1º encontro

742 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
742
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
49
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1º encontro

  1. 1. http://webeduc.mec.gov.br/linuxeducacional/curso_le/modulo1.html
  2. 2. Unidade 1: Tecnologias na sociedade e na escola.T Conceituar o que são tecnologias e mídias.C Compreender a necessidade de refletir sobre as questões queantecedem às decisões relativas à inserção das tecnologias na suaprática pedagógica, percebendo a diversidade e a complexidade destasquestões.q Formar uma ideia inicial a respeito das potencialidades deprocessamento de informação das tecnologias digitais.p Familiarizar-se com os recursos mais básicos do computador: uso domouse e teclado, identificação dos itens do desktop e uso de editores detextos simples.t Familiarizar-se com o uso dos fóruns de discussão e com a navegaçãoem conteúdo da Internet.e Ampliar sua compreensão sobre as possibilidades de comunicaçãodisponíveis com as TIC.
  3. 3.  Unidade 2: Navegação, pesquisa na Internet e segurança na rede.. Compreender a estrutura do conteúdo web, habilitando-se assim anavegar pela Internet usando um software de navegação.n Refletir sobre a importância da navegação na Internet na sua vidapessoal e profissional, identificando a importância de orientar seusalunos sobre como buscar informações na WEB, como atribuir-lhescrédito e como julgar-lhes a relevância.c Identificar alguns procedimentos iniciais de segurança na web.I Utilizar recursos básicos e simples para realizar pesquisa naInternet, compreendendo como alguns dos principais mecanismos debusca são estruturados.b Familiarizar-se com a interface do editor de texto do BrOffice,compreendendo asua organização e usando os seus recursos mais simples deformatação e edição.
  4. 4. Unidade 3: Blogs: O quê? Por quê? Como?B Reconhecer as principais características dos Blogs.R Construir um repertório inicial sobre as possibilidades de escritadigital nos blogs.d Realizar o processo minimamente necessário para criação de umblog, percebendo algumas das suas possibilidades de ajustes econfigurações.c Refletir sobre o papel dos blogs sobre a aprendizagem e acomunicação.c Compreender o papel dos blogs na comunicação da era digital.
  5. 5.  Unidade 4: Elaboração e Edição de Textos.E Refletir e analisar o papel dos editores de textos na democratizaçãodo acesso à produção de determinados gêneros textuais e nodesenvolvimento da habilidade da escrita.d Buscar compreender quais são os cuidados necessários e quais sãoas estratégias adequadas para se adotar o uso pedagógico dasferramentas de edição de texto.f Desenvolver habilidades para utilizar o editor Writer, do BrOffice,para editar textos, inserindo formatos e figuras.p Salvar seus documentos em local adequado no disco rígido ou nosCDs e pendrives.
  6. 6. Exportar seus documentos para os formatos rtf e pdf, compreendendo asrazões de fazê-lo.r Usar as ferramentas de administração de arquivos para armazenar localizar,copiar, excluir e utilizar seus documentos.c Compreender a necessidade de ter cuidado com os direitos autorais, citandosempre as fontes de onde foram retirados os materiais (trechos de textos,citações, imagens, tabelas, etc.).
  7. 7. Unidade 5: Cooperação (ou interação?) na rede.C Refletir sobre a importância da cooperação no aprendizado,tomando consciência do papel das redes digitais na promoção dosprocessos cooperativos de trabalho e aprendizagem.p Compreender a estruturação e o alcance social e econômico dealgumas das principais ferramentas de produção e/ou veiculação deconteúdo digital (wikis, youtube etc.).c Refletir sobre a importância destas ferramentas na construção denovas práticas pedagógicas.n Habilitar-se a incluir postagens de vídeos no seu blog.
  8. 8.  Unidade 6: Cooperação pressupõe diálogo!C Refletir sobre a importância das ferramentas de comunicação digitalna prática pedagógica.n Compreender a estruturação e as especificidades do diálogosuportado por algumas das principais ferramentas de comunicaçãodigital (bate-papo, e-mail, fóruns e listas de discussão, redes sociais).d Habilitar-se a utilizar as principais funcionalidades dos serviços debate-papo, fórum e e-mail.
  9. 9. Unidade 7: Apresentações de slides digitais na escola.A Identificar características da linguagem visual e os princípios dediagramação e design que devem estar presentes ao preparar umaapresentação.a Conhecer os recursos básicos do site Slideshare.C Identificar a importância e as etapas do planejamento de umaapresentação de slides.a Refletir sobre os efeitos que uma apresentação produz sobre osparticipantes e sobre sua aprendizagem, mas especificamente,analisar qual a importância da autoria destas apresentações de slidesna aprendizagem.n Compreender os princípios de construção de uma imagem digital,identificando os principais formatos de compressão utilizados e suascaracterísticas mais importantes.
