Redação

602 visualizações

Publicada em

Tipos de textos usados nas redações, dicas, exemplos e vídeos

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Redação

  1. 1. ESCOLA ESTADUAL LIBERDADE – PALMAS – TO Jair Nascimento http://professorjairnascimento.blogspot.com 2017
  2. 2. O que é redação?  redação  substantivo feminino  1.  ação ou efeito de redigir, de escrever com ordem e método.  2.  expressão dada ao pensamento; maneira de redigir.  "tem uma r. clara e concisa"  3.  p.met. exercício escolar, dever de composição escrita.  "tirou a maior nota na r."  4.  p.met. conjunto de redatores de um jornal, uma revista, uma editora etc.  5.  p.met. sala onde trabalham os redatores.  Origem  ⊙ ETIM lat. redactĭo,ōnis 'redução (termo de aritmética)'
  3. 3.  Redação :  Dominar a arte da escrita é um trabalho que exige prática e dedicação. Não existem fórmulas mágicas: o exercício contínuo, aliado à leitura de bons autores, e a reflexão são indispensáveis para a criação de bons textos.  Apesar do grande poder dos meios eletrônicos, a leitura é ainda uma das formas mais ricas de informação, pois grande parte do conhecimento nos é apresentado sob forma de linguagem escrita.  Lembre-se: estar bem informado é uma das normas mais importantes para quem quer escrever bem.
  4. 4. Os diferentes tipos de redação  Textos narrativos  Textos dissertativos  Textos descritivos  Textos injuntivos  Veremos todos detalhadamente:
  5. 5. Textos narrativos  As narrações consistem basicamente no arranjo de uma sequência de fatos através do qual os diferentes personagens se movimentam e se relacionam em um espaço definido à medida que o tempo passa. A narrativa é, portanto, centrada em um conflito vivido pelos personagens e estruturada em apresentação, desenvolvimento, clímax e desfecho.  Aqui, os personagens são elementos de destaque na construção do texto e o texto narrativo deve contar com um ou mais personagens principais e antagonistas, que atuam no sentido contrário do protagonista, impedindo-o de atingir seu objetivo ao longo da narração.  Os personagens secundários também merecem atenção, exercendo papel importante na história. Os elementos que compõem o texto narrativo são: o foco narrativo – em primeira ou terceira pessoa -, os personagens, o narrador – que pode ser personagem ou observador -, o tempo – psicológico ou cronológico – e o espaço no qual a história se desenvolve.
  6. 6. Elementos da narrativa:  Narrador - Quem narra a história. Dividem-se em: narrador- observador; narrador personagem e narrador- onisciente.  Enredo - É a estrutura da narrativa, ou seja, a trama em que se desenrolam as ações. Pode ser: Enredo Linear, Enredo Não linear, Enredo Psicológico e Enredo Cronológico.  Personagens - São aqueles que compõem a narrativa. São classificadas em Personagens Principais (Protagonista e Antagonista) e Personagens Secundários (Adjuvante ou Coadjuvante).  Tempo - Marcação do tempo, data, momento, dentro da narrativa. O tempo pode ser Cronológico ou Psicológico.  Espaço - Local (s) onde a narrativa se desenvolve. Podem ocorrer num Ambiente Físico, Ambiente Psicológico ou Ambiente Social.
  7. 7. Tipos de Narrador  Narrador-Personagem - A história é narrada em 1ª pessoa no qual o narrador é um personagem e participa da história.  Narrador-Observador - Narrado em 3ª pessoa, esse tipo de narrador conhece os fatos porém, não participa da ação.  Narrador-Onisciente - Esse narrador conhece todos os personagens e a trama. Nesse caso, a história é narrada em 3ª pessoa e quando apresenta fluxo de pesamentos dos personagens, a ação é narrada em 1ª pessoa.
  8. 8. Tipos de Discurso Narrativo  Discurso Direto - No discurso direto, a própria personagem fala.  Discurso Indireto - No discurso indireto o narrador interfere na fala da personagem. Em outras palavras, é narrado em 3ª pessoa uma vez que não aparece a fala da personagem.  Discurso Indireto Livre - No discurso indireto-livre há intervenções do narrador e das falas dos personagens. Nesse caso, funde-se o discurso direto com o indireto
  9. 9. Exemplos de Textos Narrativos Discurso direto:
  10. 10. Discurso Indireto
  11. 11. Discurso Indireto Livre
  12. 12. Textos dissertativos  O texto dissertativo é o modelo cobrado pela maioria dos processos seletivos, incluindo o ENEM. Portanto, merece atenção do estudante com relação às suas características e especificidades.  A dissertação costuma ser requerida pelos vestibulares por exigir do aluno a análise crítica e o posicionamento diante de um tema proposto. Esta deve ser apresentada seguindo a seguinte estrutura: introdução, desenvolvimento e conclusão.  Os textos dissertativos são escritos em terceira pessoa, com linguagem formal e direta – ou seja, as palavras devem ser utilizadas em sentido literal, evitando gírias e expressões de sentido figurado. Os períodos devem ser claros e objetivos, com pontuação adequada. Quanto mais longos os períodos, maiores as chances de erros e confusão.  É importante estar atento também à divisão dos parágrafos, garantindo uma introdução adequada, um desenvolvimento bem argumentado e uma boa conclusão.
