NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Didatismo e Conhecimento 1
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Por: Alessandra Alves Barea
Licenciada em Informática;
Licenciada em Peda...
Didatismo e Conhecimento 2
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
A diferença entre os Sistemas Operacionais de 32 bits e 64 bits está na f...
Didatismo e Conhecimento 3
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Atalhos – são ícones que indicam um caminho mais curto para abrir um prog...
Didatismo e Conhecimento 4
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
!
Para criarmos as outras duas pastas, basta repetir o procedimento botão...
Didatismo e Conhecimento 5
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Arquivos e atalhos
Para criar um arquivo temos antes que ter um programa ...
Didatismo e Conhecimento 6
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
•	 Nome: Organiza os ícones por ordem alfabética de nomes, permanecendo i...
Didatismo e Conhecimento 7
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
!
Windows Explorer – botão esquerdo
Figura “Windows Explorer – botão dire...
Didatismo e Conhecimento 8
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Outro procedimento que auxilia o gerenciamento de arquivos e pastas e pro...
Didatismo e Conhecimento 9
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Através do botão Iniciar, também podemos:
•	 desligar o computador, proce...
Didatismo e Conhecimento 10
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Nessa janela, é possível configurarmos a data e a hora, determinarmos qu...
Didatismo e Conhecimento 11
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
!
Propriedades da barra de tarefas e do menu iniciar
Na guia “Barra de T...
Didatismo e Conhecimento 12
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Nas Propriedades da Barra de Tarefas também podemos configurar a barra d...
Didatismo e Conhecimento 13
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Linux
O Linux é um sistema operacional inicialmente baseado em comandos,...
Didatismo e Conhecimento 14
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
•	 cd - volta ao último diretório acessado
•	 cd .. – vai para a pasta a...
Didatismo e Conhecimento 15
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Prompt “FTP”
•	 mount – Montar partições em algum lugar do sistema.
•	 m...
Didatismo e Conhecimento 16
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
•	 tcpdump sniffer - sniffer é uma ferramenta que “ouve” os pacotes
•	 t...
Didatismo e Conhecimento 17
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
!
Konqueror – gerenciados de arquivos do KDE imagem obtida de http://pt....
Didatismo e Conhecimento 18
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
2 EDIÇÃO DE TEXTOS, PLANILHAS
E APRESENTAÇÕES (AMBIENTES
MICROSOFT OFFIC...
Didatismo e Conhecimento 19
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
4 – Guias/Grupos e Botões:
Guia
Botões de
comando
Grupos
Guias, botões d...
Didatismo e Conhecimento 20
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Para ajustar o recuo, deslocando o parágrafo da esquerda para a direita,...
Didatismo e Conhecimento 21
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Dessa forma, podemos criar documentos mais profissionais, com melhor asp...
Didatismo e Conhecimento 22
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
1 – Tamanho da fonte: altera o tamanho da fonte
2 – Aumentar fonte e red...
Didatismo e Conhecimento 23
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
10 – Alinhar texto à direita: alinha o texto à margem direita da folha.
...
Didatismo e Conhecimento 24
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Veja a lista de caracteres que são considerados curinga, retirada do sit...
Didatismo e Conhecimento 25
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Grupo Tabelas:
Possibilita a inserção e formatação de tabelas. Com esse ...
Didatismo e Conhecimento 26
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Na guia Ferramentas de Tabela, temos os seguintes grupos:
Opções de Esti...
Didatismo e Conhecimento 27
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Bordas e sombreamento
Na janela Bordas e sombreamento, no campo “Definiç...
Didatismo e Conhecimento 28
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Arte
Na última figura, podemos ver o resultado da aplicação de uma Borda...
Didatismo e Conhecimento 29
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Exemplo de linha horizontal
Na guia “Sombreamento”, escolhemos as cores ...
Didatismo e Conhecimento 30
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Cores personalizadas
Grupo Ilustrações:
1 2 3
4
5
Grupo Ilustrações
1 – ...
Didatismo e Conhecimento 31
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Grupo Texto:
1 2 3
6
4
57
Grupo Texto
1 – Caixa de texto: insere caixas ...
Didatismo e Conhecimento 32
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Digitando o texto e clicando em “OK”, será colocado no documento o texto...
Didatismo e Conhecimento 33
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Grupo Efeitos de Sombra:
Grupo efeito de sombra
Neste grupo, podemos adi...
Didatismo e Conhecimento 34
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
- Inclinar para a direita : inclina a forma para a direita, conforme for...
Didatismo e Conhecimento 35
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Grupo Configura Página:
Grupo Página
Margens: possibilita a alteração do...
Didatismo e Conhecimento 36
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Tipos de quebra
Número de linhas: insere a numeração das linhas na marge...
Didatismo e Conhecimento 37
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Grupo Organizar:
Grupo organizar
Posição: permite posicionar o objeto se...
Didatismo e Conhecimento 38
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Alinhamento do objeto em relação ao texto
Alinhar: possibilita o alinham...
Didatismo e Conhecimento 39
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Guia Correspondências:
Grupo Criar:
Envelopes: permite a configuração da...
Didatismo e Conhecimento 40
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Após a escolha da opção, que no nosso exemplo será “Cartas”, clicamos na...
Didatismo e Conhecimento 41
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Se for necessário incluirmos campos que não existem, podemos clicar no b...
Didatismo e Conhecimento 42
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Inserir linha de saudação
No campo “Formato da linha de saudação”, podem...
Didatismo e Conhecimento 43
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Inserir campo de mesclagem
Neste momento, nosso documento estará da segu...
Didatismo e Conhecimento 44
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Vamos agora, criar o envelope para nossas cartas. Para isto, abrirmos um...
Didatismo e Conhecimento 45
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Averificação ortográfica e gramatical do Word, já busca trechos do texto...
Didatismo e Conhecimento 46
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Grupo Proteger:
Proteger documento: restringe ações como formatação e ed...
Didatismo e Conhecimento 47
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Grupo Zoom:
1
2
3
4
5
Zoom
1 – 100%: amplia a imagem do documento na tel...
Didatismo e Conhecimento 48
NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Configuração do zoom
Grupo Janela:
1
2
3
4
5
6
7
Grupo janela
1 – Lado a...
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
02 nocoes de_informatica
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

02 nocoes de_informatica

273 visualizações

Publicada em

Informatica

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
273
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

02 nocoes de_informatica

  1. 1. NOÇÕES DE INFORMÁTICA
  2. 2. Didatismo e Conhecimento 1 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Por: Alessandra Alves Barea Licenciada em Informática; Licenciada em Pedagogia; Pós-Graduada em Uso Estratégico das Tecnologias em Informação; Graduada em Tecnologia em Processamento de Dados. A Informática está presente em praticamente todas as áreas e segmentos da sociedade atual. Desde empresas especialmente criadas para o ramo específico, empregando largamente os recursos mais modernos de hardwares e softwares, até os estabelecimentos de co- mércio em geral. Nesta apostila, segundo o edital, trataremos de: 1 Noções de sistema operacional (ambientes Linux e Windows). 2 Edição de textos, planilhas e apresentações (ambientes Microsoft Office e BrOffice). 3 Programas de correio eletrônico (Outlook Express e Mozilla Thunderbird). 4 Segurança da informação. 4.1 Procedimentos de segurança. 4.2 Noções de vírus, worms e pragas virtuais. Durante a montagem da apostila, foi dada prioridade à ordem dos tópicos dispostos no edital, com pouca mudança para adequação didática. 1 NOÇÕES DE SISTEMA OPERACIONAL (AMBIENTES LINUX E WINDOWS). Windows Instalação e Configuração Antes de iniciarmos os estudos sobre o MS – Windows 7 é importante esclarecermos alguns termos. O Windows é um Sistema Operacional, ou seja, é um software, um programa de computador desenvolvido por programadores atra- vés de códigos de programação. Os Sistemas Operacionais, assim como os demais softwares, são considerados como a parte lógica do computador, uma parte não palpável, desenvolvida para ser utilizada apenas quando o computador está em funcionamento. O Sistema Operacional (SO) é um programa especial, pois é o primeiro a ser instalado na máquina. Quando montamos um computador e o ligamos pela primeira vez, em sua tela serão mostradas apenas algumas rotinas presentes nos chipsets da máquina. Para utilizarmos todos os recursos do computador, com toda a qualidade das placas de som, vídeo, rede, acessarmos a Internet e usufruirmos de toda a potencialidade do hardware, temos que instalar o SO. Após sua instalação é possível configurar as placas para que alcancem seu melhor desempenho e instalar os demais programas, como os softwares aplicativos e utilitários. O SO gerencia o uso do hardware pelo software e gerencia os demais programas. Para saber se é possível instalar um determinado Sistema Operacional em um computador é preciso saber de quais requisitos de hardware o sistema precisa para poder funcionar. As peças necessárias para que o Windows 7 funcione em uma máquina são: - Processador de 1 gigahertz (GHz) ou superior de 32 bits (x86) ou 64 bits (x64) - 1 gigabyte (GB) de RAM (32 bits) ou 2 GB de RAM (64 bits) - 16 GB de espaço em disco disponível (32 bits) ou 20 GB (64 bits) - Dispositivo gráfico DirectX 9 com driver WDDM 1.0 ou superior
  3. 3. Didatismo e Conhecimento 2 NOÇÕES DE INFORMÁTICA A diferença entre os Sistemas Operacionais de 32 bits e 64 bits está na forma em que o processador do computador trabalha as in- formações. O Sistema Operacional de 32 bits tem que ser instalado em um computador que tenha o processador de 32 bits, assim como o de 64 bits tem que ser instalado em um computador de 64 bits. Os Sistemas Operacionais de 64 bits do Windows, segundo o site oficial da Microsoft, podem utilizar mais memória que as versões de 32 bits do Windows. “Isso ajuda a reduzir o tempo despendido na permuta de processos para dentro e para fora da memória, pelo armazenamento de um número maior desses processos na memória de acesso aleatório (RAM) em vez de fazê-lo no disco rígido. Por outro lado, isso pode aumentar o desempenho geral do programa”.  Para saber se o Windows é de 32 ou 64 bits, basta: 1. Clicar no botão Iniciar , clicar com o botão direito em Computador e clique em Propriedades. 2. Em Sistema, é possível exibir o tipo de sistema. “Para instalar uma versão de 64 bits do Windows 7, você precisará de um processador capaz de executar uma versão de 64 bits do Windows. Os benefícios de um sistema operacional de 64 bits ficam mais claros quando você tem uma grande quantidade de RAM (memória de acesso aleatório) no computador, normalmente 4 GB ou mais. Nesses casos, como um sistema operacional de 64 bits pode processar grandes quantidades de memória com mais eficácia do que um de 32 bits, o sistema de 64 bits poderá responder melhor ao executar vários programas ao mesmo tempo e alternar entre eles com frequência”. Uma maneira prática de usar o Windows 7 (Win 7) é reinstalá-lo sobre um SO já utilizado na máquina. Nesse caso, é possível ins- talar: - Sobre o Windows XP; - Uma versão Win 7 32 bits, sobre Windows Vista (Win Vista), também 32 bits; - Win 7 de 64 bits, sobre Win Vista, 32 bits; - Win 7 de 32 bits, sobre Win Vista, 64 bits; - Win 7 de 64 bits, sobre Win Vista, 64 bits; - Win 7 em um computador e formatar o HD durante a instalação; - Win 7 em um computador sem SO; Antes de iniciar a instalação, devemos verificar qual tipo de instalação será feita, encontrar e ter em mãos a chave do produto, que é um código que será solicitado durante a instalação. Vamos adotar a opção de instalação com formatação de disco rígido, segundo o site oficial da Microsoft Corporation: - Ligue o seu computador, de forma que o Windows seja inicializado normalmente, insira do disco de instalação do Windows 7 ou a unidade flash USB e desligue o seu computador. - Reinicie o computador. - Pressione qualquer tecla, quando solicitado a fazer isso, e siga as instruções exibidas. - Na página de Instalação Windows , insira seu idioma ou outras preferências e clique em Avançar. - Se a página de Instalação Windows não aparecer e o programa não solicitar que você pressione alguma tecla, talvez seja neces- sário alterar algumas configurações do sistema. Para obter mais informações sobre como fazer isso, consulte Inicie o seu computador usando um disco de instalação do Windows 7 ou um pen drive USB. - Na página Leia os termos de licença, se você aceitar os termos de licença, clique em Aceito os termos de licença e em Avançar. - Na página Que tipo de instalação você deseja? clique em Personalizada. - Na página Onde deseja instalar Windows? clique em Opções da unidade (avançada). - Clique na partição que você quiser alterar, clique na opção de formatação desejada e siga as instruções. - Quando a formatação terminar, clique em Avançar. - Siga as instruções para concluir a instalação do Windows 7, inclusive a nomenclatura do computador e a configuração de uma conta do usuário inicial. Conceitos de pastas, arquivos e atalhos, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus Pastas – são estruturas digitais criadas para organizar arquivos, ícones ou outras pastas. Seu nome é inspirado nas pastas tradicionais que usamos para organizar documentos como contas de água, luz, telefone. Esse é o grande objetivo de uma pasta: guardar arquivos criando separações digitais que facilitem seu acesso e utilização pelo usuário. Arquivos – são registros digitais criados e salvos através de programas aplicativos. Por exemplo, quando abrimos a Microsoft Word, digitamos uma carta e a salvamos no computador, estamos criando um arquivo. Ícones – são imagens representativas associadas a programas, arquivos, pastas ou atalhos. As duas figuras mostradas nos itens an- teriores são ícones. O primeiro representa uma pasta e o segundo um arquivo criado no programa Excel.
