II

A Participação Popular em
uma Rádio Comunitária: 

 

Um estudo de caso da Melodia FM

ã®
Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia a
Departamento de Filosofia e Ciências Humanas
Colegiado de Comunicação Social ...
iãeüáñuea
:1Eannadaaaüan§§@üã§: uÍ“

   

íggaahiannnaaafãüiagaauüiãdia

H



 

; raandiuüaadeeaí= :;“ÇfíLa§”ü1eneüaHbe

...
íifletodologia: 

Método:  estudo de caso: 

Técnicas:  análise bibliográfica.  análise documental. 
entrevista compreensi...
O rádio e sua história: 

1863: James Clerck Maxwell demonstra a existência de ondas
eletromagnéticas: 

1895: lViarconi i...
O rádio no Brasil: 

1922: Primeira transmissão de rádio:  discurso de Epitácio
Pessoa: 

1923: Fundação da Rádio Sociedad...
A rádio comunitária: 
197o:  Primeiras transmissões da Rádio Paranóica: 

1970. 80 e 9o:  Multiplicação das rádios livres:...
rx r f) f [X f f" f f
. ., - /  l /  il lu
/  / O . -« u U . _« u
. rhmtcl alprccndc PQIIÍPRIHCIIÍOS di:  mui» m a Ill nuu...
Características

principais da Melodia FM

l Dirige-se à comunidade evangélica; 
I Programação completamente segmentada: 
...
| Inspirações teóricas

Comunidade e
participação
Teóricos antigos:  Localidade e sentimento de
comunidade (MclVER;  PAGE,  l973). 

Comunidade

Teóricos atuais:  interesse...
Passiva:  os membros da comunidade não se
envolvem; 

Participação

Controlada;  ocorre de maneira
limitada;  ha' desmotiv...
Cogestão:  o poder é compartilhado,  mas existe uma
cúpula hierarquicamente mais elevada; 

Categorias da
participação- _ ...
¡Análise
Processos da pesquisa

Audição da ¡ádm Bibliografia Documentos

Contagem de

.  . _ Entrevista c/  Gilaelson
participaçoes...
.Z 

lilo":  'Ç'
l 5141:? 

31'! 

i 2:1;
i -twrlliârtllile-
í . Ityl| L'¡! ;lIlf! :
1:

3!

   

Níveis hierárquicos

   
 
 

Ebenézer

Funcionários

Rose Elene

Independentes
Canais de artici a ão
Dias Data

 1 1 8/08/201 4
 2 20/08/2014
 3 21 /08/20 1 4
 4 22/08/2014
 5 25/08/2014
 6 26/08/2014
 7 27/08/2014
 8 28/08...
Participações por canal
4%

37%

Facebook

59% i WhatsApp

F Telefone
Y .  .
q. ..,  m. .., 
74-14? "H-r -: -' »um

    

. .sagasr. ..'. ..-, .«. ,x. ,ea_i. r:. =~z. ...  .. u
. muy q,  7/ mu...
É possível haver,  de fato, 
participação numa rádio
comunitária?  SI M_
@tanto à 'teoria

Comunidade Lei Participação

Possibilidade de dispersão Demasiadamente Grau:  participação controlada
ge...
,ô ' '

ic-; Lanto à pratica

Sinal Recursos Concorrência
Excessivamente A forma de publicidade Forte e desleal.  Uma rádi...
A sociedade brasileira necessita
de mais rádios dessa espécie. 
Porém,  necessita ainda mais de
profissionais da comunicaç...
Isaac Coelho Santos
Prof. ” Ma.  Flávia M.  M.  Mota
A participação popular em uma rádio comunitária - um estudo de caso da Melodia FM/Isaac_Santos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A participação popular em uma rádio comunitária - um estudo de caso da Melodia FM/Isaac_Santos

299 visualizações

Publicada em

Slide do meu Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Comunicação Social/Jornalismo.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
299
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A participação popular em uma rádio comunitária - um estudo de caso da Melodia FM/Isaac_Santos

