Franquia sem fronteiras

362 visualizações

Publicada em

Texto publicado na revista Varejo & Oportunidades em junho de 2009

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
362
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Franquia sem fronteiras

  1. 1. ESPECIAL FRANQUIAS SEM FRONTEIRAS Marcas brasileiras apostaM no franchising para se lançareM no Mercado internacional POR JACKSON GUEDES O desbravar de novos mercados está cada vez mais incorporado nos planos de negócios dos franqueadores brasilei- ros. E nem mesmo a recente crise financeira internacional foi capaz de deter o apetite ao risco externo. De acordo com dados da ABF (Associação Brasileira de Franchi- sing), o mercado externo abraçou no ano passado oito novas marcas brasileiras – Magrass (estética), Orthodent (clínica odontológica), Truss Cosmetics, CDI (educação), Costura do Futuro (serviços), Igui (piscinas), Vivenda do Camarão e Fábrica di Chocolate (alimentação). Agora são 59 as redes que operam em 16 diferentes segmentos, com destaque para vestuário e alimentação com 11 e 10 representantes respectivamente. Juntas, elas levam produ- tos brasileiros a mais de 43 países. Os destinos mais procurados pelos empresários dese- josos de cruzar a fronteira nacional são primeiramente os de língua latina, como Portugal, Espanha e países do Mercosul, “com exceção da Argentina, que passou por um período de complicações econômicas e deixou de ser a primeira opção natural”, justifica Marco Militelli, pre- sidente da Militelli Business Consulting, que tem ampla experiência com franquias.30 Varejo & Oportunidades § JUN/JUL 09
  2. 2. RECEITA DE rior. A medida é defendida pelo con-suCEssO sultor Marco Militelli: em situações como a atual, o cenário pode variar Para engrossar o caldo das redes e é preciso um estudo detalhado daque apresentam a culinária brasileira região onde se vai investir. “Algumasa paladares estrangeiros, a Vivenda do franquias bem sólidas quebraram aCamarão se lançou para o mercado cara recentemente, mas outras tive-externo em dezembro de 2008, com ram sorte. Para quem planeja abriruma unidade no Paraguai. A marca, uma franquia fora, é preciso estudarque aderiu ao sistema de franquias em mais a fundo essa estratégia e, se for1997 foi condecorada neste ano como o caso adiar um pouco esse plano,a melhor rede de fast food pelo Prê- mas não é o caso de desistir”.mio Alshop. “Cada vez mais vemos as Foi com esse espírito que a Heringredes de alimentação brasileira obten- participou da Franchise Expo Paris,do sucesso no exterior, como Europa, maior evento do setor no mundo,África, e América Central. É a prova onde pôde apresentar o projeto He-de que eles reconhecem a qualidade, ring store para o mercado europeu ediversidade e sabor da culinária na- africano e ainda conhecer melhor ocional”, opina Rodrigo Perri, diretor perfil dos empresários e franqueado-da Vivenda do Camarão. res dessas regiões. A rede pretende expandir-se para “A moda brasileira ocupa um gran-toda a América Latina em curto es- de espaço no mercado internacional epaço de tempo e, posteriormente, acreditamos nesse potencial. Nós te-inaugurar unidades na Europa e nos mos bons preços, qualidade e inves-Estados unidos. A bonança reflete- timentos em tendências de moda”,se também dentro de casa já que a completa Jacobs.meta do ano é acrescentar 20 novos Do mesmo evento participou Orestaurantes às 95 unidades espalha- Boticário, a maior franquia de cosmé-das pelo país. ticos do mundo, com mais de 2,6 mil Gigante do setor de vestuário, a lojas só no Brasil. Em relação a inves-Hering iniciou sua expansão para o timentos internacionais, a rede é ve-exterior em 1995 e hoje conta com 19 terana: após inaugurar em 1985 umalojas (sem contar três da linha infantil unidade em Portugal, já soma mais dePuC) divididas entre América Latina mil pontos de vendas e 73 lojas exclu-e Oriente Médio, além de 230 unida- “cada vez mais vemos sivas em mais de 15 países.des no Brasil. Para atender a públicos A participação no salão interna- as redes de alimentaçãotão diversos foi necessário adaptar o cional de franchising foi um pontomix de produtos: “na América Central brasileira obtendo importante para a ampliação da redeas pessoas preferem as roupas muito internacional e um desafio para a con-coloridas, já na Arábia