  4. 4. Didatismo e Conhecimento 3 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Atalhos – são ícones que indicam um caminho mais curto para abrir um programa, ver um arquivo ou chegar a um ambiente do com- putador. Todo ícone que representa um atalho, tem uma setinha no canto esquerdo inferior. Por exemplo, se quisermos acessar a Microsoft Word, na sua versão 2007, no Windows 7, em sua configuração original, clicamos no botão Iniciar→Todos os Programas→Microsoft Office 2007→Microsoft Office Word 2007. Ao invés de executar todos esses cliques, podemos criar um atalho desse caminho na Área de Trabalho do computador e acessar o programa realizando apenas um duplo clique. Criação de pastas (diretórios) Clicando com o botão direito do mouse em um espaço vazio da área de trabalho ou outro apropriado, podemos encontrar a opção pasta. Clicando nesta opção com o botão esquerdo do mouse, temos então uma forma prática de criar uma pasta. ! Criamos aqui uma pasta chamada “Trabalho”. ! Clicamos duas vezes na pasta “Trabalho” para abri-la e agora criaremos mais duas pastas dentro dela:
  5. 5. Didatismo e Conhecimento 4 NOÇÕES DE INFORMÁTICA ! Para criarmos as outras duas pastas, basta repetir o procedimento botão direito, Novo, Pasta. A figura acima nos mostra duas coisas: já estão criadas dentro da pasta “Trabalho”, as outras duas pastas “Editora” e “ETEC”. No lado direito da imagem, vemos que existe a possibilidade de exibirmos o conteúdo da pasta trabalho com ícones extra grandes, ícones grandes, ícones médios, ícones pequenos, lista, detalhes, lado a lado e conteúdo. ! Na imagem acima, a opção de exibição foi de ícones grandes. Dessa forma concluímos a criação das nossas pastas. Uma pasta que se encontra dentro de outra, pode ser chamada de subpasta.
  6. 6. Didatismo e Conhecimento 5 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Arquivos e atalhos Para criar um arquivo temos antes que ter um programa aberto. Vamos exemplificar agora, com o programa Word Pad. ! Em nosso exemplo digitamos uma frase, mas até mesmo um documento vazio pode ser salvo. Clicaremos agora no botão Salvar (com o ícone de um disquete): ! Basta escolher o local onde o arquivo será gravado e digitar um nome para este arquivo. Pronto! Criamos um arquivo. Para criar um atalho existem várias formas. Uma das mais simples é clicar com o botão direito do mouse sobre o arquivo ou pasta e depois clicar em “Criar atalho”. Depois, este arquivo pode ser copiado e colado no local onde desejarmos e, quando clicado, abrirá diretamente o arquivo. A organização e o gerenciamento de informações são a sistemática escolhida pelo usuário e apoiada nas opções de software para manter suas informações no computador de forma organizada, facilitando o acesso e a localização dos programas e arquivos. O gerencia- mento é a maneira como o usuário trabalha essas informações, administrando a organização de ícones de pastas, programas e arquivos. Organizando ícones Clicando com o botão direito do mouse sobre um espaço vazio da área de trabalho, temos as seguintes opções de organização: ! Organizar ícones
  7. 7. Didatismo e Conhecimento 6 NOÇÕES DE INFORMÁTICA • Nome: Organiza os ícones por ordem alfabética de nomes, permanecendo inalterados os ícones padrão da área de trabalho. • Tamanho: Organiza os ícones pelo seu tamanho em bytes, permanecendo inalterados os ícones padrão da área de trabalho. • Tipo: Organiza os ícones em grupos de tipos, por exemplo, todas as pastas ficarão ordenadas em sequência, depois todos os arquivos, e assim por diante, permanecendo inalterados os ícones padrão da área de trabalho. • Modificado em: Organiza os ícones pela data da última alteração, permanecendo inalterados os ícones padrão da área de trabalho. • Organizar automaticamente: Não permite que os ícones sejam colocados em qualquer lugar na área de trabalho. Quando arras- tados pelo usuário, ao soltar o botão esquerdo, o ícone voltará ao seu lugar padrão. • Alinhar à grade: estabelece uma grade invisível para alinhamento dos ícones. • Mostrar ícones da área de trabalho: Oculta ou mostra os ícones colocados na área de trabalho, inclusive os ícones padrão, como Lixeira, Meu Computador e Meus Documentos. • Bloquear itens da Web na área de trabalho: Bloqueia recursos da Internet ou baixados em temas da web e usados na área de trabalho. • Executar assistente para limpeza da área de trabalho: Inicia um assistente para eliminar da área de trabalho ícones que não estão sendo utilizados. Windows Explorer: Para acessar o Windows Explorer, basta clicar no botão Iniciar, Todos os Programas, Acessórios, Windows Explorer, ou usar a tecla do Windows+E. O Windows Explorer é um ambiente do Windows através do qual podemos realizar o gerenciamento de arquivos e pastas. Nele, temos duas divisões principais: o lado esquerdo, que exibe as pastas e diretórios em esquema de hierarquia, e o lado direito, que exibe o conteúdo das pastas e diretórios selecionados do lado esquerdo. Quando clicamos, por exemplo, sobre uma pasta com o botão direito do mouse, é exibido um Menu suspenso com diversas opções de ações que podem ser realizadas. Em ambos os lados (esquerdo e direito) esse procedimento ocorre, mas do lado esquerdo não é pos- sível visualizar a opção “Criar atalho”, como é possível observar nas figuras a seguir: ! Windows Explorer – botão direito Afigura acima mostra as opções exibidas no menu suspenso quando clicamos na pasta 2012-03(mar) com o botão direito do mouse, do lado esquerdo do Windows Explorer.
  8. 8. Didatismo e Conhecimento 7 NOÇÕES DE INFORMÁTICA ! Windows Explorer – botão esquerdo Figura “Windows Explorer – botão direito”: Mostra as opções exibidas quando clicamos com o botão direito do mouse na mesma pasta, mas do lado direito da tela do Windows Explorer. Note que nesse caso, podemos encontrar a opção “Criar Atalho”, que não é visível na figura “Windows Explorer – botão esquerdo”. No Windows Explorer podemos realizar facilmente opções de gerenciamento como copiar, recortar, colar e mover, pastas e arquivos. • Copiar e Colar: consiste em criar uma cópia idêntica da pasta, arquivo ou atalho selecionado. Para essa tarefa, podemos adotar os seguintes procedimentos: 1º) Selecione o item desejado; 2º) Clique com o botão direito do mouse e depois com o esquerdo em “copiar”. Se preferir, pode usar as teclas de atalho CTRL+C. Esses passos criarão uma cópia do arquivo ou pasta na memória RAM do computador, mas a cópia ainda não estará em nenhum lugar visível do sistema operacional. 3º) Clique com o botão direito do mouse no local onde deseja deixar a cópia e depois, com o esquerdo, clique em “colar”. Também podem ser usadas as teclas CTRL + V, para efetivar o processo de colagem. Observe as figuras a seguir, que representam os passos que vimos: Dessa forma, teremos o mesmo arquivo ou pasta em mais de um lugar no computador. • Recortar e Colar: Esse procedimento retira um arquivo ou pasta de um determinado lugar e o coloca em outro. É como se recortássemos uma figura de uma revista e a colássemos em um caderno. O que recortarmos ficará apenas em um lugar do computador. Os passos necessários para recortar e colar, são: 1º) Selecione o item desejado; 2º) Clique com o botão direito do mouse e depois com o esquerdo em “recortar”. Se preferir, pode usar as teclas de atalho CTRL+X. Esses passos criarão uma cópia do arquivo ou pasta na memória RAM do computador, mas a cópia ainda não estará em nenhum lugar visível do sistema operacional. 3º) Clique com o botão direito do mouse no local onde deseja deixar a cópia e depois, com o esquerdo, clique em “colar”. Também podem ser usadas as teclas CTRL + V, para efetivar o processo de colagem.
  9. 9. Didatismo e Conhecimento 8 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Outro procedimento que auxilia o gerenciamento de arquivos e pastas e programas é mover o ícone desejado mantendo o botão esquerdo do mouse pressionado sobre ele. Dessa forma, podemos arrastar o ícone para qualquer outro local do computador, como de- monstrado a seguir: ! Mover Outra ação facilitada com o uso do Windows Explorer é apagar (excluir) um arquivo ou pasta. Para isso, basta selecionar o ícone da pasta ou arquivo desejado, pressionar o botão direito do mouse sobre ele e clicar em “excluir”. Podemos também usar a tecla delete para essa finalidade. O mover equivale ao recortar e colar. Ele retira uma pasta ou arquivo de um local e a coloca em outro lugar do computador. Área de Trabalho ! Área de trabalho: A figura mostra a primeira tela que vemos quando o Windows 7 é iniciado. A ela damos o nome de área de tra- balho, pois a ideia original é a de que ela servirá como uma prancheta, na qual abriremos nossos livros e documentos para darmos início ou continuidade ao trabalho. Em especial, na área de trabalho, encontramos a barra de tarefas, que traz uma série de particularidades, como: Barra de tarefas 1) Botão Iniciar: é por ele que entramos em contato com todos os outros programas instalados, programas que fazem parte do sistema operacional e ambientes de configuração e trabalho. Com um clique nesse botão, abrimos uma lista, chamada Menu Iniciar, que contém opções que nos permitem ver os programas mais acessados, todos os outros programas instalados e os recursos do próprio Windows. Ele funciona como uma via de acesso para todas as opções disponíveis no computador.
  10. 10. Didatismo e Conhecimento 9 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Através do botão Iniciar, também podemos: • desligar o computador, procedimento que encerra o Sistema Operacional corretamente e desliga efetivamente a máquina; • colocar o computador em modo de espera, que reduz o consumo de energia enquanto a máquina estiver ociosa, ou seja, sem uso. Muito usado nos casos em que vamos nos ausentar por um breve período de tempo da frente do computador; • reiniciar o computador, que desliga e liga automaticamente o sistema. Usado após a instalação de alguns programas que preci- sam da reinicialização do sistema para efetivarem sua instalação, durante congelamento de telas ou travamentos da máquina. • realizar o logoff, acessando o mesmo sistema com nome e senha de outro usuário, tendo assim um ambiente com características diferentes para cada usuário do mesmo computador. ! Menu Iniciar – Windows 7 Na figura acima temos o menu Iniciar, acessado com um clique no botão Iniciar. 2) Ícones de inicialização rápida: São ícones colocados como atalhos na barra de tarefas para serem acessados com facilidade. 3) Barra de idiomas: Mostra qual a configuração de idioma que está sendo usada pelo teclado. 4) Ícones de inicialização/execução: Esses ícones são configurados para entrarem em ação quando o computador é iniciado. Mui- tos deles ficam em execução o tempo todo no sistema, como é o caso de ícones de programas antivírus que monitoram constantemente o sistema para verificar se não há invasões ou vírus tentando ser executados. 5) Propriedades de data e hora: Além de mostrar o relógio constantemente na sua tela, clicando duas vezes com o botão esquerdo do mouse nesse ícone, acessamos as Propriedades de data e hora. ! Propriedades de data e hora
  11. 11. Didatismo e Conhecimento 10 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Nessa janela, é possível configurarmos a data e a hora, determinarmos qual é o fuso horário da nossa região e especificar se o relógio do computador está sincronizado automaticamente com um servidor de horário na Internet. Este relógio é atualizado pela bateria da placa mãe, que vimos na figura. Quando ele começa a mostrar um horário diferente do que realmente deveria mostrar, na maioria das vezes, indica que a bateria da placa mãe precisa ser trocada. Esse horário também é sincroni- zado com o mesmo horário do SETUP. Lixeira: Contém os arquivos e pastas excluídos pelo usuário. Para excluirmos arquivos, atalhos e pastas, podemos clicar com o botão direito do mouse sobre eles e depois usar a opção “Excluir”. Outra forma é clicar uma vez sobre o objeto desejado e depois pressionar o botão delete, no teclado. Esses dois procedimentos enviarão para lixeira o que foi excluído, sendo possível a restauração, caso haja necessidade. Para restaurar, por exemplo, um arquivo enviado para a lixeira, podemos, após abri-la, restaurar o que desejarmos. ! Restauração de arquivos enviados para a lixeira A restauração de objetos enviados para a lixeira pode ser feita com um clique com o botão direito do mouse sobre o item desejado e depois outro clique com o esquerdo em “Restaurar”. Isso devolverá automaticamente o arquivo para seu local de origem. Outra forma de restaurar é usar a opção “Restaurar este item”, após selecionar o objeto. Alguns arquivos e pastas, por terem um tamanho muito grande, são excluídos sem irem antes para a Lixeira. Antes que algo seja excluído, aparecerá uma mensagem, ou perguntando se realmente deseja enviar aquele item para a Lixeira, ou avisando que o que foi selecionado será permanentemente excluído. Outra forma de excluir documentos ou pastas sem que eles fiquem armazenados na Lixeira é usar as teclas de atalho Shift+Delete. A barra de tarefas pode ser posicionada nos quatro cantos da tela para proporcionar melhor visualização de outras janelas abertas. Para isso, basta pressionar o botão esquerdo do mouse em um espaço vazio dessa barra e com ele pressionado, arrastar a barra até o local desejado (canto direito, superior, esquerdo ou inferior da tela). Para alterar o local da Barra de Tarefas na tela, temos que verificar se a opção “Bloquear a barra de tarefas” não está marcada. ! ! Barra de tarefas posicionada à direita da tela Propriedades da barra de tarefas e do menu iniciar: Através do clique com o botão direito do mouse na barra de tarefas e do esquerdo em “Propriedades”, podemos acessar a janela “Propriedades da barra de tarefas e do menu iniciar”.