  10. 10. Aplicar alguns dos recursos de tratamento de imagens incluídos noBrOfficeWriter e BrOffice Impress.W • Unidade 8: Resolução de problemas com a planilha eletrônica.R Habilitar-se a usar as principais funcionalidades das planilhaseletrônicas. e Identificar o potencial das ferramentas do aplicativo Calc nasistematização, descrição e análise de dados.s Identificar o tipo ou categoria de problemas que pode ter sua soluçãopotencializada com o uso das planilhas de Cálculo.p Apontar algumas das principais vantagens das planilhas noaprendizado da matemática.
  11. 11. Neste módulo, você entrará em contato com tópicos básicos sobre aaplicação das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) naeducação. Após esse estudo, você terá condições de refletir sobre autilização das TICs no âmbito escolar e integrá-las ao trabalhopedagógico. Suas possibilidades de ação nos processos de ensino eaprendizagem e no gerenciamento dos laboratórios de informáticaestarão ampliadas e você poderá executar diferentes açõesenvolvendo o uso da informática na educação como um apoio à suaprática e de seus colegas.Dentre essas ações estão:
  12. 12. • Promover a inclusão digital da comunidade escolar por meio de atividades contextualizadas;• Realizar novas práticas pedagógicas que incluam a tecnologia no cotidiano escolar;• Refletir sobre o processo de ensino e aprendizagem apoiado pelas TICs, aproveitando as suas possibilidades de interação, colaboração, cooperação e autoria;• Dominar diferentes tecnologias para proporcionar aos alunos experiências ricas e criativas com as ferramentas da web;• Gerenciar o uso do laboratório de informática, a fim de que se torne um espaço de apoio à prática dos professores.
  13. 13. Inclusão digital é proporcionar a democratização de acesso àsTecnologias da Informação e Comunicação (TICs), criando condiçõespara que os cidadãos sejam, de fato, incluídos na sociedade. Poressa razão, não se pode confundir inclusão digital com alfabetizaçãodigital, a qual está vinculada ao ensinamento básico dos recursos dainformática.O objetivo é proporcionar inclusão social, na qual prevalece aredução das desigualdades socioeconômicas por meio de projetoscomunitários, culturais e profissionalizantes, utilizando as TICs etendo a educação como meio para a efetivação dessa prática.
  14. 14. Para incluir digitalmente, é necessário que sejam desenvolvidasatividades contextualizadas com a realidade da comunidade e,além disso, que sejam socializadas experiências por meio derecursos tecnológicos.A inclusão digital não só pode proporcionar processos de ensinoe aprendizagem como também contribuir para a (re)inserção nomercado de trabalho.Nessa perspectiva, a educação aliada às tecnologias podefavorecer o desenvolvimento de uma consciência crítica nascomunidades, atendendo às necessidades emergentes dasmesmas.
  15. 15. Informática na educação significa aplicar as Tecnologias da Informação eComunicação (TICs) nas práticas pedagógicas, ampliando os espaços de ensino eaprendizagem. Porém, também faz-se necessário que o professor proporcionecondições favoráveis à construção do conhecimento e à reflexão sobre esse processo.Isso significa que não basta colocar o aluno em contato com a tecnologia, pois osimples acesso às TICs não garante a aprendizagem.É importante que o professor planeje sua prática e que essa contemple aexploração de diferentes fontes de pesquisa, privilegiando a reflexão, aconstrução, a autoria, a participação, a comunicação, a troca de ideias e otrabalho coletivo. Sem um planejamento para a inclusão das TICs naeducação, pode-se reproduzir uma prática calcada na mera transmissão ereprodução de conteúdos.Assista ao vídeo que apresenta essa situação.
  16. 16. Outro aspecto importante a ser considerado é a preocupação que o professordeve ter sobre seu conhecimento acerca das TICs, afinal, para propor umaprática permeada pelas tecnologias e que utilize todo o potencial que elasoferecem, é necessário, antes de tudo, conhecê-las de fato. O professor precisaser um permanente pesquisador para poder articular os recursos tecnológicoscom a prática educacional, fazendo do laboratório de informática umaextensão das ações desenvolvidas em sala de aula. Vale destacar que osrecursos tecnológicos não se resumem à conexão com a internet. Diferentesprogramas, aliados à criatividade, podem resultar em excelentes práticaseducacionais.
