Realismo naturalismo

41.446 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Negócios, Tecnologia
0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
41.446
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
441
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
915
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Realismo naturalismo

  1. 1. Realismo Naturalismo<br />jairjlnascimento@hotmail.com<br />http://professorjairnascimento.blogspot.com<br />
  2. 2. O Realismo<br />O movimento realista surgiu primeiro nas artes plásticas, como relação à produção excessivamente idealista e imaginativa do Romantismo. Daí sua primeira e mais marcante característica: registrar uma época pelo que se vê, não pelo que se imagina ou se deseja que seja real, valorizando a representação fiel da realidade.<br />O mundo de cavaleiros destemidos, de virgens ingênuas e frágeis, e o ideal de uma vida primitiva, distante da civilização, tudo isso terminara<br />A arte e a literatura refletem essas mudanças. Em lugar do egocentrismo romântico, verifica-se um enorme interesse em descrever, analisar e até em criticar a realidade.<br />
  3. 3. O Realismo, o Naturalismo e o parnasianismo<br />Na Europa, esses movimentos tiveram início, respectivamente, com a publicação do romance realista Madame Bovary (1857), de Gustave Flaubert, do romance naturalista ThérèseRaquin, de Émile Zola (1867), e das antologias parnasianas intituladas ParnasceContemporain(a partir de 1866).<br />O Realismo na literatura representa um período de renovação estética afinado com as tendências filosóficas, políticas e científicas que impregnaram o pensamento europeu na segunda metade do século XIX.<br />
  4. 4. O Realismo no Brasil<br />Foi um período de muita riqueza para os grandes comerciantes e fazendeiros. Além do café, também o cacau e a borracha alcançavam alto valor no mercado externo. Nessa época o centro comercial deslocou-se do Nordeste, onde a produção açucareira entrava em crise, par o Sudeste, com suas plantações de café.<br />A Base porém ainda era a mão-de-obra escrava. Isso colocava muitos intelectuais em uma situação incômoda: Como aceitar um enriquecimento e um progresso que se fundamentavam na exploração desumana de parte da população? Assim, ao lado das ideias republicanas, o abolicionismo foi uma das grandes motivações para que escritores da época negassem o espírito romântico e buscassem novas formas de exercer a literatura.<br />
  5. 5. Características do Realismo e do Naturalismo<br />Determinismo – Para Hippolyte Taine, criador da teoria determinista, o comportamento humano depende das características fisiológicas do indivíduo, do meio e do momento histórico. Influenciados por essa teoria, os romances realistas têm enredos presos à ideia de que as “leis naturais” são as únicas responsáveis pelo destino do indivíduo. As personagens agem guiadas pelos instintos e são resignadas, já que seu destino não depende de sua vontade ou interferência.<br />
  6. 6. Positivismo – De acordo com essa doutrina, criada por Auguste Comte, apenas os conhecimentos baseados em fatos e dados da experiência seriam válidos. Para entender o mundo, bastaria observá-lo, experimentá-lo e compará-lo, como em um procedimento científico. Na literatura, o positivismo influenciou a criação das personagens, fazendo o escritor realista se sentir no dever de revelar o que leva suas personagens a agirem como agem (comparando as atitudes de umas com as outras), qual a verdade por trás de seu comportamento em sociedade.<br />
  7. 7. A arte como bandeira - A arte realista era engajada, visava à solução dos problemas sociais.<br />Realidade - Apresentar a realidade é a missão do escritor realista. E ele procura cumprir esse papel de forma objetiva, sem julgamentos. As personagens devem ser construídas com base nos tipos reais, e os fatos narrados devem traduzir fatos concretos da vida, sem idealizações.<br />Descrição – O escritor realista descreve as personagens e os ambientes com todos os pormenores, deixando clara a intenção de denunciar a sociedade real. Ao mesmo tempo, busca manter-se neutro, isto é, não revelar sua opinão.<br />
  8. 8. Socialismo – O socialismo surgiu no século XIX como reação às profundas desigualdades entre os grupos sociais. Está presente na literatura realista no desejo de reformar a sociedade e democratizar o poder político.<br />Evolucionismo – Em sua obra A origem das espécies, de 1859, Charles Darwin apresenta a teoria da seleção natural, segundo a qual sobrevivem espécies que melhor se adaptam ao meio ambiente. Darwin apresenta o ser humano como uma espécie entre outras tantas, uma ideia que causou escândalo, pois contradizia a noção da criação divina (criacionismo). No caso da literatura, o darwinismo se manifesta nas personagens que, agindo movidas pelos instintos, e não pela razão, se igualam a outras espécies.<br />
