SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
CENTRO DE MUSEOLOGIA, ANTROPOLOGIA E
ARQUEOLOGIA / CEMAARQ DA FCT/UNESP DE
PRESIENTE PRUDENTE

(RELATÓRIO)

Jessica Amaral

Presidente Prudente
Outubro de 2012
INTRODUÇÃO

“A arqueologia é o estudo dos fosseis culturais, ou seja, a análise de uma
sociedade através dos elementos que compões a cultura material, encontrados nos sítios
arqueológicos”
O Centro de Museologia, Antropologia e Arqueologia (CEMAARQ) da
Faculdade de Ciências e Tecnologia – UNESP – Campus de Presidente Prudente têm,
desde sua formação, uma historia de interesses em comum entre Docentes e
pesquisadores da área. “O estímulo inicial foi dado pelo achado de uma ocorrência
arqueológica no Distrito de Itororó do Paranapanema, Município de Pirapozinho”
Leonice Bigoni, umas das monitoras, recebeu a 55ª turma de Geografia da FCT
UNESP no dia quatro de Outubro de 2012 através da disciplina de Antropologia
Cultural lecionada pela Profª. Drª. Ruth Künzli, da área de Antropologia do
Departamento de Planejamento.
Primeiramente a turma recebeu uma orientação conceitual com apresentação de
slides e posteriormente houve a visita ao conteúdo material do CMAARQ, que por sua
vez é dividida em três setores: Arqueologia, Indígena Contemporânea e a Sala de
Paleontologia.

CONTEUDO CONCEITUAL

Arqueologia se dispõe em dividir o tempo em Arqueologia Pré-Histórica, onde
não há registro escrito, porém ainda encontra-se a arte rupestre. A Arqueologia Clássica
é o estudo de artefatos encontrados relativos ás grandes civilizações desaparecidas
(Egípcia, Grega, Romana etc.). A Arqueologia Histórica é a complementação dos dados
através de evidencias da cultura material, especificamente contemporânea. Além destas,
há ainda a Arqueologia Subaquática que estuda sítios arqueológicos submersos; a
Arqueologia Histórica Brasileira, direcionada a população indígena e a época da
colonização.

Presidente Prudente
Outubro de 2012
Sobre os períodos culturais arqueológicos, são eles o Paleolítico, Mesolítico e
Neolítico. No Paleolítico, os homens eram essencialmente nômades caçador-coletores,
tendo que se deslocar constantemente em busca de alimentos. Desenvolveram os
primeiros instrumentos de caça feitos em madeira, osso ou pedra lascada, e dominaram
o uso do fogo. Este longo período histórico subdivide-se em Paleolítico Inferior (até a
aproximadamente 300 mil anos) e Paleolítico Superior (até 10 mil a.C.). Há certa
discordância entre estudiosos quanto a essa divisão, sendo que alguns intercalam
um Paleolítico Médio entre o inferior e o superior.
Os hábitos das culturas do Mesolítico eram basicamente nômades, com
assentamentos estacionais de Inverno e acampamentos de verão, embora em algumas
regiões costeiras européias e no Próximo Oriente (ali onde encontraram recursos
suficientes e regulares) começassem a viver de um modo mais sedentário.
As regiões que sofreram maiores efeitos das glaciações tiveram Mesolíticos
mais evidentes.
As primeiras aldeias do Neolítico eram criadas próximas a rios, de modo a
usufruir da terra fértil (onde eram colocadas sementes para plantio) e água para homens
e

animais.

Também

nesse

período

começa

a

domesticação

de

animais

(cabra, boi, cão, dromedário, etc). O trabalho passa a ser dividido entre homens e
mulheres, os homens cuidam da segurança, caça e pesca, enquanto as mulheres plantam,
colhem e educam os filhos. A disponibilidade de alimento permite também às
populações um aumento do tempo de lazer e a necessidade de armazenar os alimentos e
as sementes para cultivo leva à criação de peças de cerâmica, que vão gradualmente
ganhando fins decorativos.
Sendo assim, todo o material que o CEMAARQ possui está baseado nessa
linha Arqueológica.

ACERVO

As atividades e os objetos são o resultado de pesquisas arqueológicas na FCT
UNESP na Décima Região Administrativa, perfazendo o cadastramento de 130 Sítios
arqueológicos, dentre os quais 15 foram escavados: o Projeto Paranapanema, o Projeto

Presidente Prudente
Outubro de 2012
Arqueológico Décima Região, o Projeto de Salvamento Arqueológico de Porto
Primavera - SP, e o Projeto de Salvamento Arqueológico de Porto Primavera - SPFASE II.
Dentre os objetos indígenas contemporâneo, o conteúdo é original de sítios
arqueológicos da região e de algumas outras regiões, constituindo aproximadamente
2.500 peças, entre eles cerâmica Marajoara e Santarém, armas e cestaria, instrumentos
musicais e adornos.
O setor da Arqueologia possui dispõe materiais desde a era da pedra lascada,
pedra polida, material de contato a pré-história européia, além de moldes de crânio. A
maior parte destes baseia-se em moldes de materiais arqueológicos originais que se
encontram no Museu Nacional de Arqueologia na Europa.
A Sala de Paleontologia é o mais recente dos setores abertos a visitação. O
conteúdo exposto contou com a doação de pesquisadores da área e compõem diversos
fosseis sendo alguns encontrados na região.

