O Potencial Geoturístico do Município de Pilões/PB: as “marmitas degigante” e seu valor geológico e geomorfológico e cultu...
1. INTRODUÇÃOOs rios possuem grande importância na construção das paisagens e contribuempara a modificação das mesmas atra...
Segundo Ab’saber (2009) ressalta que no Planalto da Borborema uma espécie de“maciço central” do Nordeste, posição para o l...
“A turbulência e a velocidade estão intimamente relacionadas com o trabalhoque o rio executa, isto é, erosão, transporte e...
por serem abundante na região, deu se a origem ao topônimo “Pilões” (no plural). Destemodo, uma feição geológico-geomorfol...
O patrimônio geológico pode ser definido como “um conjunto de recursosnaturais não renováveis, de valor científico, cultur...
O potencial geoturístico do Poço Escuro, onde estão situadas as “marmitas degigante” é muito expressivo, uma vez que a com...
de bombeiros. Próximo ao sopé desse grande afloramento rochoso encontra-se umagruta conhecida por “Loca do Major”, ainda a...
REFERÊNCIASAB’SABER, A. N., MARIGO, L. C. Ecossistemas do Brasil. São Paulo: Metalivre,2009.ARAÚJO, E. L. da S. Geoturismo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Artigo jailson

471 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
471
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
73
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo jailson

  1. 1. O Potencial Geoturístico do Município de Pilões/PB: as “marmitas degigante” e seu valor geológico e geomorfológico e culturalJailson da Silva Cardoso¹; Gilvânia Ribeiro Rocha¹; Edjane Maria dos Santos²¹ Graduandos em Geografia do Depto. de Geografia, UEPB/Guarabira. Emails:jailsongeografia2010@hotmail.com; gilvaniaribeirorocha@hotmail.com² Doutoranda e Msc. em Geociências pelo Programa de Pós-Graduação em Geociências, UFPE.(Orientadora). Email: edjane.maria@ufpe.brResumo: O presente trabalho apresenta um levantamento a respeito do patrimôniogeológico/geomorfológico da comunidade de Poço Escuro, município de Pilões/PB,destacando a presença das geoformas conhecidas como “marmitas de gigante”, formascirculares e côncavas esculpidas em decorrência da erosão fluvial. Através dessaanálise, estimou-se ainda o potencial para implantação do turismo de base geológica(geoturismo) na região, levando em consideração a realidade local, seja no caráternatural, político e socioeconômico. Para conseguir chegar aos objetivos propostos, otrabalho de pesquisa foi dividido em etapas de gabinete e campo. Na fase de gabinetefoi realizada ampla revisão bibliográfica a repeito do meio físico da referida área deestudos, além de temas voltados para a questão do patrimônio geológico,geodiversidade, geoconservação e geoturismo. Em campo, foram realizadas análisesatravés de fichas de catalogação do geossítio específicas, além de documentaçãofotográfica e medições da área. Como resultados, pode-se concluir que as “marmitas degigante” presentes em Pilões/PB, além de sua importância cultural, uma vez que dãonome ao município e representam um importante elemento da identidade local, possuemum grande valor estético, cultural e educativo, agrupando qualidades que as tornamaptas a se tornarem em um novo roteiro geoturístico para a região. Porém, para instalarmecanismos para o geoturismo é necessário que seja elaborada, primeiramente, umaestratégia de geoconservação adaptada à realidade local e que vise, além da valorizaçãodo patrimônio geológico da região, medidas de proteção adequadas para que essasestruturas não sejam degradadas pelos impactos causados pelo grande fluxo devisitantes. Desta forma, o geoturismo instalado no município de Pilões/PB, tende a seconfigurar em uma importante ferramenta para o uso sustentável dessas áreas,promovendo uma maior consciência ambiental, a divulgação da ciência e ageoconservação do patrimônio geológico, além do desenvolvimento socioeconômico daregião, envolvendo a comunidade local.Palavras-Chave: geoturismo, geoconservação, Pilões/PB, Poço Escuro, “marmitas degigante”
