SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
ENSINO MÉDIO – NAP III

ESTUDANTE: ______________________________________________________________________
ANO: 2º TURMA:
TURNO: __________ DATA: _____/_____/ 2014 TRIMESTRE: PRIMEIRO
COMPONENTE CURRICULAR: FÍSICA
PROFESSOR (A): WELLINGTON
.
QUESTÃO 1
Quando Fahrenheit definiu a escala termométrica que hoje leva o seu nome, o primeiro ponto fixo definido por ele, o
0ºF, corresponde à temperatura obtida ao se misturar uma porção de cloreto de amônia com três porções de neve,
à pressão de 1 atm. Qual é esta temperatura na escala Celsius?
a) 32ºC

b) 273ºC

c) 37,7ºC

d) 212ºC

e) –17,7ºC

QUESTÃO 2
A temperatura de determinada substância é 50°F. A temperatura absoluta dessa substância, em kelvins, é:
a)

343

b) 323

c) 310

d) 283

e) 273

QUESTÃO 3
Uma escala termométrica arbitrária X atribui o valor 20°X para a temperatura de fusão do gelo e 80°X para a
temperatura de ebulição da água, sob pressão normal. Quando a temperatura de um ambiente sofre uma variação
de 30°X, a correspondente variação na escala Celsius é de:
a) 20°C

b) 30°C

c) 40°C

d) 50°C

e) 60°C

QUESTÃO 4
Quando se deseja realizar experimentos a baixas temperaturas, é muito comum à utilização de nitrogênio líquido
como refrigerante, pois seu ponto normal de ebulição é de - 196 °C. Na escala Kelvin, esta temperatura vale:
a) 77 K

b) 100 K

c) 196 K

d) 273 K

e) 469 K

QUESTÃO 5
Quando uma enfermeira coloca um termômetro clínico de mercúrio sob a língua de um paciente, por exemplo, ela
sempre aguarda algum tempo antes de fazer a sua leitura. Esse intervalo de tempo é necessário:
a) para que o termômetro entre em equilíbrio térmico com o corpo do paciente.
b) para que o mercúrio, que é muito pesado, possa subir pelo tubo capilar.
c) para que o mercúrio passe pelo estrangulamento do tubo capilar.
d) devido à diferença entre os valores do calor específico do mercúrio e do corpo humano.
e) porque o coeficiente de dilatação do vidro é diferente do coeficiente de dilatação do mercúrio.
QUESTÃO 6
O Professor de Física é um ótimo cozinheiro, tanto que a sua especialidade é um tradicional prato da cozinha
brasileira: miojo! No processo de fervura dessa delícia gastronômica conseguimos observar vários exemplos de
propagação do calor. Identifique e explique como ocorrem esses processos.

QUESTÃO 7
Um termômetro mal graduado na escala Celsius indica para a água, à pressão normal, o valor de 1°C para a fusão e
o de 99°C para a ebulição. A única temperatura correta que esse termômetro poderá indicar é a de:
a) 45°C

b) 47°C

c) 50°C

d) 53°C

e) 55°C

QUESTÃO 8
A partir do texto abaixo, responda:
Exterminador de miomas
Aparelho de ultrassom que elimina tumores benignos de útero deve chegar ao Brasil até o fim do ano. O
método é relativamente simples: por meio de um aparelho de ultrassom, combinado com um equipamento de
ressonância magnética que orienta a aplicação, o médico aumenta a temperatura do tecido doente de 37°C para
aproximadamente 80°C. É esse calor intenso que destrói o tumor. O valor correspondente a essa variação de
temperatura na escala Fahrenheit é, em °F, igual a:
a) 32,9
b) 43
c) 58,5
d) 77,4
e) 89,7
QUESTÃO 9
É esse calor intenso que destrói o tumor. Nessa frase, calor é usado como sinônimo de temperatura. No entanto,
para a Física, calor é:
a)
b)
c)
d)
e)

energia
energia
energia
energia
energia

presente em corpos que apresentam elevadas temperaturas.
presente em corpos que apresentam baixas temperaturas.
transferida de um sistema para outro em virtude da diferença de temperatura entre eles.
transferida de um sistema que apresenta baixa temperatura para outro de alta temperatura.
térmica armazenada nos corpos que possuem temperatura superior a zero kelvin

QUESTÃO 10
No gráfico está representada a relação entre a escala termométrica Celsius (tc) e uma escala X (tx). Qual é a
relação de tc em função de tx?

