O ponto sequencia didatica

6.032 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.032
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
105
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O ponto sequencia didatica

  1. 1. SEQUÊNCIA DIDÁTICA: ELEMENTOS BÁSICOS DE COMPOSIÇÃO VISUAL – O PONTO Colaboradora: Iara Lages de Alvarenga ...Entende-se que aprender arte envolve não apenas uma atividade de produção artística pelos alunos, mas também a conquista da significação do que fazem, pelo desenvolvimento da percepção estética, alimentada pelo contato com o fenômeno artístico visto como objeto de cultura através da históriae como conjunto organizado de relações formais. PCN – Arte.CBC – ArteTópico e subtópico de conteúdo Habilidades e detalhamento das habilidades1. Análise e crítica de obras de artes 1.1. Identificar os elementos de composição de obras de artes visuais.visuais 1.2. Usar vocabulário apropriado para a análise de obras de artes visuais. 1.3. Estabelecer relações entre análise formal, contextualização, pensamento artístico e identidade pessoal. 1.4. Usar vocabulário apropriado para discorrer sobre essas relações.I. Análise e crítica de obras de artes . Estabelecer relações entre análise formal, contextualização, pensamentovisuais produzidas em Minas Gerais artístico e identidade cultural. . Identificar as características das obras de artes visuais produzidas em Minas GeraisMatriz de Referência (em fase de elaboração)I CONHECIMENTO, USO E ANÁLISE DOS ELEMENTOS NA PRODUÇÃO ARTÍSTICA.D1 Reconhecer os elementos básicos formais.D2 Utilizar os elementos básicos formais.D3 Analisar os elementos básicos formais.D4 Argumentar sobre o uso dos elementos formais básicos utilizando o vocabulário adequado.II CONHECIMENTO, USO E ANÁLISE DA ARTE NA HISTÓRIAD10 Compreender e utilizar a arte como expressão pessoal e recurso dos indivíduos.D12 Identificar os produtores de arte e seus produtos na história.III RELAÇÕES ENTRE ARTE E VIDAD17 Utilizar vocabulário apropriado ao identificar, analisar e argumentar sobre sua produção pessoal. SEQUÊNCIA DIDÁTICA: ELEMENTOS BÁSICOS DE COMPOSIÇÃO VISUAL – O PONTOPré-requisitos dos alunos----ANOS- 6º ano podendo ser aplicado nas demais séries caso o professor considere pertinenteTEMPO ESTIMADO- 8/9 aulasPREPARO PRÉVIO DO PROFESSOR- Leitura prévia dos textos;- Apreciação das imagens, músicas e vídeo;- Acesso ao Google Art Project para conhecimento do instrumento a ser utilizado em aula.MATERIAL NECESSÁRIO- Cópias dos textos a serem entregues aos alunos.- Cadernos de Artes, lápis, caneta e borracha.- Um modelo de esfera em isopor de qualquer tamanho e outro modelo de esfera que esteja fatiada. Esses modelosdevem ser usados para exemplificar a diferença entre esfera e círculo.- Desenhos, pinturas, Cerâmicas ou outros materiais artísticos que possam ser utilizados como referência paramelhor entendimento do conteúdo.- Materiais para aula prática como: tampinhas de refrigerante, miçangas, círculos de papéis coloridos, cola, tesoura,papelão paraná, papel Sulfite.- Imagens em arquivos digitais ou transparências para projeção ou em cartões/cartazes para visualização coletiva.- Datashow ou retroprojetor para projeção das imagens.