  12. 12. Didatismo e Conhecimento 11 NOÇÕES DE INFORMÁTICA ! Propriedades da barra de tarefas e do menu iniciar Na guia “Barra de Tarefas”, temos, entre outros: • Bloquear a barra de tarefas – que impede que ela seja posicionada em outros cantos da tela que não seja o inferior, ou seja, impede que seja arrastada com o botão esquerdo do mouse pressionado, como vimos na figura. • Ocultar automaticamente a barra de tarefas – oculta (esconde) a barra de tarefas para proporcionar maior aproveitamento da área da tela pelos programas abertos e a exibe quando o mouse é posicionado no canto inferior do monitor. ! Guia Menu Iniciar e Personalizar Menu Iniciar Pela figura acima podemos notar que é possível a aparência e comportamento de links e menus do menu Iniciar. ! Barra de Ferramentas
  13. 13. Didatismo e Conhecimento 12 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Nas Propriedades da Barra de Tarefas também podemos configurar a barra de ferramentas adicionando itens ou removendo. Na imagem acima foi marcada a opção “Área de Trabalho” para ser incluída na barra de ferramentas da Barra de Tarefas.Após concluir esta janela teremos o seguinte item na Barra de Tarefas: Botão Área de trabalho Painel de Controle O Painel de Controle é o local onde podemos alterar configurações do Windows, como aparência, idioma, configurações de mouse e teclado, entre outras. Com ele é possível personalizar o computador às necessidades do usuário. Para acessar o Painel de Controle, basta clicar no Botão Iniciar e depois em Painel de Controle. Nele encontramos as seguintes opções: - Sistema e Segurança: “Exibe e altera o status do sistema e da segurança”, permite a realização de backups e restauração das con- figurações do sistema e de arquivos. Possui ferramentas que permitem a atualização do Sistema Operacional, que exibem a quantidade de memória RAM instalada no computador e a velocidade do processador. Oferece ainda, possibilidades de configuração de Firewall para tornar o computador mais protegido. - Rede e Internet: mostra o status da rede e possibilita configurações de rede e Internet. É possível também definir preferências para compartilhamento de arquivos e computadores. - Hardware e Sons: é possível adicionar ou remover hardwares como impressoras, por exemplo. Também permite alterar sons do sistema, reproduzir CDs automaticamente, configurar modo de economia de energia e atualizar drives de dispositivos instalados. - Programas: através desta opção, podemos realizar a desinstalação de programas ou recursos do Windows. - Contas de Usuários e Segurança Familiar: aqui alteramos senhas, criamos contas de usuários, determinamos configurações de acesso. - Aparência: permite a configuração da aparência da área de trabalho, plano de fundo, proteção de tela, menu iniciar e barra de tarefas. - Relógio, Idioma e Região: usamos esta opção para alterar data, hora, fuso horário, idioma, formatação de números e moedas. - Facilidade de Acesso: permite adaptarmos o computador às necessidades visuais, auditivas e motoras do usuário. Computador Através do “Computador” podemos consultar e acessar unidades de disco e outros dispositivos conectados ao nosso computador. Para acessá-lo, basta clicar no Botão Iniciar e em Computador. A janela a seguir será aberta: ! Computador Observe que é possível visualizarmos as unidades de disco, sua capacidade de armazenamento livre e usada. Vemos também infor- mações como o nome do computador, a quantidade de memória e o processador instalado na máquina.
  14. 14. Didatismo e Conhecimento 13 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Linux O Linux é um sistema operacional inicialmente baseado em comandos, mas que vem desenvolvendo ambientes gráficos de estrutu- ras e uso similares ao do Windows. Apesar desses ambientes gráficos serem cada vez mais adotados, os comandos do Linux ainda são largamente empregados, sendo importante seu conhecimento e estudo. Outro termo muito usado quando tratamos do Linux é o kernel, que é uma parte do sistema operacional que faz a ligação entre software e maquina, é a camada de software mais próxima do hardware, considerado o núcleo do sistema. O Linux teve início com o desenvolvimento de um pequeno kernel, desenvolvido por Linus Torvalds, que em 1991, ano em que o desenvolveu, era apenas um estudante finlandês. Ao kernel que Linus desenvolveu, deu o nome de Linux. Como o kernel é capaz de fazer gerenciamentos primários básicos e essenciais para o funcionamento da máquina, foi necessário desenvolver módulos específicos para atender várias necessidades, como por exemplo um módulo capaz de utilizar uma placa de rede ou de vídeo lançada no mercado ou até uma interface gráfica como a que usamos no Windows. Uma forma de atender a necessidade de comunicação entre kernel e aplicativo é a chamada do sistema (System Call) que é uma interface entre um aplicativo de espaço de usuário e um serviço que o kernel fornece. Como o serviço é fornecido no kernel, uma cha- mada direta não pode ser executada; em vez disso, você deve utilizar um processo de cruzamento do limite de espaço do usuário/kernel. No Linux também existem diferentes run levels de operação. O run level de uma inicialização padrão é o de número 2. No Linux os runlevels são numerados de 0 a 6. No nível 0 o sistema está parado, nenhum processo é executado. Este modo entra em ação quando desligamos o sistema via software. O nível 1 é chamado de single user mode é um modo de recuperação, onde temos ativa apenas a conta de superusuário. Não é possível usar a rede nem rodar programas gráficos. Neste modo é possível alterar as configurações do sistema, alterar as senhas dos usuários, etc. Nos níveis 2 e 3 já temos o modo de operação normal do sistema. Nestes modos o sistema inicializa em modo texto e depois de logado o usuário pode abrir o modo gráfico se desejar. A diferença entre os dois é que no modo 2 (também considerado um modo de recuperação) não existe suporte a rede. Finalmente, no nível 5 temos a inicialização com login em modo gráfico, default na maioria das distribuições atualmente. O nível 4 geralmente fica vago. Na maioria das distribuições ele equivale ao modo 3, enquanto em outras, como no Slackware, equivale ao modo de login gráfico. O modo 6 é reservado à reinicialização do sistema. Todos os serviços e programas são parados e o sistema é reinicializado via software. O modo 6 difere do modo 0, onde o sistema fica simplesmente parado, esperando ser desligado. Existe ainda um modo especial, o modo S, que dependendo da distribuição equivale ao modo 1 ou 6. (http://www.hardware.com.br/termos/runlevel) Como o Linux também é conhecido por ser um sistema operacional que ainda usa muitos comandos digitados, não poderíamos deixar de falar sobre o Shell, que é justamente o programa que permite ao usuário digitar comandos que sejam inteligíveis pelo sistema operacional e executem funções. No MS DOS, por exemplo, o Shell era o command.com, através do qual podíamos usar comandos como o dir, cd.. e outros. No Linux, o Shell mais usado é o Bash, que para usuários comuns, aparece com o símbolo $ e para o root, aparece como símbolo #. Temos também os temos usuário e superusuário. Enquanto ao usuário é dada permissão de utilização de comandos simples, ao supe- rusuário é dada a permissão de configurar quais comandos os usuários podem usar, se eles podem apenas ver ou também alterar e gravar diretórios, ou seja, ele atua como o administrador do sistema. O diretório padrão que contém os programas utilizados pelo superusuário para o gerenciamento e a manutenção do sistema é o /sbin. /bin - Comandos utilizados durante o boot e por usuários comuns. /sbin - Como os comandos do /bin só que não são utilizados pelos usuários comuns. Por esse motivo, o diretório sbin é chamado de superusuário, pois existem comandos que só podem ser utilizados nesse diretório. É como se quem estivesse no diretório sbin fosse o administrador do sistema, com permissões especiais de inclusões, exclusões e alterações. Iniciaremos agora o estudo sobre vários comandos que podemos usar no Shell do Linux: • addgroup - adiciona grupos • adduser - adiciona usuários • apropos - realiza pesquisa por palavra ou string • cat - mostra o conteúdo de um arquivo binário ou texto • cat – visualiza o conteúdo de algum arquivo texto. • cd - entra num diretório (exemplo: cd docs) ou retorna para HOME
  15. 15. Didatismo e Conhecimento 14 NOÇÕES DE INFORMÁTICA • cd - volta ao último diretório acessado • cd .. – vai para a pasta anterior • cd ~ - vai direto para o diretório home do usuário logado. • cd <pasta> – vai para a pasta especificada. Exemplo: cd /usr/bin/ • chfn - altera informação relativa a um utilizador • chmod - altera as permissões de arquivos ou diretórios. É um comando para manipulação de arquivos e diretórios que muda as permissões para acesso aos arquivos e diretórios. Por exemplo, um diretório que poderia ser de escrita e leitura, pode passar a ser apenas leitura, impedindo que seu conteúdo seja alterado. • chown altera a propriedade de arquivos e pastas (dono) • clear – limpa a tela do terminal • cmd>>txt - adiciona o resultado do comando(cmd) ao fim do arquivo(txt) • cmd>txt - cria um novo arquivo(txt) com o resultado do comando(cmd) • cp - copia diretórios ‘cp -r’ copia recursivamente • df - reporta o uso do espaço em disco do sistema de arquivos • dig - testa a configuração do servidor DNS • dmesg - exibe as mensagens da inicialização(log) • du - exibe estado de ocupação dos discos/partições • du -msh - mostra o tamanho do diretório em Megabytes • env - mostra variáveis do sistema • exit – Sair do terminal ou de uma sessão de root. • /etc – É o diretório onde ficam os arquivos de configuração do sistema • /etc/skel – É o diretório onde fica o padrão de arquivos para o diretório HOME de novos usuários. • fdisk -l – Mostra a lista de partições. • find - comando de busca ex: find ~/ -cmin -3 • find – busca arquivos no disco rígido. • halt -p – desligar o computador. • head - mostra as primeiras 10 linhas de um arquivo • history – mostra o histórico de comandos dados no terminal. • ifconfig - mostra as interfaces de redes ativas e as informações relacionadas a cada uma delas • iptraf - analisador de trafego da rede com interface gráfica baseada em diálogos • kill - manda um sinal para um processo. Os sinais SIGTERM e SIGKILL encerram o processo. • kill -9 xxx – Mata o processo de número xxx. • killall - manda um sinal para todos os processos. • less - mostra o conteúdo de um arquivo de texto com controle • ls - listar o conteúdo do diretório • ls -alh - mostra o conteúdo detalhado do diretório • ls –ltr - mostra os arquivos no formado longo(l) em ordem inversa(r) de data (t) • man - mostra informações sobre um comando • mkdir - cria um diretório. É um comando utilizado na raiz do Linux para a criação de novos diretórios. Na imagem a seguir, no prompt FTP, foi criado o diretório chamado “myfolder”.