QUESTÃO 11
O congelador é usualmente colocado na parte superior dos
refrigeradores, pois o ar se resfria nas proximidades
dele,______________ a densidade e desce. O ar quente
que está na parte de baixo, por ser ______________, sobe
e resfria-se nas proximidades do congelador. Nesse caso, o
processo de transferência de energia na forma de calor
recebe o nome de ______________.
Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas.
a) aumenta – mais denso – convecção.
b) diminui – mais denso – condução.
c) aumenta – menos denso – condução.
d) diminui – menos denso – irradiação.
e) aumenta – menos denso – convecção.
QUESTÃO 12
O diagrama a seguir mostra a variação ΔL sofrida por uma barra metálica de
comprimento inicial igual a 10 m, em função da temperatura Δθ. Qual o valor
do coeficiente de dilatação linear do material dessa barra?

QUESTÃO 13
Um pequeno tanque, completamente preenchido com 28 litros de gasolina a 0°F, é logo a seguir transferido para



uma garagem mantida à temperatura de 50°F. Sendo
= 0,0012 °C–1 o coeficiente de expansão volumétrica da
gasolina, calcule o volume de gasolina que vazará em consequência do seu aquecimento até a temperatura da
garagem. (Apresente os cálculos)
QUESTÃO 14
Uma chapa plana de uma liga metálica de coeficiente de dilatação linear 2.10–5°C-1 tem área A0 à temperatura de
20°C. Para que a área dessa placa aumente 1%, devemos elevar sua temperatura para quanto?
QUESTÃO 15
O gráfico abaixo apresenta a variação do comprimento L de uma barra metálica, em função da temperatura T.
Calcule o coeficiente de dilatação linear da barra, em °C–1.

QUESTÃO 16
A panela de pressão permite que os alimentos sejam cozidos em água muito mais rapidamente do que em panelas
convencionais. Sua tampa possui uma borracha de vedação que não deixa o vapor escapar, a não ser através de um
orifício central sobre o qual assenta um peso que controla a pressão. Quando em uso, desenvolve-se uma pressão
elevada no seu interior. Para a sua operação segura, é necessário observar a limpeza do orifício central e a
existência de uma válvula de segurança, normalmente situada na tampa. O esquema da panela de pressão e um
diagrama de fase da água são apresentados abaixo.

A vantagem do uso de panela de pressão é a rapidez para o cozimento de alimentos e isto se deve
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)

à
à
à
à
à

pressão no seu interior, que é igual à pressão externa.
temperatura de seu interior, que está acima da temperatura de ebulição da água no local.
quantidade de calor adicional que é transferida à panela.
quantidade de vapor que está sendo liberada pela válvula.
espessura da sua parede, que é maior que a das panelas comuns.

QUESTÃO 17
Na construção civil para evitar rachaduras nas armações longas de concreto, como por exemplo, pontes, usa-se a
construção em blocos separados por pequenas distâncias preenchidas com material de grande dilatação térmica em
relação ao concreto, como o piche betuminoso. Uma barra de concreto, de coeficiente linear 1,9 × 10-5 °C-1 e
comprimento 100 metros a 30 °C, sofrerá uma dilatação linear a 40 °C. Calcule a dilatação sofrida pela barra.
QUESTÃO 18
Num termômetro de mercúrio, a coluna líquida apresenta 0,5 cm quando em presença do gelo em fusão
(0°C) e 25,5 cm em presença de vapores de água em ebulição (100°C). Tendo em vista essa situação, estabeleça
uma função que permita fazer a comparação entre a grandeza termométrica (h) e a temperatura (θC):

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoEdson Marcos Silva
 
Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01comentada
 
Lista 1 2013 escalas termométricas
Lista 1 2013   escalas termométricasLista 1 2013   escalas termométricas
Lista 1 2013 escalas termométricasPéricles Penuel
 
Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°Wellington Sampaio
 
Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )Pedro Ivo Andrade Sousa
 
Recuperação 2º ano
Recuperação 2º anoRecuperação 2º ano
Recuperação 2º anopensefisica
 
