitalar. Elizabeth Oliveira
Crepaldi de Almeida, Rosana Melli e Ilmara Fátima de Moraes.
Capítulo V. Fonoaudiologia no Alojamento Conjunto:
Uma Possibilidade de Atuação. Lucinéia Cortes Modes.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
Camila Oliveira
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Desenvolvimentos dos reflexos
Desenvolvimentos dos reflexosDesenvolvimentos dos reflexos
Desenvolvimentos dos reflexos
becresforte
 
Modificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestanteModificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestante
albaguilherme
 

Mais procurados (20)

AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
 
Crescimento e Desenvolvimento Humano
Crescimento e Desenvolvimento HumanoCrescimento e Desenvolvimento Humano
Crescimento e Desenvolvimento Humano
 
NBCAL - proteção ao Aleitamento com a restrição da promoção comercial
NBCAL - proteção ao Aleitamento com a restrição da promoção comercial NBCAL - proteção ao Aleitamento com a restrição da promoção comercial
NBCAL - proteção ao Aleitamento com a restrição da promoção comercial
 
Alterações físicas da gravidez
Alterações físicas da gravidezAlterações físicas da gravidez
Alterações físicas da gravidez
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Cuidados Individualizados ao Recém-nascido de Risco
Cuidados Individualizados ao Recém-nascido de RiscoCuidados Individualizados ao Recém-nascido de Risco
Cuidados Individualizados ao Recém-nascido de Risco
 
Aleitamento materno na unidade neonatal
Aleitamento materno na unidade neonatalAleitamento materno na unidade neonatal
Aleitamento materno na unidade neonatal
 
Promoção e Atenção ao Neurodesenvolvimento
Promoção e Atenção ao NeurodesenvolvimentoPromoção e Atenção ao Neurodesenvolvimento
Promoção e Atenção ao Neurodesenvolvimento
 
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEFAleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
Aleitamento Materno - album seriado do MS/UNICEF
 
Organização postural do recém-nascido pré-termo na unidade neonatal: o uso do...
Organização postural do recém-nascido pré-termo na unidade neonatal: o uso do...Organização postural do recém-nascido pré-termo na unidade neonatal: o uso do...
Organização postural do recém-nascido pré-termo na unidade neonatal: o uso do...
 
Aleitamento Materno: o papel da Atenção Primária
Aleitamento Materno: o papel da Atenção PrimáriaAleitamento Materno: o papel da Atenção Primária
Aleitamento Materno: o papel da Atenção Primária
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
 
Manual da Gestante
Manual da GestanteManual da Gestante
Manual da Gestante
 
A Dor no Parto: significados e manejo
A Dor no Parto: significados e manejoA Dor no Parto: significados e manejo
A Dor no Parto: significados e manejo
 
Desenvolvimentos dos reflexos
Desenvolvimentos dos reflexosDesenvolvimentos dos reflexos
Desenvolvimentos dos reflexos
 
Política de promoção, proteção e apoio ao Aleitamento - Ministério da Saúde
Política de promoção, proteção e apoio ao Aleitamento - Ministério da SaúdePolítica de promoção, proteção e apoio ao Aleitamento - Ministério da Saúde
Política de promoção, proteção e apoio ao Aleitamento - Ministério da Saúde
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
 
Mulher Trabalhadora que Amamenta - Cartilha
Mulher Trabalhadora que Amamenta - Cartilha Mulher Trabalhadora que Amamenta - Cartilha
Mulher Trabalhadora que Amamenta - Cartilha
 
Modificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestanteModificações no organismo da gestante
Modificações no organismo da gestante
 

Destaque

14 avaliação fonoaudiológica
14   avaliação fonoaudiológica14   avaliação fonoaudiológica
14 avaliação fonoaudiológica
Caroline Augusta
 
Alfabetização método fono visio-articulatório
Alfabetização método fono visio-articulatórioAlfabetização método fono visio-articulatório
Alfabetização método fono visio-articulatório
Eliana Vilalva
 
Caderno de exercicios 1 1
Caderno de exercicios 1  1Caderno de exercicios 1  1
Caderno de exercicios 1 1
deanieves
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestação
Alinebrauna Brauna
 
