CEAL
Centro Espírita André Luiz
Reunião Pública
“Fabiano de Cristo”
Isnande Barros
Imperatriz - MA
2013
FABIANO DE CRISTO
 Nasceu João Barbosa, na localidade de Soengas,
Portugal, no dia 08 de fevereiro de 1676 e
desencarnou ...
FABIANO DE CRISTO
 Já em 1704 possuía uma boa condição
financeira, não deixando porém, de auxiliar
os mais necessitados.
...
FABIANO DE CRISTO
Sobre negócios, sua sorte era infinita,
bastava colocar as mãos e o
dinheiro se multiplicava.
Mas carr...
FABIANO DE CRISTO
Chamado Divino
Certo dia, em 1704, Barbosa caminhava pensativo
pelas ruas desertas, naquela noite fria. ...
FABIANO DE CRISTO
Chamado Divino
Barbosa passa a noite tentando baixar a febre do pobre homem.
Em meio aos delírios, ele o...
FABIANO DE CRISTO
Chamado Divino
- Mas quem é o senhor, afinal? Indaga Barbosa.
- Eu sou o Cristo, meu filho e voltei para...
FABIANO DE CRISTO
Chamado Divino
- Francisco de Assis!!! - reconhecendo o grande amigo de outrora.
Pois bem, meu irmão, se...
FABIANO DE CRISTO
A Missão Divina
 Dividiu sua fortuna em 3 partes: familiares em Portugal, obras
assistenciais e família...
FABIANO DE CRISTO
A Missão Divina
 Fabiano de Cristo começava sua nova vida. Ali ouviria o
semelhante, choraria com suas ...
FABIANO DE CRISTO
A Missão Divina
 O procedimento de Fabiano, em apenas administrar água para os
enfermos e logo após vê-...
FABIANO DE CRISTO
 Desenvolveu erisipela nas duas pernas e quistos nos joelhos – resultado das
horas em que ficava de joe...
FABIANO DE CRISTO
"O Pai dos Pobres partia da Terra, mas está eternamente em cada ser",
retribuiu com estas palavras seu e...
FABIANO DE CRISTO
FABIANO DE CRISTO
 O que falta para que eu atenda ao chamado do Mestre Amado,
como fizeram Francisco de Assis e Fabiano d...
CEAL
Boa Noite!!!
Sigamos com a paz do Nazareno.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

FABIANO DE CRISTO

688 visualizações

Publicada em

Palestra apresentada no Centro Espírita André Luiz, em 04-09-2013. Imperatriz-MA. A vida e a obra de Frei Fabiano de Cristo.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
688
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