  16. 16. Didatismo e Conhecimento 15 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Prompt “FTP” • mount – Montar partições em algum lugar do sistema. • mtr - mostra rota até determinado IP • mv - move ou renomea arquivos e diretórios • nano – editor de textos básico. • nfs - sistema de arquivos nativo do sistema operacional Linux, para o compartilhamento de recursos pela rede • netstat - exibe as portas e protocolos abertos no sistema. • nmap - lista as portas de sistemas remotos/locais atras de portas abertas. • nslookup - consultas a serviços DNS • ntsysv - exibe e configura os processos de inicialização • passwd - modifica senha (password) de usuários • ps - mostra os processos correntes • ps –aux - mostra todos os processos correntes no sistema • ps -e – lista os processos abertos no sistema. • pwd - exibe o local do diretório atual. O prompt padrão do Linux exibe apenas o último nome do caminho do diretório atual. Para exibir o caminho completo do diretório atual digite o comando pwd. Linux@fedora11 – é a versão do Linux que está sendo usa- da. Help pwd – é o comando que nos mostrará o conteúdo da ajuda sobre o pwd. A informação do help, nos mostra que pwd imprime o nome do diretório atual. Veja na telas a seguir a explicação para esse comando passada pelo help do Linux: Visualização do caminho (path) • reboot – reiniciar o computador. • recode - recodifica um arquivo ex: recode iso-8859-15..utf8 file_to_change.txt • rm - remoção de arquivos (também remove diretórios) • rm – elimina arquivos ou pastas. • rm -rf - exclui um diretório e todo o seu conteúdo • rmdir - exclui um diretório (se estiver vazio) • route - mostra as informações referentes as rotas • shutdown -r now – reiniciar o computador • split - divide um arquivo • smbpasswd - No sistema operacional Linx, na versão Samba, smbpasswd permite ao usuário alterar sua senha criptografada smb que é armazenado no arquivo smbpasswd (normalmente no diretório privado sob a hierarquia de diretórios do Samba). Os usu- ários comuns só podem executar o comando sem opções. Ele vai levá-los para que sua senha velha smb seja digitada e, em seguida, pedir-lhes sua nova senha duas vezes, para garantir que a senha foi digitada corretamente. Nenhuma senha será mostrada na tela ao mesmo tempo que está sendo digitada. • su - troca para o super-usuário root (é exigida a senha) • su user - troca para o usuário especificado em ‘user’ (é exigida a senha) • tac - semelhante ao cat mas inverte a ordem • tail - o comando tail, mostra as últimas linhas de um arquivo texto, tendo como padrão as 10 últimas linhas. Sua sintaxe é: tail nome_do_arquivo. Ele pode ser acrescentado de alguns parâmetros como o -n que mostra o [numero] de linhas do final do arquivo; o – c [numero] que mostra o [numero] de bytes do final do arquivo e o – f que exibe continuamente os dados do final do arquivo a medida que são acrescentados.
  17. 17. Didatismo e Conhecimento 16 NOÇÕES DE INFORMÁTICA • tcpdump sniffer - sniffer é uma ferramenta que “ouve” os pacotes • top – mostra os processos do sistema e dados do processador. • touch touch foo.txt - cria um arquivo foo.txt vazio; também altera data e hora de modificação para agora • traceroute - traça uma rota do host local até o destino mostrando os roteadores intermediários • umask - define padrões de criação de arquivos e diretórios • umount – desmontar partições. • uname -a – informações sobre o sistema operacional • userdel - remove usuários • vi - editor de ficheiros de texto • vim - versão melhorada do editor supracitado • vim – editor de textos avançado • whereis - mostra onde se encontra determinado arquivo (binários) exemplo: whereis samba • which - mostra qual arquivo binário está sendo chamado pelo shell quando chamado via linha de comando • who - informa quem está logado no sistema Mas não são só comandos digitados via teclado que podemos executar no Linux. Várias versões foram desenvolvidas e o kernel evoluiu muito. Sobre ele rodam as mais diversas interfaces gráficas, baseadas princi- palmente no servidor de janelas XFree. Entre as mais de vinte interfaces gráficas criadas para o Linux, vamos citar o KDE. Menu K, na versão Suse – imagem obtida de http://pt.wikibooks.org/wiki/Linux_para_iniciantes/A_interface_gr%C3%A1fica_KDE Na tela a cima vemos o menu K, que é equivalente ao menu Iniciar do Windows. Através dele podemos ter acesso a todos os pro- gramas e diretórios do Linux. A barra do menu K, pode ser formatada em relação aos ícones e sua disposição na tela. Temos também a mesma flexibilidade quanto ao plano de fundo e ícones disponíveis na área de trabalho. Podemos configurar também a hora e a data, como vimos nos estudos sobre o Windows, apenas com cliques do mouse, sem usar comandos digitados, em ambientes amigáveis e favoráveis a todos os níveis de usuários. Um dos motivos que ainda desestimula várias pessoas a adotarem o Linux como seu sistema operacional é a quantidade de progra- mas compatíveis com ele, o que vem sendo solucionado com o passar do tempo o progresso dos softwares aplicativos e drives para este sistema operacional. Sua interface familiar, semelhante ao do Windows, tem ajudado a aumentar os adeptos ao Linux. Na figura a seguir, vemos o gerenciador de arquivos e pastas, semelhante ao Windows Explorer, que mantém todas as suas funcio- nabilidades, como copiar, recortar, colar, criar pastas, mover, em fim, possibilita o completo gerenciamento de pastas e arquivos.
  18. 18. Didatismo e Conhecimento 17 NOÇÕES DE INFORMÁTICA ! Konqueror – gerenciados de arquivos do KDE imagem obtida de http://pt.wikibooks.org/wiki/Linux_para_iniciantes/A_interfa ce_gr%C3%A1fica_KDE Centro de controle do KDE imagem obtida de http://pt.wikibooks.org/wiki/Linux_para_iniciantes/A_interface_gr%C3%A1fica_KDE Como no Painel de controle do Windows, temos o centro de controle do KDE, onde é possível personalizar toda a parte gráfica, fontes, de temas, ícones, estilos, área de trabalho e ainda Internet, periféricos, acessibilidade, segurança e privacidade, som e configura- ções para o administrador do sistema. Entre os programas que podemos encontrar para a plataforma Linux, estão os aplicativos do LibreOffice é um conjunto de softwares aplicativos semelhante ao Microsoft Office e ao BrOffice.org. Possui programas para criar e editar textos, planilhas, apresentações, entre outros, com a vantagem de ser software livre e de código aberto. Está disponível para download e instalação gratuitos, no site http://pt-br.libreoffice.org/. Site para download LibreOffice
  19. 19. Didatismo e Conhecimento 18 NOÇÕES DE INFORMÁTICA 2 EDIÇÃO DE TEXTOS, PLANILHAS E APRESENTAÇÕES (AMBIENTES MICROSOFT OFFICE E BROFFICE) Microsoft Office - Word O Microsoft Word é o processador de texto integrante dos programas Microsoft Office: um conjunto de softwares aplicativos destinados a uso de escritório e usuários domésticos, desenvolvidos pela empresa Microsoft. Os softwares da Microsoft Office são proprietários e compatível com o sistema operacional Windows. Existem várias versões do programa, como o 2003, 2007 e outras. A versão que vamos trabalhar será a 2007, que apresenta a maior diferença gráfica entre as anteriores. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Janela Microsoft Word A figura nos mostra a janela do Word, com as seguintes particularidades: 1 – Botão do Office – Através dele é possível abrir, salvar ou imprimir documentos e ver visualizar todas as possibilidades de traba- lho com o documento. Substitui o menu Arquivo e está localizado no canto superior esquerdo desses programas do Microsoft Office. 2 - Barra de Ferramentas de Acesso Rápido – Nela, podemos incluir ícones como novo, abrir, salvar, enviar para destinatário de e-mail (como anexo), acionar a impressão rápida, visualizar impressão, ortografia e gramática, desfazer, refazer, desenhar tabela e outros comandos para que seu acesso se dê de forma rápida, através de um clique nos ícones que ficarão dispostos em local visível e prático de ser usado. Para inserir/excluir ícones nesta barra, clicar no local circulado da figura e marcar/desmarcar as opções do menu que será aberto. O botão minimizar reduz a tela a um botão na barra de tarefas para que possam ser usados e visualizados outros programas ou conteúdos. O botão restaurar diminui a extensão da janela, possibilitando visualização e uso de outros programas. Quando acionado, ele se transforma no botão maximizar, que amplia novamente a janela do Word, fazendo com que ela ocupe toda a extensão do monitor, com exceção do local destinado à barra de tarefas. O botão fechar encerra o aplicativo.
  20. 20. Didatismo e Conhecimento 19 NOÇÕES DE INFORMÁTICA 4 – Guias/Grupos e Botões: Guia Botões de comando Grupos Guias, botões de comando e grupos As guias envolvem grupos e botões de comando, e são organizadas por tarefa. Os Grupos dentro de cada guia quebram uma tarefa em subtarefas. Os Botões de comando em cada grupo possuem um comando ou exibem um menu de comandos. Guias Existem guias que vão aparecer apenas quando um determinado objeto aparecer para ser formatado. No exemplo da imagem, foi selecionada uma figura que pode ser editada com as opções que estiverem nessa guia. Indicadores de caixa de diálogo Indicadores de caixa de diálogo – aparecem em alguns grupos para oferecer a abertura rápida da caixa de diálogo do grupo, contendo mais opções de formatação. 5 – Réguas: Réguas Réguas As réguas orientam na criação de tabulações e no ajuste de parágrafos, por exemplo. Determinam o recuo da primeira linha, o recuo de deslocamento, recuo à esquerda e permitem tabulações esquerda, direita, centralizada, decimal e barra. Para ajustar o recuo da primeira linha, após posicionar o cursor do mouse no parágrafo desejado, basta pressionar o botão esquerdo do mouse sobre o “Recuo da primeira linha” e arrastá-lo pela régua . Para ajustar o recuo à direita do documento, basta selecionar o parágrafo ou posicionar o cursor após a linha desejada, pressionar o botão esquerdo do mouse no “Recuo à direita” e arrastá-lo na régua .
