17.ago esmeralda 12.05_542_termope

373 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
373
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
103
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

17.ago esmeralda 12.05_542_termope

  1. 1. Desenvolvimento do Cabeça-de-Série do Sistema de Monitoramento <br />da <br />Condição de Motores de Sistemas Auxiliares <br />pela <br />Análise da Assinatura Elétrica<br />Luiz Eduardo Borges da Silva, Ph.D.<br />1<br />
  2. 2. Agenda<br /><ul><li>O Problema
  3. 3. Objetivo
  4. 4. Análise da Assinatura Elétrica (ESA)
  5. 5. O Cabeça-de-Série
  6. 6. Resultados</li></li></ul><li>Estabelecimento do Problema<br /><ul><li>Os MIT’sconstituem a força motriz básica de sistemas de bombeamento para arrefecimento e lubrificação em sistemas auxiliares de geração.
  7. 7. Falhas nestes motores podem prejudicar a disponibilidade do equipamento principal, o gerador.
  8. 8. A manutenção preditiva é um dos tipos de manutenção mais racionais.
  9. 9. As técnicas de análise de assinaturas elétricas vêm apresentando grande crescimento dentro do contexto da manutenção preditiva.</li></li></ul><li>Objetivos<br /><ul><li> Desenvolvimento do cabeça-de-sériedo sistema para aplicação da técnica de análise da assinatura elétrica em motores de sistemas auxiliares de geração.
  10. 10. O hardwareé constituído de um sistema remoto para aquisição de sinais elétricos, via rede ethernet, e de transdutores de corrente e tensão.
  11. 11. O software é um aplicativo para o gerenciamento das coletas, processamento de sinais e auxílio ao diagnóstico.</li></li></ul><li>Análise da Assinatura Elétrica<br /><ul><li>ESA: Electrical Signature Analysis
  12. 12. É o termo empregado para a avaliação dos sinais de tensão e corrente de máquinas elétricas.
  13. 13. As técnicas de análise da assinatura elétrica:
  14. 14. CSA:Current Signature Analysis
  15. 15. VSA:Voltage Signature Analysis
  16. 16. EPVA:EnhancedPark’sVector Approach</li></li></ul><li>Análise da Assinatura Elétrica<br /><ul><li>CSA e VSA (para máquinas elétricas em geral)
  17. 17. São técnicas usadas para analisar e acompanhar a tendência de sistemas energizados dinâmicos.
  18. 18. Usam a máquina elétrica sob monitoramento como um transdutor, permitindo que o usuário avalie a condição elétrica e mecânica a partir do painel de alimentação.
  19. 19. Consistem basicamente na monitoração de uma das três fases da corrente ou tensão de alimentação da máquina </li></li></ul><li>Análise da Assinatura Elétrica<br /><ul><li>CSA e VSA
  20. 20. O sinal de corrente ou tensão de uma das fases da máquina é analisado para produzir o espectro de corrente ou tensão, normalmente referenciado como Assinatura.</li></li></ul><li>Análise da Assinatura Elétrica<br /><ul><li>CSA e VSA
  21. 21. O objetivo é obter tal assinatura para se identificar a magnitude e freqüência de cada componente individual que constitui o sinal de corrente ou tensão da máquina </li></li></ul><li>Análise da Assinatura Elétrica<br /><ul><li> CSA e VSA
  22. 22. Permite que padrões na assinatura da corrente ou tensão sejam identificados para diferenciar máquinas “saudáveis” de máquinas em falta e ainda detectar em que parte da máquina a falha deve ocorrer</li></li></ul><li>Análise da Assinatura Elétrica<br /><ul><li>EPVA
  23. 23. EPVA - Abordagem por Vetor de Park Estendido
  24. 24. Técnica bastante útil na análise do desequilíbrio elétrico estatórico.
  25. 25. Pode ser utilizada também na análise da assinatura de tensão ou corrente no espectro demodulado.</li></li></ul><li>Análise da Assinatura Elétrica<br /><ul><li>EPVA
  26. 26. Graficamente tem-se que as condições ideais geram um círculo de Park perfeito centrado na origem das coordenadas:
  27. 27. Sob condições anormais de operação, ou seja, quando do surgimento de avarias de origens mecânicas ou elétricas, o círculo de Park passa a sofrer distorções</li></li></ul><li>Análise da Assinatura Elétrica<br /><ul><li>EPVA
  28. 28. Como essas alterações no círculo de Park são difíceis de serem mensuradas, foi proposta pelo método de EPVA a observação do espectro do módulo do vetor de Park.
  29. 29. A vantagem da técnica de EPVA reside no fato da mesma combinar a simplicidade do método da análise do círculo de Park com a potencialidade da análise espectral.
  30. 30. Além disso, a componente fundamental da alimentação do motor é automaticamente subtraída do espectro pela transformação de Park, fazendo com que as componentes características de falha apareçam com destaque.
  31. 31. O ponto mais importante é o fato da técnica considerar as três fases de corrente ou tensão, gerando um espectro mais significativo por englobar informações das três fases.
  32. 32. Esta característica é extremamente útil em casos onde falha só pode ser detectada se consideradas as três fases.</li></li></ul><li>Análise da Assinatura Elétrica<br /><ul><li>Padrões de Falha - Exemplos</li></li></ul><li>O Cabeça-de-Série em Desenvolvimento<br />
  33. 33. O Cabeça-de-SérieDesenvolvido<br />
  34. 34. Resultados Obtidos<br /><ul><li>03 Cabeças-de-série desenvolvidos
  35. 35. Motores críticos dos sistemas auxiliares da TermoPE identificados
  36. 36. Padrões de falhas definidos
  37. 37. Melhoria no pacote computacional desenvolvido na etapa de desenvolvimento experimental efetuada</li></li></ul><li>Próximos Passos<br /><ul><li>Instalação dos cabeças-de-série
  38. 38. Levantamento de histórico
  39. 39. Lote Pioneiro</li></li></ul><li>Conclusões<br /><ul><li>O projeto se mostrou viável do ponto de vista técnico econômico.
  40. 40. O monitoramento de motores de sistemas auxiliares é apresentou uma melhoria na confiabilidade global da planta.
  41. 41. Os resultados obtidos podem ser facilmente aplicados em outros sistemas críticos.</li></li></ul><li>FIM<br />

×