7º encontro mineiro de ce bs em unaí

313 visualizações

Publicada em

Iser Assessoria - Dossiê 7º Encontro mineiro de CEBs

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
313
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

7º encontro mineiro de ce bs em unaí

  1. 1. Dossiê sobre o 7° Encontro Mineiro de CEBs, Unaí, 2015 Iser Assessoria
  2. 2. CNBB: Diocese de Paracatu sedia 7° Encontro Mineiro de CEBs 23 SETEMBRO 2015 http://www.cnbb.org.br/regionais/leste-2/17293-cebs-promovem-o-7- encontro-mineiro-na-diocese-de-paracatu.html Edição abordou os desafios do mundo urbano Com o objetivo de cumprir plenamente a missão de criar uma cultura do encontro que supere todas as formas de exclusão, foi realizado, nos dias 18 e 19 de setembro, o 7º Encontro Mineiro de Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) do estado de Minas Gerais. O evento ocorreu em Unaí, na diocese de Paracatu (MG). Teve como tema “CEBs e os desafios no mundo urbano” e lema “Cidade e campo gerando vida!?” (2Rs 2,19s). A abertura foi presidida pelo bispo da diocese, dom Jorge Alves Bezerra. Segundo a equipe organizadora, os assuntos propostos para reflexão representaram as grandes urgências na missão evangelizadora no estado de Minas Gerais nos tempos atuais. Um dos assessores do encontro foi o frei Carlos Mesters, que falou sobre os aspectos positivos e negativos do êxodo rural, "que cresce como fruto da revolução industrial, criando problemas de família, moradia, saúde, água, transporte, lazer, segurança, cultura e espiritualidade". Também assessorou o evento o padre Nelito Dornellas, que fez referência ao pedido do papa Francisco de uma "Igreja em saída". Evangelizar supõe na igreja a coragem e a força de sair de si mesma, ir para as periferias, não só as geográficas, mas também as existenciais", disse. Durante o encontro houve, ainda, oficinas divididas por eixos: “Água”, “Povos originários e comunidades tradicionais”; “Equidade de gênero”; “Juventudes”; “As CEBs e a luta por terra, no campo e na cidade: um desafio urgente”. "O 7º Encontro Mineiro de CEBs trouxe um renovado ardor missionário para as comunidades eclesiais de base do Estado de Minas Gerais. Os participantes do encontro adquiriram uma renovada esperança, fortificaram sua fé, aprofundaram sua identidade e renovaram sua vivencia comunitária, solidária e amorosa fundamentada na pessoa de Jesus Cristo e na igreja misericordiosa", escrevem na carta final do evento. A próxima edição do Encontro Mineiro de CEBs ocorrerá na diocese de Caratinga, em 2019. 7º ENCONTRO MINEIRO DAS CEBS – UNAÍ 23 set 10:40CEBs Unaí http://dioceseparacatu.org.br/canais/noticias/802-7-encontro-mineiro-das-cebs-unai No dia 18 de setembro, às 20:00, Dom Jorge ALves Bezerra, SSS presidiu a
  3. 3. Celebração Eucarística na Paróquia Nossa Senhora do Carmo, Unaí-MG, onde oficializou a abertura do 7º Encontro Mineiro das CEBS, com o tema: CEBS e os desafios do mundo urbano; o lema: Cidade e campo gerando vida (2 Rs 2,19). aproximadamente 500 participantes vieram de todo o Estado de Minas Gerais. grande número de sacerdotes, diáconos, religiosos e representantes de outras Igrejas cristãs. Em sua homilia, o Bispo de Paracatu exortou os fiéis a não terem medo de enfrentar os desafios da evangelização. Disse ainda que o compromisso de gerar vida na cidade e no campo supõe provações, mas por outro afirmou que Deus está do lado daqueles que trabalham para construir um mundo novo fundado na justiça e no amor. Lembrou ainda que as CEBS não vivem para si mesmas, elas existem para servir e não para serem servidas. CEBS são cristãos que se comprometem com a busca da santidade, a fim de revelar a bondade e o amor de jesus bom pastor, para que venha o reino e se manifeste no mundo a glória de Deus. o primeiro anúncio da boa nova, feito pelas CEBS, é o testemunho de sua vida. A radicalização do amor é exigência básica do ser cristão. Enfim, asseverou: o amor que leva para a cruz, salva. Carta do 7º Encontro Mineiro de CEBs em Unaí-MG http://dioceseleopoldina.com.br/noticiasigreja/carta-do-7o-encontro-mineiro-de-cebs-em-unai-mg/ Publicado porJoão Victor Zoffoli - Assessoria de Comunicação Com o calor das terras de Unaí foram acolhidos os representantes das sete microrregiões do Estado de Minas Gerais, para o 7º Encontro Mineiro de CEBs. Os participantes foram recebidos na sexta-feira, dia 18 de Setembro de 2015, na BR 188 em uma tenda, com muita alegria. A Abertura do Encontro foi presidida pelo Bispo da Diocese de Paracatu – Dom Jorge Alves Bezerra, no Santuário Nossa Senhora do Carmo, com a presença dos participantes do encontro, famílias acolhedoras, padres,
