DAN, DANI, DANIEL

Filho do Sol
Filho da Lua
Alma de poeta e cantador
Brilho que ofusca
À luz do dia
Raio que encanta
Com ...
JANAYNA

O horizonte
Descansando à tarde
Sobre a areia
De um mar formoso
A forte brisa
Perfumada exala
O aroma, feminino a...
DESCANSO

Vida de muitos momentos
Vida de muitos tormentos
Vida de muitas alegrias
Quizera podermos nós
Segurá-la firmemen...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Poemas Inéditos

385 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Poemas Inéditos

  1. 1. DAN, DANI, DANIEL Filho do Sol Filho da Lua Alma de poeta e cantador Brilho que ofusca À luz do dia Raio que encanta Com o seu resplendor O majestoso Sol Por ter um filho assim Surgi de manhã, muito cedo E até a tarde embala o berço Com a mão que aquece o dia Para descansar no horizonte Ao prateado que se anuncia A face do clarão da noite da Mãe Lua envaidecida No crescente estado trás O filho aos cuidados teus Iluminando o escuro céu Espalhando sobre seu véu O infinito olhar das estrelas... A Madrinha Natureza Á Ele concedeu O Don de ser feliz E nun voo gracioso Abre suas asas Dividindo a sua graça Porque "Deus é seu Juiz" HARLEY – COMETA MENINO Menino Dourado Que me faz viajar No vasto horizonte Da cor da mata Que é teu olhar Seus cabelos emolduram De ouro o seu rosto O sorriso perspicaz Somente com ele trás Um semblante amoroso O seu traço juvenil De belaza natural Esconde um guerreiro De alma imortal Passeia pelo universo Tem o infinito por estrada E para descansar São as estrelas sua morada Vem COMETA, menino E deixa-me deslizar Em seu rastro de harmonia É de tempos em tempos Que Tú trás a inspiração E derrama a emoção Para ser cantado em poesia.
  2. 2. JANAYNA O horizonte Descansando à tarde Sobre a areia De um mar formoso A forte brisa Perfumada exala O aroma, feminino airoso A silueta Divinal desliza Em meio a espumas alvas As ondas surgem Num bailado calmo Abrindo as águas Onde Ela passa Num brado riso O mar exalta A linda rainha Marinhos seres, maravilhados Aos seus pés prostrados Entoam alto... É Janayna! FLOR LORENA Foi no dia dezesseis Do festivo mês de Dezembro Uma nova Flor despontou No jardim do Amor-Perfeito De um botão de carmesim Abriu essa Flor de cor morena A natureza envaidecida Deu-lhe o nome de LORENA Era Ela, a mais linda do lugar Foi crescendo pura, meiga... Não havia imperfeição Nas pétalas do teu olhar Como fada encandescente O seu brilho irradiou E a luz clara da alegria Em diversos corações plantou Assim, a majestosa natureza Para essa Flor perpetuar Em seu ventre cultivou A semente que breve irá brotar.
  3. 3. DESCANSO Vida de muitos momentos Vida de muitos tormentos Vida de muitas alegrias Quizera podermos nós Segurá-la firmemente Envolvê-la com fortes braços E vivermos eternamente Mas, se isto acontecesse Não dariamos o valor Que a vida merece ter E não poderiamos descansar Amparados junto D'ele No aconchego do eterno lar Sem dor, sem sofrimentos E ao vermos nossos queridos Tristes, angustiados Colhendo de nós, saudades Somos trasformados em lembranças Sopradas pelo Divino fôlego De paz, de consolo E eterna presença. JAQUELINE MURTA – PORTO, JANEIRO DE 2010

×