Jornada aleitamento materno santa helena
Jornada aleitamento materno santa helenaJornada aleitamento materno santa helena
Jornada aleitamento materno santa helena
Claudia Xavier
 

Destaque (20)

Como dar leite materno no copinho
Como dar leite materno no copinhoComo dar leite materno no copinho
Como dar leite materno no copinho
 
Avaliação, diagnóstico e tratamento em fonoaudiologia
Avaliação, diagnóstico e tratamento em fonoaudiologiaAvaliação, diagnóstico e tratamento em fonoaudiologia
Avaliação, diagnóstico e tratamento em fonoaudiologia
 
A FONOAUDIOLOGIA NA ESCOLA
A FONOAUDIOLOGIA  NA ESCOLAA FONOAUDIOLOGIA  NA ESCOLA
A FONOAUDIOLOGIA NA ESCOLA
 
D555217e5bc712c7723b0fa257d9e975
D555217e5bc712c7723b0fa257d9e975D555217e5bc712c7723b0fa257d9e975
D555217e5bc712c7723b0fa257d9e975
 
Fonoaudiologia Educacional - Rafaela Gorza
Fonoaudiologia Educacional - Rafaela GorzaFonoaudiologia Educacional - Rafaela Gorza
Fonoaudiologia Educacional - Rafaela Gorza
 
14 avaliação fonoaudiológica
14   avaliação fonoaudiológica14   avaliação fonoaudiológica
14 avaliação fonoaudiológica
 
Fonoaudiologia infantil
Fonoaudiologia infantilFonoaudiologia infantil
Fonoaudiologia infantil
 
Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno Slide Aleitamento materno
Slide Aleitamento materno
 
Alfabetização método fono visio-articulatório
Alfabetização método fono visio-articulatórioAlfabetização método fono visio-articulatório
Alfabetização método fono visio-articulatório
 
Caderno de exercicios 1 1
Caderno de exercicios 1  1Caderno de exercicios 1  1
Caderno de exercicios 1 1
 
O Papel da Fonoaudiologia com o Idoso
O Papel da Fonoaudiologia com o IdosoO Papel da Fonoaudiologia com o Idoso
O Papel da Fonoaudiologia com o Idoso
 
Fonoaudiologia
FonoaudiologiaFonoaudiologia
Fonoaudiologia
 
Exercícios de fonoaudiologia e aprimoramento miofuncional
Exercícios de fonoaudiologia e aprimoramento miofuncionalExercícios de fonoaudiologia e aprimoramento miofuncional
Exercícios de fonoaudiologia e aprimoramento miofuncional
 
Amamentação
AmamentaçãoAmamentação
Amamentação
 
Aleitamento Materno
Aleitamento MaternoAleitamento Materno
Aleitamento Materno
 
Transformações na gestação
Transformações na gestaçãoTransformações na gestação
Transformações na gestação
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
 
Jornada aleitamento materno santa helena
Jornada aleitamento materno santa helenaJornada aleitamento materno santa helena
Jornada aleitamento materno santa helena
 
Promocaodo aleitamento
Promocaodo aleitamentoPromocaodo aleitamento
Promocaodo aleitamento
 
Fonoaudiologia FMU
Fonoaudiologia FMUFonoaudiologia FMU
Fonoaudiologia FMU
 

Semelhante a Fonoaudiologia Neonatal: Orientações às nutrizes e Alojamento conjunto

AmamentaçãO De Prematuros Com Menos De 1500 Gramas Funcionamento Motor Oral E...
AmamentaçãO De Prematuros Com Menos De 1500 Gramas Funcionamento Motor Oral E...AmamentaçãO De Prematuros Com Menos De 1500 Gramas Funcionamento Motor Oral E...
AmamentaçãO De Prematuros Com Menos De 1500 Gramas Funcionamento Motor Oral E...
Biblioteca Virtual
 
A importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específicoA importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específico
bancodeleite
 
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Biblioteca Virtual
 
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do BrasilFatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
Biblioteca Virtual
 
Manual aleitamento - Geofar
Manual aleitamento - GeofarManual aleitamento - Geofar
Manual aleitamento - Geofar
Ricardo Nunes
 
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDeAmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
Biblioteca Virtual
 