Fisica termometria
Fisica termometriaFisica termometria
Fisica termometriacomentada
 
Fisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologiaFisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologiacomentada
 
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2   Temperatura E Escalas TermométricasExercícios Livro 2   Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricasguest640ecc
 
Lista de Exercícios - Professor Cazuza
Lista de Exercícios - Professor CazuzaLista de Exercícios - Professor Cazuza
Lista de Exercícios - Professor Cazuza2bupvv
 
exercicios resolvidos-termometria.pdf
exercicios resolvidos-termometria.pdfexercicios resolvidos-termometria.pdf
exercicios resolvidos-termometria.pdfCleiton Rosa
 
Atividades de física 2 ano prof waldir montenegro 2014
Atividades de física 2  ano prof waldir  montenegro 2014Atividades de física 2  ano prof waldir  montenegro 2014
Atividades de física 2 ano prof waldir montenegro 2014Waldir Montenegro
 
Apostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-anoApostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-anoIrmão Jáder
 

Mais procurados (19)

Trabalho 2º ano
Trabalho 2º anoTrabalho 2º ano
Trabalho 2º ano
 
Exescalas
ExescalasExescalas
Exescalas
 
Escalas exercicios
Escalas   exerciciosEscalas   exercicios
Escalas exercicios
 
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º AnoGabarito das questões de Termologia - 2º Ano
Gabarito das questões de Termologia - 2º Ano
 
Termologia
Termologia Termologia
Termologia
 
Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01Fisica 2 exercicios gabarito 01
Fisica 2 exercicios gabarito 01
 
Lista 1 2013 escalas termométricas
Lista 1 2013   escalas termométricasLista 1 2013   escalas termométricas
Lista 1 2013 escalas termométricas
 
Revisão geral-de-termologia
Revisão geral-de-termologiaRevisão geral-de-termologia
Revisão geral-de-termologia
 
Revparalela2ano
Revparalela2anoRevparalela2ano
Revparalela2ano
 
Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°Lista de exercícios complementar 8°
Lista de exercícios complementar 8°
 
Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )Física 2º ano   prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
Física 2º ano prof. pedro ivo - (relação entre as escalas termométricas )
 
Recuperação 2º ano
Recuperação 2º anoRecuperação 2º ano
Recuperação 2º ano
 
Fisica termometria
Fisica termometriaFisica termometria
Fisica termometria
 
Fisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologiaFisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologia
 
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2   Temperatura E Escalas TermométricasExercícios Livro 2   Temperatura E Escalas Termométricas
Exercícios Livro 2 Temperatura E Escalas Termométricas
 
Lista de Exercícios - Professor Cazuza
Lista de Exercícios - Professor CazuzaLista de Exercícios - Professor Cazuza
Lista de Exercícios - Professor Cazuza
 
exercicios resolvidos-termometria.pdf
exercicios resolvidos-termometria.pdfexercicios resolvidos-termometria.pdf
exercicios resolvidos-termometria.pdf
 
Atividades de física 2 ano prof waldir montenegro 2014
Atividades de física 2  ano prof waldir  montenegro 2014Atividades de física 2  ano prof waldir  montenegro 2014
Atividades de física 2 ano prof waldir montenegro 2014
 
Apostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-anoApostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-ano
 

Destaque

Calorimetria e termodinâmica
Calorimetria e termodinâmicaCalorimetria e termodinâmica
Calorimetria e termodinâmicaRicardo Bonaldo
 
Termologiatransmissaodecalordilatacao
TermologiatransmissaodecalordilatacaoTermologiatransmissaodecalordilatacao
Termologiatransmissaodecalordilatacaobrendarezende
 
planetas em escala
planetas em escalaplanetas em escala
planetas em escaladehhh
 
2° Etapa_1° Avaliação_Substitutiva_Tipo I_2° Ano
2° Etapa_1° Avaliação_Substitutiva_Tipo I_2° Ano2° Etapa_1° Avaliação_Substitutiva_Tipo I_2° Ano
2° Etapa_1° Avaliação_Substitutiva_Tipo I_2° AnoO mundo da FÍSICA
 
Nos ombros dos gigantes mágicos
Nos ombros dos gigantes mágicosNos ombros dos gigantes mágicos
Nos ombros dos gigantes mágicosWellington Sampaio
 
