SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
BIOLOGIA . Aula 03   CÂNCER 1.1 INTRODUÇÃO CÂNCER O câncer é uma das doenças mais comuns e graves vistas na medicina clínica. Algumas formas de câncer atacam mais de 1/3 da população e são responsáveis por 20% das mortes e 10% dos custos médicos dos países desenvolvidos. No Brasil as doenças infecciosas na primeira infância ainda são responsáveis por uma parcela significativa da mortalidade, mas à medida em que a esperança de vida aumenta, o câncer passa a ser uma preocupação cada vez maior. e fato, uma grande parcela de casos é observada na idade adulta e, em particular, após os 50 anos.
[object Object]
“ Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo”(INCA – Instituto Nacional de Câncer) O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que haverá quase um milhão de novos casos de câncer em 2008 e 2009 - 466 mil a cada ano. A expectativa é a de que haja um aumento na incidência de todos os tipos de tumores, com exceção dos localizados no estômago e no colo do útero. O problema é que, enquanto nos países desenvolvidos a incidência aumenta e a mortalidade diminui, no Brasil a ocorrência e a letalidade estão aumentando.   1.2- O que é o Câncer?
[object Object]
[object Object],Neo – novo Plasia – proliferação, tecido (pwp.netcabo.pt/sistema.imune/tumor.gif)
[object Object],(www.usp.com.br Acesso em março 2008)
[object Object],(www.inca.gov.br Acesso em março 2008)
(www.usp.com.br)
(www2.correioweb.com.br/fotos/cancer.gif) Por meio de sucessivas divisões, a célula, agora chamada de maligna, acaba formando um agrupamento de células praticamente idênticas que recebe o nome de tumor. Diante dessa perda de controle intrínseca da multiplicação celular, só resta ao organismo tentar identificar e destruir essas células anormais por intermédio do seu Sistema Imunológico. Se esse sistema mostrar-se ineficaz, a doença passará a ter condições de evoluir.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Sarcoma  – www.inca.gov.br Acúmulo de leucócitos jovens anormais - leucemia
1.3-  Base genética do câncer ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
1.4- Proto-oncogenes e oncogenes: o que são? ,[object Object],[object Object],[object Object],(www.scq.ubc.ca/07/oncogene-formation.jpg)
[object Object],(www.inca.gov.br) Esquema geral para mecanismos de oncogênese pela ativação de proto-oncogene, mutação ou perda de genes supressores tumorais, ativação de genes anti-apoptóticos ou perda de genes pró-apoptóticos. O efeito dos genes que acentuam um processo é indicado pelo sinal +, enquanto o efeito dos genes que suprimem um processo está indicado pelo sinal -. A divisão celular e a poliferação são estimuladas pelos produtos dos proto-oncogenes. Alguns genes supressores tumorais regulam diretamente a função dos proto-oncogenes (são os chamados  gatekeepers , ou genes protetores). Outros atuam de forma mais indireta, mantendo a integridade do genoma (são os  caretakers , ou genes de manutenção). A ativação de um gene anti-apoptótico tem o mesmo efeito que a inibição de um gene apoptótico, ou seja, o acúmulo de células que deveriam ter sido eliminadas. A ativação dos oncogenes ou dos genes anti-apoptóticos é dominante e requer apenas um alelo mutante, enquanto a ação dos genes supressores de tumor é recessiva.
2.0- Tipos de Câncer mais comuns ,[object Object],Câncer de Pulmão   Câncer de Rim   Câncer de Testículo   Câncer de Tiróide   Câncer do Colo do Útero   Causas do Câncer   Leucemia Linfóide   Leucemia Mielóide   Melanoma   Metástase Óssea   Mieloma   Osteosarcoma   Rabdomiossarcoma   Retinoblastoma   Sarcoma de Ewing   Sarcoma de Kaposi   Tumor de Wilms   Tumores Cerebrais   Tumores do Sistema Nervoso
(www.inca.gov.br) (simplificada da tabela original de Thompson e Thompson, quadro 16.1)   Muitas formas do câncer têm incidência mais alta em parentes de pacientes do que na população em geral. Isto é particularmente observável nos cânceres de herança mendeliana, boa parte autossômica dominante.   É preciso ter em mente, contundo, que há frequentemente aumento do risco numa família sem um padrão mendeliano óbvio, o que sugere que muitos cânceres são características complexas, que resultam tanto de fatores genéticos como ambientais. 2.1- Câncer nas famílias
2.2 - Diagnóstico ,[object Object],A confirmação dos casos de câncer, quase sempre exige a retirada de amostra de tecido do órgão sob suspeita, para análise ( biópsia e do exame de anátomo-patológico). A partir deste material retirado, um estudo microscópico é realizado, a fim de se reconhecer quais são as células originais do câncer, e a natureza do processo.
2.3- ESTADIAMENTO É o procedimento que permite avaliar o grau de comprometimento que a doença atingiu e estabelecer a melhor estratégia de tratamento. Está dividido em: Local  - é onde a doença se encontra localizada. Regional - O câncer estende-se para fora do órgão de origem, mas mantém proximidade. Muitas vezes curável com medidas locais (cirurgia e irradiação. Regional Extenso  - Estende-se para fora do órgão de origem, atravessando vários tecidos. Avançado  - o câncer está disseminado pelo corpo através de metástases. Pode envolver medula óssea e múltiplos órgãos. Raramente é curável.
2.4- Tratamento ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
3.0- PARA VENCER O TUMOR ,[object Object]
4.0- Novas tecnologias ,[object Object],[object Object],Os nanotecnólogos pensam que têm uma resposta para o tratamento, e que ela chega na forma de  terapias dirigidas com drogas . Se os cientistas pudessem carregar suas nanopartículas de ouro detectoras de câncer com os medicamentos anticâncer, eles poderiam atacar o câncer exatamente onde está. Tal tratamento significa menos efeitos colaterais e menos medicamentos usados. As nanopartículas também têm o potencial dos medicamentos dirigidos  e  de liberação gradativa. Uma dose forte de medicamentos poderia ser aplicada a uma área específica, mas programada para fazer a liberação durante um período planejado, de modo a garantir máxima efetividade e segurança do paciente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Carcinogenese e Bases Moleculares Da Oncologia
Carcinogenese e Bases  Moleculares Da OncologiaCarcinogenese e Bases  Moleculares Da Oncologia
Carcinogenese e Bases Moleculares Da OncologiaCarlos Frederico Pinto
 