Effects Of Non Nutritive Sucking And Oral Stimulation On Breastfeeding Rates ...
Effects Of Non Nutritive Sucking And Oral Stimulation On Breastfeeding Rates ...Effects Of Non Nutritive Sucking And Oral Stimulation On Breastfeeding Rates ...
Effects Of Non Nutritive Sucking And Oral Stimulation On Breastfeeding Rates ...
Biblioteca Virtual
 
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Biblioteca Virtual
 
Uso Do Copinho No Alojamento Canguru
Uso Do Copinho No Alojamento CanguruUso Do Copinho No Alojamento Canguru
Uso Do Copinho No Alojamento Canguru
Biblioteca Virtual
 
Effect Of Intervention On The Rates Of Breastfeeding Of Very
Effect Of Intervention On The Rates Of Breastfeeding Of VeryEffect Of Intervention On The Rates Of Breastfeeding Of Very
Effect Of Intervention On The Rates Of Breastfeeding Of Very
Biblioteca Virtual
 
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticaAconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
bancodeleite
 
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Sobre O Aleitamento Materno Exclusivo Dos B...
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Sobre O Aleitamento Materno Exclusivo Dos B...InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Sobre O Aleitamento Materno Exclusivo Dos B...
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Sobre O Aleitamento Materno Exclusivo Dos B...
Biblioteca Virtual
 
O Efeito De Bicos E Chupetas No Aleitamento Materno
O Efeito De Bicos E Chupetas No Aleitamento MaternoO Efeito De Bicos E Chupetas No Aleitamento Materno
O Efeito De Bicos E Chupetas No Aleitamento Materno
Biblioteca Virtual
 
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento MaternoMotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
Biblioteca Virtual
 

Semelhante a Fonoaudiologia Neonatal: Orientações às nutrizes e Alojamento conjunto (20)

Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...
Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...
Aleitamento Materno, copinho, mamadeiras, complemento e controvérsias por Cla...
 
AmamentaçãO De Prematuros Com Menos De 1500 Gramas Funcionamento Motor Oral E...
AmamentaçãO De Prematuros Com Menos De 1500 Gramas Funcionamento Motor Oral E...AmamentaçãO De Prematuros Com Menos De 1500 Gramas Funcionamento Motor Oral E...
AmamentaçãO De Prematuros Com Menos De 1500 Gramas Funcionamento Motor Oral E...
 
A importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específicoA importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específico
 
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
 
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do BrasilFatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
 
Manual aleitamento - Geofar
Manual aleitamento - GeofarManual aleitamento - Geofar
Manual aleitamento - Geofar
 
Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil
Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil
Contribuição do aleitamento materno para a Educação Infantil
 
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDeAmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
 
Effects Of Non Nutritive Sucking And Oral Stimulation On Breastfeeding Rates ...
Effects Of Non Nutritive Sucking And Oral Stimulation On Breastfeeding Rates ...Effects Of Non Nutritive Sucking And Oral Stimulation On Breastfeeding Rates ...
Effects Of Non Nutritive Sucking And Oral Stimulation On Breastfeeding Rates ...
 
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
 
Trabalho tpa 2
Trabalho tpa 2Trabalho tpa 2
Trabalho tpa 2
 
Uso Do Copinho No Alojamento Canguru
Uso Do Copinho No Alojamento CanguruUso Do Copinho No Alojamento Canguru
Uso Do Copinho No Alojamento Canguru
 
Effect Of Intervention On The Rates Of Breastfeeding Of Very
Effect Of Intervention On The Rates Of Breastfeeding Of VeryEffect Of Intervention On The Rates Of Breastfeeding Of Very
Effect Of Intervention On The Rates Of Breastfeeding Of Very
 
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticaAconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
 
Manual Aleitamento
Manual AleitamentoManual Aleitamento
Manual Aleitamento
 
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Sobre O Aleitamento Materno Exclusivo Dos B...
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Sobre O Aleitamento Materno Exclusivo Dos B...InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Sobre O Aleitamento Materno Exclusivo Dos B...
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Sobre O Aleitamento Materno Exclusivo Dos B...
 