  21. 21. Didatismo e Conhecimento 20 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Para ajustar o recuo, deslocando o parágrafo da esquerda para a direita, basta selecioná-lo e mover, na régua, como explicado anteriormente, o “Recuo deslocado” . Podemos também usar o recurso “Recuo à esquerda”, que move para a esquerda, tanto a primeira linha quanto o restante do parágrafo selecionado . Com a régua, podemos criar tabulações, ou seja, determinar onde o cursor do mouse vai parar quando pressionarmos a tecla Tab. Esse recurso nos permite criar estruturas de marcação no texto como veremos a seguir: - Para usar a tabulação “Esquerdo” na régua, basta selecioná-lo na caixa da figura ao lado e clicar em um ponto na régua: . Essa marca criada na régua indica que o texto ficará à esquerda desse ponto, como no exemplo a seguir: A imagem mostra o texto à esquerda do ponto colocado na régua e a linha pontilhada, visualizada na vertical, ajuda a alinhar e visualizar o alinhamento. Ela aparece quando pressionamos o botão esquerdo do mouse sobre esse ponto. Clicando na caixa das marcas de tabulação, automaticamente as marcas vão se revezando para escolhermos a que precisamos. No próximo exemplo, usaremos o tipo de alinhamento “Direito” : Veja a diferença. Conforme o texto vai sendo digitado, os caracteres vão sendo colocados à direita do ponto da régua. No próximo exemplo, iremos usar o alinhamento decimal. Ele alinha as casas decimais de um texto, possibilitando que os dígitos se encontrem todos no mesmo alinhamento. Primeiro, veja a lista de valores digitada sem o uso do alinhamento decimal: R$ 10,00 R$ 100,00 R$ 1.000,00 R$ 10.000,00 Agora, usaremos o alinhamento decimal para alinhar as casas decimais: Após escolhido o alinhamento decimal, clicamos no número “3” da régua para fazer o alinhamento a seguir : R$ 10,00 R$ 100,00 R$ 1.000,00 R$ 10.000,00 Observe que todas as vírgulas estão alinhadas, diferente do que vimos anteriormente. O próximo alinhamento é o centralizado . Quando colocado na régua, o texto digitado terá seu centro alinhado com essa marca de tabulação. Veja o exemplo a seguir:
  22. 22. Didatismo e Conhecimento 21 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Dessa forma, podemos criar documentos mais profissionais, com melhor aspecto e que demonstrem claramente o que desejamos expor. Podemos criar estruturas semelhantes a tabelas, com simples cliques na régua. 6 – Área do texto: é o local que simula uma folha de papel em branco para ser digitada e editada. Na área de texto fica o ponto de inserção, ou cursor do mouse, que indica onde serão inseridos os caracteres pressionados no teclado ou uma imagem que será inserida. 7 - Ponto de Inserção: onde irá aparecer o que for digitado ou inserido. Observe sempre em que lugar do seu texto está o ponto de inserção (cursor) para saber onde será posicionado o objeto ou letra que deseja inserir no documento. 8 – Barras de rolagem: permitem rolar a tela para visualizar todo o seu conteúdo. Se a tela estiver no seu tamanho maximizado, aparecerá apenas a barra de rolagem na vertical. Caso ela esteja reduzida, mas não minimizada, aparecerão barras de rolagem na vertical e na horizontal. Dessa forma, usando as barras, podemos percorrer toda a extensão da área do texto. Essa barra contém alguns acessórios e formas de usar: - Para rolar a tela aos poucos, para cima: temos que clicar várias vezes, até chegar ao ponto desejado, na parte de cima da barra , ou seja, na seta de rolagem. - Para rolar a tela aos poucos, para baixo: temos que clicar várias vezes, até chegar ao ponto desejado, na parte de baixo da barra , ou seja, na seta de rolagem. - Para rolar a tela continuamente para cima ou para baixo ou para cima: podemos segurar o botão esquerdo do mouse pressionado, respectivamente, na parte de cima ou de baixo da barra, ou pressioná-lo e arrastar a caixa de rolagem da barra . - Para rolar para a página anterior: podemos clicar na seta que indica a página anterior . - Para rolar para a próxima página: podemos clicar na seta que indica a próxima página . - Para rolar até determinado objeto: podemos clicar no ícone “Selecionar objeto de procura”, escolher entre as opções apresentadas, como campo, nota de fim, nota de rodapé, comentário, seção, página, ir para, localizar, edições, título, gráfico ou tabela. Escolhendo algum desses itens, vamos ser levados diretamente a eles. . Por exemplo, se escolhermos o item gráfico, seremos levados diretamente ao próximo gráfico do documento. Usando a barra de rolagem e seus recursos, nossa locomoção pelo documento se torna muito mais rápida e precisa. 9 - Barra de status: exibe informações sobre o documento ativo, como número da página em que estamos, número total de páginas de um documento , quantidade de palavras digitadas , idioma configurado , ícones para alterar o modo de exibição para layout de impressão, leitura de tela inteira, layout da web, estrutura de tópicos, rascunho e ponteiro de regulagem do zoom . Guia Início: Grupo Área de Transferência: possui os botões de comando para colar, recortar, copiar e pincel. Quando usamos os recursos de recortar e copiar, o conteúdo recortado ou copiado fica armazenado na memória RAM do computador, em uma área denominada área de transferência. Colar – aplica no documento um texto ou imagem que foi copiada ou recortada. Teclas de atalho CTRL + V. Recortar – retira do documento e coloca na área de transferência um texto ou imagem selecionada. Teclas de atalho CTRL + X. Copiar – cria uma cópia do texto ou imagem selecionado e deixa na área de transferência. Teclas de atalho CTRL + C. Formatar Pincel – Guarda a formatação do texto selecionado para aplicar em outro ponto do texto. Teclas de atalho CTRL + SHIFT + C. Grupo Fonte: Permite a formatação da fonte das palavras ou caracteres selecionados, mudando sua forma, tamanho e usando efeitos para realçar ou fazer indicações especiais no texto, como a aplicação de itálico, para indicar uma palavra em outro idioma, ou sublinhado para indicar um link. 1 2 3 7 8 9 10 11 12 4 5 6 Grupo Fonte
  23. 23. Didatismo e Conhecimento 22 NOÇÕES DE INFORMÁTICA 1 – Tamanho da fonte: altera o tamanho da fonte 2 – Aumentar fonte e reduzir fonte: aumentam e diminuem, respectivamente, o tamanho da fonte da palavra, letra ou caracteres selecionados. 3 – Limpar formatação: retira toda a formatação aplicada, deixando o texto sem formatação. 4 – Fonte: permite alterar o tamanho da fonte. 5 – Negrito: aplica negrito ao texto selecionado. 6 – Itálico: aplica itálico ao texto selecionado. 7 – Sublinhado: permite sublinhar, ou seja, desenhar uma linha na base da palavra selecionada. 8 - Tachado: desenha uma linha no meio do texto selecionado. 9 – Subscrito e sobrescrito: diminuem a fonte e alinham para cima ou para baixo, respectivamente, da linha de base do texto. 10 – Maiúsculas e minúsculas: permite que o texto selecionado tenha suas letras alteradas entre maiúsculas e minúsculas. 11 – Cor de realce do texto: realça o texto selecionado como uma caneta marca texto. 12 – Cor da fonte: altera a cor da fonte do texto selecionado. Grupo Parágrafo: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Grupo Parágrafo 1 – Marcadores: possibilita inserir listas com marcadores. 2 – Numeração: possibilita a inserção de uma lista numerada. 3 – Lista de vários níveis: insere uma lista com vários níveis de recuo. 4 – Diminuir o recuo: reduz o nível de recuo do parágrafo. 5 – Aumentar o recuo: aumenta o nível de recuo do parágrafo. 6 – Classificar: coloca o texto selecionado em ordem alfabética ou organiza dados numéricos. 7 – Mostrar tudo: mostra marcas de parágrafos e outros símbolos de formatação não imprimíveis. 8 – Alinhar texto à esquerda: alinha o texto à margem esquerda da folha. 9 – Centralizar: centraliza o texto no meio (horizontal) da folha.
  24. 24. Didatismo e Conhecimento 23 NOÇÕES DE INFORMÁTICA 10 – Alinhar texto à direita: alinha o texto à margem direita da folha. 11 – Justificar: alinha o texto às margens esquerda e direita, adicionando espaços entre as palavras, se necessário. 12 – Espaçamento entre linhas: altera o espaço em branco entre as linhas e possibilita formatar espaçamentos entre parágrafos e recuos. 13 – Sombreamento: colore o plano de fundo atrás do texto selecionado. 14 – Bordas: possibilitam aplicar vários tipos de bordas ao texto selecionado. Grupo Estilo: Aplica estilos pré-formatados que incluem tipo de fonte, tamanho, espaçamento entre linhas e alinhamento. A grande vantagem de usarmos estilos é que não precisamos refazer várias configurações como cor da fonte, tamanho e outros recursos sempre que precisarmos deles. Por exemplo, se em seu trabalho você decidir que os títulos terão fonte do tipo Verdana, tamanho 14, negrito, itálico e alinhamento centralizado, sempre que houver um título você precisará aplicar estes cinco tipos de formatação, fazendo cinco cliques em lugares diferentes, na Guia Início. Se criar um estilo que já contenha estas formatações, para aplicá-las, será necessário um único clique no estilo criado. Para criarmos um estilo: - Clicamos no ícone responsável por mostrar a janela de Estilos . - Nela, clicamos no botão Novo Estilo . - Digitamos o nome do nosso estilo. - Escolhemos se será um estilo do tipo Parágrafo, Caractere, vinculado a um parágrafo ou a um caractere, aplicado a uma tabela ou lista. - Escolhemos as formatações que farão parte deste estilo, como tipo de fonte, tamanho da fonte, cor da fonte, negrito, itálico, sublinhado, alinhamento, espaçamento entre linhas, a distância entre os parágrafos, recuo. Estas formatações podem mudar depen- dendo do tipo de estilo que iremos criar. Por exemplo, se criarmos um estilo do tipo tabela, podemos formatar cor de preenchimento das células, bordas e outras opções. Quando terminarmos nossas formatações e clicarmos no botão OK, nosso estilo irá para o grupo Estilo. Sempre que quisermos usá-lo, basta selecionar o trecho do texto em que será aplicado e depois clicar no nome dele. Grupo Edição: Permite localizar palavras em um documento, substituir palavras localizadas por outras ou aplicar formatações e selecionar tex- tos e objetos no documento. Para localizar uma palavra no texto, basta clicar no ícone Localizar , digitar a palavra na linha do localizar e clicar no botão Localizar Próxima. A cada clique será localizada a próxima palavra digitada no texto. Temos também como realçar a palavra que desejamos localizar para facilitar a visualizar da palavra localizada. Na janela também temos o botão “Mais”. Neste botão, temos, entre outras, as opções: - Diferenciar maiúscula e minúscula: procura a palavra digitada na forma que foi digitada, ou seja, se foi digitada em minúscula, será localizada apenas a palavra minúscula e, se foi digitada em maiúscula, será localizada apenas e palavra maiúscula. - Localizar palavras inteiras: localiza apenas a palavra exatamente como foi digitada. Por exemplo, se tentarmos localizar a palavra casa e no texto tiver a palavra casaco, a parte “casa” da palavra casaco será localizada, se essa opção não estiver marcada. Marcando essa opção, apenas a palavra casa, completa, será localizada. - Usar caracteres curinga: com esta opção marcada, usamos caracteres especiais. Por exemplo, é possível usar o caractere curinga asterisco (*) para procurar uma seqüência de caracteres (por exemplo, “t*o” localiza “tristonho” e “término”).
  25. 25. Didatismo e Conhecimento 24 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Veja a lista de caracteres que são considerados curinga, retirada do site do Microsoft Office: Para localizar Digite Exemplo Qualquer caractere único ? s?o localiza salvo e sonho. Qualquer seqüência de caracteres * t*o localiza tristonho e término. O início de uma palavra < <(org) localiza organizar e organização, mas não localiza desorganizado. O final de uma palavra > (do)> localiza medo e cedo, mas não localiza domínio. Um dos caracteres especificados [ ] v[ie]r localiza vir e ver Qualquer caractere único neste intervalo [-] [r-t]ã localiza rã e sã. Os intervalos devem estar em ordem crescente. Qualquer caractere único, exceto os caracteres no intervalo entre colchetes [!x-z] F[!a-m]rro localiza forro, mas não localiza ferro. Exatamente n ocorrências do caractere ou expressão anterior {n} ca{2}tinga localiza caatinga, mas não catinga. Pelo menos n ocorrências do caractere ou expressão anterior {n,} ca{1,}tinga localiza catinga e caatinga. De n a m ocorrências do caractere ou expressão anterior {n,m} 10{1,3} localiza 10, 100 e 1000. Uma ou mais ocorrências do caractere ou expressão anterior @ ca@tinga localiza catinga e caatinga. Guia Inserir: Grupo Páginas: 1 2 3 Grupo Páginas 1 – Folha de rosto: insere uma folha de rosto completamente formatada, sendo necessário apenas inserir informações como o título, autor e data. 2 – Página em branco: insere uma nova página em branco, na posição do cursor. 3 – Quebra de página: interrompe as formatações e digitação no ponto de inserção da quebra e continua na próxima página.
  26. 26. Didatismo e Conhecimento 25 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Grupo Tabelas: Possibilita a inserção e formatação de tabelas. Com esse recurso, podemos criar os mais diversos tipos de tabelas no Word, desde as mais simples até àquelas que já são previamente formatadas pelo programa, trazendo opções de cor, tipo, tamanho e outras formatações de fonte, cores de preenchimento das células, linhas e outras especificações. Com os itens desse grupo, podemos desenhar a tabela ou apenas selecionar a quantidade de linhas e colunas que ela terá, simplificando sua criação. Podemos também, selecionar um grupo de texto e converter esse texto em tabela, sendo que o oposto, ou seja, converter a tabela em texto, também é possível. Para criar uma tabela simples, após clicar no botão de comando “Tabela”, selecionamos os quadradinhos que correspondem ao número de colunas e linhas. A tabela a seguir foi criada por esse método de criação. Ela contém quatro colunas e duas linhas, pois foram selecionados quatro quadradinhos na horizontal e dois na vertical. Os quadrados da horizontal, representam, então, as colunas e, os da vertical, representam as linhas. Inserir Tabela Outra forma de inserir tabela uma tabela, é clicar no botão de comando Inserir → Inserir Tabela . Outra forma de inserir tabela Com a janela da figura acima, podemos escolher a quantidade de colunas e de linhas da tabela, nos campos apropriados. Podemos também, marcar a opção “Largura de coluna fixa”, que permite alterar a largura das colunas para os centímetros selecionados ou deixar que isto seja configurado automaticamente. Existem casos em que as tabelas excedem o tamanho da página. Nestes casos, podemos selecionar as opções “ajustar-se automaticamente ao conteúdo”, que faz com que a tabela fique com seu tamanho e largura dependendo do conteúdo que está digitado ou inserido dentro dela; ou a opção “Ajustar-se automaticamente à janela”, que permite que a tabela seja redimensionada segundo o espaço de visualização necessário para que ela caiba na página. A opção “Desenhar Tabela ” , permite a criação de uma tabela de uma forma mais livre. Com ela, o usuário desenha as bordas, linhas e colunas e pode realizar diversos tipos de formatações, através da Guia “Ferramentas de Tabela”. A tabela a seguir, foi criada a partir desta opção.
