Conservação do solo aula 1

3.828 visualizações

Publicada em

Aula de Recursos Naturais Renovaveis

Publicada em: Alimentos
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.828
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
260
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conservação do solo aula 1

  1. 1. CONSERVAÇÃO DO SOLO Sandra Regina da Silva Galvão
  2. 2. Perda de Resiliência!! “ Processos resultantes dos danos ao meio ambiente, pelos quais se perdem ou se reduzem algumas de suas propriedades, tais como a qualidade ou a capacidade produtiva dos recursos ambientais ” (Decreto 97.632/1989). Área Abandonada: área afetada pela atividade industrial ou outra qualquer que leve a sua incapacidade de uso sem um tratamento especial. Degradação: Combinação de processos que leva a terra em consideração a não mais ser apta a diversidade de usos desde um sistema natural até áreas de construção.
  3. 3. Área Contaminada: Contém substâncias que quando presentes em quantidades suficientes ou concentração, são passíveis de causar direta/indiretamente dano à saúde humana, ambiente ou materiais de construção. (I) Após distúrbio, teve eliminado os seus meios de regeneração natural, apresentando baixa resiliência (Kageyama et al. 1992). Metais Pesados ? Área Degradada:
  4. 4. (II) As condições edáficas e, ou riqueza biótica foram reduzidas pela atividade humana para um nível em que houve declínio de suas habilidades em atender um uso específico; (Brown & Lugo, 1994). (III) Caracterizadas por solos empobrecidos, instabilidade hidrológica, produtividade primária e diversidade biológicas reduzidas (Parrota, 1992).
  5. 5. Caracterização de Áreas Degradadas  Crescimento da população  Aumento na perspectiva de vida  Maior demanda de alimentos Recursos naturais (15% solo mundial degradado) NE Agricultura itinerante Alta densidade populacional (43% zona rural) Ruralismo tradicional
  6. 6. Níveis de degradação Al BA CE PB PE PI RN SE Severo 90.400 2.031.300 4.253.000 2.106.100 1.106.800 588.700 896.200 271.200 Acentuado - 667.300 885.600 692.500 721.100 54.000 141.100 - Moderado - 163.200 509.900 298.900 154.400 792.300 265.800 - Baixo - - 2.060.000 429.300 - 61.100 602.100 - Total 90.400 2.861.800 7.708.500 3.526.400 2.505.300 1.496.100 1.905.200 271.200 Fonte: EMBRAPA, 1998. Áreas degradadas por níveis de degradação (ha)
  7. 7. Fatores de degradação: • Desmatamento 29,4 % • Superpastejo 34,5 % • Atividades agrícolas 28,1 % • Exploração intensa da vegetação 6,8% • Atividades industriais 1,2% Perda de energia Ambiente degradado, Ambiente desequilibrado, ENTROPIA !!!
  8. 8. Área degradada Interferência humana Natural (formação do solo) Áreas agrícolas Áreas urbanas Poluição Compactação Erosão Áreas industriais Poluição do solo Contaminação do solo Chuva ácida Física Intemperismo físico Química Laterização Biológica Declínio da biodiversidade do solo Física Compactação; selamento superficial; impermeabilização; impedimento à aeração; escoamento superficial; erosão Química Acidificação; esgotamento ou desequilíbrio dos nutrientes; exaustão da fertilidade; alcalinização; salinização Biológica Redução da biodiversidade do solo Decréscimo na biomassa
  9. 9. Classificação: O solo como base para classificação de AD Solo Ecossistema
  10. 10. a) Degradação física: • arranjamento de partículas do solo • erosão e compactação • elevação do lençol freático b) Degradação biológica: • atividade microbiota x estoque de MO c) Degradação química: • Perda de nutrientes do solo ou MO (erosão/esgotamento) •Salinização e Acidificação
  11. 11. DESMATAMENTO Erosão localizada na bacia do Apa/ fevereiro de 2007
  12. 12. • Grave problema mundial, com conseqüências ambientais, sociais e econômicas significativas. • O solo é vivo devido à grande quantidade de microorganismos e pequenos invertebrados que vivem nele. Formado pela decomposição de rochas e matéria orgânica, leva milhares de anos para se formar. Início da formação de erosão em uma das nascentes do rio Apa • A conservação do solo tem grande importância, pois dele retiramos água, alimento e onde são desenvolvidas todas as atividades humanas. E apesar disso sua degradação tem sido rápida e tem aumentado nas últimas décadas;