  13. 13. O que é dissertar?  Dissertar significa “falar sobre”. É o texto em que se expõem ideias, seguidas de argumentos que as comprovem. Na dissertação, você deve revelar sua opinião a respeito do assunto.  Vale a pena destacar que o texto dissertativo argumentativo costuma ser o mais cobrado nas provas de vestibular e concursos, por isso daremos atenção especial a ele.
  14. 14. Tipos de dissertações:  Expositiva ou Argumentativa.  A dissertação expositiva é voltada aos fatos que estão sendo noticiados e discutidos na mídia: televisão, rádio, internet, revistas. Tais acontecimentos são inquestionáveis, uma vez que até mesmo seus pormenores foram divulgados. Logo, um texto dissertativo sobre um assunto popular será apenas a exposição verbal deste, e não propriamente um debate. A dissertação argumentativa diz respeito à reflexão que fazemos sobre o tema. O ponto de vista do autor é declarado e se interage com os fatos abordados, a fim e esclarecê-los e também de convencer o leitor sobre a opinião expressa. Portanto, o escritor tende a usar da persuasão para apresentar a visão crítica dele. Contudo, a linguagem não deve deixar de ser objetiva e o ponto de vista deve ser baseado em evidências concretas e reais dos acontecimentos. Por isso, independente do tipo de dissertação, faça uma exposição clara, coerente dos argumentos, os quais devem ser estruturados de maneira lógica!
  15. 15. Como começar uma redação:
  16. 16. Modelo de Redação Dissertativa para você se inspirar na hora de escrever as suas redações. Vale a pena conferir algumas ideias para saber por onde começar. Consumismo: felicidade maquiada Vivemos em um mundo cada vez mais globalizado, no qual a dinâmica de informações é intensa e constante. A troca de ideias e mercadorias entre os mais distantes lugares tornou-se ainda mais frequente e rápida após o advento da internet. Dentro desse contexto, há um importante fator que deve ser levado em consideração: a mídia como um mecanismo de manipulação das massas. Através de inúmeros meios de comunicação como rádio, televisão, jornais, revistas, outdoors, internet, entre outros, a mídia tem realizado o seu trabalho de convencer as pessoas a consumir. Para isso utiliza-se de algumas artimanhas, como artistas famosos e queridos que incitam o público a comprar os produtos divulgados. O ser humano nasce e cresce vivenciando esse mundo manipulado pela mídia, e acreditando que a felicidade possa ser encontrada quando se adquire determinada marca de roupa, calçado, carro, jóia, celular ou qualquer outro produto. Divulga-se constantemente a ideia da felicidade comprada.
  17. 17. O individuo que nasce nesse ambiente consumista dificilmente aprende valores interiores e subjetivos, como a amizade, o amor ao próximo, o companheirismo, o respeito, a dignidade, a honestidade que o edificam como ser pensante e emotivo. Decorre disso a dificuldade de se preencher o vazio interior, o que é comumente buscado no consumo de bens concretos e superficiais. Não há como afirmar que tais bens são dispensáveis à felicidade, porém estes não estão capacitados a trazer a realização pessoal buscada pelo homem. A partir das ideias discutidas, podemos concluir que uma das melhores maneiras de garantir a realização pessoal é combatendo o consumismo incitado pela mídia – uma vez que este proporciona uma felicidade maquiada e momentânea que não caracteriza uma realização pessoal plena e sólida – e educando nossas crianças com base em valores como a solidariedade, o amor e o respeito. Autor: Natalia Yumi Yamamoto (adaptado do original)
  18. 18. Desenvolvimento e conclusão:
  19. 19. Textos descritivos  A descrição pode ser caracterizada como um modelo de texto no qual um observador organiza os elementos de forma a apresentá- los e torná-los conhecidos de um interlocutor. O texto descritivo consiste, portanto, em uma percepção sensorial, podendo ser representada pelos cinco sentidos, e em um relato de impressões com riqueza de detalhes, de forma que o leitor seja capaz de criar uma imagem do objeto ou situação descrita. A descrição pode ser objetiva, relatando de forma precisa as características de um objeto, isentando-se de comentários pessoais, ou subjetiva, permitindo a expressão de sentimentos e expressões, garantindo um toque pessoal.
  20. 20.  A descrição é uma caracterização: o redator apresenta características de alguma coisa: de uma pessoa, de um objeto, de uma paisagem, de um bicho, de uma planta, de um ser imaginário etc. - características percebidas que, com o texto, levam o leitor a perceber. A redação descritiva trabalha com a capacidade de percepção humana, enquanto sujeitos ao contato sensível com o mundo.  A descrição deve, pois, ir além do simples retrato: deve transmitir ao leitor uma visão pessoal ou uma interpretação do autor acerca daquilo que descreve, de modo a, por meio dos sentidos, nos transmitir uma imagem singular, original e criativa. Mesmo que, salvo a técnica ou científica, toda descrição revela, em maior ou menor grau, a impressão do autor sobre aquilo que descreve.  Tradicionalmente, as descrições são classificadas pelo assunto que abordam. Nessa classificação, dois tipos se destacam: a descrição geográfica e o retrato. A descrição geográfica trata da aparência das coisas não humanas tal qual se dão à percepção. O retrato trata das aparências do ser humano, enquanto indivíduo ou tipo, tanto físicas como de caráter e ideologia.