Questões Corrigidas, em Word: Transmissão de Calor - Conteúdo vinculado ao ...
Questões Corrigidas, em Word:  Transmissão de Calor  - Conteúdo vinculado ao ...Questões Corrigidas, em Word:  Transmissão de Calor  - Conteúdo vinculado ao ...
Questões Corrigidas, em Word: Transmissão de Calor - Conteúdo vinculado ao ...Rodrigo Penna
 
Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar Eduarda Medeiros
 
Os 8 planetas do sistema solar powerpoint
Os 8 planetas do sistema solar  powerpointOs 8 planetas do sistema solar  powerpoint
Os 8 planetas do sistema solar powerpointpinguimdesalir
 

Destaque (11)

Calorimetria e termodinâmica
Calorimetria e termodinâmicaCalorimetria e termodinâmica
Calorimetria e termodinâmica
 
Termologiatransmissaodecalordilatacao
TermologiatransmissaodecalordilatacaoTermologiatransmissaodecalordilatacao
Termologiatransmissaodecalordilatacao
 
Trabalho 1º bimestre
Trabalho 1º bimestreTrabalho 1º bimestre
Trabalho 1º bimestre
 
Almanaque socioambiental 2008
Almanaque socioambiental 2008Almanaque socioambiental 2008
Almanaque socioambiental 2008
 
planetas em escala
planetas em escalaplanetas em escala
planetas em escala
 
2° Etapa_1° Avaliação_Substitutiva_Tipo I_2° Ano
2° Etapa_1° Avaliação_Substitutiva_Tipo I_2° Ano2° Etapa_1° Avaliação_Substitutiva_Tipo I_2° Ano
2° Etapa_1° Avaliação_Substitutiva_Tipo I_2° Ano
 
Nos ombros dos gigantes mágicos
Nos ombros dos gigantes mágicosNos ombros dos gigantes mágicos
Nos ombros dos gigantes mágicos
 
Questões Corrigidas, em Word: Transmissão de Calor - Conteúdo vinculado ao ...
Questões Corrigidas, em Word:  Transmissão de Calor  - Conteúdo vinculado ao ...Questões Corrigidas, em Word:  Transmissão de Calor  - Conteúdo vinculado ao ...
Questões Corrigidas, em Word: Transmissão de Calor - Conteúdo vinculado ao ...
 
Os planetas
Os planetasOs planetas
Os planetas
 
Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar
 
Os 8 planetas do sistema solar powerpoint
Os 8 planetas do sistema solar  powerpointOs 8 planetas do sistema solar  powerpoint
Os 8 planetas do sistema solar powerpoint
 

Semelhante a Lista 1 termometria - dilatação

Basica termo e dilatação
Basica termo e dilataçãoBasica termo e dilatação
Basica termo e dilataçãorodrigoateneu
 
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)Rodrigo Silva
 
Questões para o provão do 4º bimestre(2ª série)
Questões para o provão do 4º bimestre(2ª série)Questões para o provão do 4º bimestre(2ª série)
Questões para o provão do 4º bimestre(2ª série)Itamar Silva
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informáticaProf X
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informáticaProf X
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informáticaProf X
 
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° AnoO mundo da FÍSICA
 
Lista 12 termometria e dilata+º+úo
Lista 12 termometria e dilata+º+úoLista 12 termometria e dilata+º+úo
Lista 12 termometria e dilata+º+úorodrigoateneu
 
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...Rodrigo Penna
 
Mod 5 transferencia-de-calor-vs 2013-2014
Mod 5 transferencia-de-calor-vs 2013-2014Mod 5 transferencia-de-calor-vs 2013-2014
Mod 5 transferencia-de-calor-vs 2013-2014Fersay
 
Temperatura, Equilíbrio térmico e escalas termométricas.pptx
Temperatura, Equilíbrio térmico e escalas termométricas.pptxTemperatura, Equilíbrio térmico e escalas termométricas.pptx
Temperatura, Equilíbrio térmico e escalas termométricas.pptxAna Cristina de Sousa
 
Be _fisica_-9528-530c75952304f
Be  _fisica_-9528-530c75952304fBe  _fisica_-9528-530c75952304f
Be _fisica_-9528-530c75952304fDea Matos
 
Dilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosDilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosO mundo da FÍSICA
 
Apostila eja fisica 2
Apostila eja fisica 2Apostila eja fisica 2
Apostila eja fisica 2Leo Anjos
 

Semelhante a Lista 1 termometria - dilatação (20)

Basica termo e dilatação
Basica termo e dilataçãoBasica termo e dilatação
Basica termo e dilatação
 
Escalas termometricas.
Escalas termometricas.Escalas termometricas.
Escalas termometricas.
 