  27. 27. Didatismo e Conhecimento 26 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Na guia Ferramentas de Tabela, temos os seguintes grupos: Opções de Estilo de Tabela: Opções de estilo de tabela Esse grupo nos traz: - Linha de Cabeçalho: mostra/oculta a primeira linha como sendo linha de cabeçalho. - Linhas totais: mostra/oculta todas as linhas da tabela, mesmo que no estilo não tenha linha. - Linhas em tiras: mostra/oculta as linhas coloridas colocadas pelos estilos. - Primeira coluna: exibe formatação especial na primeira coluna da tabela. - Última coluna: exibe formatação especial na última coluna da tabela. - Colunas em tiras: exibe colunas em tiras, de modo que as colunas pares tenham formatação diferente das colunas ímpares. Estilos de tabela: Estilos de tabela Fornece estilos predefinidos de tabela, com formatações de cores de células, linhas, colunas, bordas, fontes e demais itens presentes na mesma.Além de escolher um estilo predefinido, podemos alterar a formatação do sombreamento e das bordas da tabela. Desenhar bordas: Desenhar bordas Com essa opção, podemos alterar o estilo da borda, a sua espessura, desenhar uma tabela ou apagar partes de uma tabela criada e alterar a cor da caneta e ainda, clicando no “Escolher entre várias opções de borda ”, para exibir a seguinte tela:
  28. 28. Didatismo e Conhecimento 27 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Bordas e sombreamento Na janela Bordas e sombreamento, no campo “Definição”, escolhemos como será a borda da nossa tabela: - Nenhuma: retira a borda; - Caixa: contorna a tabela com uma borda tipo caixa; - Todas: aplica bordas externas e internas na tabela iguais, conforme a seleção que fizermos nos demais campos de opção; - Grade: aplica a borda escolhida nas demais opções da janela (como estilo, por exemplo) ao redor da tabela e as bordas internas permanecem iguais. - Estilo: permite escolher um estilo para as bordas da tabela, uma cor e uma largura. - Visualização: através desse recurso, podemos definir bordas diferentes para uma mesma tabela. Por exemplo, podemos escolher um estilo e, em visualização, clicar na borda superior; escolher outro estilo e clicar na borda inferior; e assim colocar em cada borda um tipo diferente de estilo, com cores e espessuras diferentes, se assim desejarmos. A guia “Borda da Página”, desta janela, nos traz recursos semelhantes aos que vimos na Guia Bordas. A diferença é que se trata de criar bordas na página de um documento e não em uma tabela. Outra opção diferente nesta guia, é o item Arte. Com ele, podemos decorar nossa página com uma borda que envolve vários tipos de desenhos. Alguns desses desenhos podem ser formatados com cores de linhas diferentes, outros, porém não permitem outras formatações a não ser o ajuste da largura. Podemos aplicar as formatações de bordas da página no documento todo ou apenas nas sessões que desejarmos, tendo assim um mesmo documento com bordas em uma página, sem bordas em outras ou até mesmo bordas de página diferentes em um mesmo documento.
  29. 29. Didatismo e Conhecimento 28 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Arte Na última figura, podemos ver o resultado da aplicação de uma Borda da Página. A página ficará toda contornada com a borda selecionada. No exemplo, usamos uma borda escolhida no item “Arte”, mas podemos apenas escolher um estilo de borda simples, na mesma guia. Na janela última figura, assim como na Guia Borda da Página, encontramos o botão “Linha Horizontal”. Linha horizontal As linhas horizontais consistem em linhas decorativas que podemos inserir no documento. Podemos selecionar entre as linhas já existentes no Word, ou clicar no botão “Importar”, para localizarmos linhas criadas ou salvas em outros lugares do computador.Aseguir, veja um exemplo de linha horizontal inserida:
  30. 30. Didatismo e Conhecimento 29 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Exemplo de linha horizontal Na guia “Sombreamento”, escolhemos as cores de preenchimento, os padrões e os estilos, das células ou do documento. No item Preenchimento desta guia, podemos escolher entre cores do tema que está em uso, cores padrão, retirar as cores, ou escolher entre mais tipos de preenchimento, que abre um leque de opções para criarmos tabelas ou espaços do documento preenchidos com os mais diversos tipos de modelos. Preenchimento Clicando na opção “Mais Cores”, do item Preenchimento, da figura “Preenchimento”, escolhemos entre as cores “Padrão”: Cores padrão Para definir uma cor nesse esquema de cores, basta arrastar o botão esquerdo do mouse entre as cores apresentadas até encontrar a cor desejada. Podemos ainda, escolher as cores da guia “Personalizar”, que nos permite optar por tons diferentes de uma mesma cor ou configurar a cor desejada, pelo modelo RGB, com a inserção dos valores das cores primárias (vermelho, verde e azul). Essa opção ajuda principalmente quando desejamos adicionar ao nosso documento uma cor igual a que já usamos, mas que não nos recordamos qual era exatamente, ou uma cor igual a de um objeto de outro documento do Word. Vale lembrar, que esse esquema de escolha de cores também é o mesmo usado para colorir auto formas e outros itens que possibilitam essa configuração no Word.
  31. 31. Didatismo e Conhecimento 30 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Cores personalizadas Grupo Ilustrações: 1 2 3 4 5 Grupo Ilustrações 1 – Inserir imagem do arquivo: permite inserir no teto uma imagem que esteja salva no computador ou em outra mídia, como pendrive ou CD. 2 – Clip-art: insere no arquivo imagens e figuras que se encontram na galeria de imagens do Word. 3 – Formas: insere formas básicas como setas, cubos, elipses e outras. 4 – SmartArt: insere elementos gráficos para comunicar informações visualmente. 5 – Gráfico: insere gráficos para ilustrar e comparar dados. Grupo Links: Inserir hyperlink: cria um link para uma página da Web, uma imagem, um e – mail. Indicador: cria um indicador para atribuir um nome a um ponto do texto. Esse indicador pode se tornar um link dentro do próprio documento. Referência cruzada: referencia tabelas. Grupo Cabeçalho e Rodapé: Insere cabeçalhos, rodapés e números de páginas.
  32. 32. Didatismo e Conhecimento 31 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Grupo Texto: 1 2 3 6 4 57 Grupo Texto 1 – Caixa de texto: insere caixas de texto pré-formatadas. As caixas de texto são espaços próprios para inserção de textos que podem ser direcionados exatamente onde precisamos. Por exemplo, na figura “Grupo Texto”, os números ao redor da figura, do 1 até o 7, foram adicionados através de caixas de texto. 2 – Partes rápidas: insere trechos de conteúdos reutilizáveis, incluindo campos, propriedades de documentos como autor ou quaisquer fragmentos de texto pré-formado. 3 – Linha de assinatura: insere uma linha que serve como base para a assinatura de um documento. 4 – Data e hora: insere a data e a hora atuais no documento. 5 – Insere objeto: insere um objeto incorporado. 6 – Capitular: insere uma letra maiúscula grande no início de cada parágrafo. É uma opção de formatação decorativa, muito usada principalmente, em livros e revistas. Para inserir a letra capitular, basta clicar no parágrafo desejado e depois na opção “Letra Capitular”. Veja os exemplos: Neste parágrafo foi inserida a letra capitular, tipo “capitular”. Neste outro parágrafo foi inserida a letra capitular, tipo “na margem”. As letras capitulares podem ser formatadas, indicando o tipo de fonte, tamanho, e distância dessas letras com relação ao restante do texto. 7 – Word Art: insere um texto decorativo no documento. Quando clicamos no Word Art, abrimos uma lista de opções: Word Art Ao escolher uma destas opções, será aberta a janela para que o texto seja digitado. Nesta etapa, além de digitar o texto, podemos escolher o tipo de fonte, o tamanho e se desejamos que tenha negrito ou itálico em sua formatação. Editor de texto da WordArt
  33. 33. Didatismo e Conhecimento 32 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Digitando o texto e clicando em “OK”, será colocado no documento o texto da WordArt: Exemplo de texto da WordArt As configurações possíveis em uma WordArt, são as oferecias pela Guia Ferramentas da WordArt, que aparece apenas quando clicamos nela. Grupo Texto: Grupo texto No grupo texto, temos as opções: - Editar texto: essa opção nos permite trocar apenas o texto da WordArt, sem alterar sua forma. - Espaçamento: alteramos, com ele, o espaço entre os caracteres da WordArt. - Igualar altura : deixa todas as letras com a mesma altura, tanto as maiúsculas quanto as minúsculas. - Texto vertical da WordArt : desenha o texto verticalmente, com as letras empilhadas, uma em cima da outra. - Alinhar texto: especifica como vão ser alinhadas as linhas individuais de uma WordArt com várias linhas. Grupo Estilo de WordArt: Grupo estilos de WordArt No grupo Estilos de WordArt, temos, da esquerda para a direita: - Estilos de WordArt: mudamos os estilos, ou seja, a forma da WordArt, sem alterar o texto. - Preenchimento de forma : preenche a forma selecionada com uma cor sólida, gradual, imagem ou textura. - Contorno de forma : especifica a cor, a largura e o tipo de linha da forma selecionada. - Alterar forma da WordArt: altera a forma geral da WordArt, entre os modelos apresentados em uma lista, sem alterar o texto e o tipo da WordArt. Alterar forma da WordArt
  34. 34. Didatismo e Conhecimento 33 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Grupo Efeitos de Sombra: Grupo efeito de sombra Neste grupo, podemos adicionar efeitos de sombra e formatar a posição dessa sombra. - Efeito de sombra: adiciona sombra a forma selecionada, oferecendo vários tipos de sombra que podem ser escolhidos e também, a opção de alterar a cor da sombra. - Ativar / Desativar sombra : mostra ou oculta a sombra do objeto. - Deslocar sombra para cima : move a sombra aplicada para cima conforme formos clicando neste ícone. - Deslocar sombra para baixo : desloca a sombra para baixo, conforme formos clicando neste ícone. - Deslocar sombra para a esquerda : move a sombra para a esquerda conforme for sendo acionado. - Deslocar sombra para a direita : move a sombra para a direita conforme for sendo acionado. Grupo efeito 3D Com o Grupo Efeito 3D, podemos adicionar efeitos 3D no objeto selecionado, conforme a opção escolhida. Vamos conhecer o menu que é aberto após clicarmos nesse item: Opções de efeito 3D Com ele, podemos: - Ativar/Desativar o efeito 3D : com este botão é mostrado ou retirado o efeito 3D. - Inclinar para a esquerda : inclina a forma para a esquerda, conforme for sendo clicado.
  35. 35. Didatismo e Conhecimento 34 NOÇÕES DE INFORMÁTICA - Inclinar para a direita : inclina a forma para a direita, conforme for sendo clicado. - Inclinar para cima : movimenta a forma para trás, conforme for sendo clicado. - Inclinar para baixo : movimenta a forma para frente, conforme for sendo clicado. - Sem efeito : retira o efeito 3D do objeto selecionado. - Paralelo : aplica efeitos 3D paralelos à forma. - Perspectiva : aplica efeitos 3D em perspectiva à forma. - Girar em Perspectiva : aplica efeitos 3D em perspectiva de vários ângulos. - Cor 3D : permite escolhermos cores diferentes para a extensão do efeito 3D. - Profundidade : através deste ícone escolhemos a extensão, ou seja, a profundidade do efeito 3D. - Direção : permite inclinações diferentes do objeto, acompanhado do seu efeito 3D. - Luminosidade : permite aplicar efeitos de cor e brilho que indicam focos de luz diferentes no objeto. Permite também, tornarmos o objeto com aspecto brilhante, normal ou esmaecido. - Superfície : permite alterar os efeitos do objeto de forma que seu aspecto se assemelhe a superfícies de materiais diferentes como fosco, plástico, metal e esboço. Grupo Tamanho: Grupo tamanho Neste grupo temos, respectivamente, a altura da forma, que permite mudanças na altura do objeto e, largura da forma, que per- mite alterações na largura do objeto. Grupo Símbolos: Equação: insere equações matemáticas ou auxilia a desenvolver equações com uma biblioteca de símbolos matemáticos. Símbolos: insere símbolos que não constam no teclado como o símbolo “Ω.” Guia Layout da Página: Grupo Temas: Temas: altera o design geral do documento inteiro, incluindo cores, fonte e efeitos. Cores do tema: altera as cores do tema atual. Fontes do tema: altera a fonte do tema atual. Efeitos do tema: altera os efeitos do tema usado.