FABIANO DE CRISTO

  1. 1. CEAL Centro Espírita André Luiz Reunião Pública “Fabiano de Cristo” Isnande Barros Imperatriz - MA 2013
  2. 2. FABIANO DE CRISTO  Nasceu João Barbosa, na localidade de Soengas, Portugal, no dia 08 de fevereiro de 1676 e desencarnou no Rio de Janeiro, 17 de outubro de 1747, aos 71 anos de idade.  Filho de Gervásio Barbosa e Senhorinha Gonçalves,  Ficou conhecido pelo seu nome religioso de Frei Fabiano de Cristo.  Foi frade da Ordem dos Frades Menores.  Ainda jovem emigrou para o Brasil em busca de fortuna.  Chegou ao Rio de Janeiro, seguindo depois para a atual cidade de Paraty-RJ.  Trabalhou em Mariana e Ouro Preto-MG.  Estabeleceu-se como comerciante em Paraty.
  3. 3. FABIANO DE CRISTO  Já em 1704 possuía uma boa condição financeira, não deixando porém, de auxiliar os mais necessitados.  Ajudava familiares, amigos e necessitados de todas as formas, com dinheiro, remédios e alimentos.  Ele vivia uma busca intensa de motivação para a vida, experimentando um vazio que o angustiava.  Certo dia, um de seus antigos sócios e mais um companheiro foram assassinados, o que teria feito João Barbosa repensar a sua situação e questionar o que a fortuna amealhada realmente representava.
  4. 4. FABIANO DE CRISTO Sobre negócios, sua sorte era infinita, bastava colocar as mãos e o dinheiro se multiplicava. Mas carregava em si a certeza de que sua verdadeira tarefa na orbe terrestre ainda não havia começado. Sua alma pedia outros caminhos. Descobre então que o dinheiro não é tudo.
  5. 5. FABIANO DE CRISTO Chamado Divino Certo dia, em 1704, Barbosa caminhava pensativo pelas ruas desertas, naquela noite fria. Acabara de atender a um pedido de alimentos e agasalhos feito por uma família. Percebe que muitas pessoas passavam desviando-se de algo estendido na calçada. Apressa os passos e depara-se com uma pessoa a estrebuchar-se no chão frio. Ele abaixa-se e recolhe o doente em seus braços. Aquele corpo estremecia-se de dor e o suor descia-lhe pelo rosto. Barbosa sente algo estranho e parecia-lhe que uma luminosidade partia do seu coração. - Vamos amigo, não tenha medo, procurarei ajudá-lo – diz ao estranho. - Fui vítima de assalto – diz com dificuldade. - Não fale agora. Aqui perto há uma hospedaria. Lá será mais confortável e mais fácil tratá-lo.
  6. 6. FABIANO DE CRISTO Chamado Divino Barbosa passa a noite tentando baixar a febre do pobre homem. Em meio aos delírios, ele olha com ternura para o seu benfeitor e procurando segurar uma de suas mãos, fala: - Finalmente vens de encontro ao meu regaço. - Mas quem é o senhor que parece conhecer-me? – diz surpreso. - Sou aquele a quem há muitos séculos serves. Voltastes a procurar-me porque cansaste de juntar bens materiais. Vindo ao meu encontro, procuras atender os aflitos, aplacando a fome do corpo de muitos. Mas seu coração inundado de luz alcança muito mais. Para continuar a servir-me, vá onde a dor é imensa. Enxugue as lágrimas maternais, ensine o caminho do Bem a quem desviar- se por arrastamentos e tentações inferiores. Veja que é chegada a hora para ti, de encontrares o verdadeiro tesouro que está nas Leis do nosso Pai.
  7. 7. FABIANO DE CRISTO Chamado Divino - Mas quem é o senhor, afinal? Indaga Barbosa. - Eu sou o Cristo, meu filho e voltei para buscar-te e lembrar-te de tua verdadeira missão. A todos que servires, será a mim que estarás servindo. Portanto, dá tudo o que tens e terás a vida eterna. Assim me terás por inteiro, e dessa forma trabalharemos juntos a servir o nosso Pai – responde o desconhecido. Em prantos, João refletiu sobre as palavras do “doente”, que entretanto desaparece sem deixar esclarecimentos. Ele não consegue esquecer aquele encontro. Depois da noite passada em claro, o dia já amanhecendo, João Barbosa adormeceu e teve um sonho estranho. Se viu em um lugar muito bonito, onde tinha à sua frente, um ser luminoso com um hábito marrom que lhe estendia a mão sorrindo. Reconhecendo aquele ser de luz, cai de joelhos e exclama:
  8. 8. FABIANO DE CRISTO Chamado Divino - Francisco de Assis!!! - reconhecendo o grande amigo de outrora. Pois bem, meu irmão, se o seu coração anseia em amparar os aflitos e servir ao Senhor Jesus, vem comigo - diz Francisco de Assis. - Mas tenho que despojar-me dos bens terrenos. E Francisco de Assis lhe fala mansamente: - Os bens da vida eterna é que devem ser entesourados, Barbosa. De agora em diante, o Evangelho será o teu tesouro maior. Não percas mais tempo. Aplica-o na prática da caridade maior, entre todos. Tu não precisarás mais percorrer muitos lugares para falar da paz e do amor de Cristo. Muitos irão procurar-te e irás orientá-los para que encontrem o Reino de Deus. Para que trabalhes com tranquilidade, o teu trabalho será de cargo singelo. O teu coração nutrir-se-á de paciência e resignação. O teu corpo sofrerá para que liberto seja o teu espírito das tentações da carne.
  9. 9. FABIANO DE CRISTO A Missão Divina  Dividiu sua fortuna em 3 partes: familiares em Portugal, obras assistenciais e famílias pobres.  Apresentou-se ao Convento de São Bernardino de Sena, no dia 08 de novembro de 1704.  No dia 11 vestiu o hábito marrom e se transformou em "Frei Fabiano de Cristo".  Em 1705, apresenta-se no Convento Santo Antônio, no Rio de Janeiro. Diz ao superior que gostaria de ali permanecer para servir, “aprendendo a amar o semelhante como Jesus ensinou em suas lições”. Passa a desempenhar a função de porteiro.  Em 1708, assumiu o cargo de enfermeiro, muito embora não tivesse conhecimento sobre o assunto. Dormia na própria enfermaria. Desempenhou essa função por cerca de 30 anos. Usava a água fluidificada e o passe pela imposição de suas mãos, para curar e aliviar as dores.
  10. 10. FABIANO DE CRISTO A Missão Divina  Fabiano de Cristo começava sua nova vida. Ali ouviria o semelhante, choraria com suas dificuldades físicas e espirituais, porém, saberia que dessa forma estaria com o Mestre Jesus.  Lágrimas rolaram mais uma vez pela face do agora Frei Fabiano de Cristo, constituindo-se em um soldado da caridade.  Consolava os aflitos, curava chagas profundas e aliviava as dores físicas e espirituais de quem o procurava.  Desdobrava-se com facilidade e socorria enfermos a grandes distâncias.  Ele nunca se dizia cansado, estava sempre disposto, apesar de sofrer profundamente com uma grande ferida em sua perna, que provocava dores intensas.
  11. 11. FABIANO DE CRISTO A Missão Divina  O procedimento de Fabiano, em apenas administrar água para os enfermos e logo após vê-los curados, chamou a atenção do Dr. Fortes, que voluntariamente atendia os pacientes no convento e em seu consultório. Fabiano o auxiliava em tudo, por isso, certa feita, Dr. Fortes o chamou e lhe disse:  - Observo Frei, a sua dedicação para com os enfermos, e sei que nada mais fazes do que dar e limpar as feridas com a água. Vejo que logo após, os doentes melhoram e curam-se rapidamente. O que há nessa água? Qual a medicação que colocas nela?  - Nada mais faço do que orar, senhor. Peço ao nosso Pai e a Jesus, o verdadeiro médico, que ajude a sarar os ferimentos da alma e do corpo das criaturas. Se for da vontade do Pai, o doente se cura também por sua fé. Creio que se o senhor fizer o mesmo, Ele o atenderá com muito mais facilidade, pois o senhor é mais sábio que eu, em cultura e conhecimento médico. Eu nada sou.
  12. 12. FABIANO DE CRISTO  Desenvolveu erisipela nas duas pernas e quistos nos joelhos – resultado das horas em que ficava de joelhos em preces à Virgem Maria de Nazaré.  Previu seu desencarne três dias antes. No dia 14 de outubro de 1747, dirige- se ao Superior do Convento para se despedir e também obter licença para abraçar um por um dos enfermos e dos amigos que ali encontrou.  No dia seguinte, ainda alentava os enfermos, confortando-os com suas preces.  No dia 16 de outubro de 1747, todos queriam adentrar a cela onde Frei Fabiano de Cristo estava. Queriam retribuir o carinho que sempre receberam daquele enorme coração. Como viver sem a presença desse que transmitia só amor e alegria? Onde buscar alegria para vencer a dor? E Fabiano respondeu: - Em Deus, meus filhos. Procurem estar sempre no regaço do Cristo. Só Ele poderá ajudá-los, nunca esqueçam disso.  Dia 17 de outubro de 1747, Frei Fabiano de Cristo desencarna. Legiões de espíritos vêm ao encontro de Fabiano.
  13. 13. FABIANO DE CRISTO "O Pai dos Pobres partia da Terra, mas está eternamente em cada ser", retribuiu com estas palavras seu eterno companheiro, Francisco de Assis.
  14. 14. FABIANO DE CRISTO
  15. 15. FABIANO DE CRISTO  O que falta para que eu atenda ao chamado do Mestre Amado, como fizeram Francisco de Assis e Fabiano de Cristo?  Eu preciso me cristianizar?  Ou evangelizar-me?  Fé ou obras?
  16. 16. CEAL Boa Noite!!! Sigamos com a paz do Nazareno.

×