  2. 2. 1. INTRODUÇÃOOs rios possuem grande importância na construção das paisagens e contribuempara a modificação das mesmas através dos processos erosivos e de transporte edeposição de sedimentos. Ao longo de cursos de rios surgiram grandes civilizações einegável é sua importância para a humanidade, seja no caráter econômico, histórico oucultural. São muitas as histórias e lendas construídas às margens dos mesmos que, namaioria dos casos, são repassadas entre diversas gerações e configuram um forteelemento da identidade cultural dos habitantes dessas áreas ribeirinhas.No município de Pilões/PB, os rios Araçagi e Araçagi-Mirim possuem umconjunto de valores, práticas e crenças que apresentam significados especiais para osmoradores da região. Ambos servem ainda como limites naturais de demarcaçãogeográfica, ou seja, a territorialidade do município está diretamente ligada à existênciadesses rios. Outro fator interessante que é característico do município de Pilões estápautado na geomorfologia do local, com destaque para a presença de geoformascirculares e côncavas, ocasionadas pela ação erosiva das águas fluviais, que escavam asrochas. Essas formas são conhecidas popularmente como “marmitas de gigante” erepresentam um atrativo turístico para visitantes da localidade e de regiões próximas.No intuído de valorizar e proteger essas áreas de interesse geológico, além depromover o uso sustentável das mesmas como fonte de renda e conhecimento para apopulação do entorno e divulgação do patrimônio geológico da região entre osvisitantes, o presente trabalho tem como principal objetivo trazer um levantamento dageodiversidade presente no município de Pilões/PB, mais precisamente na comunidadeconhecida como Poço Escuro, que se destaca pela presença das “marmitas de gigante”.Através dessa analise, tornou-se possível avaliar o potencial da área para a implantaçãodo turismo de base geológica ou geoturismo, além de sugerir mecanismos que facilitemsua implantação, através de uma estratégia de geoconservação adaptada a realidadelocal e que contempla uma série de medidas específicas.2. MATERIAL E MÉTODOSO trabalho de pesquisa foi dividido em etapas de gabinete e campo. Na fase degabinete foi realizada revisão bibliográfica e cartográfica da área de estudos paracaracterização do meio físico, além de leituras sobre temáticas envolvendo temas comogeodiversidade, patrimônio geológico, geoconservação e geoturismo. Na etapa decampo foram realizadas sucessivas visitas a área de estudos para realização delevantamento fotográfico, coleta de dados in situ e preenchimento de fichas de campopré-elaboradas para caracterização dos geossítios. Por fim, os dados foram organizadose analisados de modo a identificar o potencial geoturístico das “marmitas de gigante”presentes no município de Pilões/PB.3. RESULTADOS E DISCUSSÕESO município de Pilões está localizado na Microrregião do Brejo e na MesorregiãoAgreste Paraibano do Estado da Paraíba CPRM (2005). De acordo com dados do maisrecente Censo (IBGE, 2010), o município abrange uma área territorial de 64 km² eabriga uma população de 6.978 habitantes (Figura 1).A área em estudo está inserida na unidade geoambiental do Planalto daBorborema com relevo característico do Pré- Cambriano o relevo local destaca-se porapresentar relevo ondulado a fortemente ondulado, com trechos montanhosos, formandoum conjunto de topos arredondados, vertentes convexas e valas em forma de “V”.