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de MamaFolder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de MamaFarmacêutico Digital
 
Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão Oncoguia
 
Tudo sobre Câncer do Colo do Útero
Tudo sobre Câncer do Colo do ÚteroTudo sobre Câncer do Colo do Útero
Tudo sobre Câncer do Colo do ÚteroOncoguia
 
Hpv disciplina 2010 2.sem
Hpv disciplina 2010 2.semHpv disciplina 2010 2.sem
Hpv disciplina 2010 2.semitsufpr
 
Falando sobre câncer de colo de útero
Falando sobre câncer de colo de úteroFalando sobre câncer de colo de útero
Falando sobre câncer de colo de úteroLetícia Spina Tapia
 
Câncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroCâncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroOncoguia
 
Câncer de cólo de útero
Câncer de cólo de úteroCâncer de cólo de útero
Câncer de cólo de úteroRoberta Araujo
 
Câncer de Mama uma visão mais objetiva do assunto.
Câncer de Mama uma visão mais objetiva do assunto.Câncer de Mama uma visão mais objetiva do assunto.
Câncer de Mama uma visão mais objetiva do assunto.biankathamara
 
Biologia do câncer
Biologia do câncerBiologia do câncer
Biologia do cânceremanuel
 
Seminario de cancer de mama
Seminario de cancer de mamaSeminario de cancer de mama
Seminario de cancer de mamaMathielly Samara
 
Genética do câncer 14.04.14
Genética do câncer 14.04.14Genética do câncer 14.04.14
Genética do câncer 14.04.14Rhomelio Anderson
 
