SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
NR-20
NR-20
Líquidos combustíveisLíquidos combustíveis
Líquido combustível é todo aquele que possua ponto de
fulgor igual ou superior a 70º C e inferior a 93,3º C.
Líquidos combustíveisLíquidos combustíveis
Os tanques de armazenagem de líquidos combustíveis
serão construídos de aço ou de concreto, a menos que
a característica do líquido requeira material especial,
segundo normas técnicas oficiais vigentes no País.
Líquidos combustíveisLíquidos combustíveis
Todos os tanques de armazenamento de líquidos
combustíveis, de superfície ou equipados com
respiradouros de emergência, deverão ser
localizados de acordo com a Tabela A.
Tabela ATabela A
Líquidos combustíveisLíquidos combustíveis
A distância entre 2 tanques de armazenamento de
líquidos combustíveis não deverá ser inferior a 1,00m
e o espaçamento mínimo deverá ser de 6,00m .
Todos os tanques de superfície deverão ter
dispositivos que liberem pressões internas excessivas,
causadas pela exposição a fonte de calor.
LíquidosLíquidos inflamáveisinflamáveis
Líquido inflamável é todo aquele que possua ponto
de fulgor inferior a 70º C e pressão de vapor que
não exceda 2,8 kg/cm2
absoluta a 37,7º C.
Líquidos instávelLíquidos instável
Define-se líquido "instável" ou "líquido reativo",
quando um líquido na sua forma pura, comercial,
como é produzido ou transportado, se polimerize, se
decomponha ou se condense, violentamente, ou que
se torne auto-reativo sob condições de choque,
pressão ou temperatura.
Líquidos inflamáveisLíquidos inflamáveis
Todos os tanques de superfície usados para
armazenamento de líquidos inflamáveis deverão ser
localizados de acordo com a Tabela A e a Tabela B.
Tabela BTabela B
Líquidos instávelLíquidos instável
Todos tanques de superfície utilizados para o
armazenamento de líquidos instáveis deverão ser
localizados de acordo com a Tabela A e a Tabela C.
Tabela CTabela C
Líquidos inflamáveisLíquidos inflamáveis
Os tanques que armazenam líquidos inflamáveis,
instalados enterrados no solo, deverão obedecer aos
seguintes distanciamentos mínimos:
 1,00m (um metro) de divisas de outras propriedades;
 0,30m (trinta centímetros) de alicerces de paredes,
poços ou porão.
Líquidos inflamáveisLíquidos inflamáveis
Os tanques para armazenamento de líquidos inflamáveis
somente poderão ser instalados no interior de edifícios
sob a forma de tanques enterrados e equipados com
respiradouros de pressão e vácuo ou corta-chamas.
Os respiradouros dos tanques enterrados deverão ser
localizados de forma que fiquem fora de edificações e
no mínimo a 3,50m de altura do nível do solo.
Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo
Para efeito desta Norma Regulamentadora, fica
definido como GLP o produto constituído,
predominantemente, pelo hidrocarboneto propano,
propeno, butano e buteno.
Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo
Cada recipiente de armazenagem de GLP deverá ter
uma placa metálica com indicação da norma ou
código de construção; se o recipiente foi construído
para instalação subterrânea;
identificação do fabricante e capacidade do
recipiente em litros;
identificação da área da superfície externa, em m2
.
Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo
Recipientes de 500 a 8 mil litros deverão estar
distanciados entre si de no mínimo 1,00m.
Recipientes acima de 8 mil litros deverão estar
distanciados entre si de no mínimo 1,50m.
Os recipientes com mais de 500 litros deverão estar
separados de edificações e divisa de outra propriedade
segundo a Tabela D.
Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo
Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo
Não é permitida a instalação de recipientes de
armazenamento de GLP, sobre laje de forro ou terraço
de edificações, inclusive de edificações subterrâneas. Os
recipientes de armazenagem de GLP serão devidamente
ligados à terra conforme recomendações da NR 10.
Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo
A área de armazenagem de GLP será delimitada por
um alambrado de material vazado que permita boa
ventilação e de altura mínima de 1,80m.
O distanciamento do alambrado dos recipientes
deverá obedecer aos distanciamentos da Tabela E.
Tabela ETabela E
Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo
Não é permitida a instalação de recipientes
transportáveis, com capacidade acima de 40 litros,
dentro de edificações. O GLP não poderá ser
canalizado na sua fase líquida dentro de edificação.
O GLP canalizado no interior de edificações não
deverá ter pressão superior a 1,5 kg/cm2
.
FIMFIM
“O amor de mãe é o combustível que permite a um ser
humano fazer o impossível.”
Marion C. Garretty
Que a beleza das flores, a doçura do mel, o brilho das estrelas envolvam você hoje e que
você continue irradiando este amor e esta alegria que você sempre nos ofereceu!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Curso nr20 curso avançado
Curso nr20   curso avançadoCurso nr20   curso avançado
Curso nr20 curso avançado
 