  36. 36. Didatismo e Conhecimento 35 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Grupo Configura Página: Grupo Página Margens: possibilita a alteração dos tamanhos das margens direita, esquerda, superior e inferior. Orientação: altera a disposição do papel entre retrato e paisagem. Retrato e Paisagem Tamanho: altera o tamanho do papel entre várias opções, como carta, ofício, executivo, A4 e outros. Colunas: divide o texto selecionado em colunas. Para dividir o texto em colunas, primeiro, devemos selecionar o texto a ser dividido e depois clicar no botão de comando “Colunas”. Ele nos abrirá a seguinte lista de opções: Colunas Escolhida a opção desejada o texto será automaticamente dividido. Para excluir a divisão de colunas inserida, basta selecionar o texto novamente e clicar em “Um”. Quebra: insere interrupções na continuidade do texto e em sua formatação padrão. Veja a imagem para conhecer os tipos de quebra existentes e suas respectivas finalidades:
  37. 37. Didatismo e Conhecimento 36 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Tipos de quebra Número de linhas: insere a numeração das linhas na margem lateral de cada linha. Hifenização: ativa o recurso da hifenização, que permite que o Word quebre palavras entre suas sílabas no final de cada linha. Grupo Plano de Fundo da Página: Grupo plano de fundo da página Marca d’ água: insere uma imagem desbotada, “fantasma”, no plano de fundo da página, atrás do texto digitado. Cor da página: altera a cor branca da página para outra personalizada. Bordas da página: adiciona ou altera a borda ao redor da página. Grupo Parágrafo: Grupo parágrafo Permite ajustar o recuo direito e esquerdo do texto em relação às margens e também aumentar ou reduzir o espaçamento antes e depois de cada parágrafo.
  38. 38. Didatismo e Conhecimento 37 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Grupo Organizar: Grupo organizar Posição: permite posicionar o objeto selecionado (uma imagem, por exemplo) na página com relação ao texto, de diversas maneiras: Possibilidades da posição Trazer para a frente: trás o objeto selecionado para a frente do texto ou para a frente de outros objetos. Enviar para traz: leva o objeto selecionado para trás do texto ou de outros objetos. Quebra automática do texto: possibilita o alinhamento do objeto selecionado de várias formas em relação ao texto. Podemos escolher entre as opções: - Alinhado com o texto: o objeto será alinhado na linha de base do texto, ou seja, no mesmo alinhamento do texto. - Quadrado: permite que o texto seja alinhado ao redor do objeto, formando um quadrado em volta dele. - Próximo: o texto será distribuído o mais próximo possível do objeto inserido. Não será formado um quadrado perfeito ao redor do objeto, como no caso anterior, ou seja, as palavras podem não ficar alinhadas ao redor dele. - Atrás do texto: como sugere, o objeto ficará posicionado atrás do texto digitado. Dessa forma ele ficará no fundo do texto. - Em frente ao texto: faz o efeito contrário da opção anterior, ou seja, desloca o objeto para frente do texto digitado. - Superior e inferior: o texto será alinhado sobre o objeto e em baixo dele. Veja que a estrela deste exemplo está sozinha no campo onde foi inserida e só há texto sobre ela e em baixo dela. - Através: o objeto será visto através do texto. - Editar pontos da disposição do texto: esse recurso nos permite mover os pontos ao redor do objeto, editando a disposição do texto ao seu redor. Ainda há a como escolhermos outras opções de alinhamento do objeto em relação ao texto. Veja na figura a seguir o menu pelo qual conseguimos realizar todas estas configurações:
  39. 39. Didatismo e Conhecimento 38 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Alinhamento do objeto em relação ao texto Alinhar: possibilita o alinhamento de bordas dos objetos selecionados, com as opções à esquerda, centralizar, alinhar à direita, alinhar parte superior, alinhar ao meio, alinhar parte inferior, distribuir horizontalmente e verticalmente, alinhar à página, alinhar à margem, alinhar objetos selecionados, exibir linhas de grade e configurações da grade. Agrupar: agrupa vários objetos, por exemplo, imagens, unindo-as como se fossem uma só. Girar: permite rotacionar o objeto invertendo-o para lados diferentes. Um objeto pode ser girado 90º para a esquerda, 90º para a direita, ter sua posição invertida verticalmente ou horizontalmente ou ainda podemos selecionar outras opções de rotação. Guia Referências: Grupo Sumário: Sumário: possibilita a inclusão de um sumário ao documento, sendo necessário apenas incluir o texto depois. Adicionar texto: adiciona o parágrafo selecionado como uma entrada do sumário. Atualizar sumário: atualiza o sumário de forma que todas as entradas indiquem o número correto de suas respectivas páginas. Grupo Notas de Rodapé: Inserir notas de rodapé: insere notas no rodapé do documento que serão renumeradas automaticamente conforme as alterações de localização do texto na página. Inserir nota de fim: notas de fim são notas inseridas no final do documento. Próxima nota de rodapé: possibilita a visualização (navegação) entre as notas de rodapé inseridas no documento. Mostrar notas: possibilita visualização das notas de rodapé e nota de fim. Grupo Citações e Bibliografia: Inserir citação: auxilia na citação de um livro, artigo de jornal ou outro periódico como fonte das informações do documento. Gerenciar fontes bibliográficas: exibe a lista de todas as fontes citadas no documento. Estilo: possibilita a escolha de um estilo de citação a ser usado no documento. Bibliografia: adiciona uma bibliografia que lista todas as fontes citadas no documento. Grupo Legendas: Inserir legenda: adiciona uma linha de texto em baixo de uma imagem ou objeto para descrevê-lo. Inserir índice de ilustrações: inclui uma lista com todas as ilustrações, tabelas ou equações do documento. Atualizar índice de ilustrações: atualiza o índice de ilustrações incluindo todas as entradas do documento. Inserir referência cruzada: referências cruzadas são títulos, ilustrações e tabelas, com textos como “consulte a tabela” ou “vá para a página”. São atualizadas automaticamente se o conteúdo for movido para outro local. Grupo Índice: Marcar entrada: inclui o texto selecionado no índice do documento. Inserir índice: insere um índice ao documento. Atualizar o índice: atualiza o índice de forma que todas as entradas indiquem o número de página correto. Grupo Índice de Autoridades: Marcar citação: adiciona o texto selecionado como uma entrada no índice de autoridades. Inserir índice de autoridades: relaciona os casos, estatutos e outras autoridades citadas no documento. Atualizar índice de autoridades: atualiza o índice de autoridades de forma a incluir todas as entradas do documento.
  40. 40. Didatismo e Conhecimento 39 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Guia Correspondências: Grupo Criar: Envelopes: permite a configuração da página para a criação de envelopes de diversos modelos. É possível usar a mala direta para imprimir os remetentes e destinatários de vários envelopes. Etiquetas: permite configurar a página para a criação de etiquetas de diversos modelos. É possível usar a mala direta para imprimir os dados das etiquetas. Grupo Iniciar Mala Direta: Iniciar mala direta Iniciar mala direta: abre um assistente para criação de uma mala direta em que podemos criar diversos campos como nome, endereço, cidade, país, e – mail e outros. Nesses campos podemos incluir registros de diversas pessoas para usar em vários documentos. Uma vez registrados, os dados poderão ser usados em cartas, envelopes etiquetas e outros tipos de documentos. Selecionar destinatários: possibilita a escolha de uma lista de pessoas para as quais desejamos enviar determinado documento. Editar lista de destinatários: possibilita a exclusão, inserção e alteração de dados de destinatários para nossa mala direta. Grupo Gravar e Inserir Campos: Realçar campos de mesclagem: destaca no texto os campos que são referentes à mala direta. Blocos de endereço: insere um conjunto de campos referentes ao endereço dos destinatários ou remetentes de nossa mala direta. Especificamos o local e a formatação e o assistente insere os campos. Linha de saudação: insere uma linha de saudação em nosso documento. Inserir campos de mesclagem: possibilita inserir em qualquer lugar do documento campos presentes na nossa mala direta. Grupo Visualizar Resultados: Visualizar resultados: alterna entre os campos de mesclagem e os registros, ou seja, dados digitados nos campos, permitindo a visualização dos dados das pessoas incluídas na mala direta. Botões de navegação: permitem visualizar os registros anteriores, próximos, iniciais ou finais da nossa mala direta. Localizar destinatário: auxilia na busca dos registros de pessoas da nossa mala direta. Verificação automática de erros: especifica como tratar os erros depois da conclusão da nossa mala direta. Grupo Concluir: Concluir e mesclar: encerra as etapas necessárias para criação e/ou aplicação da mala direta. Para criar uma mala direta: 1) Clique no botão de comando “Iniciar Mala Direta”. 2) Escolha se deseja criar uma mala direta para cartas, mensagens de e – mails, envelopes, etiquetas, diretórios, documento Normal do Word, ou selecione a opção “Assistente de Mala Direta Passo a Passo”. No nosso exemplo, será esta a opção escolhida. 3) O assistente é composto por 6 passos para a criação da mala direta. No primeiro passo, somos questionados sobre qual o tipo de documento que estaremos trabalhando. Podemos escolher entre carta, e-mails, envelopes, etiquetas ou diretórios. Cada uma das opções escolhidas é seguida de uma breve explicação. a. Cartas: envie cartas para um grupo de pessoas. Você pode personalizar a carta que cada pessoa recebe. b. E-mails: envie e –mails para um grupo de pessoas. Você pode personalizar o e-mail que cada pessoa recebe. c. Envelopes: imprima envelopes com endereços para um endereçamento conjunto. d. Etiquetas: imprima etiquetas de endereço para um endereço em conjunto. e. Diretório: crie um único documento com um catálogo ou lista de endereços.
  41. 41. Didatismo e Conhecimento 40 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Após a escolha da opção, que no nosso exemplo será “Cartas”, clicamos na opção “Próxima – documento inicial”. 4) Seremos questionados sobre como desejamos criar nossas cartas: a. Usar o documento atual: inicie com base no documento mostrado e use o assistente para adicionar informações dos destinatários. b. Iniciar com base em um modelo: inicie com base em um modelo de mala direta pronto para uso e que pode ser personalizado para satisfazer as suas necessidades. c. Inicie com base em um documento existente: inicie com base em um documento de mala direta existente e faça alterações no conteúdo ou destinatários. Escolheremos a opção “Usar o documento atual” e clicaremos em “Próxima: Selecione os destinatários”. 5) Seremos questionados sobre a lista dos destinatários: a. Usar lista existente: para usar essa opção já temos que ter criado anteriormente uma lista de destinatários. Se já a tivéssemos criado, clicaríamos no botão procurar, para encontrá-la no computador e depois usaríamos os dados já existentes. b. Selecionar nos contatos do Outlook: o Outlook é um programa de e –mails que possui um cadastro de destinatários de e – mails que pode ser usado como fonte de dados para a mala direta. c. Digitar uma nova lista: é o nosso caso. Não temos lista de destinatários criada ainda, então, vamos selecionar essa opção e clicar no ícone criar , para darmos início a nossa mala direta. 6) Clicando no Criar, teremos a seguinte tela: Nova lista de endereços Nela, as colunas, que representam os campos da nossa mala direta, são predefinidas, mas podem ser alterados para nossa ne- cessidade. Para alterar essa estrutura de campos, que estão dispostos em colunas, vamos clicar no botão “Personalizar Colunas” e a seguinte tela será aberta: Personalizar lista de endereços Para eliminar um campo indesejado, basta clicar sobre ele, na lista “Nomes de campos” e depois no botão “Excluir”. Se preferirmos renomear um campo que não será usado, em vez de excluí-lo e criarmos outro, podemos apenas clicar sobre o nome do campo e em renomear. Mudamos o nome e clicamos no “OK”.