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
Dalva 05 22 lei 12966 14 (1)
 
Questões para o provão do 4º bimestre(2ª série)
Questões para o provão do 4º bimestre(2ª série)Questões para o provão do 4º bimestre(2ª série)
Questões para o provão do 4º bimestre(2ª série)
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informática
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informática
 
Atividade 02 laboratório de informática
Atividade 02   laboratório de informáticaAtividade 02   laboratório de informática
Atividade 02 laboratório de informática
 
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
1° Etapa_3° Avaliação_Recuperação_2° Ano
 
Lista 12 termometria e dilata+º+úo
Lista 12 termometria e dilata+º+úoLista 12 termometria e dilata+º+úo
Lista 12 termometria e dilata+º+úo
 
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
 
Mod 5 transferencia-de-calor-vs 2013-2014
Mod 5 transferencia-de-calor-vs 2013-2014Mod 5 transferencia-de-calor-vs 2013-2014
Mod 5 transferencia-de-calor-vs 2013-2014
 
Temperatura, Equilíbrio térmico e escalas termométricas.pptx
Temperatura, Equilíbrio térmico e escalas termométricas.pptxTemperatura, Equilíbrio térmico e escalas termométricas.pptx
Temperatura, Equilíbrio térmico e escalas termométricas.pptx
 
Lista Termologia (T4)
Lista Termologia (T4)Lista Termologia (T4)
Lista Termologia (T4)
 
Be _fisica_-9528-530c75952304f
Be  _fisica_-9528-530c75952304fBe  _fisica_-9528-530c75952304f
Be _fisica_-9528-530c75952304f
 
Td 2 ano
Td 2 anoTd 2 ano
Td 2 ano
 
Dilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidosDilatação térmica dos sólidos
Dilatação térmica dos sólidos
 
Lista Termologia (T1)
Lista Termologia (T1)Lista Termologia (T1)
Lista Termologia (T1)
 
2 temp e_dilata
2 temp e_dilata2 temp e_dilata
2 temp e_dilata
 
QUIZ CALORIMETRIA.pptx
QUIZ CALORIMETRIA.pptxQUIZ CALORIMETRIA.pptx
QUIZ CALORIMETRIA.pptx
 
Apostila eja fisica 2
Apostila eja fisica 2Apostila eja fisica 2
Apostila eja fisica 2
 

Mais de Wellington Sampaio (20)

Cartilha Inércia e a Primeira Lei de Newton
Cartilha Inércia e a Primeira Lei de NewtonCartilha Inércia e a Primeira Lei de Newton
Cartilha Inércia e a Primeira Lei de Newton
 
Astrobiologia
AstrobiologiaAstrobiologia
Astrobiologia
 
Via Láctea
Via LácteaVia Láctea
Via Láctea
 
Fenômenos Ondulatórios
Fenômenos OndulatóriosFenômenos Ondulatórios
Fenômenos Ondulatórios
 
Espelhos
EspelhosEspelhos
Espelhos
 
Óptica da Visão e Lentes
Óptica da Visão e LentesÓptica da Visão e Lentes
Óptica da Visão e Lentes
 
Fenômenos Ópticos
Fenômenos ÓpticosFenômenos Ópticos
Fenômenos Ópticos
 
Exercícios 8° ano REC
Exercícios 8° ano RECExercícios 8° ano REC
Exercícios 8° ano REC
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
 
Lista de Exercícios
Lista de ExercíciosLista de Exercícios
Lista de Exercícios
 
Sociedade de consumo
Sociedade de consumoSociedade de consumo
Sociedade de consumo
 
