Metodologias de operacionalização

210 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
210
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Metodologias de operacionalização

  1. 1. 7ª sessão online: Workshop – O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte III – conclusão)<br />Formanda: Isabel da Silva Reis<br />1ª tarefa: Elabore um quadro que permita cruzar o tipo de informação resultante da auto- -avaliação da BE nos seus diferentes domínios/ Subdomínios e respectivos indicadores, com os Campos e Tópicos descritores estabelecidos pela IGE, nos quais aquela informação deve ser relatada e enquadrada para apresentação.<br />Campos de análise de desempenho com vista à avaliação externaIndicadores de cada um dos domínios do Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas EscolaresContexto e caracterização geral da escola:1.2. Dimensão e condições físicas da escolaOs espaços e equipamentos estão acessíveis e bem organizados?1.4. Pessoal docenteQuanto ao número de docentes, as necessidades da escola são satisfeitas?1.5. Pessoal não docenteO número de funcionários não docentes, afecto a cada serviço, é adequado?1.6. Recursos financeirosA escola dá resposta às suas necessidades financeiras?D.2- Condições humanas e materiais para a prestação de serviçosAdequação da BE em termos de espaço e equipamento às necessidades da Escola /Agrupamento.Adequação dos computadores e equipamentos tecnológicos ao trabalho da BE e dos utilizadores na escola.D.2- Condições humanas e materiais para a prestação de serviçosAdequação dos recursos humanos às necessidades de funcionamento da BE.D.3- Planeamento da colecção/ da informaçãoPlaneamento /gestão da colecção de acordo com a inventariação das necessidades curriculares e dos utilizadores.Adequação dos livros e de outros recursos de informação (no local e em linha) às necessidades curriculares e aos interesses dos utilizadores.O Projecto Educativo:2.1. Prioridades e objectivos Os documentos orientadores e reguladores da vida na escola integram a Biblioteca escolar?2.2. Estratégias e planos de acçãoAs diferentes estruturas e órgãos de administração e gestão articulam entre si? A escola privilegia os TIC para o desenvolvimento educativo e que acções são desencadeadas nessa área?A leitura e a literacia constam como meta do projecto educativo?A escola incentiva o pessoal docente e não docente à formação específica?D.1- Articulação da BE com a escola. Acesso e serviços prestados pela bibliotecaIntegração da BE na escola.Valorização da BE pelos órgãos de direcção, administração e gestão.Resposta da BE às necessidades da escola.A.1- Articulação curricular da Biblioteca Escolar com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentesCooperação da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica.Ligação da BE ao PTE e a outros programas e projectos curriculares de acção, inovação pedagógica e formação existentes na escola.A.2- Promoção das literacias da informação, tecnológica e digitalPromoção do ensino em contexto de competências de informação.Promoção do ensino em contexto de competências tecnológicas e digitais.B- Leitura e LiteraciaIntegração da BE nas estratégias e programas de leitura.D.2- Condições humanas e materiais para a prestação de serviçosAdequação dos recursos humanos às necessidades de funcionamento da BE.A organização e gestão da Escola:3.1. Estruturas de gestãoDe que forma as várias estruturas e o órgão da escola se relacionam entre si?Como funcionam as estruturas de orientação e qual a abrangência da sua acção?3.2. Gestão pedagógicaQuais as opções de gestão pedagógica que assegurem a integração de todos na comunidade educativa?Como são apoiados os professores no desempenho das suas funções?3.3. Procedimentos de auto-avaliação institucionalA escola implementa processos de auto-avaliação, integrando-os nas práticas de gestão?D.1- Articulação da BE com a escola. Acesso e serviços prestados pela bibliotecaValorização da BE pelos órgãos de direcção, administração e gestão.D.2- Condições humanas e materiais para a prestação de serviçosLiderança do professor bibliotecário.A.1- Articulação curricular da Biblioteca Escolar