Design sociedade cultura01

2.730 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.730
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
106
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Design sociedade cultura01

  1. 1. Design, Sociedade e Cultura “ Toda versão histórica é uma construção eportanto nenhuma delas é definitiva” Rafael Cardoso (CARDOSO, 2004) PHILIPPE STARCK Juicy Salif - Alessi Izabel Meister 1990
  2. 2. Design, Sociedade e Cultura “ Toda versão histórica é uma construção eportanto nenhuma delas é definitiva” Rafael Cardoso (CARDOSO, 2004) Izabel Meister
  3. 3. Izabel Meister
  4. 4. Copa do mundo 2014 Brasil Federação de basquete Izabel Meister
  5. 5. Design, Sociedade e Cultura “ Toda versão histórica é uma construção eportanto nenhuma delas é definitiva” Rafael Cardoso (CARDOSO, 2004) Izabel Meister
  6. 6. Design, Sociedade e Cultura “ Toda versão histórica é uma construção eportanto nenhuma delas é definitiva” Rafael Cardoso (CARDOSO, 2004) Izabel Meister
  7. 7. Izabel Meister
  8. 8. culturahistória política DESIGN sociedade arte economia CONTEXTO + CONTEMPORANEIDADE Contexto específico Público atual Passado como impacto no presente Izabel Meister
  9. 9. Design, Sociedade e • Design estratégico • Design de Comunicação Cultura • Design de Som • Design Visual • Design Gráfico • Design tipográfico • Design editorial • Design institucional • Design de embalagem • Design Digital • Design de hipermídia • Webdesign • Design de jogos O QUE É DESIGN? • Design de Produto • Design automobilístico • Design de embalagem • Design de mobiliário • Design de Moda • Design de jóias • Design de estampa • Design de Ambientes • Design de interiores • Design de iluminação • Ergonomista • Design de Interacção • Design de Interfaces • Design de Serviços http://pt.wikipedia.org/wiki/Design + Izabel Meister
  10. 10. GAETANO PESCE MelissaIzabel Meister http://www.gaetanopesce.com/
  11. 11. PTW - Austrália Water Cube – Centro Nacional de NataçãoIzabel Meister Pequim, China http://www.ptw.com.au/
  12. 12. Izabel Meister
  13. 13. Izabel Meister
  14. 14. Izabel Meister
  15. 15. Design, Sociedade e Cultura • perspectiva histórica O QUE ÉCONTEMPORÂNEO? • perspectiva artística • perspectiva temporal Izabel Meister
  16. 16. Design, Sociedade e Cultura METRÔ Izabel Meister DE SÃO PAULO
  17. 17. Design, Sociedade e Cultura Priorizando as relaçõesentre linhas e estações emdetrimento do aferimento geográfico, ele usou o método aplicado a sistemas de circuitos elétricos HENRY BECK 1933 (1903 – 1974) Izabel Meister
  18. 18. Izabel Meister
  19. 19. Design, Sociedade e CulturaDESIGN É IDEOLÓGICO? Izabel Meister
  20. 20. ALFRED LEETE JAMES MONTGOMERY AUTOR DESCONHECIDO artista plástico FLAGG, revolução constitucionalistadesenhou o Secretário da Defesa cartazista oficial do exército 1932 da Grã Bretanha americano durante a 1ª 1914 Guerra Mundial 1917 Izabel Meister