  2. 2. SEQUÊNCIA DIDÁTICA: ELEMENTOS BÁSICOS DE COMPOSIÇÃO VISUAL – O PONTOINTRODUÇÃO Sondagem oral, visualização e observação dos elementos da obra.É o momento de colher informações sobre o que eles conhecem, sabem e refletem sobre o assunto a sertrabalhado.- Organize a sala de modo que propicie melhor interação entre todos e melhor visualização das imagens.- Certifique-se que os alunos estejam com os materiais que serão necessários ao longo da aula.- Inicie o assunto perguntando-os se sabem o que é um ponto.- Desenvolva a conversa caracterizando o ponto e informando sobre o seu uso na construção de imagens eobjetos, sobre o fato de não possuírem dimensão definida e da relatividade dela, etc.- Dê exemplos de pontos distintos com significados diversos como o ponto de ônibus, ponto de costura,manchas na pele como pintas, sardas, etc.DESENVOLVIMENTODescrevendo1 Expressão/exteriorização e registro do que foi observado nas imagens.O professor iniciará a leitura de imagens de objetos encontrados no cotidiano. Nesta atividade será usado quadro que consta no anexo 1, onde as imagens a serem observadas estãoreproduzidas para acompanhamento e registro.- Distribua para os alunos o quadro reproduzido em fotocópia.- Apresente as imagens previamente selecionadas aos alunos através de projeção ou ampliações impressas.- Faça a leitura das imagens expostas aos alunos oralmente deixando que se manifestem espontaneamentefazendo anotações das informações obtidas.- Quando considerar pertinente deverá fazer perguntas para auxiliá-los na leitura das imagens.Exemplo:http://www.canaldabeleza.com/ -Imagem 1 - Anel: Imagem 2 – Mesa de madeira:Pergunte sobre os pontinhos que aparecem no anel: função, formato, Mostre a imagem da mesa e pergunte sobre a cor, formato,cor, motivo pelo qual foram colocados, etc. distribuição sobre a superfície do tampo, etc.Explique que o profissional que desenha os objetos que usamos no diaa dia é o designer. Descrição (anote tudo que for relevante nas observações e questionamento dos alunos): Imagem 1 – O Anel Imagem 2 - Uma mesa de madeira. A fotografia é de um anel. Sua cor é prateada. A imagem 2 é de uma mesa de madeira. Ela parece ser baixa. O O anel tem muitos pontinhos de diamantes que devem ter sido tampo da mesa que também é de madeira foi decorada com colocados para dar brilho, aumentar a beleza do anel, etc. As círculos de mesmo tamanho. Alguns são escuros e outros pedras são muito pequenas, parecem ter o mesmo tamanho, e claros. Eles também são de madeira, e podem ser chamados de foram organizados em linha. Como estão muito juntinhos, pontos. Estão organizados e bem distantes uns dos outros. podemos falar que estão agrupados. A pessoa que usará este Esta disposição dá graça e beleza para a mesa. Provavelmente, anel é, provavelmente, uma pessoa elegante, de bom gosto, etc. quem a comprará será uma pessoa jovem, que gosta de brincar, uma pessoa divertida, etc. * Se considerar pertinente mostre qual é o formato real de um diamante lapidado, ou seja, de um brilhante. (Anexo 2).