  17. 17. Prática pedagógicaPensar o uso pedagógico das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) não ésimplesmente incorporá-las ao planejamento como um mero instrumento de trabalho.É necessário pesquisar e refletir sobre essas ferramentas, sobre suas possibilidadespráticas e como contextualizá-las no âmbito educacional.Assim como existe uma boa parcela de alunos que domina as tecnologias, há tambémos que precisam ser inseridos digitalmente. Para os dois públicos, deve-se pensar eplanejar, compreendendo que essas ferramentas influenciam diretamente suas vidas,seja em casa, no trabalho ou na escola. Por isso, a prática pedagógica do professorpode e deve ser construída com base em ações criativas, desenvolvendo estratégiascom os recursos disponíveis na escola.
  18. 18. Nesse sentido, para realizar o planejamento e a integração das TICs, é precisoconhecer de fato os recursos que estão disponíveis na escola (materiais, recursoshumanos e infra-estrutura). Além disso, é preciso que o professor experiencie essesrecursos ao fazer o levantamento dos softwares, ao selecionar os sites e os materiaisdisponíveis na rede. A finalidade é propiciar experiências prazerosas esignificativas, buscando a reflexão crítica. Essa prática, pensada a partir dessescritérios, poderá criar condições para uma aprendizagem colaborativa, cooperativa,desenvolvendo a autoria e a autonomia do aluno.
  19. 19. Laboratórios de informática, são salas equipadas com computadores, geralmenteconectados à Internet, que têm como objetivo apoiar processos de ensino eaprendizagem. A forma como as instituições os disponibilizam varia de acordo comseu projeto político-pedagógico. No entanto, é sempre bom que seja um local abertoa alunos, professores e comunidade. Isso porque os laboratórios de informáticadevem ser espaços que favoreçam a liberdade (sempre com responsabilidade ecriatividade).Computadores oferecem a possibilidade de utilizar diversos recursos, os quaispodem ser utilizados para os mais variados fins educacionais: pesquisas, redação detrabalhos escolares, trabalhos em grupo etc. Porém, para que todos possam tirarproveito desses recursos, é importante que o laboratório de informática não seja umaalternativa para a falta de planejamento do professor nem um prêmio para o bomcomportamento dos alunos, mas uma extensão da sala de aula e da biblioteca, umespaço democrático, prazeroso e de todos. Só assim a escola poderá formar parceriascom a comunidade, desenvolvendo projetos voltados para a mesma e contribuindopara diminuir a exclusão digital.
  20. 20. Por todas essas razões é importante que o professor esteja sempre presentepara acompanhar e auxiliar os alunos. Também é importante que se apropriedos recursos informáticos, o que significa dominar as tecnologias e nãoapenas ter acesso a elas. Somente apropriando-se desses conhecimentos épossível orientar os alunos, com vistas a maximizar interações e contribuirpara um processo de questionamento, reflexão e construção doconhecimento.
  21. 21. APLICATIVOS LINUX EDUCACIONALAplicativos são programas de computador que possibilitam o desenvolvimento deatividades práticas, como edição de texto (Word, Writer), planilhas eletrônicas (Calc,Excel), edição de imagens (Draw, PaintBrush, TuxPaint), apresentações (Impress,PowerPoint), ou ainda jogos educacionais e programas pensados para facilitar arealização de algumas tarefas no computador.Neste módulo, são apresentados os principais aplicativos do Linux Educacional 3.0.O Linux Educacional 3.0 foi baseado em uma distribuição GNU/Linux Kubuntu.Desenvolvida pelo MEC para ser usada em laboratórios de informática, essa versãopossui interface gráfica KDE, uma identidade visual simples e intuitiva; aplicativoseducacionais personalizados; ferramentas de acesso e busca dos conteúdoseducacionais; repositório Debian e ferramentas de produtividade.
  22. 22. São inúmeras as possibilidades de práticas pedagógicas com o uso dos aplicativos doLinux Educacional 3.0. Com os jogos educacionais, por exemplo, é possível trabalhardiversos conteúdos de maneira divertida; por meio dos vídeos do aplicativo TvEscola,os alunos têm a oportunidade de assistir a debates, documentários e diversos outrosprogramas cujos conteúdos podem ser trabalhados em aula. E, ainda, com o aplicativoDomínio Público, alunos e professores têm acesso a diferentes tipos de publicações,tais como artigos, livros infantis e infanto-juvenis.Após o estudo deste módulo você estará capacitado a instalar e operar os aplicativosdo Linux Educacional 3.0 e compartilhar com seus colegas as descobertas sobre novasferramentas. Para que a construção de práticas pedagógicas criativas, com apoiodesses aplicativos, seja efetivada, o estudo deste módulo lhe proporcionará:Conhecer os diferentes aplicativos do sistema operacional Linux Educacional3.0 e suas funcionalidades; Operar com o Linux Educacional, identificando osprincipais aplicativos de utilização em funções básicas, como internet,imagens e som; Encontrar e instalar aplicativos conforme necessidade;Integrar o uso de jogos educacionais na prática pedagógica, visando àconstrução do conhecimento através de simulações e atividades práticas
  23. 23. EdubarO Edubar é uma ferramenta, na forma de uma barra com cinco botões, que visafacilitar o acesso aos aplicativos educacionais do Linux Educacional 3.0. Sualocalização, na parte superior da área de trabalho, facilita o acesso às principaisferramentas do sistema. Na barra Edubar se encontram-se os botões "DomínioPúblico", "TV Escola", "Programas Educacionais", "Ferramentas deProdutividade" e "Utilitários". Essa barra é um diferencial que proporciona aoprofessor diversificar o uso do computador, dedicando maior atenção aos alunosdurante a realização das atividades.
