Ceu inferno eternidade

762 visualizações

Publicada em

Um breve estudo sobre a vida após a morte e a Eternidade.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
762
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ceu inferno eternidade

  1. 1. SEMESB Seminários e Estudos Bíblicos Céu, Inferno e Eternidade “E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.” Apocalipse 21.1 Ivan S. Vargas http://www.ivan.is5.com.br
  2. 2. 1 SEMESB – Seminários e Estudos Bíblicos Céu, Inferno e Eternidade PARTE I – VIDA APÓS A MORTE 1.0 - O Ser Humano Segundo Gênesis 2.7, o homem é o resultado da seguinte fórmula: P + S = A • Corpo (P = pó) • Espírito (S = sopro de Deus) • Alma (A = Pó + Sopro) 2. 0 - A Morte • Resultado do Pecado – Gn 2 – 3; Rm 3.23 • Morte Física – Tg 2.26 • Morte Moral – Rm 8.5-8 • Morte Espiritual – Ef 4.17,18 • Morte Eterna (2ª Morte) – Ap 21.8 • Solução para a morte: JESUS CRISTO – Rm 3.23; 2 Tm 1.10 3.0 – Sono da Alma Algumas denominações, como as Testemunhas de Jeová e Adventistas do Sétimo Dia, ensinam a doutrina do sono da alma, doutrina esta que afirma não existir uma natureza espiritual que sobreviva após a morte. Para apoiar seus ensinos, utilizam-se dos seguintes versículos: • Gênesis 2.7; 3.19 • Ezequiel 18.4 • Eclesiastes 9.5-10 • Salmos 6.5;115.16-18; 146.2-4 4.0 – Refutando o Sono da Alma Uma leitura descomprometida e apressada das Escrituras pode levar o individuo a acreditar que a alma dorme após a morte. Porém, a Bíblia afirma claramente que uma parte do ser humano (parte imaterial) permanece viva e consciente após a morte, em um Estado Intermediário, aguardando a ressurreição final do corpo sepultado. Vejamos alguns versículos: 4.1 – Passagens que confirmam a vida após a morte no Antigo Testamento • Jó 17.13-16 • Salmos 73.24; 17.15; 16.10; 49.15 • Eclesiastes 12.7 • Isaias 14.9 4.2 - Passagens que confirmam a vida após a morte no Novo Testamento a) Jesus • Mateus 10.28; 22;32 • Lucas 20.38; 16.22,23; 23.42,43 b) Paulo • 2 Coríntios 5.1,8 • Filipenses 1.23 • 1 Tessalonicenses 4.14 c) Lucas • Lucas 9.29,31 • Atos 7.55-59 d) João • Apocalipse 6.9-11 5.0 – A Lógica de Paulo Com base nos ensinos do apóstolo Paulo, podemos chegar ao seguinte silogismo: 1. Cristo está no Céu, assentado à direita de Deus – Cl 3.1-3; Ef 1.20 (ver 1 Pe 3.22) 2. O cristão, ao morrer, passa a habitar com Cristo – 2 Co 5.8; Fp 1.23 3. Portanto, o cristão vai para o céu ao morrer – Ap 6.9-11 6.0 – Conclusão a) Após a morte: • Apresentamos-nos diante de Deus – 2 Co 5.8 • Temos um “corpo espiritual” no Estado Intermediário (da morte até a ressurreição) – Lc 16.19-31; 2 2 Co 5.1-4 • Conservamos nossa identidade pessoal – Mt 8.11 b) O espírito dos mortos: • Permanece consciente – Lc 16.19-31; Ap 6.9- 11 • Lembra da vida na terra – Lc 16.25 • Se ímpio, sofre tormentos – Lc 16.23 • Se justo, é consolado – Lc 16.25 • Não tem conhecimento nenhum do que ocorre na Terra – Ec 9.5-8 • Não pode interferir na vida dos vivos – Lc 16.27-29 • Aguarda a ressurreição e juízo (Primeira Ressurreição e Tribunal de Cristo para os justos. Segunda Ressurreição e Juízo Final para os ímpios) – Ap 20.4