  3. 3. cachorrolife.blogspot.com setegrausdeseparacao.blogspot.comImagem 3 – Laranjeira: Imagem 4 – Dálmata:Pergunte que tipo de árvore vêm; se eles considerariam as laranjas Questione se conhecem essa raça canina. Faça as referências relativas acomo pontos e porque; se as cores das frutas podem indicar se estão filmes, qualidades da raça, etc. Peça que façam a descrição dasmaduras ou verdes e se estão azedas ou doces; quais são as cores manchas, do local onde ele está.predominantes na imagem, etc. Descrição : Imagem 3 – Laranjeira Imagem 4 - Dálmata A 3ª fotografia mostra uma copa de árvore frutífera. Ela é uma A fotografia 4 mostra um cão da raça dálmata, que como a laranjeira e está carregada de laranjas. Pela cor parecem estar grande maioria dos cães desta raça, têm o pelo branco com maduras e doces. As laranjas têm o formato esférico, ou seja, manchas de cor preta. As manchas do cão têm formatos parecem com uma bola. As laranjas podem ser consideradas indefinidos e tamanhos diversos. Elas podem ser consideradas pontos. As laranjas estão bem próximas umas das outras, ou seja, pontos. O dálmata está deitado sobre um cobertor preto cheio estão agrupadas, mas não estão organizadas. de quadradinhos brancos. Todos eles têm o mesmo tamanho. As manchas estão distribuídas de modo desorganizado e em (Mostrar o modelo de uma esfera, e mostrar que o fatiamento da algumas partes elas estão juntinhas (agrupadas) e em outras esfera resulta em círculos). bem afastadas (desagrupadas). Esses quadradinhos também são pontos. Eles estão organizados porque têm a mesa distância entre cada um deles. As cores do cobertor do dálmata e do cobertor são invertidas: enquanto o cão tem o branco como cor predominante, no cobertor o preto predomina. O cachorro ganha parece ser mansinho. As manchas são divertidas. 5 6 http://www.funai.gov.br/indios/jogos/etnias/etnias.htm http://shampoodelaranja.com/2011/02/mancha-pinta-ou-marca-fique-de-olho.htmlImagem 5 – Índia Imagem 6 – ModeloQuestione sobre o que se vê na imagem; sobre os cabelos, enfeites e Pergunte sobre as cores dos pontos; por qual motivo ela pintou o rosto;sobre as manchas no rosto, como ela as distribuiu; se imaginam porque qual é o formato dos pontos e como ela os distribuiu, etc.as manchas foram feitas; qual é a cor da pintura, etc.; se as manchaspodem ser consideradas pontos. Descrição (Exemplo): 5ª imagem – Índia Pareci de rosto pintado 6ª imagem – Modelo Na imagem 5 há uma índia com o rosto pintado. Provavelmente Há uma mulher com pintado com bolinhas pretas sobre um fundo essas manchas tenham sido feitas com urucum (planta que triturada branco. Ela faz uma careta. Parece que ela não esta gostando de é comumente usada para dar cor avermelhada aos alimentos. Mais alguma coisa. É provável que ela seja modelo ou atriz. As bolinhas conhecido como colorau). A cultura indígena tem como pretas que ela fez são bem redondinhas e certinhas. As bolinhas característica a pintura corporal, que geralmente é feita para foram colocadas de modo aleatório e têm a mesma distância entre cerimônias, rituais ou comemorações. A pintura de seu rosto uma e outra. Os pontos não estão agrupados. lembra manchas de catapora. Mas ela não parece estar doente, É provável que seu rosto tenha sido pintado somente para fazer a porque está enfeitada com um arco de flores sobre a cabeça e o dia fotografia que estamos vendo. está ensolarado. As manchas são círculos vermelhos quase do mesmo tamanho, e eles estão borrados. Pode-se chamar essas manchas de pontos. Elas foram distribuídas de modo aleatório, ou seja, ela não planejou como ia colocar cada ponto. Elas estão próximas umas das outras, mas não muito. Podemos considera-las dispersas.Analisando2 Comparação entre as imagensO professor deverá ajudar os alunos a fazerem comparações entre os pontos componentes das imagens. A observação das imagens lado a lado se faz necessária neste momento. Isso facilitará a visualização ereflexão. É preciso que se explique as diferenças entre os pontos de cada imagem- Peça que as crianças observem os pontos das imagens. Deixando que falem livremente.