Trabalho em altura
Trabalho em alturaTrabalho em altura
Trabalho em altura
 
Avaliação nr33
Avaliação nr33Avaliação nr33
Avaliação nr33
 
Nr – 23
Nr – 23Nr – 23
Nr – 23
 
Apresentação NR33 ESPAÇO CONFINADO
Apresentação NR33 ESPAÇO CONFINADOApresentação NR33 ESPAÇO CONFINADO
Apresentação NR33 ESPAÇO CONFINADO
 
Integração de Segurança
Integração de SegurançaIntegração de Segurança
Integração de Segurança
 
Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados
Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados
Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados
 
Trabalho a quente modulo II
Trabalho a quente   modulo IITrabalho a quente   modulo II
Trabalho a quente modulo II
 
Trabalho em altura nr 35 (treinamento)
Trabalho em altura   nr 35 (treinamento)Trabalho em altura   nr 35 (treinamento)
Trabalho em altura nr 35 (treinamento)
 
NR 35
NR 35NR 35
NR 35
 
Treinamento nr 20 posto
Treinamento nr 20   postoTreinamento nr 20   posto
Treinamento nr 20 posto
 
Modelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdfModelo de PGR.pdf
Modelo de PGR.pdf
 
Segurança no manuseio de produtos quimicos
Segurança no manuseio de produtos quimicosSegurança no manuseio de produtos quimicos
Segurança no manuseio de produtos quimicos
 
Nr20 trein treinamento-nr-20
Nr20 trein treinamento-nr-20Nr20 trein treinamento-nr-20
Nr20 trein treinamento-nr-20
 
Princípios do FOGO
Princípios do FOGOPrincípios do FOGO
Princípios do FOGO
 
NR34 - TRABALHO A QUENTE.pptx
NR34 - TRABALHO A QUENTE.pptxNR34 - TRABALHO A QUENTE.pptx
NR34 - TRABALHO A QUENTE.pptx
 
Treinamento pta
Treinamento ptaTreinamento pta
Treinamento pta
 
Nr 34
Nr 34Nr 34
Nr 34
 
Nr 12
Nr 12Nr 12
Nr 12
 
APOSTILA NR 20.pdf
APOSTILA NR 20.pdfAPOSTILA NR 20.pdf
APOSTILA NR 20.pdf
 

Destaque (6)

Nr 20
Nr 20Nr 20
Nr 20
 
Nr 20
Nr 20Nr 20
Nr 20
 
Nr20 modulo 1_final
Nr20 modulo 1_finalNr20 modulo 1_final
Nr20 modulo 1_final
 
Guia nr 20
Guia nr 20Guia nr 20
Guia nr 20
 
Nr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Nr 12 Maquinas e Equipamento ResumoNr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Nr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
 
Nr12 2
Nr12 2Nr12 2
Nr12 2
 

Semelhante a Regras para armazenamento de líquidos combustíveis e GLP segundo a NR-20

NR 20- LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS, INFLAMÁVEIS E GASES 005.pptx
NR 20- LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS, INFLAMÁVEIS E GASES 005.pptxNR 20- LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS, INFLAMÁVEIS E GASES 005.pptx
NR 20- LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS, INFLAMÁVEIS E GASES 005.pptxnaejdias
 
Armazenagem de Produtos Quimicos
Armazenagem de Produtos QuimicosArmazenagem de Produtos Quimicos
Armazenagem de Produtos Quimicosrhtdesenvolvimento
 
Liquidos combustiveis-e-inflamaveis
Liquidos combustiveis-e-inflamaveisLiquidos combustiveis-e-inflamaveis
Liquidos combustiveis-e-inflamaveiscarlossilva1889
 
