Paper jair fatin-a revelação do misterio da iniquidade

236 visualizações

Publicada em

O GRANDE MISTÉRIO QUE ESTEVE OCULTO

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
236
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Paper jair fatin-a revelação do misterio da iniquidade

  1. 1. FATIN Faculdade de Teologia Integrada Dissertação A Revelação do Mistério da Iniqüidade Jair de Barros Acadêmico do Curso de Teologia Resumo Entender o oculto da Palavra de Deus é uma busca que exige esforço mas é muito compensador. Porque são nestas revelações do conhecimento Divino e profundo do Senhor é que encontraremos base e fundamento perfeito para mantermos a legítima fé, sem esmorecer e jamais nos abalar com as circunstancias adversas que possam sobrevir. Então, poderemos lutar arduamente e nos fortalecer com as vitórias vindouras de Deus, o Pai. Introdução Conhecer a revelação do mistério da iniqüidade que ficou desconhecida até Jesus Cristo e ainda na igreja moderna permanece oculta (BIBLIA, N.T. II TESSALONICNESES 2.7), gerando infelicidade e descontentamento. Porque ao mesmo tempo em que a ciência se multiplica e a tecnologia responde por muitos anseios humanos, estes não podem e jamais conseguiram saciar a sede e a fome da alma humana, e podemos constatar em quaisquer mídia honesta que, o homem na sua coletividade continua vivenciando a infelicidade. Mas, há uma única saída, e ela tem nome: Jesus Cristo (João 14:6). Por isso, é
  2. 2. 2 verdadeira a afirmativa bíblica que professa Deus como um ser espiritual e fiel, e os que buscam acham a sabedoria e o entendimento Dele, como está escrito: “Então, entenderás o temor do Senhor, e acharás o conhecimento de Deus” (BÍBLIA, A.T. Provérbio 02.1-7) Desenvolvimento A verdade reveladora da Bíblia Sagrada que temos por Palavra Fiel de Deus, nos chama a atenção para um dos maiores sofismas já produzido pelo homem no mundo, que é caracterizado pelo desconhecimento das Escrituras, e que antecede a própria igreja na terra desde a sua fundação pelo próprio Espírito Santo de Deus, no oriente médio, mais precisamente na cidade de Jerusalém no atual estado de Israel. Podemos ler toda a narrativa no capítulo dois do livro de atos dos apóstolos escrito pelo médico e posterior discípulo e apóstolo de Cristo, que chamava-se Lucas. Pois bem, naquele evento que ocorreu ainda lá no jardim do éden, quando Deus determinou após a criação humana, uma única ordem a este ser criado, e que certamente depois este homem, que chamou-se Adão, certamente reportou esta ordem a sua companheira que lhe foi entregue posteriormente pelo próprio Deus, e ficou conhecida pelo nome de Eva. Essa ordenança constituía em não tocar na árvore da ciência e do conhecimento do bem e do mal, pois, acaso e vaidosamente escolhesse descumprir, foi lhe dito que morreria certamente. E essa ordem foi mencionada e ordenada pela Palavra da boca de Deus, como sendo uma verdade ao homem, e este tinha como justiça e amor a fidelidade e a liberdade de cumprir esta ordem e mandado, para com o seu criador e pai, na perfeita obediência a sua voz (Gênesis 2:17). Porém, não foi isso o que aconteceu e a narrativa da Bíblia, nos diz que a serpente que era astuta corrompeu o coração da primeira mulher e esta por sua vez veio a deflagrar a corrupção adiante e ao seu companheiro que com ela se encontrava. Podemos ler nas Escrituras que no capítulo três do livro de Gênesis a serpente possuída por um espírito mal e enganador torceu as palavras que Deus dissera a mulher e esta por sua vez deixou-se enganar pela
  3. 3. 3 mentira da serpente, que no livro bíblico do apocalípse, no capítulo doze e verso nove, destaca este espírito mal e enganador, sendo o próprio Diabo e Satanás. Conforme exposto acima, podemos perceber e compreender que nestes escritos iniciais dos capítulos dois e três do gênesis bíblico, a Bíblia ilustra e descreve que existe um grande segredo nas entrelinhas desse fato que ocorreu e que não pode ser negligenciado por nenhum cristão que se preze e queira entender verdadeiramente o sentido de tudo o que tem sucedido ao homem no mundo inteiro. Naquelas narrativas do gênesis citado, estão todos os conteúdos desvendados sobre quem são os personagens, quais são eles, e o caráter de cada ser nesta longa história da vida humana do éden para a terra. E o sofisma mencionado logo no primeiro parágrafo refere-se exatamente a essa desvirtuada faceta que vem se prolongando por anos desde a criação do homem, e que é uma das maiores perguntas teológicas e sem resposta para muitos até nos dias de hoje, e você ficará surpreso de saber como isso ficou tanto tempo escondido do conhecimento humano, mas, a razão já sabemos de antemão que é a falta da busca desse entendimento, e percebe-se que para muitos isso não tem importância alguma, e nem valor algum, mas que, na realidade e de verdade existe uma imensa diferença em saber esse segredo de vida prática e sempre atual. A pergunta talvez muitos já imaginaram, pois é uma da mais curiosas, porém, nunca buscado resposta, e ela trata da seguinte questão: “Qual era o fruto proibido no jardim do éden que Adão e Eva comeram”. Para quem recebeu a revelação de Deus fica fácil crer, mas, entendo que sem a confirmação do Espírito Santo ficará difícil até mesmo de acreditar nesta verdade que se está propondo. Porém, a resposta será declarada e dou fé: Sim, o fruto que Adão e Eva comeram no jardim do éden e foram lançados fora da Presença de Deus era o pão da mentira. Portanto, o fruto e não a fruta, conclui-se que era um pão. Se escolher crer, fique livre, e se não, a verdade não vai mudar mesmo que o mundo inteiro deixe de crer. Contudo é a mais pura verdade, e esse pão da mentira que foi comido da boca e da língua da serpente e que enganou nossos pais no passado continua a ser degustado ainda em nosso dias, porque na medida que se aproxima o fim das profecias preditas por Cristo, os homens
  4. 4. 4 tornam-se cada vez mais propensos ao pecado que é a mentira em forma de pão e que alimenta o espírito humano sobremaneira enganosa e voluptuosa, sendo este comido, digerido e degustado, e nunca satisfaz o estomago da alma, tornando-a cada vez mais escrava e desejosa do mal, do pecado, e da mentira que só conduz a morte. Conclusão O sofisma nesta questão é de acreditar-se que o fruto de que fala as Escrituras é uma fruta chamada comumente de maçã, e o erro e engano da mentira do pão da serpente já começa neste desvio mental citado. Porque a Bíblia é especifica e diz que foi um fruto, e não uma fruta. Ademais, é evidente que fruto não cresce em árvores, mas, o pão da mentira desmascarado, foi comido e comparado a uma árvore porque gera muitas frutas, que são na realidade e verdadeiramente frutos, isto é, obras, feitos, atos dos homens que podem ser pecados, como foi mencionado, sendo a mentira, ou santidade que é a verdade de Deus. Referencias Bíblia Sagrada (ARA) Almeida Revista e Atualizada - 2013

×