  3. 3. 2 Céu, Inferno e Eternidade PARTE II – CÉU Na primeira parte deste seminário estudamos a morte e o que acontece com o ser humano ao morrer. Vimos brevemente o destino dos justos, dos ímpios, e o Estado Intermediário dos Mortos. Nesta lição estudaremos o Céu - o destino temporário dos justos até que ressuscitem e entrem na Eternidade (Novo Céu e Nova Terra). 1. 0 - O que é o Céu? • Lugar onde está o Trono de Deus – Mt 5.34; Ap 4.2 • Casa paterna – Jo 14.2 • Paraíso – 2 Co 12.4 • Lugar de descanso – Hb 4.9 • Um lugar glorioso e belo (Monte Sião) – Hb 12.22; Ap 14.1; Sl 48.2; 50.2 • Lugar onde está a nossa Pátria – Hb 11.14- 16 • Fonte de bênçãos – Jo 3.27; 6.50,51 • Centro da autoridade universal – Cl 1.20,21 2. 0 - Quem habita o Céu? • O Pai, o Filho e o Espírito Santo – 1 Jo 5.7,8; • Seres angelicais – Ap 4 e 5 • O espírito dos justos, aguardando a ressurreição – Ap 6.9; 7.9; 20.4 3. 0 - O que temos/teremos no Céu? • Nossos nomes escritos no Livro da Vida – Lc 10.20; Ap 20.12 • Nossa pátria – Fp 3.20 • Nossa esperança – Cl 1.5 • Nossa herança – 1 Pe 1.4 • Nosso galardão – Lc 6.23 • Nosso maravilhoso lar – Jo 14.2; Hb 11.16 • Novas vestes - Ap 3.5 • Um novo nome – Ap 2.17 4. 0 - O que fazem os que estão no Céu hoje? • Adoram ao Senhor – Ap 5.7.10 • Louvam a Deus – Ap 5.12-14 • São consolados – Lc 16.25 • Descansam – Ap 14.13 • Aguardam – Ap 6.10-11 5. 0 - O Céu é um lugar de: • Comunhão – Mt 8.11 • Descanso – Hb 4.9 • Paz – Lc 19.38 • Adoração – Ap 5.7-10 • Plenitude de alegria – Sl 16.11 6.0 - Quem vai para o Céu? • Os que nasceram de novo – Jo 3.3 • Os que foram lavados com o sangue do Cordeiro – 1 Jo 6.11,12; Ap 1.5; 7.14; 12.11 • Os que perseveram – Lc 9.62; Ap 14.4 • Os que permanecem no caminho estreito – Mt 7.13 • Os que são fiéis e sinceros na realização das boas obras - preparadas por Deus para que andássemos nelas (Ef 2.10) - buscando sempre honrar e glorificar a Deus – Mt 7.15-23; 5.16 • Os que buscam as coisas celestiais – Cl 3.1-3 • Os que morreram para o mundo – Rm 6.1-11 • Os que vivem para Cristo – 2 Co 5.15 • Os que buscam a santificação – Hb 12.14 7.0 – O Céu é a morada final dos justos? Erroneamente em nossos púlpitos é ensinado que o destino do cristão é morar eternamente com Cristo no Céu. Isso, porém, não é verdade! Após a morte, os justos são levados para a presença de Deus, no Céu (Paraíso), como vimos no estudo anterior. Porém, lá permanecem em “espera” até que ressuscitem e sejam criados Novo Céu e Nova Terra (Ap 21 e 22). 7.1 – Ressurreição – Nosso destino • Isaias 26.19 • Daniel 12.2 • João 5.28,29 • Atos 24.15 • 1 Tessalonicenses 4.13-18 • 1 Coríntios 15.20-23 • Apocalipse 20.4-6 7.2 – Novo Céu e Nova Terra – Nossa habitação eterna • Isaias 65.17 • 2 Pedro 3.13 • Apocalipse 21.1-4
  4. 4. 3 Céu, Inferno e Eternidade PARTE III – INFERNO Introdução: Na lição anterior estudamos sobre o Céu e introduzimos o estudo da Eternidade. Nesta seção estudaremos o Inferno, suas definições e características, diferença entre Hades e Lago de Fogo, Inferno Temporário e Inferno Final, bem como o destino dos ímpios e de Satanás e seus demônios. 