CONCLUSÃO

O número, importância e diversidade de sítios geológicos arqueológicos e
paleontológicos

no

Brasil,

vêm

aumentando,

assim

como

vem

crescendo

progressivamente as pesquisas nessa área. Da mesma forma, o avanço de obras,
construções e outros empreendimentos em todo o país tem sido responsável por toda a
sorte de impactos e prejuízos ao patrimônio geológico e paleontológico nacional.
A Arqueologia de Contrato dilatou o campo de atuação profissional do
arqueólogo, porém, abriu um delicado e novo campo de discussão: o que merece ser
preservado, e o que pode ser destruído? Quais os sítios arqueológicos que deverão ser
escavados de forma intensiva, e quais receberão apenas trabalhos sumários? Até que
ponto a identificação de um patrimônio arqueológico de alta significação poderia alterar
(ou

mesmo

impedir)

a

implantação

de

um

empreendimento?

As discussões crescem, à medida que cresce a consciência dos homens em
relação ao seu passado. Arqueólogos de contrato e empreendedores se vêem diante do
desafio de ajustar perspectivas e necessidades, que até então se mostravam tão

Presidente Prudente
Outubro de 2012
diferentes.
Entretanto, é notável que o avanço crescente de hidrelétricas, estradas e outros
empreendimentos permitiram que extensas áreas do território brasileiro, antes
desconhecidas

do

ponto

de

vista

arqueológico,

fossem

estudadas.

Nesse sentido, a Sociedade de Arqueologia Brasileira (SAB) vem estimulando
a realização de encontros e grupos de trabalho voltados ao aprofundamento destas
questões, aliando-se aos órgãos federais, estaduais e municipais de preservação. O seu
maior desafio: o estabelecimento de normas éticas de conduta e a capacitação dos novos
quadros de profissional rumo à preservação da herança cultural brasileira.

BIBLIOGRFIA

BIGONI, Leonice. [e-mail] 04 de Outubro de 2012, Presidente Prudente [para] 55ª
Turma de Geografia FCT Unesp PP. 3 folhas. Texto sobre o CEMAARQ.
INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL – IPHAN.
“A incidência da legislação relativa ao patrimônio cultural brasileiro em sítios
geológicos e paleontológicos”. Disponível em
http://sigep.cprm.gov.br/destaques/legislacao_sitios_arqueologicos_paleontologicos.pdf
Acesso em 10 de Outubro de 2012.
ITAU CULTURAL. “Arqueologia de contrato”. Disponível em:
http://www.itaucultural.org.br/arqueologia/pt/oq_arqueologia/contrato00.htm. Acesso em 10 de
Outubro de 2012.

Jessica Amaral
Disciplina de Antropologia Cultural
Docente Profª. Drª. Ruth Künzli

Presidente Prudente
Outubro de 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conhecendo o trabalho do detetive, arqueolo e historiador
Conhecendo o trabalho do detetive, arqueolo e historiadorConhecendo o trabalho do detetive, arqueolo e historiador
Conhecendo o trabalho do detetive, arqueolo e historiadorkflagunapm
 
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoas
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoasApresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoas
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoasJeesiel Temóteo
 
A implantacao-de-um-parque-eolico-e-a-descoberta-de-sitios-arqueologicos
A implantacao-de-um-parque-eolico-e-a-descoberta-de-sitios-arqueologicosA implantacao-de-um-parque-eolico-e-a-descoberta-de-sitios-arqueologicos
A implantacao-de-um-parque-eolico-e-a-descoberta-de-sitios-arqueologicosCarlos Adriano Rosa
 
Of. 5 pwp ciências
Of. 5 pwp ciênciasOf. 5 pwp ciências
Of. 5 pwp ciênciasderlonpipcbc
 
Revista de història lucas cardone
Revista de història  lucas cardoneRevista de història  lucas cardone
Revista de història lucas cardoneostrovildo
 
Algarve informativo #211
Algarve informativo #211Algarve informativo #211
Algarve informativo #211arqueomike
 
Cartilha_Digital_Jornadas_Arqueologia_Missioneira_NArq_MMJOM_(RECH_et_al_2015)
Cartilha_Digital_Jornadas_Arqueologia_Missioneira_NArq_MMJOM_(RECH_et_al_2015)Cartilha_Digital_Jornadas_Arqueologia_Missioneira_NArq_MMJOM_(RECH_et_al_2015)
Cartilha_Digital_Jornadas_Arqueologia_Missioneira_NArq_MMJOM_(RECH_et_al_2015)Raquel Machado Rech
 
Reflexões arqueológicas estudo dos sítios arqueológicos do município de queim...
Reflexões arqueológicas estudo dos sítios arqueológicos do município de queim...Reflexões arqueológicas estudo dos sítios arqueológicos do município de queim...
Reflexões arqueológicas estudo dos sítios arqueológicos do município de queim...Jacqueline Liedja
 
Ciências naturais 7 história da terra - noção de fóssil
Ciências naturais 7   história da terra - noção de fóssilCiências naturais 7   história da terra - noção de fóssil
Ciências naturais 7 história da terra - noção de fóssilNuno Correia
 
Morro do papaléo
Morro do papaléoMorro do papaléo
Morro do papaléoDebora Zilz
 
O começo da história humana (cruzadinha)
O começo da história humana  (cruzadinha)  O começo da história humana  (cruzadinha)
O começo da história humana (cruzadinha) Mary Alvarenga
 