  4. 4. - Inicie uma discussão para análise conjunta das imagens. Nesse momento, junto às falas espontâneas, façaa condução da aula.- Vá anotando as informações de comparação no quadro negro.- Solicite que elas também anotem as comparações no devido campo destinado às comparações nomaterial de registro.Analisando e comparando (Exemplo):Imagem 1 Imagem 2 Imagem 3Mostrar o modelo de uma esfera, e mostrar que o fatiamento da esfera resulta em círculos.Texto comparativo para os alunos:Nas três primeiras imagens vemos um anel, uma mesa e a copa de uma laranjeira.O anel e a mesa apesar de serem muito diferentes usam os pontos como elemento de decoração. O anel tem pequeninos pontos de diamante, têm a mesmacor, estão alinhados e bem juntinhos. Os pontos da mesa são círculos de madeira que foram organizados em linha como os brilhantes. No entanto, oscírculos estão bem afastados uns dos outros. A laranjeira tem suas laranjas bem juntinhas, bem próximas, como os pontos do anel. Apesar de estaremagrupadas as laranjas não estão alinhadas. Estão desorganizadas.Apesar das laranjas serem alimento e não possuírem a função de alimentar, elas deixam a copa da árvore mais alegre e divertida como o tampo da mesa.Imagem 4 Imagem 5 Imagem 6Texto comparativo para os alunos:Os pontos nessas três imagens têm formatos, tamanhos e cores diferentes. Todas elas são como manchas, mas cada uma tem um Eles são os quadradinhosbrancos do cobertor, as manchas negras do cão, a pintura vermelha no rosto da índia e os vários círculos pretos no rosto da modelo.As bolinhas que vemos na pintura no rosto da modelo lembram as manchas do dálmata devido as suas cores, e, é semelhante à pintura da índia porque foifeita na mesma parte do corpo e porque tem formato semelhante.Os pontos quadrados do cobertor também lembram a pintura do rosto da modelo, mas tem suas cores invertidas: enquanto um é preto e branco o outro ébranco e preto.O dálmata tem parte das manchas concentradas e parte delas dispersas. As manchas estão distribuídas de modo aleatório, casual. Diferentemente dasmanchas do cão, os quadradinhos do cobertor estão dispersos e organizados por regularidade, ou seja, a distância entre os pontos é a mesma;As manchas no rosto da índia e as bolinhas do rosto da modelo estão dispersas e organizadas por regularidadeAs manchas do dálmata são naturais, as manchas no rosto da índia e da modelo são pinturas feitas por motivos diferentes.Pensando sobre todas as imagens apresentadas somente as manchas do dálmata e as laranjas não foram feitas pelo homem.Atividade Prática 1 Consolidação dos conceitos imagéticos A atividade a seguir refere-se à consolidação dos conceitos imagéticos apresentados anteriormente,para que o olhar do aluno aprenda a perceber melhor tais concepções.- Divida a sala em grupos de aproximadamente 5 alunos e os oriente a procurar nos espaço da sala de aula,jardim e/ou pátio da escola, em seus materiais escolares 2 ou 3 objetos em que se encontre os pontos.- Através de desenhos detalhados, eles deverão registrar o que encontraram nesta pesquisa de campo.- Converse sobre as encolhas, os pontos presentes nas imagens de modo que favoreça a conscientização doobjetivo desta atividade que é aprimorar o olhar relativo ao elemento ponto e compreensão da suarelevância na arte.Os desenhos produzidos nesta atividade serão usados posteriormente.Lembre os alunos que o desenho deve ser feito com cuidado, atenção e esmero. Que a ideia de desenho bonito é relativo, domesmo modo que a beleza em geral é um conceito relativo. O que é bonito para um não é para o outro. Neste momento o que énecessário é que se consiga detalhar em imagem o que ele vê.Aprofundando Formalização do conhecimentoA proposição da teoria sobre o ponto deverá ser iniciada após a análise das imagens e comparações.