1.0 - Definindo termos Devemos compreender que existe muita confusão quanto ao inferno devido a traduções equivocadas de termos gregos e hebraicos por parte das sociedades bíblicas atuais que traduzem os textos antigos para a nossa língua. São vários os termos usados pelos escritores bíblicos para se referirem ao sofrimento dos ímpios após a morte. Vejamos cada um deles: a) Sheol: um termo hebraico, utilizado pelos escritores do Antigo Testamento, que significa “mundo dos mortos”, “mundo invisível” ou “mundo inferior”. Erroneamente tem sido traduzido, algumas vezes, como “inferno” e até mesmo como “sepultura”, ocasionando não pouca confusão. Referências: Gn 37.35; 42.38; 44.29,31; Nm 16.30,33; 32.22; 1 Sm 2.6; Sl 6.5; 9.17; 16.10; 18.5; 30.3; 31.17; 49.14,15; 55.15; 86.12; 86.13; 88.3; 89.48; 116.3; 139.8; 141.7; Pv 1.12; 5.5; 7.27; 9.18; 15.11,24; 23.14; 27.20; 30.16; Ec 9.10; Ct 8.6; Is 5.14; 14.9,11,15; 28.15,18; 38.10,18; 57.9; Ez 31.15,16,17; 32.21; 32.27; Os 13.14; Am 9.2; Jn 2.2; Hc 2.5 b) Hades: é o termo grego para referir-se ao mundo dos mortos. É o equivalente grego para o termo Sheol, utilizado pelos escritores do Novo Testamento. (Lembre-se: o AT foi escrito em hebraico e o NT em grego) Referências: Mt 11.23; 16.18; Lc 10.15; 16.23; At 2.27,31; Ap 1.18; 6.8; 20.13,14 c) Queber: termo hebraico que significa sepultura. Em alguns casos este termo foi traduzido em português como “inferno”. Referências: Gn 50.5; Êx 14.11; 1 Rs 13.30; 2 Sm 3.32; 21.14; 2 Cr 16.14 d) Abaddon, Abussos, Tártaro: termos hebraico (Abaddon) e grego (Abussos e Tártaro) para descrever o Abismo. Este abismo é o que faz divisão entre os dois lados do Hades, e onde estão aprisionados ALGUNS demônios. Erroneamente é traduzido por “inferno” também, gerando mais confusão de termos. Referências: Jo 26.6; 28.22; 31.12; Pv 15.11; 27.20; Sl 88.11; Lc 8.31; Rm 10.7; Ap 9.1-11; 17.8; 20.1-3; 1 2 Pe 2.4 e) Tofete, Gehenna: Termos hebraico e grego, respectivamente, para referir-se ao “Vale de Hinom”, vale este localizado fora de Jerusalém e que servia de lixão da cidade, onde também se queimavam os cadáveres de criminosos e animais e, no AT, os Israelitas apóstatas queimavam seus filhos em sacrifício a Moloque, um deus pagão. Como ali sempre havia fogo aceso, passou a ser usado como um símbolo para o Lago de Fogo. Em nossas Bíblias esta palavra também é traduzida como “inferno”. Ela aparece 12 vezes no Novo Testamento, sendo 11 vezes citada por Jesus, e uma vez por Tiago. Este termo simboliza o inferno real, final e eterno, onde não somente a alma será condenada, mas até mesmo o corpo ressuscitado dos ímpios. Referências: Is 30.33; Jr 7.31,32; Mt 5.22,29,30; 10.28; 18.9; 23.15,33; Mc 9.43,45,47; Lc 12.5; Tg 3.6 f) Lago de Fogo (gr.: limnem ton puros): é o destino final do Anticristo, da Besta, do Falso Profeta, de Satanás e seus demônios, do Hades, da morte e de todos os ímpios. Este é o Inferno real, descrito 11 vezes por Jesus Cristo no Novo Testamento. Note que aqui os ímpios são lançados de forma física (corpo, alma e espírito), não somente espiritual! Jesus Cristo chamou este lugar de “Fogo Eterno” (gr.: pur to aiõnion) e “Tormento Eterno” (gr.: kolasin aiõnion) - Mt 25.41,46 Referências: Ap 19.20; 20.10,14,15; 21.8 2.0 – Hades e Lago de Fogo – Os Dois Infernos! Conforme estudamos na lição passada, os justos, ao morrerem, são levados para o Paraíso, onde, de forma consciente, aguardam a ressurreição final do corpo sepultado para que então, após a ressurreição, sejam galardoados (Tribunal de Cristo), adentrem no reino Milenial de Paz e, a seguir, no Eterno e Perfeito Estado. Com os ímpios ocorre algo semelhante. O homem que morre sem Cristo é enviado para o Hades (mundo
