ISA11 - Caio Vassão: Ecologias da Interação

1.488 visualizações

Publicada em

Vivemos em um ambiente complexo, e interagimos com um grande número de entidades, desde os utensílios domésticos até sistemas informáticos de
grande porte. Esse ambiente é uma “Ecologia de Interação”.

O Design de Interação para a computação ubíqua é o desafio de compor e manipular “Ecologias de Interação”, criando, desenvolvendo e
ajustando “Nichos de Interação”.

Essa palestra apresenta os conceitos de “Ecologia de Interação” e de “Nichos de Interação”, e as ferramentas conceituais para compreender, projetar e
manipular ambos. Estas ferramentas vão além das habilidades tradicionais do Design de Interação, penetrando no domínio do pensamento complexo.

Publicada em: Design
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.488
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
225
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
63
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ISA11 - Caio Vassão: Ecologias da Interação

  1. 1. PalestraEcologias de Interação:Criando o Ambiente Interativo FuturoProf. Dr. Caio Vassãohttp://caiovassao.com.br/
  2. 2. Ecologia Profunda –Arne Naess (Noruega, 1912 – 2009)http://rolu.terapad.com/resources/648/assets/Arne%20Naess%20again.jpg
  3. 3. Ecologia da Mente –Gregory Bateson (USA/UK, 1904 – 1980) Vernor Vinge (1944 – ) Matemático – Cientista da Computação Autor de “Hard Science Fiction” (Hard SF) Singularidade Tecncológica http://www.strangehorizons.com/2003/20030915/vinge.shtmlhttp://www.interculturalstudies.org/Bateson/biography.html http://scottianbarry.com/photo06.htm
  4. 4. Ecologia de Mídias –Marshall McLuhan (Canada, 1911 – 1980) Harold Adams Innis (Canada, 1894 – 1952) Neil Postman (USA, 1894 – 1952)http://www.mcluhanonmaui.com/p/call-for-papers.htmlhttp://popnihilism.tumblr.com/post/508798179/deleuze-guattari http://www.darcynorman.net/wp-content/uploads/2009/07/PostmanAtCarver.jpg
  5. 5. Nomadologia, Esquizoanálise e Ecologia –Gilles Deleuze (França, 1925 – 1995) e Felix Guattari (França, 1930 – 1992)http://popnihilism.tumblr.com/post/508798179/deleuze-guattari
  6. 6. Ecologia como paradigma epistemológico – “Complexidade Organizada”, mas que nunca pode ser perfeitamente conhecida. http://www.pondworld.com/who-is-the-biggest-fish-in-the-sea-a-complete-resource-guide-to-the-food-chain.aspx http://www.amazon.com/dp/0262640422/ref=rdr_ext_tmb
  7. 7. Nichos de Interação – Modelos da evolução e surgimento dos nichos... “Posição relacional” entre os componentes Equilíbrio pontuado (Punctuated equilibrium) do Ecossistema... Niles Eldredge and Stephen Jay Gould (1972)http://www.knowledgebank.irri.org/ipm/index.php/ecosystem-ecology (Source - Flint, M.L. and Gouveia, P. 2001) http://en.wikipedia.org/wiki/File:Punctuated-equilibrium.svg
  8. 8. MetadesignFerramentas conceituais:(1) Níveis de Abstração(2) Diagramas(3) Procedimentos(4) Emergência
  9. 9. Nichos de Interação –Emergência de um nicho de interação...
  10. 10. Quadrívio de Levy aplicado ao processo de design.Exemplo do Walkman e seu nicho de interação.
  11. 11. E o barateamento dos dispositivos, associado à amortização da produção industrial, incorre em experimentos cada vez mais sofisticados. UMPCOLPC XO
  12. 12. Craig Mod (2010) Eco, Carrièrre (2011)
  13. 13. Facsimile dos Pergaminhos do Mar Morto www.facsimile-editions.com/en/ds/  Biblia de Gutenberg (Harry Ransom Center) http://www.hrc.utexas.edu/exhibitions/permanent/gutenberg/  ? Hypertext (Ted Nelson)
  14. 14. Cidade de Český Krumlov, Boemia Vista do terraço Italia (“Viaje na viagem”) “The Naked City”, Guy Debord
  15. 15. “Nova Babilônia”, Constant Nieuwenhuys
  16. 16. Design e Ambiente UrbanoNova relação entre projeto e ambiente construído.O descompasso da arquitetura e do projeto urbanotradicional, incluindo planejamento urbano, legislação,políticas públicas, etc.Com que CATEGORIAS se pensa e se faz projetos para aCIDADE?Profusão de novas categorias a partir do que pode-se chamar de“Cultura de Projeto”... - Tecnologia Digital - Agenciamentos Sócio-Políticos Inovadores - Perda de relevância das categorias tradicionais...
  17. 17. Paris deHaussmann http://www.uh.edu/engines/epi2523.htm
  18. 18. Lei de Moore – Número de transistores por circuito integrado – 1971-2011http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/00/Transistor_Count_and_Moore%27s_Law_-_2011.svg
  19. 19. Lei de Moore – Custo de 1 transistor – 1968-2004Source_ Intel/WSTS (2005)http://www.kk.org/thetechnium/archives/2009/07/was_moores_law.php
  20. 20. Lei de Koomey– Número de Computações por KWh – 1940-2010“Economics of Information” (2011)http://www.economicsofinformation.com/2011/09/is-koomeys-law-eclipsing-moores-law.html