  5. 5. O texto “O Ponto” (anexo 3) apresenta o conceito e as caracterizações do ponto como elemento básico daarte.- O texto “O Ponto” deverá ser distribuído para os alunos.- Leia o texto com os alunos. Neste momento esclareça os conceitos e as dúvidas que surgirem.- Faça referências às imagens anteriores remetendo às descrições feitas.Atividade Prática 2 Consolidação dos conceitos formaisA atividade a seguir auxiliará no entendimento e compreensão das concepções visuais.Usando as imagens produzidas na primeira atividade prática alunos farão análise dos registros colhidos.O mesmo grupo de alunos deverá caracterizar os pontos que aparecem em seus desenhos de registro. Emseguida falará sobre as caracterizações feitas.Os alunos poderão sentar-se em círculo para que estejam tranquilos ao falarem sobre suas constataçõesdiante de toda a turma.Comentários e orientações pertinentes deverão ser feitos pelo professor para melhor aprendizado.Fundamentando Relações entre a análise formal, contextualização e pensamento artístico.1º MomentoO professor introduz as relações entre o elemento básico estudado – o ponto – e o pensamento artístico.O texto “O ponto na arte” (anexo 4) inicia as relações do ponto – elemento básico em artes visuais – e aprodução artística propriamente dita.- Distribua o texto “O Ponto na Arte”.- Leia-o junto com os alunos, explicando e anotando no quadro palavras importantes e/ou desconhecidas.- Para melhor compreensão do texto lido e visualização de outras obras do artista, o professor que pudercontar com a internet poderá mostrar para seus alunos detalhes de duas obras de Georges Seurat atravéssite do Google Art Project: http://www.googleartproject.com/museums/moma/evening-honfleur-10.- Apresentação do vídeo “O Pontilhismo”2Algumas orientações para a leitura das imagens das obras de Georges Seurat e Jackson Pollock estão noanexo 5.Atividade Prática 4Realização de produção plástica com pontos usando os conhecimentos adquiridos.- De acordo com o perfil da turma organize-a para que trabalhem em grupos ou individualmente.- Folhas de papel ou papelão Paraná deverão ser distribuídas entre os grupos.- Disponibilize diversos materiais para serem usados pelos grupos: pequenas bolinhas de papel coloridas(amassadas), miçangas, canetas hidrocor, cola, círculos de papéis coloridos, tesouras, etc.- Converse com eles sobre temas que poderão trabalhar sem determina-los. Apenas ajude-os a encontrar edefinir o seu próprio tema.- Assessore-os em suas dúvidas durante toda a produção.Após a finalização da atividade, exponha os trabalhos em sala e estimule-os a falar sobre o que produziram,suas dificuldades, o que mais gostaram de fazer, porque escolheram aqueles temas e cores, etc.Aprofundando Artes visuais, música e ponto1º MomentoRelações entre ponto visual e ponto sonoro.Paul Klee foi um pintor que pesquisou e produziu muito baseando-se na relação entre cor/pintura/música/notas musicais.Para introduzir a ideia de um ponto como ponto sonoro, apresente a imagem da obra de Paul Klee,Paisagem Rítmica com árvores, e desenvolva a relação entre a pintura e a partitura musical, além darelação do ponto com a música.- Apresente a imagem da obra Paisagem Rítmica com árvores através do uso de retroprojetor, Datashow oucartão impresso em grandes dimensões.
  6. 6. - Deixe que os alunos manifestem suas percepções.- Pouco a pouco informe quem fez a obra, quando ela foi produzida, e o seu título.- Quando falar sobre a relação imagética entre a obra e uma partitura musical apresente a imagem dapartitura. A obra ao lado foi feita por Paul Klee em 1919. Ela se chama Paisagem Rítmica com Árvores (47.4 x 29.5 cm) e representa uma paisagem fictícia. As árvores estão em linhas horizontais e têm desenhos simples. As copas dessas árvores são representadas por círculos de tamanhos diferentes. A pintura de Paul Klee lembra uma partitura musical. Você consegue perceber? Por que será que ele chamou essa obra de Paisagem Rítmica com Árvores?2º MomentoPara melhor compreensão do conceito do ponto e suas aplicações e relações no universo artísticoapresente trechos de músicas para as crianças com o fim de compreenderem ideias abstratas relativas aoponto.- Apresente aos educandos os trechos das músicas “Bongo bongo”, Mano Chao; “O pulso”, Titãs; “Time”,Pink Floyd (DVD anexo) onde as batidas de percussão estão nítidas.- Mostre a eles que cada batida é um ponto sonoro e que podemos produzir esse ponto ao bater palmas,bater um objeto contra o outro, na batida do lápis sobre o papel.- Peça que acompanhem os trechos das músicas batendo palmas ou batendo uma caneta contra a outra.- Mostre a eles os cartões com as imagens abaixo:Titãs – o Pulso • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •Mano Chao – Bongo bongo ◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎ ••• ••• ••• •••◎