  1. 1. II A Participação Popular em uma Rádio Comunitária: Um estudo de caso da Melodia FM ã®
  2. 2. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia a Departamento de Filosofia e Ciências Humanas Colegiado de Comunicação Social Aluno: Isaac Coelho Santos Orientadora: Proff' Ma. Flávia Moreira Mota e Mota ®
  3. 3. iãeüáñuea :1Eannadaaaüan§§@üã§: uÍ“ íggaahiannnaaafãüiagaauüiãdia H ; raandiuüaadeeaí= :;“ÇfíLa§”ü1eneüaHbe ÊküãlükiüâiuñàüienüâeÃ*Í; aaaaaaaÍ________________________________________________________
  4. 4. íifletodologia: Método: estudo de caso: Técnicas: análise bibliográfica. análise documental. entrevista compreensiva e observação direta.
  5. 5. O rádio e sua história: 1863: James Clerck Maxwell demonstra a existência de ondas eletromagnéticas: 1895: lViarconi inventa o telégrafo sem fio: 190o: Padre Landell faz a primeira transmissão de voz à distância: 1919: É criada a primeira empresa de telecomunicações. a Radio Corporation of America (RCA). O rádio segue evoluindo.
  6. 6. O rádio no Brasil: 1922: Primeira transmissão de rádio: discurso de Epitácio Pessoa: 1923: Fundação da Rádio Sociedade por Roquete-Pinto: 1936: Fundação da Rádio Nacional: 194o - 195o: Era de Ouro do Rádio: 1960 até hoje: Concorrência com a televisão e outros meios: adaptação a novas tecnologias.
  7. 7. A rádio comunitária: 197o: Primeiras transmissões da Rádio Paranóica: 1970. 80 e 9o: Multiplicação das rádios livres: 1998: Promulgação da Lei de Radiodifusão Comunitária: 200o em diante: Crescimento do número de Radcoms.
  8. 8. rx r f) f [X f f" f f . ., - / l / il lu / / O . -« u U . _« u . rhmtcl alprccndc PQIIÍPRIHCIIÍOS di: mui» m a Ill nuumku | IL rádios clandestinas em Coilquisla ~ . ';f, í'j . _ mánm 21-1; . _ . .a -r A . v -: L Í “É t* , z if ' . - A rádio Sinai FM Aconcossãoé FUWJOWÕWWGWÍO enfrenta dificuldades outorgada “Olmal da MEÍOÚW FM
  9. 9. Características principais da Melodia FM l Dirige-se à comunidade evangélica; I Programação completamente segmentada: I É a única da espécie no perímetro urbano de Vitória da Conquista: É uma rádio comunitária. o que compreende um baixo alcance de sinal. limites na publicidade entre outras restrições impostas pela Lei.
  10. 10. | Inspirações teóricas Comunidade e participação
  11. 11. Teóricos antigos: Localidade e sentimento de comunidade (MclVER; PAGE, l973). Comunidade Teóricos atuais: interesses em comum. porém com possibilidade de dispersão geográfica (PALÁCIOS, 1990).
  12. 12. Passiva: os membros da comunidade não se envolvem; Participação Controlada; ocorre de maneira limitada; ha' desmotivação; Poder; existe atividade e compartilhamento de poder entre os membros da comunidade (PERUZZO. 1998).
  13. 13. Cogestão: o poder é compartilhado, mas existe uma cúpula hierarquicamente mais elevada; Categorias da participação- _ , , d Autogestao: os proprios membros po er da comunidade são os gestores (PERUZZO, 1998).
  14. 14. ¡Análise
  15. 15. Processos da pesquisa Audição da ¡ádm Bibliografia Documentos Contagem de . . _ Entrevista c/ Gilaelson participaçoes Entrevista c/ Ebenézer Observação direta Análise Construção do texto Conclusão
  16. 16. .Z lilo": 'Ç' l 5141:? 31'! i 2:1; i -twrlliârtllile- í . Ityl| L'¡! ;lIlf! :
  17. 17. 1: 3! Níveis hierárquicos Ebenézer Funcionários Rose Elene Independentes
  18. 18. Canais de artici a ão
  19. 19. Dias Data 1 1 8/08/201 4 2 20/08/2014 3 21 /08/20 1 4 4 22/08/2014 5 25/08/2014 6 26/08/2014 7 27/08/2014 8 28/08/2014 9 29/08/201 4 1 0 1 /9/201 4 Facebook 0 00000000-3 WhatsApp Telefone Amo; Outros O 000000000
  20. 20. Participações por canal 4% 37% Facebook 59% i WhatsApp F Telefone
  21. 21. Y . . q. .., m. .., 74-14? "H-r -: -' »um . .sagasr. ..'. ..-, .«. ,x. ,ea_i. r:. =~z. ... .. u . muy q, 7/ mu» _ _ P__J_Ia: -
  22. 22. É possível haver, de fato, participação numa rádio comunitária? SI M_
  23. 23. @tanto à 'teoria Comunidade Lei Participação Possibilidade de dispersão Demasiadamente Grau: participação controlada geográfica restritiva
  24. 24. ,ô ' ' ic-; Lanto à pratica Sinal Recursos Concorrência Excessivamente A forma de publicidade Forte e desleal. Uma rádio reduzido (25 watts) dificulta a arrecadação educativa, com prática comercial Necessidade de cessão ou arrendamento
  25. 25. A sociedade brasileira necessita de mais rádios dessa espécie. Porém, necessita ainda mais de profissionais da comunicação que con heçam melhor o seu contexto e sejam ca pazes de, ao decidirem abrir uma rádio, fazer com que esta não seja meramente comunitária, mas socialmente sustentável.
  26. 26. Isaac Coelho Santos Prof. ” Ma. Flávia M. M. Mota

×