  21. 21. Mainframe n usuários / 1 máquina http://deluserfication.blogspot.com/2011/04/unix-history-myths-misconceptions-and.html Computação Ubíqua Banalização da Computação 1 usuário / 1 máquina Personal Computer http://www.silvermac.com/wp-content/uploads/2007/08/apple2_1977.jpg Celular 1 usuário / 3-4 máquinashttp://www.mlive.com/entertainment/index.ssf/2008/10/review_googles_first_phone_sma.html Mote 1 usuário / n máquinas http://minisense.posterous.com/ibms-mote-runner-project-to-integrate-interne-0
  22. 22. Servidor Web Sun (2004)http://labs.oracle.com/spotlight/2004-12-20_vgupta.html
  23. 23. http://www.nanotech-now.com/images/golem-dust-penny-large.jpg Computadores “a granel”? Smart Dust (“poeira inteligente”)
  24. 24. Recente Explosão na Eletrônica de Consumo Celular BlobOP-1 / Celular BLOB / Arduino (exemplos) Nó! Design http://www.nodesign.com.br/site.htmlOP-1Teenage Engineeringhttp://www.teenageengineering.com/products/op-1/ Arduino http://www.arduino.cc/
  25. 25. Processos de Extrema ComplexidadeSistemas Distribuídos Agentes Autônomos Processamento Distribuído Steering Behaviors (Reynolds, 1997) http://www.red3d.com/cwr/steer/
  26. 26. Design e Ambiente UrbanoComputação como parte do ambiente urbano.Mais uma camada de:- infra-estrutura (energia, transportes e automação)- Interação - social (produtividade, corporações e organizações) - homem-máquina (automação, calm technology)- Comunicação e percepção (“realidade consensuais”)
  27. 27. James Umbrahttp://www.redbubble.com/people/umbra101/art/7087598-busted-in-grosvenor-square
  28. 28. Fonte: ITU, International Telecommunications Union (2010)International Telecommunications Union - ITUhttp://www.itu.int/ITU-D/ict/statistics/
  29. 29. Fonte: ITU, International Telecommunications Union (2010)International Telecommunications Union - ITUhttp://www.itu.int/ITU-D/ict/statistics/
  30. 30. Cobertura global GSM (fev/2009)
  31. 31. Entender a cidade como “processo”, não apenas como “local”Idéia de "cidade não-local", como um processo que se distribui por umterritório muito grande, e pelas redes sociais, comunidades de interesse,instituições, grupos, clubes e famílias, etcFacebook é uma cidade virtual global?
  32. 32. Europa segundo aspostagens de Twitter e Flickr Eric Fischerhttp://www.flickr.com/photos/walkingsf/5912946760/in/set-72157627140310742red=flickr / blue=twitter
  33. 33. América do Norte segundo as postagens de Twitter e Flickr Eric Fischer http://www.flickr.com/photos/walkingsf/5912385701/in/set-72157627140310742/ red=flickr / blue=twitter
  34. 34. América do Sul e Brasil segundo aspostagens de Twitter e FlickrEric Fischerhttp://www.flickr.com/photos/walkingsf/5912385701/in/set-72157627140310742/red=flickr / blue=twitter
  35. 35. São Paulo (RMSP) segundo aspostagens de Twitter e FlickrEric Fischerhttp://www.flickr.com/photos/walkingsf/4671446659/red=flickr / blue=twitter
  36. 36. São Paulo (RMSP) segundo osturistas e os locaisEric Fischerhttp://www.flickr.com/photos/walkingsf/4671446659/red=flickr / blue=twitter
  37. 37. Urbanização DispersaSegundo Goulart, et al.GOULART REIS, Nestor.Notas Sobre Urbanização Dispersa e Novas Formas de Tecido Urbano.São Paulo, Via das Artes, 2006.
  38. 38. Urbanização DispersaSegundo Goulart, et al.Macro-Metrópole:Campinas – São Paulo – São José –Taubaté – Rio de Janeiro...GOULART REIS, Nestor.Notas Sobre Urbanização Dispersa e Novas Formas de Tecido Urbano.São Paulo, Via das Artes, 2006.
  39. 39. Urbanização DispersaSegundo Goulart, et al.Macro-Metrópole:Campinas – São Paulo – São José –Taubaté – Rio de Janeiro...GOULART REIS, Nestor.Notas Sobre Urbanização Dispersa e Novas Formas de Tecido Urbano.São Paulo, Via das Artes, 2006.
  40. 40. Urbanização DispersaSegundo Goulart, et al.Macro-Metrópole:Campinas – São Paulo – São José –Taubaté – Rio de Janeiro...GOULART REIS, Nestor.Notas Sobre Urbanização Dispersa e Novas Formas de Tecido Urbano.São Paulo, Via das Artes, 2006.
  41. 41. Urbanização DispersaSegundo Goulart, et al.Macro-Metrópole:Campinas – São Paulo – São José –Taubaté – Rio de Janeiro...GOULART REIS, Nestor.Notas Sobre Urbanização Dispersa e Novas Formas de Tecido Urbano.São Paulo, Via das Artes, 2006.
  42. 42. Mega-Regiões Emergentes - EUARegional Plan Associationhttp://en.wikipedia.org/wiki/File:MapofEmergingUSMegaregions.png
  43. 43. Banalização da Tele-PresençaSkype e outros...http://www.macworld.com/article/155450/2010/11/skype_5_mac.html
  44. 44. Exemplos: Exemplos:Google Maps Guias TurísticosPostos de Gasolina Táxi, Ônibus, TrasladoAeroportos Comércio, Traslado, Câmbio, etc.iTunes (Apple) Aplicativos e Comércio Derivado... ...
  45. 45. Obrigado!Prof. Dr. Caio Vassãohttp://caiovassao.com.br/caio@caiovassao.com.br

×