Grelha de tratamento das pesquisas história
Grelha de tratamento das pesquisas   históriaGrelha de tratamento das pesquisas   história
Grelha de tratamento das pesquisas históriajoaosantosterrivel
 
Boletim paleoufc (vol 1)
Boletim paleoufc (vol 1)Boletim paleoufc (vol 1)
Boletim paleoufc (vol 1)Juan Azevedo
 

Mais procurados (19)

Bacia do Rio Grande Aula 1 Versão Professor
Bacia do Rio Grande Aula 1 Versão ProfessorBacia do Rio Grande Aula 1 Versão Professor
Bacia do Rio Grande Aula 1 Versão Professor
 
Bacia do Rio Tietê - Aula 1 - Versão Aluno
Bacia do Rio Tietê -  Aula 1 - Versão AlunoBacia do Rio Tietê -  Aula 1 - Versão Aluno
Bacia do Rio Tietê - Aula 1 - Versão Aluno
 
Conhecendo o trabalho do detetive, arqueolo e historiador
Conhecendo o trabalho do detetive, arqueolo e historiadorConhecendo o trabalho do detetive, arqueolo e historiador
Conhecendo o trabalho do detetive, arqueolo e historiador
 
Bacia do Rio Grande Aula 1 Versão Aluno
Bacia do Rio Grande Aula 1 Versão AlunoBacia do Rio Grande Aula 1 Versão Aluno
Bacia do Rio Grande Aula 1 Versão Aluno
 
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoas
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoasApresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoas
Apresentação Resumo expandido - Sítios arqueológicos de alagoas
 
A implantacao-de-um-parque-eolico-e-a-descoberta-de-sitios-arqueologicos
A implantacao-de-um-parque-eolico-e-a-descoberta-de-sitios-arqueologicosA implantacao-de-um-parque-eolico-e-a-descoberta-de-sitios-arqueologicos
A implantacao-de-um-parque-eolico-e-a-descoberta-de-sitios-arqueologicos
 
Of. 5 pwp ciências
Of. 5 pwp ciênciasOf. 5 pwp ciências
Of. 5 pwp ciências
 
Revista de història lucas cardone
Revista de història  lucas cardoneRevista de història  lucas cardone
Revista de història lucas cardone
 
Algarve informativo #211
Algarve informativo #211Algarve informativo #211
Algarve informativo #211
 
Cartilha_Digital_Jornadas_Arqueologia_Missioneira_NArq_MMJOM_(RECH_et_al_2015)
Cartilha_Digital_Jornadas_Arqueologia_Missioneira_NArq_MMJOM_(RECH_et_al_2015)Cartilha_Digital_Jornadas_Arqueologia_Missioneira_NArq_MMJOM_(RECH_et_al_2015)
Cartilha_Digital_Jornadas_Arqueologia_Missioneira_NArq_MMJOM_(RECH_et_al_2015)
 
Reflexões arqueológicas estudo dos sítios arqueológicos do município de queim...
Reflexões arqueológicas estudo dos sítios arqueológicos do município de queim...Reflexões arqueológicas estudo dos sítios arqueológicos do município de queim...
Reflexões arqueológicas estudo dos sítios arqueológicos do município de queim...
 
Ciências naturais 7 história da terra - noção de fóssil
Ciências naturais 7   história da terra - noção de fóssilCiências naturais 7   história da terra - noção de fóssil
Ciências naturais 7 história da terra - noção de fóssil
 
Sbe noticias 260
Sbe noticias 260Sbe noticias 260
Sbe noticias 260
 
Morro do papaléo
Morro do papaléoMorro do papaléo
Morro do papaléo
 
O começo da história humana (cruzadinha)
O começo da história humana  (cruzadinha)  O começo da história humana  (cruzadinha)
O começo da história humana (cruzadinha)
 
Grelha de tratamento das pesquisas história
Grelha de tratamento das pesquisas   históriaGrelha de tratamento das pesquisas   história
Grelha de tratamento das pesquisas história
 
Bosetti et. al. 2007
Bosetti et. al. 2007Bosetti et. al. 2007
Bosetti et. al. 2007
 
Aula pré história
Aula pré históriaAula pré história
Aula pré história
 
Boletim paleoufc (vol 1)
Boletim paleoufc (vol 1)Boletim paleoufc (vol 1)
Boletim paleoufc (vol 1)
 

Semelhante a Museu Arqueologia UNESP

11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barraslides-mci
 
Guia did+ítico museu nacional ufrj
Guia did+ítico museu nacional ufrjGuia did+ítico museu nacional ufrj
Guia did+ítico museu nacional ufrjGuiaDidatico
 
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.pptApresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.pptRafaelXavierChaves
 
Pesquisas arqueológicas
Pesquisas arqueológicasPesquisas arqueológicas
Pesquisas arqueológicasJessica Amaral
 
Turismo e arqueologia na amazonia
Turismo e arqueologia na amazoniaTurismo e arqueologia na amazonia
Turismo e arqueologia na amazoniaAndrea Scabello
 
Património cultural português arqueologia em portugal - artur filipe dos s...
Património cultural português   arqueologia em portugal -  artur filipe dos s...Património cultural português   arqueologia em portugal -  artur filipe dos s...
Património cultural português arqueologia em portugal - artur filipe dos s...Artur Filipe dos Santos
 
Povoamento do Município de Ermo, SC
Povoamento do Município de Ermo, SCPovoamento do Município de Ermo, SC
Povoamento do Município de Ermo, SCBrenner Cardoso
 