  4. 4. diáconos e religiosas. Durante a celebração foi lida uma carta do Presidente do Regional Leste II da CNBB – Dom Paulo Mendes Peixoto, motivando a caminhada da CEBs. No dia seguinte, os participantes do encontro vivenciaram a espiritualidade das CEBs e aprofundaram o tema proposto: Desafios do Mundo Urbano, tendo como o lema: Cidade e Campo Gerando Vida!? Com a assessoria do Frei Carlos Mesters, aprofundamos nosso olhar sobre os aspectos positivos e negativos do êxodo rural, que cresce como fruto da revolução industrial, criando problemas de família, moradia, saúde, água, transporte, lazer, segurança, cultura e espiritualidade. Vimos que o desafio urbano cresce tanto que afeta o modo de viver de todos, tanto na cidade como na roça. Em 1950, 80 % da população brasileira vivia na roça. O censo de 2012 constata que 82% vive em cidades. Julgamos esta realidade com a luz da bíblia e vimos como o próprio Jesus nasceu na roça de Nazaré e, aos 30 anos de idade, foi morar na cidade de Cafarnaum. Vimos também como as primeiras comunidades cristãs foram nascendo entre os pobres das cidades daquela época: Jerusalém, Antioquia, Corinto, Éfeso, Roma, como é muito presente nos dias de hoje também. As CEBs são um novo modo de ser Igreja, com suas cinco dimensões: a dimensão comunitária, ligada aos problemas concretos da vida do povo; a dimensão humana, que faz crescer a participação das mulheres, procura acolher as pessoas e humaniza a convivência; a dimensão política, que combate as injustiças e as divisões injustas; a dimensão ecumênica, que insiste na vivência da Boa Nova de Deus, que Jesus nos trouxe, e não no aspecto institucional; a dimensão bíblica, que nos faz ver a realidade com o olhar de Deus. Apresentou-nos as quatro colunas da vida em comunidade, mencionadas na Bíblia quando ela diz que os cristãos “perseveravam no ensinamento dos apóstolos, na comunhão, na fração do pão e nas orações” (At 2,42). A Bíblia mostra, como na raiz das comunidades, está uma nova experiência do amor eterno de Deus como Pai; uma nova consciência da missão como serviço; uma nova pastoral que se caracteriza pela ternura, pela atitude de diálogo, pela preocupação em reunir-se uma vez por semana para partilhar a fé, louvar a Deus e animar-se mutuamente em servir, imitando Jesus que dizia: “Eu não vim para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate de muitos” (Mt 20,28) e tendo como modelo Maria, a mãe de Jesus, que respondia ao anjo: “Eis aqui a serva do Senhor!” (Lc 1,38). Pe. Nelito, referindo-se ao papa Francisco, ressalta que os cristãos tinham tudo em comum, que tudo partilhavam. Os primeiros cristãos davam testemunho da ressurreição de Jesus mesmo diante das perseguições. Afirma que Evangelizar supõe zelo apostólico. Evangelizar supõe na igreja a coragem e a força de sair de si mesma, ir para as periferias, não só as geográficas, mas também as existenciais. No mesmo dia, participamos das oficinas de trabalho para debater sobre as juventudes, os povos originários e comunidades tradicionais, a equidade de gênero, terra e água; partilhar experiências e apontar propostas e gestos concretos para a caminhada de nossas comunidades. Sobre a problemática da terra assumimos o compromisso de colaborar na organização dos movimentos do campo na luta pelos seus direitos, defendendo a ecologia e a sustentabilidade, a produção agroecológica, a soberania e segurança alimentar, o apoio a agricultura familiar e a permaneça dos camponeses na roça. Sobre as questões referentes ao uso e à conservação da água, nos comprometemos em defender e proteger as nascentes, usá-la com sobriedade e equilíbrio, lutando para que ela seja bem público e universal e não uma mercadoria a ser comercializada. Propomos que sejam criadas nas comunidades a Pastoral Ecológica. Nas questões referentes às relações de gênero, assumimos o compromisso de promover a equidade de gênero, como forma de proteção, valorização e inclusão da
