Numa casa de uma grandecidade, vivia uma menina com a sua mãe.    A mãe achava a sua menina muito bonitae para que ela fic...
Um dia, a mãe chamou a sua menina e  disse-lhe :   - A avó está doente e não pode sair decasa. Eu      preparei umas panqu...
O Capuchinho Verde ia tão distraída noautocarro que nem deu conta que estava alguéma vigiá-la.De repente , a jovem que est...
O Capuchinho Verde não sabia que elaera uma rapariga tão matreira e aceitou.    A rapariga matreira seguiu pelocaminho mai...
Claro que a rapariga matreira chegou primeiro a  casa da avó e tocou à campainha, dizendo :  - Sou eu, avó, a tua netinha!...
A jovem disfarçada de avó, mal ouviu a campainhatocar, perguntou: - Quem é ?   (Oh, não parece a voz da avó! - murmurouCap...
Assim, chegou-se perto da cama e disse-lhe: - Oh! Avó, os teus braços … - É para te abraçar melhor, minha querida. A menin...
Entretanto, a jovem tentou fugir com asjoias, mas a polícia apanhou-a a sair doprédio. Ajudada pela polícia, a menina volt...
Moral :  Nos dias que correm, devemos  sempre seguir os conselhos dos  mais velhos.. 
O Realizado por :                       Inês P.    Carolina /   Jessica /  Cátia /   Inês S./                       /jovem...
O Capuchinho Verde
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O Capuchinho Verde

778 visualizações

Publicada em

História

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
778
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Capuchinho Verde

  1. 1. Numa casa de uma grandecidade, vivia uma menina com a sua mãe. A mãe achava a sua menina muito bonitae para que ela ficasse ainda maisbonita, ofereceu à filha um capuz verde. Ocapuz verde ficava-lhe muito bem. Assim, amenina nunca mais o tirou e todos os amigosa começaram a chamar “CapuchinhoVerdinho”.
  2. 2. Um dia, a mãe chamou a sua menina e disse-lhe : - A avó está doente e não pode sair decasa. Eu preparei umas panquecas paratu lhas levares, mas, por favor, não tedistraias pelo caminho e não fales comninguém que não conheças. O Capuchinho Verde prometeu à mãeque não ia esquecer-se das promessas eapanhou o autocarro para casa da avó.
  3. 3. O Capuchinho Verde ia tão distraída noautocarro que nem deu conta que estava alguéma vigiá-la.De repente , a jovem que estava de olho namenina sentou-se a seu lado por não terresistido ao cheiro das panquecas…- Oh! Que linda menina ! Aonde vais sozinha ?- A casa da minha avó que está doente por causada poluição …- Não queres fazer um jogo comigo, para verquem chega primeiro a casa da tua avó ? Entretanto, o autocarro parou e elas saíram e ajovem disse:- Eu vou por esta rua e tu vais pela outra.
  4. 4. O Capuchinho Verde não sabia que elaera uma rapariga tão matreira e aceitou. A rapariga matreira seguiu pelocaminho mais curto, enquanto que oCapuchinho Verde foi pelo caminho maislongo da cidade e ainda se demorou a veras montras, pois estava encantada comtudo o que via…
  5. 5. Claro que a rapariga matreira chegou primeiro a casa da avó e tocou à campainha, dizendo : - Sou eu, avó, a tua netinha! Demasiado doente para se levantar, a avó disse: - Podes entrar, minha querida, a porta não está fechada à chave! A rapariga entrou, pegou na avó e meteu-a noarmário atada com uma corda e fita cola na boca.Roubou as joias antigas da avó, vestiu-se igual àavó e deitou-se na cama, esperando que oCapuchinho Verde chegasse com as panquecas ,porque estas tinham-lhe feito crescer água naboca….
  6. 6. A jovem disfarçada de avó, mal ouviu a campainhatocar, perguntou: - Quem é ? (Oh, não parece a voz da avó! - murmurouCapuchinho Verde). - Sou eu, avó, a tua netinha ! Trouxe-te umaspanquecas que a minha mãe fez para o teu lanche.A rapariga adocicou a voz e disse: - Podes entrar minha querida, a porta não estáfechada à chave!O Capuchinho Verde entrou e a rapariga levantouum pouco a cabeça e disse:- Pousa a cesta em cima da mesa e aproxima-temais para eu te ver melhor .A menina fez o que a rapariga mandou.
  7. 7. Assim, chegou-se perto da cama e disse-lhe: - Oh! Avó, os teus braços … - É para te abraçar melhor, minha querida. A menina achou um pouco estranho e recuou. Entretanto, a avó conseguiu tirar a fita cola daboca e pediu socorro. A menina pegou notelemóvel e ligou para a polícia a pedir ajuda. Estava com tanto medo que nem queriaacreditar… À medida que foi recuando, alcançou a porta ecorreu o mais rápido que podia. - Socorro! Socorro! Ajudem-me!
  8. 8. Entretanto, a jovem tentou fugir com asjoias, mas a polícia apanhou-a a sair doprédio. Ajudada pela polícia, a menina voltou aoapartamento e conseguiu tirar a avó doarmário sã e salva.
  9. 9. Moral : Nos dias que correm, devemos sempre seguir os conselhos dos mais velhos.. 
  10. 10. O Realizado por : Inês P. Carolina / Jessica / Cátia / Inês S./ /jovem Capuchinho avózinha mãe, ag narrador matreira ente da a Verde polícia 7º C

×