Câncer de Mama e de Útero
Câncer de Mama e de ÚteroCâncer de Mama e de Útero
Câncer de Mama e de ÚteroRobeísa Danya
 
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mama
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de MamaPalestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mama
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mamapralucianaevangelista
 

Mais procurados (20)

Carcinogenese e Bases Moleculares Da Oncologia
Carcinogenese e Bases  Moleculares Da OncologiaCarcinogenese e Bases  Moleculares Da Oncologia
Carcinogenese e Bases Moleculares Da Oncologia
 
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de MamaFolder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
Folder Prevenção e Tratamento do Câncer de colo de Utero e de Mama
 
cancer de mama
cancer de mamacancer de mama
cancer de mama
 
Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão Câncer de Pulmão
Câncer de Pulmão
 
Tudo sobre Câncer do Colo do Útero
Tudo sobre Câncer do Colo do ÚteroTudo sobre Câncer do Colo do Útero
Tudo sobre Câncer do Colo do Útero
 
Câncer de mama
 Câncer de mama Câncer de mama
Câncer de mama
 
ApresentaçãO Do SemináRio Sobre CâNcer De Mama
ApresentaçãO Do SemináRio Sobre CâNcer De MamaApresentaçãO Do SemináRio Sobre CâNcer De Mama
ApresentaçãO Do SemináRio Sobre CâNcer De Mama
 
Hpv disciplina 2010 2.sem
Hpv disciplina 2010 2.semHpv disciplina 2010 2.sem
Hpv disciplina 2010 2.sem
 
Outubro Rosa - Cancer de Mama
Outubro Rosa - Cancer de MamaOutubro Rosa - Cancer de Mama
Outubro Rosa - Cancer de Mama
 
Falando sobre câncer de colo de útero
Falando sobre câncer de colo de úteroFalando sobre câncer de colo de útero
Falando sobre câncer de colo de útero
 
Câncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do ÚteroCâncer de Colo do Útero
Câncer de Colo do Útero
 
Câncer de cólo de útero
Câncer de cólo de úteroCâncer de cólo de útero
Câncer de cólo de útero
 
Câncer de Mama uma visão mais objetiva do assunto.
Câncer de Mama uma visão mais objetiva do assunto.Câncer de Mama uma visão mais objetiva do assunto.
Câncer de Mama uma visão mais objetiva do assunto.
 
Biologia do câncer
Biologia do câncerBiologia do câncer
Biologia do câncer
 
Seminario de cancer de mama
Seminario de cancer de mamaSeminario de cancer de mama
Seminario de cancer de mama
 
Genética do câncer 14.04.14
Genética do câncer 14.04.14Genética do câncer 14.04.14
Genética do câncer 14.04.14
 
HPV: prevenção, diagnóstico e abordagem
HPV: prevenção, diagnóstico e abordagemHPV: prevenção, diagnóstico e abordagem
HPV: prevenção, diagnóstico e abordagem
 
Câncer de Mama e de Útero
Câncer de Mama e de ÚteroCâncer de Mama e de Útero
Câncer de Mama e de Útero
 
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mama
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de MamaPalestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mama
Palestra sobre Cânce do cólo do Útero e Câncer de Mama
 
Câncer de mama
Câncer de mamaCâncer de mama
Câncer de mama
 

Destaque

Destaque (17)

Câncer Renal
Câncer Renal Câncer Renal
Câncer Renal
 
Doenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactérias Doenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactérias
 
Doenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactériasDoenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactérias
 
Doenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactérias Doenças causadas por bactérias
Doenças causadas por bactérias
 
Cap 17 principais doenças bacterianas e fungias
Cap 17 principais doenças bacterianas e fungiasCap 17 principais doenças bacterianas e fungias
Cap 17 principais doenças bacterianas e fungias
 
Doenças de veiculação hidrica
Doenças de veiculação hidricaDoenças de veiculação hidrica
Doenças de veiculação hidrica
 
Doenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação HídricaDoenças de veiculação Hídrica
Doenças de veiculação Hídrica
 
