SlideShare uma empresa Scribd logo

Texto jennifer

1 de 2
Baixar para ler offline
Origem das fábulas

Fábulas são histórias que relatam situações do cotidiano e os
personagens são animas que representam características humanas,
apresentando sempre no final uma “moral da história”.
No início as fábulas eram criadas para adultos como forma de distração
ou aconselhamento. As fábulas são contadas há aproximadamente
2800 anos e como são de tradição oral, ou seja, passadas de geração
em geração, não se sabe quem as criou.
Apesar de antigas, seus temas são atuais, pois a maioria delas retrata
atitudes humanas como: a disputa entre fortes e fracos, a esperteza de
alguns, a gratidão, a bondade, o não ser tolo, etc. Os animais, na
maioria das vezes, satirizam o comportamento humano mostrando
seus defeitos.

Esopo, escravo grego, é considerado o escritor mais antigo, viveu no
século VI a.C. Dizem que era gago corcunda e muito miúdo, porém,
inteligente, sábio e esperto. Na época de Esopo, os povos se dividiam
em fortes e fracos, um povo queria dominar o outro e quando
guerreavam os que perdiam eram transformados em escravos ou eram
obrigados a pagar impostos ao vencedor. Os escravos, naquele tempo,
eram prisioneiros de guerra. Qualquer pessoa do povo vencido podia
perder sua liberdade e ser vendida como mercadoria. Esopo usava
suas fábulas para dar conselhos e de tanto livrar seus senhores de
embaraços com sua sabedoria, conquistou a liberdade. Viajou por
outras terras e ganhou grande prestígio com os reis. Em todas as
cidades pelas quais passava, era muito considerado, recebendo
sempre várias homenagens. As fábulas de Esopo, contadas e
readaptadas por seus continuadores, como Fedro, La Fontaine e
outros, tornaram-se parte de nossa linguagem diária.
Esopo nunca escreveu suas histórias. Contava-as para o povo, que se
encarregou de repeti-las. Mais de duzentos anos depois da sua morte é
que as fábulas foram escritas, e se reuniram às de vários escritores.
Em outros países além da Grécia, em outras civilizações, em outras
épocas, sempre se inventaram fábulas que permaneceram anônimas.
Assim, podemos dizer que em toda parte, a fábula é um conto de
moralidade popular, uma lição de inteligência, de justiça, de
sagacidade, trazida até nós pelos nossos Esopos.
Texto jennifer

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Mito e Lenda
Mito e LendaMito e Lenda
Mito e Lenda
 
O Lobisomem uma lenda que ameaça (Artigo)
O  Lobisomem uma lenda que ameaça (Artigo)O  Lobisomem uma lenda que ameaça (Artigo)
O Lobisomem uma lenda que ameaça (Artigo)
 
Lenda característica e classificação
Lenda  característica e classificaçãoLenda  característica e classificação
Lenda característica e classificação
 
Lenda do lobisomem
Lenda do lobisomemLenda do lobisomem
Lenda do lobisomem
 
As lendas
As lendasAs lendas
As lendas
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
 
Leitura recreativa - "O rapaz e o robô - Português 8º ano
Leitura recreativa - "O rapaz e o robô - Português 8º anoLeitura recreativa - "O rapaz e o robô - Português 8º ano
Leitura recreativa - "O rapaz e o robô - Português 8º ano
 
Esparta e o militarismo grego
Esparta e o militarismo gregoEsparta e o militarismo grego
Esparta e o militarismo grego
 
Lendas
LendasLendas
Lendas
 
Contos de fadas apresentação
Contos de fadas apresentaçãoContos de fadas apresentação
Contos de fadas apresentação
 
Diferença entre mito e lenda
Diferença entre mito e lendaDiferença entre mito e lenda
Diferença entre mito e lenda
 
Contos de fadas
Contos de fadasContos de fadas
Contos de fadas
 
Contos de fadas
Contos de fadasContos de fadas
Contos de fadas
 
Contos de fadas
Contos de fadasContos de fadas
Contos de fadas
 
Mitos e Lendas indígenas
Mitos e Lendas indígenasMitos e Lendas indígenas
Mitos e Lendas indígenas
 
Unid 3 ativ2_claudiabluz
Unid 3 ativ2_claudiabluzUnid 3 ativ2_claudiabluz
Unid 3 ativ2_claudiabluz
 
A magia dos contos infantis: contos clássicos x contos de Oscar Wilde
A magia dos contos infantis: contos clássicos x contos de Oscar WildeA magia dos contos infantis: contos clássicos x contos de Oscar Wilde
A magia dos contos infantis: contos clássicos x contos de Oscar Wilde
 
Apresentação lendas
Apresentação lendasApresentação lendas
Apresentação lendas
 
Folclore
FolcloreFolclore
Folclore
 
Projeto explorando os contos de fadas
Projeto explorando os contos de fadasProjeto explorando os contos de fadas
Projeto explorando os contos de fadas
 

Destaque

Destaque (6)

Soon
SoonSoon
Soon
 
Staff and parents
Staff and parentsStaff and parents
Staff and parents
 
Magazine Analysisisisisis
Magazine AnalysisisisisisMagazine Analysisisisisis
Magazine Analysisisisisis
 
0 Tacnetting Gestionconocimiento V1.0
0 Tacnetting Gestionconocimiento V1.00 Tacnetting Gestionconocimiento V1.0
0 Tacnetting Gestionconocimiento V1.0
 