Vere gordon childe introduçao a arqueologia
Vere gordon childe   introduçao a arqueologiaVere gordon childe   introduçao a arqueologia
Vere gordon childe introduçao a arqueologiaYara Milan Milan
 
Art Archaeology the Ineligible project (2020) - extended book chapter.pdf
Art Archaeology  the Ineligible project (2020) - extended book chapter.pdfArt Archaeology  the Ineligible project (2020) - extended book chapter.pdf
Art Archaeology the Ineligible project (2020) - extended book chapter.pdfKaren Benoit
 
GEOPARQUE Costões e Lagunas do estado do Rio de Janeiro (RJ)
GEOPARQUE Costões e Lagunas do estado do Rio de Janeiro (RJ)GEOPARQUE Costões e Lagunas do estado do Rio de Janeiro (RJ)
GEOPARQUE Costões e Lagunas do estado do Rio de Janeiro (RJ)Gabriela Leal
 
GEOPARQUE Quarta Colônia (RS)
GEOPARQUE Quarta Colônia (RS)GEOPARQUE Quarta Colônia (RS)
GEOPARQUE Quarta Colônia (RS)Gabriela Leal
 

Semelhante a Museu Arqueologia UNESP (20)

11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra11h00 aline rocha 24 08 barra
11h00 aline rocha 24 08 barra
 
Fundamentos interdisciplinares de arqueologia
Fundamentos interdisciplinares de arqueologia Fundamentos interdisciplinares de arqueologia
Fundamentos interdisciplinares de arqueologia
 
Guia did+ítico museu nacional ufrj
Guia did+ítico museu nacional ufrjGuia did+ítico museu nacional ufrj
Guia did+ítico museu nacional ufrj
 
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.pptApresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
 
Cartilha Patrimonial PCH Bocaiúva
Cartilha Patrimonial PCH BocaiúvaCartilha Patrimonial PCH Bocaiúva
Cartilha Patrimonial PCH Bocaiúva
 
O que é arqueologia - Projeto Aripuanã
O que é arqueologia - Projeto AripuanãO que é arqueologia - Projeto Aripuanã
O que é arqueologia - Projeto Aripuanã
 
Pesquisas arqueológicas
Pesquisas arqueológicasPesquisas arqueológicas
Pesquisas arqueológicas
 
Imersão na prática ed. patrimonial
Imersão na prática   ed. patrimonialImersão na prática   ed. patrimonial
Imersão na prática ed. patrimonial
 
32246.pdf
32246.pdf32246.pdf
32246.pdf
 
Turismo e arqueologia na amazonia
Turismo e arqueologia na amazoniaTurismo e arqueologia na amazonia
Turismo e arqueologia na amazonia
 
Património cultural português arqueologia em portugal - artur filipe dos s...
Património cultural português   arqueologia em portugal -  artur filipe dos s...Património cultural português   arqueologia em portugal -  artur filipe dos s...
Património cultural português arqueologia em portugal - artur filipe dos s...
 
Povoamento do Município de Ermo, SC
Povoamento do Município de Ermo, SCPovoamento do Município de Ermo, SC
Povoamento do Município de Ermo, SC
 
2º SD 9º ANO 22.doc
2º SD 9º ANO 22.doc2º SD 9º ANO 22.doc
2º SD 9º ANO 22.doc
 
2º SD 9º ANO 22.doc
2º SD 9º ANO 22.doc2º SD 9º ANO 22.doc
2º SD 9º ANO 22.doc
 
Vere gordon childe introduçao a arqueologia
Vere gordon childe   introduçao a arqueologiaVere gordon childe   introduçao a arqueologia
Vere gordon childe introduçao a arqueologia
 
Teste
TesteTeste
Teste
 
Patrimônio cultural - Projeto Aripuanã
Patrimônio cultural -  Projeto AripuanãPatrimônio cultural -  Projeto Aripuanã
Patrimônio cultural - Projeto Aripuanã
 
Art Archaeology the Ineligible project (2020) - extended book chapter.pdf
Art Archaeology  the Ineligible project (2020) - extended book chapter.pdfArt Archaeology  the Ineligible project (2020) - extended book chapter.pdf
Art Archaeology the Ineligible project (2020) - extended book chapter.pdf
 
GEOPARQUE Costões e Lagunas do estado do Rio de Janeiro (RJ)
GEOPARQUE Costões e Lagunas do estado do Rio de Janeiro (RJ)GEOPARQUE Costões e Lagunas do estado do Rio de Janeiro (RJ)
GEOPARQUE Costões e Lagunas do estado do Rio de Janeiro (RJ)
 
GEOPARQUE Quarta Colônia (RS)
GEOPARQUE Quarta Colônia (RS)GEOPARQUE Quarta Colônia (RS)
GEOPARQUE Quarta Colônia (RS)
 

Mais de Jessica Amaral

Sociologia - Fichamento MARX, Karl. “A Mercadoria” (Capitulo I). IN: O Capital
Sociologia - Fichamento MARX, Karl. “A Mercadoria” (Capitulo I). IN: O CapitalSociologia - Fichamento MARX, Karl. “A Mercadoria” (Capitulo I). IN: O Capital
Sociologia - Fichamento MARX, Karl. “A Mercadoria” (Capitulo I). IN: O CapitalJessica Amaral
 
Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particula...
Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particula...Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particula...
Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particula...Jessica Amaral
 
