José de Alencar Expressão da cultura brasileira<br />Blog: http://professorjairnascimento.blogspot.com<br />E-mail: jairjl...
José de Alencar 1829-1877<br />Ele foi o principal romancista brasileiro da fase romântica. Cearense, cursou Direito em Sã...
O Romance regional<br />Coube ao romance regionalista indianista, histórico e urbano, a missão nacionalista que o Romantis...
O Guarani<br />Romance histórico-indianista, foi publicado pela primeira vez sob a forma de folhetim no Diário do Rio de J...
Heróis Brasileiros<br />José de Alencar tratou a cultura indígena como marca específica da nacionalidade e, por isso, seus...
Alencar e a crítica social<br />Além de ter se dedicado ao romance indianista e ao romance regional, José de Alencar foi t...
Proposta indecente<br />Com algumas modificações o drama vivido por Seixas e Aurélia é retomado pelo cineasta Adrian Lyne,...
BIBLIOGRAFIA<br />Português: Linguagens: Volume único/ William Roberto Cereja, Thereza Cochar Magalhães. – São Paulo: Atua...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

José de alencar expressão da cultura brasileira

9.327 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.327
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
630
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
119
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

José de alencar expressão da cultura brasileira

  1. 1. José de Alencar Expressão da cultura brasileira<br />Blog: http://professorjairnascimento.blogspot.com<br />E-mail: jairjlnascimento@hotmail.com<br />Twitter: @jairjlnasciment<br />
  2. 2. José de Alencar 1829-1877<br />Ele foi o principal romancista brasileiro da fase romântica. Cearense, cursou Direito em São Paulo e viveu a maior parte de sua vida no Rio de Janeiro. Dedicou-se à carreira de advogado, jornalista e escritor. Como pai, devotou-se à política, tendo sido eleito várias vezes deputado, e chegou a ocupar o cargo de ministro da justiça, que exerceu de 1868 a 1870. <br />Na literatura, escreveu romances indianistas, históricos, urbanos e regionalistas. Foi também autor de crônicas, críticas e várias peças teatrais, como Mãe e O jesuíta, encenadas na época.<br />A produção diversificada de Alencar estava voltada ao projeto de construção da cultura brasileira, no qual o romance indianista, buscando um tema nacional e uma língua mais brasileira, ganhou papel de destaque.<br />As principais obras de Alencar: O guarani (1857), Iracema(1865) e Ubirajara (1874).<br />
  3. 3. O Romance regional<br />Coube ao romance regionalista indianista, histórico e urbano, a missão nacionalista que o Romantismo se atribui de proporcionar ao país uma visão de si mesmo. Estendendo o olhar para os quatro cantos do Brasil, o romance regional buscou compreender e valorizar as diferenças étnicas, linguísticas, sociais e culturais que ainda hoje marcam essas regiões. <br />Sem apoio em modelos europeus, o romance regionalista romântico teve de abrir sozinho seus próprios caminhos. Portanto, constitui uma experiência nova em nossa literatura, que exigiu dos escritores pesquisa e senso de observação da realidade presente.<br />
  4. 4. O Guarani<br />Romance histórico-indianista, foi publicado pela primeira vez sob a forma de folhetim no Diário do Rio de Janeiro, em 1857.<br />D. Antônio de Mariz, fidalgo português, muda-se para o Brasil com sua família: D. Lauriana, sua esposa; Cecília e D. Diogo, filhos do casal; e Isabel, oficialmente sobrinha do fidalgo, mas na verdade filha dele com uma índia. Acompanha a família o jovem cavaleiro D. Álvaro de Sá, além de muitos outros empregados.<br />
  5. 5. Heróis Brasileiros<br />José de Alencar tratou a cultura indígena como marca específica da nacionalidade e, por isso, seus representantes são típicos heróis. Em nenhum momento, porém superam o branco colonizador. Ambos se equivalem em honra e coragem para que seus descendentes, frutos da miscigenação, possam justificar o orgulho patriótico. <br />O perfil idealizado das personagens indígenas incorpora, de um lado, os traços positivos dos europeus e, de outro, a grandiosa natureza local com a qual seu aspecto físico é comparado.<br />Iracema, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna e mais longos que seu talhe de palmeira.<br /> O favo de jati não era doce como seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado.<br />Alencar, José de. Iracema. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2004. p.19<br />
  6. 6. Alencar e a crítica social<br />Além de ter se dedicado ao romance indianista e ao romance regional, José de Alencar foi também um de nossos melhores romancistas urbanos. Suas obras, além de conter os ingredientes próprios do romance romântico – intrigas amorosas, chantagens, amores impossíveis, peripécias, conseguem analisar com profundidade certos temas delicados daquele contexto social. Em Senhora, são abordados os temas do casamento por interesse, da independência feminina e da ascensão social a qualquer preço. Em Lucíola se discute a prostituição nas altas camadas sociais e, como em Senhora, a oposição entre o amor e o dinheiro. O romance Diva, juntamente com Senhora e Lucíola, constitui a série “Perfis femininos”<br />
  7. 7. Proposta indecente<br />Com algumas modificações o drama vivido por Seixas e Aurélia é retomado pelo cineasta Adrian Lyne, mais de um século depois, no filme Proposta Indecente(1993).Nesse filme, o casal aceita a proposta de que ela (Demi Moore) passe uma noite com um bilionário (Robert Redford) em troca de um milhão de dólares. Tal qual na obra de Alencar, o dinheiro põe fim às relações do casal, e o amor só é possível novamente quando livre de qualquer outro tipo de interesse que não o amoroso.<br />
  8. 8. BIBLIOGRAFIA<br />Português: Linguagens: Volume único/ William Roberto Cereja, Thereza Cochar Magalhães. – São Paulo: Atual, 2003<br />Organizador Ricardo Gonçalves Barreto, Ser protagonista Português – Volume 1- Ensino médio 1ª ed. – São Paulo: Edições SM, 2010. – (Coleção ser protagonista)<br />Disponível em :<http://professorjairnascimento.blogspot.com<br />

×