A P RO S A RO M Â N T I C A I N D I A N I S TA                  José de Alencar
CONTEXTO HISTÓRICO• 1808 - Chegada da família real ao Brasil.• Criação da Imprensa Régia.• Chegada das missões estrangeira...
P RO J E T O L I T E R Á R I O• Passado histórico reconstituído.• Índios se comportavam com nobres princípios burgueses.• ...
C A R AC T E R Í S T I C A S• O romancista procura valorizar as nossas origens.• O ‘’Bom selvagem‘’ de Roasseu• Para a lit...
AU T O R E S E P R I N C I PA I S O B R A S• Principal autor deste romance foi José de Alencar• As principais obras do rom...
A N Á L I S E D E ‘ ’ A C A Ç A DA ‘ ’[...] EM PÉ, NO MEIO DO ESPAÇO QUE FORMAVA A GRANDE ABÓBADA DE ERA UMA ONÇA ENORME; ...
A N Á L I S E D E ‘ ’ A C A Ç A DA ‘ ’OUVIU-SE UM FORTE SIBILO, QUE FOI ACOMPANHADO POR UM BRAMIDO ELASTICIDADE EXTRAORDIN...
A N Á L I S E D E ‘ ’ A C A Ç A DA ‘ ’O TIGRE DESTA VEZ NÃO SE DEMOROU; APENAS SE ACHOU A COISA DEQUINZE PASSOS DO INIMIGO...
A P RO S A RO M Â N T I C A I N D I A N I S TA   Alunos:                  Turma: 205   •   Isadora Louvain      Turno: Man...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A prosa romântica indianista

821 visualizações

Publicada em

To La-is No-gay-ra

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
821
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A prosa romântica indianista