  3. 3. Segundo Ab’saber (2009) ressalta que no Planalto da Borborema uma espécie de“maciço central” do Nordeste, posição para o leste, há a predominância de matas deencostas na vertente leste e sudeste no platô cristalino. E que em alguns casos, aumidade vinda de sudeste e leste contribuem para o desenvolvimento de matas cimeiras,de encostas e de piemonte.Figura 1 - Mapa de localização da microrregião do Brejo e do município de Pilões/PB.Fonte: Henrique e Fernandes (2011).A malha hidrográfica do município é composta, entre outros cursos d’água, pelorio Araçagi-Mirim, afluente do rio Mamanguape. Geomorfologicamente, é notória aformação de feições conhecidas como “marmitas de gigante”, que se tratam degeoformas circulares e côncavas esculpidas nas rochas através da ação erosiva das águasao longo do curso do rio. Para este trabalho, foram estudadas as evidencias de“marmitas de gigante”, mais precisamente, na comunidade do Poço Escuro, municípiode Pilões/PB. A comunidade do Poço Escuro é famosa pela presença desses elementosda geodiversidade, que já se configuram em atrativos turísticos de influencia local eregional, porém, com estrutura carente e sem meios interpretativos adequados.Segundo Press et al. (2006), um dos principais agentes geológicos que atuam nasuperfície da Terra são os rios, na medida em que ocasionam a erosão das rochas etransportam e depositam areia, lama e cascalho. Todos os rios, desde que sejampequenos riachos até os caudalosos, são proeminentes escultores da paisagem. Deacordo com Christofoletti (1980):
  4. 4. “A turbulência e a velocidade estão intimamente relacionadas com o trabalhoque o rio executa, isto é, erosão, transporte e deposição dos detritos. Para queo trabalho se efetue, é necessário verificar a energia de um rio, tanto apotencial quanto a cinética.”Guerra e Guerra (2009) mencionam as cachoeiras como sendo, uma queda d’águano curso de um rio, ocasionada pela existência de um degrau no perfil longitudinal domesmo. As causas da existência dessas diferenças de nível no leito do rio podem estarligadas a falhas, dobras, erosão diferencial, diques. No sopé das cachoeiras geralmentehá o aparecimento de “marmitas de gigante” ou caldeirões, produzidos pelo choque dascorrentes fluviais. Geralmente as águas carregam sedimentos de diversas dimensõesdepositados em suspensão, que são responsáveis pela escavação das marmitas deturbilhonamento (Figura 2).Figura 2 - Esquema demonstrando o movimento de turbilhonamento responsável por escavar as“marmitas de gigante” na rocha. Processo semelhante ao que ocorre em Pilões/PB. Fonte:http://geografia2bachillerato.files.wordpress.com/2011/12/09_formacic3b3n_marmita.jpgAs “marmitas de gigante”, além do seu valor geológico e geomorfológico,representam um importante elemento da cultura pilonense, uma vez que se configuramem identidade cultural do município. Relatos históricos afirmam que no fim do séculoXVIII e início do século XIX, a região era palco das travessias de tropeiros e carros debois que transportavam as riquezas do Vale do Mamanguape ao Sertão paraibano.Acredita-se que foi graças ao trajeto desses tropeiros e mercadores que transportavamprodutos nos lombos de animais, que aconteceram neste lugar as primeiras transaçõescomerciais, isto porque os usuários daquele arcaico sistema de transporte, em épocaschuvosas quando o acesso se tornava muito difícil pelas estradas carroçais, não tinhamcomo levar seus produtos (em sua grande maioria perecíveis) e, para evitar prejuízomaior, “desfaziam-se” das mercadorias vendendo-as a baixos preços aos caminhantes.Essa aglomeração peridica de pessoas, com o tempo, deu inicio ao povoado batizado de“Pilões” em razão das pedras esculpidas pelo rio Araçagi-Mirim em forma de “pilão” e,