  5. 5. 4 dos mortos, mundo inferior), onde, em estado de consciência e sofrimento, aguarda a ressurreição final do corpo sepultado, quando será julgado (Juízo Final – sem chance de salvação, apenas para receber sua sentença, ou seja, definição do sofrimento que passará na Eternidade) e, a seguir, lançado no Lago de Fogo (Gehenna). Tanto o Hades quanto o Gehenna são traduzidos em português como Inferno, mas os lugares são diferentes. No Hades o espírito do ímpio aguarda a condenação, no Gehenna (ou Lago de Fogo) tanto o espírito quanto o corpo do pecador (após a ressurreição) serão lançados para sofrimento eterno. Isso deve ficar bem claro! 3.0 – A realidade da Condenação dos Ímpios • Os profetas falaram sobre ele – Sl 9.17; Pv 23.14; Ez 31.17; 32.21; Os 13.14; • Jesus o descreveu – Mt 25.46; Mc 9.47; • Os apóstolos ensinaram sobre ele – 2 Ts 1.8,9; 2 Pe 2.8,9 • É explicado no Apocalipse – Ap 14.9-11; 20.14,15 • Os blasfemadores gostariam de desmenti- lo – 2 pe 3.4; Jd 18 4.0 – Inferno, lugar de... • Tristeza – Sl 18.5; Mt 8.12 • Condenação – Pv 15.11; 27.20; Mt 23.33 • Pranto e ranger de dentes – Mt 8.12; 13.41,42 • Tormento – Lc 16.2 • Deterioração Eterna – Mc 9.44,46 • Clamor – Lc 16.24 5.0 – Características do Inferno a) Hades • Localiza-se em algum lugar para baixo – Am 9.2 • Oposto ao Céu – Jó 11.8; Pv 15.24 • Onde os espíritos dos ímpios são atormentados – Lc 16.24 • Onde a família de Coré, Datã e Abirão, juntamente com suas famílias foram enviados vivos – Nm 16.31,32 • NÃO É HABITADO POR SATANÁS E SEUS DEMÔNIOS, uma vez que estes estão soltos no espaço e na atmosfera. Alguns demônios, chamados de principados, estão aprisionados no Abismo, e serão soltos na Grande Tribulação por cinco meses – Jó 1.7; Ef 6.11,12; 1 Pe 5.8; Ap 12.10; Ap 9.1-5 b) Gehenna • Chamado de Trevas Exteriores – Mt 22.13 • Lugar de Chamas Eternas – Mt 13.42; Lc 16.24; Mc 9.43-48 • Possuirá vários níveis de tormento – Lc 12.48 • Satanás e seus demônios serão atormentados para sempre neste lugar – Ap 20.10 • Onde o Anticristo e o Falso Profeta serão lançados vivos – Ap 19.20 • Lugar de tormento eterno para corpo, alma e espírito do pecador após o Juízo Final – Ap 20.15 • Onde o Hades e a morte serão lançados – Ap 20.14 6.0 – Quem vai para o Inferno? • Todos os que não creram em Jesus Cristo como único e suficiente salvador – Jo 3.36; 14.6 • Todo aquele que não nascer de novo – Jo 3.3; Mt 13.41 • Os que praticaram um evangelho de aparência, sem compromisso com Cristo e sua palavra – Mt 7.21-23; Hb 12.14 • Todos os que não tiverem seus nomes escritos no livro da vida – Ap 20.15 7.0 – Os que estão no Inferno... • Estão conscientes – Lc 16.23 • Lembram da vida na Terra – Lc 16.28 • São atormentados – Lc 15.23 • Não podem interferir na vida dos vivos – Lc 16.27,28 • Não podem ver o que acontece na Terra – Ec 9.5,6 • Clamam por Evangelização – Lc 16.27,28 8.0 – O sofrimento no Inferno será eterno ou temporário? Algumas denominações ensinam que o sofrimento dos ímpios não será eterno. Alguns alegam que após certo grau de sofrimento todos serão salvos; outros ensinam que os ímpios serão destruídos, deixarão de existir. Porém, a Bíblia afirma que o sofrimento dos ímpios será eterno, para sempre! • Daniel 12.2 • Atos 24.15 • Mateus 25.46 • Apocalipse 14.10; 19.20; 20.10