  5. 5. mulher em todos os níveis da vida em sociedade, no combate a violência feminina e contra a homofobia e toda a forma de discriminação e exclusão. Sobre os povos originários e comunidades tradicionais, assumimos o compromisso pelo respeito e valorização desses povos e apoiamos suas lutas por demarcação de seus territórios. A respeito das juventudes, assumimos o compromisso de promover o protagonismo juvenil nas comunidades, nas paróquias, dioceses, na equipe de animação do Estado, criando espaços de participação, formação e superação do extermínio da juventude. O 7º Encontro Mineiro de CEBs trouxe um renovado ardor missionário para as comunidades eclesiais de base do Estado de Minas Gerais. Os participantes do encontro adquiriram uma renovada esperança, fortificaram sua fé, aprofundaram sua identidade e renovaram sua vivencia comunitária, solidária e amorosa fundamentada na pessoa de Jesus Cristo e na igreja misericordiosa. Levaremos também a rica cultura popular do noroeste de Minas, tão bem representada pelos grupos culturais e de folias na noite cultural no bairro Canabrava. Recebemos com alegria a boa noticia de que a diocese de Caratinga está de portas abertas para acolher o Trem das CEBs, no 8º Encontro Mineiro em 2019. Com as bênçãos e a proteção de Nossa Senhora do Carmo, padroeira dessa diocese e de Nossa Senhora da Conceição padroeira da cidade, nos despedimos com a mesma alegria que levou Maria a cantar o Magnificat. Axé, Auere, Alelulia, Uai. Unaí-MG 20 de Setembro de 2015.
  6. 6. Encontro Mineiro de Cebs em Unaí discutiu sobre juventude, terra, água, comunidades tradicionais e gênero 20 set 22:33Encontro Mineiro de Cebs Fonte: https://geraldoze.wordpress.com/2015/09/21/encontro-mineiro-de-cebs-em-unai-discutiu-sobre-juventude-terra- agua-comunidades-tradicionais-e-genero/ A cidade de Unaí sediou o 7o. Encontro Mineiro de Cebs no último final de semana, de 18 a 20/09. Centenas de militantes dos movimentos sociais, estudantes, trabalhadores rurais sem terra, quilombolas, indígenas e representantes de paróquias do estado participaram do evento que teve como coordednador o padre Simonides e como palestrantes o Frei Carlos Mesters e o Padre Nelito. Frei Carlos Mesters é um dos maiores biblistas do país e um dos expoentes da Teologia da Libertação. Ele falou, dentre outras coisas, do distanciamento dos jovens dos movimentos da Igreja que procuram atuar nas periferias, dos motivos da redução do número de católicos e da importância de uma consciência política que impeça um maior avanço do conservadorismo. Propôs também uma reflexão acerca da imagem de Jesus que muitos católicos passam para seus filhos. O padre Nelito, também ligado aos setores progressistas da Igreja, apresentou o discurso do Papa aos movimentos sociais na Bolívia, falou sobre a Igreja de saída, que vai até as periferias geográficas e existenciais. Ele também criticou a política econômica neoliberal e as incoerências cruéis do capitalismo. Os debates foram divididos em cinco eixos. O eixo Terra tratou do êxodo rural, do aumento da média de idade do homem do campo
  7. 7. e da falta de investimentos em escolas rurais. O eixo Juventude abordou a violência contra o jovem, a redução da maioridade penal e a participação dos jovens na Igreja. O eixo Água debateu a poluição e a crise hídrica provocada por um modelo de desenvolvimento que não considera os graves impactos no meio ambiente, principalmente as atividades de mineração e o agronegócio. O grupo que discutiu os assuntos relacionados as comunidades tradicionais reconheceu importantes avanços observados nos últimos anos, como o reconhecimento das áreas de quilombos e a titulação dessas terras. No entanto, apontou para a necessidade de aprofundar os avanços e conter o massacre dos povos indígenas. O eixo Gênero tratou da violência contra a mulher, o preconceito de gênero e o atraso conservador nos debates sobre os planos municipais de educação A Cáritas Diocesana de Paracatu enviou representantes para o encontro, contribuindo para os debates e para a definição de estratégias e ações. Joaquim Carlos, voluntário e membro do conselho fiscal da entidade, participou dos debates no eixo Terra, abordou a falta de investimentos em escolas do campo e o consequente fluxo de jovens para as cidades em busca de escolas. Paracatu esteve representado também por Enivon, Jesué Mesquita, Luiz Ubaldo, João Pedro Caldas, Miguel, Roberto da Famag, Ângela e o tesoureiro da Cáritas José Geraldo Caldas. Vídeos de Frei Gilvander freigilvander.blogspot.com.br Encontro Mineiro de Cebs em Unai – Animação (1 min.) https://www.youtube.com/watch?v=lEYtsfpa7Xs VII Encontro Mineiro de CEBs, Unaí, MG, 18 a 20 09 2015: Celebração dos mártires (13 minutos) https://www.youtube.com/watch?v=X39hLayayd8 VII Encontro Mineiro de CEBs, Unaí, MG, 18 a 20/09/15: Celebração de Envio para a missão (24 minutos) http://freigilvander.blogspot.com.br/2015/09/vii-encontro-mineiro-de-cebs-unai- mg-18_14.html Frei Carlos Mesters no VII Encontro Mineiro de CEBs, Unaí, de 18 a 20 09 15: Jesus e as CEBs (1 hora) https://www.youtube.com/watch?v=RYTqOgN6gm4 VII Encontro Mineiro de CEBs, Unaí, MG, 18 a 20 09/15: Padre Cláudio e Pavuna denuncia agressão http://freigilvander.blogspot.com.br/2015/09/vii-encontro-mineiro-de-cebs-unai- mg-18_14.html

×