  7. 7. Pink Floyd – Time ●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦ ●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦☼•••••••••••••••••••••••••••••••☼•••••••••• ●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦ •••••••••••••••••••••☼•••••••••••••••••••••••••••••••☼•••••••••••••••••••••••••••••••☼•••••••••••• ●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦ •••••••••••••••••••☼•••••••••••••••••••••••••••••••☼•••••••••••••••••••••••••••••••☼•••••••••••••• ●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●◦◦●●•••••••••••••••••☼•••••••••••••••••••••••••••••••- Explique que os pontos negros representam os sons, e os espaços o silêncio, que há relação entre as trêsmúsicas e os três cartões. Peça que tentem relacioná-los oralmente. Sempre orientando-os.- Distribua folhas de papéis brancos para as crianças, peça que escolham entre seus materiais pessoais umacaneta hidrográfica para representarem a batida da percussão da música escolhida por eles através doponto. Deixando que a música toque inteira.- Peça que mostrem o resultado que obtiveram. Ajude-os a descrever as características dos pontos, seestão organizados ou não, etc. a falar sobre as sensações, como e porque fizeram os pontos daquelamaneira, sobre a escolha das cores, etc.CONCLUSÃOFinalização ExposiçãoA valorização das produções se dá principalmente nas exposições quando um novo olhar surge diante damudança de perspectiva.- Dentre os trabalhos realizados, escolha junto com cada aluno o melhor desenvolvido por ele considerandotodas as atividades práticas.- A escolha deve estar baseada no interesse demonstrado na fase da elaboração, dedicação e resultadomais próximo das proposições de aprendizagem. Ouça e leve em consideração as ponderações doeducando.- Escolha apenas um e explique o porque. Enfatize os pontos positivos e explicite o que deve sermelhorado.- Valorize as produções fazendo paspatur em cores neutras.Para a exposição, opte, preferencialmente, por um local protegido de vandalismo.- Convide todos funcionários, professores, alunos, etc. para visitarem e manifestarem sobre a exposição.AvaliaçãoA avaliação é um momento delicado quando as habilidades, procedimentos e atitudes deverão serobservadas.Em Arte a avaliação deve ser feita durante as aulas e indicar as dificuldades, facilidades, capacidade definalização das atividades, além da compreensão dos conceitos.Nome do aluno Atividade Habilidade adquirida Atitude Execução*NE = Não Executa –D = Executa com dificuldade – E = Executa com facilidade
  8. 8. Notas:1 “Descrevendo, analisando, interpretando, fundamentando e revelando são categorias que compõem o sistema Image Watching e permitemformar um método direcionado ao ensino da arte. Essas categorias estão em um tempo verbal que expressa ação e são conhecidas como:descrevendo, analisando, interpretando, fundamentando e revelando.” – OTT, Robert William. Ensinando Crítica nos Museus. In Arte-Educação:leitura no subsolo. Ana Mae Barbosa, 1999.2- O Pontilhismo – vídeo em arquivo – DVD.Referências Bibliográficas:- BARBOSA, Ana Mae. 1975. Teoria e prática da educação artística. São Paulo, Cultrix.- BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Primeiro e segundociclos do ensino fundamental: Arte. Brasília: Ministério da Educação/Secretaria de Educação Fundamental,1997._________. Tópicos utópicos. Belo Horizonte: C/ARTE, 1998._________. (org). Inquietações e mudanças no ensino de arte. São Paulo: Cortez, 2002.Coleção CircuitoAtelier. Belo Horizonte; c/Arte.- FUSARI, Maria F. de Rezende e FERRAZ, Maria Heloísa C.de T. Metodologia do Ensino da Arte. São Paulo:Cortez Editora, 1995.