SEDE PERFEITOS

7.820 visualizações

Publicada em

Palestra ministrada no Centro Espírita André Luiz. Imperatriz-MA. 2012.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.820
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
206
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SEDE PERFEITOS

  1. 1. Reunião Pública“Sede perfeitos”Isnande BarrosImperatriz - MA 2012
  2. 2. SEDE PERFEITOS “Sede perfeitos como Vosso Pai celestial é perfeito”. Mateus 5:48 2
  3. 3. SEDE PERFEITOS Como analisar o imperativo da perfeição, contido na máxima evangélica? Devemos nos aperfeiçoar sempre? Podemos atingir a perfeição divina? Qual a essência da perfeição humana?Evangelho Segundo o Espiritismo:Cap. XVII – Sede perfeitos.Caracteres da perfeição;O homem de bem;Os bons espíritas; 3
  4. 4. SEDE PERFEITOS JESUS CRISTO Quando Jesus nos ordena que “sejamos prefeitos”, ele não levou em consideração que somos fracos e imperfeitos? Jesus não sabia que estamos atrasados no processo de evolução espiritual? O nosso Mestre Jesus não sabia que somos persistentes no erro, e que mesmo com muitas possibilidades de resgatar as falhas cometidas, ainda nos mantemos com o coração endurecido, mesmo após sucessivas reencarnações? 4
  5. 5. SEDE PERFEITOS JESUS CRISTO Na questão 625, do Livro dos Espíritos, quando Kardec pergunta: "Qual o tipo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem para lhe servir de guia e modelo?" A resposta foi: "Vede Jesus". Jesus é o modelo de virtude. A essência da perfeição é a caridade, na sua mais ampla acepção, porque ela implica na prática de todas as outras virtudes. “Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem”. Mateus 5:44 5
  6. 6. SEDE PERFEITOS DÚVIDAS COMUNS Como somos espíritas, não seria melhor deixar parte da tarefa evolutiva para a próxima encarnação? É urgente que o façamos na presente encarnação? Não seria melhor “curtir” agora a vida material e deixar as preocupações espirituais para a próxima experiência carnal? Se Deus é infinitamente bom e justo, não será verdadeiro que terei outra oportunidade de resgatar as dívidas contraídas nas últimas encarnações? 6
  7. 7. SEDE PERFEITOS HOMEM – CRIAÇÃO DIVINA Deus nos criou simples e ignorantes, mas potencialmente perfeitos. O livre arbítrio que Deus nos legou, nos responsabiliza pelas nossas ações. Em cada encarnação, atualizamos a potência de perfeição que existe em cada um de nós. “Um dia todos nós seremos anjos”. 7
  8. 8. SEDE PERFEITOS IMPERATIVO DA PERFEIÇÃO"Ouvistes o que foi dito: Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo.Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem;para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos.Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? não fazem os publicanos também o mesmo?E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis demais? não fazem os gentios também o mesmo?" Mateus 5:43-47. 8
  9. 9. SEDE PERFEITOS UM DIA TODOS NÓS SEREMOS ANJOS O espírito do homem foi criado à imagem e semelhança de Deus. A sede insaciável de perfeição, que o espírito experimenta, constitui a prova de sua origem divina. Essa sede do melhor é o incentivo que o concita à luta sem tréguas pela aquisição do bem e do belo, infinitos. O espírito, em sua íntima natureza, é incompatível com o mal. 9
  10. 10. SEDE PERFEITOS O Espírito marcha, impávido e radiante, de etapa em etapa, de estágio em estágio, ascendendo continuamente pela senda intérmina da perfectibilidade, em obediência ao sublime imperativo do maior expoente da verdade neste mundo – o Mestre Jesus:“Sede perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito.” Mateus 5:48Fonte: O Mestre na Educação - FEB - 6ª Edição 10
  11. 11. SEDE PERFEITOS O HOMEM DE BEMO verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza. Se ele interroga sua consciência sobre seus próprios atos, pergunta se não violou essa lei, se não praticou o mal, se fez todo o bem que podia, se desperdiçou voluntariamente uma ocasião de ser útil, se ninguém tem do que se queixar dele, pergunta, enfim, se fez aos outros tudo o que desejava que os outros fizessem por ele. ESE, capítulo XVII, item 9. 11
  12. 12. CEAL Boa Noite!!!Sigamos com a paz do Nazareno. 12

×