  1. 1. A P RO S A RO M Â N T I C A I N D I A N I S TA José de Alencar
  2. 2. CONTEXTO HISTÓRICO• 1808 - Chegada da família real ao Brasil.• Criação da Imprensa Régia.• Chegada das missões estrangeiras ao Brasil.• 1822 - Independência do Brasil.• Índio - Autêntica expressão de nacionalidade.
  3. 3. P RO J E T O L I T E R Á R I O• Passado histórico reconstituído.• Índios se comportavam com nobres princípios burgueses.• Indianismo e o público.• Linguagem nacional.
  4. 4. C A R AC T E R Í S T I C A S• O romancista procura valorizar as nossas origens.• O ‘’Bom selvagem‘’ de Roasseu• Para a literatura brasileira, tanto os poemas de Gonçalves de Magalhães, quanto os de Gonçalves Dias, acerca do indianismo são maravilhosos, repletos de características e visões próprias, o que é comum na literatura à subjetividade.
  5. 5. AU T O R E S E P R I N C I PA I S O B R A S• Principal autor deste romance foi José de Alencar• As principais obras do romance indianista foram: • O Guarani (1857) - Ficção indianista. Na obra o processo de colonização está adiantado. Modelo importado - projeta as relações de suserana e vassalagem e os ideais burgueses (cortesia, bravura, humildade, heroísmo e amor sem limites). • Iracema (1865) - Período inicial das terras conquistadas. União índia tabajara e o nobre conquistador. Apresenta a lenda da fundação do Ceará. Formação do povo brasileiro. • Ubirajara (1874) - Aborda o momento que antecede a ocupação das terras conquistadas.
  6. 6. A N Á L I S E D E ‘ ’ A C A Ç A DA ‘ ’[...] EM PÉ, NO MEIO DO ESPAÇO QUE FORMAVA A GRANDE ABÓBADA DE ERA UMA ONÇA ENORME; DE GARRAS APOIADAS SOBRE UM GROSSOÁRVORES, ENCOSTADO A UM VELHO TRONCO DECEPADO PELO RAMO DE ÁRVORE, E PÉS SUSPENSOS NO GALHORAIO, VIA-SE UM ÍNDIO NA FLOR DA IDADE. SUPERIOR, ENCOLHIA O CORPO, PREPARANDO O SALTO GIGANTESCO.UMA SIMPLES TÚNICA DE ALGODÃO, A QUE OS INDÍGENAS CHAMAVAM [...]AIMARÁ, APERTADA À CINTURA POR UMA FAIXA DE PENASESCARLATES, CAÍA-LHE DOS OMBROS ATÉ AO MEIO DA PERNA, EDESENHAVA O TALHE DELGADO E ESBELTO COMO UM JUNCO CARACTERÍSTICASSELVAGEM. [...] USO DE TERMOS DA LÍNGUA INDÍGENANESSE INSTANTE ERGUIA A CABEÇA E FITAVA OS OLHOS NUMA SEBE DEFOLHAS QUE SE ELEVAVA A VINTE PASSOS DE DISTÂNCIA, E SE AGITAVA VALORIZAÇÃO DA FAUNA E DA VEGETAÇÃOIMPERCEPTIVELMENTE.ALI POR ENTRE A FOLHAGEM, DISTINGUIAM-SE AS ONDULAÇÕESFELINAS DE UM DORSO NEGRO, BRILHANTE, MARCHETADO DEPARDO; ÀS VEZES VIAM-SE BRILHAR NA SOMBRA DOIS RAIOS VÍTREOS EPÁLIDOS, QUE SEMELHAVAM OS REFLEXOS DE ALGUMA CRISTALIZAÇÃODE ROCHA, FERIDA PELA LUZ DO SOL.
  7. 7. A N Á L I S E D E ‘ ’ A C A Ç A DA ‘ ’OUVIU-SE UM FORTE SIBILO, QUE FOI ACOMPANHADO POR UM BRAMIDO ELASTICIDADE EXTRAORDINÁRIA E ATIROU-SE COMO UM ESTILHAÇO DEDA FERA; A PEQUENA SETA DESPEDIDA PELO ÍNDIO SE CRAVARA NA ROCHA, CORTADA PELO RAIO. [...]ORELHA, E UMA SEGUNDA, AÇOITANDO O AR, IA FERIR-LHE AMANDÍBULA INFERIOR.O TIGRE TINHA-SE VOLTADO AMEAÇADOR E TERRÍVEL, AGUÇANDO OS CARACTERÍSTICASDENTES UNS NOS OUTROS, RUGINDO DE FÚRIA E VINGANÇA: DE DOISSALTOS APROXIMOU-SE NOVAMENTE. CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONALERA UMA LUTA DE MORTE A QUE IA SE TRAVAR; O ÍNDIO O SABIA, EESPEROU TRANQÜILAMENTE, COMO DA PRIMEIRA VEZ; A INQUIETAÇÃOQUE SENTIRA UM MOMENTO DE QUE A PRESA LHEESCAPASSE, DESAPARECERA: ESTAVA SATISFEITO.ASSIM, ESTES DOIS SELVAGENS DAS MATAS DO BRASIL, CADA UM COMAS SUAS ARMAS, CADA UM COM A CONSCIÊNCIA DE SUA FORÇA E DESUA CORAGEM, CONSIDERAVAM-SE MUTUAMENTE COMO VÍTIMASQUE IAM SER IMOLADAS.O TIGRE DESTA VEZ NÃO SE DEMOROU; APENAS SE ACHOU A COISA DEQUINZE PASSOS DO INIMIGO, RETRAIU-SE COM UMA FORÇA DE
  8. 8. A N Á L I S E D E ‘ ’ A C A Ç A DA ‘ ’O TIGRE DESTA VEZ NÃO SE DEMOROU; APENAS SE ACHOU A COISA DEQUINZE PASSOS DO INIMIGO, RETRAIU-SE COM UMA FORÇA DEELASTICIDADE EXTRAORDINÁRIA E ATIROU-SE COMO UM ESTILHAÇO DE CARACTERÍSTICASROCHA, CORTADA PELO RAIO. [...] VALORIZAÇÃO DO ÍNDIO COMO HERÓI NACIONAL.ENTÃO, O SELVAGEM DISTENDEU-SE COM A FLEXIBILIDADE DACASCAVEL AO LANÇAR O BOTE; FINCANDO OS PÉS E AS COSTAS NOTRONCO, ARREMESSOU-SE E FOI CAIR SOBRE O VENTRE DA ANÁLISEONÇA, QUE, SUBJUGADA, PROSTRADA DE COSTAS, COM A CABEÇA PRESAAO CHÃO PELO GANCHO, DEBATIA-SE CONTRA O SEU NESSE TRECHO, ALENCAR, AO DESCREVER A LUTA DE PERI COMVENCEDOR, PROCURANDO DEBALDE ALCANÇÁ-LO COM AS GARRAS. UMA ONÇA, CARACTERIZA, COM RIQUEZA DE DETALHES, OESTA LUTA DUROU MINUTOS; O ÍNDIO, COM OS PÉS APOIADOS HERÓI NACIONAL QUE ELEGEU.FORTEMENTE NAS PERNAS DA ONÇA, E O CORPO INCLINADO SOBREA FORQUILHA, MANTINHA ASSIM IMÓVEL A FERA, QUE HÁ POUCOCORRIA A MATA NÃO ENCONTRANDO OBSTÁCULOS À SUA PASSAGEM.[...]ALENCAR, JOSÉ DE. O GUARANI. SÃO PAULO: ATELIÊ EDITORIAL, 1999. P.71-76. (FRAGMENTO).
  9. 9. A P RO S A RO M Â N T I C A I N D I A N I S TA Alunos: Turma: 205 • Isadora Louvain Turno: Manhã • Ítalo Coutinho Professora: Roberta • João Cléber Escola: IFF • Keterin de Souza • Laís Nogueira • Mariana Magalhães

×