Circuitos elétricos
Circuitos elétricosCircuitos elétricos
Circuitos elétricos
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Para Sara, Raquel, Lia e para todas as crianças
Para Sara, Raquel, Lia e para todas as criançasPara Sara, Raquel, Lia e para todas as crianças
Para Sara, Raquel, Lia e para todas as crianças
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
Campo e potencial elétrico
Campo e potencial elétricoCampo e potencial elétrico
Campo e potencial elétrico
 
Mecânica e termometria 8° ano
Mecânica e termometria 8° anoMecânica e termometria 8° ano
Mecânica e termometria 8° ano
 
Ninjas x newton
Ninjas x newtonNinjas x newton
Ninjas x newton
 
Leis de Josh?
Leis de Josh?Leis de Josh?
Leis de Josh?
 

Último

TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 

Lista 1 termometria - dilatação

  • 1. ENSINO MÉDIO – NAP III ESTUDANTE: ______________________________________________________________________ ANO: 2º TURMA: TURNO: __________ DATA: _____/_____/ 2014 TRIMESTRE: PRIMEIRO COMPONENTE CURRICULAR: FÍSICA PROFESSOR (A): WELLINGTON . QUESTÃO 1 Quando Fahrenheit definiu a escala termométrica que hoje leva o seu nome, o primeiro ponto fixo definido por ele, o 0ºF, corresponde à temperatura obtida ao se misturar uma porção de cloreto de amônia com três porções de neve, à pressão de 1 atm. Qual é esta temperatura na escala Celsius? a) 32ºC b) 273ºC c) 37,7ºC d) 212ºC e) –17,7ºC QUESTÃO 2 A temperatura de determinada substância é 50°F. A temperatura absoluta dessa substância, em kelvins, é: a) 343 b) 323 c) 310 d) 283 e) 273 QUESTÃO 3 Uma escala termométrica arbitrária X atribui o valor 20°X para a temperatura de fusão do gelo e 80°X para a temperatura de ebulição da água, sob pressão normal. Quando a temperatura de um ambiente sofre uma variação de 30°X, a correspondente variação na escala Celsius é de: a) 20°C b) 30°C c) 40°C d) 50°C e) 60°C QUESTÃO 4 Quando se deseja realizar experimentos a baixas temperaturas, é muito comum à utilização de nitrogênio líquido como refrigerante, pois seu ponto normal de ebulição é de - 196 °C. Na escala Kelvin, esta temperatura vale: a) 77 K b) 100 K c) 196 K d) 273 K e) 469 K QUESTÃO 5 Quando uma enfermeira coloca um termômetro clínico de mercúrio sob a língua de um paciente, por exemplo, ela sempre aguarda algum tempo antes de fazer a sua leitura. Esse intervalo de tempo é necessário: a) para que o termômetro entre em equilíbrio térmico com o corpo do paciente. b) para que o mercúrio, que é muito pesado, possa subir pelo tubo capilar. c) para que o mercúrio passe pelo estrangulamento do tubo capilar. d) devido à diferença entre os valores do calor específico do mercúrio e do corpo humano. e) porque o coeficiente de dilatação do vidro é diferente do coeficiente de dilatação do mercúrio. QUESTÃO 6 O Professor de Física é um ótimo cozinheiro, tanto que a sua especialidade é um tradicional prato da cozinha brasileira: miojo! No processo de fervura dessa delícia gastronômica conseguimos observar vários exemplos de propagação do calor. Identifique e explique como ocorrem esses processos. QUESTÃO 7 Um termômetro mal graduado na escala Celsius indica para a água, à pressão normal, o valor de 1°C para a fusão e o de 99°C para a ebulição. A única temperatura correta que esse termômetro poderá indicar é a de: a) 45°C b) 47°C c) 50°C d) 53°C e) 55°C QUESTÃO 8 A partir do texto abaixo, responda: Exterminador de miomas Aparelho de ultrassom que elimina tumores benignos de útero deve chegar ao Brasil até o fim do ano. O método é relativamente simples: por meio de um aparelho de ultrassom, combinado com um equipamento de ressonância magnética que orienta a aplicação, o médico aumenta a temperatura do tecido doente de 37°C para