Continuação
ContinuaçãoContinuação
Continuação
 
Manual aleitamento
Manual aleitamentoManual aleitamento
Manual aleitamento
 
O Efeito De Bicos E Chupetas No Aleitamento Materno
O Efeito De Bicos E Chupetas No Aleitamento MaternoO Efeito De Bicos E Chupetas No Aleitamento Materno
O Efeito De Bicos E Chupetas No Aleitamento Materno
 
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento MaternoMotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
 

Mais de James Tomaz-Morais (7)

Banner Padrão Fonoaudiologia UFPB
Banner Padrão Fonoaudiologia UFPBBanner Padrão Fonoaudiologia UFPB
Banner Padrão Fonoaudiologia UFPB
 
Banner Padrão UNIPÊ
Banner Padrão UNIPÊBanner Padrão UNIPÊ
Banner Padrão UNIPÊ
 
La parisiense
La parisienseLa parisiense
La parisiense
 
Epidemiologia Aplicada a Fonoaudiologia
Epidemiologia Aplicada a FonoaudiologiaEpidemiologia Aplicada a Fonoaudiologia
Epidemiologia Aplicada a Fonoaudiologia
 
Instrumentos de Pesquisa Científica
Instrumentos de Pesquisa CientíficaInstrumentos de Pesquisa Científica
Instrumentos de Pesquisa Científica
 
Citações e Referências - Gilson Volpato
Citações e Referências - Gilson VolpatoCitações e Referências - Gilson Volpato
Citações e Referências - Gilson Volpato
 
Deglutição em pacientes com Doença de Parkinson
Deglutição em pacientes com Doença de ParkinsonDeglutição em pacientes com Doença de Parkinson
Deglutição em pacientes com Doença de Parkinson
 

Último

Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
HELLEN CRISTINA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
DanieldaSade
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
paulo222341
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
DanieldaSade
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (11)

Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
 

Fonoaudiologia Neonatal: Orientações às nutrizes e Alojamento conjunto

  • 1. Orientação fonoaudiológica às nutrizes: experiência em contexto hospitalar Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências da Saúde Departamento de Fonoaudiologia Núcleo de Estudo e Pesquisa em Comunicação e Interdisciplinaridade Grupo de Pesquisa em Motricidade Orofacial / Disfagia
  • 2. Desde 1970 a OMS incentiva a criação de programas de estímulo ao aleitamento materno tendo em vista diversos dados de constatação por meio de pesquisas, as quais mostram redução dos índices de amamentação. Segundo Ferrari em uma entrevista no II Congresso Panamericano do Leite, existe uma relação direta entre o aleitamento materno e uma maior duração de vida. Existe a necessidade de se reeducar a mulher para o hábito de amamentação, preparando melhor os profissionais da saúde em relação ao assunto, a fim de se evitar situações absurdas. A falta de habilidade da Enfermagem é um dos fatores que, segundo as autoras, contribui para o fracasso do aleitamento materno. Questões ligadas à amamentação
  • 3. A sucção do bebê depende do estímulo. Uma vez que diante do mamilo deverá fazer uma ginástica tremenda para mamar; pois terá de extrair o leite da mãe comprimindo com as gengivas os reservatórios do leite. Já com a mamadeira, o bebê apenas terá de travar com a língua o fluxo rápido do leite, o que dele exigirá um esforço menor. FONTE: http://www.health.com/ health/static/hw/media/ medical/hw/h5550926.jpg
  • 4. Para que ocorra o desenvolvimento natural do crânio e da face, além dos estímulos internos, são necessários estímulos externos, ou seja, do meio. Os estímulos externos necessários ao desenvolvimento da face são oferecidos naturalmente pelas funções de respiração, amamentação, mastigação e deglutição. (Van Der Laan, 1995).
  • 5. FONTE: http://www.health.com/ health/static/hw/media/ medical/hw/h5550926.jpg Amamentação Natural: #Bebê suga abocanhando o mamilo e parte da aréola. #Elevação do terço anterior da língua em direção à papila incisiva. #Movimentos ânteroposteriores de língua e mandíbula. Favorecerá: no posicionamento das gengivas para erupção dos dentes; aumento do espaço da CO, gerando maior mobilidade da língua, estabelecimento do tônus muscular, desenvolvimento harmônico da face. Equilíbrio de Forças: pterigóideos (laterais e mediais), maseteres e temporais. Além do orbicular da boca e bucinadores. Também para o reforço de respiração nasal, função mastigatória e crescimento da mandíbula, desenvolvimento do sistema sensóriomotororal.
  • 6. Mamadeira antes do mamilo = rejeição do aleitamento pela criança, prejuízo no exercício dos orgãos relacionados com a articulação e sucção, o que depois resultará em transtornos fonoarticulatórios e alterações ortodônticas. A equipe de Enfermagem contribui bastante para o estabelecimento desse ciclo. Crença do “leite fraco”. As autoras ainda mostram pesquisas que abordaram questões com outras crenças que falam sobre a capacidade da mulher para produzir leite que diminui, que o aleitamento deforma as mamas. http://www.beautyinprague.com/img/pages/50- breast-enlargement-before-and-after-photos-2.jpg
  • 7. As autoras mostraram o desconhecimento de profissionais da saúde sobre a importância da ingestão do colostro pela criança. Este fornece proteção imunológica, estimula a explulsão precoce do mecônio e atende as necessidades nutricionais do RN nos primeiros dias de vida. Por isso é importante o conhecimento de áreas não apenas específicas. Se não for assim, esse desestímulo pelo aleitamento materno continue sendo difundido em nossa sociedade por mais tempo e com as conseqüentes conseqüências já conhecidas. http://www.materdei.com.br/qvc/img/ imagens/recem_nascido_alojamento_ conjunto_9_fralda_meconeo_p.jpg
  • 8. Diante da importância do aleitamento materno , foram realizados trabalhos com os seguintes objetivos: levantamento das orientações recebidas por gestantes durante o pré –natal; Orientação às nutrizes, de acordo com as necessidades observadas. Os trabalhos foram realizados em duas maternidades, A e B. PESQUISA
  • 9. Maternidade A Serviços exclusivos na área da Ginecologia e Obstetrícia, mantendo um ambulatório que atende consultas a gestantes e ginecológicas. Participa do SUS e convênios particulares. Maternidade B Funciona como um hospital geral. Possui um ambulatório que entre outras especialidades, oferece também atendimento a gestantes. Participa do SUS e convênios particulares. Foi aplicado um questionário, que tinha objetivo de fazer um levantamento de dados pré-natal.
  • 10. Na maternidade A observou-se : • quase todas as gestantes reconheciam a importância da amamentação para o desenvolvimento fonoarticulatório • tinham a intenção de amamentar por um período de seis meses ou mais. • Mais da metade afirmou ter recebido, no próprio ambulatório da maternidade, orientações sobre a amamentação. Nesta maternidade não houve intervenção das pesquisadoras em efetuar orientações as gestantes sobre a amamentação, já que se mostraram conhecedoras.