com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentes(todos os indicadores)D.1- Articulação da BE com a escola. Acesso e serviços prestados pela bibliotecaAvaliação da BE.D.3- Gestão da colecçãoPlaneamento/ gestão da colecção de acordo com a inventariação das necessidades curriculares e dos utilizadoresLigação à comunidade:4.1. Articulação e participação dos pais e E.E. na vida da escolaA escola desenvolve projectos ou actividades continuadas com os pais e EE em diferentes domínios?4.2. Articulação e participação das autarquiasQual o nível de participação das autarquias na vida da escola?4.3. Articulação e participação das instituições locais – empresas, instituições sociais e culturaisA que níveis a participação das instituições locais na vida da escola se opera?C.2- Projectos e parceriasEstímulo à participação e mobilização dos pais e encarregados de educação no domínio da promoção da leitura e do desenvolvimento de competências das crianças e jovens que frequentam a escola.Abertura da BE à comunidade local.Envolvimento da BE em projectos da respectiva escola ou desenvolvidos em parceria, a nível local ou mais amplo.Clima e ambiente educativos:5.1. Disciplina e comportamento cívicoQue acções são desencadeadas no âmbito da educação para a cidadania?5.2. Motivação e empenhoQue formas de recepção e acolhimento tem a escola instituídas?Qual a estratégia de integração dos novos docentesDe que meios de informação e comunicação dispõe a escola para a integração e o envolvimento da comunidade escolar?A.2- Promoção das literacias da informação, tecnológica e digitaisImpacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo da vida.Organização de actividades de formação de utilizadoresA.1- Articulação curricular da BE com os docentesCooperação da BE com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica.D.3- Gestão da colecção / da informaçãoDifusão da informação.Resultados6.2. Resultados sociais da educaçãoQue acções são desencadeadas pela escola para o conhecimento sistemático do impacto da sua acção educativa?A.2- Promoção das literacias da informação, tecnológica e digitalImpacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de informação dos alunos.B- Leitura e LiteraciaImpacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos no âmbito da leitura e literacia.<br />2ª tarefa: Tendo por base a amostra de Relatórios de avaliação externa que elegeu (3), faça uma análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE, nesses Relatórios.<br />Relatórios de avaliação externa seleccionados:<br />1º) Escola Secundária de Sampaio – Sesimbra – 19-20 de Março de 2007<br />2º) Agrupamento de Escolas de Sesimbra – Castelo Poente – 26 a 28 de Novembro de 2007<br />3º) Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde – Sesimbra – 17 a 19 de Maio de 2010<br />Observação: A escolha dos três relatórios não foi aleatória; obedeceu a critérios de localização geográfica, inserção no grupo de trabalho SABE das escolas de Sesimbra, no qual me incluo, e respectivo conhecimento, embora superficial, da realidade das três escolas/BE seleccionadas.<br />Metodologia adoptada: Após a leitura dos relatórios de avaliação externa, far-se-á a análise individual dos mesmos, através, por um lado, de um levantamento das referências à BE feitas de uma forma específica, explícita e inequívoca, e também as referências mais gerais ou indirectas (implícitas) que pressupõem serviço prestado pela BE, e, por outro, de alguns comentários críticos. Depois será feita uma análise comparativa dos três relatórios, com vista à apresentação de conclusões/síntese.