Sociologia - Fichamento DURKHEIM, Émile. “As Regras do Método Sociológico” (p...
Sociologia - Fichamento DURKHEIM, Émile. “As Regras do Método Sociológico” (p...Sociologia - Fichamento DURKHEIM, Émile. “As Regras do Método Sociológico” (p...
Sociologia - Fichamento DURKHEIM, Émile. “As Regras do Método Sociológico” (p...Jessica Amaral
 
Sociologia - Fichamento de artigo - MARX, Karl Heinrich; ENGELS, Friedrich. ...
Sociologia - Fichamento de artigo  - MARX, Karl Heinrich; ENGELS, Friedrich. ...Sociologia - Fichamento de artigo  - MARX, Karl Heinrich; ENGELS, Friedrich. ...
Sociologia - Fichamento de artigo - MARX, Karl Heinrich; ENGELS, Friedrich. ...Jessica Amaral
 
Sociologia - Relatorio ASSENTAMENTOS PRIMAVERA E TUPÃCIRETÃ. Unesp, 2012.
Sociologia - Relatorio ASSENTAMENTOS PRIMAVERA E TUPÃCIRETÃ. Unesp, 2012.Sociologia - Relatorio ASSENTAMENTOS PRIMAVERA E TUPÃCIRETÃ. Unesp, 2012.
Sociologia - Relatorio ASSENTAMENTOS PRIMAVERA E TUPÃCIRETÃ. Unesp, 2012.Jessica Amaral
 
Relatorio regras e normas de segurança
Relatorio   regras e normas de segurançaRelatorio   regras e normas de segurança
Relatorio regras e normas de segurançaJessica Amaral
 
Quimica Experimental - Relatorio TRANSFORMAÇÕES QUIMÍCAS E FÍSICAS
Quimica Experimental - Relatorio TRANSFORMAÇÕES  QUIMÍCAS E FÍSICASQuimica Experimental - Relatorio TRANSFORMAÇÕES  QUIMÍCAS E FÍSICAS
Quimica Experimental - Relatorio TRANSFORMAÇÕES QUIMÍCAS E FÍSICASJessica Amaral
 
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAIS
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAISQuimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAIS
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAISJessica Amaral
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕESJessica Amaral
 
Antropologia - Relatorio RELAÇÕES ENTRE ANTROPOLOGIA E BIOLOGIA
Antropologia - Relatorio RELAÇÕES ENTRE ANTROPOLOGIA  E BIOLOGIAAntropologia - Relatorio RELAÇÕES ENTRE ANTROPOLOGIA  E BIOLOGIA
Antropologia - Relatorio RELAÇÕES ENTRE ANTROPOLOGIA E BIOLOGIAJessica Amaral
 
Antropologia - Relatorio HABITAÇÕES DO PRÉ-HISTORICO AO CONTEMPORÂNEO
Antropologia - Relatorio HABITAÇÕES  DO PRÉ-HISTORICO  AO CONTEMPORÂNEOAntropologia - Relatorio HABITAÇÕES  DO PRÉ-HISTORICO  AO CONTEMPORÂNEO
Antropologia - Relatorio HABITAÇÕES DO PRÉ-HISTORICO AO CONTEMPORÂNEOJessica Amaral
 
Antropologia - Relatório CHARLES ROBERT DARWIN: BIOGRAFIA E A SELEÇÃO NATURAL
Antropologia - Relatório CHARLES ROBERT DARWIN: BIOGRAFIA E A SELEÇÃO NATURALAntropologia - Relatório CHARLES ROBERT DARWIN: BIOGRAFIA E A SELEÇÃO NATURAL
Antropologia - Relatório CHARLES ROBERT DARWIN: BIOGRAFIA E A SELEÇÃO NATURALJessica Amaral
 
Antropologia - Relatorio XIII SEMANA DA GEOGRAFIA E VIII ENCONTRO DE ESTUDAN...
Antropologia - Relatorio XIII SEMANA DA GEOGRAFIA E  VIII ENCONTRO DE ESTUDAN...Antropologia - Relatorio XIII SEMANA DA GEOGRAFIA E  VIII ENCONTRO DE ESTUDAN...
Antropologia - Relatorio XIII SEMANA DA GEOGRAFIA E VIII ENCONTRO DE ESTUDAN...Jessica Amaral
 
Geografia Humana - 10. RESUMO - PATARRA, Neide. “Tendências e Modalidades R...
Geografia Humana - 10. RESUMO   - PATARRA, Neide. “Tendências e Modalidades R...Geografia Humana - 10. RESUMO   - PATARRA, Neide. “Tendências e Modalidades R...
Geografia Humana - 10. RESUMO - PATARRA, Neide. “Tendências e Modalidades R...Jessica Amaral
 
Geografia Humana - 8. RESUMO -ELZA BERQUÓ. “Evolução Demográfica” (Capitulo ...
Geografia Humana - 8. RESUMO  -ELZA BERQUÓ. “Evolução Demográfica” (Capitulo ...Geografia Humana - 8. RESUMO  -ELZA BERQUÓ. “Evolução Demográfica” (Capitulo ...
Geografia Humana - 8. RESUMO -ELZA BERQUÓ. “Evolução Demográfica” (Capitulo ...Jessica Amaral
 
7 população, meio ambiente e desenvolvimento
7   população, meio ambiente e desenvolvimento7   população, meio ambiente e desenvolvimento
7 população, meio ambiente e desenvolvimentoJessica Amaral
 