  21. 21. •Design, Sociedade e CARDOSO, Rafael. Uma introdução à história do design. São Paulo: Edgard Blücher, 2004. 2ª edição Cultura • CÔRTE-REAL, Eduardo. À procura de uma Designologia, ou Ciência do Design. Notas sobre um texto de Nelson Goodman in Arco volume 4 2009.P. 57 - 67. Disponível em http://www.esdi.uerj.br/arcos/arcos-04/04-06.eduardo-corte-real-designologia.pdf acessado em 10 de outubro de 2010 • COSTA, Carlos Zibel. Além das formas: introdução ao pensamento contemporâneo no design, nas artes e na arquitetura. São Paulo: Annablume, 2010. • DENIS, Rafael Cardoso. Design, cultura material e o fetichismo dos objetos in Arco volume 1 1998 número único. P. 14-39. • Disponível em http://www.esdi.uerj.br/sobrearcos/artigos/artigo_rafael(14a39).pdf, acessado em 10 de outubro de 2010. • DEMPSEY, amy. Estilos, escolas e movimentos. São Paulo: Cosac & Naif, 2003. • FIEL, Charlotte e Peter. Design do Século XX. Köln, Alemanha: Taschen, 2005. • MAGALHÃES, Aloísio. O que o desenho industrial pode fazer pelo país? in Arco volume 1 1998 número único.P. 08 - 13 BIBLIOGRAFIA • Disponível em http://www.esdi.uerj.br/sobrearcos/artigos/documento_aloisio(8a13).pdf , acessado em 10 de outubro de 2010. • MARGOLIN, Victor. O design e a situação mundial. In Arco volume 1 1998 número único.Pag. 40 – 49 Disponível em http://www.esdi.uerj.br/sobrearcos/artigos/artigo_victor(40a49).pdf acessado em 10 de outubro de 2010. • ONO, Maristela Misuko. Design, cultura e identidade, no contexto da globalização. In Revista Design em Foco. • Salvador, Bahia: Universidade do Estado da Bahia, 2004. Julho/dezembro vol.1 número 1. Pag. 53 – 66. Disponível em http://redalyc.uaemex.mx/pdf/661/66110107.pdf acessado em 10 de outubro de 2010. • COEN, Peter. Arquitetura da destruição (Undergagens arkitektur). Documentário, Suécia, 121 min, 1992. FILMOGRAFIA • GUGGENHEIM, Davis. Uma verdade inconveniente (An inconveniente truth). Documentário, Estados Unidos, 100 min. • MASAGÃO, Marcelo. Nós que aqui estamos por vós esperamos. Documentário, Brasil, 73 min,1998 Izabel Meister
  22. 22. • ARANTES, Priscila. Tudo que é sólido, derrete: da estética da forma à estética do fluxo.Design, Sociedade e • Curitiba: XVI Compôs 2007. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/biblioteca_233.pdf Acesso em: 10/10/2010 Cultura • AUGÉ, Marc. Não Lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. 5. ed. Campinas, SP: Papirus, 1994. • Tradução: Maria Lúcia Pereira. Coleção Travessia do século. • BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor Ltda., 2001. • Tradução: Plínio Dentzien. • CAMPOS, Gisela Belluzo. VASCONCELOS, Marco A. F. de. Acaso e experimentação nos processos de criação: aproximações entre a arte moderna e o design contemporâneo. In Arco volume 5, nº 1 – julho 2010. Disponível em http://www.esdi.uerj.br/arcos/arcos-06/06-02.gbcampos-mafvasconcelos-acaso-e- experimentacao.pdf acessado em 10 de outubro de 2010. • CASTELLS, Manuel. A era da informação: economia, sociedade e cultura. A sociedade em rede. 9. ed. São Paulo: Editora Paz e Terra, 2006. Tradução: Roneide Venâncio Majer. Colaboração:Klauss Brandini Gerhardt • DORMER, Peter. Os significados do design moderno: a caminho do século XXI. Porto, Portugal: Centro Português de Design, 1995. Tradução Pedro Afonso Dias. • FORTY, Adrian. Objetos de desejo - design e sociedade desde 1750. São Paulo: Cosac Naif, 2008. Tradução: Pedro Maia Soares. • FLUSSER, Vilem. O mundo codificado - por uma filosofia do design e da comunicação. São Paulo: Editora Cosac e Naify, 2007. BIBLIOGRAFIA • GRUSZYNSKI, Ana Cláudia. Design gráfico: do invisível ao ilegível. São Paulo: Edições Rosari, 2008. 