  9. 9. NATURALISMO<br />O Naturalismo apresenta as mesmas características do Realismo, porém acentuadas. A visão naturalista é essencialmente cientificista e determinista: O ser humano age por instinto, não tem o poder de interferir em seu destino por meio da razão e da vontade. O autor naturalista pretende, com suas obras, mostrar ao leitor que o meio determina o comportamento das pessoas.<br />Ao escritor naturalista, mais do que registrar o contexto em que se desenvolvia a sociedade nesse momento, interessava analisar o indivíduo de temperamento doentio.<br />
  10. 10. O Naturalismo no Brasil<br />O Naturalismo é uma corrente literária afim e contemporânea do Realismo. Da mesma forma que este, o Naturalismo se volta para a análise da realidade, porém sob uma ótica rigorosamente científica.<br />Nas últimas décadas do século XIX, como consequência do espírito racionalista que se disseminava pelo mundo ocidental e dos investimentos da burguesia no campo da ciência e da tecnologia, etc. Sistematizavam-se estudos da Biologia, da Psicologia e da Sociologia, que punham em xeque a cultura impregnada de idealismo e religiosidade cristã ainda dominante.<br />
  11. 11. Principais escritores Realistas e Naturalistas<br />Portugal<br />Antero de Quental (1842-1891) estudou Direito em Coimbra, onde entrou em contato com o socialismo, o darwinismo, o positivismo, etc. Empenhou-se na luta contra o catolicismo, o conservadorismo da monarquia e o moralismo burguês. Seu engajamento foi além da literatura, tendo colaborado na organização de associações operárias e na divulgação de ideias revolucionárias.<br />Eça de Queirós (1845-1900)Frequentou o internato durante a adolescência. Distante do mundo social até terminar o curso superior, não participou da Questão Coimbra nem dos conflitos políticos da época, mas mesmo assim mostrou grande habilidade para retratar os dramas humanos.<br />
  12. 12. Principais escritores Realistas e Naturalistas <br />No Brasil<br />Machado de Assis – (1839-1908) sofria de gagueira e epilepsia, problemas que contribuíram para sua timidez e reserva. Obrigado a trabalhar ainda criança, estudou em escola pública; o mais que aprendeu foi como autodidata.<br />Aluísio de Azevedo – (1857-1913) foi cartunista, jornalista e diplomata. Ao retratar a sociedade, mostrou-se mais crítico e contundente romancista da época, compondo tipos marginalizados e excluídos.<br />Raul Pompeia – Em seu único romance, O Ateneu, Raul Pompeia (1863-1895), de acordo com as preocupações naturalistas, apresenta de forma mórbida o universo do adolescente Sérgio e o meio que o circunda em um internato: O amor do menino pela mulher do diretor do colégio e as brincadeiras sexuais entre os alunos do Ateneu.<br />
  13. 13. Na Literatura: Machado de Assis<br />Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis; Brás Cubas conta a história depois de morto, reconstrói a passagem do período romântico para o realista de nossa literatura. Também temos: Dom Casmurro que relata a história de amor de Capitu, que ele conhece desde a infância. Trata-se de um relato intrigante, em que se tenta desvendar o verdadeiro caráter da misteriosa Capitu, envolvida pelo Narrador-personagem num romance de traição.<br />
  14. 14. Eça de Queirós - O primo Basílio<br />O romance faz uma crítica a família pequeno-burguesa de Lisboa. Luísa, educada sob influência de frouxos princípios morais e religiosos, romântica e imaginativa por natureza e que sempre tivera uma vida ociosa, casa-se com Jorge, homem bom, inteligente e simpático. Na primeira ausência do marido, Luísa o traí, seduzida por Basílio, seu primo e antigo namorado, recém chegado a Lisboa.<br />
  15. 15. Traição amorosa um tema sempre atual<br />O adultério, ou a traição amorosa, sempre foi uma das questões mais delicadas do relacionamento humano. Por isso mesmo, já recebeu diferentes abordagens na literatura, no cinema e no teatro. No cinema, importantes filmes tem refletido sobre o tema, como é o caso, entre outros, de A insustentável leveza do ser(1992), de O Piano(1993), O Paciente Inglês (1996).<br />
  16. 16. Tendências antirromânticas na literatura, que se entrelaçam e se influenciam mutuamente: O Realismo, o Naturalismo e o Parnasianismo.<br />[...] o Realismo era a apoteose do sentimento; o Realismo é a anatomia do caráter. É a crítica do homem. É a arte que nos pinta a nossos próprios olhos – para nos conhecermos, para que saibamos, se somos verdadeiros ou falsos, para condenarmos o que houve de mau na sociedade.<br /> (Erça de Queirós)<br />
  17. 17. Bibliografia<br />Organizador Ricardo Gonçalves Barreto, Ser protagonista Português – Volume 1 - Ensino médio 1ª ed. – São Paulo: Edições SM, 2010. – (Coleção ser protagonista)<br />Português: Linguagens: volume único/ William Roberto Cereja, Tereza Cochar Magalhães – São Paulo: Atual, 2003.<br />Português: ensino médio, volume 1 / José De Nicola. São Paulo: Scipione, 2005.<br />www.youtube.com.br<br />Disponível em :<http://professorjairnascimento.blogspot.com<br />

×