  13. 13. O desmatamento é o principal fator relacionado à degradação da maioria dos solos. Solo e cobertura vegetal devem, pois, ser considerados no planejamento da ocupação humana visando à conservação ambiental. Início de erosão devido ao pisoteio pelo gado na Cabeceira do Apa
  14. 14. Desmatamento e Degradação do solo Não apenas matas, mas gramíneas (capins), arbustos e outros tipos de cobertura vegetal contribuem para a conservação dos solos. No caso dos solos hidromórficos, por exemplo (encontrados em brejos e nascentes), ciperáceas costumam predominar na vegetação, como o piri-piri. Cada tipo de solo possui cobertura vegetal típica, adequada à sua conservação. Uma pequena “quaresmeira” (melastomatácea) em meio a ciperáceas, na nascente Estrelita (rio Apa)
  15. 15. Desmatamento e Degradação do solo A supressão da vegetação nativa é o principal fator relacionado à degradação da maioria dos solos. Solo e cobertura vegetal (não apenas as matas) devem, pois, ser considerados conjuntamente no planejamento da ocupação humana visando à conservação ambiental.
  16. 16. Desmatamento e Degradação do solo - Poluição; São provocados ou agravados por atividades humanas, como: - Práticas agrícolas e florestais inadequadas; - Ocupação inadequada do solo (transgressão à legislação ambiental e desrespeito às aptidões agrícolas); - Atividades industriais, turismo, expansão urbana e industrial desordenados.
  17. 17. Desmatamento e Degradação do solo O desmatamento no Brasil começou com a chegada dos portugueses, que iniciaram a exploração da Mata Atlântica, interessados no lucro com a venda do pau-brasil na Europa.
  18. 18. Desmatamento e Degradação do solo Hoje, o avanço de áreas desmatadas/ degradadas na Floresta Amazônica e no Cerrado são preocupantes, e a Mata Atlântica praticamente desapareceu, como nota-se na figura acima.
  19. 19. Desmatamento e Degradação do solo O desmatamento ocorre: para o plantio, criação de gado, indústria, expansão urbana etc;
  20. 20. Desmatamento e Degradação do solo • Para a comercialização da madeira;
  21. 21. Desmatamento e Degradação do solo • Para a construção de moradias, rodovias; • Devido a queimadas e incêndios florestais.
  22. 22. Desmatamento e Degradação do solo • Contribui para o rebaixamento do lençol freático, esgotamento das fontes naturais de água, prejudicando o abastecimento, e • Aumenta a erosão (o solo fica sem a proteção da vegetação);
  23. 23. Desmatamento e Degradação do solo • Interfere na fauna (perda de habitats, desequilíbrio da teia alimentar); • Destrói espécies da flora; • Interfere na dinâmica dos ecossistemas, eliminando processos às vezes desconhecidos; • Prejudica serviços ambientais fundamentais (p.ex., elimina polinizadores e dispersores de sementes).
  24. 24. Desmatamento e Degradação do solo O desmatamento contribui para a poluição da água, do ar, formação de chuvas ácidas e o efeito estufa;
  25. 25. Desmatamento e Degradação do solo Medidas para proteger o solo: terraceamento, conservação de restos de cultura na superfície do solo, plantio em consórcio, evitar o uso de agrotóxicos, construção de cercas nas nascentes, controle do fogo, etc.
  26. 26. Desmatamento e Degradação do solo O uso do solo e a recuperação de áreas degradadas devem ser feitos considerando-se a bacia hidrográfica, ou seja, ela deve ser a unidade de planejamento. Bacia Hidrográfica do Rio Paraguai: todos os rios da bacia drenam para o rio Paraguai (principal). Fonte: WWF - Brasil
  27. 27. As medidas de prevenção de degradação do solo e da água devem ser adotadas por todos, para garantir maior eficiência, e proporcionar um ambiente mais saudável e produtivo para a atual e as futuras gerações. Foz do rio Perdido – Parque Mun. Cachoeira do Apa
  28. 28. 7 – CONSIDERAÇÕES FINAIS

×