2ª edição. • HOBSBAWN, Eric. Era dos Extremos: o Breve Século XX: 1914 – 1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. COMPLEMENTAR • Tradução Marcos Santarrita. KAZAZIAN, Thierry. Haverá a idade das coisas leves – design e desenvolvimento sustentável. São Paulo: Editora Senac, 2005. • LEÃO, Lúcia (Org). O chip e o caleidoscópio: reflexões sobre novas mídias. São Paulo: Editora Senac • São Paulo, 2005. • LEMOS, André. Cibercultura, tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 3. ed. Porto • Alegre: Sulina, 2005. • LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. 13ª • reimpressão. Rio de Janeiro: Editora 34, 2004. Tradução: Carlos Irineu da Costa. • LYOTARD, Jean-François. The Postmodern Condition. A Report on Knowledge. 1979. Disponível em http://www.marxists.org/reference/subject/philosophy/works/fr/lyotard.htm acessado em 10 de outubro de 2010. • NAKAO, Jum. A costura do invisível. São Paulo: Editora SENAC SAO PAULO, 2005. • NOSOJA, Urbano (org.). Design Contemporâneo. São Paulo: Editora Nosoja, 2005. • MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. 3. ed. Porto Alegre, RS: Sulina, 2007. • Tradução: Eliane Lisboa. • PIRES, Dorotéia Baduy (org.) Design de moda: olhares diversos. Barueri, São Paulo, Estação das Letras e Cores Editora, 2008. • SANTAELLA, Lúcia. A teoria geral dos signos: como as linguagens significam as coisas. São Paulo: Cengage Learning, 2008. - • _______, Lúcia. Linguagens Liquidas Na Era Da Mobilidade. São Paulo: Paulus Editora, 2007. Izabel Meister
  23. 23. Design, Sociedade e Cultura O QUE É DESIGN?One and Three Chairs", Joseph Kosuth Cadeira Vermelha – irmãos Campana Cadeira - indústria Izabel Meister -
  24. 24. Design, Sociedade e Cultura Pensar semanticamente a design - significado atribuído no discurso atual sobre cultura. O QUE É DESIGN? CONEXÃO INTERNA ENTRE TÉCNICA E ARTE Vilém Flusser Que cria “obstáculos” artificiais para remover obstáculos naturais: um “objeto de uso” é um objeto de que se necessita e que se utiliza para afastar outros objetos do caminho. (FLUSSER, 2007. P.194) Izabel Meister
  25. 25. Pensar sobre design contemporâneo remete aDesign, Sociedade e uma reflexão capaz de compreender que esse Cultura processo precisa assimilar as questões de linguagem, conceito e projeto como eixos de um tripé, que representa um amadurecimento do design fabril e técnico para um modelo, plástico, estético e conceitual. (NOSOJA, 2005, P.9) O QUE É DESIGN? CONCEITO QUE PENSA A SUA LINGUAGEM Urbano Nojosa “SER DESIGN “ CONSUMIDOR, USUÁRIO OU CLIENTE COMO AUTORES DA CRIAÇÃO DO PROTÓTIPO formação mercadológica a partir de referências colaborativas. Izabel Meister
  26. 26. Design, Sociedade e Cultura QUANDO É DESIGN? em oposição a O QUE É DESIGN? APRESENTAÇÃO, IMPRESSÃO E AUTENTICAÇÃO Design será qualquer acção ou qualquer coisa que estejamos preparados para chamar O QUE É DESIGN? DesignEduardo Côrte-Real RELAÇÃO PARTICULAR [ E SIMBÓLICA ] ENTRE OBJETOS, SEUS PRODUTORES E SEUS RECEPTORES http://www.esdi.uerj.br/arcos/arcos-04/04-06.eduardo-corte-real- designologia.pdf Izabel Meister -

×