<br />Análise / Comentário crítico individual dos relatórios seleccionados<br />Relatório de avaliação externa da Escola Secundária de Sampaio<br />Referências explícitasReferências implícitasO apetrechamento dos espaços específicos, como as salas de informática e o centro de recursos educativos é bom (…). (p. 3)Desenvolve (a Escola) ainda alguns projectos, tais como “Jardins de vidro” ligado ao programa Ciência Viva e pertence à Rede Nacional de Bibliotecas (…). (p.5 e p.12)As actividades de enriquecimento do currículo promovidas pela Escola, nomeadamente alguns projectos transversais, jornal da Escola e o desporto escolar, tal como a Biblioteca e Centro de Recursos Educativos como estrutura de apoio às aprendizagens, têm contribuído também para maximizar a resposta interna às necessidades educativas especiais e às dificuldades de aprendizagem dos alunos. (p. 9)A escola dá ainda alguma atenção à dimensão artística, (…) como através de (…) as exposições interactivas no Centro de Recursos Educativos, o convite a escritores para virem à Escola (…). (p.9) A Escola preocupa-se em promover nos alunos o sentimento de pertença, o espírito de solidariedade e respeito pelos outros, procurando envolvê-los em actividades culturais, artísticas e desportivas, desenvolvidas na Escola. (p.4)A Escola apresenta os seus espaços e equipamentos bem cuidados e adequados aos currículos e aos alunos, havendo, no entanto, insuficiência de alguns espaços tanto de ensino como de lazer. (p.5)<br />No relatório da avaliação externa da Escola Secundária de Sampaio, as referências explícitas à BE apontam para uma abordagem positiva e incidem nos quatro domínios do MAABE, a saber Domínio A - Apoio ao desenvolvimento curricular (3ª referência), Domínio B – Leitura e Literacia (4ª referência), Domínio C – Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade (2ª referência) e Domínio D – Gestão da Biblioteca Escolar (1ª referência). De uma forma implícita, refere-se novamente a adequação dos espaços e equipamentos (domínio D) e a importância da realização de actividades culturais, que poderão estar, ou não, associadas à BE (Domínio B e C). <br />Relatório de avaliação externa do Agrupamento de Escolas Sesimbra - Castelo Poente<br />Referências explícitasReferências implícitasTambém os alunos são incentivados a frequentar a biblioteca escolar/centro de recursos educativos, onde são desenvolvidas actividades de pesquisa e sensibilização e de promoção do uso e gosto pelos livros, no âmbito do Plano Nacional de Leitura. Neste espaço os alunos têm fácil acesso a materiais audiovisuais. (p. 9)No 1º ciclo apenas uma escola tem biblioteca tendo, no entanto, todas as unidades escolares acesso ao acervo da escola sede, estando previsto um sistema de circulação de livros de forma a a que os materiais da BE/CRE da escola sede cheguem a todos os estabelecimentos da educação pré-escolar e do 1º ciclo.(p.9)A escola sede integra a rede de bibliotecas escolares, proporcionando acesso a recursos diversificados. (p. 12)Apesar do comportamento disciplinado da maioria dos alunos, é observável alguma agitação, por parte destes, decorrente da insuficiência e inadequação dos espaços para os tempos de recreio. (p.7)O ano lectivo é planeado para assegurar a escola a tempo inteiro, em todos os níveis de ensino através das actividades de animação socioeducativa e de apoio à família, na educação pré-escolar, das actividades de enriquecimento curricular e de apoio à família no 1º ciclo, e na gestão da componente não lectiva dos docentes em actividades de apoio pedagógico acrescido (…), actividades de tutoria, gabinete de prevenção da indisciplina, dinamização de clubes e actividades na ludoteca entre outras, no sentido da ocupação plena dos tempos escolares, dando simultaneamente resposta ao plano de acção educativa e rentabilizando os recursos humanos e materiais disponíveis. (p. 9-10)Os espaços escolares estão bem organizados, verificando-se que o acompanhamento dos alunos que os utilizam é efectuado de forma adequada. (p. 10)O agrupamento dispõe, na escola sede, de um sistema wireless, com internet em todas as salas.(p. 12)<br />No relatório de avaliação externa do Agrupamento de Escolas Sesimbra – Castelo Poente, as referências à BE também são feitas de uma forma positiva. Abordam-se aspectos referentes às duas BE do Agrupamento (a da escola sede- 2º e 3º ciclos e a de uma das escolas do 1º ciclo), realçando a articulação entre ambas, sobretudo a nível da partilha de recursos. O primeiro aspecto evidenciado de uma forma explícita está, sobretudo, enquadrado no domínio B - Leitura e Literacia, revelando ser uma das áreas privilegiadas. A referência à integração na RBE da BE da escola sede reforça o “acesso a recursos diversificados”. De uma forma implícita, foca-se, talvez, a boa organização da BE e do seu apetrechamento com o sistema wireless e destaca-se uma grande preocupação da escola no que concerne a ocupação plena dos tempos escolares, na qual a BE está obviamente implicada.