SETA Datasheet
SETA DatasheetSETA Datasheet
SETA Datasheet
 
Autumn 2050
Autumn 2050Autumn 2050
Autumn 2050
 

Semelhante a Texto jennifer

Semelhante a Texto jennifer (20)

Estudo das diversas modalidades de textos infantis
Estudo das diversas modalidades de textos infantisEstudo das diversas modalidades de textos infantis
Estudo das diversas modalidades de textos infantis
 
TG
TGTG
TG
 
A Montanha Da áGua LiláS, Pepetela (2)
A Montanha Da áGua LiláS, Pepetela (2)A Montanha Da áGua LiláS, Pepetela (2)
A Montanha Da áGua LiláS, Pepetela (2)
 
TG
TGTG
TG
 
Atividade sobre fabulas ok
Atividade sobre fabulas okAtividade sobre fabulas ok
Atividade sobre fabulas ok
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
TG
TGTG
TG
 
LITERATURA TRADICIONAL
LITERATURA TRADICIONALLITERATURA TRADICIONAL
LITERATURA TRADICIONAL
 
Resenha Árica
Resenha ÁricaResenha Árica
Resenha Árica
 
Lição nº 82
Lição nº 82Lição nº 82
Lição nº 82
 
Jean De La Fontaine
Jean De La FontaineJean De La Fontaine
Jean De La Fontaine
 
Literatura Oral E Tradicional
Literatura Oral E TradicionalLiteratura Oral E Tradicional
Literatura Oral E Tradicional
 
Contos de fadas aula final
Contos de fadas   aula finalContos de fadas   aula final
Contos de fadas aula final
 
Fbulas 130123132604-phpapp01
Fbulas 130123132604-phpapp01Fbulas 130123132604-phpapp01
Fbulas 130123132604-phpapp01
 
Fábulas
FábulasFábulas
Fábulas
 
Contos
ContosContos
Contos
 
Gênero épico
Gênero épicoGênero épico
Gênero épico
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.AlbertTrabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
 

Mais de izoldaferreira

Mais de izoldaferreira (12)

Galeria de fotos
Galeria de fotosGaleria de fotos
Galeria de fotos
 
Gabriel o pensador
Gabriel o pensadorGabriel o pensador
Gabriel o pensador
 
Regis danese
Regis daneseRegis danese
Regis danese
 
Futebol
FutebolFutebol
Futebol
 
Rodeios
RodeiosRodeios
Rodeios
 
Estudo de fábulas
Estudo de fábulasEstudo de fábulas
Estudo de fábulas
 
Os sem teto e os filhos - readaptação
Os sem teto e os filhos - readaptaçãoOs sem teto e os filhos - readaptação
Os sem teto e os filhos - readaptação
 
Africanidades Brasil
Africanidades BrasilAfricanidades Brasil
Africanidades Brasil
 
Africanidades Brasil
Africanidades BrasilAfricanidades Brasil
Africanidades Brasil
 
Oralidae, escrita e mídia
Oralidae, escrita e mídiaOralidae, escrita e mídia
Oralidae, escrita e mídia
 
teste
testeteste
teste
 
Projeto Gestar II
Projeto Gestar IIProjeto Gestar II
Projeto Gestar II
 

Texto jennifer

  • 1. Origem das fábulas Fábulas são histórias que relatam situações do cotidiano e os personagens são animas que representam características humanas, apresentando sempre no final uma “moral da história”. No início as fábulas eram criadas para adultos como forma de distração ou aconselhamento. As fábulas são contadas há aproximadamente 2800 anos e como são de tradição oral, ou seja, passadas de geração em geração, não se sabe quem as criou. Apesar de antigas, seus temas são atuais, pois a maioria delas retrata atitudes humanas como: a disputa entre fortes e fracos, a esperteza de alguns, a gratidão, a bondade, o não ser tolo, etc. Os animais, na maioria das vezes, satirizam o comportamento humano mostrando seus defeitos. Esopo, escravo grego, é considerado o escritor mais antigo, viveu no século VI a.C. Dizem que era gago corcunda e muito miúdo, porém, inteligente, sábio e esperto. Na época de Esopo, os povos se dividiam em fortes e fracos, um povo queria dominar o outro e quando guerreavam os que perdiam eram transformados em escravos ou eram obrigados a pagar impostos ao vencedor. Os escravos, naquele tempo, eram prisioneiros de guerra. Qualquer pessoa do povo vencido podia perder sua liberdade e ser vendida como mercadoria. Esopo usava suas fábulas para dar conselhos e de tanto livrar seus senhores de embaraços com sua sabedoria, conquistou a liberdade. Viajou por outras terras e ganhou grande prestígio com os reis. Em todas as cidades pelas quais passava, era muito considerado, recebendo sempre várias homenagens. As fábulas de Esopo, contadas e readaptadas por seus continuadores, como Fedro, La Fontaine e outros, tornaram-se parte de nossa linguagem diária. Esopo nunca escreveu suas histórias. Contava-as para o povo, que se encarregou de repeti-las. Mais de duzentos anos depois da sua morte é que as fábulas foram escritas, e se reuniram às de vários escritores. Em outros países além da Grécia, em outras civilizações, em outras épocas, sempre se inventaram fábulas que permaneceram anônimas. Assim, podemos dizer que em toda parte, a fábula é um conto de moralidade popular, uma lição de inteligência, de justiça, de sagacidade, trazida até nós pelos nossos Esopos.