  24. 24. Este módulo apresenta os Objetos de Aprendizagem (OAs), que são recursoseducacionais, em diversos formatos e linguagens, que tem por objetivo mediar equalificar o processo de ensino-aprendizagem. Uma de suas principaiscaracterísticas é a reusabilidade, que diz respeito à capacidade de reutilizaçãodesses materiais, em diferentes contextos de aprendizagem, nas mais diversas áreasdo conhecimento.O planejamento de práticas pedagógicas para o uso objetos de aprendizagem deforma que favoreça a colaboração, a cooperação, a autoria e a autonomia do aluno,precisa estar contextualizado de forma significativa com o contexto curricular. Paratanto, é interessante que se criem situações-problema, desafiando os alunos einstigando a curiosidade, podendo resultar em uma ruptura de práticas queprivilegiam a simples reprodução.
  25. 25. A fim de possibilitar esse olhar, o módulo favorece a apropriação doconceito de OAs, apresenta diferentes estratégias de aplicação e apontapara alguns portais onde estes recursos educacionais podem seracessados. Também são apresentadas algumas práticas pedagógicasque incluem o uso de Objetos, as quais poderão servir de apoio noplanejamento de novas estratégias educacionais.Dessa forma, pretende-se que após o estudo deste módulo você possa: · Buscar e selecionar objetos de aprendizagem em diferentes repositórios; · Oportunizar aos alunos o contato com informações em diferentes mídias; · Compreender os objetos de aprendizagem como conteúdos que podem enriquecer a prática pedagógica do professor no uso das TICs; · Integrar os recursos ao planejamento pedagógico, relacionando os objetos de aprendizagem com os conteúdos estudados em aula.
  26. 26. Ferramentas de autoria.Neste Módulo, você conhecerá as Ferramentas de Autoria, que são utilizadas paraproduzir arquivos digitais em diferentes mídias (texto, imagem, som etc.). Existemferramentas voltadas especificamente para o professor, que possibilitam a elaboraçãode material didático, e as que podem ser utilizadas somente pelos alunos, ou porambos. Como o próprio nome diz, as ferramentas de autoria permitem queprofessores e alunos se tornem autores do tema que está sendo estudado. Entre essasferramentas, encontram-se as de produção coletiva que proporcionam interação epossibilitam a autoria colaborativa/cooperativa.Por tratar-se de diferentes mídias, este módulo apresenta as ferramentas divididas emquatro categorias: Audiovisual, Colaborativas, Atividades e Diversas. Confiratambém um conjunto de sugestões de ferramentas que estão organizadas em umatabela com características específicas e possibilidades de aplicações.
  27. 27. Pretende-se, com esse módulo, despertar o interesse e a criatividadepara a construção e planejamento de atividades interativas (ou mídiasdigitais), com a apropriação de novas ferramentas, visando àparticipação ativa e colaborativa dos alunos, sejam como leitores ouautores. Para isso, a partir do estudo desse módulo você poderá: · Conhecer e selecionar diferentes tipos de ferramentas de autoria; · Construir projetos pedagógicos que enfoquem a produção do aluno; · Criar atividades desafiadoras e interativas ou propor que os alunos as criem; · Planejar aulas no laboratório de informática que envolvam os alunos e os instigue-os no processo de construção de mídias digitais.
  28. 28. Unidade 1: Tecnologias na sociedade e na escola.T Conceituar o que são tecnologias e mídias.C Compreender a necessidade de refletir sobre as questõesque antecedem àsdecisões relativas à inserção das tecnologias na sua práticapedagógica, percebendoa diversidade e a complexidade destas questões.a Formar uma ideia inicial a respeito das potencialidades deprocessamento deinformação das tecnologias digitais.i Familiarizar-se com os recursos mais básicos docomputador: uso do mouse eteclado, identificação dos itens do desktop e uso de editores detextos simples.t Familiarizar-se com o uso dos fóruns de discussão e com anavegação em conteúdoda Internet.d Ampliar sua compreensão sobre as possibilidades decomunicação disponíveiscom as TIC.

×