- MINAS GERAIS, Secretaria de Estado de Educação. Conteúdo Básico Comum: Arte – Ensinos Fundamentale Médio. Disponível em: http://crv.educacao.mg.gov.br/sistema_crv/banco_objetos_crv/%7BE9F7E455-BC41-480C-BB41-6BC032BE8999%7D_livro%20de%20artes.pdf.- MINAS GERAIS, Secretaria de Estado de Educação. Conteúdo Básico Comum: Arte – Ensinos Fundamentale Médio. Disponível em: http://crv.educacao.mg.gov.br/sistema_crv/banco_objetos_crv/%7B81BD08C9-B1A8-46F3-BBE4-CC9C6E0F6319%7D_proposta-curricular_arte_ef.pdf.- PAREYSON, L. Os problemas de estética. São Paulo: Martins Fontes, 1984.- PIMENTEL, Lúcia Gouvêa (org.). Som, gesto, forma e cor: dimensões da Arte e seu ensino. Belo Horizonte:C/ARTE, 1995.- RAMALHO DE CASTRO, R. C. O pensamento criativo de Paul Klee Per Musi, Belo Horizonte, n.21, 2010, p.7-18.Referências Vídeos/músicas:- Pontilhismo.2009. Pontilhismo - Paul Signac e Georges Seurat.[on line].[ 10/01/2012].proveniente daWorld Wide Web: http://www.youtube.com/watch?v=TlBiLc3Z4MM- Jackson Pollock. 2007.Pollock.[online].[11/01/2012]. proveniente da World Wide Web:http://www.youtube.com/watch?v=JZ3glUYHa3Q&feature=related- Batendo com o lápis. 2009. Batendo com o lápis.[online].[11/01/2012]. proveniente da World Wide Web:http://www.youtube.com/watch?v=feZK1PBuJZ0- Titãs - O Pulso. 2009. Titãs – O Pulso. [online].[11/01/2012]. proveniente da World Wide Web:http://www.youtube.com/watch?v=6fc4ZNY-Cfg- Manu Chao, Clandestino, esperando la ultima ola.2009. Manu Chao-Bongo bong(great song).[online].[11/01/2012]. ]. proveniente da World Wide Web:http://www.youtube.com/watch?v=vJMLJVha5sw- It’s 4:20 a.m. Do you know where your bong is?2009. Track 3 ~ Dub Side of the Moon ~ Time ~ Pink Floyd doneReggae Style. [online]. [11/01/2012]. ]. proveniente da World Wide Web:http://www.youtube.com/watch?v=wrSSY3q1rZc&feature=related
  9. 9. Anexo 1 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO METROPOLITANA A DIRETORIA EDUCACIONAL – DIVISÃO PEDAGÓGICA PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICAEscola Estadual ___________________________________________________ Ano:______ Turma: ______Aluno: _________________________________________________________________Número: _________DESCRIÇÃO E COMPARAÇÃO DOS PONTOS Imagem 1 - Anel Imagem 2 - Mesa Imagem 3 - LaranjeiraDescrição: Descrição: Descrição:Comparação: Imagem 4 – Dálmata com cobertor Imagem 5 – Índia Pareci Imagem 6 – Modelo de rosto pintadoDescrição:Comparação:
  10. 10. Anexo 2:Lapidação do diamanteBrilhante
  11. 11. Anexo 3: SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO METROPOLITANA A DIRETORIA EDUCACIONAL – DIVISÃO PEDAGÓGICA PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICAEscola Estadual ___________________________________________ Ano:______ Turma: ______Aluno: _________________________________________________________Número: _________O PONTO O ponto pode ser visto em muitos objetos e imagens. Ele pode ser visto na areia da praia, nassardas do rosto de uma pessoa ou no céu estrelado. O ponto não tem dimensões definidas podendo ser grande ou pequeno. Não tem cor nemforma determinadas. Isso quer dizer que o ponto pode ser o ponto de ônibus, e também o pontode costura. Quando o lápis é encostado no papel para iniciar um desenho, quando são feitos pequenosfuros na argila pontos são produzidos. O ponto é o elemento mais simples da linguagem visual.Assim, as pessoas podem se expressar através de uma simples mancha ou criando uma imagemmais complexa apenas com o uso dos pontos.As principais características da produção do ponto são: 1. Concentração: 2. Organização: a) concentrados; a) por alinhamento b) dispersos. b) por regularidade; c) casuais ou não organizados. EXEMPLO: Concentrado e organizado Concentrado e organizado por Concentrado e organizado por por alinhamento e por alinhamento alinhamento Regularidade Dispersos e não organizados (casuais) Concentrados e não organizados (casuais)