Bacterias Doenças Provocadas
Bacterias Doenças ProvocadasBacterias Doenças Provocadas
Bacterias Doenças Provocadas
 
Pressão arterial
Pressão arterialPressão arterial
Pressão arterial
 
Doenças transmitidas pela água
Doenças transmitidas pela águaDoenças transmitidas pela água
Doenças transmitidas pela água
 
Doenças causadas por bacterias
Doenças  causadas por bacteriasDoenças  causadas por bacterias
Doenças causadas por bacterias
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Pressão arterial
Pressão arterialPressão arterial
Pressão arterial
 
Hipertensão arterial sistêmica
Hipertensão arterial sistêmica Hipertensão arterial sistêmica
Hipertensão arterial sistêmica
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
 
Obesidade Completo
Obesidade CompletoObesidade Completo
Obesidade Completo
 
Slides obesidade
Slides obesidadeSlides obesidade
Slides obesidade
 

Semelhante a CâNcer

Semelhante a CâNcer (20)

câncer
câncercâncer
câncer
 
C+óncer
C+óncerC+óncer
C+óncer
 
Cancer.ppt
Cancer.pptCancer.ppt
Cancer.ppt
 
Cancer.ppt
Cancer.pptCancer.ppt
Cancer.ppt
 
Cancer
CancerCancer
Cancer
 
Oncogenia .pptx
Oncogenia .pptxOncogenia .pptx
Oncogenia .pptx
 
Apresentação.pptx
Apresentação.pptxApresentação.pptx
Apresentação.pptx
 
Apresentação-1.pptx
Apresentação-1.pptxApresentação-1.pptx
Apresentação-1.pptx
 
Oncologia Enfermagem
Oncologia EnfermagemOncologia Enfermagem
Oncologia Enfermagem
 
Artigo câncer causas, prevenção e tratamento
Artigo câncer   causas, prevenção e tratamentoArtigo câncer   causas, prevenção e tratamento
Artigo câncer causas, prevenção e tratamento
 
Trabalho defini+º+úo e etiologia do cancro
Trabalho   defini+º+úo e etiologia do cancroTrabalho   defini+º+úo e etiologia do cancro
Trabalho defini+º+úo e etiologia do cancro
 
Neoplasia slide
Neoplasia slideNeoplasia slide
Neoplasia slide
 
Resumo de Patologia
Resumo de PatologiaResumo de Patologia
Resumo de Patologia
 
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de EnfermagemPaciente oncológico - Assistência de Enfermagem
Paciente oncológico - Assistência de Enfermagem
 
O cancro powerpoint
O cancro powerpointO cancro powerpoint
O cancro powerpoint
 
oncologia aula 1.pptx
oncologia aula 1.pptxoncologia aula 1.pptx
oncologia aula 1.pptx
 
Cancer estomago, coloretal
Cancer estomago, coloretalCancer estomago, coloretal
Cancer estomago, coloretal
 
Neoplasia trabalho pronto
Neoplasia trabalho prontoNeoplasia trabalho pronto
Neoplasia trabalho pronto
 
Patologia 11 neoplasias
Patologia 11   neoplasiasPatologia 11   neoplasias
Patologia 11 neoplasias
 
ONCOLOGIA
ONCOLOGIAONCOLOGIA
ONCOLOGIA
 

Mais de ISJ

Jogos lavras
Jogos lavrasJogos lavras
Jogos lavrasISJ
 
Convite
ConviteConvite
ConviteISJ
 
Convite
ConviteConvite
ConviteISJ
 
Convite
ConviteConvite
ConviteISJ
 
7º ano cap 23 mamíferos
7º ano cap 23  mamíferos7º ano cap 23  mamíferos
7º ano cap 23 mamíferosISJ
 
7º ano cap 22 as aves
7º ano cap 22 as aves7º ano cap 22 as aves
7º ano cap 22 as avesISJ
 
Will e going to 1º ano -4º bimestre
Will e going to   1º ano -4º bimestreWill e going to   1º ano -4º bimestre
Will e going to 1º ano -4º bimestreISJ
 
