Palestra sobre o cordel

2.559 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.559
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
259
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra sobre o cordel

  1. 1. Literatura de Cordel Site na internet: http://literaturadecordel.vila.bol.com.br E-mail: jairjlnascimento@hotmail.com
  2. 2. O que é cordel? Literatura de Cordel É poesia popular, É história contada em versos Em estrofes a rimar, Escrita em papel comum, Feita pra ler ou cantar. A capa é em xilogravura, Trabalho de artesão, Que esculpe em madeira Um desenho com ponção Preparando a matriz Pra fazer reprodução. Mas pode ser um desenho, Uma foto, uma pintura, Cujo título, bem à mostra, Resume a escritura. É uma bela tradição, Que exprime nossa cultura. Mas trata de outros temas: Da luta do bem contra o mal, Da crença do nosso povo, Do hilário, coisa e tal E você acha nas bancas Por apenas um real. O cordel é uma expressão Da autêntica poesia Do povo da minha terra Que luta pra que um dia, Acabem a fome e miséria, Haja paz e harmonia. 7 sílabas poéticas, Cada verso deve ter Pra ficar certo, bonito E a métrica obedecer, Pra evitar o pé quebrado E a tradição manter. Os folhetos de cordel Nas feiras eram vendidos Pendurados num cordão Falando do acontecido, De amor, luta e mistério, De fé e do desassistido. A minha literatura De cordel é reflexão Sobre a questão social E orienta o cidadão A valorizar a cultura E também a educação.
  3. 3. Histórico - Origem <ul><ul><li>Há notícias da existência do cordel em Portugal, Espanha, França muito antes do descobrimento do Brasil. </li></ul></ul><ul><ul><li>Aqui chegou com os colonizadores. </li></ul></ul><ul><ul><li>No Brasil, começou a ser editado por volta de 1893/1895 com o poeta de Pombal-PB, Leandro Gomes de Barros. </li></ul></ul>
  4. 4. Leandro Gomes de Barros A cabeça, um tanto grande e bem redonda O nariz, afilado, um pouco grosso; As orelhas não são muito pequenas, Beiço fino e não tem quase pescoço. Tem a fala um pouco fina, voz sem som, Cor branca e altura regular; Pouca barba, bigode fino e louro, Cambaleia um tanto quanto ao andar. Olhos grandes, bem azuis, têm cor do mar; Corpo mole, mas não é tipo esquisito Tem pessoas que o acham muito feio. Mas a mamãe, quando o viu, achou bonito! Nascimento: 19 de novembro de 1865 Local: sítio Melancia, Pombal-PB Falecimento: 04 de março de 1918 Local: Recife-PE O Patriarca do Cordel
  5. 5. Elementos Fundamentais <ul><ul><li>1- Estrofes: sextilha (6 versos), setilha (7 versos), décima (10 versos), quadra (4 versos). </li></ul></ul><ul><ul><li>2- Versos: setissílabo ou heptassílabo (7 sílabas), decassílabo (10 sílabas). </li></ul></ul><ul><ul><li>Rimas: pobre e rica (fácil e difícil) </li></ul></ul><ul><ul><li>A rima é uma palavra com som final semelhante a outra palavra. </li></ul></ul><ul><ul><li>2- Métrica: quantidade de sílabas em cada verso. Os versos mais utilizados no cordel são os de 7 e 10 sílabas. Usa-se a elisão e a 7 a sílaba tônica para metrificar um verso. </li></ul></ul><ul><ul><li>3- Oração: A história escrita no folheto. </li></ul></ul><ul><ul><li>4- Declamação/Leitura: Ritmo moderado e constante. Clareza na exposição das palavras. </li></ul></ul><ul><ul><li>5- Cantoria de Cordel: utilização de melodias tradicionais de violeiros repentistas, aboios ou algumas músicas de forró tradicional (como mulher rendeira, por exemplo). </li></ul></ul>
  6. 6. <ul><ul><li>Características </li></ul></ul>- Literatura popular em versos (poesia popular) - Formatação (Folha A4, sulfite ou jornal dividida em cruz) - Capa (1- Ilustração: xilogravura, foto, desenho, pintura, etc. 2- Título do folheto. 3- Nome do autor. 4- Local de impressão ou da produção. 5- Data em que foi escrito) - Contracapa (publicidade, endereço do autor) - Interior do folheto (versos setissilábicos ou decassilábicos em estrofes de sextilha, setilha, décima, quadra.) - Páginas (alguns múltiplos de 4: 8, 12, 16, 24, 32, 48, 64...)
  7. 7. Temas mais abordados <ul><ul><li>Hilário(Comédias) </li></ul></ul><ul><ul><li>Romance </li></ul></ul><ul><ul><li>Texto Reportagem </li></ul></ul><ul><ul><li>Histórias Verídicas </li></ul></ul><ul><ul><li>Histórias de Trancoso </li></ul></ul><ul><ul><li>Religiosidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Situação Social </li></ul></ul><ul><ul><li>Cordel Educativo </li></ul></ul><ul><ul><li>Cordel Engajado </li></ul></ul>
  8. 8. Introdução ao cordel A palavra cordel significa barbante ou corda fina. Na narrativa popular, ganhou esse nome pela tradição de pendurar os folhetos em cordões para vendê-los. O primeiro cordel brasileiro foi publicado na Paraíba por Leonardo Gomes de Barros , em 1893.
  9. 16. <ul><li>Autor: Fernando Lianza Dias </li></ul><ul><li>Adaptação: Jair Nascimento </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>Só se conhece a vitória se todo mundo ajudar Aí chegará o dia Dessa doença acabar

×