Instrucao tecnica 27
Instrucao tecnica   27Instrucao tecnica   27
Instrucao tecnica 27cipasap
 
IN 8 - CBMSC 2022.pdf
IN 8 - CBMSC 2022.pdfIN 8 - CBMSC 2022.pdf
IN 8 - CBMSC 2022.pdfDiogo875320
 
366919650-02-GLP-ppt.ppt
366919650-02-GLP-ppt.ppt366919650-02-GLP-ppt.ppt
366919650-02-GLP-ppt.pptClinaldo Guedes
 
3662715454cdgfgf
3662715454cdgfgf3662715454cdgfgf
3662715454cdgfgfMarc Souza
 
Norma anp armazenamento de gás (glp) para comércio ou não
Norma anp armazenamento de gás (glp) para comércio ou nãoNorma anp armazenamento de gás (glp) para comércio ou não
Norma anp armazenamento de gás (glp) para comércio ou nãoDemétrio Luiz Riguete Gripp
 
Carretinha de suprimento de ar com cilindros de cascata
Carretinha de suprimento de ar com cilindros de cascataCarretinha de suprimento de ar com cilindros de cascata
Carretinha de suprimento de ar com cilindros de cascataClaudinei Machado
 
NBR 13598 - Vasos de Pressão na Refrigeração
NBR 13598 - Vasos de Pressão na RefrigeraçãoNBR 13598 - Vasos de Pressão na Refrigeração
NBR 13598 - Vasos de Pressão na RefrigeraçãoPauloRobertoBarnab
 
Res agas acumulacao_manual
Res agas acumulacao_manualRes agas acumulacao_manual
Res agas acumulacao_manualbene piscinas
 
IN 7 - CBMSC 2022.pdf
IN 7 - CBMSC 2022.pdfIN 7 - CBMSC 2022.pdf
IN 7 - CBMSC 2022.pdfDiogo875320
 
N 1645 de 2004 - critérios de segurança para instalações de
N 1645 de 2004 - critérios de segurança para instalações de N 1645 de 2004 - critérios de segurança para instalações de
N 1645 de 2004 - critérios de segurança para instalações de Kamilla Tavares
 

Semelhante a Regras para armazenamento de líquidos combustíveis e GLP segundo a NR-20 (20)

Módulo 9
Módulo 9Módulo 9
Módulo 9
 
Nr 20
Nr 20Nr 20
Nr 20
 
NR 20- LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS, INFLAMÁVEIS E GASES 005.pptx
NR 20- LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS, INFLAMÁVEIS E GASES 005.pptxNR 20- LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS, INFLAMÁVEIS E GASES 005.pptx
NR 20- LÍQUIDOS COMBUSTÍVEIS, INFLAMÁVEIS E GASES 005.pptx
 
Armazenagem de Produtos Quimicos
Armazenagem de Produtos QuimicosArmazenagem de Produtos Quimicos
Armazenagem de Produtos Quimicos
 
Liquidos combustiveis-e-inflamaveis
Liquidos combustiveis-e-inflamaveisLiquidos combustiveis-e-inflamaveis
Liquidos combustiveis-e-inflamaveis
 
Instrucao tecnica 27
Instrucao tecnica   27Instrucao tecnica   27
Instrucao tecnica 27
 
Nr20
Nr20Nr20
Nr20
 
IN 8 - CBMSC 2022.pdf
IN 8 - CBMSC 2022.pdfIN 8 - CBMSC 2022.pdf
IN 8 - CBMSC 2022.pdf
 
366919650-02-GLP-ppt.ppt
366919650-02-GLP-ppt.ppt366919650-02-GLP-ppt.ppt
366919650-02-GLP-ppt.ppt
 
3662715454cdgfgf
3662715454cdgfgf3662715454cdgfgf
3662715454cdgfgf
 
Norma anp armazenamento de gás (glp) para comércio ou não
Norma anp armazenamento de gás (glp) para comércio ou nãoNorma anp armazenamento de gás (glp) para comércio ou não
Norma anp armazenamento de gás (glp) para comércio ou não
 
58202
5820258202
58202
 
Tanque Combustíveis.pptx
Tanque Combustíveis.pptxTanque Combustíveis.pptx
Tanque Combustíveis.pptx
 