  6. 6. 5 Céu, Inferno e Eternidade PARTE IV – ETERNIDADE Introdução: Estamos chegando ao final do nosso seminário. Nas lições anteriores estudamos a morte, o céu e o inferno. Hoje estudaremos a ressurreição dos justos, dos ímpios e a Eternidade. É praticamente impossível compreender como será a Eternidade se não tivermos uma idéia clara quanto à doutrina das ressurreições, por isso este estudo se faz tão importante. 1. 0 - A realidade da Ressurreição • Anunciada no Antigo Testamento: Jó 19.25-27; Is 26.19; Dn 12.2; Os 13.14 • Revelada no Novo Testamento: Lc 14.13,14; 20.35,36; Jo 5,21,28,29. 6.39,40,44,54; 1 Co 15.22,23; Fp 3.11; 1 Ts 4.14-16; Ap 29.4-6,13; 2.0 - Por que a ressurreição é necessária? • A redenção efetuada por Cristo abrange a totalidade do ser humano: corpo, alma e espírito – Rm 8.18-25 • O corpo é o templo do Espírito Santo e após a ressurreição continuará sendo - 1 Co 6.19 • Para desfazer completamente todos os resultados do pecado, o último inimigo do ser humano (a morte) deve ser aniquilado pela ressurreição - 1 Co 15.26 3.0 - Características do corpo ressuscitado • Semelhante ao de Cristo – Rm 8.29; Fp 3.21; 1 Jo 3.2 • Incorruptível – 1 Co 15.42 • Imortal – 1 Co 15.53-57 • Vigoroso – 1 Co 14.42-44 • De natureza celestial – 1 Co 15.49-57 • Sem pecado – Ap 21.27 • Assexuado – Mt 22.30 • Maduro – 1 Jo 3.2 • Radiante – Dn 12.3 • Resistente e ágil – Is 40.31 • Físico, tangível, palpável – 1 Jo 1.1,2 • Preserva a identidade individual, sendo reconhecível - Mt 8.11; Lc 24.31 • Com atributos espirituais - 1 Co 15.42-48; Ap 21.1 • Não limitado pelas leis da Física - Lc 24.31; Jo 20.19; 1 Co 15.44 • Capaz de comer e beber - Lc 14.15; 22.16-18; 24.33; At 10.41 4.0 - Garantia da nossa ressurreição • A ressurreição de Cristo - 1 Co 6.14; 15.12- 20; 2 Co 4.14 • O Espírito Santo - Rm 8.11 5.0 - Quando se dará a ressurreição Devemos compreender que existem duas ressurreições: a ressurreição dos justos e a ressurreição dos ímpios. A ressurreição dos justos é chamada de A Primeira Ressurreição. A ressurreição dos ímpios é chamada de A Segunda Ressurreição. Em linhas gerais, as duas ressurreições são separadas por um período de mil anos, ou seja, primeiro os justos ressuscitarão, depois de mil anos os ímpios serão ressuscitados. 5.1 - A primeira ressurreição – Ap 20.6 A ressurreição dos justos é dividida em três fases: 1. As Primícias: ressurreição de Cristo, juntamente com alguns mortos do Antigo Testamento – 1 Co 15.20-22; Mt 27.53 2. Colheita Geral: ressurreição geral dos santos, tanto do Antigo quanto do Novo Testamento (nossa era), que ocorrerá no Arrebatamento da Igreja. Segundo 1 Tessalonicenses 4.15-18, três coisas acontecerão no arrebatamento: • Os mortos ressuscitarão • Os vivos, juntamente com os ressuscitados, serão transformados • Ambos se encontrarão com Cristo nos ares 3. As Reespigas: é a ressurreição dos mártires da Grande Tribulação que ocorrerá antes do Milênio. Os que participarem da Primeira Ressurreição serão galardoados no Tribunal de Cristo. Não podendo mais ser condenados. 5.2 - A Segunda Ressurreição – Ap 20.11-13 É a ressurreição dos ímpios de todas as épocas e eras, que se dará no fim do Milênio, após a rebelião e condenação final de Satanás. Ao contrário da Primeira ressurreição, esta se dá em apenas uma fase. Os que aqui ressuscitarem serão condenados no Juízo Final. Obs.: Os únicos justos que possivelmente ressuscitarão aqui e serão absolvidos no Juízo Final são os fiéis que morrerem no Milênio. 6.0 - Eternidade – Eterno e Perfeito Estado Após o Juízo Final e a condenação dos ímpios ao Lago de Fogo, serão criados novo céu e nova