  5. 5. por serem abundante na região, deu se a origem ao topônimo “Pilões” (no plural). Destemodo, uma feição geológico-geomorfológica ganha um maior valor, enraizando-se naidentidade cultural de um povo, nomeando seu território e configurando-se em parte doseu patrimônio natural em sua porção abiótica: o patrimônio geológico, que representaum conjunto de geossítios que se destacam entre a geodiversidade local.De acordo com Stanley (2000), a geodiversidade pode ser entendida como a“variedade de ambientes geológicos, fenômenos e processos ativos geradores depaisagem (relevo), rochas, minerais, fósseis, solos e outros depósitos superficiais queconstituem a base para a vida na Terra”. Os geossítios são partes excepcionais dageodiversidade de uma região (afloramentos, cachoeiras, feições geomorfológicaspeculiares) e, o conjunto desses, configura-se no patrimônio geológico desta mesmaregião. Em Pilões/PB, cada um das “marmitas de gigante” constitui em um elemento dageodiversidade local. Sua singularidade as agrupa como um elemento que se destaca napaisagem, justamente por atribuir identidade cultural a região, além de elementos decaráter educativo e cientifico, podendo ser classificada como um potencial geossítio.Segundo Brilha (2005), uma área pode ser considerada “geossítio” quando houverum ou mais elementos da geodiversidade, que se encontrem bem delimitadosgeograficamente e que apresentem um valor singular do ponto de vista científico,pedagógico, cultural, turístico ou outro. Desta forma, é inegável a aptidão para oconjunto de “marmitas de gigante” de Poço Escuro - Pilões/PB ser considerado umpotencial geossítio, uma vez que, além de todo esse arcabouço cultural a elas atribuído,pode se configurar em um importante subsídio para a divulgação das Geociências entreos visitantes e também, servir de “laboratório ao ar livre” para aulas de campo de cursosde Geografia e Geologia, destacando especialmente os resultados dos processoserosivos decorrentes da ação fluvial para construção das paisagens (Figura 3).Figura 3 - Ação erosiva das águas no processo de formação de “marmitas de gigante” no rioAraçagi-Mirin. Foto: Jailson Cardoso (2012).
  6. 6. O patrimônio geológico pode ser definido como “um conjunto de recursosnaturais não renováveis, de valor científico, cultural ou educativo, que permitemconhecer, estudar e interpretar a evolução da história geológica da Terra e os processosque a modelaram.” (Valcarce & Cortés 1996 apud Araújo, 2005). Pelos mesmosmotivos que justificam as “marmitas de gigante” de Pilões/PB como potencial geossítio,as mesmas podem também ser consideradas como o principal elemento do “patrimôniogeológico” pilonense, uma vez que simbolizam a identidade natural e cultural do lugar.Desta forma, as mesmas merecem ser protegidas através de uma estratégia degeoconservação adequada para a realidade local, visando o uso sustentável das mesmas(Figura 4).Brilha et al. (2006), enfatiza ainda que a geoconservação tem como objetivoprincipal em proteger e valorizar o patrimônio geológico, patrimônio o qual consiste noconjunto de geossítios previamente inventariados e caracterizados numa determinadaregião. Dentre algumas medidas que podem ser consideradas interessantes, ogeoturismo é o que mais se aplicaria a realidade local, uma vez que ordenaria o turismojá existente, criando mecanismos para divulgação de conhecimento sobre ageologia/geomorfologia da área e, além disso, envolveria a comunidade local ematividades sustentáveis que gerariam renda e desenvolvimento local sustentável.De acordo com Ruckys (2007), o geoturismo pode ser entendido como:“Um segmento da atividade turística que tem o patrimônio geológico comoseu principal atrativo e busca sua proteção por meio da conservação de seusrecursos e da sensibilização do turista, utilizando, para isto, a interpretaçãodeste patrimônio tornando-o acessível ao público leigo, além de promover asua divulgação e o desenvolvimento das ciências da Terra.”Figura 4 - Esquema mostrando os pilares da geoconservação.Fonte: http://cipgeo.iesa.ufg.br/uploads/195/original_logo.jpg?1347980977
  7. 7. O potencial geoturístico do Poço Escuro, onde estão situadas as “marmitas degigante” é muito expressivo, uma vez que a comunidade em questão já apresentarelevância turística para o município de Pilões. Na área já é comum a prática de turismode lazer, especialmente nas piscinas naturais formadas pelo represamento das águas dorio Araçagi-Mirim em escavações provocadas pela erosão no leito rochoso, atraindo umfluxo considerável de visitantes, especialmente nos feriados e finais de semana.A área é conhecida localmente como um balneário ecológico que, além de outroselementos da geodiversidade, abriga ainda um das mais importantes elementos queconstituem o patrimônio geológico de Pilões/PB, as “marmitas de gigante” escavadas aolongo do curso do rio e que configuram uma singularidade belíssima a paisagem, alémde servir como atrativo a visitantes que se impressionam com o formato circular dessasfeições, polidas pelas forças das águas (Figura 5).Figura 5 – (A, B, C e D) “Marmitas de gigante”, geoformas esculpidas pela ação erosiva daságuas no leito do rio Araçagi- Mirim, Pilões/PB. Foto: Jailson Cardoso (2012).