saudita, vende- sucesso no exterior, solidação da marca na Europa.mos peças mais sóbrias e com compri- como europa, África, “O Boticário ampliou sua visibi-mentos maiores”, comenta o gerente lidade no mercado internacional, es-de exportação Ronaldo Jacobs. e américa central. pecialmente por integrar um evento É a prova de que eles realizado no país que é mundialmentesEM MEDO reconhecem a reconhecido como berço da perfumaria e ícone internacional do setor de cos-DA CRIsE qualidade, diversidade méticos”, conta Roberto Garcia Neves, diretor de mercado internacional. Atento às novas oportunidades, e sabor da culinária As metas de expansão não foramJacobs manteve os planos de expan- postas de lado mesmo com a crise fi-são para este ano – que inclui a aber- nacional” nanceira pós-setembro do ano passa-tura de 47 novas lojas no Brasil – e já Rodrigo Perri, diretor da do. Em 2008 o faturamento do Bo-estuda novas possibilidades no exte- Vivenda do Camarão. ticário cresceu 25% - nove pontos JUN/JUL 09 § Varejo & Oportunidades 31
  3. 3. percentuais acima do que a empresa culturais, além da semelhança dos havia previsto. Com o resultado, a idiomas neo-latinos, propiciaram a empresa chegou a R$ 1,044 bilhão, simbiose entre as unidades. faturamento histórico para a marca. As diferenças existiam, mas foram O crescimento no exterior seguiu a contornadas: Aristides ressalta que mesma linha do mercado nacional para cada unidade aberta houve a e o faturamento da operação inter- preocupação de conciliar caracterís- nacional representa cerca de 3% do ticas regionais com as propriedades total da empresa. da marca, como forma de driblar as “Estamos atentos, sempre moni- adversidades: “Em primeiro lugar, os toramos de perto as movimentações investimentos no exterior são mais a do mercado, procuramos prever ce- longo prazo, em segundo, a atividade nários variados para ajustar nosso de aluguel é pouco desenvolvida; há programa de investimento. O merca- ainda diferença de legislação e im- do da beleza no Brasil também está postos e um processo mais complexo em um excelente momento, o que “a moda brasileira ocupa para capacitação de recursos huma- nos faz seguir confiantes em 2009”, nos”, exemplifica. um grande espaço no explica Neves. A marca tem investi- O maior desafio, todavia, é a in- mento programado de R$ 170 mi- mercado internacional trodução e consolidação de uma lhões para até 2012. marca desconhecida, mesmo que e acreditamos consolidada em seu país de origem, DEsAFIOs nesse potencial” entre outras mais famosas nos países alvos. “Nosso principal desafio é a Ronaldo Jacobs, gerente de Com um total de 355 agências no consistência: temos que ter consis- exportação da Hering Brasil (152 delas franqueadas) e mais tência visual e também a consistên- 65 unidades distribuídas em outros cia operacional” países do cone sul (todas franquea- Agora, a Localiza amadurece das), a Localiza é a maior operadora planos para uma forte expansão de aluguel de veículos da América horizontal (busca países econômica Latina. A internacionalização ini- e turisticamente viáveis) e vertical ciada no fim da década de 1980, no (crescimento orgânico de agências incipiente Mercosul, engloba hoje já existentes). A crise, como garante sete países, para os quais há planos Aristides, não deve afetar em nada: de expansão bem definidos. “surgimos durante a primeira crise “Em 89 observamos que atingía- de petróleo, passamos por guerras mos clientes estrangeiros e tínhamos de divisa e pela quebra argentina demanda para locação no exterior. de 2001; soubemos conviver com as Assim, vimos na formação do Merco- crises e procuramos sempre a opor- sul uma oportunidade de expansão”, tunidade de crescer. Tem que ter oti- conta o vice-presidente de franchi- mismo, isso é um grande diferencial sing, Aristides Newton. A investida para franqueados”. internacional iniciou-se pela Argen- tina para aproveitar o momento de “a investida internacional da localiza começou euforia que o país vivia no início da década de 1990. “Existia até fila de na argentina. existia até fila de espera espera para compra de carros”. A interação com o Mercosul e para compra de carros” as afinidades político-econômicas e Aristides Newston, vice-presidente de franchising da localiza32 Varejo & Oportunidades § JUN/JUL 09

×