Viscosímetro rotativo

4.023 visualizações

Publicada em

Apresentação de slides sobre viscosímetros rotativos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.023
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Viscosímetro rotativo

  1. 1. Universidade Federal do Amazonas Faculdade de Tecnologia Departamento de Engenharia de Materiais Viscosímetro Rotativo Equipe: Carlos Alberto Dias Izaura Nogueira Moisés Oliveira
  2. 2. Por que é importante saber a viscosidade de um fluido? 2
  3. 3. Definição O viscosímetro, também chamado de viscômetro, é um equipamento utilizado para medir a viscosidade dos fluidos. Baseiam-se na medida da resistência ao escoamento em tubo capilar ou pelo toque produzido pelo movimento de um elemento através do fluido.Existem vários tipos de viscosímetros, por exemplo: viscosímetro rotativo, viscosímetro capilar, viscosímetro de bola e outros. Viscosímetro rotacional Viscosímetro de bola Viscosímetro capilar 3
  4. 4. Viscosímetros rotacionais Estes instrumentos podem determinar a viscosidade de fluidos newtonianos e não-newtonianos contidos entre dois cilindros coaxiais, duas placas paralelas ou geometria de cone-placa. A viscosidade é medida pela velocidade angular de uma parte móvel separada de uma parte fixa pelo líquido. 4
  5. 5. a) Cilindros concêntricos Princípio de operação Consiste basicamente de um par de cilindros coaxiais: um gira enquanto o outro permanece estático. O torque necessário para manter o rotor a uma determinada velocidade é uma medida da taxa de deformação. 5
  6. 6. a) Cilindros concêntricos Equações Onde: M = torque necessário para manter a velocidade angular (N.m) h = altura do cilindro (m) Rcil = raio do cilindro (m) Onde: = velocidade angular (s-1) α = Rext/ Rint = Raio do cilindro externo / Raio do cilindro interno 6
  7. 7. b) Cone rotativo Princípio de operação Tem o mesmo princípio de medida que os cilindros concêntricos, porém é mais preciso devido ao fato de que a distância entre as placas pode ser considerada igual a zero, sendo assim a taxa de deformação é constante no líquido que se encontra entre o cone e a placa. O ângulo do cone não pode ser superior a 4 graus. 7
  8. 8. b) Cone rotativo Equações Onde: M= torque necessário para manter a velocidade angular (N.m) = velocidade angular (s-1) R= raio do cone (m) = ângulo do cone (-) 8
  9. 9. c) Placas paralelas Princípio de operação Opera de maneira similar ao equipamento cone-placa, exceto que a taxa de deformação no espaço entre as placas não é tão uniforme e a análise dos resultados de fluidos não-newtonianos torna-se mais difícil. 9
  10. 10. Bibliografia Roteiro experimental – UNIVAP Disponível em: http://www1.univap.br/~spilling/FQE1/FQE1_EXP4_ViscosidadeLiquidos.pdf Conheça a utilidade do viscosímetro Disponível em: http://www.splabor.com.br/blog/equipamentos-para-laboratorio Viscosímetro Disponível em: http://www.infopedia.pt/$viscosimetro Introdução à reologia Disponível em: http://fcfrp.usp.br/dfq/Fisica2/2-REOLOGIA.pdf 10

×