Período exilico de Israel

296 visualizações

Publicada em

Apresentação do contexto social da palestina no perído exílico

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
296
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Período exilico de Israel

  1. 1. A vida no Exilio Babilônico (598 – 537 a. C.) • Houveram duas deportações principais, a primeira em 598/7 a.C. e outra em 587/6 a.C., neste período foram deportados aproximadamente 4.600 pessoas, os que ficaram na região totalizavam segundo Donner (1997, p. 436), pouco mais de 20 mil pessoas um número considerado pequeno. Entrada do povo judeu na Babilônia Fonte: Archeology Ilustrated
  2. 2. Vida dos Judeus na Babilônia • Neste ponto cabe destacar que os judeus se destacaram no comércio, neste ponto entendemos a partir do que nos explica Keller (1992 p. 406), que o comercio e as atividades bancárias, foram o grande marco do exílio, para a prosperidade econômica do povo judeu. Tábua de negócios de Murashu & Filhos Fonte: Metropolitan Museum of Art, em Nova York
  3. 3. Religião dos Judeus na Babilônia • De acordo com Fohrer (2006, p.404), a condição de exílio foi encarada pelos judeus como uma derrota do Deus Judeu Iahweh, em relação ao deus babilônico Marduc, deste modo, era mais vantajoso para o povo judeus adorar a Marduc. • Encontramos aqueles que se mantiveram fiéis ao Javismo . Apesar da impossibilidade de ter um templo, o substituem por escolas religiosas. O povo manteve os principais rituais, principalmente o shabbath, e o valor extremo na circuncisão, abstenção de certos alimentos e um prática intensa de jejuns. Representação do deus Marduc Fonte: Google imagens
  4. 4. Esperança no fim do Exílio • As profecias de Jeremias e mais fortemente de Ezequiel, mantiveram um centelho de esperança no retorno a Jerusalém. A esperança no retorno de uma dinastia davídica. Este sentimento de esperança, irá ter um papel fundamental no processo de reconstrução de Jerusalém que veremos mais à frente. Representação Ortodoxa do Ezequiel Fonte: Google imagens

×