À montante da área onde estão as marmitas, encontra-se uma cachoeira, em cujabase também se encontra piscinas naturais. Nas paredes rochosas da mesma háescrituras rupestres ainda não estudadas, elemento arqueológico este que ressalta aindamais a necessidade de geoconservação deste potencial geossítio. Nas proximidadesexiste ainda a “Pedra do espinho”, formação rochosa com mais de 400m de altitude,muito utilizada para o turismo de aventura e prática de esportes radicais (como orappel), além de servir, por exemplo, como área para treinamento de soldados do corpoA BC D
  8. 8. de bombeiros. Próximo ao sopé desse grande afloramento rochoso encontra-se umagruta conhecida por “Loca do Major”, ainda a ser estudada e explorada.Atualmente o município de Pilões, recebe muitos turistas para suas cachoeiras episcinas naturais, porém ocorre um turismo desequilibrado e sem planejamentoambiental adequado. Contudo, no município há um potencial enorme para a exploraçãodo turismo natural, especialmente em seu meio abiótico (geoturismo), porem, semesquecer que este está intimamente ligada aos elementos do meio biótico(biodiversidade), servindo como base para sua existência.O grande problema encontrado é a poluição dos rios que cortam o município dePilões, pois detritos e esgotos são lançados diretamente e sem tratamento algum noscursos d’água, contaminando suas águas. As condições de saneamento básico nomunicípio são precárias, o que de fato contribui pra a diminuição do interesse pelosbanhos de rio, subutilizando essas riquezas geológicas e geomorfológicas, que tantocarecem de estratégias de geoconservação adequadas a sua realidade e que incentivemna conservação do patrimônio geológico pilonense dada sua importância, uma vez que,além de relevância educacional e cientifica, o mesmo faz parte da identidade local, semcontar que este patrimônio está sujeito a degradações através da ação antrópica, queinterfere negativamente em muitos casos, com atitudes pouco conscientes como adeposição de lixo nos afloramentos e e derrubada da mata ciliar, intensificando osprocessos erosivos nos rios (erosão lateral) e assoreamento dos mesmos.4. CONCLUSÕESDe acordo com as informações coletadas e levando em consideração o quadronatural do município de Pilões/PB, que apresenta um notável patrimônio geológico,composta por elementos da geodiversidade como cachoeiras, furnas, piscinas naturais,esculturas rupestres, afloramentos rochosos e as conhecidas “marmitas de gigante” quederam nome ao município, a implantação do geoturismo seria uma alternativa muitoválida, pois valorizaria o contexto histórico-cultural, além de repassar conhecimentosgeológicos e geomorfológicos em linguagem acessível para os visitantes (turistas).Através das analises in lócus realizadas para este trabalho, sugere-se que sejadesenvolvida, em caráter de urgência, uma estratégia de geoconservação voltada para opotencial geossítio das “marmitas de gigante” presentes no povoado de Poço Escuro,objeto de estudo deste trabalho. Essa estratégia deve conter medidas que se adaptem aspeculiaridades da região, de modo a garantir que estas áreas estarão protegidas contravandalismos e demais depredações, para só então, começar a ser instalado o turismo debase geológica (geoturismo) e os meios interpretativos para divulgar a geodiversidadelocal entre os visitantes, de modo a promover sua valorização.Os moradores da localidade também se beneficiariam, pois poderiam aumentarsua fonte renda de maneira sustentável, utilizando os recursos da geodiversidade local(“marmitas”) através de trilhas guiadas ao longo dos rios, além de oferecer serviçoscorrelacionados (prática de esportes radicais, hospedagem, alimentação). Desta forma,os mesmo poderiam desfrutar das paisagens de forma mais satisfatória, agregando lazere aprendizado, além de contribuir para a geoconservação dessas áreas.