  42. 42. Didatismo e Conhecimento 41 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Se for necessário incluirmos campos que não existem, podemos clicar no botão “Adicionar”, inserir o nome do campo e clicar em “OK”. A disposição dos campos pode ser alterada pelos botões “Mover para baixo” e “Mover para cima”. Após deixarmos a estrutura dos campos conforme o necessário, basta clicar em cada célula da tabela da lista de endereços e digitar os dados. Para incluir mais um registro, clicamos no botão “Nova Entrada”. Caso um dos registros precisar ser eliminado, basta selecionar sua linha e clicar no botão “Excluir Entrada”, mas se precisarmos apenas alterar o conteúdo do registro, clicamos novamente na célula e redigimos o texto. Alteraremos os campos para que tenhamos: Nome, Sobrenome, Linha de endereço 1, CEP e Telefone Residencial. Se for necessário encontrar algum registro inserido, podemos clicar no botão “Localizar” e entrar com os dados para consulta. Assim que for localizado, podemos alterar ou excluir o registro. Faremos esses procedimentos sucessivamente, até termos nossos dados preenchidos. No nosso exemplo, vamos cadastrar 5 fun- cionários. Após os registros, nossa mala direta ficará semelhante a figura a seguir: Liste de endereços Após os registros, clicaremos em Ok e teremos que salvar nossos dados antes de continuar. Depois de salvos, aparecerá para nós a seguinte tela: Destinatários de mala direta Nossos destinatários já estão cadastrados. Nesta etapa, podemos classificar por nome, por exemplo, localizar se houve entradas duplicadas, localizar um determinado destinatário e alterar seus dados. Supondo que esteja tudo certo, vamos clicar no botão “OK”, e depois em “Próxima: escreva a carta”. Essa já será a quarta etapa. Vamos escrever nossa carta. No início da carta, colocaremos uma linha de saudação. Para isso, utilizando a mala direta, basta clicar na opção “Linha de Sau- dação” e selecionar as configurações que desejamos que sejam incluídas nesta linha, através da tela a seguir:
  43. 43. Didatismo e Conhecimento 42 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Inserir linha de saudação No campo “Formato da linha de saudação”, podemos escolher entre “Caro”, “Prezado” ou nenhum. Podemos escolher também a forma que desejamos que o nome da pessoa apareça e se depois do nome desejamos que sejam colocados: (dois pontos) ou, (vírgula). Após estas configurações, vamos clicar no botão “OK”. No nosso documento aparecerá o seguinte <<LinhaDeSaudação>>. Este campo será substituído pela saudação que escolhemos e os nomes dos funcionários depois que terminarmos nossa mala direta. Continuando nossa carta, vamos digitar: “Pedimos a gentileza de confirmar o endereço a seguir e assinar na linha indicada”. Depois deste texto, clicaremos na opção e escolheremos, entre as opções a seguir, como desejamos que o ende- reço das pessoas apareça na carta. Essa opção já busca, automaticamente, os campos relacionados ao endereço da nossa mala direta. Inserir bloco de endereço Como já temos o nome do destinatário na nossa linha de saudação, desmarcaremos essa opção e clicaremos no “OK”. Aparecerá o campo <<BlocoDeEndereços>>, que também será substituído pelos dados dos endereços dos nossos funcionários cadastrados depois que terminarmos a mala direta. Para que a pessoa assine, passaremos um traço e colocaremos o campo Nome embaixo, para aparecer o nome de cada funcioná- rio, na sua respectiva carta. Para isso, vamos clicar em “Mais itens” , clicar em Nome e no botão “Inserir”.
  44. 44. Didatismo e Conhecimento 43 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Inserir campo de mesclagem Neste momento, nosso documento estará da seguinte forma: Vamos clicar em “Próxima: visualize as cartas”. Neste momento, os dados da primeira pessoa registrada aparecerão nos lugares dos campos de linha de saudação, bloco de endereços e nome: E o painel de tarefas ficará da seguinte forma, nos mostrará a barra de navegação para vermos todos os destinatários, se assim desejarmos. Neste momento podemos excluir destinatários, localizar destinatários ou alterar dados dos mesmos, mas no nosso caso, só clicaremos em “Próxima: conclua a mesclagem”. Nossa mala direta estará pronta para ser impressa. Quando imprimirmos, sairá uma carta personalizada para cada destinatário da mala direta. Esse registro que criamos poderá ser usado para diversos outros tipos de documentos. Por exemplo, podemos criar o envelope para as cartas, sem precisar digitar novamente os dados de cada um dos nossos funcio- nários. Após encerrarmos esse documento, se quisermos utilizar os dados da mala direta em outro, basta clicar na Guia Correspondên- cias, no botão de comando Selecionar Destinatários e Usar Lista Existente. Localizaremos a lista no nosso computador e continua- remos nossos trabalhos.
  45. 45. Didatismo e Conhecimento 44 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Vamos agora, criar o envelope para nossas cartas. Para isto, abrirmos um novo documento do Word e clicaremos na Guia Corres- pondências, botão de comando Selecionar Destinatários e Usar Lista Existente. Procurarmos nossa mala direta salva anteriormente. Aparentemente, com esse procedimento nada vai acontecer, mas neste momento a mala direta está habilitada para nosso uso. Agora, no Grupo Criar, clicaremos no botão de comando Envelopes. A seguinte janela será mostrada: Envelopes e etiquetas Pelo botão “Opções”, escolheremos o formato do nosso envelope e clicaremos em “Adicionar ao documento”. Depois, basta clicarmos na opção “Bloco de Endereços”, do Grupo Gravar e Inserir Campos. Nosso envelope já estará pronto para impressão. Guia Revisão: Grupo Revisão de texto: 1 2 3 4 5 6 7 Grupo revisão de texto 1 – Pesquisar: abre o painel de tarefas viabilizando pesquisas em materiais de referência como jornais, enciclopédias e serviços de tradução. 2 – Dica de tela de tradução: pausando o cursor sobre algumas palavras é possível realizar sua tradução para outro idioma. 3 – Definir idioma: define o idioma usado para realizar a correção de ortografia e gramática. 4 – Contar palavras: possibilita contar as palavras, os caracteres, parágrafos e linhas de um documento. 5 – Dicionário de sinônimos: oferece a opção de alterar a palavra selecionada por outra de significado igual ou semelhante. 6 – Traduzir: faz a tradução do texto selecionado para outro idioma. 7 – Ortografia e gramática: faz a correção ortográfica e gramatical do documento. Assim que clicamos na opção “Ortografia e gramática”, a seguinte tela será aberta: Verificar ortografia e gramática
  46. 46. Didatismo e Conhecimento 45 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Averificação ortográfica e gramatical do Word, já busca trechos do texto ou palavras que não se enquadrem no perfil de seus dicionários ou regras gramaticais e ortográficas. Na parte de cima da janela “Verificar ortografia e gramática”, aparecerá o trecho do texto ou palavra considerada inadequada. Em baixo, aparecerão as sugestões. Caso esteja correto e a sugestão do Word não se aplique, podemos clicar em “Ignorar uma vez”; caso a regra apresentada esteja incorreta ou não se aplique ao trecho do texto selecionado, podemos clicar em “Ignorar regra”; caso a sugestão do Word seja adequada, clicamos em “Alterar” e podemos continuar a verificação de ortografia e gramática clicando no botão “Próxima sentença”. Se tivermos uma palavra sublinhada em vermelho, indicando que o Word a considera incorreta, podemos apenas clicar com o botão direito do mouse sobre ela e verificar se uma das sugestões propostas se enquadra. Por exemplo, a palavra informática. Se clicarmos com o botão direito do mouse sobre ela, um menu suspenso nos será mostrado, nos dando a opção de escolher a palavra informática. Clicando sobre ela, a palavra do texto será substituída e o texto ficará correto. Grupo Comentários: Novo comentário: adiciona um pequeno texto que serve como comentário (explicação, complementação) do texto selecionado. Excluir comentário: elimina o comentário do texto selecionado. Comentário anterior: permite visualizar (navegar) do comentário atual para o(s) comentário(s) anterior(es). Próximo comentário: permite visualizar (navegar) do comentário atual para o(s) próximo(s) comentário(s). Grupo Controle: 1 2 3 4 5 Grupo controle 1 – Controlar alterações: controla todas as alterações feitas no documento como formatações, inclusões, exclusões e alterações. 2 – Balões: permite escolher a forma de visualizar as alterações feitas no documento com balões no próprio documento ou na margem. 3 – Exibir para revisão: permite escolher a forma de exibir as alterações aplicadas no documento. 4 – Mostrar marcações: permite escolher o tipo de marcação a ser exibido ou ocultado no documento. 5 – Painel de revisão: mostra as revisões em uma tela separada. Grupo Alterações: 1 2 3 4 Grupo alterações 1 – Rejeitar: rejeita a alteração atual e passa para a próxima alteração proposta. 2 – Anterior: navega até a revisão anterior para que seja aceita ou rejeitada. 3 – Próximo: navega até a próxima revisão para que possa ser rejeitada ou aceita. 4 – Aceitar: aceita a alteração atual e continua a navegação para aceitação ou rejeição. Grupo Comparar: Comparar: compara ou combina várias versões de um documento e permite escolher os documentos de origem para serem mos- trados e revisados.
  47. 47. Didatismo e Conhecimento 46 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Grupo Proteger: Proteger documento: restringe ações como formatação e edição e também o tipo de acesso que as pessoas podem ter a esse do- cumento. Guia Exibição: Grupo Modos de Exibição de Documento: Layout de impressão: é a aparência mais habitual da tela do Word, onde são visualizadas as barras de rolagem, réguas e outros recursos. Esse modo permite que vejamos o documento da maneira que ele será impresso. Leitura em tela inteira: oculta as guias e barras da janela do Word, permitindo que o documento abranja a maior parte da tela. Layout da Web: mostra o documento como ficaria em uma página da web. Estrutura de tópicos: exibe o documento como uma estrutura de tópicos e mostra as ferramentas correspondentes. Rascunho: exibe o documento como um rascunho para alterações rápidas. Não mostra alguns recursos como cabeçalho de rodapé. Grupo Mostrar/Ocultar: Régua: mostra ou oculta a régua. Linhas de grade: mostra ou oculta as linhas de grade. Linhas de grade Barra de mensagem: exibe ou oculta a barra de mensagem. Mapa do documento: mostra ou oculta mapa do documento. Mapa do documento Miniaturas: mostra ou oculta miniaturas das páginas do documento. Miniaturas
  48. 48. Didatismo e Conhecimento 47 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Grupo Zoom: 1 2 3 4 5 Zoom 1 – 100%: amplia a imagem do documento na tela em seu tamanho padrão. 2 – Uma página: permite visualizar na tela a largura exata de uma página. Zoom de uma página 3 – Duas páginas: permite a visualização simultânea de duas páginas do documento na tela. Zoom duas páginas 4 – Largura da página: configura a largura do zoom da página para que ela corresponda a largura da janela. 5 – Zoom: abre a janela de configuração de zoom, onde é possível configurar níveis de zoom personalizados para o documento e fazer uma visualização prévia do efeito dessa configuração no documento.
  49. 49. Didatismo e Conhecimento 48 NOÇÕES DE INFORMÁTICA Configuração do zoom Grupo Janela: 1 2 3 4 5 6 7 Grupo janela 1 – Lado a lado: exibe duas janelas com lado a lado para que possam ser verificados dois documentos simultaneamente. 2 – Rolagem sincronizada: faz com que os dois documentos abertos lado a lado rolem sincronizadamente. 3 – Redefinir posição da janela: redefine a posição das janelas abertas lado a lado para que ambas dividam a tela igualmente. 4 - Alternar janelas: alterna entre as janelas abertas, ou seja, passa de uma janela para outra. 5–Dividir:divideajanelaatualempartesdemodoqueseçõesdiferentesdomesmodocumentopossamservistassimultaneamente. 6 – Organizar tudo: coloca todas as janelas abertas do Word lado a lado na tela. 7 – Nova janela: abre uma nova janela do Word. Grupo Macros: Macros: permitem exibir, gravar e excluir macros. Segundo a Central de Ajuda do Word: O objetivo de uma macro é automatizar as tarefas usadas com mais freqüência. Embora algumas macros sejam simplesmente uma gravação de pressionamentos de teclas ou de cliques do mouse, macros VBA (Visual Basic for Applications (VBA):uma versão de linguagem macro do Microsoft Visual Basic usada para programar aplicativos do Microsoft Windows e incluída em vários programas da Microsoft.) mais potentes são criadas por desenvolvedores que utilizam um código capaz de executar vários comandos no computador. Por esse motivo, as macros VBA são consideradas um possível risco à segurança. Um usuário mal-intencionado poderá introduzir uma macro perigosa através de um documento que, se for aberto, permitirá que ela seja executada e possivelmente espalhe vírus (vírus: um programa de computador ou macro que “infecta” arquivos de computador inserindo cópias de si mesmo nesses arquivos. Quando o arquivo infectado é carregado na memória, o vírus pode infectar outros arquivos. Os vírus freqüentemente têm efeitos colaterais nocivos.) em seu computador. Se no arquivo em que estivermos trabalhando for encontrada uma macro suspeita, aparecerá o seguintes aviso de segurança, sob as guias: “As macros foram desabilitadas”. Logo em seguida, teremos um botão de “Opções”, que nos mostrará informações mais precisas sobre o que foi detectado pelo programa. Acabamos de estudar sobre todas as guias, grupos e botões de comando do Word. Outra novidade do Microsoft Word 2007 é a barra de formatação suspensa que aparece quando selecionamos uma palavra. Ela é chamada de barra de formatação rápida e traz os itens mais comuns de formatação de fonte para um acesso mais rápido do que as opções encontradas na Guia Início. Com essa barra, podemos alterar o tipo de fonte, tamanho de fonte, aumentar ou reduzir a fonte, selecionar auto formatações, copiar a formatação existente no texto selecionado com a ferramenta pincel, aplicar negrito, itálico, centralizar o alinhamento, definir uma cor de realce, alterar a cor da fonte, aumentar ou diminuir o recuo, entre outras formatações possíveis.

×