  • 2. aproximadamente 80°C. É esse calor intenso que destrói o tumor. O valor correspondente a essa variação de temperatura na escala Fahrenheit é, em °F, igual a: a) 32,9 b) 43 c) 58,5 d) 77,4 e) 89,7 QUESTÃO 9 É esse calor intenso que destrói o tumor. Nessa frase, calor é usado como sinônimo de temperatura. No entanto, para a Física, calor é: a) b) c) d) e) energia energia energia energia energia presente em corpos que apresentam elevadas temperaturas. presente em corpos que apresentam baixas temperaturas. transferida de um sistema para outro em virtude da diferença de temperatura entre eles. transferida de um sistema que apresenta baixa temperatura para outro de alta temperatura. térmica armazenada nos corpos que possuem temperatura superior a zero kelvin QUESTÃO 10 No gráfico está representada a relação entre a escala termométrica Celsius (tc) e uma escala X (tx). Qual é a relação de tc em função de tx? QUESTÃO 11 O congelador é usualmente colocado na parte superior dos refrigeradores, pois o ar se resfria nas proximidades dele,______________ a densidade e desce. O ar quente que está na parte de baixo, por ser ______________, sobe e resfria-se nas proximidades do congelador. Nesse caso, o processo de transferência de energia na forma de calor recebe o nome de ______________. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. a) aumenta – mais denso – convecção. b) diminui – mais denso – condução. c) aumenta – menos denso – condução. d) diminui – menos denso – irradiação. e) aumenta – menos denso – convecção. QUESTÃO 12 O diagrama a seguir mostra a variação ΔL sofrida por uma barra metálica de comprimento inicial igual a 10 m, em função da temperatura Δθ. Qual o valor do coeficiente de dilatação linear do material dessa barra? QUESTÃO 13 Um pequeno tanque, completamente preenchido com 28 litros de gasolina a 0°F, é logo a seguir transferido para  uma garagem mantida à temperatura de 50°F. Sendo = 0,0012 °C–1 o coeficiente de expansão volumétrica da gasolina, calcule o volume de gasolina que vazará em consequência do seu aquecimento até a temperatura da garagem. (Apresente os cálculos) QUESTÃO 14 Uma chapa plana de uma liga metálica de coeficiente de dilatação linear 2.10–5°C-1 tem área A0 à temperatura de 20°C. Para que a área dessa placa aumente 1%, devemos elevar sua temperatura para quanto?
  • 3. QUESTÃO 15 O gráfico abaixo apresenta a variação do comprimento L de uma barra metálica, em função da temperatura T. Calcule o coeficiente de dilatação linear da barra, em °C–1. QUESTÃO 16 A panela de pressão permite que os alimentos sejam cozidos em água muito mais rapidamente do que em panelas convencionais. Sua tampa possui uma borracha de vedação que não deixa o vapor escapar, a não ser através de um orifício central sobre o qual assenta um peso que controla a pressão. Quando em uso, desenvolve-se uma pressão elevada no seu interior. Para a sua operação segura, é necessário observar a limpeza do orifício central e a existência de uma válvula de segurança, normalmente situada na tampa. O esquema da panela de pressão e um diagrama de fase da água são apresentados abaixo. A vantagem do uso de panela de pressão é a rapidez para o cozimento de alimentos e isto se deve (A) (B) (C) (D) (E) à à à à à pressão no seu interior, que é igual à pressão externa. temperatura de seu interior, que está acima da temperatura de ebulição da água no local. quantidade de calor adicional que é transferida à panela. quantidade de vapor que está sendo liberada pela válvula. espessura da sua parede, que é maior que a das panelas comuns. QUESTÃO 17 Na construção civil para evitar rachaduras nas armações longas de concreto, como por exemplo, pontes, usa-se a construção em blocos separados por pequenas distâncias preenchidas com material de grande dilatação térmica em relação ao concreto, como o piche betuminoso. Uma barra de concreto, de coeficiente linear 1,9 × 10-5 °C-1 e comprimento 100 metros a 30 °C, sofrerá uma dilatação linear a 40 °C. Calcule a dilatação sofrida pela barra. QUESTÃO 18 Num termômetro de mercúrio, a coluna líquida apresenta 0,5 cm quando em presença do gelo em fusão (0°C) e 25,5 cm em presença de vapores de água em ebulição (100°C). Tendo em vista essa situação, estabeleça uma função que permita fazer a comparação entre a grandeza termométrica (h) e a temperatura (θC):