  9. 9. REFERÊNCIASAB’SABER, A. N., MARIGO, L. C. Ecossistemas do Brasil. São Paulo: Metalivre,2009.ARAÚJO, E. L. da S. Geoturismo: conceptualização, implementação e exemplo deaplicação ao Vale do Rio Douro no Setor Porto-Pinhão. 2005. Dissertação (Mestradoem Ciências do Ambiente). Escola de Ciências, Universidade do Minho, Minho, 2005.219 f.BRILHA. J. Patrimônio Geológico e Geoconservação: A conservação da naturezana sua vertente geológica. Braga-Portugal, 2005. Disponível em:http://www.dct.uminho.pt/docentes/pdfs/jb_livro.pdf, acesso em: 08/01/13.BRILHA, J., Dias, G., Pereira, D. I.. A geoconservação e o ensino/aprendizagem daGeologia. In: SIMPÓSIO IBÉRICO DO ENSINO DA GEOLOGIA. 2006. Aveiro-Portugal. Anais. Universidade de Aveiro, 2006. p. 445-448. Disponível em:http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/5368/1/brilha_dias_pereira_sieg.pdf, acesso em: 10/02/2013.CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. 2ª Ed. São Paulo: Edgard Blucher, 1980.CPRM - Serviço Geológico do Brasil. Projeto Cadastro de Fontes de Abastecimento porÁgua Subterrânea. Diagnóstico do município de Pilões, Estado da Paraíba.Organização: MASCARENHAS, J. C., BELTRÃO, B. A., SOUZA JUNIOR, L. C.,MORAIS, F., MENDES, V. A., MIRANDA J. L. F.. Recife: CPRM/PRODEEM, 2005.11 p. + anexos.HENRIQUE, F. M.; FERNANDES, H.. Análise dos processos erosivos no município dePilões/PB. Revista Sociedade e Território. Natal/RN, v. 23, nº 2, p. 74-89.Julho/dezembro, 2011. Disponível em:http://www.cchla.ufrn.br/revset/index.php/revset/article/view/27/12< Acessado em:05/12/12.GUERRA, A. T,; GUERRA, A. J. T.. Novo dicionário geológico-geomorfológico.7ª.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2009. 648 p.IBGE. Dados do município de Pilões/PB. IBGE-Cidades. Censo 2010. Disponível em:http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?, acesso em 08/02/13PRESS, F., SIEVER, R., GROTZINGER, J., JORDAN, T. H. Para entender a Terra.4. ed. Bookman. Porto Alegre, 2006.RUCHKYS, U. A. Patrimônio Geológico e Geoconservação no QuadriláteroFerrífero, Minas Gerais: potencial para a criação de um geoparque da UNESCO.2007. Tese de Doutorado. Instituto de Geociências, Universidade Federal de MinasGerais, Belo Horizonte, 211p.STANLEY, M. Geodiversity. In: Earth Heritage. 14: 15-18. 2000.

×