  12. 12. Anexo 4: SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO METROPOLITANA A DIRETORIA EDUCACIONAL – DIVISÃO PEDAGÓGICA PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICAEscola Estadual ___________________________________________ Ano:______ Turma: ______Aluno: __________________________________________________________Número: _________O Ponto na Arte O ponto é o elemento mais simples em artes visuais. Sendo assim muitos podem pensar quenão há muito para se fazer com ele. Quem pensa assim está enganado. Vários artistas usaram e usam o ponto para produzir obras de arte. Georges Seurat (1859-1891) e Paul Signac (1863-1935), dois artistas franceses desenvolveram uma técnica em que se usa apenas os pontos para se formar uma imagem. O nome dessa técnica é PONTILHISMO. Para fazer suas pinturas eles colocavam pontos coloridos muito próximos uns dos outros de modo que as cores se fundiam e geravam novas cores. O quadro ao lado foi produzido por Georges Seurat, mas devido ao seu falecimento não o terminou. O Circo é o nome dessa obra que mede 1,86 x 1,51m. Seurat utilizou o PONTILHISMO para fazê-la. Pode-se perceber que o amarelo e suas variações predominam na obra, e que o vermelho e o violeta também aparecem nela. Consegue-se ver ainda, muitas formas verticais e horizontais, além de figuras que apresentam movimento como a bailarina que se equilibra, o acrobata que salta, opalhaço e o apresentador. Os espectadores, que aparecem ao fundo, assistem a tudo sem semover. Anos mais tarde o artista norte-americano Jackson Pollock começou a trabalhar com pontos deum modo muito diferente. Ele elaborava suas imensas telas a partir de um pingo de tinta quedeixava cair sobre a tela. Os pingos escorriam eformavam traços entrelaçados. O trabalhodesenvolvido por Pollock foi chamado de Action Paint,ou seja, pintura de ação. Seurat fazia pinturas figurativas. Usava apenas corespuras que, ao serem vistas a certa distância,proporcionavam ilusão de ótica em que novas coreseram geradas ao olhar dos que a observam.Jackson Pollock não produzia obras figurativas, masabstratas, ou seja, sem formas parecidas com objetos,pessoas, animais ou elementos da natureza. E, o ponto,servia para ele como registro do seu gesto, da sua açãono momento em que pintava. Você consegue perceber o movimento datinta ao cair sobre a tela? Veja a imagem acima.Imagens:http://valiteratura.blogspot.com/2011/02/seurat-e-o-pontilhismo.htmlhttp://toniato.multiply.com/journal/item/12/Jackson_Pollock_The_Action-Painting
  13. 13. Anexo 5:Orientações para a leitura de imagensO Circo – Georges Seurat Em primeiro plano vemos a cabeça e parte das costas e dos braços de um palhaço (isto é, uma inovação, apresentar, em primeiro plano, uma figura incompleta e de costas para o observador). O palhaço e a bailarina que se equilibra no cavalo ocupam a área central; à direita está, o adestrador, o malabarista, um grupo de pessoas com o mesmo traje e, mais acima, a orquestra. À esquerda estão o cavalo e parte da plateia. Observe como as linhas curvas predominam à direita e existe em menor número à esquerda, o que dá aimpressão de que o movimento vem da direita para a esquerda e descreve um círculo, pois seguea linha do picadeiro.Seu trabalho é metódico e disciplinado. Produzindo minuciosamente sua obra que é planejadacom detalhes antes de ser executada. É um trabalho científico.A obra toda produzida com pontinhos faz com que a superfície da obra tenha a aparênciagranulada.Depression – Jackson Polock A tela que mostra grandes manchas de tinta. As cores são vivas e não se misturam umas às outras. Elas estão superpostas num emaranhado de cores. O fundo é branco e sobre ele as cores se destacam sendo que à esquerda da tela vemos uma grande gota negra. Essa cor aparece em outros pontos da obra, mas não a escurece. Acaba por realçar e destacar mais as outras cores. Pollock produz suas telas a partir de movimentos espontâneos.Ele não planeja com antecedência suas obras como Georges Seurat. Ao pintar coloca a telagigantesca no chão e, sobre ela deixa que os pingos caiam espontaneamente ou joga a tintausando grandes pincéis, pedaços de madeira, etc. Como usava telas muito grandes precisavaandar ao redor dela.O improviso é uma grande característica deste trabalho. Em música o jazz pode se relacionar coma obra deste artista.

×