<br />Relatório de avaliação externa do Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde<br />Referências explícitasReferências implícitasA escola básica do 1º ciclo possui uma biblioteca que se encontra condicionada, tal como outros espaços físicos, em resultado do efeito de uma intempérie. (p. 4)Neste sentido (OTE), são desenvolvidas actividades educativas na Biblioteca, na sala de estudo e nos clubes. (p. 7)A Escola-sede possui uma biblioteca escolar integrada na Rede de Bibliotecas escolares, sendo um espaço acolhedor e bem equipado que dinamiza um conjunto diversificado de actividades, quer de apoio ao processo de ensino e de aprendizagem quer às actividades de enriquecimento curricular e dos tempos livres dos alunos. A Escola Básica do 1º ciclo possui igualmente uma biblioteca, também integrada na Rede, mas que se encontra condicionada, tal como outros espaços físicos, em resultado do efeito de uma intempérie. (p.10)O Agrupamento, tendo em vista a formação integral dos alunos, está envolvido em projectos nacionais, como a Rede das Bibliotecas Escolares, o Plano Nacional de Leitura (…) (p. 11)São de referir, a título de exemplo, pelo envolvimento que induzem e pelo impacto que têm na formação das crianças e alunos, (…) as iniciativas desenvolvidas no âmbito do Plano Nacional de Leitura, sobretudo na educação pré-escolar. (p. 8)As unidades educativas apresentam boas instalações, espaços e equipamentos para o desenvolvimento da actividade educativa. (p. 9)O Agrupamento tem uma política de diferenciação consubstanciada nas metas a atingir e tem como áreas de excelência os projectos, clubes e actividades e a oferta educativa que lhe permite ser conhecido e reconhecido interna e externamente. (p. 10)<br />No relatório de avaliação externa do Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde, as referências explícitas à BE enquadram-se nos quatro domínios do MAABE, com particular destaque para a terceira referência que, para além de realçar características físicas da BE, sintetiza a sua missão e as áreas de intervenção na escola/agrupamento. <br />Comentário global /Síntese<br />Pelo levantamento acima exposto, percebe-se que as referências à BE, nos três relatórios de avaliação externa apreciados, são muito reduzidas (cerca de quatro referências explícitas em cada um deles), apesar de abranger os quatro domínios do MAABE. Em todos existe um enfoque no facto de as BE pertencerem à Rede das Bibliotecas escolares e de estarem envolvidas no Plano Nacional de Leitura, considerando a participação nesses Projectos uma mais-valia. <br />No entanto, esperaria que as referências reflectissem de forma mais evidente o valor e missão da BE, o seu contributo na aquisição de competências e saberes, com vista à melhoria das aprendizagens e a articulação que estabelece com as estruturas de coordenação e supervisão pedagógica e com os docentes. <br />São igualmente destacados o seu envolvimento a nível da ocupação dos tempos livres dos alunos, da realização de actividades artísticas e educativas e as boas condições físicas de que dispõem.<br />Uma vez que apreciei relatórios de 2007 e 2010, tendo feito a sua leitura respeitando a cronologia, pensei poder encontrar algumas diferenças na abordagem à BE entre os dois relatórios de 2007 e o de 2010, devido à aplicação do MAABE no ano lectivo transacto, o que não se veio a verificar.<br />Essa constatação deixa-nos uma mensagem de que as BE ainda não assumiram nas escolas / agrupamentos o lugar que todos desejamos e que não existe uma prática sistemática de recolha de dados para avaliar serviços. É necessário desenvolver mais esforços para que haja uma verdadeira apropriação da BE por todos os agentes educativos, para que a efectiva colaboração venha beneficiar as aprendizagens e para que a auto-avaliação dos serviços da escola, nomeadamente da BE, seja encarada na perspectiva correcta, a da melhoria da qualidade dos serviços prestados.<br />

×