Relative pronouns 8ª série - 4º bimestre
Relative pronouns   8ª série - 4º bimestreRelative pronouns   8ª série - 4º bimestre
Relative pronouns 8ª série - 4º bimestreISJ
 
8ª série make -let - be allowed
8ª série   make -let - be allowed8ª série   make -let - be allowed
8ª série make -let - be allowedISJ
 
4º bimestre 3º ano had better
4º bimestre   3º ano had better4º bimestre   3º ano had better
4º bimestre 3º ano had betterISJ
 
7º ano cap 17 artrópodes
7º ano cap 17  artrópodes7º ano cap 17  artrópodes
7º ano cap 17 artrópodesISJ
 
7º ano cap 16 moluscos
7º ano cap 16   moluscos7º ano cap 16   moluscos
7º ano cap 16 moluscosISJ
 
7º ano cap 16 anelideos
7º ano cap 16   anelideos7º ano cap 16   anelideos
7º ano cap 16 anelideosISJ
 
7º ano cap 18 equinodermos
7º ano  cap 18 equinodermos7º ano  cap 18 equinodermos
7º ano cap 18 equinodermosISJ
 
Relative pronouns 3º ano - 3º bimestre
Relative pronouns   3º ano - 3º bimestreRelative pronouns   3º ano - 3º bimestre
Relative pronouns 3º ano - 3º bimestreISJ
 
7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos
7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos
7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintosISJ
 
7º ano cap 14 porferos e celenterados
7º ano cap 14 porferos e celenterados7º ano cap 14 porferos e celenterados
7º ano cap 14 porferos e celenteradosISJ
 
7º ano cap 14 cnidários 2012
7º ano  cap 14 cnidários 20127º ano  cap 14 cnidários 2012
7º ano cap 14 cnidários 2012ISJ
 
6º ano cap 15 a água e o tratamento da água
6º ano cap 15 a água e o tratamento da água6º ano cap 15 a água e o tratamento da água
6º ano cap 15 a água e o tratamento da águaISJ
 
6º ano cap 14 a água uma subst especial
6º ano cap 14 a água uma subst especial6º ano cap 14 a água uma subst especial
6º ano cap 14 a água uma subst especialISJ
 

Mais de ISJ (20)

Jogos lavras
Jogos lavrasJogos lavras
Jogos lavras
 
Convite
ConviteConvite
Convite
 
Convite
ConviteConvite
Convite
 
Convite
ConviteConvite
Convite
 
7º ano cap 23 mamíferos
7º ano cap 23  mamíferos7º ano cap 23  mamíferos
7º ano cap 23 mamíferos
 
7º ano cap 22 as aves
7º ano cap 22 as aves7º ano cap 22 as aves
7º ano cap 22 as aves
 
Will e going to 1º ano -4º bimestre
Will e going to   1º ano -4º bimestreWill e going to   1º ano -4º bimestre
Will e going to 1º ano -4º bimestre
 
Relative pronouns 8ª série - 4º bimestre
Relative pronouns   8ª série - 4º bimestreRelative pronouns   8ª série - 4º bimestre
Relative pronouns 8ª série - 4º bimestre
 
8ª série make -let - be allowed
8ª série   make -let - be allowed8ª série   make -let - be allowed
8ª série make -let - be allowed
 
4º bimestre 3º ano had better
4º bimestre   3º ano had better4º bimestre   3º ano had better
4º bimestre 3º ano had better
 
7º ano cap 17 artrópodes
7º ano cap 17  artrópodes7º ano cap 17  artrópodes
7º ano cap 17 artrópodes
 
7º ano cap 16 moluscos
7º ano cap 16   moluscos7º ano cap 16   moluscos
7º ano cap 16 moluscos
 
7º ano cap 16 anelideos
7º ano cap 16   anelideos7º ano cap 16   anelideos
7º ano cap 16 anelideos
 
7º ano cap 18 equinodermos
7º ano  cap 18 equinodermos7º ano  cap 18 equinodermos
7º ano cap 18 equinodermos
 