Carretinha de suprimento de ar com cilindros de cascata
Carretinha de suprimento de ar com cilindros de cascataCarretinha de suprimento de ar com cilindros de cascata
Carretinha de suprimento de ar com cilindros de cascata
 
NBR 13598 - Vasos de Pressão na Refrigeração
NBR 13598 - Vasos de Pressão na RefrigeraçãoNBR 13598 - Vasos de Pressão na Refrigeração
NBR 13598 - Vasos de Pressão na Refrigeração
 
VASOS DE PRESSÃO.ppt
VASOS DE PRESSÃO.pptVASOS DE PRESSÃO.ppt
VASOS DE PRESSÃO.ppt
 
Res agas acumulacao_manual
Res agas acumulacao_manualRes agas acumulacao_manual
Res agas acumulacao_manual
 
IN 7 - CBMSC 2022.pdf
IN 7 - CBMSC 2022.pdfIN 7 - CBMSC 2022.pdf
IN 7 - CBMSC 2022.pdf
 
Central de gás lp
Central de gás lpCentral de gás lp
Central de gás lp
 
N 1645 de 2004 - critérios de segurança para instalações de
N 1645 de 2004 - critérios de segurança para instalações de N 1645 de 2004 - critérios de segurança para instalações de
N 1645 de 2004 - critérios de segurança para instalações de
 

Mais de Paulo R. Itami da Cruz (20)

Instrumentação
InstrumentaçãoInstrumentação
Instrumentação
 
Nutrição e Saúde
Nutrição e SaúdeNutrição e Saúde
Nutrição e Saúde
 
Nr – 33
Nr – 33Nr – 33
Nr – 33
 
Nr – 32
Nr – 32Nr – 32
Nr – 32
 
Nr – 31
Nr – 31Nr – 31
Nr – 31
 
Nr – 30
Nr – 30Nr – 30
Nr – 30
 
Nr – 29
Nr – 29Nr – 29
Nr – 29
 
Nr – 28
Nr – 28Nr – 28
Nr – 28
 
Nr – 27
Nr – 27Nr – 27
Nr – 27
 
Nr – 26
Nr – 26Nr – 26
Nr – 26
 
Nr – 24
Nr – 24Nr – 24
Nr – 24
 
Nr – 22
Nr – 22Nr – 22
Nr – 22
 
Nr – 21
Nr – 21Nr – 21
Nr – 21
 
Nr – 19
Nr – 19Nr – 19
Nr – 19
 
Nr – 18
Nr – 18Nr – 18
Nr – 18
 
Nr – 17
Nr – 17Nr – 17
Nr – 17
 
Nr – 16
Nr – 16Nr – 16
Nr – 16
 
Nr – 15
Nr – 15Nr – 15
Nr – 15
 
Nr – 13
Nr – 13Nr – 13
Nr – 13
 
Nr – 12
Nr – 12Nr – 12
Nr – 12
 

Último

Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxResistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxjuliocameloUFC
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalleandroladesenvolvim
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraGuilhermeLucio9
 
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaGuilhermeLucio9
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréGuilhermeLucio9
 
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdf
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdfPLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdf
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdfAroldoMenezes1
 
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animal
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animalFISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animal
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animalPauloHenrique154965
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAMCassio Rodrigo
 
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfAulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfMateusSerraRodrigues1
 

Último (9)

Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptxResistencias dos materiais I - Tensao.pptx
Resistencias dos materiais I - Tensao.pptx
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animal
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
 
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
 
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdf
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdfPLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdf
PLANO DE EMERGÊNCIA E COMBATE A INCENDIO.pdf
 
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animal
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animalFISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animal
FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO. matéria de fisiologia animal
 
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
 
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdfAulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
Aulas Práticas da Disciplina de Desenho Técnico Projetivo _ Passei Direto.pdf
 