Geografia Humana - 6. DAMIANI, Amélia. População e Geografia. Resumo do livro
Geografia Humana - 6. DAMIANI, Amélia. População e Geografia.  Resumo do livroGeografia Humana - 6. DAMIANI, Amélia. População e Geografia.  Resumo do livro
Geografia Humana - 6. DAMIANI, Amélia. População e Geografia. Resumo do livroJessica Amaral
 
Geografia Humana - 5. CARLOS, Ana Fani Alessandri. Os caminhos da geografia h...
Geografia Humana - 5. CARLOS, Ana Fani Alessandri. Os caminhos da geografia h...Geografia Humana - 5. CARLOS, Ana Fani Alessandri. Os caminhos da geografia h...
Geografia Humana - 5. CARLOS, Ana Fani Alessandri. Os caminhos da geografia h...Jessica Amaral
 
Geografia Humana - 2. MORAES, A. C. R. Geografia: Pequena Historia Critica. P...
Geografia Humana - 2. MORAES, A. C. R. Geografia: Pequena Historia Critica. P...Geografia Humana - 2. MORAES, A. C. R. Geografia: Pequena Historia Critica. P...
Geografia Humana - 2. MORAES, A. C. R. Geografia: Pequena Historia Critica. P...Jessica Amaral
 

Mais de Jessica Amaral (20)

Sociologia - Fichamento MARX, Karl. “A Mercadoria” (Capitulo I). IN: O Capital
Sociologia - Fichamento MARX, Karl. “A Mercadoria” (Capitulo I). IN: O CapitalSociologia - Fichamento MARX, Karl. “A Mercadoria” (Capitulo I). IN: O Capital
Sociologia - Fichamento MARX, Karl. “A Mercadoria” (Capitulo I). IN: O Capital
 
Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particula...
Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particula...Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particula...
Sociologia - MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. “A ideologia em geral e particula...
 
Sociologia - Fichamento DURKHEIM, Émile. “As Regras do Método Sociológico” (p...
Sociologia - Fichamento DURKHEIM, Émile. “As Regras do Método Sociológico” (p...Sociologia - Fichamento DURKHEIM, Émile. “As Regras do Método Sociológico” (p...
Sociologia - Fichamento DURKHEIM, Émile. “As Regras do Método Sociológico” (p...
 
Sociologia - Fichamento de artigo - MARX, Karl Heinrich; ENGELS, Friedrich. ...
Sociologia - Fichamento de artigo  - MARX, Karl Heinrich; ENGELS, Friedrich. ...Sociologia - Fichamento de artigo  - MARX, Karl Heinrich; ENGELS, Friedrich. ...
Sociologia - Fichamento de artigo - MARX, Karl Heinrich; ENGELS, Friedrich. ...
 
Sociologia - Relatorio ASSENTAMENTOS PRIMAVERA E TUPÃCIRETÃ. Unesp, 2012.
Sociologia - Relatorio ASSENTAMENTOS PRIMAVERA E TUPÃCIRETÃ. Unesp, 2012.Sociologia - Relatorio ASSENTAMENTOS PRIMAVERA E TUPÃCIRETÃ. Unesp, 2012.
Sociologia - Relatorio ASSENTAMENTOS PRIMAVERA E TUPÃCIRETÃ. Unesp, 2012.
 
Relatorio regras e normas de segurança
Relatorio   regras e normas de segurançaRelatorio   regras e normas de segurança
Relatorio regras e normas de segurança
 
Quimica Experimental - Relatorio TRANSFORMAÇÕES QUIMÍCAS E FÍSICAS
Quimica Experimental - Relatorio TRANSFORMAÇÕES  QUIMÍCAS E FÍSICASQuimica Experimental - Relatorio TRANSFORMAÇÕES  QUIMÍCAS E FÍSICAS
Quimica Experimental - Relatorio TRANSFORMAÇÕES QUIMÍCAS E FÍSICAS
 
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAIS
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAISQuimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAIS
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAIS
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
 
Antropologia - Relatorio RELAÇÕES ENTRE ANTROPOLOGIA E BIOLOGIA
Antropologia - Relatorio RELAÇÕES ENTRE ANTROPOLOGIA  E BIOLOGIAAntropologia - Relatorio RELAÇÕES ENTRE ANTROPOLOGIA  E BIOLOGIA
Antropologia - Relatorio RELAÇÕES ENTRE ANTROPOLOGIA E BIOLOGIA
 
Antropologia - Relatorio HABITAÇÕES DO PRÉ-HISTORICO AO CONTEMPORÂNEO
Antropologia - Relatorio HABITAÇÕES  DO PRÉ-HISTORICO  AO CONTEMPORÂNEOAntropologia - Relatorio HABITAÇÕES  DO PRÉ-HISTORICO  AO CONTEMPORÂNEO
Antropologia - Relatorio HABITAÇÕES DO PRÉ-HISTORICO AO CONTEMPORÂNEO
 
Antropologia - Relatório CHARLES ROBERT DARWIN: BIOGRAFIA E A SELEÇÃO NATURAL
Antropologia - Relatório CHARLES ROBERT DARWIN: BIOGRAFIA E A SELEÇÃO NATURALAntropologia - Relatório CHARLES ROBERT DARWIN: BIOGRAFIA E A SELEÇÃO NATURAL
Antropologia - Relatório CHARLES ROBERT DARWIN: BIOGRAFIA E A SELEÇÃO NATURAL
 
Antropologia - Relatorio XIII SEMANA DA GEOGRAFIA E VIII ENCONTRO DE ESTUDAN...
Antropologia - Relatorio XIII SEMANA DA GEOGRAFIA E  VIII ENCONTRO DE ESTUDAN...Antropologia - Relatorio XIII SEMANA DA GEOGRAFIA E  VIII ENCONTRO DE ESTUDAN...
Antropologia - Relatorio XIII SEMANA DA GEOGRAFIA E VIII ENCONTRO DE ESTUDAN...
 