Relative pronouns 3º ano - 3º bimestre
Relative pronouns   3º ano - 3º bimestreRelative pronouns   3º ano - 3º bimestre
Relative pronouns 3º ano - 3º bimestre
 
7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos
7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos
7º ano cap 15 platelmintos e nematelmintos
 
7º ano cap 14 porferos e celenterados
7º ano cap 14 porferos e celenterados7º ano cap 14 porferos e celenterados
7º ano cap 14 porferos e celenterados
 
7º ano cap 14 cnidários 2012
7º ano  cap 14 cnidários 20127º ano  cap 14 cnidários 2012
7º ano cap 14 cnidários 2012
 
6º ano cap 15 a água e o tratamento da água
6º ano cap 15 a água e o tratamento da água6º ano cap 15 a água e o tratamento da água
6º ano cap 15 a água e o tratamento da água
 
6º ano cap 14 a água uma subst especial
6º ano cap 14 a água uma subst especial6º ano cap 14 a água uma subst especial
6º ano cap 14 a água uma subst especial
 

CâNcer

  • 1. BIOLOGIA . Aula 03 CÂNCER 1.1 INTRODUÇÃO CÂNCER O câncer é uma das doenças mais comuns e graves vistas na medicina clínica. Algumas formas de câncer atacam mais de 1/3 da população e são responsáveis por 20% das mortes e 10% dos custos médicos dos países desenvolvidos. No Brasil as doenças infecciosas na primeira infância ainda são responsáveis por uma parcela significativa da mortalidade, mas à medida em que a esperança de vida aumenta, o câncer passa a ser uma preocupação cada vez maior. e fato, uma grande parcela de casos é observada na idade adulta e, em particular, após os 50 anos.
  • 2.
  • 3. “ Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo”(INCA – Instituto Nacional de Câncer) O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que haverá quase um milhão de novos casos de câncer em 2008 e 2009 - 466 mil a cada ano. A expectativa é a de que haja um aumento na incidência de todos os tipos de tumores, com exceção dos localizados no estômago e no colo do útero. O problema é que, enquanto nos países desenvolvidos a incidência aumenta e a mortalidade diminui, no Brasil a ocorrência e a letalidade estão aumentando. 1.2- O que é o Câncer?
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 9. (www2.correioweb.com.br/fotos/cancer.gif) Por meio de sucessivas divisões, a célula, agora chamada de maligna, acaba formando um agrupamento de células praticamente idênticas que recebe o nome de tumor. Diante dessa perda de controle intrínseca da multiplicação celular, só resta ao organismo tentar identificar e destruir essas células anormais por intermédio do seu Sistema Imunológico. Se esse sistema mostrar-se ineficaz, a doença passará a ter condições de evoluir.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16. (www.inca.gov.br) (simplificada da tabela original de Thompson e Thompson, quadro 16.1) Muitas formas do câncer têm incidência mais alta em parentes de pacientes do que na população em geral. Isto é particularmente observável nos cânceres de herança mendeliana, boa parte autossômica dominante.   É preciso ter em mente, contundo, que há frequentemente aumento do risco numa família sem um padrão mendeliano óbvio, o que sugere que muitos cânceres são características complexas, que resultam tanto de fatores genéticos como ambientais. 2.1- Câncer nas famílias
  • 17.
  • 18. 2.3- ESTADIAMENTO É o procedimento que permite avaliar o grau de comprometimento que a doença atingiu e estabelecer a melhor estratégia de tratamento. Está dividido em: Local - é onde a doença se encontra localizada. Regional - O câncer estende-se para fora do órgão de origem, mas mantém proximidade. Muitas vezes curável com medidas locais (cirurgia e irradiação. Regional Extenso - Estende-se para fora do órgão de origem, atravessando vários tecidos. Avançado - o câncer está disseminado pelo corpo através de metástases. Pode envolver medula óssea e múltiplos órgãos. Raramente é curável.
  • 19.
  • 20.
  • 21.