Regras para armazenamento de líquidos combustíveis e GLP segundo a NR-20

  • 3. Líquidos combustíveisLíquidos combustíveis Líquido combustível é todo aquele que possua ponto de fulgor igual ou superior a 70º C e inferior a 93,3º C.
  • 4. Líquidos combustíveisLíquidos combustíveis Os tanques de armazenagem de líquidos combustíveis serão construídos de aço ou de concreto, a menos que a característica do líquido requeira material especial, segundo normas técnicas oficiais vigentes no País.
  • 5. Líquidos combustíveisLíquidos combustíveis Todos os tanques de armazenamento de líquidos combustíveis, de superfície ou equipados com respiradouros de emergência, deverão ser localizados de acordo com a Tabela A.
  • 7. Líquidos combustíveisLíquidos combustíveis A distância entre 2 tanques de armazenamento de líquidos combustíveis não deverá ser inferior a 1,00m e o espaçamento mínimo deverá ser de 6,00m . Todos os tanques de superfície deverão ter dispositivos que liberem pressões internas excessivas, causadas pela exposição a fonte de calor.
  • 8. LíquidosLíquidos inflamáveisinflamáveis Líquido inflamável é todo aquele que possua ponto de fulgor inferior a 70º C e pressão de vapor que não exceda 2,8 kg/cm2 absoluta a 37,7º C.
  • 9. Líquidos instávelLíquidos instável Define-se líquido "instável" ou "líquido reativo", quando um líquido na sua forma pura, comercial, como é produzido ou transportado, se polimerize, se decomponha ou se condense, violentamente, ou que se torne auto-reativo sob condições de choque, pressão ou temperatura.
  • 10. Líquidos inflamáveisLíquidos inflamáveis Todos os tanques de superfície usados para armazenamento de líquidos inflamáveis deverão ser localizados de acordo com a Tabela A e a Tabela B.
  • 12. Líquidos instávelLíquidos instável Todos tanques de superfície utilizados para o armazenamento de líquidos instáveis deverão ser localizados de acordo com a Tabela A e a Tabela C.
  • 14. Líquidos inflamáveisLíquidos inflamáveis Os tanques que armazenam líquidos inflamáveis, instalados enterrados no solo, deverão obedecer aos seguintes distanciamentos mínimos:  1,00m (um metro) de divisas de outras propriedades;  0,30m (trinta centímetros) de alicerces de paredes, poços ou porão.
  • 15. Líquidos inflamáveisLíquidos inflamáveis Os tanques para armazenamento de líquidos inflamáveis somente poderão ser instalados no interior de edifícios sob a forma de tanques enterrados e equipados com respiradouros de pressão e vácuo ou corta-chamas. Os respiradouros dos tanques enterrados deverão ser localizados de forma que fiquem fora de edificações e no mínimo a 3,50m de altura do nível do solo.
  • 16. Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo Para efeito desta Norma Regulamentadora, fica definido como GLP o produto constituído, predominantemente, pelo hidrocarboneto propano, propeno, butano e buteno.
  • 17. Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo Cada recipiente de armazenagem de GLP deverá ter uma placa metálica com indicação da norma ou código de construção; se o recipiente foi construído para instalação subterrânea; identificação do fabricante e capacidade do recipiente em litros; identificação da área da superfície externa, em m2 .
  • 18. Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo Recipientes de 500 a 8 mil litros deverão estar distanciados entre si de no mínimo 1,00m. Recipientes acima de 8 mil litros deverão estar distanciados entre si de no mínimo 1,50m. Os recipientes com mais de 500 litros deverão estar separados de edificações e divisa de outra propriedade segundo a Tabela D.
  • 19. Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo
  • 20. Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo Não é permitida a instalação de recipientes de armazenamento de GLP, sobre laje de forro ou terraço de edificações, inclusive de edificações subterrâneas. Os recipientes de armazenagem de GLP serão devidamente ligados à terra conforme recomendações da NR 10.
  • 21. Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo A área de armazenagem de GLP será delimitada por um alambrado de material vazado que permita boa ventilação e de altura mínima de 1,80m. O distanciamento do alambrado dos recipientes deverá obedecer aos distanciamentos da Tabela E.
  • 23. Gases Liquefeitos de PetróleoGases Liquefeitos de Petróleo Não é permitida a instalação de recipientes transportáveis, com capacidade acima de 40 litros, dentro de edificações. O GLP não poderá ser canalizado na sua fase líquida dentro de edificação. O GLP canalizado no interior de edificações não deverá ter pressão superior a 1,5 kg/cm2 .
  • 24. FIMFIM “O amor de mãe é o combustível que permite a um ser humano fazer o impossível.” Marion C. Garretty Que a beleza das flores, a doçura do mel, o brilho das estrelas envolvam você hoje e que você continue irradiando este amor e esta alegria que você sempre nos ofereceu!