  7. 7. 6 terra. É aqui que inicia o que chamamos de Eternidade, ou Eterno e Perfeito Estado. 6.1 - No Eterno e Perfeito Estado: • Serão criados novo céu e nova terra – Ap 21 • Jerusalém Celestial (Nova Jerusalém) pousa na Terra e abre suas portas – Ap 21.2,25 • A Nova Jerusalém será a capital mundial, de onde Cristo reinará e para onde todas as nações trarão suas glórias – Ap 20.24,25 • Não haverá mais tristeza e dor – Ap 21.4 • Os salvos (participantes da Primeira Ressurreição) reinarão com Cristo para sempre – Ap 22.5 • Veremos o Senhor face a face – Ap 22.4 6.2 - A Nova Jerusalém • É uma cidade quadrada, tendo 12.000 estádios (aprox. 2.200 Km) de comprimento, largura e altura – Ap 21.16 • Seu muro possui a largura de 144 côvados (aprox. 65 m) – Ap 21.17 • É construída com matérias tão impressionantes que João procurou comparar com o que existe de mais formoso, raro e valioso na terra: ouro, jaspe, safira, esmeralda, calcedônia, sardônica, pérolas, etc – Ap 21.19-21 • A praça da cidade é como ouro puro na forma de vidro transparente – Ap 21.21 • Está sobre doze fundamentos, cada um com o nome de um dos apóstolos de Cristo – Ap 21.14 • Possui doze portas, cada uma nomeada para uma das Tribos de Israel – Ap 21.12 • Não existe templo nesta cidade, pois o Senhor é o seu templo – Ap 21.22 • Nesta cidade não existe noite, porque a glória de Deus a ilumina e o Cordeiro é sua lâmpada – Ap 21.24 • Do trono de Deus e do Cordeiro, que está na nova Jerusalém, sai o rio puro da água da Vida – Ap 22.1 • No meio da praça da cidade, de cada lado do rio, está a árvore da vida – Ap 22.2 6.3 - Sete promessas finais Em Apocalipse 22.3-5 estão registradas sete promessas que se cumprirão no Eterno e Perfeito Estado: 1. Nunca mais haverá maldição 2. Na Nova Jerusalém estará o trono de Deus e do Cordeiro 3. Os seus servos o servirão 4. Os seus servos verão o seu rosto 5. O nome de Deus estará na testa dos seus servos 6. Na cidade santa não haverá noite 7. Os santos reinarão para todo o sempre 6.4 - Propósito do Eterno e Perfeito Estado • Sujeitar todas as coisas a Deus – 1 Co 15.24- 28 • Tornar a Terra uma “habitação para Deus” – Ap 21.3 • Acabar com o reino do pecado e da morte que iniciou-se no Éden – Ap 21.4 • Tornar Deus “um” com o seu povo – 1 Co 15.28 7.0 – Conclusão “O Senhor não demora em cumprir a sua promessa, como julgam alguns. Pelo contrário, ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento. O dia do Senhor, porém, virá como ladrão. Os céus desaparecerão com um grande estrondo, os elementos serão desfeitos pelo calor, e a terra e as obras que nela há se queimarão. Visto que tudo será assim desfeito, que tipo de pessoas é necessário que vocês sejam? Vivam de maneira santa e piedosa, esperando o dia de Deus e apressando a sua vinda. Naquele dia os céus serão desfeitos pelo fogo, e os elementos se derreterão pelo calor. Todavia, de acordo com a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça. Portanto, amados, enquanto esperam estas coisas, empenhem-se para serem encontrados por ele em paz, imaculados e inculpáveis.” (2 Pedro 3.9-14) Ivan S. Vargas ivan@is5.com.br http://ivan.is5.com.br

×