Geografia Humana - 10. RESUMO - PATARRA, Neide. “Tendências e Modalidades R...
Geografia Humana - 10. RESUMO   - PATARRA, Neide. “Tendências e Modalidades R...Geografia Humana - 10. RESUMO   - PATARRA, Neide. “Tendências e Modalidades R...
Geografia Humana - 10. RESUMO - PATARRA, Neide. “Tendências e Modalidades R...
 
Geografia Humana - 8. RESUMO -ELZA BERQUÓ. “Evolução Demográfica” (Capitulo ...
Geografia Humana - 8. RESUMO  -ELZA BERQUÓ. “Evolução Demográfica” (Capitulo ...Geografia Humana - 8. RESUMO  -ELZA BERQUÓ. “Evolução Demográfica” (Capitulo ...
Geografia Humana - 8. RESUMO -ELZA BERQUÓ. “Evolução Demográfica” (Capitulo ...
 
7 população, meio ambiente e desenvolvimento
7   população, meio ambiente e desenvolvimento7   população, meio ambiente e desenvolvimento
7 população, meio ambiente e desenvolvimento
 
Geografia Humana - 6. DAMIANI, Amélia. População e Geografia. Resumo do livro
Geografia Humana - 6. DAMIANI, Amélia. População e Geografia.  Resumo do livroGeografia Humana - 6. DAMIANI, Amélia. População e Geografia.  Resumo do livro
Geografia Humana - 6. DAMIANI, Amélia. População e Geografia. Resumo do livro
 
Geografia Humana - 5. CARLOS, Ana Fani Alessandri. Os caminhos da geografia h...
Geografia Humana - 5. CARLOS, Ana Fani Alessandri. Os caminhos da geografia h...Geografia Humana - 5. CARLOS, Ana Fani Alessandri. Os caminhos da geografia h...
Geografia Humana - 5. CARLOS, Ana Fani Alessandri. Os caminhos da geografia h...
 
Geografia Humana - 2. MORAES, A. C. R. Geografia: Pequena Historia Critica. P...
Geografia Humana - 2. MORAES, A. C. R. Geografia: Pequena Historia Critica. P...Geografia Humana - 2. MORAES, A. C. R. Geografia: Pequena Historia Critica. P...
Geografia Humana - 2. MORAES, A. C. R. Geografia: Pequena Historia Critica. P...
 
9 somos um pais jovem
9   somos um pais jovem9   somos um pais jovem
9 somos um pais jovem
 

Último

Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 

Último (20)

treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 

Museu Arqueologia UNESP

  • 1. CENTRO DE MUSEOLOGIA, ANTROPOLOGIA E ARQUEOLOGIA / CEMAARQ DA FCT/UNESP DE PRESIENTE PRUDENTE (RELATÓRIO) Jessica Amaral Presidente Prudente Outubro de 2012
  • 2. INTRODUÇÃO “A arqueologia é o estudo dos fosseis culturais, ou seja, a análise de uma sociedade através dos elementos que compões a cultura material, encontrados nos sítios arqueológicos” O Centro de Museologia, Antropologia e Arqueologia (CEMAARQ) da Faculdade de Ciências e Tecnologia – UNESP – Campus de Presidente Prudente têm, desde sua formação, uma historia de interesses em comum entre Docentes e pesquisadores da área. “O estímulo inicial foi dado pelo achado de uma ocorrência arqueológica no Distrito de Itororó do Paranapanema, Município de Pirapozinho” Leonice Bigoni, umas das monitoras, recebeu a 55ª turma de Geografia da FCT UNESP no dia quatro de Outubro de 2012 através da disciplina de Antropologia Cultural lecionada pela Profª. Drª. Ruth Künzli, da área de Antropologia do Departamento de Planejamento. Primeiramente a turma recebeu uma orientação conceitual com apresentação de slides e posteriormente houve a visita ao conteúdo material do CMAARQ, que por sua vez é dividida em três setores: Arqueologia, Indígena Contemporânea e a Sala de Paleontologia. CONTEUDO CONCEITUAL Arqueologia se dispõe em dividir o tempo em Arqueologia Pré-Histórica, onde não há registro escrito, porém ainda encontra-se a arte rupestre. A Arqueologia Clássica é o estudo de artefatos encontrados relativos ás grandes civilizações desaparecidas (Egípcia, Grega, Romana etc.). A Arqueologia Histórica é a complementação dos dados através de evidencias da cultura material, especificamente contemporânea. Além destas, há ainda a Arqueologia Subaquática que estuda sítios arqueológicos submersos; a Arqueologia Histórica Brasileira, direcionada a população indígena e a época da colonização. Presidente Prudente Outubro de 2012
  • 3. Sobre os períodos culturais arqueológicos, são eles o Paleolítico, Mesolítico e Neolítico. No Paleolítico, os homens eram essencialmente nômades caçador-coletores, tendo que se deslocar constantemente em busca de alimentos. Desenvolveram os primeiros instrumentos de caça feitos em madeira, osso ou pedra lascada, e dominaram o uso do fogo. Este longo período histórico subdivide-se em Paleolítico Inferior (até a aproximadamente 300 mil anos) e Paleolítico Superior (até 10 mil a.C.). Há certa discordância entre estudiosos quanto a essa divisão, sendo que alguns intercalam um Paleolítico Médio entre o inferior e o superior. Os hábitos das culturas do Mesolítico eram basicamente nômades, com assentamentos estacionais de Inverno e acampamentos de verão, embora em algumas regiões costeiras européias e no Próximo Oriente (ali onde encontraram recursos suficientes e regulares) começassem a viver de um modo mais sedentário. As regiões que sofreram maiores efeitos das glaciações tiveram Mesolíticos mais evidentes. As primeiras aldeias do Neolítico eram criadas próximas a rios, de modo a usufruir da terra fértil (onde eram colocadas sementes para plantio) e água para homens e animais. Também nesse período começa a domesticação de animais (cabra, boi, cão, dromedário, etc). O trabalho passa a ser dividido entre homens e mulheres, os homens cuidam da segurança, caça e pesca, enquanto as mulheres plantam, colhem e educam os filhos. A disponibilidade de alimento permite também às populações um aumento do tempo de lazer e a necessidade de armazenar os alimentos e as sementes para cultivo leva à criação de peças de cerâmica, que vão gradualmente ganhando fins decorativos. Sendo assim, todo o material que o CEMAARQ possui está baseado nessa linha Arqueológica. ACERVO As atividades e os objetos são o resultado de pesquisas arqueológicas na FCT UNESP na Décima Região Administrativa, perfazendo o cadastramento de 130 Sítios arqueológicos, dentre os quais 15 foram escavados: o Projeto Paranapanema, o Projeto Presidente Prudente Outubro de 2012
  • 4. Arqueológico Décima Região, o Projeto de Salvamento Arqueológico de Porto Primavera - SP, e o Projeto de Salvamento Arqueológico de Porto Primavera - SPFASE II. Dentre os objetos indígenas contemporâneo, o conteúdo é original de sítios arqueológicos da região e de algumas outras regiões, constituindo aproximadamente 2.500 peças, entre eles cerâmica Marajoara e Santarém, armas e cestaria, instrumentos musicais e adornos. O setor da Arqueologia possui dispõe materiais desde a era da pedra lascada, pedra polida, material de contato a pré-história européia, além de moldes de crânio. A maior parte destes baseia-se em moldes de materiais arqueológicos originais que se encontram no Museu Nacional de Arqueologia na Europa. A Sala de Paleontologia é o mais recente dos setores abertos a visitação. O conteúdo exposto contou com a doação de pesquisadores da área e compõem diversos fosseis sendo alguns encontrados na região. CONCLUSÃO O número, importância e diversidade de sítios geológicos arqueológicos e paleontológicos no Brasil, vêm aumentando, assim como vem crescendo progressivamente as pesquisas nessa área. Da mesma forma, o avanço de obras, construções e outros empreendimentos em todo o país tem sido responsável por toda a sorte de impactos e prejuízos ao patrimônio geológico e paleontológico nacional. A Arqueologia de Contrato dilatou o campo de atuação profissional do arqueólogo, porém, abriu um delicado e novo campo de discussão: o que merece ser preservado, e o que pode ser destruído? Quais os sítios arqueológicos que deverão ser escavados de forma intensiva, e quais receberão apenas trabalhos sumários? Até que ponto a identificação de um patrimônio arqueológico de alta significação poderia alterar (ou mesmo impedir) a implantação de um empreendimento? As discussões crescem, à medida que cresce a consciência dos homens em relação ao seu passado. Arqueólogos de contrato e empreendedores se vêem diante do desafio de ajustar perspectivas e necessidades, que até então se mostravam tão Presidente Prudente Outubro de 2012
  • 5. diferentes. Entretanto, é notável que o avanço crescente de hidrelétricas, estradas e outros empreendimentos permitiram que extensas áreas do território brasileiro, antes desconhecidas do ponto de vista arqueológico, fossem estudadas. Nesse sentido, a Sociedade de Arqueologia Brasileira (SAB) vem estimulando a realização de encontros e grupos de trabalho voltados ao aprofundamento destas questões, aliando-se aos órgãos federais, estaduais e municipais de preservação. O seu maior desafio: o estabelecimento de normas éticas de conduta e a capacitação dos novos quadros de profissional rumo à preservação da herança cultural brasileira. BIBLIOGRFIA BIGONI, Leonice. [e-mail] 04 de Outubro de 2012, Presidente Prudente [para] 55ª Turma de Geografia FCT Unesp PP. 3 folhas. Texto sobre o CEMAARQ. INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL – IPHAN. “A incidência da legislação relativa ao patrimônio cultural brasileiro em sítios geológicos e paleontológicos”. Disponível em http://sigep.cprm.gov.br/destaques/legislacao_sitios_arqueologicos_paleontologicos.pdf Acesso em 10 de Outubro de 2012. ITAU CULTURAL. “Arqueologia de contrato”. Disponível em: http://www.itaucultural.org.br/arqueologia/pt/oq_arqueologia/contrato00.htm. Acesso em 10 de Outubro de 2012. Jessica Amaral Disciplina de Antropologia Cultural Docente Profª. Drª. Ruth Künzli Presidente Prudente Outubro de 2012