  21. 21. Exemplo de texto descritivo: “Quaresma era um homem pequeno, magro, que usava pince- nez, olhava sempre baixo, mas, quando fixava alguém ou alguma cousa, os seus olhos tomavam, por detrás das lentes, um forte brilho de penetração, e era como se ele quisesse ir à alma da pessoa ou da cousa que fixava. Contudo, sempre os trazia baixos, como se se guiasse pela ponta do cavanhaque que lhe enfeitava o queixo. Vestia-se sempre de fraque, preto, azul, ou de cinza, de pano listrado, mas sempre de fraque, e era raro que não se cobrisse com uma cartola de abas curtas e muito alta, feita segundo um figurino antigo de que ele sabia com precisão a época.” (fragmento) (O Triste Fim de Policarpo Quaresma, Lima Barreto, 1915)
  22. 22. Exemplos:
  23. 23. Textos injuntivos  Os textos injuntivos têm como objetivo instruir o leitor com relação a um processo, orientando-o acerca de como deve se comportar. Consistem em materiais escritos como manuais de instrução, bulas de remédio ou receitas e devem apresentar linguagem clara e dizeres focados na apresentação de um objetivo específico. A comunicação se presta aqui a uma finalidade e a forma de apresentá-la ao leitor é fundamental ao seu entendimento.
  24. 24. Recursos Linguísticos A linguagem dos textos injuntivos é simples e objetiva. Um dos recursos linguísticos marcantes e recorrentes desse tipo de texto, é a utilização dos verbos no imperativo, de modo a indicar uma “ordem”, por exemplo, na receita de bolo: “misture todos os ingredientes”; bula de remédio “tome duas cápsulas por dia”; manual de instruções “aperte a tecla amarela”; propagandas “vista essa camisa”.
  25. 25. Exemplos de textos injuntivos  Manual de Instruções  “Instalação: Prefira sempre os serviços da Rede de Assistência Técnica Brastemp para realizar desde a instalação até a manutenção de seus produtos com tranquilidade e segurança.  1° passo: Veja se a tomada onde o produto será instalado tem o novo padrão plugue, segundo o INMETRO.  2° passo: Verifique se a tensão da rede elétrica no local de instalação é a mesma indicada na etiqueta do plugue da sua lavadora.  3° passo: Nunca altere ou use o cabo de força de maneira diferente da recomendada. Se o cabo de força estiver danificado, chame a Rede de Serviços Brastemp para substituí-lo.
  26. 26. Bula de Remédio Apresentação de Norfloxacino (Laboratório: Medley, Referência: Floxacin) Comprimidos revestidos de 400 mg. Embalagens com 6 e 14 comprimidos revestidos. USO ADULTO - USO ORAL COMPOSIÇÃO Cada comprimido revestido contém: Norfloxacino ........................................................ 400 mg excipientes q.s.p..................................... 1 comprimido
  27. 27. Receita  “Massa de Panqueca Simples  Ingredientes:  1 ovo  1 xícara de farinha de trigo  1 xícara de leite  1 pitada de sal  1 colher de sopa de óleo  Modo de Preparo: Bata todos os ingredientes no liquidificador. A seguir, aqueça uma frigideira untada com um fio de óleo em fogo baixo. Coloque um pouco da massa na frigideira não muito quente e esparrame de modo a cobrir todo o fundo e ficar só uma camada fina de massa. Deixe igualar os dois lados, até que fiquem levemente douradas. Retire com a espátula, e sirva com o recheio de sua preferência. Sugestão de recheio: carne moída, queijo e geleia.”
  28. 28. Dicas de redação
  29. 29. A Pontuação. Curiosidades:  Vírgula pode ser uma pausa... ou não. Não, espere. Não espere..  Ela pode sumir com seu dinheiro. 23,4. 2,34.  Pode criar heróis... Isso só, ele resolve. Isso, só ele resolve.  Ela pode ser a solução. Vamos perder, nada foi resolvido. Vamos perder nada, foi resolvido.
  30. 30.  A vírgula muda uma opinião. Não queremos saber. Não, queremos saber.  A vírgula pode condenar ou salvar. Não tenha clemência! Não, tenha clemência! SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA. *Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER... SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER, ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA. • Se você for homem, colocou a vírgula depois de TEM. SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM, A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.
  31. 31. Referências bibliográficas  https://www.google.com.br  http://www.soportugues.com.br/secoes/Redacao/  http://blog.portalpravaler.com.br/os-diferentes- tipos-de-redacao/  http://brasilescola.uol.com.br/redacao/existem- tipos-dissertacao.htm  https://www.youtube.com/watch?v=Dqppv_AJz8o  https://www.todamateria.com.br/texto-narrativo/  https://web.whatsapp.com/

×