  • 11. Na maternidade B observou-se que a ênfase do pré-natal era no controle clínico da gestação, e as orientações sobre a amamentação para mãe e para a criança não eram valorizadas. Nesta maternidade houve intervenção, que consistiu em esclarecer as vantagens do aleitamento materno , tanto para o bebê , como para mãe.
  • 12. Como profissionais de saúde, precisamos incentivar as gestantes a amamentar seus filhos, pois a amamentação terá influências diretas sobre o desenvolvimento das funções de respiração, mastigação e articulação. Além disso carrega uma forte carga emocional.
  • 13. Fonoaudiologia no alojamento conjunto: uma possibilidade de atuação Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências da Saúde Departamento de Fonoaudiologia Núcleo de Estudo e Pesquisa em Comunicação e Interdisciplinaridade Grupo de pesquisa em Motricidade Orofacial / Disfagia
  • 14. Definição • O AC, é o sistema de permanência contínua do RN sadio ao lado da mãe no hospital. • Onde os mesmos são cuidados no mesmo local. Objetivos • A UNICEF e a OMS preconizam que o aleitamento deva ser iniciado nos primeiros 30 a 60 mins depois do parto. (Colostro). • Entre 4 e 6 meses aleitamento materno exclusivo. • São chamadas mães sadias e RNs com peso acima de 2500gr e com APGAR acima de 7 no quinto minuto.
  • 15. FONTE: http://www4.redepropriaunime dbh.com.br/servicosproprios/u p/objects/1246645535381_.jpg Depois de quatro horas de vida e da avaliação médica, o RN deve ser liberado para o quarto da mãe. Para Viegas 1998, o AC é uma das melhores oportunidades da equipe se integrar à família. Lembrando que, pela permanência dos RNs com as mães o bercário se torna um lugar mais calmo e reservado.
  • 16. A participação do Fonoaudiólogo nas reuniões do grupo; A maioria acreditava ser incapaz de amamentar por tempo prolongado; Mães receberam pouca informação quanto ao tempo de oferta das mamas, a limpeza dos mamilos, as rachaduras, o posicionamento do bebê; Relato da experiência
  • 17. Posteriormente existia uma seleção das mães que mais precisavam, para um encontro individual que acontecia no quarto. A avaliação fonoaudiológica tinha como objetivo a observação do bebê e da mãe no momento da amamentação. São avaliados em relação ao bebê: • Se apresenta reflelxos orais de defesa; •Se apresenta reflexos de sucção e deglutição amadurecidos e coordenados com a respiração; •Prontidão para mamar; •Força para sugar e ritmo suficiente; •Apresenta refluxo gastroesofágico; •É tranquilo ou não. •Depois da mamada dorme tranquilamente? •Abocanha toda a aréola da mama?
  • 18. Em relação a mãe, observa-se: •Procura-se sentar-se em uma posição confrotável; •Posiciona o bebê de tal forma que ele possa abocanhar o seio( toda a aréola); •Mantém contato de olhar •Faz carícias no bebê durante o ato; •Permite pausas durante a mamada; •Conversa com o bebê durante a mamada; •É ansiosa ou tranquila.
  • 19. Depois da avaliação eram traçados objetivos de atendimento de acordo com as queixas. Foi encontrado um grande número de mãe com mamilos inadequados ao aleitamento. A incidência de mamilos planos e inaptos a sucção era significativa proporcionando neste caso ao bebê, tentativas frustrantes de abocanhar a mama materna. http://4.bp.blogspot.com/_e8Won6y AVEs/THQseL3lfuI/AAAAAAAAAx4/ LcY0FdxKj5s/s1600/Imagem9.png
  • 20. Há três tipos de mamilos: o protruso, o plano e o invertido. •O protruso é o mais apropriado à sucção do bebê •O mamilo invertido e o plano, quando bem excitados no período pré- natal, podem oferecer condições de aleitamento.
  • 21. Os fatores emocionais da mãe podem interferir na liberação do hormônio ocitocina, responsável pela ejeção do leite. Se a produção do leite estiver ocorrendo normalmente( estimulada pela sucção) e a descida do leite estiver prejudicada pelo estado emocional da mãe, estará contribuindo para o ingurgitamento mamário, que é acompanhado de dores nas mamas.
  • 22. Na pesquisa notou-se que uma parcela dos bebês avaliados não abocanhava toda a aréola mamária. ↓ Observou-se a substituição da movimentação ântero-posterior da mandíbula por uma contração da gengiva contra os mamilos. ↓ Como não conseguiam extrair todo o leite , os bebês mostravam-se irritadiços, ↓ Choravam por insatisfação de um não total preenchimento gástrico ↓ As mães questionavam-se sobre a qualidade de seu leite ↓ Levando-as ao uso do leite em pó, e algumas mães recorriam as chupetas para acalmar o bebê.
  • 23. Concluindo... O aleitamento materno : •Proporciona uma nutrição completa para o bebê, protege contra infecções , alergias e favorece um vínculo afetivo •Previne contra distúrbios fonoaudiólogicos A sucção durante a amamentação tem um papel fundamental para o equilíbrio dos músculos, crescimento e desenvolvimento craniofacial . A introdução de outros bicos pode ser prejudicial ao futuro desenvolvimento da fala da criança.
  • 25. REFEÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Livro: Recém-Nascido em Alojamento Conjunto Capítulo IV. Orientação Fonoaudiológica e Psicológica às Nutrizes: Experiências Em Contexto Hospitalar. Elizabeth Oliveira Crepaldi de Almeida, Rosana Melli e Ilmara Fátima de Moraes. Capítulo V. Fonoaudiologia no Alojamento Conjunto: Uma Possibilidade de Atuação. Lucinéia Cortes Modes.